quinta-feira, 1 de março de 2018

“Como treinaram os campeões da europa?”

Como treinaram os campeões da europa é o mote para uma formação que irá realizar-se no dia 24 de março. Quer saber mais?

Em 2017 Portugal conquistou o título de Campeão da Europa de Juniores com o triatleta Vasco Vilaça e os títulos de Campeão da Europa na distância sprint e standard com o triatleta João Pereira.

Na formação – Como treinaram os campeões da europa – contamos com a presença dos treinadores responsáveis pelas respetivas preparações dos atletas vencedores dessas competições. Os treinadores irão partilhar aspetos relacionados com a Periodização e Planeamento do Treino, com ênfase nas diferenças existentes entre os ciclos preparatórios mais afastados da competição e os ciclos competitivos que têm por objetivo apontar a forma desportiva para um evento importante.

Vão estar presentes Lino Barruncho, treinador de Alto Rendimento pertencente à Comissão Técnica Nacional da FTP e treinador de vários atletas das Seleções Nacionais e Joachim Willen, de nacionalidade sueca e atleta Olímpico em Sydney2000, responsável pelo enquadramento do jovem Vasco Vilaça nas últimas 3 temporadas.

Esta ação está integrada no fim de semana da Taça da Europa de Quarteira e será acreditada pelo IPDJ, IP para efeitos de revalidação do título profissional de treinador de desporto.

Campeões da europa: Vasco Vilaça, Campeão (Juniores) e João Silva, (Sprint e Olímpico)

Como treinaram os campeões da Europa – Programa 24 de março:

8h00 – Receção aos participantes – Hotel Dom José, Quarteira

Abertura

8h30 – 10h00 – Lino Barruncho – Periodização e Planeamento do Treino para Atletas Elite de Alto Rendimento – Caso de Estudo João Pereira, bicampeão da Europa de Triatlo Elite 2017

10h00 – 10h20 – Coffee break e networking

10h20 – 11h50 – Joaquim Willen – Periodização e Planeamento para Atletas Juniores de Alto Rendimento – Caso de Estudo Vasco Vilaça, campeão da Europa e Vice-campeão do Mundo de Triatlo Júnior 2017 (comunicação em inglês)

Encerramento

Esta ação é aberta a treinadores, atletas, dirigentes e todos os interessados.

Valor: 15 Euros / Sócios ATTP: 12 Euros

Pode inscrever-se aqui: inscrição Formação ATTP Quarteira – 24MAR18

Para mais informações por favor contacte o e-mail abaixo:

Associação Treinadores Triatlo Portugal: geral.attp@gmail.com

Fonte: FTP

“CAMPEONATOS NACIONAIS DE ESTRADA JÁ TÊM LOCAL E DATA”

Ruben Guerreiro vai defender o seu título em Belmonte

Por: Pedro Filipe Pinto

Foto: Filipe Farinha

Os campeonatos nacionais de ciclismo de estrada deste ano terão lugar em Belmonte, concelho de Castelo Branco. O anúncio foi feito pelo Presidente da Câmara de Belmonte na última reunião camarária, na qual foi aprovado o protocolo que abrange a realização das provas de elites e sub-23 nas vertentes de contra-relógio e de estrada.

No que toca às datas, ainda podem sofrer alterações, mas apontam para os dias 22, 23 e 24 de Junho. Esta organização resultará de um investimento de cerca de 40 mil euros por parte da câmara municipal.

Fonte: Record on-line

“EFAPEL celebra a Primavera com clássica”

          Equipa começa competição de março com Clássica da Primavera

          Competição tem partida e chegada na Póvoa de Varzim

          Meteorologia pode condicionar em muito a corrida

          Prova marcada pelas várias subidas ao Monte de São Félix

A Equipa EFAPEL retoma a competição já no próximo domingo, dia 4 de março, com a primeira de três clássicas que se realizam durante o mês que agora começa. A Póvoa de Varzim recebe a Clássica da Primavera, naquela que será a 22ª edição da mesma, e na qual a formação liderada por Américo Silva pretende deixar a sua marca.

Com partida marcada para as 11 horas, a Clássica da Primavera apresenta-se como um desafio de 147 quilómetros, em que o factor diferenciador desta exigente corrida de um dia está nas sete contagens de montanha de terceira categoria coincidentes com a ascensão do Monte de São Félix. Perante uma prova tão particular, os nove ciclistas da Equipa EFAPEL estão concentrados e empenhados em obter o melhor resultado, conscientes das exigências do traçado definido pela organização, a Associação de Ciclismo do Porto e o C.D.C. Navais.

Para o director desportivo da Equipa EFAPEL, Américo Silva, fazer prognósticos numa clássica como esta não é tarefa fácil. “É uma corrida sempre difícil de fazer previsões devido ao facto de ter uma subida que se realiza várias vezes durante o circuito e que a última passagem está perto da meta”, afirmou. Para o responsável da formação de ciclismo, tais condicionantes não alteram o espírito que caracteriza a equipa que chega à Clássica da Primavera com ambição. “Os indicadores da Volta ao Algarve foram muito bons o que nos abre boas perspectivas no que toca á vitória final”, disse Américo Silva.

A partida da prova está marcada para as 11 horas, na Avenida Vasco da Gama. Cumpridos os quase 150 quilómetros, o vencedor será conhecido no mesmo sítio, por volta das 14h30.

 

Nome da prova

XXII Clássica da Primavera

 

Data4 de Março de 2018

 

Director desportivo

Américo Silva

 

Ciclistas

Bruno Silva (Trepador)

Daniel Mestre (Sprinter)

David Arroyo (Completo)

Henrique Casimiro (Trepador)

Jesus Del Pino (Trepador)

Marcos Jurado (Contra-relogista/Rolador)

Pedro Paulinho (Sprinter)

Rafael Silva (Rolador/Sprinter)

Sérgio Paulinho (Completo)

 Fonte: Efapel

“Campeonato do Mundo de Pista/Rui Oliveira foge para o melhor resultado de sempre”

Por: José Carlos Gomes

Rui Oliveira foi hoje o quinto classificado na prova de scratch do Campeonato do Mundo de Pista, ganha pelo bielorrusso Yauheni Karaliok, em Apeldoorn, Holanda. É o melhor resultado português de sempre em mundiais de elite.

A prova foi movimentada desde o início, com sucessivos ataques que não resultaram, até que, a 35 voltas do final, isolaram-se três homens, Yauheni Karaliok, o italiano Michele Scartezzini e o australiano Callum Scotson. que dobraram o pelotão e guardaram para o final a distribuição dos lugares no pódio.

Com as medalhas praticamente entregues, depois de consumada a volta de vantagem do trio mais afoito da corrida, restava aos restantes ciclistas lutar pelas posições de honra. Rui Oliveira correu de forma inteligente. Sabendo que, numa chegada em sprint, muitos concorrentes poderiam bater-se pelos melhores lugares, o gaiense atacou de longe.

A cinco voltas do final, num momento em que o pelotão vivia um período de marcação e de relativa acalmia antes do lançamento do sprint, Rui Oliveira atacou, conseguiu destacar-se e já não foi alcançado pelo pelotão. Deste modo terminou no quinto posto. A vitória foi para Yauheni Karaliok, seguido pelo italiano Michele Scartezzini e pelo australiano Callum Scotson.

O resultado de hoje é o melhor de sempre de Portugal em Campeonatos do Mundo de Pista na categoria de elite, superando o sexto lugar de Ivo Oliveira, em perseguição individual, em 2017. “É mais um sinal da nossa evolução e do crescimento sustentado do ciclismo de pista português. O Rui teve uma prestação irrepreensível, sob os pontos de vista tático e técnico, tendo em conta as condições em que a prova se desenrolou”, considera o selecionador nacional, Gabriel Mendes.

“As sensações não foram as melhores e sabia que no sprint acabaria por não conseguir um bom resultado. Reservei tudo o que tinha para a melhor oportunidade. Esta surgiu e eu aproveitei. Tinha de ser ali. Ataquei com força e tive alguma sorte, porque os adversários não responderam de imediato”, descreve Rui Oliveira.

 

Ivo Oliveira espreita o pódio

Ivo Oliveira, atual vice-campeão europeu de elite e de sub-23 em perseguição individual, tenta, nesta sexta-feira, fazer história também em mundiais de elite. O português é um dos candidatos ao pódio ou não se apresentasse como número um do ranking mundial. Há um ano, Ivo Oliveira foi o sexto classificado. O caderno de encargos para 2018 passa por subir na classificação, até onde for possível.

A prova de qualificação está marcada para as 14h00 e a final para as 19h00. Se Ivo Oliveira fizer um dos dois melhores registos na manga inicial, vai disputar a medalha de ouro. Se for terceiro ou quarto tem hipótese de lutar pelo bronze. Caso fique aquém dessas posições no apuramento, acaba de imediato a participação no Campeonato do Mundo.

O melhor registo pessoal de Ivo Oliveira foi estabelecido na fase de qualificação do Campeonato da Europa de Elite, em outubro. Na altura, o gaiense cumpriu os 4 quilómetros de contrarrelógio em 4’14’’570. Em Apeldoorn terá por diante vários corredores que já conseguiram tempos melhores e que serão, por certo, rivais difíceis de bater.

Os principais nomes a ter debaixo de olho são o italiano Filippo Ganna, campeão europeu e ex-campeão mundial, o britânico Charlie Tanfield, que tem surpreendido, nos últimos seis meses, quase sempre com tempos mais baixos do que 4m15s, o russo Alexander Evtushenko, o estadunidense Ashton Lambie, o britânico Daniel Bigham e o holandês Dion Beukeboom, sem prejuízo do aparecimento de alguma surpresa.

Além de Ivo Oliveira, a sexta-feira contará com a presença em pista de João Matias. O minhoto vai competir na corrida por pontos, cerca das 17h30, procurando melhorar o 19.º lugar da edição transata.

Fonte: FPC