terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

“Cadetes de Prata no Algarve”

TEXTO: AfterTwo //works

FOTOS: Ana Antunes, Víctor Leandro e Papparazzi Fotografia

A equipa de Cadetes da Academia Joaquim Agostinho / UDO foi a segunda classificada no "1º Circuito Jorge Guerreiro", prova que se disputou este domingo em Loulé, o maior município da região algarvia.


O evento criado com o objetivo de homenagear e eternizar o nome de Jorge Guerreiro, figura de destaque no ciclismo de formação louletano que faleceu prematuramente em 2019 enquanto andava de bicicleta, foi um misto de sensações. Um dia de forte carga emocional que se misturou com a alegria da primeira competição do ano, onde a Academia torriense saiu com um saldo bastante positivo, conquistando dois pódios.


Na prova para cadetes, um trio formado por Rafael Andrade (9º), Mário Hipólito (10º) e Afonso Hermenegildo (11º) cruzou a meta em simultâneo a 3 minutos e 23 segundos do vencedor e garantiu a "prata" para a equipa de Torres Vedras. Miguel Malhado chegou 10 segundos depois na 17ª posição, enquanto David Caixaria terminou na 22ª. Um excelente desempenho destes jovens atletas em formação, que têm demonstrado bastante determinação e um bom nível de evolução, agora traduzido em resultados.

Nos juniores, destaque para Diogo Pinto que conquistou o segundo pódio para a equipa torriense ao ser o 3º mais rápido a cruzar a meta após 1 hora e 30 minutos de corrida. Concluiu a escassos 10 segundos do vencedor numa prova que terminou quase já sem luz do dia. Paulo Pereira chegou 1 minuto e 34 segundos depois na 9ª posição, seguido de um trio formado pelo louletano Tiago Costa (15º), Carlos Jorge (16º) e Diogo Dias (17º). Gonçalo Santo concluiu no 26º posto.


Tiago Costa, atleta da Academia torriense residente em Loulé, apreciou o circuito como "técnico e com uma certa dose de dureza" ao mesmo tempo que afirmou ter sido "bastante emocional para mim, não só por estar a correr em casa, perto da família e amigos, mas também por ser uma merecida homenagem ao meu grande e eterno amigo Jorge, que partiu bem há pouco tempo. O meu desejo é que este circuito perdure por muitos anos para que ele continue a ser lembrado por tudo o que fez pelo ciclismo."

Fonte: Academia Joaquim Agostinho



“Volta ao Algarve: Vincenzo Nibali distinguido com o Prémio Prestígio”

Prova decorre entre quarta-feira e domingo

Por: Lusa

Foto: Volta ao Algarve

O Prémio Prestígio da 46.ª Volta ao Algarve será atribuído ao italiano Vincenzo Nibali (Trek-Segafredo), informou esta terça-feira a organização da prova portuguesa, que decorre entre quarta-feira e domingo.

O galardão, que pretende distinguir um corredor que, pelo seu currículo, prestigia a corrida, será entregue ao italiano, que é um dos dois ciclistas no ativo a ter vencido as três grandes Voltas (Tour2014, Vuelta2010 e Giro2013 e 2016).

Nibali vai receber o galardão na quinta-feira, antes do início da segunda etapa, em Sagres.

O Prémio Prestígio foi atribuído pela primeira vez em 2016, com a organização a decidir partilhar o galardão entre o suíço Fabian Cancellara, o espanhol Alberto Contador e o belga Tom Boonen.

Em 2017, a escolha recaiu no alemão Tony Martin e, no ano seguinte, o agraciado foi o belga Philippe Gilbert.

A Volta ao Algarve arranca na quarta-feira em Portimão e termina no domingo com um contrarrelógio em Lagoa, que vai consagrar o sucessor do esloveno Tadej Pogacar.

Fonte: Record on-line

“46.ª Volta ao Algarve Cofidis”

Melhores do mundo arrancam de Portimão

Por: José Carlos Gomes

A 46.ª edição da Volta ao Algarve Cofidis, de 19 a 23 de fevereiro, assinala a estreia no calendário ProSeries com a presença de 24 ciclistas do Top-100 do Ranking Mundial. Percurso mantém chegadas em alto na Fóia e no Malhão e os finais rápidos Lagos e Tavira. No domingo, contrarelógio de Lagoa encerra a prova.

Campeões olímpicos, campeões mundiais e "estrelas" do top-100 do ranking mundial desfilam, a partir de quarta-feira, pelas estradas algarvias na 46.ª edição da Volta ao Algarve Cofidis. Numa edição promovida ao calendário UCI ProSeries, no reforço da componente internacional da prova cuja transmissão televisiva alcançará 83 países, mantém-se o figurino das cinco etapas - num total de 771,4 km - com a novidade do agendamento do contrarrelógio final para o último dia, o que já não acontecida desde 2012.

Na confirmação da lista de inscritos, hoje efetuada no Auditório do Museu Portimão, não faltaram à chamada as estrelas previamente anunciadas, com natural destaque para a estreia no Algarve do italiano Vincenzo Nibali (Trek-Segafredo), vencedor da "tripla coroa" do ciclismo - Tour, Giro e Vuelta - e para o regresso do galês Geraint Thomas (Team INEOS), vencedor da edição 2018 da Volta a França e que "ensaiou" o seu triunfo maior com duas vitórias no Algarve (2015 e 2016). Na lista de prévios vencedores da corrida, consta ainda do pelotão participante nesta edição, o nome do polaco Michal Kwiatkowski (Team INEOS), laureado em 2018.

Com 24 corredores do Top-100 mundial - sendo o mais bem cotado o campeão olímpico Greg Van Avermaet (CCC Team), na sexta posição da tabela - e múltiplos campeões mundiais de distintas vertentes da modalidade, parte da atração mediática da edição 2020 concentrar-se, com naturalidade, em duas das mais célebres estrelas em ascensão do pelotão internacional, ambos de nacionalidade holandesa: Mathieu Van Del Poel (Alpecin-Fenix), 12.º do Ranking Mundial e Remco Evenepoel (Deceuninck - Quick Step), 28.º. A presença dos jovens corredores holandeses, de 25 e 20 anos, respetivamente, marca as expectativas de uma corrida que, no ano passado, consagrou outra sensação em ascensão, o esloveno Tadej Pogacar.

No pelotão de 25 equipas - 174 corredores -, a Team INEOS (ex-Team SKY), vencedora em três das últimas cinco edições, conta com o tradicional favoritismo anunciando no alinhamento, além dos referenciados Geraint Thomas e Michal Kwiatowski, com o australiano Rohan Dennis, campeão mundial de contrarrelógio. Outro nome consagrado no cartaz da prova é o do colombiano Miguel Ángel López (Astana), anterior terceiro classificado Volta a Itália e da Volta a Espanha no seu arranque de temporada. 

O evento terá transmissão direto em 83 países. Toda a Europa será coberta pela transmissão da Eurosport, mas desta vez existe a novidade de a Noruega poder também ver a corrida em canal aberto, através da TV2. O canal pan-europeu também levará a Volta ao Algarve à Austrália e à Ásia. Pela primeira vez, a América Latina, território de adeptos entusiastas da modalidade, viverá a prova em direto, através da Claro Sports. Em Portugal os diretos de todas as etapas poderão ser vistos na Eurosport 2 e na TVI 24, estando ainda programadas quatro repetições diárias, em diferentes horários, nos canais 1 e 2 da Eurosport.


Prémio Prestígio

A organização decidiu entregar o Prémio Prestígio a Vincenzo Nibali, reconhecendo o currículo ímpar do corredor italiano. A distinção será feita na partida da segunda etapa, em Sagres.

Vincenzo Nibali é um dos dois corredores em atividade que já conquistou Tour (2014), Giro (2013 e 2016) e Vuelta (2010). Além disso, conta no palmarés com dois monumentos, Milão – Sanremo (2018) e Il Lombardia (2015 e 2017), entre mais de meia centena de vitórias.

No passado, o Prémio Prestígio foi outorgado a Philippe Gilbert, Tony Martin, Tom Boonen, Alberto Contador e Fabian Cancellara.


Primeira é para os sprinters

É assim que se espera que se conclua a primeira etapa da competição, entre Portimão e Lagos (195,6 km). A concentração está fixada para a zona ribeirinha de Portimão - palco da apresentação das equipas, a partir das 10h45 - antes da partida simbólica prevista para 12h00. Numa etapa com 2500 metros de subida acumulada, a caravana tem contagens de montanha na Picota (km 62, 13h40) e na Santa Luzia (78 km, 14h01). As metas volantes serão em Loulé (14h00), São Bartolomeu de Messines (14h50), e Odiáxere (16h00). A meta está instalada em Lagos, na Avenida dos Descobrimentos, com a previsão do melhor horário de chegada pelas 16h50. Na lista de velocistas do pelotão da edição 2020 da Volta ao Algarve Cofidis destacam-se os nomes de Elia Viviani (Cofidis, Solutions Crédits), Fabio Jakobsen (Deceuninck - Quick Step), Alexander Kristoff (UAE-Team Emirates), Matteo Trentin (CCC Team) e Mathieu Van Der Poel (Alpecin-Fenix).

Fonte: FPC

“Volta ao Algarve: Geraint Thomas descarta luta pela vitória na geral”

Duplo vencedor da 'Algarvia' diz que "vai ajudar os outros rapazes"

Por: Lusa

Foto: Filipe Farinha

O ciclista britânico Geraint Thomas, vencedor da Volta ao Algarve em 2015 e 2016, descartou esta terça-feira ser candidato à vitória na geral da 46.ª edição, que arranca na quarta-feira, e revelou que vai ajudar os seus colegas nessa missão.

"Há muitos corredores na nossa equipa que já tiveram, pelo menos, uma semana de competição - Rohan [Dennis], Dylan [van Baarle], [Michal] Kwiatkowski - e que têm como objetivo estas provas de início de temporada e que estão a sair-se muito bem. Estarei lá para dar-lhes uma mão", assumiu o vencedor do Tour2018, citado em comunicado pela INEOS.

O duplo vencedor da 'Algarvia' acrescentou que espera estar na frente da corrida, ressalvando, todavia, que não estará na luta pela vitória final.

"Vou sim ajudar os outros rapazes", reforçou o ciclista da INEOS, que fará a estreia na época de 2020 no sul de Portugal.

O galês, de 33 anos, quer "envolver-se em cinco bons dias de competição", nas cinco etapas da 46.ª edição da Volta ao Algarve, que decorre entre quarta-feira e domingo e que vai reunir em Portugal alguns dos nomes grandes do pelotão internacional.

Com novas metas desde que triunfou na Volta a França, Thomas confessou que, antigamente, começava as temporadas na máxima força, algo que agora não acontece.

"Este ano, a preparação não foi tão intensa como é normal. É um pouco diferente agora, em que o Tour é o objetivo para todo o ano, mas estou-me a sentir melhor. Ainda não estou com o peso ideal de corrida, mas os meus dados são encorajadores. Ainda assim, estou mais magro do que no ano passado e os meus números também são melhores", avaliou.

A INEOS, anteriormente denominada Sky, tem sido a grande dominadora da Volta ao Algarve nas últimas edições, tendo vencido por três vezes nos últimos cinco anos, nomeadamente, com Thomas e Kwiatkowski, campeão pelos britânicos em 2018.

O ciclista polaco, que também venceu em 2014, subiu ainda ao pódio em 2013, 2015 e 2017, sempre como segundo classificado.

Fonte: Record on-line

“Novo Tavira aposta na continuidade”

A equipa mais antiga do Mundo segue no pelotão agora sem o Sporting. Só apresenta dois reforços

Foto: Ricardo Nascimento

Fundado em 1979 e com uma atividade ininterrupta, o Centro de Ciclismo de Tavira apresenta-se para mais uma época, agora sem associação ao Sporting, após o fim de uma ligação de quatro anos, que o presidente da equipa, Marcelino Teixeira, fez questão de dizer que aconteceu "por acordo mútuo".

A equipa mais antiga do Mundo surge em 2020 com nova cara, designando-se de Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel, mas aposta, no que ao plantel diz respeito, na continuidade, pois só apresenta dois reforços: Micael Isidoro, que correu nos últimos anos numa equipa angolana, e o filipino Pako Ochoa, que vem de uma equipa amadora.

O galego Alejandro Marque, mas sobretudo Frederico Figueiredo, são as principais referências, numa equipa em que o objetivo, segundo o diretor desportivo Vidal Fitas, " passa por vencer várias corridas e na prova mais mediática, que é a Volta a Portugal, ganhar uma etapa".

Já Joana Queiroz, em representação do Atum General, referiu que o "acordo não é mais do que um laço histórico de uma empresa que tem 170 anos e que começou precisamente em Tavira". Já o município mantém-se como principal patrocinador, enaltecido pela sua presidente, Ana Paula Martins. "A cidade nunca poderá perder a sua modalidade de referência", disse.

Também o presidente da Federação Portuguesa (FPC), Delmino Pereira, marcou presença na cerimónia de apresentação da equipa, homenageando o clube e a autarquia com a medalha dos 120 anos da Federação, "por tudo quanto têm dado à modalidade".

Fonte: Record on-line