sexta-feira, 16 de agosto de 2019

“Zurich Ciclista”

Numa altura em que a bicicleta é cada vez mais o meio de deslocação eleito por muitas pessoas, mas pedalar no trânsito típico da cidade nem sempre é fácil ou seguro. Por isso deixamos-lhe sete dicas sobre como andar de bicicleta em segurança:

 

Para viajar de bicicleta em segurança aqui ficam os conselhos Zurich ciclista:

Proteção sempre

Esteja visível

Proteção para si e para os outros

Seja claro

Respeite o espaço de cada um

Esteja atento ao que o rodeia

Proteja os que ama

Procure um seguro para toda família, assim

 

A nossa camisola azul é a sua segurança

O seguro Zurich Ciclista foi pensado para si que verdadeiramente ama os passeios de bicicleta. Quer seja sozinho ou em família, desfrute dos seus percursos com a segurança que lhe proporcionamos.

 

Plano de coberturas completo para a proteção do ciclista e restantes ocupantes:

Cobertura de responsabilidade civil

Assistência em Portugal e Espanha

Responsabilidade civil

Assistência a pessoas

Ocupantes

 

Solicite uma simulação ou mais informações em:


 

A Zurich Ciclista deixa-lhe ainda outros conselhos em:


 Fonte: Zurich

“António Cunha e Maria de Jesus Barros venceram em Santa Marta de Portuzêlo”

António Cunha e Maria de Jesus Barros venceram o 44.º Circuito de Santa Marta de Portuzelo nas categorias de juniores e elites femininas. O tradicional circuito, pontuável para a Taça do Minho de Ciclismo de Estrada - Arrecadações da Quintã, registou a presença de muitos atletas e de muito público.


Num dia magnífico para a prática da modalidade e com a presença de mais de 250 atletas, o tradicional Circuito de Santa Marta de Portuzêlo ficou marcado pela forte entrega dos ciclistas nas várias provas, que deram ânimo e levaram ao rubro o muito público que assistiu à iniciativa na freguesia de Viana do Castelo. O 44º Circuito de Santa Marta de Portuzêlo foi promovido conjuntamente pela Associação de Ciclismo do Minho e o Grupo Desportivo do Centro Paroquial de Santa Marta de Portuzêlo.

António Cunha (Vito/Feirense/PNB) foi o vencedor da corrida de Juniores que teve uma extensão de 37,5km, num total de cinco voltas ao circuito. António Cunha foi o mais forte na parte final da corrida, superiorizando-se no sprint que disputou com um grupo de nove corredores. António Cunha realizou o tempo de 54m35s, deixando na segunda posição Rúben Silva (Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel). Marco Marques (Tensai / Sambiental / Santa Marta), que se despedia das corridas em ‘casa’, já que sobe de escalão no final da temporada, ficou na terceira posição.

A corrida de Juniores foi desde o primeiro momento bastante animada. O pelotão incutiu um ritmo bastante rápido à corrida e foram muitas as movimentações na frente da prova. No entanto, apenas na terceira volta ao circuito um grupo de nove corredores se destacou do pelotão, ganhando e perdendo alguns elementos ao longo do percurso, ao mesmo tempo que foi gerindo a vantagem. A corrida foi então decidida ao sprint, com António Cunha a ser o mais forte na reta final.

A equipa Vito/Feirense/PNB venceu a classificação coletiva da prova de juniores, deixando nos lugares imediatos a Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel e a União de Ciclismo da Trofa.

Na corrida de Elites femininas, Maria de Jesus Barros (Concelho de Porriño / Abanca) bateu a concorrência, deixando Diana Pedrosa (Aleata-CC Farto) na segunda posição e Maria Correa (Aleata-CC Farto) em terceiro.

Na prova de Juniores Femininas, Rafaela Ramalho (Maiatos) foi a mais rápida, enquanto Maria Almeida (Academia Joaquim Agostinho/UDO) foi segunda e a vianense Carina Viana (Tensai/Sambiental/Santa Marta) a terceira.

Na prova de cadetes, numa corrida bastante animada e que teve vários líderes ao longo do percurso, João Gomes (Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel) venceu ao sprint deixando na segunda posição Gustavo Alves (Vilanovense/Coreva/Duorep) e na terceira Diogo Saleiro (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact). Na corrida feminina, Marisa Ferreira (EFAPEL-Escola Ovar) foi a primeira a cortar a linha da meta, à frente da sua colega de equipa Mariana Matos.

Por equipas triunfou a União Ciclismo da Trofa, enquanto o Vilanovense/Coreva/Duorep foi segundo e o Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel a terceira.

 

Rodrigo Lopes (C.C.Barcelos/A.F.F./Flynx/H.M. Motor) evidenciou-se em Pupilos/Benjamins, terminando à frente de Rodrigo Brandão (Vito/Feirense/PNB) e de Duarte Marques (C.C.Barcelos/A.F.F./Flynx/H.M. Motor). Em femininos a melhor foi Mariana Ribeiro (BMC/Póvoa de Varzim/CDC Navais) seguida da sua colega de equipa Liliana Vilarinho  e de Matilde Fernandes (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact).

Francisco Cardoso (C.C.Barcelos/A.F.F./Flynx/H.M. Motor) venceu no escalão de Iniciados, ficando na segunda posição Afonso Silva (BTT Braguinhas/Padim da Graça) e na terceira José Dias (EFAPEL-Escola Ovar). Sara Fernandes (Tensai/Sambiental/Santa Marta) venceu em femininos, deixando na segunda posição Adelaide Palmeira (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact).

Em Infantis destacou-se André Maia (Figueiras BTT) que obteve melhor registo do que Joaquim Moreira (Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel) e Rui Sabino (UC Trofa). Em femininos, foi Jéssica Oliveira (Vito/Feirense/PNB) a destacar-se deixando na segunda posição Margarida Vasconcelos (Maiatos) e Juliana Lopes (Vilanovense/Coreva/Duorep) foi terceira.

Na corrida de juvenis, numa prova muito rápida e que chegou compacta à reta da meta, Ricardo Pinto (EFAPEL- Escola de Ovar) venceu ao sprint e deixou na segunda posição o seu colega de equipa Pedro Chaves, enquanto Rodrigo Neves (C.C.Barcelos/A.F.F./Flynx/H.M. Motor) cortou a meta na terceira posição. Na prova feminina, Vânia Gregores (Clube Ciclista Ponteareas) foi a primeira a cortar a meta, seguindo-se na classificação deixando na segunda Beatriz Silva (BMC/Póvoa de Varzim/CDC Navais) e Ana Monteiro.

Por equipas dos escalões de escolas venceu a EFAPEL – Escola de Ovar, enquanto o C.C.Barcelos/A.F.F./Flynx/H.M. Motor foi segundo e a Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact terceiro.

 

Paulo Maciel (Presidente da Junta de Freguesia de Santa Marta de Portuzêlo)

Paulo Maciel, presidente da Junta de Freguesia de Santa Marta de Portuzêlo, mostrou-se bastante satisfeito com a forma como decorreu o 44.º Circuito de Santa Marta de Portuzêlo, destacou a presença do muito público e a organização da prova.

“Esta é uma prova enraizada em Santa Marta Portuzêlo e no calendário velocipédico. É uma prova com 44 anos, que se destaca sempre pela grande afluência de participantes, de pessoas que vêm assistir às provas e, sobretudo, pela excelente organização. Não é fácil fazer uma prova destas, com a participação de tantos jovens atletas. É preciso muito empenho de todos os colaboradores”, salientou o autarca lembrando que “o Circuito de Santa Marta Portuzêlo encerra sempre as festividades da freguesia, que começaram no dia 9, e, mais uma vez, as festas terminam da melhor forma, com uma grande festa do ciclismo e do desporto”.

 

Albino Antunes (Grupo Desportivo do Centro Paroquial de Santa Marta de Portuzêlo)

Albino Antunes, do Grupo Desportivo do Centro Paroquial de Santa Marta de Portuzêlo, também fez um balanço positivo da 44.ª edição da prova. Na opinião do dirigente da equipa vianense “o balanço é muito positivo. Foi uma manhã bem passada no meio destes jovens que gostam de praticar o ciclismo e que se empenharam para fazerem o seu melhor”.

O histórico e persistente responsável do clube de Santa Marta de Portuzêlo salientou que “este circuito e este convívio é muito bom para as equipas e para a nossa Escola de Ciclismo, que é, afinal, o nosso forte. Temos aqui muitos miúdos a aprender e a divertirem-se, por isso, penso que a Escola de Ciclismo de Santa Marta de Portuzêlo não pode acabar”.

Albino Antunes saliento que “este já é o 44.º Circuito de Santa Marta” e recordou as origens do ciclismo no o Grupo Desportivo do Centro Paroquial de Santa Marta de Portuzêlo: “A aventura iniciou-se em 1976, quando Eduardo Barros e mais três amigos criaram o ciclismo. No ano seguinte fez-se a primeira pedalada e foi-se criando o hábito com familiares e amigos. Em 1979 foi oficializado na Federação Portuguesa de Ciclismo e até hoje o Santa Marta, como é conhecido, nunca mais parou.
Temos organizado estas provas, que já têm uma tradição e um historial enorme. Contam sempre com um número enorme de participantes, entre eles algumas equipas oriundas de Espanha. O clube também tem um enorme historial, é respeitado a nível nacional, tem muitos títulos e participa em todas as provas desde os escalões de Escolas e até Juniores”. “Mas não é fácil”, salientou Albino Antunes referindo que “falta gente para ajudar ao fim de semana”.

O 44º Circuito de Santa Marta de Portuzêlo teve o apoio da Câmara Municipal de Viana do Castelo, Tensai, Sambiental, Auto Rodolima, Lda., AutOliveira, ViaByke, Eugénia Lopes & Filhos, Lda - Distribuidor oficial CocaCola, Arrecadações da Quintã, Cision, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design, Score Tech, Navega Rías Baixas e AFAcycles.

Fonte: ACM

“Circuito de Manique do Intendente”

A formação de ciclismo de Rio Maior, ASFIC – Grupo Parapedra / Dinazoo / Riomagic, deslocou-se hoje, 15 de Agosto,  á localidade de Manique do Intendente, concelho de Azambuja, para participar no  circuito de ciclismo daquela localidade, integrado nos festejos anuais desta freguesia azambujense.

A ASFIC Grupo Parapedra / Dinazoo / Riomagic apresentou-se neste circuito com apenas 7 elementos da sua formação, Humberto Careca, Jorge Letras, João Letras, Edgar Oliveira, Calos Ochoa Daniel Ferreira e Alexandre Mota. Este  ultimo Atleta que fez a sua ultima prova com a camisola da ASFIC, pois ira abandonar o ciclismo, em permutação da universidade.

O percurso, no interior da localidade de Manique do Intendente, tinha 1,7 kms de distância, sendo percorrido por 30 vezes, o que deu um total percorrido de 51 quilómetros.

Debaixo de uma temperatura a rondar os 33 graus e com vento forte, os atletas partiram para este circuito, pouco depois das 17 horas.

Logo na passagem da 4 volta o atleta da ASFIC Daniel Ferreira partiu a corrente  e embora tenha trocado de bicicleta com outro atleta da equipa, ficou bastante distante do pelotão, não conseguindo mais chegar ao mesmo.

Na passagem da  5 volta deu-se uma fuga de um atleta, que ate ao fim não foi alcançada, cortando a meta o atleta isolado.

Na chegada do pelotão, João Letras foi o mais forte e Cortou a meta em 2º lugar.

João Letras venceu o escalão de elites e Humberto Careca que cortou a meta em 7 lugar, venceu no escalão M40.

A ASFIC foi também a 2 classificada na classificação coletiva.

A ASFIC venceu também o prémio da volta mais rápida do circuito, por Daniel Ferreira.

A ASFIC até ao final da época irá ficar em em desvantagem numérica, ficando apenas a correr com 6 unidades, fruto de vários fatores e condicionantes, ( João Portela, Aníbal Santo e Ricardo Goncalves por lesão; Diogo Sampaio mecânico na volta a Portugal e Volta a Portugal do futuro ; Alexandre mota, por desistência em função de estudos. ), mas a equipa irá sempre lutar por discutir a vitória em todas as provas, como sempre tem feito.

Fonte: ASFIC - GRUPO PARAPEDRA /DINAZOO / RIOMAGIC
 

“João Silva em sexto no evento de teste de Tóquio”

Português em evidência numa prova disputada nas mesmas condições dos Jogos Olímpicos

Foto: Getty Images

O português João Silva foi esta madrugada o sexto colocado no evento de teste realizado em Tóquio, de olho nos Jogos Olímpicos do próximo ano. Apostado em fazer uma boa performance em solo nipónico, o atleta nacional fez uma prova de trás para a frente, acabando a 45 segundos do vencedor, o canadiano Tyler Mislawchuk. A completar o pódio ficaram Casper Stornes, a 4 segundos, e Hayden Wilde, a 12.

Também presente à partida, João Pereira acabou por abandonar.

Fonte: Record on-line

“Rui Costa terceiro na quarta etapa da Volta a Burgos”

Ganha ao sprint por Alex Aranburu

Por: Lusa

O ciclista português Rui Costa (UAE -- Team Emirates) foi esta sexta-feira terceiro classificado na quarta etapa da Volta a Burgos, ganha pelo ao sprint pelo espanhol Alex Aranburu (Caja Rural), enquanto o colombiano Ivan Sosa (INEOS) continua líder.

Com o grupo a chegar muito fragmentado, o sexteto da frente concluiu os 174 quilómetros entre Atapuerca e Ciudad Romana de Clunia em 4:07.55 horas, seis segundos antes de outro sexteto, no qual vinha César Fonte (W52-FC Porto), 10.º da tirada.

Sosa manteve o comando da geral com 17 e 24 segundos de vantagem para os espanhóis Óscar Rodriguez (Euskadi) e António Pedrero (Movistar), respetivamente, enquanto o equatoriano Óscar Carapaz (Movistar) subiu a quarto, a 28 segundos do primeiro, trocando com David de la Cruz (INEOS), que caiu para quinto, a 30.

Rui Vinhas (W52-FC Porto) é o melhor português da geral, baixando uma posição, para 10.º, a 1.12 minutos, e Rui Costa subiu quatro posições, para 13.º, a 1.57.

Na classificação por equipas, a W52-FC Porto manteve o sexto lugar, a 5.44 minutos da Euskadi.

No sábado, disputa-se a quinta e última etapa, com 146 quilómetros a ligarem Santo Domingo de Silos a Lagunas de Neila.

Fonte: Record on-line

“Simon Yates falha defesa do título na Volta a Espanha”

Britãnico ficou de fora da lista de ciclistas da Mitchelton-Scott

Por: Lusa

Foto: Reuters

O britânico Simon Yates não defenderá o título conquistado em 2018 na Volta a Espanha, uma vez que ficou de fora da lista de ciclistas da Mitchelton-Scott que disputará a prova, entre 24 de agosto e 15 de setembro.

Além de Yates, de 27 anos, que este ano venceu duas etapas da Volta a França e participou na Volta a Itália, também o irmão gémeo Adam não integra a equipa de oito ciclistas da equipa australiana para a Volta a Espanha, hoje divulgada.

O colombiano Esteban Chaves, terceiro classificado na edição de 2016 - que o compatriota Nairo Quintana venceu - e o espanhol Mikel Nieve serão os principais candidatos da Mitchelton-Scott para vencer etapas e andar nos lugares cimeiros da classificação geral.

Os neozelandeses Sam Bewley e Dion Smith, o etíope Tsgabu Grmay, os australianos Damien Howson e Nick Schultz e o esloveno Luka Mezgec completam a equipa.

Fonte: Record on-line

“Tour do Utah: João Almeida em 10.º na terceira etapa”

Português voltou a estar em evidência nos Estados Unidos

No dia em que foi confirmada a transferência para a Deceuninck-Quick-Step, João Almeida voltou a estar entre os melhores na terceira etapa do Tour do Utah. O corredor, de 21 anos, chegou no 10º posto, tendo ficado a 42 segundos do vencedor Ben Hermans (Israel), que reforçou a camisola amarela. Com este resultado João Almeida manteve a liderança na juventude.

Entretanto, no Binck Bank Tour, na Bélgica, Tim Wellens (Lotto Soudal) assumiu a liderança da geral depois de vencer a quarta etapa e ficou muito perto de garantir a conquista desta corrida pela terceira vez na carreira (2014 e 2015, quando ainda se chamava Eneco Tour). O melhor português foi Ruben Guerreiro (Katusha), que fez 17º, a 33 segundos do vencedor. Já Rui Oliveira (UAE), foi 103º a mais de 15 minutos.


Lenda MVDP cresce

Ao 16º dia de corrida esta temporada, Mathieu Van Der Poel chegou à... sétima vitória! A lenda continua a crescer com o triunfo de ontem na primeira etapa da Artic Race da Noruega. Até onde vai este fenómeno?

Fonte: Record on-line

“Equipa Portugal/Daniela Campos 13.ª em Omnium”

Por: José Carlos Gomes

Daniela Campos foi hoje a 13.ª classificada na competição de omnium do Campeonato do Mundo de Pista, que decorre em Frankfurt, Alemanha.

A corredora começou a manhã logrando a qualificação para o omnium, mas não iniciou o concurso da melhor forma. Daniela Campos foi 23.ª na prova de scratch, iniciando a recuperação na corrida termpo, na qual foi a 11.ª.

Deste modo, a ciclista entrou na segunda metade do concurso de omnium na 16.ª posição da geral. Uma prestação de grande qualidade em eliminação – quinto lugar – permitiu a Daniela Campos encarar com serenidade a corrida por pontos.

Nas contas finais, Daniela Campos foi a 13.ª melhor entre 24 finalistas, com 53 pontos. A estadunidense Megan Jastrab conquistou a medalha de ouro, com 118 pontos, seguindo-se a italiana Eleonora Camila Gasparrini, com 114, e a britânica Ella Barnwell, com 110.

A Equipa Portugal fecha, neste sábado, a participação no Campeonato do Mundo. Daniela Campos vai participar em perseguição individual, cuja qualificação se inicia às 12h15. Caso consiga um dos quatro melhores tempos disputa a final às 17h50. Entre um momento e outro, às 14h00, a corredora nacional disputa a qualificação de corrida por pontos. Apurando-se, disputa a final às 17h00.

Fonte: FPC

“Equipa Portugal/Portugal resiste com menos dois corredores”

Por: José Carlos Gomes

A segunda etapa da Volta a França do Futuro foi hoje um duro teste para a Equipa Portugal, que apenas alinhou com quatro corredores no contrarrelógio por equipas de 32,5 quilómetros, entre Eymet e Bergerac.

A queda que marcou o final da primeira etapa deixou fora da prova Afonso Silva, com uma lesão no pé direito, e Marcelo Salvador, vítima de traumatismo crânio-ecefálico. Portugal contou apenas com Francisco Campos, Jorge Magalhães, Gonçalo Carvalho e Guilherme Mota, também vítima de queda ontem, para o exercício coletivo desta tarde.

Os portugueses completaram o exigente percurso em 41m43s, ficando a 3m38s dos suíços, que se impuseram, com 38m06s. A Noruega ficou no segundo posto, a 28 segundos, enquanto a Dinamarca defendeu com eficácia a camisola amarela de Mathias Norsgaard Jorgensen, com o terceiro lugar no contrarrelógio, a 47 segundos dos vencedores. A Equipa Portugal foi a 24.ª entre as 26 formações presentes.

Gonçalo Carvalho é o melhor português na geral, ocupando o 102.º lugar, a 3m42s de Mathias Norsgaard Jorgensen. Jorge Magalhães, 105.º, e Guilherme Mota, 108.º, também estão a 3m42s do camisola amarela. Francisco Campos é 141.º, a 11m46s.

“A queda de ontem foi um rude golpe para nós e vai condicionar o resultado que aqui obteremos Não vamos, contudo, baixar os braços. Teremos de correr com inteligência, com os quatro ciclistas que temos à disposição, de modo a estarmos o mais na frente possível nas etapas mais difíceis. A boa notícia de hoje é que o Guilherme Mota, apesar da queda de ontem, sentiu-se muito bem durante o contrarrelógio por equipas”, revela o selecionador nacional, José Poeira.

A terceira etapa, uma ligação de 162,3 quilómetros, entre Montignac/Lascaux e Mauriac, a disputar neste sábado, pode considerar-se uma jornada de média montanha. A fase final será a mais exigente, com uma subida de terceira categoria a um quilómetro da chegada.

Fonte: FPC