quarta-feira, 10 de maio de 2017

“RIDER - PASSEIO DE MOTOS CLÁSSICAS”

Viagem pelo património, cultura e gastronomia RIDER - PASSEIO DE MOTOS CLÁSSICAS REGRESSA AO CARAMULO TRÊS DIAS EM JUNHO 

Caramulo, 10 de maio de 2016 – O Museu do Caramulo, em parceria com a EDC – Associação de Eventos do Caramulo, organiza nos dias 17, 18 e 19 de junho, a sétima edição do Rider – Passeio de Motos Clássicas. Para a edição deste ano, e confirmando o sucesso de passeios anteriores, a organização alargou a duração do evento para três dias, propondo um fim-de-semana alargado ao comando das motos clássicas. 

O passeio decorrerá na Região Centro de Portugal, tendo como ponto de partida e chegada o Museu do Caramulo em cada um dos dias, privilegiando as estradas secundárias e as paisagens naturais de montanha, beira-rio, aldeias típicas. Este passeio de quase 600km tem contado com a presença de participantes de diversas origens como Espanha, Inglaterra, Alemanha ou Holanda, para além da forte representação de participantes portugueses.  

O Rider é um passeio de endurance destinado a proprietários de motos históricas (com mais de 30 anos), que gostam de tirar o máximo prazer de condução da sua moto. Para acompanhar o passeio, a organização garante um veículo de assistência, com atrelado para motos, para que os participantes possam desfrutar do percurso sem preocupações. 
 

A inscrição em cada um dos dias, ou nos três dias do passeio, é absolutamente opcional, e pode ser feita até ao dia 2 de junho, através do preenchimento e envio do formulário que se encontra disponível para download em www.ridercaramulo.com    

Este evento conta com o apoio do Museu do Caramulo, da Câmara Municipal de Tondela, da MotoCiclismo Clásico, do Jornal dos Clássicos, da CMS Helmets e do Banco BPI.   

Sobre o Museu do Caramulo  Com mais de 60 anos de existência e visitado por mais de um milhão e meio de pessoas, o Museu do Caramulo alberga no seu espólio uma coleção de arte, uma coleção de automóveis, motos e bicicletas e uma coleção de brinquedos antigos. O Museu do Caramulo produz ainda, de forma regular, exposições temáticas e temporárias, e organiza vários eventos como o Salão Motorclássico, o Caramulo Motorfestival, o Espírito do Caramulo, a Noite dos Museus ou o Rider. Mais informação em www.museu-caramulo.net

Fonte: Museu Caramulo/Parceria Notícias do Pedal

“Nos trilhos das Operações Especiais 2017”

No dia 4 de Junho de 2017, irá realizar-se na Galvã, freguesia do concelho de Lamego, o I BTT GPS – NOS TRILHOS DAS OPERAÇÕES ESPECIAIS. Trata-se de um passeio de BTT totalmente isento de competição com a opção de uma de duas distâncias (25 ou 40 km) e para o qual, estamos a fazer de tudo para que seja uma atividade inovadora no nosso concelho, começando pela orientação GPS, passando pelas bonitas paisagens do nosso concelho, até aos excelentes trilhos (alguns deles criados propositadamente para este evento).

Este passeio tem como principais objetivos, fomentar a atividade física, o convívio, a aventura em cima das duas rodas por orientação GPS, maximizar o prazer de andar de bicicleta e dar a conhecer a nossa região, não apenas pela vertente desportiva, como também pela vertente gastronómica e sociocultural.

Os atletas que queiram participar neste passeio e que não tenham GPS, poderão fazê-lo, desde que devidamente acompanhados por outro atleta que tenha este sistema de navegação.

A ALB Lamego Bike, reconhecida por todos pela excelência organizativa de outros eventos velocipédicos, convida todos os amantes do BTT a participarem neste passeio, onde não irá faltar ao longo dos trilhos, a bifana, o vinho, a cerveja, os doces típicos da região, o presunto, os típicos caretos de Lazarim, os bombos e muitas outras surpresas… finalizando o convívio com um magnífico almoço.

Tudo está reunido para um grande dia de BTT, faltando apenas a sua presença…

Altimetrias

Altimetria do Percurso Longo (42Km) Altimetria do Percurso Curto (22Km)

Taxas e Inscrições

Federado – 5€

Não Federado – 6€

Almoço – 7€

Almoço Acompanhantes – 8€

Inscrições a cargo do site chrono.pt e podem ser efectuadas aqui

O Regulamento pode ser descarregado aqui

Programa

08:00 – Abertura do secretariado

09:15 – Encerramento do secretariado

09:30H – Início do Passeio de 40Km

09:45H – Início do Passeio de 25Km

13:00H – Início do almoço

16:00H – Fim do evento

Localizaçao do Secretariado, Banhos, Almoço

Campo de Futebol da Galvã, Lamego. O Mapa seguinte demonstra o caminho a seguir a partir da rotunda de acesso à A24 em Lamego.

Ementa

Entradas Sopa Feijoca no pote Fruta Variada Bebidas (água, sumos, cerveja e vinho) Café

Programa para acompanhantes

Passeio turístico (Autocarro)

Fonte: Lamego Bike

“Equipa Portugal/Luís Costa na Taça do Mundo de Paraciclismo”

A Equipa Portugal vai estar representada por Luís Costa nas duas primeiras etapas da Taça do Mundo de Paraciclismo, nos próximos dois fins-de-semana, em Itália e na Bélgica.

Luís Costa compete na classe H5, aquela em que terminou a Taça do Mundo de 2016 na segunda posição. Para as duas primeiras provas, o selecionador nacional de paraciclismo, José Marques, espera ver o corredor luso, que foi oitavo nos últimos Jogos Paralímpicos, perto dos primeiros lugares.

“Esperamos que o Luís Costa prossiga a trajetória que o tem vindo a aproximar dos melhores do mundo. O objetivo é que consiga ficar perto da frente da corrida, se possível entrando na discussão. Ficar no top 5 seria muito bom”, entende José Marques.

A primeira etapa da Taça do Mundo realiza-se em Maniago, Itália. Na sexta-feira, 12 de maio, Luís Costa disputa o contrarrelógio individual de 11,4 quilómetros, durante a manhã. No dia seguinte, às 14h00, parte para a prova de fundo, de 63,9 quilómetros.

A segunda manga da Taça do Mundo acontece no fim-de-semana seguinte, em Ostend, Bélgica. Luís Costa compete no contrarrelógio individual de 15 quilómetros, na manhã de dia 19. No dia 20, às 13h30, inicia a prova de fundo, que terá 48 quilómetros.

Além da representação da Seleção Nacional, a cargo de Luís Costa, Portugal estará representado em Maniago por Carlos Santos, que compete, a título individual, na classe C5.

Fonte: FPC

“Agenda de Ciclismo”

Taça de Estrada e de XCO na região Centro

A região Centro é palco da Taça de Portugal, no próximo fim de semana. No Fundão corre-se, no domingo, a terceira corrida da Taça de Portugal de Cross Country Olímpico (XCO), enquanto no Dão se disputa, sábado e domingo, a final da Taça de Portugal – Jogos Santa Casa de Elite e Sub-23 na vertente de estrada.

O XCO do Fundão é uma corrida internacional, inscrita no calendário UCI como competição de classe 2. Estão inscritos mais de 300 corredores, que vão pedalar no Parque do Convento, em plena serra da Gardunha, a partir das 9h00, horário de partida dos veteranos, dos cadetes e dos paraciclistas. Às 11h00 competem as femininas e os juniores masculinos. Às 14h30 inicia-se a competição de elite.

A Taça de Portugal – Jogos Santa Casa de Elite e Sub-23 decide-se com a terceira e última prova pontuável, o Grande Prémio do Dâo, que vai disputar-se, em duas etapas, sábado e domingo. O arranque dá-se com um contrarrelógio de 19,5 quilómetros, que tem partida e final e Nelas. O primeiro ciclista sai da rampa de lançamento às 16h00 de sábado.

No dia seguinte, às 12h00, será dado o tiro de partida para a segunda e última etapa, uma ligação de 152 quilómetros, entre a Câmara Municipal de Penalva do Castelo e os Paços do Concelho de Viseu. A chegada está prevista para as 15h50, à quarta passagem dos corredores pela linha de meta.

Mais eventos oficiais

13 e 14 de Maio: Enduro World Series, Madeira

13 de maio, 7h00: Barrada Ultra Marathon 150, Águeda

13 de maio, 10h00: Encontro de Escolas de Rio de Mouro, Sintra

13 de maio, 14h30: XXVIII Grande Prémio Arca de Noé, Vila Nova de Gaia

13 de maio, 14h30: Encontro de Escolas de Ciclismo de S. Miguel, Açores

14 de maio, 9h30: 3.º BTT Nos Trilhos de Santa Marta, Fontes, Santa Marta de Penaguião

14 de maio, 9h30: Troféu CPT do Algarve, Quarteira

14 de maio, 11h00: 4.º Prémio de Ciclismo de Alverca

14 de maio, 13h00: 3.º DHI S. Torcato, Guimarães

14 de maio, 15h00: Subida ao Observatório, Vila Nova, Miranda do Corvo

Fonte: FPC

“Fernando Gaviria vence 5.ª etapa ao sprint”

Colombiano impõe-se na chegada a Messina e bisa na prova deste ano

Foto: EPA

O colombiano Fernando Gaviria somou a segunda vitória na Volta a Itália deste ano ao triunfar na 5.ª etapa da prova - já tinha ganho a 3.ª tirada -, disputada esta quarta-feira entre Pedara e Messina, na Sicília. Numa jornada com 159 km, o ciclista da Quick-Step impôs-se no sprint final, relegando o italiano Jakub Mareczko e o irlandês Sam Bennett para os lugares imediatos.
Face à chegada em pelotão compacto, não se registaram alterações no topo da classificação geral. O luxemburguês Bob Jungels, igualmente da Quick-Step, mantém a camisola rosa, símbolo de líder do Giro, com seis segundos de vantagem sobre o britânico Geraint Thomas (Team Sky).

Classificação da 5.ª etapa
1. Fernando Gaviria (Colômbia/Quick-Step), 3:40:11'' horas
2. Jakub Mareczko (Itália/Wilier Triestina), m.t.
3. Sam Bennett (Irlanda/BORA), m.t.
4. Andre Greipel (Alemanha/Lotto), m.t.
5. Phil Bauhaus (Alemanha/Sunweb), m.t.
6. Kristian Sbaragli (Itália/Dimension Data), m.t.
7. Ryan Gibbons (África do Sul/Dimension Data), m.t.
8. Roberto Ferrari (Itália/UAE Team Emirates), m.t.
9. Jasper Stuyven (Bélgica/Trek), m.t.
10. Enrico Battaglin (Itália/LottoNL), m.t.

Classificação geral
1. Bob Jungels (Luxemburgo/Quick-Step), 23:22:07"
2. Geraint Thomas (Grã-Bretanha/Team Sky), +6"
3. Adam Yates (Grã-Bretanha/Orica), +10"
4. Domenico Pozzovivo (Itália/AG2R), m.t.
5. Vincenzo Nibali (Itália/Bahrain), m.t.
6. Nairo Quintana (Colômbia/Movistar), m.t.
7. Tom Dumoulin (Holanda/Sunweb), m.t.
8. Bauke Mollema (Holanda/Trek), m.t.
9. Tejay van Garderen (Estados Unidos/BMC Racing), m.t.
10. Andrey Amador (Costa Rica/Movistar), m.t.

Fonte: Record on-line

“Oi” : UM NOVO TIPO DE TOQUE"

KNOG LANÇOU UMA REVOLUCIONÁRIA CAMPAINHA DE BICICLETA

A marca Australiana de acessórios de ciclismo Knog - mais conhecia pelos seus conjuntos de luzes- colocou no mercado um novo estilo e completamente distinto de campainha de bicicleta. A “Oi”, o seu nome é devido à sua forma peculiar e única de “O” e seu design cativante.

A Knog não  criou apenas uma nova campainha de bicicleta, mas re-imaginou  a ideia antiga que a campainhas deveriam ter um formato de abóboda.

“As campainhas são as primeiros acessórios que retiramos  da nossa nova bicicleta”  explicou Hugo Davidson CEO da Knog.

“E, se proventura essa campainha tivesse um design espectacular com um som ainda melhor ? Se fosse discreta, mas com um aspecto moderno e elegante. Com a “Oi” pretendemos apelar a um leque alargado de personalidades e estilos de ciclismo sem comprometer ninguém.” Davidson refere-se assim aos diferentes tipos de acabamento existentes, e duas medidas para encaixe perfeito em todas as hastes de guiador.

Distribuição oficial para Portugal : Sociedade Comercial do Vouga - www.knog.com.au

Fonte: Sociedade Comercial do Vouga

“21º Passeio de Cicloturismo de Pombal”

Por: Armando Vieira

Pombal, acolheu no último domingo, numa manhã cheia de sol (finalmente não choveu) e de calor, mais um encontro nacional de cicloturismo, numa data penalizadora para a antiqua modalidade pois a maior parte dos amantes das bicicletas foram até ao Douro. A concentração iniciou-se a partir das 8 horas, junto do terminal rodoviário e com o Arunca a espreitar, local onde as equipas se foram reunindo e se preparando para um grande passeio de bicicletas, com a qualidade já há muito reconhecida por todos que participam nestes eventos e que, nos seus melhores momentos, ficou registado nas fotos captadas pelos improvisados fotógrafos da casa.

À hora prevista, 09h15, o pelotão constituído por mais de 60 cicloturistas, protegido pelo Grupo Motard Marquês de Pombal e sob a orientação do diretor Carlos Serra, lá partiu para norte, até ao limite da freguesia de Almagreira, regressando à freguesia de Pombal pela sua congénere Pelariga, sempre ao lado da Linha do Norte e, às vezes, na companhia de um ou outro comboio. Os primeiros suados 30 km estavam percorridos e era tempo de parar no Cardal para recuperar as forças sob o olhar do Marquês.

Onze horas, hora de voltar à estrada e pôr as afinadas bicicletas a rolar, numa segunda parte com algumas inclinações, o que permitiu algumas vezes elastificar, o já maduro e resistente pelotão, onde se notavam os amarelos da casa e os azuis do Gafetense por serem as equipas mais numerosas. Com a mesma linha à vista, visitou-se as freguesias de Vermoil, Albergaria dos Doze e, já de volta, lá se passou por Santiago de Litém. O final, às 12h30, foi junto da zona desportiva, onde os participantes se revigoraram com um bem merecido banho, depois de terem pedalado 62 km à agradável média de 23 k/h.

Seguiu-se o habitual almoço convívio e entrega de prémios que, como em anos anteriores, teve lugar na ADERCE. Aqui, o Clube de Cicloturismo de Pombal homenageou publicamente o Dr. Diogo Mateus, presidente da câmara municipal, a quem foi entregue uma placa de agradecimento, pelo apoio, carinho e confiança que sempre depositou no clube.

Destaque também para a presença do deputado da AR Dr. Pedro Pimpão que, em ambiente desportivo e de sã amizade conviveu com todos os presentes.

 De seguida procedeu-se à entrega dos prémios e lembranças, começando-se pela equipa anfitriã, seguindo-se as equipas SCGD do Banco de Portugal de Lisboa, GC Gafetense do Crato, Os Amigos do Brogal de Leiria, Os Cansados de Marinhais de Salvaterra de Magos, Cantinho do Avô de Alcanhões, Os Audazes da Figueira da Foz, ADR Vilanovense de Cernache, Casa Josil de Tomar, Glótins de Minde e ex-Ases do Pedal de Marinha Grande. A equipa de Gáfete, representada pela sempre jovem e adorável presidente Maria Antónia, conquistou os troféus Município de Pombal e Crédito Agrícola por ter sido a equipa de mais longe e a mais numerosa.

Finalmente, o Clube de Cicloturismo de Pombal mui agradece à CMP, BVP, GMMP, ADERCE, PSP, CA, Silva & Santos Renault, Sicódrink, Sicópão, Frutaria Alfredo JV Marques, Churrasqueira Pérola dos Frangos, imprensa local, associados e colaboradores, contribuindo todos para o êxito alcançado neste XXI Passeio Anual de Cicloturismo de Pombal.   

Fonte: Clube Cicloturismo de Pombal

“25ª Edição Lisboa Antiga de Bicicleta”

Dia 4 de Junho de 2017

Lisboa, Praça do Comércio – 9,30 Horas

Texto e cartaz: José Morais

Lisboa, uma das mais belas capitais da Europa, prepara-se para receber no próximo dia 4 de junho, mais uma edição de “Lisboa Antiga de Bicicleta”, este ano fazendo 25 anos, comemorando assim as bodas de prata.

O evento, organizado pela Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB), propõe mais uma vez um passeio turístico por Lisboa em bicicleta, no âmbito do dia mundial do ambiente, onde através da bicicleta, pretende promover, divulgar, conhecer Lisboa de bicicleta, ao mesmo tempo, valorizar a oferta turístico-cultural de Lisboa, património, gastronomia, artesanato, arquitetura, entre outros.

E para participar basta possuir uma bicicleta, seja ela de btt, dobrável, citybike, ou convencional, e ainda vontade de conhecer Lisboa de uma forma saudável e ecológica, ao mesmo tempo, promover a utilização da bicicleta como forma de mobilidade sustentável, não poluente, ecológica e saudável, quer como meio de lazer, ou uma forma de conhecer o outro lado de uma cidade, ou ainda para as pequenas deslocações pendulares, casa – trabalho ou casa – escola, ainda despertar a população da capital para a liberdade individual e de movimentos que a bicicleta representa, fomentando ainda o convívio, a cultura e o lazer.

Com um percurso de aproximadamente 15 quilómetros, são convidados os participantes a subir e descer algumas das calçadas típicas de Lisboa, como a Calçada do Lavre, da Glória, e a Calçada da Bica, havendo ainda ao longo do trajeto, quatro pontos de encontro, um no Miradouro das Porta do Sol, outro no Jardim S. Pedro de Alcântara, mais um na Torre de Belém, e por final no Largo do Carmo, local onde termina esta pedalada cheia de adrenalina

A Concentração será pelas 8h30 na Praça do Comercio, com a partida a ser dada pelas 9h30, com chegada ao Largo do Carmo pelas 12h30, para informações e inscrições podem ser feitos os contatos, pelos telefones: 213 159 648 ou 912 504 851, ou pelo mail: fpcub@fpcub.pt, sendo oferecido a todos os participantes, uma T-Shirt, oferecida pelo El Corte Inglês.

Venha participar neste grande evento, marque já a sua presença, já que “Lisboa Antiga de Bicicleta” é uma verdadeira descoberta da cidade, apreciada num ritmo suave e sem stress, desmistificando a alegada dificuldade das sete colinas, que muitos referem.

“Cápsula do tempo: Joaquim Agostinho faleceu há 33 anos”

Por: José Macário

Foi há 33 anos que Joaquim Agostinho faleceu, depois de dez dias em coma em consequência de um acidente na Volta ao Algarve de 1984.

Foi em 1984 que uma queda levou o unanimemente considerado “melhor ciclista português de todos os tempos”. Decorria a quinta etapa da Volta ao Algarve daquele ano e Joaquim Agostinho estava a meros 300 metros da meta quando um cão que se atravessou no seu caminho levou à queda do ciclista do Sporting. Por não levar capacete, prática comum na época, a queda originou um hematoma epidural agudo no crânio do atleta, mas tal não o impediu de terminar a etapa, combalido e apoiando-se nos colegas de equipa. Transportado para Lisboa e operado 10 horas depois do acidente, Joaquim Agostinho haveria de ficar em coma, sucumbindo a 10 de maio de 1984, aos 41 anos.

Curiosamente, Joaquim Agostinho só aprendeu a pedalar aos 23 anos, demasiado tarde para o que é habitual, mas isso não deteve este natural de Brejenjas, em Torres Vedras, que depois de vencer o Campeonato Nacional de Fundo para Amadores foi incluído na equipa do Sporting para a Volta a Portugal de 1968, estreando-se com um segundo lugar. Em 1969 não haveria de ir além do sétimo posto, mas triunfou nas três edições seguintes.

Ao longo da sua carreira contou ainda com quatro vitórias em etapas da Volta a França e dois terceiros lugares (1978 e 1979), bem como com um segundo lugar na Vuelta de 1974. Ganhou seis vezes o Campeonato Nacional de fundo, a que somou títulos nacionais de perseguição individual em 1971 e de contrarrelógio por equipas em 1968 e 69, entre vários prémios conquistados com a camisola do Sporting. Tais feitos valeram-lhe quatro Prémios Stromp na categoria Atleta Profissional, conquistados nos anos de 1968, 1969, 1971 e 1972, aos quais se juntaria ainda um quinto, na categoria Saudade, atribuído a título póstumo em 1984.

Fonte: Jornal Económico on-line