sexta-feira, 19 de maio de 2017

“Novo site Ponto Oficial Shimano”

www.pontooficialshimano.pt

A Vouga colocou online a nova plataforma ‘Pontos Oficiais Shimano’ um site de fácil navegação para o utilizador de bicicletas que procura informação sobre lojas especializadas próximas da sua área de residência.

Neste novo site é possível fazer uma pesquisa por nome da loja ou por localização. Cada Ponto Oficial Shimano tem à sua disposição uma ficha de apresentação, onde o consumidor tem acesso imediato a diversos dados da loja, como horário, contactos, website, endereço e serviços que a loja disponibiliza.

Brevemente poderá também encontrar neste site uma área de campanhas específicas para cada Ponto Oficial.

O Que é um Ponto Oficial Shimano?

Um local reconhecido de venda de produtos Shimano, com particular foco nos chamados produtos de manutenção e poderá ser a loja eleita por um consumidor para iniciar a manutenção e reparação da sua bicicleta.

Os pontos de venda oficiais Shimano são lojas que confiam na qualidade dos componentes e peças de reparação originais Shimano e que garantem um stock permanente de peças originais, assegurando desta forma um fornecimento melhor, atempado e capaz ao utilizador, de modo que a bicicleta possa estar sempre funcional e com a garantia de máxima fiabilidade assegurada pelas Peças Originais Shimano.

Agregados à disponibilidade de Peças Originais Shimano, os Pontos Oficiais SHIMANO garantirão também a disponibilidade de um sortido adequado de componentes e acessórios PRO de modo a poder satisfazer eventuais pretensões dos consumidores.

Os Pontos Oficiais Shimano estão repartidos por todo o território nacional.

Pontos Oficiais Especializados

Todas as lojas incluídas nesta rede têm acesso direto ao site Shimano-T.E.C., uma plataforma de formação técnica online, onde os mecânicos devem realizar cursos sobre as mais recentes tecnologias e componentes da Shimano. Toda a formação é complementada com certificação por parte da Shimano Europa. 

É possível ainda encontrar neste site uma área onde o consumidor pode descarregar diversos catálogos online e alguns acessos mais relevantes a sites da Shimano.

Este novo site, totalmente em português, vem complementar a forte presença da Shimano nas redes sociais, sobretudo no Facebook e Twitter.

Distribuidor Oficial Shimano

Sociedade Comercial do Vouga, Lda

Fonte: Sociedade Comercial do Vouga

“Quarta vitória para Fernando Gaviria”

Colombiano volta a impor-se numa chegada ao sprint na 13.ª etapa

Por: Giro

O colombiano Fernando Gaviria (Quick-Step Floors) venceu esta sexta-feira a 13.ª etapa da Volta a Itália e somou a sua quarta vitória na presente edição (a 100.ª da prova), enquanto o holandês Tom Dumoulin (Sunweb) manteve a camisola rosa, símbolo da liderança.

Gaviria, que consolidou a liderança da classificação por pontos, completou os 167 quilómetros entre Reggio Emilia e Tortona em 3:47.45 horas, impondo-se no sprint final ao irlandês Sam Bennett (Bora-hansgrohe) e ao belga Jasper Stuyven (Trek-Segafredo), segundo e terceiro, com o mesmo tempo do jovem colombiano, de 22 anos.

Tom Dumoulin concluiu a tirada integrado no pelotão e vai continuar a envergar a camisola rosa à partida para a 14.ª etapa, no sábado, uma ligação de 131 quilómetros com início em Castellania e final na subida para o santuário de Oropa, uma contagem de montanha de primeira categoria que volta a pôr à prova os favoritos ao triunfo final.

Rui Costa (UAE Team Emirates) continua a ser o melhor português, ocupando a 14.ª posição na geral, a 6.29 minutos do líder, depois de ter terminado a etapa no 66.º lugar, integrado no pelotão. O campeão luso de estrada José Mendes (Bora Hansgrohe) foi 82.º e subiu a 42.º na geral, enquanto José Gonçalves (Katusha-Alpecin) cedeu 3.09 minutos em relação ao vencedor da tirada e caindo dois lugares, para 72.º na geral.

Classificação da 13.ª etapa

1. Fernando Gaviria (Colômbia/Quick-Step), 3:47:45"

2. Sam Bennett (Irlanda/Bora), m.t.

3. Jasper Stuyven (Bélgica/Trek), m.t.

4. Roberto Ferrari (Itália/UAE Team Emirates), m.t.

5. Ryan Gibbons (África do Sul/Dimension Data), m.t.

6. Ruediger Selig (Alemanha/Bora), m.t.

7. Sacha Modolo (Itália/UAE Team Emirates), m.t.

8. Caleb Ewan (Austrália/Orica), m.t.

9. André Greipel (Alemanha/Lotto), m.t.

10. Vyacheslav Kuznetsov (Rússia/Katusha), m.t.

Classificação geral

1. Tom Dumoulin (Holanda/Sunweb), 56:28:53"

2. Nairo Quintana (Colômbia/Movistar), +2:23"

3. Bauke Mollema (Holanda/Trek), +2:38"

4. Thibaut Pinot (França/FDJ), +2:40"

5. Vincenzo Nibali (Itália/Bahrain), +2:47"

6. Andrey Amador (Costa Rica/Movistar), +3:05"

7. Bob Jungels (Luxemburgo/Quick-Step), +3:56"

8. Domenico Pozzovivo (Itália/AG2R), +3:59"

9. Tanel Kangert (Estónia/Astana), m.t.

10. Ilnur Zakarin (Rússia/Katusha), +4:17"

(...)

14. Rui Costa (Portugal/UAE Team Emirates), +6:29"

42. José Mendes (Portugal/Bora), +38:38"

72. José Gonçalves (Portugal/Katusha), +59:06"

Fonte: Record on-line

“Pirazzi e Ruffoni despedidos depois de acusarem doping"

Testes feitos antes da Volta a Itália

Por: Lusa

Os ciclistas italianos Stefano Pirazzi e Nicola Ruffoni, da Bardiani CSF, foram despedidos esta sexta-feira da equipa italiana ao verem confirmados os resultados positivos do controlo antidoping a que foram sujeitos antes da Volta a Itália.
Os dois ciclistas, que estavam escalados para participar no Giro, foram suspensos preventivamente a 4 de maio, segundo anunciou a
União Ciclista Internacional (UCI), depois de terem sido 'apanhados' num controlo surpresa em abril, vendo agora os resultados confirmados na contra-análise.

Além de terem abandonado a equipa do escalão continental, que participa na 100.ª edição da 'corsa rosa' com apenas seis ciclistas, Ruffoni e Pirazzi vão sofrer sanções por terem acusado uma hormona de crescimento.
Também a Bardiani poderá sofrer uma suspensão, que pode oscilar entre os 14 e os 45 dias, com a decisão final nas mãos da Comissão Disciplinar da UCI, que poderá suspender a formação ainda durante o Giro, impedindo-a de terminar a prova, cuja última etapa está marcada para 28 de maio.
Pirazzi, de 30 anos, vencedor de uma etapa do Giro em 2014, deveria chefiar a equipa, na sua sétima participação na corrida, enquanto Ruffoni, de 26 anos, iria participar na 'corsa rosa' pela quarta vez.

Fonte: Record on-line

“Geraint Thomas abandona”

Britânico não aguentou as dores da queda de domingo

Por: Lusa

O britânico Geraint Thomas, vítima de uma queda no domingo, abandonou esta sexta-feira o Giro, anunciou a equipa Sky, antes da partida da 13.ª etapa, em Reggio Emilia.
Thomas, que ocupava o 15.º lugar da geral, a quase sete minutos do líder, o holandês Tom Dumoulin da Sunweb, viu goradas as suas hipóteses de lutar pela vitória devido à queda provocada por uma mota da polícia, na nona etapa.

"Tenho dores desde o acidente. Tenho um problema nas costas que é suportável, mas a dor no joelho piora diariamente. O Giro era o meu objetivo principal desta época, mas agora tenho de olhar para a frente", afirmou o galês, que na terça-feira conseguiu o segundo lugar no contrarrelógio de Montefalco, atrás de Dumoulin.
Vencedor da Volta ao Algarve em 2015 e 2016, Thomas era inicialmente um dos candidatos a vencer o Giro, partilhando a liderança da equipa com o espanhol Mikel Landa, que também se viu envolvido na queda de domingo e está a mais de 40 minutos do camisola rosa.
"Agora vou-me virar para a Volta a França. Gostava de lá chegar na mesma boa forma com que cheguei ao Giro", acrescentou Thomas, que na próxima quinta-feira completa 31 anos. Campeão olímpico de pista em 2008 e 2012, deverá ser um dos escudeiros do britânico Chris Froome no Tour, na sua tentativa de alcançar a quarta vitória.
O diretor geral da equipa, Dave Brailsford, lamentou o abandono de Thomas, considerando que, "como sempre, mostrou um verdadeiro espírito de combate", e sublinhou que a equipa deve "velar para que as suas lesões sejam tratadas da melhor forma".

Fonte: Record on-line

“Equipa Portugal/Gonçalo Carvalho é o melhor luso na Ronde de l’Isard”

O português Gonçalo Carvalho, 22.º classificado, foi hoje o melhor elemento da Equipa Portugal na segunda etapa da Ronde de l’Isard, uma ligação de 146 quilómetros, entre Salies de Salat e Hospice de France, ganha pelo russo Pavel Sivakov (BMC Development Team).

Depois de a etapa de ontem ter sido cancelada, devido ao mau tempo e a falta de condições de segurança, foi a tirada de hoje a determinar o primeiro alinhamento classificativo. Por isso, foi muito disputada, com um grupo de nove corredores, entre os quais alguns favoritos, a fugir ao pelotão na primeira metade da viagem, chegando ao sopé da subida de primeira categoria onde finalizou a jornada com cerca de dois minutos sobre o pelotão.

Pavel Sivakov desembaraçou-se dos colegas de fuga e ganhou isolado, com 1m18s de vantagem sobre o belga Bjorg Lambrecht (Lotto Soudal U23), vencedor da edição transata da corrida. O terceiro foi outro belga, Steff Cras (BMC Development Team), a 1m25s.

Gonçalo Carvalho foi o português que melhor resistiu às dificuldades, aos rivais e às adversidades, terminando a etapa na 22.ª posição, a 3m08s. Tiago Antunes foi 36.º, a 3m22s. Gaspar Gonçalves cruzou a linha no 37.º lugar, a 3m52s. Venceslau Fernandes foi 41.º, a 4m19s. André Carvalho furou no início da escalada final, foi recuperando posições ao longo da subida, mas não conseguiu melhor do que o 61.º lugar, a 6m52s, comprometendo as aspirações de bater-se pela geral. Hugo Nunes fechou a representação nacional, no 68.º posto, a 7m31s.

Como esta foi a primeira etapa contabilizada, os resultados de hoje espelham a classificação geral. Gonçalo Carvalho é 22.º, a 3m19s, Tiago Antunes é 26.º, a 3m33s, Gaspar Gonçalves é 37.º, a 4m03s, Venceslau Fernandes é 41.º, a 4m30s, André Carvalho é 61.º, a 7m03s, e Hugo Nunes é 68.º, a 7m42s.

A terceira etapa da competição, a disputar neste sábado, vai levar a caravana de Quillan até Plateau de Beille, ao longo de 143,7 quilómetros, marcados pela alta montanha. A meta coincide com uma contagem de primeira categoria.

A subida de Plateau de Beille tem 15,9 quilómetros de extensão e uma inclinação média de 7,9 por cento. É uma dificuldade que os mais rápidos costumam ultrapassar em cerca de 45 minutos. Plateau de Beille já recebeu seis chegadas da Volta a França, coroando vencedores como Marco Pantani, Alberto Contador ou Joaquim Rodríguez.

A tirada contempla outas duas escaladas de primeira categoria, podendo considerar-se a etapa-rainha de uma competição para avaliar a qualidade dos trepadores do pelotão sub-23.

Fonte: Record on-line 

“Grande Prémio Beiras e Serra da Estrela”

Três dias internacionais nas Beiras e Serra da Estrela

O Grande Prémio das Beiras e Serra da Estrela corre-se de 2 a 4 de junho fazendo parte, pelo segundo ano consecutivo, do calendário da União Ciclista Internacional. É uma corrida de classe 2.1. A apresentação realizou-se na tarde desta sexta-feira, tendo Castelo de Belmonte como cenário.

A competição vai levar o pelotão a completar 554 quilómetros, num traçado sinuoso que inclui dez prémios de montanha.

A primeira etapa é a mais acessível, não sendo de estranhar que os 199 quilómetros que vão ligar Penamacor a Celorico da Beira terminem com uma chegada ao sprint, apesar de o itinerário conter três subidas pontuáveis para a classificação dos trepadores, todas de terceira categoria.

A segunda viagem é ligeiramente mais curta, levando a caravana de Fornos de Algodres até Trancoso, através de um traçado de 192 quilómetros, durante o qual os ciclistas terão de subir duas montanhas de terceira categoria e uma de segunda.

O Grande Prémio das Beiras e Serra da Estrela encerra com a etapa-rainha, uma ligação de 163 quilómetros, entre Belmonte e Manteigas, que sobe ao alto da Torre, a partir de Seia. A passagem no ponto mais alto de Portugal Continental acontece a 25 quilómetros da chegada.

A prova contará com 17 equipas, oriundas de oito países. Portugal é o país mais representado, através da Equipa Portugal e das seis equipas continentais, Efapel, LA Alumínios-Metalusa BlackJack, Louletano-Hospital de Loulé, RP-Boavista, Sporting-Tavira e W52-FC Porto. De Espanha chegam a continental profissional Caja Rural-Seguros RGA e as continentais Burgos BH e Euskadi Basque Country-Murias. O Kuwait vai fazer-se representar pelas formações Kuwait-Cartcuho.es e Massi-Kuwait Cycling Project. Somam-se as equipas continentais Bike Aid (Alemanha), Equipo Bolivia (Bolívia), JLT Condor (Grã-Bretanha), Lokosphinx (Rússia) e Team Sapura Cycling (Malásia).

Fonte: FPC

“Equipa Portugal/Luís Costa quinto no contrarrelógio em Ostende”

O português Luís Costa foi hoje o quinto classificado na prova de contrarrelógio para a classe H5 na etapa da Taça do Mundo de Paraciclismo, que decorre em Ostende, Bélgica.

O campeão nacional cumpriu os 15 quilómetros do exercício individual em 26m39s, mais 2m34s do que o vencedor, o holandês Tim de Vries, que se tem revelado imbatível, pois ganhou as três corridas da Taça do Mundo já disputadas nesta temporada. O neerlandês foi acompanhado no pódio pelo australiano Stuart Tripp, que gastou mais 38 segundos, e pelo estadunidense Óscar Sánchez, que ficou a 1m35s.

O paraciclista luso soma três quintos lugares em outras tantas corridas da Taça do Mundo na presente temporada, afirmando-se como um corredor da primeira metade da tabela classificativa.

Luís Costa volta a representar a Equipa Portugal já amanhã. Às 13h00 parte para os 56 quilómetros da prova de fundo.

Fonte: FPC

“Daniel Mestre lidera classificação por pontos”

Ciclista da EFAPEL foi segundo na chegada a Santibañez de la Peña

A equipa EFAPEL prometeu e cumpriu. Se o objectivo passava por lutar por vitórias em etapas na Vuelta a Castilla y León, foi isso que aconteceu logo no primeiro dia. Daniel Mestre foi o mais forte na chegada logo atrás do homem que venceu fugido e subiu ao pódio como líder da classificação por pontos. A estrutura comandada por Américo Silva é a melhor na tabela das equipas.

Na primeira etapa da Vuelta a Castilla y León, a EFAPEL foi protagonista em praticamente todos os momentos da corrida. Primeiro porque colocou dois corredores na fuga do dia. Daniel Mestre e Jesus del Pino defenderam as cores da equipa liderada por Américo Silva num grupo de 15 ciclistas. Mas destes, apenas o russo Alexander Evtushenko conseguiu manter-se isolado e bateu a concorrência com uma vantagem de sete segundos.

No final, o grupo que chegou a seguir contava com Daniel Mestre entre os corredores. O ciclista da EFAPEL foi o mais forte e conseguiu superiorizar-se numa discussão ao sprint. Com este resultado, subiu ao pódio para vestir a camisola azul, que representa a liderança na classificação por pontos, e ocupa o segundo lugar da geral individual a nove segundos do líder.

“A etapa de hoje foi muito muito boa. Só faltou a vitória para ser muitíssimo boa”, afirmou o director desportivo da EFAPEL. Com este resultado, a equipa vai tentar manter os bons desempenhos, mesmo se o dia de amanhã foi desenhado para puros trepadores. São quase 170 quilómetros com quatro montanhas categorizadas. A última, a mais difícil, é de primeira categoria e coincide com a meta.

Classificação na etapa

    Alexander Evtushenko        Lokosphinx        3h58m35s

    Daniel Mestre                EFAPEL        a 7s

    Rafael Reis                Caja Rural        mt


13º    Jesus del Pino            EFAPEL        mt

27º    Rafael Silva                EFAPEL        a 22s

38º    Mateo Garcia                EFAPEL        mt

40º    Álvaro Trueba            EFAPEL        mt

97º    Sérgio Paulinho            EFAPEL        mt

103º    Henrique Casimiro            EFAPEL        mt

107º    Bruno Silva                EFAPEL        mt

Classificação individual após a primeira etapa

    Alexander Evtushenko        Lokosphinx        3h58m35s

    Daniel Mestre                EFAPEL        a 9s

    Rafael Reis                Caja Rural        mt


13º    Jesus del Pino            EFAPEL        a 18s

27º    Rafael Silva                EFAPEL        a 33s

38º    Mateo Garcia                EFAPEL        mt

40º    Álvaro Trueba            EFAPEL        mt

97º    Sérgio Paulinho            EFAPEL        mt

103º    Henrique Casimiro            EFAPEL        mt

107º    Bruno Silva                EFAPEL        mt

Fonte: Efapel