segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

“LA Alumínios na Clássica da Primavera”

A LA Alumínios depois da Volta ao Algarve, já prepara o novo desafio, desta vez será a 22ª edição da Clássica da Primavera, a realizar no dia 4 de março na Póvoa de Varzim.

O evento terá um trajeto de 147.2 quilómetros, com partida marcada para as 11 horas, e chegada prevista para as 14,30 horas, com saída e chegada à Póvoa de Varzim. 

“DUATLO JOVEM DE FÁTIMA”

Francisca Leirião - 1ºlugar em Benjamins, Duarte Santos – 3ºlugar em Juvenis

Decorreu em Fátima no passado sábado, 17 de fevereiro a 1ªetapa do CAMPEONATO NACIONAL DE TRIATLO JOVEM de Clubes.

Neste V Duatlo de Fátima na modalidade cross (BTT), participaram 420 atletas nas categorias de benjamins, infantis, iniciados e juvenis, realizando-se também uma prova aberta na distância de super-sprint.

Dos 33 clubes presentes, a Escola de Triatlo do Clube de Natação de Torres Novas contou com a presença de 32 atletas e alcançou o 3º lugar coletivamente.

A prova realizou-se junto ao estádio Papa Francisco. O percurso dos 2 segmentos de corrida era plano, feito maioritariamente em estrada, e o segmento de ciclismo, apesar do pouco desnível, contou com uma componente algo técnica para os escalões de iniciados e juvenis.

Individualmente, no escalão de Benjamins, em que cada atleta teve que realizar um percurso de 400m de corrida, 1000m de BTT e finalizar com 200m de corrida, destacamos Francisca Leirião, que alcançou brilhantemente o 1º lugar, Maria Sousa alcançou a 14ªposição, e ainda nos atletas mais pequenos, Diogo Viegas terminou no 28ºlugar.

No escalão de Infantis, que consistia em 800m de corrida inicial, 2000m de BTT e 400m de corrida, as meninas Júlia Marques, Margarida Inácio e Bruna Barros conquistaram o 17º, 27º e 35ºlugares. Já nos rapazes destacamos no top10, Guilherme Neves na 8ªposição, Francisco Carvalho em 16ºlugar, Mateus Nascimento em 28º, Miguel Gameiro em 39º, António Gasalho em 43º, Simão Vieira em 46º e Rodrigo Viegas em 66º num total de 75 participantes.

Relativamente ao escalão de Iniciados, os atletas tiveram pela frente 1000m de corrida, 4000m de BTT e mais 500m de corrida e as classificações femininas registaram-se entre o 16º e o 30ºlugar, e entre o 5º e o 69ºlugar no sector masculino, distribuídos da seguinte forma: Matilde Moita em 16º, Joana Silva em 20º, Mafalda Leirião em 24º, Natércia Carvalho em 29º, Rita Martins em 30º e Cláudia Orvalho em 40º. Os atletas Pedro Afonso Razões e João Nuno Batista, terminaram no top10, alcançando respetivamente o 5º e 6ºlugares, seguidos dos colegas Martim Salvador em 17º, André Neves em 32º, Francisco Borges em 38º, Afonso Mourão em 51º e Vasco Santos em 69º num total de 74 participantes.

No escalão de Juvenis, onde o percurso contava com 2000m de corrida, 8000m de BTT e 1000m de corrida final, a única atleta feminina a representar o nosso clube, Constança Martins, alcançou o 20ºlugar. No sector masculino, os atletas do CNTN voltaram a dar cartas, tendo Duarte Santos subido ao pódio em 3ºlugar, seguido dos colegas de equipa João Graça em 5º, Gustavo do Canto em 7º, José Tadeia em 14º e Bruno Proença em 48º.

A representar ainda o nosso clube, e com um forte “espírito familiar”, contámos com a participação na prova aberta com uma equipa de estafetas feminina, composta pelas “mamãs” Vânia Duque, Luz Ferreira e Maria João Lopes, que na sua estreia obteve um excelente 3º lugar, após terem percorrido 2000m de corrida, 8000m de BTT e finalizado com 1000m de corrida.

A próxima prova será em Arronches, no sábado dia 24 de fevereiro, com a realização da 2ªetapa do Campeonato Nacional de Duatlo de Clubes. Relembre-se que a 1ªetapa em Rio Maior, foi ganha pelo Clube de Natação de Torres Novas.

Fonte: Clube de Natação de Torres Novas.

“Raid do Facho BTT / Maratona XCM (Campeonato do Minho BTT XCM - AFA Cycles)”

Realiza-se no próximo dia 25 de fevereiro, em Roriz (Barcelos), o 9º Raid do Facho BTT / Maratona XCM, primeira prova do Campeonato do Minho de BTT XCM - AFA Cycles (pontuável para a Taça de Portugal de XCM) e Campeonato Nacional Universitário de Maratonas. A iniciativa também se destina a praticantes desportivos informais que participam em atividades numa perspetiva de lazer, estando previstos percursos de Meia-Maratona, Maratona, Mini-Raid e uma caminhada saudável para os acompanhantes.

As inscrições estão abertas até ao dia 21 de fevereiro e podem ser efetuadas online (www.acm.pt

Referência no panorama do BTT promovido em Barcelos pela Associação Cultural e Recreativa de Roriz e pela Associação de Ciclismo do Minho, o 9º Raid do Facho - Maratona de BTT será a primeira prova do Campeonato do Minho BTT de XCM - AFA Cycles (pontuável para a Taça de Portugal de XCM) e o Campeonato Nacional Universitário.

Com um percurso diversificado e transversal às múltiplas preferências dos participantes, a 9ª edição do Raid do Facho BTT decorrerá por freguesias do concelho de Barcelos e englobará um percurso entre os vales do rio Neiva e do rio Cávado, entre as cidades do Galo e dos Arcebispos, onde a História e a Natureza convivem mutuamente.

O Monte do Facho, coroado pelo santuário homónimo, será o centro nevrálgico do evento, fazendo jus à designação que o evento ostenta.

Pelo segundo ano consecutivo o Raid do Facho é a prova de abertura do Campeonato do Minho BTT de XCM - AFA Cycles, tendo em 2018 a novidade de ser também uma das provas da fase Inter-regional pontuável para a Taça de Portugal de XCM e de atribuir os títulos de Campeões Nacionais Universitários (FADU – AAUM).

Esta nova valência promete trazer ainda mais competitividade ao Raid do Facho, com a presença de alguns dos melhores especialistas da atualidade que tudo farão para suceder ao anterior vencedor, o barcelense José Dias (Seissa | KTM-Bikeseven | Matias&Araújo | Frulact) e assim levar para casa o mítico Troféu do Cruzeiro do Facho.

Para além da vertente competitiva o evento concilia de um modo saudável o lazer e a competição, onde várias centenas de betetistas apenas participam para desfrutar dos belos trilhos da região e passar alguns bons momentos de convívio.

O 9º Raid do Facho BTT / Maratona XCM conta com o apoio, entre outros, da Federação Portuguesa de Ciclismo, Federação Académica do Desporto Universitário, AFAcycles, Cision, Arrecadações da Quintã, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade e Associação Académica da Universidade do Minho.

Fonte: ACM

“Arranca o 1º Duatlo de Braga Cross”

No dia 18 de fevereiro realizou-se o 1º Duatlo de Braga Cross, para o Campeonato Nacional de Clubes.

Realizou-se pela primeira vez este Duatlo em Braga, que foi também a prova inaugural do Campeonato Nacional de Clubes cross. O evento, que incluiu também uma prova aberta, teve uma organização conjunta da Câmara Municipal de Braga e do Clube TriBraga e contou com o apoio técnico da Federação de Triatlo de Portugal.

Num dia de inverno com muito sol e céu azul, alinharam à partida cerca de 160 atletas. O duatlo com a distância sprint contou com um percurso de BTT com algumas zonas de subidas acentuadas.

As vencedoras femininas foram…

Sheila Marques, do Outsystems Olímpico de Oeiras, venceu a prova com o tempo de 01:35:43, seguida de Pauline Vie, do Alhandra Sporting Club, que passou a meta aos 01:45:20. A terceira classificada foi Marisa João, também do Outsystems Olímpico de Oeiras, que fez a prova em 01:47:28.

A vencedora considerou a prova bem organizada e com um percurso duro mas que lhe agradou

Conversámos com a vencedora do I Duatlo de Braga Cross que elogiou a competição, tanto a organização como o ambiente que considerou espetacular. «Adorei a prova, o percurso estava muito bem marcado, o que ajuda a concentrarmo-nos só na prova e no esforço físico e técnico que temos que fazer. Não havia lugar para enganos, estava sempre uma fita ou um voluntário para nos indicar o caminho». Com 35 anos e um filho com quatro, Sheila tem que se organizar entre o trabalho no Ministério de Justiça, a família e os treinos diários. «Treino cerca de seis vezes por semana, e muitas vezes em rolos em casa, com o meu filho a desenhar ou a pintar ao meu lado. A primeira classificada conta-nos um pouco sobre o percurso da prova. «A prova foi dura, com algumas partes técnicas e subidas, principalmente no percurso de BTT, com 5km a subir muito e 3km a descer. Mas eu prefiro assim», remata a nossa duatleta. Quanto às expectativas em relação à competição, Sheila não estava à espera de ganhar, já que se tem dedicado mais ao BTT e menos ao atletismo, que era antigamente o seu segmento forte. «Eu nunca parto a proteger-me, e hoje imprimi logo o meu ritmo, saí da corrida em primeiro e depois foi continuar a aumentar a distância», explica.

Sheila começou com 15 anos, chegou a estar no Centro de Alto Rendimento, mas parou aos 20 para começar a correr sem grandes objetivos competitivos. Depois de nascer o filho, decidiu regressar ao Duatlo e às competições. As próximas provas serão alguns Duatlos, principalmente de BTT, e o campeonato nacional de maratonas de BTT que é o seu forte. «Sei o esforço que faço para treinar e conjugar com a vida profissional e familiar, e fico feliz quando tenho resultados», afirma Sheila Marques.

Os homens que foram ao pódio!

Quem conquistou o primeiro lugar em masculinos foi Nelson Gomes, do G.D. Goma, que fez uma marca de 01:19:14. O segundo atleta a chegar à meta foi David Coelho, do SFRAA Triatlo, que completou a prova 40’’ mais tarde, com o tempo de 01:19:54. Rui Dolores, do Amiciclo Grândola, fez terceiro no pódio com 01:20:13.

Professor de Educação Física, Nelson Gomes foi o primeiro a chegar à meta

Nelson Gomes tem 36 anos, é professor de Educação Física e residente em Moimenta da Beira. Quando lhe perguntámos o que achou desta competição, explicou-nos que a considerou bem organizada e com um percurso com subidas acentuadas na parte do BTT.

O atleta do G.D. Goma começou no atletismo, mas parou de correr há 10 anos, para depois se iniciar no BTT. Um dia um colega convidou-o para entrar numa competição: «Foi nos campeonatos regionais em Tabuaço e fiquei em primeiro lugar», recorda o duatleta. Com treinos diários (de BTT, ciclismo ou corrida), e com horários irregulares, a hora para treinar depende da vida profissional. «Muitas vezes treino de manhã, mas acontece também treinar à hora do almoço ou à tarde», explica Nelson. O atleta do G.D Goma confessa que não tem cuidados especiais com a alimentação e conta à FTP que os próximos objetivos competitivos passarão por fazer alguns campeonatos regionais de Duatlo e também algumas provas de atletismo, modalidade em que já foi campeão regional de Corta Mato Longo – Associação de Atletismo de Viseu.

Foi o primeiro Duatlo Cross em Braga, uma jornada com sucesso, pelo que esperamos que seja o primeiro de muitos. Parabéns à organização em Braga – capital europeia de desporto – e a todos os atletas!

Fonte: FTP

“BELGA TIM WELLENS CONQUISTA VOLTA À ANDALUZIA”

Vitória do ciclista da Lotto Soudal

Por: Lusa

Foto: EPA

O belga Tim Wellens, da Lotto Soudal, estreou-se este como vencedor da Volta Ciclista à Andaluzia, defendendo bem a liderança no contrarrelógio final, disputado em Barbate, Cádis.

Weelens ganhara na véspera a liderança, em Alcalá de los Gazules, tinha para defender sete segundos no curto contrarrelógio de 14 quilómetros. Esteve bem, ao conseguir o oitavo tempo, a 14 segundos do espanhol David de la Cruz (Sky), mas a ganhar tempo aos mais diretos adversários.

Foi, nomeadamente, o caso do espanhol Mikel Landa (Movistar), que era segundo perdeu 49 segundos para o vencedor da tirada, caindo para sexto da geral.

O holandês Wout Poels (Sky) subiu a segundo, com mais oito segundos do que Wellens, e o espanhol Marc (Movistar) a terceiro, com mais 27 segundos, depois de boas prestações, ao serem respetivamente sexto e quinto classificados.

Quanto ao nome mais forte do pelotão, o britânico Chris Froome (Sky), fecha a prova andaluza em 10.º, a 1.57 de Weelens, no que foi o seu arranque de época.

O único português que terminou a prova foi José Mendes (Burgos BH), que fechou com um 47.º lugar no 'crono', a 1.32. Na geral, terminou em 16.º, a 3.05 de Weelens, sendo o melhor elemento da sua equipa.

Fonte: Record on-line

“LUTSENKO VENCE VOLTA A OMà E RUI COSTA TERMINA EM 10.º”

Norueguês Alexander Kristoff ganhou a última etapa

Por: Lusa

O cazaque Alexey Lutsenko (Astana) venceu a Volta a Omã em bicicleta, numa sexta etapa ganha pelo norueguês Alexander Kristoff (EAU Emirates), enquanto o português Rui Costa (EAU Emirates) fechou no 10.º posto.

Lutsenko, que tinha assumido a liderança da prova no sábado, ao terminar a quinta etapa no segundo posto, segurou o comando, chegando integrado no pelotão (18.º lugar) esta sexta e derradeira etapa, que teve largada e meta em Mascate, na distância de 135 quilómetros, com Rui Costa a ser 24.º, chegando igualmente no pelotão.

Kristoff cumpriu a etapa em 3:11.29 horas, tendo superado sobre a meta o francês Bryan Coquard (Vital Concept Club), enquanto Lutsenko venceu a prova com um total de 22:49.50 horas, menos 11 segundos do que o espanhol Moreno Angel Lopez (Astana), segundo classificado.

Fonte: Record on-line

“UM CICLISTA DO WORLD TOUR PAGA UMA EQUIPA PORTUGUESA”

Diferenças de orçamento da noite para o dia

Por: Ana Paula Marques

Foto: Filipe Farinha

Tem a noção do orçamento das equipas do World Tour que estão na Volta ao Algarve? Vai de 10 a 25 milhões de euros...por anos. E é só o valor de uma delas. E sabe quanto gasta uma das formações de topo do ciclismo português? A rondar os 400 mil euros... ou seja, um, a dois ciclistas, das melhores equipas do mundo pagam o orçamento total de uma das formações nacionais. Diferenças de verbas abismais, mas que em outros detalhes o pelotão português procura equiparar-se com os melhores.

É o caso das infraestruturas de apoio à equipa. Estamos a falar de carros, camiões-oficina e até de autocarro para transportar os ciclistas para as etapas e de volta ao hotel. São já algumas as equipas portuguesas que têm este tipo de 'luxos'.

"Ter este tipo de infraestruturas de apoio é muito importante, essencialmente por dois motivos. Dá outro tipo de visibilidade aos patrocinadores, outra imagem à equipa, e ainda no caso concreto do autocarro, é importante também para o conforto dos ciclistas, que após uma etapa chegam cansados e neste tipo de veículo conseguem logo relaxar, descansar e até tomar banho", explicou-se Rúben Pereira, um dos elementos do staff da Efapel, que conseguiu então ombrear no parque das equipas por ocasião do contrarrelógio individual com a 'vizinha' Sky neste tipo de apoio. "Mas em tudo o resto há uma grande diferença. O orçamento da nossa equipa, 400 mil euros, deve ser o que ganha por ano o ciclista mais barato deles".

A Efapel, ainda de acordo com Rúben Pereira, caminha então para poder dar o salto no pelotão internacional, ou seja, passar do terceiro para o segundo escalão. "Acredito que somos das equipas portuguesas com mais capacidades de passarmos a equipa Continental Profissional. Já estamos, como se pode ver, mais apetrechados ao nível das infraestruturas. No geral e em dois anos duplicamos a nossa estrutura".

É preciso referir que uma equipa do World Tour tem entre 25 a 30 ciclistas, 9/10 mecânicos, outros tantos massagistas, e 10/14 carros de apoio. São só alguns números. As equipas portuguesas trabalham na sua maioria com 10/12 ciclistas, dois massagistas, dois mecânicos e dois carros de apoio.

Fonte: Record on-line

“VOLTA AO ALGARVE: CLASSIFICAÇÕES FINAIS”

Michal Kwiatkowski ganha etapa e a geral

Por: Lusa

Classificações finais da 44.ª edição da Volta ao Algarve, após a quinta e última etapa, que este domingo ligou Faro ao alto do Malhão (Loulé), na extensão de 173,5 quilómetros:

 

Classificação da etapa:

1. Michal Kwiatkowski, Pol (Sky), 4:18.02 horas.

(média: 40,344 km/hora)

2. Ruben Guerreiro, Por (Trek-Segafredo), a 04 segundos

3. Serge Pauwels, Bel (Dimension Data), a 08

4. Stefan Kung, Sui (BMC), a 13

5. Cesare Benedetti, Ita (BORA-hansgrohe), a 15

6. Dion Simon, Nzl (Wanty-Group Gobert), a 17

7. Simon Geschke, Ale (Sunweb), m.t.

8. Julen Amezqueta, Esp (Caja Rural), a 23

9. Ben Swift, GB (UAE Team Emirates). a 29

10. Frederik Backaert, Bel (Wanty-Group Gobert), a 35

 

Classificação geral individual:

1. Michal Kwiatkowski, Pol (Sky), 18:54.11 horas

2. Geraint Thomas, GB (Sky), a 1.31 minutos

2. Tejay Van Garderen, EUA (BMC), a 2.16

4. Bauke Mollema, Hol (Trek-Segafredo), a 2.22

5. Bob Jungels, Lux (Quick-Step Floors), a 2.33

6. Jaime Roson, Esp (Movistar), a 2.49

7. Maximilian Schachmann, Ale (Quick-Step Floors), a 2.50

8. Serge Pauwels, Bel (Dimension Data), m.t.

9. Felix Grossschartner, Aut (BORA-hansgrohe), a 2.51

10. Nelson Oliveira, Por (Movistar), a 2.54

Fonte: Record on-line

“VOLTA AO ALGARVE: ANTES DA ÚLTIMA ETAPA, BELMIRO SILVA NÃO VÊ UM PORTUGUÊS A IGUALAR O SEU RECORDE DE TRIUNFOS”

Venceu a Algarvia em 1977, 1981 e 1984

Por: Lusa

Foto: Público

O português Belmiro Silva acredita que o britânico Geraint Thomas pode bater o seu recorde de triunfos na Volta ao Algarve, mas não vê nenhum português a conseguir chegar aos três triunfos num futuro próximo.

Belmiro Silva venceu a Algarvia em 1977, 1981 e 1984, um recorde de três triunfos que pode ser este domingo igualado por Thomas, vencedor em 2015 e 2016 e que parte para a última etapa com uma vantagem de 22 segundos sobre o polaco Michal Kwiatkowski, seu colega na Sky, e 32 sobre o português Nelson Oliveira (Movistar).

"É sempre bom recordar estes momentos e é um recorde que já vem há muitos anos. Hoje pode ser igualado, mas perante os portugueses o meu recorde ainda se vai manter durante alguns anos. Vai ser igualado por um estrangeiro, que é um rapaz novo, tem possibilidades de bater o recorde e passar para quarta vitória. Perante os portugueses o meu recorde ainda se vai manter durante alguns anos", disse Belmiro Silva à agência Lusa.

Vencedor da Volta à Portugal em 1978, Belmiro Silva tem, além do tri na Volta ao Algarve, um segundo e um terceiro lugar, um palmarés que lhe "dá alguma satisfação, algum orgulho".

"Pode vir a acontecer, mas enquanto houver esta concorrência internacional será um bocado difícil um português - a não ser ao serviço de uma equipa estrangeira - poder vir a vencer", admitiu.

Olhando para o ciclismo das décadas de 70 e 80 e para o atual, Belmiro Silva considera que "há uma diferença", com os atletas a terem "um apoio moral diferente".

"Na altura também tínhamos o que era bom, mas, comparado com o de hoje, os atletas andam quase levados ao colo. Hoje fazem grandes corridas, boas médias, as estradas ajudam, as máquinas são totalmente diferentes. O ciclismo evoluiu e ainda bem. A verdade é que eles estão a fazer coisas bonitas. Na nossa altura era um bocado mais sacrificado. Mas também posso dizer que a minha época comparada com a dos anos 60 já tivemos outra estabilidade. Eles tinham de correr com o boyau [câmara de ar] às costas e parar para mudar o boyau era muito difícil", recordou.

Fonte: Record on-line

“VOLTA AO ALGARVE: JOAQUIM SILVA VIVE SONHO E ESPERA OPORTUNIDADES NA CAJA RURAL”

Partiu para a última etapa como segundo melhor português

Por: Lusa

Foto: Filipe Farinha

O português Joaquim Silva assumiu que está a viver um sonho após o salto para a equipa espanhola Caja Rural, na qual espera poder ter oportunidades para lutar por corridas.

A correr a 44.ª Volta ao Algarve, Joaquim Silva, de 25 anos, admitiu à agência Lusa que "está a ser um salto espetacular" a mudança da W52-FC Porto para a equipa espanhola Caja Rural, da categoria profissional continental (segundo escalão).

"Está a ser um sonho tornado realidade e estar numa equipa como a Caja Rural é muito gratificante, por todo o meu esforço e por todo o esforço dos meus familiares e de toda a gente que me apoia e está do meu lado. Acho que é uma recompensa para todos nós", afirmou.

O início da sua experiência em Espanha "está a correr bem", com "boas pernas", como comprovou o facto de ter sido o melhor português (14.º) na subida à Foia, em Monchique, na segunda etapa da Algarvia.

"Chegar num grupo de 16 ciclistas... olha-se para a classificação e é tudo do WorldTour. Chegar no meio deles é muito bom", admitiu.

Conhecido pelo seu muito e bom trabalho para os colegas na W52-FC Porto nos últimos anos, Joaquim Silva acredita que esta não será a sua tarefa na Caja Rural.

"Acho que vou ter oportunidades aqui. Fazemos muitas corridas e nem sempre os líderes estão. Isso abre-me possibilidade para tentar a minha sorte e tentar fazer um bom lugar, como está a acontecer aqui, em que toda a equipa está à minha volta e a ajudar-me, e o resultado está em ter chegado na frente [na Foia]", afirmou.

Participar na Volta a Espanha, "única grande" para a qual a equipa espanhola foi convidada, seria para o penafidelense "um sonho dentro de outro sonho".

"Não gosto muito de pensar muito à frente. É dia a dia, mês a mês. Vou continuar a trabalhar como até aqui, com humildade, com os pés no chão e trabalhar não só para mim, mas também para a equipa, para agradecer a oportunidade que me deram para assinar este ano. Depois tudo o que vier de bom será muito bom. A Vuelta seria outro sonho tornado realidade", admitiu.

A subida de um escalão profissional obriga a que a evolução venha "obrigatoriamente".

"Corremos todo o ano, em todas as corridas temos 10 ou 11 equipa World Tour, ou 13 como aqui, ou 18. A evolução tem de vir naturalmente, porque o ritmo é outro e vai-se todo o dia a andar muito. A evolução que espero é como a da subida à Foia. Estar num grupo tão restrito, é gratificante", referiu.

Joaquim Silva que partir para a quinta e última etapa da Volta ao Algarve, entre Faro e o Malhão, em Loulé, como segundo melhor português, na 25.ª posição, apenas atrás de Nelson Oliveira (Movistar), terceiro.

Fonte: Record on-line

“Efapel/Henrique Casimiro na peugada dos melhores”

          Ciclista da EFAPEL cruzou a meta na 40ª posição

          Pedro Paulinho foi o ciclista que representou a equipa na fuga

          Início de temporada positivo para o conjunto de Américo Silva

A Equipa EFAPEL concluiu a 44ª Volta ao Algarve sempre à procura dos melhores resultados e do protagonismo competitivo. Na derradeira etapa, ganha pelo polaco Michal Kwiatkovski (Team Sky) que conquistou a amarela, o pelotão enfrentou um percurso bem duro, com duas subidas ao Alto do Malhão. Pedro Paulinho foi o primeiro ciclista da equipa em evidencia, ao estar na numerosa fuga que marcou o dia. Henrique Casimiro foi o primeiro elemento da EFAPEL a cruzar a linha de meta, a pouco mais de dois minutos do vencedor, enquanto Daniel Mestre terminou como o melhor representante dos comandados por Américo Silva na classificação geral individual.

O último dia de corrida na Volta ao Algarve de 2018 foi espectacular. A indefinição quanto ao vencedor da etapa e na classificação geral manteve-se até ao fim e, dentro da Equipa EFAPEL, a estratégia voltou a passar, em primeiro lugar, pela fuga. No dia em que os ciclistas tinham várias contagens de montanha pela frente, coube a Pedro Paulinho a responsabilidade de estar entre os fugidos. Integrou um numeroso grupo com 31 corredores. Com o passar dos quilómetros, este começou a partir-se mas o ciclista da EFAPEL não desistiu e continuou escapado.

A partir do momento em que houve mexidas para se decidir a vitória na etapa e na geral individual, foi a vez de Henrique Casimiro assumir o seu papel de trepador. A sair de trás, o ciclista alentejano manteve-se com alguns dos melhores desta volta ao Algarve, entre os quais o então camisola amarela, Geraint Thomas. Casimiro também tinha Daniel Mestre perto de si e os dois fecharam relativamente cedo. Mestre acabou na 35ª posição da geral individual, enquanto a Equipa EFAPEL foi a segunda melhor formação lusa, a nove segundos dos detentores deste estatuto.

“Não em termos de resultados mas do desempenho de cada um dos ciclistas e da equipa no geral, o balanço é bastante positivo. É preciso ter em conta que só agora começámos a competição. Nesta altura da época, é difícil fazer muito mais”, disse o director desportivo da EFAPEL, Américo Silva.

Concluída a Volta ao Algarve, a equipa vai começar a preparar as clássicas da primavera. A primeira é, precisamente, a Clássica da Primavera, que se realiza no dia 4 de Março.

Classificação na quinta etapa

    Michal Kwiatkovski        Team Sky            4h18m02s

    Ruben Guerreiro        Trek Segafredo        a 4s

    Serge Pauwels        Team Dimension Data    a 8s


40º    Henrique Casimiro        EFAPEL            a 2m22s

42º    Jesus del Pino        EFAPEL            a 2m31s

47º    Daniel Mestre        EFAPEL            a 2m38s

68º    Rafael Silva            EFAPEL            a 4m32s

132º    Bruno Silva            EFAPEL            a 16m57s

139º    Pedro Paulinho        EFAPEL            a 18m43s

141º    Marcos Jurado        EFAPEL            a 20m06

Classificação geral individual

    Michal Kwiatkowski        Team Sky            18h54m11s

    Geraint Thomas        Team Sky            a 1m31s

    Tejay Van Garderen        BMC Racing Team        a 2m16s


35º    Daniel Mestre        EFAPEL            a 5m30s

37º    Henrique Casimiro        EFAPEL            a 6m15s

46º    Jesus del Pino        EFAPEL            a 7m33s

68º    Rafael Silva            EFAPEL            a 13m49s

142º    Bruno Silva            EFAPEL            a 43m19s

143º    Marcos Jurado        EFAPEL            a 44m01s

146º    Pedro Paulinho        EFAPEL            a 49m22s

Fonte: Efapel

 

“14º Passeio de Cicloturismo do Penteado.2018”

Dia 8 de abril de 2018

Por: José Morais

Cartaz: NC Penteado

Já tem data marcada para o próximo dia 8 de abril, o 14º Passeio do Núcleo de Cicloturismo do Penteado, numa organização do Clube Recreativo local, o evento faz parte do calendário oficial da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB), terá uma extensão de 62 quilómetros, percorridos por locais em dúvida apelativos, com um trajeto propício para rolar.

AS concentração está marcada para as 8 horas junto às instalações do Clube Recreativo do Penteado, com a partida a ser dada pelas 9 horas, estando as inscrições limitadas até ao dia 6 de abril, no final, para todos que desejarem, haverá um almoço de confraternização.

Para informações e inscrições as mesmas podem ser feitas pelo mail: nc.penteado@gmail.com ou pelos telefones: Florival: 968 693 740 ou Rui:

 962 885 721

Marque já na sua agenda, participe neste passeio que muito promete, faça como nós que vamos estar presentes, com reportagem completa, trazendo como sempre os melhores momentos, num passeio que para mim pessoalmente, é muito especial marcar presença.