segunda-feira, 9 de julho de 2018

“Os eventos da semana”

Esta semana, o calendário da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores e Bicicleta (FPCUB) não possui passeios agendados.

 

Podem consultar mais informação no espaço “Calendário Anual” em: http://www.fpcub.pt/agenda/2018 e ainda no site oficial da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores e Bicicleta (FPCUB) em: http://www.fpcub.pt , pode consultar outros eventos, como toda a atividade realizada pela FPCUB.

“CARAMULO MOTORFESTIVAL REGRESSA DE 7 A 9 DE SETEMBRO COM MUITAS NOVIDADES”

• Automóvel Club de Portugal juntou-se ao Museu do Caramulo como organizador do Caramulo Motorfestival • Rampa Histórica do Caramulo, ralis e concentrações celebram o espírito dos clássicos • Presença de mais de 14 pilotos convidados, entre eles Valentino Balboni, Cyril Neveu e Armindo Araújo • Exposições “Porsche: 70 anos de evolução” e “The Power of the Force”, dedicada aos 40 anos da saga Star Wars, abertas em horário alargado • Evento gratuito, repleto de programação para todas as idades • Transmissão do Caramulo Motorfestival em directo, por um canal de televisão na TV cabo, assim como em Live Streaming para todo o mundo via internet

A XIII edição do Caramulo Motorfestival, o maior festival motorizado em Portugal e desde este ano, organizado pelo Museu do Caramulo em parceria com o Automóvel Club de Portugal, regressa à serra do Caramulo nos dias 7, 8 e 9 de Setembro, com muitas novidades e caras conhecidas.

Um dos pontos altos do Caramulo Motorfestival será, como já é tradição, a Rampa Histórica do Caramulo, prova direcionada aos automóveis clássicos, históricos e de competição, nas categorias de velocidade e regularidade, com a parte desportiva a cargo do Clube Automóvel de Viseu.

Como é hábito, o evento vai também contar com uma longa lista de pilotos convidados, a participar na Rampa Histórica do Caramulo e no convívio com o público. Entre estes encontram-se o italiano Valentino Balboni, Chief Test Pilot da Lamborghini desde 1968 e hoje um embaixador da marca, Cyril Neveu, o piloto francês que venceu cinco vezes o Paris-Dakar, incluindo a primeira edição da prova em 1979 ou Armindo Araújo, o mais conceituado piloto Português de Ralis de todos os tempos, com os títulos de Bicampeão do Mundo de Ralis Produção e o Tetra Campeonato Nacional Absoluto.

A lista conta ainda com outros nomes do desporto motorizado como Pedro Salvador, Mário Silva, Rosário Sottomayor, Mex Machado, Mário Barbosa, Carlos Palma, Tiago Magalhães, Filipe Lourenço, Rui Marto ou Dinis Borges, o jovem piloto de apenas 13 anos e uma das esperanças nacionais do motociclismo.

Característicos do Caramulo Motorfestival, regressam ainda os passeios e ralis de automóveis como a Rota das Clássicos, o Passeio Honda S2000, o Encontro Porsche e o Encontro Porsche 356, o Passeio do Clube CRX.PT, o Passeio Peugeot 205 GTI/CTI/Rallye, o Passeio Caramulo TT ou o Passeio Histórico Salamanca-Caramulo, além da estreia do passeio 200 Milhas, que parte de Castelo Branco com rumo ao Caramulo. As duas rodas também estarão representadas em peso no Encontro das Café Racers, no Encontro das Cinquenta, na concentração Vespa Caramulo, no Passeio Ducati ou na Raiada do Caramulo, dedicada às bicicletas antigas.

Há ainda um Drift Show e uma pista TT para todos os visitantes que se queiram juntar em veículos de todo-o-terreno, a clássica parada militar Jeep Attack! e a Feira de Automobilia do Caramulo, que este ano conta também com um Gaming Center, repleto de jogos e simuladores.

Outra das grandes novidades para 2018 é a transmissão do Caramulo Motorfestival em directo por um canal de televisão na TV cabo, assim como em Live Streaming para todo o mundo via internet. A cobertura vai abranger todo o evento, incluindo a Rampa Histórica do Caramulo, os bastidores, os sub-eventos e entrevistas aos pilotos e participantes, entre outros.

O evento é gratuito e a organização mantém a aposta numa programação abrangente e dirigida ao público em geral e às famílias em particular, que inclui actividades lúdicas, parques infantis insufláveis, gastronomia, bares e zonas chill out com música durante todo o evento.

Ao longo de todo o fim-de-semana, o público vai poder ainda deliciar-se com mais um clássico do Motorfestival que atrai todos os olhares: o espectáculo aéreo de aviões clássicos, que conta com modelos históricos pilotados por experientes aviadores, seja em vôo de desmonstração ou acrobático. 

O Museu do Caramulo apresenta ainda a exposição temporária “Porsche: 70 anos de evolução”, que apresenta a história da Porsche através de um alinhamento de modelos da marca, sem paralelo em Portugal, com exemplares raros e de elevado valor histórico e desportivo como o Porsche 356 Carrera 2, o Porsche Carrera 6 (906), o Porsche 911 2.7 RS, o Porsche 930 “Slant Nose”, o Porsche 918 Spyder, o Porsche 935 “Almeras” ou mesmo um raríssimo Porsche 550 Spyder de 1957, que nunca esteve em solo português até agora. 

Estarão ainda patentes durante o evento as exposições “The Power of the Force: Brinquedos e Cartazes da Guerra das Estrelas (1977-85)”, dedicada aos 40 anos da saga Star Wars e a exposição “Black Box: Passeios”, que conta com obras de oito artistas plásticos como Pedro Cabrita Reis, Jorge Molder, Luísa Cunha, Francisco Tropa ou Pedro Calapez.

A organização do evento acabou de lançar o seu vídeo teaser para a edição de 2018 que pode ser visto no link https://youtu.be/Gto55_30mf0 

Este evento conta com o apoio do Museu do Caramulo, Automóvel Club de Portugal, Bentley, Ascendum, Câmara Municipal de Tondela, Turismo do Centro, rádio M80, Jornal dos Clássicos e Banco BPI.

Fonte: Museu Caramulo/Parceria Notícias do Pedal

“Melanie Santos é medalha de prata na Taça do Mundo de Tiszaujvaros”

Primeira medalha na Taça do Mundo Tiszaujvaros para Melanie Santos que se realizou a 8 de julho 2018

Realizou-se este fim-de-semana a Taça do Mundo de Tiszaujvaros, na Hungria, onde participaram seis triatletas portugueses: Melanie Santos, Helena Carvalho, Madalena Almeida, Vasco Vilaça, Alexandre Nobre e David Luís. No sábado disputou-se a semifinal que estava dividida por blocos de partida de 30 atletas, com apuramento do top 10 para a final de domingo.

Melanie Santos e Vasco Vilaça fizeram uma excelente prova na semifinal, ficando em terceiro do seu grupo passando à fase final. Helena Carvalho conseguiu um 10º lugar conseguindo também uma vaga na final. Madalena Almeida também em prova ficou em 14º. David Luís obteve a 20ª posição e Alexandre Nobre ficou em 24º lugar.

Numa prova muito disputada como era esta Taça do Mundo, mas com boas referências do dia anterior, Melanie Santos e Helena Carvalho iniciaram a sua prova, sabendo de antemão que estavam perante uma competição com as melhores do mundo, como Sophie Coldwell, a triatleta inglesa atual campeã da europa.

«Desde o 5º lugar na WTS de Abu Dhabi que a Melanie apresenta indicadores de um bom nível. O que ainda não tinha acontecido era que esse nível tivesse expressão numa prova de alto gabarito como esta Taça do Mundo», explica Lino Barruncho, treinador de Melanie Santos. «Nesta prova estiveram presentes as melhores triatletas do mundo, e a Melanie só foi superada pela campeã da europa.»

A nossa triatleta Melanie explica que conseguiu fazer uma natação mediana. «A natação foi muito dura e ‘selvagem’, com tantas triatletas a pretenderem chegar rapidamente à boia». Melanie saiu em 15º da água, mas rapidamente começou a superar esta posição com uma transição forte para o ciclismo, conseguindo sair da primeira transição em 5º. «Já consegui fazer um bom segmento de ciclismo, no grupo da frente e depois foi aguentar o ritmo. Quando saí para a corrida, depois da segunda transição, quis impor logo a passada e ganhar vantagem.»  Na corrida, percebendo que a sua companheira de prova Chelsea Burns apresentava sinais de cansaço, foi Melanie que impôs o ritmo, acelerando na última volta, conquistando assim a segunda posição do pódio. «Foi a minha primeira medalha numa Taça do Mundo e claro que estou muito feliz por isso», conclui a triatleta do Benfica.

O treinador Lino Barruncho afirma que foi realmente um resultado extraordinário, ainda mais com o facto que de ter havido uma semifinal no dia anterior: «A conjuntura era muito forte, muitas triatletas de topo mundial e duas competições em menos de 24 horas. Mas pelos indicadores dos treinos estávamos confiantes que isto ia acontecer, ainda bem que foi nesta competição!»

Helena Carvalho, triatleta também apurada em 10º no dia anterior, conseguiu chegar à boia em 5º, saindo em 3º da água, fazendo um excelente segmento de natação. «Todas sabíamos que a natação ia ser difícil, mas consegui sair rápido e posicionar-me bem saindo da água em 3°. O ciclismo foi duro especialmente ao início, depois fui-me sentindo melhor.»  Helena acusou o esforço da prova do dia anterior: «Acho que não recuperei da desidratação da semifinal e devo ter bebido demasiado no ciclismo, pelo que tive muita ‘dor de burro’ na corrida, mas ainda assim deu para 18° o que me deixou satisfeita», explicou Helena.

Sophie Coldwell, do Reino Unido, foi a primeira mulher a cortar a meta, aos 00:59:02, seguida da portuguesa Melanie Santos que completou a prova em 00:59:18, deixando o terceiro lugar para a americana Chelsea Burns com 00:59:28.

A próxima prova da Melanie Santos é a WTS de Hamburgo a 14 de julho, já daqui a uma semana, onde também irão marcar presença João Pereira e João Silva. «Depois disso, dia 29 de julho Melanie irá participar na WTS de Edmonton e o Campeonato da Europa será a 11 de agosto, para depois partir para um estágio em altitude», explica o treinador de Melanie Santos, Lino Barruncho.

A prova masculina foi marcada por uma chuva torrencial repentina, tendo a organização sido obrigada a cancelá-la por motivos de segurança, quando Vasco Vilaça seguia na liderança do ciclismo, na 8ª de 10 voltas deste segmento.

Fonte: FTP

“GREG VAN AVERMAET: «É UM GRANDE OBJETIVO CONSEGUIR A AMARELA NA PRIMEIRA SEMANA»”

Belga beneficia da vitória da BMC no crono coletivo

Por: Lusa

Foto: Reuters

A equipa norte-americana BMC confirmou esta segunda-feira o favoritismo para o contrarrelógio por equipas, vencendo a terceira etapa da Volta a França em bicicleta e colocando o belga Greg Van Avermaet na liderança da geral individual.

A BMC completou os 35,5 quilómetros do crono coletivo em 38.46 minutos, quatro segundos à frente da britânica Sky, do campeão em título o britânico Chris Froome, e sete segundos face à belga Quick-Step Floors, terceira.

Os norte-americanos, vice-campeões mundiais da especialidade, deram continuidade à boa senda de performances, tendo vencido na Volta à Comunidade Valenciana, na Tirreno Adriatico e na Volta à Suíça.

Além do belga, novo líder da prova, o norte-americano Tejay van Garderen também subiu na classificação, para o segundo posto, com o mesmo tempo do colega de equipa, enquanto o chefe de fila, o australiano Richie Porte, subiu ao 14.º lugar, a 51 segundos de van Avermaet.

Aos 33 anos, o campeão olímpico em 2016 lidera o Tour pela segunda vez na carreira, depois de em 2016 ter vestido a amarela nas sexta e sétima etapas.

Depois de ter vencido a classificação UCI em 2017, o ano de 2018 tem sorrido ao belga, depois de ter sido quarto na Paris-Roubaix e ter vencido a Volta a Yorkshire, depois do 'azar' nas clássicas de primavera.

"É um grande objetivo conseguir a amarela na primeira semana. Já o tinha feito e foi incrível. Nesta segunda vez, vou aproveitar ao máximo. É sempre especial para um corredor", atirou van Avermaet no final da etapa.

Se os cronos coletivos são "sempre especiais", o esforço da equipa foi fulcral, até por serem "mestres na especialidade", acrescentou.

A australiana Mitchelton-Scott, que acabou em quarto, partiu primeiro e liderou até à Sky assumir o primeiro posto provisório, com a grande desilusão a ser a alemã Sunweb, campeã mundial em título, a não ir além do quinto posto.

Por seu lado, a BMC rolou a uma média de 55 quilómetros por hora, e a presença de especialistas como Porte, van Garderen ou o suíço Stefan Kung facilitou o trabalho aos norte-americanos, que saltaram para o quarto lugar da classificação por equipas, liderada pela Quick-Step Floors.

Van Avermaet sai na terça-feira de camisola amarela vestida para a quarta etapa, que apresenta uma ligação de 195 quilómetros entre La Baule e Sarzeau, com uma luta entre sprinters prevista pela vitória.

Fonte: Record on-line

“BMC VENCE CONTRARRELÓGIO POR EQUIPAS”

Greg van Avermaet conquista camisola amarela

Por: Lusa

Foto: EPA

A equipa norte-americana BMC venceu esta segunda-feira o contrarrelógio por equipas da terceira etapa da Volta a França em bicicleta, permitindo ao belga Greg Van Avermaet a assumir a liderança da classificação geral individual.

A BMC completou os 35,5 quilómetros do crono coletivo em 38.46 minutos, em menos quatro segundos do que britânica Sky, do campeão em título Chris Froome, e menos sete segundos do que belga Quick-Step Floors, terceira.

O campeão olímpico Van Avermaet vai envergar na terça-feira a camisola amarela na quarta etapa, que apresenta uma ligação de 195 quilómetros entre La Baule e Sarzeau, onde é previsível uma luta entre sprinters para a vitória.

Fonte: Record on-line

“APURAMENTO JOGOS OLÍMPICOS DA JUVENTUDE – Banyoles”

JOSÉ PEDRO VIEIRA e AFONSO DO CANTO DISPUTARAM A QUALIFICAÇÃO PARA OS JOGOS OLÍMPICOS DA JUVENTUDE

Os atletas JOSÉ PEDRO VIEIRA e AFONSO DO CANTO, da Escola de Triatlo do Clube de Natação de Torres Novas, em representação da Seleção Nacional de Triatlo (Escalão Youth) participaram em BANYOLES, perto de Girona no norte de Espanha, no passado sábado, 7 de Julho de 20, o apuramento para os JOGOS OLÍMPICOS DA JUVENTUDE que se realizam na Argentina no próximo mês de Outubro.

Os torrejanos JOSÉ PEDRO VIEIRA e AFONSO DO CANTO apesar de terem realizado uma excelente prova não conseguiram o desejado apuramento. JOSÉ PEDRO foi dos primeiros atletas a sair do segmento de natação, conseguindo manter uma boa posição no segmento de ciclismo, e apesar de ter entrado para a 2ªvolta do segmento de corrida nos 4 primeiros lugares, não conseguiu resistir a uma ponta final da corrida bastante disputada, conseguindo mesmo assim um excelente 16ºlugar.

O atleta AFONSO DO CANTO teve a sua primeira competição em representação da Seleção Nacional, realizando o terceiro melhor tempo no segmento de ciclismo, conseguindo no final um excelente 23ºlugar.

Os 71 atletas masculinos que participaram neste apuramento representando 29 países, tiveram que nadar 750 metros, fazer o segmento de ciclismo de 20 km e por fim 5Km de corrida. 


O triatlo Português conseguiu no entanto o apuramento para os JOGOS OLÍMPICOS DA JUVENTUDE através de dois atletas, Inês Rico e Alexandre Montez.

A Seleção Portuguesa foi constituída pelos atletas Inês Rico do Alhandra Sporting Club, Mariana Vargem, Individual (sem clube), Afonso do Canto e José Pedro Vieira da Escola de Triatlo do Clube de Natação de Torres Novas, e Alexandre Montez do Outsystems Olímpico de Oeiras.

 

CAMPEONATO NACIONAL CLUBES TRIATLO

CONTRARRELÓGIO em MONTEMOR-O-VELHO

O TRIATLO DO CLUBE DE NATAÇÃO DE TORRES NOVAS participou também no dia 7 de Julho de 2018 em mais uma etapa do Campeonato Nacional de Clubes, disputada em sistema de Contrarrelógio na distância Sprint (750m de natação, 20km de ciclismo e 5km de corrida).

Torres Novas esteve representada com 3 equipas, tendo a equipa feminina constituída pelas atletas Carolina Serra, Joana Miranda, Mariana Correia e Margarida Razões alcançado um excelente 4ºlugar, terminando a sua prova em 1h14m20s.

A equipa constituída pelos atletas Ricardo Batista, Gonçalo Balbino, Guilherme Marques e Marco Sousa, alcançaram o 7º lugar, terminando a sua prova em 01h04m29s.

E a 2ª equipa masculina constituída por Pedro Razões Silva, Leandro Brito, David Paiva e Paulo Leirião terminaram a sua prova em 01h21m38s, alcançando o 16ºlugar.

Fonte: Escola de Triatlo do Clube de Natação de Torres Novas


 

“Equipa Portugal/Gémeos Oliveira sobem ao pódio em Madison”

Por: José Carlos Gomes

Os gémeos Ivo e Rui Oliveira formaram a dupla portuguesa que conseguiu o segundo lugar na prova de madison do Grande Prémio da Polónia, prova de classe 1 internacional, que decorreu em Pruszków.

A Equipa Portugal chegou à Polónia com as prioridades bem definidas: conquistar o máximo de pontos possível nas disciplinas olímpicas de omnium e de madison, tendo em conta o apuramento para a Taça do Mundo, essencial para as nações que tenham a ambição de estar presentes nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

Os objetivos foram alcançados. Ontem, Rui Oliveira ganhou o concurso de omnium, com o irmão a ser terceiro e Miguel do Rego sexto classificados. Hoje, a dupla composta pelos gémeos Oliveira acabou a corrida de madison em segundo lugar.

A prova de “americana” teve duas equipas que se digladiaram pelo triunfo, os portugueses e os britânicos, que deixaram as restantes formações mais distantes. Mark Stewart e Ethan Hayter concluíram a corrida com 39 pontos, apenas mais cinco do que Ivo Oliveira e Rui Oliveira. No terceiro lugar colocaram-se os ucranianos Taras Shevchuk e Vladyslav Scherban, com 19 pontos.

Além da prova de Madison, que encerrou o programa do Grande Prémio da Polónia, a Equipa Portugal competiu, neste domingo, na corrida por pontos masculina e em scratch feminino. Miguel do Rego foi o sexto classificado na corrida por pontos, ganha por Ethan Hayter. Maria Martis foi 13.ª em scratch, uma prova conquistada pela polaca Daria Pikulik.

Fonte: FPC