quarta-feira, 9 de agosto de 2017

“Volta a Portugal/Vídeo da 6ª etapa”

Como tem acontecido diariamente, aqui fica o vídeo do trajeto da 6ª etapa em linha, com ligação de Braga a Fafe, numa extensão de 182,7 quilómetros.

Fonte: Podium

“Volta a Portugal/79ª Volta a Portugal em Bicicleta/A Volta dia a dia pelo diretor Joaquim Gomes/6ª Etapa”

6ª Etapa – Braga» Fafe – 182,7 KM - 10 agosto, 5ª feira

Abençoados no “Bom Jesus” e na N.ª Sr.ª do Viso para enfrentar as Serras de Fafe

Os 183 km que vão fazer merecer o dia de descanso, na “Sala de Visitas do Minho”, terão um elevado preço a pagar. Culminando a sequência de varias etapas complicadas, a ilustre etapa de Fafe, enriquecida em 2016 com a inclusão do famoso troço de terra do Rali de
Portugal, o Salto da Pedra Sentada, que mantemos este ano, verá as dificuldades aumentadas com a passagem no difícil Monte do Viso, Prémio de Montanha de 1ª Cat, em Celorico de Basto, a aproximadamente 50 km da chegada. Desenrolada num verdadeiro “carrossel” altimétrico, de grande exigência física e anímica, este dia pode revelar, mesmo entre os melhores, algumas fragilidades impossíveis de ocultar neste tipo de cenário.

Fonte: Podium

“Volta a Portugal/Nuno Ribeiro diz que Gustavo Veloso ainda é o líder da W52-FC Porto”

Gustavo Veloso continua a ser o líder da W52-FC Porto na 79.ª Volta a Portugal, garantiu o diretor desportivo da equipa.

Nuno Ribeiro garantiu hoje à agência Lusa que Gustavo Veloso continua a ser o líder da W52-FC Porto na 79.ª Volta a Portugal em bicicleta, mas reconheceu que o camisola amarela Raúl Alarcón pode ser o plano B.

Uma semana depois de rejeitar a ideia de que a equipa portista poderia ter um plano B para esta edição, o diretor desportivo da W52-FC Porto admitiu hoje à Lusa que Raúl Alarcón pode assumir esse papel, embora o vencedor das Voltas de 2014 e 2015 permaneça como o chefe de fila.

“A equipa está bem para ganhar a Volta com um dos nossos ciclistas. Neste momento, o camisola amarela é o Raúl Alarcón e temos o Gustavo, que é o líder da equipa. 46 segundos [a diferença entre os dois ‘dragões’] para aquilo que falta da Volta a Portugal é pouco. E temos de estar atentos. Neste momento, o Gustavo é o chefe da equipa. O Raúl está de amarelo, acho que também merece ter a oportunidade dele. Mas o Gustavo continua a ser uma peça fundamental e é óbvio que continua a ser o líder, porque ainda há o contrarrelógio e chegadas difíceis que não sabemos o que vão dar”, explicou.

Nuno Ribeiro recusou apontar o galego Alejandro Marque (Sporting-Tavira), o vencedor da Volta2013, como principal adversário, defendendo que todos os que estão próximos dos seus ciclistas na classificação são alvos a abater.

“Quem está ali, no espaço de dois minutos, ainda está na discussão da corrida. Agora, logicamente que quem vai na frente tem mais vantagem. O Marque é um ciclista a ter em conta para o contrarrelógio e temos o Gustavo que está perto dele. Neste momento, estamos na frente. Eles é que nos têm de ganhar distância. Temos de aproveitar todas as oportunidades que temos para conseguir ganhar tempo aos adversários”, prosseguiu.

O diretor desportivo portista negou também que na Senhora da Graça Gustavo Veloso tenha ficado a policiar o quarto classificado da geral, que está a 35 segundos de Alarcón.

“Não sei se foi esse o caso ontem [terça-feira]. Pelo que sei, o Marque estava a marcar o Gustavo e o Gustavo estava a fazer o papel dele. Quem ficou na roda do Gustavo foi o Marque e não o contrário. Cada um faz a sua estratégia de corrida. O mais importante é nos ganharmos”, concluiu.

A W52-FC Porto tem três homens nos seis primeiros lugares, com Alarcón a vestir de amarelo e Amaro Antunes a ocupar a terceira posição, a 29 segundos do seu companheiro espanhol. O italiano Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira) é segundo, a 25 segundos, com Marque no quarto lugar e Veloso no sexto.

Fonte: Sapo on-line

“Volta a Portugal/Veloso dez segundos mais perto da Amarela”

“Qualquer um tem saudades de ganhar”

Nos últimos 200 metros, a subir, o sprint inatacável de Gustavo Veloso (W52-FC Porto) garantiu-lhe a vitória no Monte de Santa Luzia, em Viana do Castelo, palco do final da quinta etapa da 79ª Volta a Portugal Santander Totta. “Estávamos a preparar a chegada para o Raúl [Alarcón] mas, como a estrada vai virando ora para a esquerda, ora para a direita, não dá para olhar para trás. Já em cima do risco de meta, à espera de ver se o Raúl aparecia ou não, vi a cor vermelha do Louletano mesmo ao meu lado e nem me deu tempo para comemorar a vitória”, relatou o espanhol que se estreou a vencer nesta edição da “Portuguesa”. O companheiro de equipa e Camisola Amarela, Raúl Alarcón, na nona posição foi cronometrado com o mesmo tempo e manteve a liderança pelo quinto dia consecutivo com os mesmos 25 e 29 segundos de vantagem sobre Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira) e o também portista Amaro Antunes, respetivamente.

Os últimos momentos da etapa foram “azuis e brancos”, primeiro com Ricardo Mestre, a três quilómetros a tentar esgotar o pelotão como se fosse um sprint, depois as despesas da corrida passaram para António Carvalho sempre com Gustavo Veloso e Raúl Alarcón“ à boleia”. No momento decisivo, a última curva, e com Vicente Garcia de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé) e Daniel Mestre (Efapel) muito perto, Gustavo Veloso rematou o trabalho da W52-FC Porto. “Qualquer um tem saudades de ganhar. Já fiz várias Voltas a Portugal sem ganhar uma única etapa. Sei o quanto isso custa, por isso dou muito valor a cada uma das etapas que ganho”, confessou o vencedor da Volta em 2014 e 2015.

Os 46 anos de Davide Rebellin
Em dia de chegada e de romaria ao santuário vianense de Santa Luzia, foi a vila de Boticas que serviu de cenário para a partida da etapa onde se assistiuà comemoração dos 46 anos do italiano Davide Rebellin (Kuwait-Cartucho.es), o mais velho do pelotão. Ao sexto dia de competição, 128 “peregrinos” fizeram-se à estrada, mas apenas três quiseram animar a tirada. Luís Afonso (LA Alumínios - MetalusaBlackjack), YannGuyot (Armée de Terre) e MikelBizkarra (Euskadi) rodaram boa parte da etapa em fuga que terminou  a sete quilómetros da meta.

6ª Etapa – 10 agosto 2017 - Braga – Fafe (182,2 km)

Hora da Partida – 12h15
A sexta tirada corre-se esta quinta-feira na região do Minho com partida em Braga e chegada à “Sala de Visitas” da região minhota como Fafe gosta de se apresentar. Antes da descida para a cidade repete-se o estradão de terra batida do inimitável Salto da Pedra Sentada do rali de Portugal, este ano, com dificuldades acrescidas pela passagem no difícil Monte do Viso, Prémio de Montanha de 1ª categoria, em Celorico de Basto, a aproximadamente 50 quilómetros da chegada. Quando cruzarem a linha da meta, os corredores terão cumprido os primeiros 1100 km da Volta 2017 e estão à beira do Dia de Descanso.
Fonte: Podium

“Volta a Portgal/Nocentini: «Falta uma semana e está tudo em aberto»”

Dá voz ao espírito reinante no Sporting-Tavira, que não deita a toalha ao chão

Por: Alexandre Reis

Foto: Filipe Farinha

A favorita W52-FC Porto tem demonstrado uma consistência e uma superioridade incontestada na Volta a Portugal, mas os leões resistiram ontem no primeiro grande teste de montanha, com o italiano Rinaldo Nocentini e o espanhol Alejandro Marque a chegarem muito perto das principais figuras dos dragões, Raúl Alarcón, Amaro Antunes e Gustavo Veloso.

Mal cortou a meta, Nocentini desceu da bicicleta e sentou-se no chão, esgotado, depois do intenso esforço para não deixar fugir os rivais: "O Sporting-Tavira demonstrou que está em boas condições para discutir esta Volta a Portugal. Conseguimos manter a expectativa quanto ao final, pois ainda falta uma semana e está tudo em aberto. A W52-FC Porto demonstrou que também está forte, mas consegui ir na roda, perdendo pouco tempo. Com Alarcón e Antunes a sprintarem, fiz tudo para perder o menor tempo possível", explicou o chefe de fila da equipa orientada por Vidal Fitas.

Numa etapa onde muitas equipas fraquejaram, o Sporting-Tavira manteve o braço de ferro, também com o espanhol Alejandro Marque em bom plano: "A verdadeira Volta a Portugal começou agora e as diferenças não são muito significativas. Estivemos sempre atentos e não deixámos fugir os adversários. Marquei o Gustavo Veloso e cheguei com o mesmo tempo."

Para Alejandro Marque, as contas fazem-se no final: "A W52-FC Porto está forte em todos os terrenos, mas também há um contrarrelógio em Viseu que pode alterar muita coisa."

Fonte: Record on-line

“Volta a Portugal/Filipe Cardoso puxa orelhas”

Ao colega de equipa Domingos Gonçalves

Foto: Filipe Farinha

Filipe Cardoso (RP-Boavista) foi um dos protagonistas da etapa de ontem e, desde logo, deu no final da etapa um puxão de orelhas ao colega de equipa Domingos Gonçalves, que na véspera criticara a estratégia do conjunto orientado por José Santos.

"Sinceramente, acho que o que disse foi a quente e por ser muito jovem não sabe o que diz. Ninguém está de costas voltadas. A RP-Boavista está unida, pois só com bom entendimento se pôde fazer esta excelente etapa", considerou o vencedor na Senhora da Graça em 2015. Cardoso tentou a mesma estratégia, com um ataque a longa distância para surpreender os principais trepadores do pelotão. Mas sem sucesso: "Também é bom para o espetáculo. Tentámos atacar o líder, só que ele foi mais forte. Quando cheguei ao início da última subida tinha apenas 1.30 minutos de vantagem e isso era pouco para os restantes 13 quilómetros."

Fonte: Record on-line

“Volta a Portugal/Estamos na discussão da corrida”

Vicente Garcia de Mateos está a 43 segundos da liderança

Na primeira seleção de valores para a Volta 2017, - a etapa que terminou esta terça-feira no alto da Srª da Graça, em Mondim de Basto - o Louletano - Hospital de Loulé -Fibralgarve continua a ter um forte candidato aos melhores lugares da classificação. O chefe de fila da equipa algarvia, Vicente Garcia de Mateos terminou a mítica escalada ao Monte Farinha na quinta posição a apenas sete segundos do vencedor e com este resultado o espanhol trepou da nona para a quinta posição da classificação geral. Vicente está a 43 segundos da Camisola Amarela. “Continuo muito optimista e sinto-me bem para alcançar os objetivos, os meus e os da equipa. Acho que só não fiz melhor na subida à Sra. da Graça porque saí do pelotão para alcançar o grupo da frente. Nesse esforço naturalmente desgastei-me mais e quando tive de responder aos ataques foi mais complicado.” A declaração feita em tom tranquilo e até sorridente, apesar da etapa complicada, revela o estado de espirito do corredor de 28 anos que se sente um dos candidatos à camisola amarela. “Sinto-me motivado“, remata para desfazer qualquer dúvida.

Louletano - Hospital de Loulé - Fibralgarve injustiçado
O director desportivo do Louletano - Hospital de Loulé – Fibralgarve apesar de satisfeito com o resultado da equipa na etapa da Srª da Graça sentia-se inconformado com a decisão de não ter sido atribuído o Prémio da Combatividade a Hélder Ferreira nesta etapa. “Sentimo-nos injustiçados!”, começou por dizer Jorge Piedade para logo depois explicar a razão. “O prémio devia ser do Hélder. Não podia ser de outra forma. O nosso corredor esteve na fuga durante todo o tempo e foi mesmo o último corredor a ser alcançado. Merecia o prémio que foi entregue a outro. Não percebemos o critério”.

Apesar destas palavras duras do director desportivo, esta foi uma situação pontual que não afetou o sentimento de optimismo que reina na equipa vermelha e preta. A Volta está a ser um sucesso para o conjunto de Loulé apesar do espanhol Oscar Hernandez ter sido obrigado a desistir logo no início devido a problemas de saúde.

O Louletano - Hospital de Loulé – Fibralgarve está na 79ª Volta a Portugal em Bicicleta com a seguinte equipa:

51       Vicente de Mateus  ESP

52       David de La Fuente ESP

53       Nuno Almeida POR

54       Hélder Ferreira POR

55       Pedro Paulinho POR                     

57       Rui Rodrigues POR

58       André Evangelista POR

Fonte: Louletano

“Volta a Portugal/Awet Andemeskel, o ciclista-refugiado que quer chegar ao WorldTour”

Por: Lusa

Texto: Ana Marques Gonçalves

Foto: Nuno Veiga LUSA

Awet Andemeskel arriscou o futuro como ciclista quando fugiu da Eritreia, mas hoje, depois de ter vivido dois anos como ilegal na Suécia, está a cumprir o sonho de uma vida, que espera que termine no WorldTour.

“Sou um refugiado. Sou da Eritreia, mas agora vivo na Suécia. Quando fui correr os Mundiais com a minha seleção, em Itália [Florença], em 2013, fugi. Fui para a Suécia e, durante dois anos, não peguei numa bicicleta. Não tinha documentos, não tinha trabalho, não tinha dinheiro. A vida era muito dura. Não consegui arranjar emprego, não tinha nada, nada. Vivia com um amigo, que me deu abrigo”, contou à agência Lusa o corredor da Kuwait-Cartucho.es.

Nascido a 05 de fevereiro de 1992 em Kakebda, na Eritrea, como mais velho de nove irmãos, Awet Andemeskel não tem pudor em falar das suas origens humildes no seio de uma família de agricultores, que chegou a passar fome e a sobreviver sem água corrente, mas que, sem querer, lhe traçou o destino.

“Desde a minha casa até à escola eram 15 quilómetros. Todos os dias pedalava para a frente e para trás. Depois comecei a participar em corridas na cidade e percebi que podia ser ciclista, porque comecei a ganhar logo no primeiro dia na minha categoria. Pensei “afinal, sou bom”. Fiz dois anos de BTT e algumas grandes equipas contactaram-me. Juntei-me à Debub (2009) e depois à seleção nacional, que representei durante três anos”, recordou.

Foi precisamente numa das suas aventuras com a equipa do seu país que Andemeskel decidiu fugir. “Tive problemas com o visto para competir na Europa e também complicações relacionadas com a política. Não quero falar sobre isso. Simplesmente, chegava para mim. Agora estou feliz e faço o que quero”, explicou.

Nos dois penosos anos que passou na Suécia, país que escolheu para pedir asilo, e que, no seu elaborado site, descreve como os piores da sua vida, nunca pensou abandonar o ciclismo. Assim que se tornou um sueco legal, recomeçou a treinar no ginásio, até aparecer a oportunidade da equipa de refugiados Ner Group-Marco Polo (2015).

“Não desisti do ciclismo, porque gosto demasiado desta modalidade. Era o meu sonho e, neste momento, estou a vivê-lo. Estou feliz. Voltei ao ciclismo depois de dois anos de paragem. Depois, quando a equipa de refugiados me deu uma oportunidade, percebi que era uma boa chance para mim e usei-a. A primeira época depois do regresso foi muito complicada, mas no ano passado encontrei a Kuwait-Cartucho.es, que ainda era amadora. Treinei bem e ganhei um lugar na equipa continental. Agora, tenho boas condições e espero poder mostrar-me”, assumiu.

Mas o refugiado sueco, que cresceu a admirar o luxemburguês Andy Schleck, vencedor do Tour2010, e agora torce pelo colombiano Nairo Quintana, não quer apenas competir, quer ter resultados para chegar ao WorldTour.

“Todos os meus amigos, com a minha idade, estão lá. Corri com eles e, um dia ganhavam eles, outros dias eu. Espero que possa chegar à elite”, confessou à Lusa o ciclista de 25 anos.

Fonte: Sapo on-line

“Bombarralense Conquista Silveira!”

No dia 5 de Julho, o Sport Clube Escolar Bombarralense, com a sua equipa júnior, a Sicasal – Liberty Seguros – Bombarralense, marcou presença no 3º Prémio Eugénio dos Santos - Camboeira. Alinharam Francisco Guerreiro, Rafael Costa, Bruno Valentim, Rodrigo Pereira e Wilson Esperança, Leonel Firmino e Francisco Duarte. Estes últimos dois desistiram na 1ª volta fruto de avaria mecânica em zona sem assistência, enquanto Wilson Esperança sprintou para completar o pódio do Prémio (jovem que esteve inserido na fuga do dia), com Rafael Costa a finalizar em 9º.

A equipa marcou presença dois dias depois no 31º Circuito da Silveira com Francisco Duarte, Francisco Guerreiro, Leonel Firmino, Rafael costa, Bruno Valentim, Rodrigo Pereira, Wilson Esperança e Guilherme Simão. O percurso tinha um total de 62 quilómetros, distribuídos por 12 voltas. Após ter-se formado na Silveira, Rafael Costa e Leonel Firmino levava como objectivo a vitória.

Leonel Firmino tentou destacar-se desde, no entanto, a concorrência assim não o permitiu. Wilson Esperança trabalhou então para se inserir na fuga do dia, algo que foi conseguido. Francisco Duarte tentou também saltar para a fuga, mas uma queda impediu-o ficando composta por Wilson Esperança e Francisco Marques (ACD Milharado - Escola de Ciclismo Manuel Martins). O jovem foi anulado por um pelotão incapaz de anular também os dois fugitivos. Francisco venceu as metas volantes, no entanto a vitória no Circuito sorriu a Wilson Esperança.

Leonel Firmino sprintou, finalizando em 4º, enquanto Francisco Duarte terminou em 6º, juntando assim a vitória colectiva à vitória individual de Wilson Esperança.

A equipa tem agora um duplo compromisso em casa: no dia 13 a equipa marcará presença na III Volta do Vinho e da Pêra, prova realizada no conselho do Bombarral; no dia 19 a equipa coloca de pé a sua prova – III Prémio Guilherme Silva. Deixamos aqui o convite a todos os nossos patrocinadores, simpatizantes e pais a marcarem presença. Contamos convosco!

 
Calendário de Agosto

Dia      Prova

13       III Volta do Vinho e da Pêra

19       III Prémio Guilherme Silva

20       Circuito Turcifal

21       Circuito Nafarros

26       Póvoa da Galega

27       Circuito da Malveira

Fonte: Bombarralense

 

“Ciclista da Sky sofre dupla fratura na perna devido a acidente de rafting”

Luke Rowe vai ter de parar durante vários meses.

O ciclista galês da Sky Luke Rowe vai ter de parar vários meses depois de ter sofrido uma dupla fratura na perna direita quando praticava rafting com o sobrinho, anunciou hoje a equipa britânica.

Segundo a Sky, Rowe, de 27 anos, foi submetido a uma intervenção cirúrgica em Cardiff.

“Quando praticava rafting, embati numa rocha. Senti logo que era uma lesão grave. Foi um choque e sei que me espera um longo período de recuperação”, explicou o ciclista numa nota publicada no site oficial da equipa.

Rowe foi um dos ‘escudeiros’ de Chris Froome na quarta vitória do britânico, terceira consecutiva, na Volta a França.

Fonte: Record on-line

“12ªClássica Afonsoeiro/Canha/Afonsoeiro.2017”

Dia 20 de Agosto de 2017

Texto: José Morais

Fotos; Arquivo Notícias do Pedal

Vai para a estrada no próximo dia 20 de agosto, a 12ª Clássica Afonsoeiro/Canha/Afonsoeiro, numa organização do Grupo de Cicloturismo Afonsoeiro/Móveis Jolar, um evento do calendário oficial da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB).

A concentração está marcada para as 8 horas, e partida está marcada para as 9 horas no Afonsoeiro, na sede do Rancho Folclórico do Afonsoeiro, com chegada cerca das 12,30.

Informações e inscrições pelos telefones: 912 158 478/912 998 947/210 852 272 (a partir das 18 horas), ou pelo e-mail: aldiroleao@gmail.com

Marque já na sua agenda, faça como nós, que vamos estar presentes para mais uma reportagem sobre todo o evento.

“Atualização do Canal NP-TV com o “Vídeo promocional da “12ªClássica Afonsoeiro/Canha/Afonsoeiro.2017”

A Revista Notícias do Pedal acaba de atualizar o seu canal de televisão “Notícias do Pedal-TV” no YouTube e no MEO/KANAL com o “Vídeo promocional da “12ªClássica Afonsoeiro/Canha/Afonsoeiro.2017”


Para ver o vídeo no MEO/KANAL, quem possuir MEO, pode aceder carregando na tecla verde do comando, inserir o código 531450, e ver no MEO/KANAL este e outros filmes, podendo consultar toda a programação. Podem ver ainda através do seguinte link: https://kanal.pt/lista-canais/comunicao-social/lisboa/vila-franca-de-xira/?display=grid&order=updated 

Desejamos que passem e recordem bons momentos.