domingo, 27 de agosto de 2017

“Rúben Guerreiro sexto na Clássica da Bretanha”

Prova francesa foi ganha ao sprint pelo italiano Elia Viviani (Sky)

Por: Lusa

Foto: Team Sky

O português Rúben Guerreiro (Trek-Segafredo) terminou este domingo no sexto lugar a Clássica da Bretanha, ganha pelo italiano Elia Viviani (Sky), que se impôs ao norueguês Alexander Kristoff (Katusha Alpecin) e ao italiano Sonny Colbrelli (Bahrain-Merida).

Guerreiro concluiu os 239,7 quilómetros da prova nas mesmas 5:51.39 horas do vencedor, sendo ainda superado pelo belga Sep Vanmarcke (Cannondale-Drapac) e pelo australiano Michael Mattews (Sunweb), quarto e quinto classificados, respetivamente.

"O sexto lugar do Ruben é um bom resultado. O circuito da corrida está diferente, com várias estradas estreitas, por isso é muito difícil. Sem o Giacomo Nizzolo, que é especialista nesta corrida e conhece perfeitamente o 'sprint', é difícil lutar pela vitória, mas fiquei muito contente com o sexto lugar do Ruben", afirmou Alain Gallopin, diretor desportivo da Trek-Segafredo na corrida francesa.

Fonte: Record on-line

“Colombiano Egan Bernal reforça 'armada' da Sky”

Equipa britânica garantiu jovem de 20 anos que ganhou este domingo o Tour do Futuro

O colombiano Egan Bernal, que conquistou este domingo a Volta a França do Futuro - no qual venceu também duas etapas - vai correr na Team Sky a partir do próximo ano. A poderosa equipa britânica, que tem em Chris Froome a principal figura, anunciou hoje a contratação do jovem trepador de 20 anos que cumpre a segunda época como profissional ao serviço da Androni Giocattoli-Sidermec.

"Com a Team Sky a revelar-se uma casa de sucesso para os ciclistas colombianos ao longo dos anos, esperamos que Bernal continue a sua rápida evolução para se tornar na ameaça para a classificação geral da próxima geração", adiantou a equipa britânica em comunicado.

Já o jovem corredor também não escondeu a satisfação com o acordo. "Sempre sonhei estar com esta equipa. Nunca pensei ter a oportunidade de chegar aqui tão depressa, mas assinar pela Team Sky é um sonho tornado realidade. O meu primeiro objetivo é aprender. Quero aprender com os meus companheiros e aproveitar a experiência que existe na equipa. Estou entusiasmado e quero contribuir da melhor forma que for possível", referiu Egan Bernal.

Fonte: Record on-line

“Vuelta/Chris Froome impõe-se na 9.ª etapa e reforça liderança”

Britânico aumentou para 36 segundos a vantagem sobre Esteban Chaves

Foto: Team Sky

O britânico Chris Froome (Team Sky) reforçou a liderança da Volta a Espanha ao vencer a 9.ª etapa, com chegada em alta montanha, no Cumbre del Sol. Com um ataque a 500 metros da meta, o camisola vermelha acabou por deixar todos os rivais para trás e terminou com 4 segundos de vantagem sobre o colombiano Esteban Chaves (Orica-Scott), que continua a ser o 2.º da classificação geral, agora a 36 segundos de Froome.

Entre os portugueses, o melhor foi Rui Costa (UAE Team Emirates), que concluiu a tirada na 26.ª posição, a 1.22 minutos do vencedor. Já Nelson Oliveira (Team Movistar) perdeu 2.37 minutos para Froome e acabou a jornada no 41.º posto, enquanto Ricardo Vilela (Manzana Postobon) foi apenas 93.º, a 9.53, e Rafael Reis (Caja Rural) terminou em 130.º, a 19.17.

Na geral, Nelson Oliveira continua a ser o melhor, mas caiu para o 19.º posto, a 4.50 minutos de Chris Froome. Rui Costa é o 22.º (a 6.27), Vilela surge no 57.º lugar (a 35.36) e Rafael Reis está na 151.ª posição, já a mais de uma hora e meia (1:31.44) do líder.

Classificação da 9.ª etapa

1. Chris Froome (Grã-Bretanha/Team Sky), 4:07:13"

2. Esteban Chaves (Colômbia/Orica-Scott), +4"

3. Michael Woods (Canadá/Cannondale-Drapac), +5"

4. Wilco Kelderman (Holanda/Team Sunweb), +8"

5. Ilnur Zakarin (Rússia/Katusha-Alpecin), m.t.

6. Alberto Contador (Espanha/Trek-Segafredo) +12"

7. David De La Cruz (Espanha/Quick-Step Floors), m.t.

8. Sam Oomen (Holanda/Team Sunweb), m.t.

9. Nicolas Roche (Irlanda/BMC Racing Team) +14"

10. Vincenzo Nibali (Itália/Bahrain-Merida), m.t.

Classificação geral

1. Chris Froome (Grã-Bretanha/Team Sky), 36:33:16"

2. Esteban Chaves (Colômbia/Orica-Scott), +36"

3. Nicolas Roche (Irlanda/BMC Racing Team), +1:05"

4. Vincenzo Nibali (Itália/Bahrain-Merida), +1:17"

5. Tejay van Garderen (Estados Unidos/BMC Racing Team), +1:27"

6. David de la Cruz (Espanha/Quick-Step Floors), +1:30"

7. Fabio Aru (Itália/Astana Pro Team), +1:33"

8. Michael Woods (Canadá/Cannondale-Drapac), +1:52"

9. Adam Yates (Grã-Bretanha/Orica-Scott), +1:55"

10. Ilnur Zakarin (Rússia/Katusha-Alpecin), +2:15"

Fonte: Record on-line

“Volta a França do Futuro”

Tiago Antunes termina na 30.ª posição

Por: José Carlos Gomes

Tiago Antunes foi o melhor português na geral da Volta a França do Futuro, terminando na 30.ª posição a corrida que hoje encerrou com a nona etapa, 107,4 quilómetros, em plenos Alpes, entre Bourg-St-Maurice e o col du Mollard. O colombiano Egan Arley Bernal conquistou a Volta e o russo Pavel Sivakov ganhou a etapa.

A Equipa Portugal tentou apresentar uma postura ativa na última etapa. Hugo Nunes participou numa das primeiras fugas da viagem, iniciativa que seria frustrada na longa e exigente subida do col de la Madeleine, um colosso com 24,3 quilómetros de extensão e 6,2 por cento de inclinação média. No entanto, cedo se percebeu que não seria a melhor jornada para as cores nacionais.

José Neves e Tiago Antunes descolaram do grupo principal na escalada de la Madeleine, ao mesmo tempo que Hugo Nunes perdia o contacto com a frente da corrida. André Carvalho foi o mais resistente dos portugueses, segurando-se no grupo dos favoritos.

“O Tiago Antunes teve um dia mau. Ontem foi ao extremo das suas capacidades para estar com os melhores e hoje pagou a fatura. Mesmo com a ajuda permanente do José Neves e do Hugo Nunes, tentando levá-lo à frente, não foi possível”, resume o selecionador nacional, José Poeira.

A etapa foi aproveitada pelo russo Pavel Sivakov - o grande favorito ao triunfo final que claudicou nas duas anteriores jornadas alpinas - para fazer uma demonstração de força. Saiu do pelotão na subida do col de la Madeleine, passou pelos fugitivos, mantendo-se na companhia do único que conseguiu acompanhá-lo, o estadunidense Neilson Powless, antes de desferir um ataque fortíssimo no início do col do Mollard.

Pavel Sivakov ganhou isolado, deixando Powless, o único sobrevivente da fuga em que participou Hugo Nunes, a 2m31s. O grupo do camisola amarela chegou 3m00s após o vencedor da tirada, encabeçado pelo russo Dmitrii Strakhov, terceiro da jornada.

André Carvalho foi o melhor luso na etapa, terminando na 36.ª posição, a 13m05s de Pavel Sivakov. Hugo Nunes foi 53.º, José Neves 55.º e Tiago Antunes 57.º, todos a 20m21s do primeiro.

O colombiano Egan Arley Bernal dominou a Volta a França do Futuro, saindo dos Alpes com a camisola amarela. O segundo classificado, a 1m09s, foi o belga Bjorg Lambrecht, e o terceiro, a 1m12s, foi o dinamarquês Niklas Eg. Tiago Antunes foi 30.º, a 30m41s, Hugo Nunes foi 41.º, a 40m40s, José Neves foi 49.º, a 45m11s, e André Carvalho foi 59.º, a 52m15s.

A Equipa Portugal fechou a prova no 14.º lugar coletivo, entre 24 seleções participantes. A Austrália dominou coletivamente.

“A nossa prestação foi boa nas primeiras etapas, planas e com discussão ao sprint, nas quais conseguimos estar na luta pelos primeiros lugares. Esperávamos estar melhor na reta final, nas três etapas de montanha, mas acusámos o facto de ser a primeira participação destes corredores, que não estão habituados a provas com tantos dias”, analisa José Poeira.

Fonte: FPC

“Troféu Alves Barbosa”

João Carvalho rei no castelo de Montemor

Por: José Carlos Gomes

João Carvalho (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact) conquistou o XVIII Troféu Alves Barbosa, prova de cadetes cuja segunda e última etapa, 65,4 quilómetros entre Arazede e o castelo de Montemor-o-Velho, foi ganha por Diogo Narciso (Maia).

O final da etapa, coincidindo com uma contagem de montanha, foi determinante para que a classificação geral se transformasse, após Alexandre Alves (Anipura/GDM/Escola de Ciclismo Alexandre Ruas) partir com a camisola amarela, devido ao triunfo, ontem, na etapa inaugural, entre Montemor e Sangalhos.

Nas rampas que hoje levaram os ciclistas ao castelo de Montemor-o-Velho destacaram-se Diogo Narciso e João Carvalho, que alcançaram a meta com o mesmo tempo, 3 segundos antes do terceiro classificado, Daniel Fortes (Alcobaça CC/Crédito Agrícola).

Como se previa foi a segunda etapa a ditar o ordenamento da classificação geral. João Carvalho conquistou a 18.ª edição da corrida que homenageia Alves Barbosa. O segundo classificado foi Ricardo Sousa (Mato Cheirinhos/Vila Galé/Etopi), a 7 segundos, enquanto Diogo Narciso fechou o pódio da geral, a 9 segundos.

Diogo Narciso conquistou a classificação dos pontos, Julián Madrigal (Alcobaça CC/Crédito Agrícola) foi o rei dos trepadores, Gonçalo Fonte (Tensai/Sambiental/Santa Marta) foi o melhor cadete de primeiro ano e Henrique Fróis (Alcobaça CC/Crédito Agrícola) levou para casa a camisola das metas volantes. Além da vitória individual, os barcelenses do Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact impuseram-se coletivamente.

Fonte: FPC

“16º Passeio de Montemuro/Mafra"

Rota do Queijo, passeio ao rubro

Texto e fotos: José Morais

Montemuro, situado no sopé da Serra de Montemuro a mais alta do concelho de Mafra, rodeada por serras e vales, tem uma magnifica vista para o Rio Tejo e para o vale de Loures, é também agraciada com a bela paisagem de Sintra e do azul e cintilante Oceano Atlântico.

Montemuro é uma aldeia simpática, mas como todos nós, ela também mudou, os campos deixaram de ser cultivados, devido á falta de rendimento na produção, a população mais idosa foi obrigada a deixar os campos por falta de forças, e os mais novos saíram na expectativa de uma vida melhor porque o trabalho no campo não chegava para sobreviver e sustentar a família, e então ouve necessidade de procurar novas formas de vida fora da aldeia.

É uma pequena aldeia que vivia dos trabalhos do campo, na aldeia produzia-se os cereais para fazer o bom pão, as palhas para os animais se alimentarem durante o verão, porque de inverno o alimento era mais abundante, todo o tipo de horticultura, e também era feito a recolha do leite, uma parte ia para a cooperativa e a outra era para fazer os bons queijos.

Foi nesta aldeia de Montemuro, que nos anos 60 sairão os primeiros queijos frescos, para a então Vila de Loures e para a cidade de Lisboa. Os queijos frescos eram feitos pelas mulheres da aldeia, através do leite retirado dos animais que tinham para este propósito, que eram, ovelhas e cabras com este leite faziam os deliciosos queijos que eram vendidos de porta em porta quer na então Vila de Loures, quer em Lisboa, os queijos frescos eram transportados em caixas de madeira com algumas prateleiras, onde eram postos com muito cuidado para não se partir e ficassem direitos, mas com o passar dos anos esta tornou-se uma indústria com alguma dimensão, hoje já existem várias fábricas, umas familiares outras já como indústria de grande dimensão.

E foi esta terra que este domingo 27 de agosto, fomos acompanhar as pedaladas do último passeio do mês, um evento organizado pelo Grupo Desportivo e Recreativo de Montemuro/Mafra, que levou para a estrada mais de duas centenas de participantes, num evento denominado de “Rota do Queijo”, o qual fazia parte do calendário oficial da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB).

Bem cedo Montemuro começou a receber os participantes, que começaram a concentrar no campo de futebol local, com a confirmação das inscrições, reviver alguns momentos entre amigos, dois dedos de conversa, tudo antecipou a partida, que foi dada pelas 9,30, 50 quilómetros para percorrer era o trajeto escolhido, de dificuldade alta, com passagem por Rogel, Stº Estevão das Galês, Avessada, Malveira, São Martinho, Milharado, Póvoa da Galega, Vale São Gião, Casais da Serra, aqui tempo de paragem para restabelecer, e comer uma fruta e beber umas bebidas, já que o calor começava a aparecer, depois de se ter iniciado a manhã de pedaladas, com o tempo nublado, e até algum frio.

De regresso á Estrada, seguiu-se direito a Póvoa da Galega, Vale de São Gião, Venda do Pinheiro, Portela, Rogel, e Montemuro, onde o pelotão chegou cerca das 12,30.

Olhando o evento


Agosto despediu-se assim com mais um grande passeio, Montemuro, já considerada uma clássica por muitos, mais um ano marcou todos os que estiveram presentes, a organização tentou dar o seu melhor, o andamento marcado por uma pedalada certa, foi aceitável, num trajeto especialmente difícil, com características não propicias para fazer grandes aventuras, já que proporciona muitas dificuldades, num terreno muito acidentado de sobe e desce, com certos picos causando muitas dificuldades, em especial aos menos preparados, mas que com grande dedicação pela modalidade e grande esforço, todos se esmeraram por dar o seu melhor e chegar ao fim.

Mas no final, o esforço foi compensado por um bom e apetitoso almoço, onde não faltou o tradicional e tão afamado queijo fresco de Montemuro como entradas, que deliciou os participantes, no seu tão afamado passeio a “Rota do Queijo”, com um almoço servido em grande, uma excelente sopa, uma boa grelada mista, num convívio que se estendeu tarde dentro em grande confraternização, como ainda lembranças distribuídas a todos os participantes no final, ficando a promessa de marcar presença na próxima edição, com toda a equipa a despedir-se de todos os participantes.

Fonte: Notícias do Pedal/Parceria FPCUB





 

“Galeria Multimédia” divulgação das Fotos do “16º Passeio de Montemuro/Mafra.2017”

Já estão on-line na “Galeria Multimédia”, as fotos do “16º Passeio de Montemuro/Mafra.2017” realizado este domingo em Montemuro, as mesmas podem ser visualizadas em: https://photos.google.com/share/AF1QipPXdFMgKxsjbLWM4BPtsQidenaES2ACOwZZ0nRkt1tT_Md9FjWKAER1empY4oKtsQ?key=U0RaakNMazVtczJmbWdVcUdiMjVQWk5UenV4WHJ3