domingo, 27 de maio de 2018

“Obrigado Cansados de Marinhais…”

Olá a todos

Depois de um mês fora dos eventos cicloturisticos, foi hora de regressar, e com um regresso em grande, em mais um passeio dos Cansados de Marinhais.

Problemas de saúde originou esta paragem, ainda não totalmente recuperado, mas parar é morrer, e contínuo bem vivinho com dedicação e muito carinho por uma modalidade que há muitos anos abraço.

Quero aqui deixar um agradecimento muito especial aos Cansados de Marinhais, por mais um reconhecimento e uma recordação, o meu muito obrigado, e não só para eles, para todos que me tem apoiado, e se têm preocupado comigo.

Depois de um longo dia, agora é hora de descansar, deixando mais uma vez uma grande palavra…

OBRIGADO.

José Morais
 

“Arranque 28º Grande Prémio de Ciclismo do Jornal de Notícias 130 anos – Leilosoc”

Arranca amanhã, 28 de Maio pelas 09h30 em Viseu na Av. Eng. Fuschini (Solar do Dão) o 28º Grande Prémio de Ciclismos do Jornal de Notícias 130 anos – Leilosoc.

14 Equipas vão disputar este grande prémio de ciclismo durante sete dias sem direito a dia de descanso. São 11 os concelhos no norte de Portugal que vão acolher as sete etapas desta prova ímpar do ciclismo Português. 

A 1ª etapa começa em Viseu com o Sr. Presidente da Câmara Municipal, Almeida Henriques, a dar o mote para a partida com o corte da fita, e termina no mesmo local com a respetiva entrega de prémios e atribuição das camisolas da prova. 

Os ciclistas vão percorrer cerca 129,2km, numa etapa com um grau de dificuldade média.

Fonte: Fullsport




“CHRIS FROOME: «PARA UM CICLISTA NÃO HÁ NADA MAIS GRANDIOSO»”

Radiante com vitória na prova italiana

Fonte: Lusa

Foto: Reuters

O britânico Chris Froome (Sky) venceu este domingo pela primeira vez a Volta a Itália, tornando-se o primeiro ciclista a vencer as três principais provas velocipédicas de forma consecutiva, depois do belga Eddy Merckx e do francês Bernard Hinault.

Froome tornou-se também o primeiro britânico a vencer a prova, após 101 edições, juntando, finalmente, o Giro ao extenso palmarés, que já ostentava triunfos no Tour e na Vuelta, uma 'tripla coroa' alcançada pela última vez pelo italiano Vincenzo Nibali, o grande ausente na corrida deste ano.

A proeza do britânico, que completou os 33 anos no decorrer a prova, assume maior relevância pelo facto de ter vencido as três grandes corridas de forma consecutiva: o Giro sucede aos triunfos obtidos em 2017 na Volta a França -- que conquistou também em 2013, 2015 e 2016 - e na Volta a Espanha.

Além de Froome, apenas Merckx e Hinault, duas das maiores figuras da modalidade, o tinham conseguido. O belga venceu o Giro de 1972, o Tour de 1972, a Vuelta de 1973 e o Giro, de novo, em 1973, antes de o francês vencer em Itália e França, em 1982, antes de triunfar em Espanha, em 1983.

"Não sei o que dizer. É um sonho estar aqui com a camisola rosa vestida. Para um ciclista, não há nada mais grandioso", disse Froome, que tinha apenas participado por duas vezes na Volta a Itália, em 2009 e 2010, tendo como melhor resultado o 36.º lugar alcançado na estreia.

Em Roma, a etapa da consagração do ciclista da Sky, a 21.ª da prova, foi vencida pelo irlandês Sam Bennett (Bora-hansgrohe), que se impôs ao 'sprint' ao italiano Elia Viviani (Quick-Step) e ao luxemburguês Jean-Pierre Drucker (BMC), segundo e terceiro classificados, respetivamente.

Bennett, que venceu pela terceira vez nesta edição do Giro, completou os 115 quilómetros num circuito na capital italiana em 2:50.49 horas, apesar de a tirada estar neutralizada desde a terceira volta, a pedido dos ciclistas, preocupados com as condições de segurança do piso.

Froome, que chegou 15 minutos depois do vencedor, cruzando a meta ao lado dos colegas na equipa Sky, terminou com 46 segundos de vantagem sobre o holandês Tom Dumoulin (Sunweb) e 4.57 minutos sobre o colombiano Miguel Angel Lopez (Astana), que completaram o pódiO.

O português José Gonçalves (Katusha-Alpecin) foi 36.º posicionado na derradeira etapa, terminando a corrida na 14.ª posição da classificação geral, a 34.29 minutos de Froome, a terceira melhor classificação de um ciclista português no Giro.

José Gonçalves, que chegou a ocupar o terceiro posto na fase inicial da prova, igualou o registo de André Cardoso, 14.º colocado em 2016, ficando apenas atrás de dois dos maiores ciclistas portugueses de sempre: José Azevedo, quinto em 2001, e Acácio da Silva, sétimo em 1986.

Fonte: Record on-line
Consagração deste domingo, em Roma, sucedeu às de 2017, no Tour e na Vuelta

Por: Lusa

Foto: Reuters

O ciclista britânico Chris Froome (Sky) reeditou este domingo as proezas do belga Eddy Merckx e do francês Bernard Hinault, ao conquistar a Volta à Itália de 2018, cuja 21.ª e última etapa foi vencida pelo irlandês Sam Bennett (Bora-hansgrohe).

A consagração deste domingo, em Roma, sucedeu às de 2017, no Tour e na Vuelta, permitindo a Froome tornar-se o primeiro ciclista a vencer as três principais provas velocipédicas de forma consecutiva, depois de Merckx (entre 1972 e 1973) e Hinault (entre 1982 e 1982).

A 21.ª etapa da Volta a Itália - que Froome conquistou pela primeira vez --, integralmente disputada em Roma, na extensão de 115 quilómetros, foi vencida ao 'sprint' por Bennett, que se impôs com o tempo de 2:50.49 horas.

Fonte: Record on-line

“TIAGO MACHADO TERMINA VOLTA À BÉLGICA NO 17.º LUGAR”

Ganhou o belga Jens Keukeleire (Lotto-Soudal)

Por: Lusa

Foto: Filipe Farinha

O ciclista português Tiago Machado (Katusha-Alpecin) foi este domingo 17.º classificado na Volta à Bélgica de 2018, conquistada pelo belga Jens Keukeleire (Lotto-Soudal), após a conclusão da quinta e última etapa, vencida pelo francês Bryan Coquard (Vital Concept).

Tiago Machado concluiu no 58.º lugar a tirada disputada entre Landen e Tongeren, na extensão de 157,7 quilómetros, com o mesmo tempo do vencedor, que se impôs ao 'sprint' ao compatriota Christophe Laporte (Cofidis) e ao belga Roy Jans (Cibel), segundo e terceiro colocados, respetivamente.

Keukeleire, que tinha desalojado Laporte da liderança da prova na etapa anterior, cortou a meta no 45.º lugar, integrado no pelotão, com o mesmo tempo de Coquard, o suficiente para reeditar o triunfo obtido em 2017 na prova 'caseira'.

Tiago Machado subiu hoje mais um lugar na classificação geral, para o 17.º posto, terminando a prova a 5.15 minutos de Keukeleire, que superou por 15 segundos o compatriota e colega de equipa Jelle Vanendert e por 39 o neozelandês Dion Smith (Wanty), com os quais subiu ao pódio.

Fonte: Record on-line

“Equipa Portugal/Guilherme Mota rei dos trepadores e 15.º na geral”

Por: José Carlos Gomes

O campeão nacional de fundo, Guilherme Mota, terminou hoje o Tour du Pays de Vaud na 15.ª posição da geral, subindo ao pódio para ser consagrado como rei dos trepadores desta prova da Taça das Nações de Juniores, disputada na Suíça.

Os derradeiros 112,9 quilómetros, entre Cossonay a Tartegrin, ficaram marcados pelo mau tempo e pela alta velocidade, sendo cumpridos à média de 42,3 km/h. A vitória foi para o francês Alex Baudin, primeiro de um grupo de dez corredores que se adiantou ligeiramente ao pelotão.

O grupo principal chegou muito “cortado”, mas a Equipa Portugal conseguiu colocar dois elementos nesse lote mais numeroso de corredores, Pedro Andrade, 35.º, e Guilherme Mota, 36.º, ambos a 19 segundos do vencedor.

Na geral sobressaíram os nórdicos, que ocuparam todas as posições do pódio. O primeiro foi o dinamarquês Mattias Skjelmose Jense, seguido pelo compatriota William Blume Levy, a 24 segundos, e pelo norueguês Ludvig Fischer Assheim, a 37 segundos.

O melhor corredor da Equipa Portugal foi Guilherme Mota, que subiu uma posição na derradeira jornada, finalizando no 15.º lugar, a 2m42s do primeiro. Pedro Andrade foi 35.º, a 5m45s, Francisco Guerreiro terminou em 52.º, a 14m52s, Diogo Ribeiro acabou no 64.º posto, a 20m30s, e Wilson Esperança fechou em 85.º, a 48m52s. Afonso Silva caiu ontem e não terminou a corrida.

A Equipa Portugal concluiu a participação no décimo lugar coletivo, entre 20 equipas participantes.

Fonte: FPC

“Equipa Portugal/David Rosa foi 23.º em Nové Město”

Segunda prova da Seleção Nacional na Taça do Mundo de Cross-Country Olímpico 2018 termina com 23.º lugar de David Rosa. Na Elite feminina, Joana Monteiro foi 62.ª classificada

A viagem da Equipa Portugal até Nové Město na Moravě, na Républica Checa, terminou com a conquista do 23.º posto do campeão nacional David Rosa na principal prova do programa de competições. Na corrida Elite, o suíço Nino Schurter repetiu o triunfo do ano anterior mas, desta feita, sem grandes folgas. As seis voltas ao circuito acabaram ao sprint tendo o campeão mundial da especialidade batido, por escassos centímetros, o neo-zelândes Anton Cooper, segundo classificado.

Enquanto isso, o campeão nacional de XCO fez uma prova à altura dos vinte melhores do troéu terminando o rápido circuito - com piso seco - na 23.ª posição, superando o 24.º posto da passada semana, na prova da Taça do Mundo de Albstadt, na Alemanha. David Rosa completou a primeira volta na 26.ª posição subindo até ao 18.º posto na quarta e antepenúltima volta. A quebra veio na parte decisiva na qual desceu até ao 23.º posto final. Mário Costa, na 66.ª posição, e Ricardo Marinheiro, no 76.º lugar, foram os restantes portugueses em ação em Nové Město na Moravě.

"Foi uma corrida diferente da semana passada, com piso seco e muito mais rápida. Na sua segunda prova da Taça do Mundo esta temporada, o David Rosa mostrou um nível superior e melhorou a sua classificação face à ronda de Albstadt. No entanto, mais do que a classificação, noto a sua evolução dentro da corrida. Até à parte decisiva da última volta rodou no "top-20" e apesar de ter perdido dois ou três lugares já na parte final, terminou a 2m30s do vencedor. É uma evolução muito grande face aos seus registos habituais e, como tal, são indicadores de que trabalho está a ser bem feito. Estamos prestes a entrar na fase de qualificação olímpica - inicia-se a 28 de maio - e, embora satisfeitos com a prestação do David Rosa, precisamos de mais corredores portugueses a pontuar", reconheceu Pedro Vigário, seleccionador nacional.

Além dos Elite Masculinos, no último dia do programa de competições em Nové Město na Moravě, habitual estância de desportos de Inverno, competiram as Elites Femininas. Na vitória da dinamarquesa Annika Langvad, a portuguesa Joana Monteiro foi 62.ª classificada.

No ranking da Taça do Mundo de XCO, após três provas disputadas, David Rosa ocupa o 38.º lugar, com 118 pontos conquistados.

A Seleção Nacional regressará à disputa das provas da Taça do Mundo na etapas de Val di Sole (Itália) e Vallnord (Andorra), ambas em julho.

Fonte: FPC

“Taça de Portugal Feminina Jogos Santa Casa”

Fiona Hunter-Johnston confirma triunfo em Gouveia

Por: José Carlos Gomes

A britânica Fiona Hunter-Johnston (Fusion Velo Performance) conquistou hoje, em Gouveia, a Taça de Portugal Jogos Santa Casa na categoria de elite. A estoniana Maaris Meier (Maiatos/Reabnorte) venceu a última prova pontuável.

Os 68,4 quilómetros da corrida de elite foram palco de uma demonstração da versátil Maaris Meier. A corredora que compete em todas as disciplinas de BTT, do XCO ao enduro, mostrou que na estrada também sabe ganhar. Maaris Meier cortou a meta isolada, com 7 segundos de vantagem sobre a campeã nacional de fundo, Celina Carpinteiro (5Quinas/Município de Albufeira/CDASJ). A terceira, a 12 segundos, foi a colombiana Jenyffer Puentes (Efapel/Escola de Ovar).

A luta pela geral de elite travou-se entre a portuguesa Maria Martins (Sopela Women’s Team) e a britânica Fiona Hunter-Johnston. A lusa foi a quarta a passar a meta, um lugar diante da rival. Feitas as contas, Fiona Hunter-Johnston sucedeu a Maaris Meier como vencedora da Taça de Portugal Jogos Santa Casa, concluindo a competição com 140 pontos, mais 15 do que Maria Martins e mais 55 do que Soraia Silva (Sopela Women’s Team), que a acompanharam no pódio da geral.

Raquel Queirós (Quinta das Arcas/Jetclass/Xarão) foi claramente mais forte ao cabo dos 48,6 quilómetros da corrida de juniores, passando a meta com 6m17s de vantagem sobre a segunda classificada, Joana Vinagre (Bairrada). A terceira, a 12m33s, foi Joana Pereira (5Quinas/Município de Albufeira/CDASJ). A geral foi ganha por Joana Vinagre, seguida por Joana Pereira e por Nádia Henrique (Mato Cheirinhos/Vila Galé/Etopi).

Beatriz Pereira (Bairrada) venceu os 32,4 quilómetros da corrida de cadetes, destacando-se da concorrência. A segunda classificada, a 25 segundos, foi Rafaela Ramalho (Maiatos/Reabnorte) e a terceira, a 4m14s, foi Beatriz Roxo (Maiatos/Reabnorte). A vitória em Gouveia deu a Taça de Portugal a Beatriz Pereira, com 170 pontos, seguindo-se Beatriz Roxo, com 135. Daniela Campos (5Quinas/Município de Albufeira/CDASJ) começou a jornada no topo da tabela, mas problemas de saúde impediram-na de alinhar, acabando por fechar a Taça no terceiro lugar da geral, com 120 pontos.

Nas categorias de veteranas, Raquel Marques (Maiatos/Reabnorte) foi a melhor master 30 em Gouveia, mas a Taça foi conquistada por Rita Reis (Mato Cheirinhos/Vila Galé/Etopi), Ana Neves (Bike & Nutrition Shop) venceu a corrida e a geral de master 40, enquanto Cláudia Ribeiro (Maiatos/Reabnorte) foi a única master 50 a competir na Taça de Portugal.

A equipa Maiatos/Reabnorte foi a mais forte em Gouveia e triunfou na geral coletiva da Taça de Portugal Jogos Santa Casa.

Fonte: FPC

“Taça de Portugal de Cadetes”

João Ferreira festeja conquista do troféu em Anadia

Troféu decidido em final com duas provas na Anadia comprovou regularidade do ciclista da Cruz de Cristo. Corrida em linha de domingo, com 68 km, foi conquistada por Lucas Braga

Caiu o pano na Taça de Portugal de Cadetes e a disputa da Fase Final, em Anadia, que juntava num único pelotão os melhores ciclistas da Zona A (Norte) e da Zona B (Sul) revelou os vencedores do troféu: João Ferreira (Cruz de Cristo) e a equipa Seissa/KTM-Bikeseven /Matias&Araújo/ Frulact.

O triunfo de João Ferreira no ranking final da Taça de Portugal de Cadetes começou na véspera, com a vitória na prova de contrarrelógio, na soma dos primeiros 75 pontos da fase final. Na corrida de domingo, com 68,8 quilómetros, com término no Monte Castro, a vitória de Lucas Braga (Seissa/KTM-Bikeseven /Matias&Araújo /Frulact), o vencedor do ranking de apuramento da Zona A, não foi suficiente para inverter a classificação da final da Taça, dado que João Ferreira chegou na segunda posição, salvaguardando  a liderança do troféu que conquistou com 140 pontos. Diogo Neves (BTT Loulé/Elevis), que terminou a corrida com o mesmo tempo do vencedor, chegou na terceira posição, somando os pontos necessário para ser o segundo classificado da Taça de Portugal, com 120 pontos. O terceiro lugar do ranking da Taça foi pertença de Pedro Crispim (Anipura-GDM-Escola Alexandre Ruas) com 85 pontos.

Na classificação coletiva da Taça de Portugal, a formação minhota de Seissa/KTM-Bikeseven/Matias&Araújo/Frulact sagrou-se vencedora com 50 pontos. A formação Cruz de Cristo (27 pontos) e a Tensai/Sambiental/Santa Marta (22 pontos) fecharam o pódio das 12 equipas classificadas.

Fonte: FPC

“Taça de Portugal Jogos Santa Casa de Paraciclismo”

Dezoito paraciclistas pedalaram pela inclusão em Viana do Castelo

Por: José Carlos Gomes

A segunda prova da Taça de Portugal Jogos Santa Casa de Paraciclismo realizou-se na manhã deste domingo, em Viana do Castelo, afirmando a modalidade como uma festa da inclusão social, juntando o espírito competitivo à alegria da participação.

Tal como na prova inaugural da edição de 2018 da Taça de Portugal, foram 18 os paraciclistas que se apresentaram à partida, distribuídos por oito classes de competição.

As classes C2, C4, C5 e H4 foram as mais participadas. Em todas venceram os corredores que já haviam triunfado no arranque da Taça de Portugal Jogos Santa Casa, em Odemira. Telmo Pinão (Casa do Benfica MMV/APCA/Paracycling) impôs-se em C2, o vencedor em C4 foi João Monteiro (Mozinho RT Martos Pellets), Manuel Ferreira (Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel) ganhou em C5 e Flávio Pacheco (Sporting/Tavira – Paracycling) bateu a concorrência em H4.

João Pinto também reforçou a supremacia em H3, repetindo em Viana o sucesso de Odemira.

Nas restantes categorias, houve corridas em solitário, apenas com um participante: João Marques (ACD Milharado/EC Manuel Martins) na classe D, Bernardo Vieira em C1 e Luís Costa (Sporting/Tavira – Paracycling) em H5.

A terceira prova da Taça de Portugal Jogos Santa Casa de Paraciclismo fará parte do programa da primeira etapa do Grande Prémio Abimota, realizando-se em Lisboa, no dia 13 de junho.

Fonte: FPC

“Campeonato Ibérico/Portugal com três campeões Master”

Campeonato Ibérico Máster 2018 disputou-se hoje na localidade andaluza de Salobreña e consagrou três ciclistas amadores portugueses entre os oito títulos em disputa

Alexandre Guillhoto, Carlos Gomes e Manuel Caetanita foram os portugueses que se sagraram campeões ibéricos de ciclismo master em Salobreña. Na prova cuja partilha organizativa se repartiu pela Real Federação Espanhola e pela Federação Portuguesa de Ciclismo foram atribuídos oito títulos de campeão ibérico Master.

O programa de corridas foi composto por duas mangas, com 78 quilómetros de extensã e cuja principal dificuldade se situava na escalada do Alto da Cebada, uma contagem de montanha de terceira categoria, com 5 quiómetros de subida a uma inclinação média de 3,6 por cento Já o pelotão em disputa teve a particularidade de apenas incluir corredores das nacionalidades espanhola e portuguesa.

De manhã, na manga inaugural, Alexandre Guilhoto e Carlos Gomes abriram a jornada ao sagraram-se campões em Master A (A partir dos 30 anos) e Master B (Até 35 anos), dois dos títulos mais concorridos desta competição de ciclistas amadores. Por sua vez, durante a tarde, disputaram-se as restantes provas de atribuição de títulos tendo o último cepto em disputa sorrido, por fim, às cores nacionais com a vitória de Manuel Caetanita na categoria Master 60.

 

QUADRO DE HONRA

Campeonato Ibérico 2018 (Master)

M30A: Alexandre Guilhoto 🇵🇹

M30B: Carlos Gomes 🇵🇹

M40A: Francisco Robles Rodriguez 🇪🇸

M40B: José Miguel Doblas Rodriguez 🇪🇸

M50A: Mario Fernandez 🇪🇸

M50B: Jose Antonio Bravo Jimenez 🇪🇸

M60A: Juan Moreno 🇪🇸

M60B: Manuel Caetanita 🇵🇹

Fonte: FPC

“Marinhais ao rubro no seu 13º passeio”

Texto e Fotos: José Morais

O Núcleo de Cicloturismo os Cansados de Marinhais, é um grupo regular do pelotão cicloturista nacional, tendo ao longo dos anos vindo a surpreender nos seus eventos, com a particularidade de saber bem receber na sua terra, tantos antes, como durante, e após os passeios, tendo-se destacado em mostrar algo diferente nos ótimos três anos.

Primeiro, filmando o evento com um drone, depois a filmagem com um helicóptero, e este ano a marcar presença com um balão, que infelizmente com o vento que se fazia sentir, não foi possível levantar o mesmo, mas que mesmo assim animou os participantes.

O passeio deste ano, o qual fazia parte do calendário oficial da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta, tinha uma percurso com cerca de 50 quilómetros, teve início pelas 9 horas, com a primeira pedaladas com rumo ao cemitério local, aqui foi feita uma paragem, onde foram relembrados antigos membros do Grupo, o Militão Leal, João Silva Matateu, João António Zaragata, Licínio Pereira, Fernando do Talho, e ao “Ti Henrique” de Montemuro, falecido recentemente num passeio de bicicleta, sendo feito ainda um minuto de silêncio em suas memórias.

Depois foi o reinício das pedaladas, com a caravana a passar por Foros de Salvaterra, Salvaterra de Magos, Cais da Vala, e Marinhais, onde foi feita uma paragens, para abastecimentos líquido e sólido.

De volta à estrada, seguiu-se em direção a Glória, Granho, Muge, e Marinhais, que depois de um circuito pela Vila, o evento veio a terminar cerca das 12.30, no local da partida, o recinto das festas locais.

O postal do evento:

13 anos depois, Marinhais continua em força, num passeio muito acarinhado pelos cicloturistas, que este ano juntou mais de 350 participantes, com um trajeto acessível a todos, propício para rolar, com muita animação e camaradagem pelo caminho, numa pedalada certa, com um longo pelotão a rolar quase compacto.

No final, uma grande almoço convívio que se estendeu tarde dentro, com muitas lembranças, sorteios e surpresas, onde a satisfação era patente na cara dos participantes e acompanhantes, numa organização que temos de louvar, o grande trabalho em equipa.

No final João Filipe Robi, presidente dos Cansados de Marinhais, e responsável pelo evento dizia à nossa reportagem; “ Foi mais um evento, tudo correu bem, penso que estamos de parabéns, tentamos dar o nosso melhor. Este era um passeio diferente, em 2017 tínhamos um objetivo, a presença do Sua Excelência o Presidente da Republica, não foi possível da sua parte, mas enviou-nos uma mensagem, a qual transmitimos a todos que marcaram presença.

Outro dos objetivos este ano era a de termos a subida de um balão, onde desejávamos fazer filmagens do passeio, porem o vento forte a isso não permitiu apesar de ainda o tentarmos, mas a ideia não fica por aqui, e esperemos poder no próximo ano, onde teremos ainda outras surpresas.

A finalizar, agradecer a todos os presentes, sem eles a festa não se poderia fazer, ainda agradecer a todas a entidades oficiais que também marcaram presenças, e o apoio que nos deram, como a todos os nossos patrocinadores, caso contrario seria impossível fazer esta festa, por isso deixo o convite a virem a 2019, vale a pena participar”.

E foi sem dúvida um belo passeio, bons momentos, bom convívio, resta-nos ainda referencia o excelente trabalho da GNR local, como o excelente trabalho feito pelo grupo de motares que apoiaram toda a caravana e deram segurança à mesma, não esquecendo toda a organização pelo empenho que mais um ano deram a este evento, num dos melhores passeios considerado por muito amantes da bicicleta.

Da nossa parte ficam os votos de bons passeios boas pedaladas.

Fonte: Notícias do Pedal/Parceria FPCUB

Pode visualizar deste evento mais fotos em:

“Galeria Multimédia” divulgação das Fotos do “13º Passeio Cansados de Marinhais.2018”

Já estão on-line na “Galeria Multimédia”, “13º Passeio Cansados de Marinhais.2018” realizado este domingo em Marinhais, as mesmas podem ser visualizadas em: