sexta-feira, 29 de março de 2019

“Alejandro Valverde anuncia fim da carreira para 2021”

Ciclista da Movistar ainda quer marcar presença nos Jogos Oímpicos de Tóquio em 2020

Foto: EPA

Alejandro Valverde, ciclista da Movistar e atual campeão do Mundo de estrada, anunciou que muito provavelmente vai terminar a carreira em 2021. "Em príncipio vou terminar. Algum dia terá de ser. Vou correr mais uma temporada, depois dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Penso que é o suficiente", confessou ao jornal espanhol El Periodico.

Mas, o atleta de 38 anos, também mostrou intenção de continuar ligado ao ciclismo depois de abandonar a competição. "Ainda vou ver o que vou fazer depois. Posso dedicar-me aos jovens da equipa que tenho em Murcia ou continuar ligado à Movistar", afirmou o ciclista.

Fonte: Record on-line

“Schachmann vence isolado etapa na Volta à Catalunha”

Miguel Ángel López mantém a liderança na prova

Por: Lusa

Foto: EPA

O ciclista alemão Maximilian Schachmann (BORA-hansgrohe) venceu esta sexta-feira isolado a quinta etapa da Volta à Catalunha, com o colombiano Miguel Ángel López (Astana) a manter a liderança.

No final dos 188,1 quilómetros entre Puigcerdà e Sant Cugat del Vallès, Schachmann conseguiu segurar a vantagem sobre o pelotão e cortou a meta em 4:25.45 horas.

O pelotão, liderado pelo australiano Michael Matthews (Sunweb) e pelo sul-africano Ryan Gibbons (Dimension Data), cortou a meta 13 segundos depois.

Décimo classificado na tirada, Miguel Ángel López manteve a liderança da prova, com 14 segundos de avanço para o britânico Adam Yates (Mitchelton-Scott) e 17 para o colombiano Egan Bernal, segundo e terceiro classificados, respetivamente.

No sábado, corre-se a sexta e penúltima etapa, entre Valls e Vila-seca, num percurso de 169,1 quilómetros.

Fonte: Record on-line

“Zdenek Stybar vence E3 BinckBank e dá mais um triunfo à QuickStep”

O português Ivo Oliveira (UAE-Emirates) não completou a prova

O checo Zdenek Stybar conquistou esta sexta-feira a clássica E3 BinckBank em bicicleta, e deu, com o triunfo na cidade belga de Harelbeke, a 20.ª vitória do ano à Deceuninck-QuickStep.

Beneficiando do trabalho do luxemburguês Bob Jungels, seu colega de equipa e que chegou a andar isolado, Stybar conquistou a prova em 4:46.05 horas, à frente dos belgas Wout Van Aert (Jumbo-Visma) e Greg Van Avermaet (CCC), vencedor em 2017.

O italiano Alberto Bettiol (Education First) foi o primeiro ciclista fora do pódio, com Jungels a fechar o 'top-5', a três segundos do companheiro de equipa.

Esta foi a terceira vitória de Stybar esta temporada, depois de ter triunfado na quinta e última etapa da Volta ao Algarve e na prova de um dia Omloop Het Nieuwsblad.

O português Ivo Oliveira (UAE-Emirates) não completou a prova.

Fonte: Record on-line

“Bicicleta de Rui Costa ficou destruída”

Manuel Costa, pai do ciclista, revela lesões do corredor da Emirates que chocou contra um camião

Por: Alexandre Reis

O pai de Rui Costa apanhou um valente susto, ao saber do acidente do seu filho, que, anteontem, durante um treino em Terras do Bouro (Distrito de Braga, no Minho), chocou contra um camião.

Felizmente, o corredor da Emirates, campeão mundial de estrada em 2013, não teve lesões graves, como revelou Manuel Costa: "Falei com ele e, pelo que me contou, não fraturou nada, apesar de ter contraído algumas contusões numa das pernas, devendo parar durante uma semana, pelo menos."

Manuel Costa contou o que se passou: "O Rui vinha largado e, ao contornar uma curva, encontrou pela frente um camião que estava em manobras. Não conseguiu travar a tempo de parar e bateu na viatura, tendo a bicicleta ficado partida em três, completamente desfeita. Mas o Rui está inteiro e é isso que interessa. Tem uma pequena rotura acima de um dos joelhos e um pulso inchado."

Rui Costa, que recebeu muito apoio dos adeptos, agradeceu nas redes sociais: "Obrigado por todas as mensagens de apoio. Estou bem, nada de grave, sem ossos partidos. Apenas preciso de descansar e voltarei mais forte. Foi só chapa."

Depois do Tirreno-Adriático, onde foi 10º classificado, Rui Costa fica com a sua condição física comprometida para as clássicas das Ardenas (Amstel Gold Race, Flèche Wallone e Liège-Bastogne-Liège), em abril.

Fonte: Record on-line