domingo, 1 de abril de 2018

“ANNA VAN DER BREGGEN VENCE VOLTA À FLANDRES FEMININA”

Daniela Reis foi 29.ª

Por: Lusa

A portuguesa Daniela Reis (Doltcini-Van Eyck Sports) foi este domingo 29.ª na Volta à Flandres, tendo a holandesa Anna van der Breggen (Boels Dolmans Cyclingteam) vencido a corrida belga.

Anna van der Breggen cumpriu os 151 quilómetros da prova em 4:08.06 horas, cortando a meta isolada e com 1.08 minutos de vantagem para um grupo de oito corredoras, no qual se destacaram outras duas holandesas, Amy Pieters (Boels Dolmans Cyclingteam) e Annemiek van Vleuten (Mitchelton-Scott Women), segunda e terceira classificadas, respetivamente.

Daniela Reis cortou a meta no 29.º posto, a 1.52 minutos da vencedora.

Fonte: Record on-line

“NIKI TERPSTRA VENCE VOLTA A FLANDRES COM AUTORIDADE”

Primeiro holandês a ganhar a clássica belga desde 1986

Foto: EPA

Por: Lusa

O ciclista holandês Niki Terpstra (Quick-Step Floors) venceu este domingo a Volta a Flandres, ao cortar a meta isolado após um ataque nas últimas subidas, tornando-se no primeiro holandês a ganhar a clássica belga desde 1986.

Terpstra, de 33 anos, concluiu os 264,7 quilómetros entre Antuérpia e Oudenaarde em 6:21.25 horas, 12 segundos a menos do que o dinamarquês Mads Pedersen (Trek-Segafredo) e com 17 de avanço sobre o seu colega belga Philippe Gilbert, vencedor em 2017, que fechou o pódio.

O holandês tem estado em grande forma na época das clássicas, triunfado em Oudenaarde depois de ter vencido, em 23 de março, a E3 Harelbeke.

Para Terpstra, vencer a prova é "um sonho tornado realidade", quatro anos depois de ter triunfado no Paris-Roubaix, outro 'monumento' do 'pavé', conseguindo erguer os braços nas suas duas corridas favoritas desde criança.

O anterior holandês a vencer a corrida foi Adri van der Poel, em 1986, e desta feita o triunfo deveu-se ao sentido de oportunidade de Terpstra, que aproveitou um arranque do italiano Vicenzo Nibali (Bahrein Merida), a menos de 30 quilómetros da meta, e contra-atacou de forma imparável.

O ciclista da Quick-Step Floors juntou-se à fuga de Pedersen e dos holandeses Sebastian Langeveld (Education First--Drapac) e Dylan van Baarle (Sky), antes de os deixar para trás no topo de Kwaremont e segurar a vantagem no empedrado de Paterberg, última das 18 subidas do dia.

Atrás, o eslovaco Peter Sagan (Bora Hansgrohe), tricampeão do mundo e vencedor na Flandres em 2016, ainda tentou chegar-se à frente, mas já não teve tempo, terminando em sexto.

Dos ciclistas portugueses em prova, Nelson Oliveira (Movistar) foi o único a terminar a prova, no 62.º lugar, a 8.18 minutos do vencedor, enquanto José Gonçalves (Katusha-Alpecin) e Nuno Bico (Movistar) não cortaram a meta.

A próxima clássica, marcada para domingo, é o Paris-Roubaix, conhecido como 'Inferno do Norte', com o belga Greg van Avermaet (BMC) à procura de revalidar o título, ainda que Terpstra, com a Quick-Step Floors em grande plano neste início de temporada, seja o favorito à partida.

Fonte: Record on-line