quarta-feira, 18 de setembro de 2019

“Revista Notícias do Pedal Galardoada com Prémio Nacional Mobilidade em Bicicleta, na categoria de comunicação Social.2019”

 
Texto: José Morais
Foto: Helena Morais
Possuímos 20 anos de existência, iniciamos em 1999 a nossa atividade, apenas com a modalidade de Cicloturismo, fomos a primeira revista on-line nesta modalidade com edição mensal.
Ao longo dos tempos tivemos de evoluir, tivemos de acompanhar as novas tecnologias, e o nosso espaço passou a ser abrangente a todas as modalidades, sejam elas amadoras ou profissionais, onde se utiliza a bicicleta, e ainda relacionado com o ambiente.

Mantivemos assim o nosso espaço mensal com o resumo dos diversos eventos realizados ao longo do mês, e criamos o nosso espaço diário, pela exigência dos nossos leitores, onde publicamos as diversas notícias quase em cima da hora, com ligação direta às redes sociais.

Criamos ainda o nosso canal de televisão no MEO/KANAL e no YouTube, e continuamos com diversas parcerias em diversos órgãos de comunicação social, algo que fazemos já há muitos anos, em especial na área de cicloturismo.

Este Prémio recebido hoje 18 de setembro, quero dedicar a todos que nos tem apoiado ao longo dos anos, e felizmente são imensos, a toda a equipa que proporciona a saída regular desta Revista, e à minha família em especial, pelo apoio dado ao longo dos anos, já que muitas vezes estive, e continuarei a estar ausente em trabalho, especialmente à minha Esposa, que também ela colabora regularmente, fazendo desta publicação o sucesso que a mesma possui ao longo de muitos anos.

Sempre na defesa e divulgação da bicicleta, fica um grande obrigado a todos.
 

“Campeonato da Europa de Triatlo sub 23 com dois top 10”

Participação nacional  9º e 10º lugar no Campeonato da Europa de Triatlo sub 23 em Valência

No fim de semana de 14 e 15 de setembro realizou-se o Campeonato da Europa de Triatlo onde Portugal que contou com representação portuguesa no escalão Sub 23. Marcaram presença nesta competição Inês Oliveira, Madalena Almeida, Miguel Tiago Silva, Ricardo Batista, Tiago Fonseca e Vasco Vilaça.

A par desta prova realizou-se o Campeonato da Europa de Paratriatlo que contou com a participação de Filipe Marques.


A prova feminina do Campeonato da Europa de Valência

Madalena Almeida alcançou o 10º lugar com o tempo de 00:58:55, numa prova muito competitiva, a 1’8’’ da primeira classificada, a alemã Lisa Tertsch. Madalena fez um segmento de natação consistente, saindo nos lugares medianos, e depois de uma boa transição iniciou forte no ciclismo fazendo o melhor tempo parcial da prova, colando no segundo grupo onde se manteve até ao final, com uma distância inferior a 30’’ do grupo da frente. Entrou na transição em 14º lugar, e com a realização de um último bom segmento, conseguiu alcançar o top 10.

De salientar que Madalena Almeida adquiriu nesta época maior consistência de resultados a nível internacional, com classificações de destaque como aconteceu na Taça da Europa de Quarteira, Taça da Europa de Sines, Taça do Mundo de Holten e no Campeonato Europeu de Valência.

Inês Oliveira, que saiu da água muito próximo da sua compatriota, ficou condicionada por um uma transição difícil que não lhe permitiu seguir no segundo grupo de ciclismo, ficando a uma certa distância que mesmo a corrida competente não conseguiu recuperar. A atleta ficou na 37º posição com o tempo de 01:03:39.


Os resultados da competição masculina

Na prova masculina, Ricardo Batista realizou uma prova muito boa e consistente nos três segmentos, nadou e pedalou na frente, e conseguiu disputar o top 10 com os triatletas do escalão acima do seu. Batista luta pelos lugares cimeiros em todas as provas em que participa, confirmando aqui mais um excelente resultado, um 9º lugar com o tempo de 00:51:50.

Após um excelente resultado na Taça do Mundo em Banyoles, prova com o nível de uma WTS, Vasco Vilaça, que vem de uma sequência de três provas seguidas entre elas uma quarta posição na Finalíssima do Mundial. Neste Campeonato Europeu o atleta acusou fadiga , não conseguindo alcançar o resultado expectável. Nas provas do seu escalão, Vilaça é um atleta que luta sempre pelo pódio, e nesta prova o triatleta tentou ainda fazer a diferença no ciclismo, entrando na segunda transição na primeira posição, com o grupo perseguidor a 6’’, mas demorou a ganhar ritmo no segmento de corrida, terminando a prova na 15ª posição com 00:52:17.

Miguel Tiago Silva acabou por ser a revelação masculina, com um 19º lugar com o tempo de 00:52:41. O atleta liderou o segmento de natação, fez um bom segmento de ciclismo, e foi, como habitualmente, competente na corrida. Miguel sentia-se confiante depois de um problema ultrapassado, acabando por ser ele a alinhar na estafeta mista.

Tiago Fonseca vinha de um período conturbado com uma lesão no pé e uma gastroenterite que tornaram o seu treino muito condicionado no último mês. Apesar de os indicadores não serem os melhores, alinhou para tentar disputar a prova. O atleta fez uma boa primeira transição, ficou colocado no segundo grupo de ciclismo que, no final da primeira volta, tentou sem sucesso alcançar o primeiro, já que na frente seguiam atletas muito fortes. As limitações de Fonseca fizeram-se sentir também na corrida, que costuma ser o seu melhor segmento, pelo que o atleta vai tentar melhorar para a Taça da Europa do Funchal, onde espera melhores resultados.

 

Filipe Marques no Paratriatlo

O Campeonato da Europa de Paratriatlo era composto por uma start list muito forte, com um nível de atletas superior ao que o nosso atleta Filipe Marques está habituado a competir, muitos deles já em fase final de preparação para os Jogos Paralímpicos. Nesta competição, Filipe Marques não conseguiu fazer a diferença tal como é habitual, nomeadamente na natação, onde costuma posicionar-se na frente. Perdeu algum tempo na primeira transição, seguiu no segundo grupo de um ciclismo sem roda e com muito vento, perdendo algum tempo neste segmento. Agora é olhar para o futuro, continuando e afinando a preparação, e aguardar pela Taça do Mundo de Paratriatlo do Funchal que se realiza em outubro.

 

O team Portugal no Campeonato Europeu

Na prova de estafetas mistas, Portugal foi representado por Madalena Almeida, Ricardo Batista, Inês Oliveira e Miguel Tiago Silva. A equipa alcançou a 10ª posição com um tempo total de 01:21:37.

Com a participação de equipas muito fortes, os atletas a portaram-se à altura, com boas prestações nomeadamente da Madalena Almeida e do Ricardo Batista. Inês Oliveira acusou o cansaço resultante da prova do dia anterior, não conseguindo manter-se no grupo pelo que sofreu desgaste de um ciclismo sozinha; Miguel Tiago Silva, o último elemento a entrar em prova, também acabou por não ter companhia durante a sua participação, conseguindo manter a 10ª posição.

Como balanço podemos salientar alguns bons resultados, com uma época que já vai longa, onde por vezes o empenho não consegue superar a o cansaço acumulado.

Parabéns aos atletas por todo o esforço demonstrado e resultados alcançados.

Fonte: FTP

“Alberto Contador considera "Bernal o início de uma nova era" no ciclismo”

Espanhol acredita que qualidade, mentalidade e maturidade fazem do colombiano um corredor especial

Por: Lusa

Foto: EPA

O espanhol Alberto Contador revelou, esta quarta-feira, acreditar que o ciclismo mundial está a viver uma nova era, com o aparecimento do jovem colombiano Egan Bernal (INEOS), que venceu a Volta a França aos 22 anos.

"Creio que o Bernal é o início de uma nova era. A qualidade, mentalidade e maturidade de Bernal fazem dele um corredor especial, aos 22 anos", avançou o antigo corredor, à margem da Global Sports Summit, que está a decorrer no Centro de Congressos do Estoril, em Cascais.

Além de confiar nas capacidades do colombiano, que se tornou no terceiro ciclista mais jovem vencedor pós-guerra, e o terceiro, apenas superado pelo francês Maurice Garin, em 1904, e pelo luxemburguês François Faber, em 1909, Contador confessa ter algumas dúvidas em relação ao regresso às grandes vitórias do inglês Chris Froome, que procura o quinto título no Tour.

"Creio que Froome tem capacidade para voltar ao seu nível, mas outra coisa é ter capacidade para ser mais forte do que Bernal. A questão é essa", defendeu o espanhol, de 36 anos, que detém sete triunfos nas grandes Voltas, duas no Tour, duas no Giro e três na Vuelta.

Em relação ao ciclismo português, o bicampeão do Tour (2007 e 2009) alerta para a necessidade de reflexão de uma modalidade que já deu bons corredores ao ciclismo mundial.

"O ciclismo português já foi muito forte, com o Bruno Pires, o José Azevedo e com outros grandes profissionais, mas é uma pena porque saem poucos ciclistas para o World Tour. Há que analisar o porquê de saírem poucos, mas os que saem são bons. Creio que poderiam seguir o exemplo da minha Fundação. Apostar em ciclistas juniores, trabalhar com eles até à categoria sub-23 e depois à continental. Do nosso projeto, este ano, saíram quatro corredores para o World Tour e julgo que num ano não chegaram quatro portugueses ao World Tour", defendeu.

Durante a palestra ministrada no Centro de Congressos do Estoril, Alberto Contador passou em revista as suas origens no seio de uma família humilde, a carreira desportiva, as maiores e mais importantes vitórias, com o triunfo no Tour Down Under, em 2004, a superar o êxito nas grandes voltas, uma vez que surgiu no seu regresso à competição, após ter sofrido uma grave queda, que lhe causou uma lesão cerebral.

O regresso de Lance Armstrong ao ciclismo em 2009, a suspensão por 'doping', em 2010, e o final de uma carreira de 15 anos com a vitória no Angliru, na Volta a Espanha, em 2017, foram outros temas abordados por Alberto Contador, que garante ter sido o final perfeito.

Fonte: Record on-line

“Mais de 500 ciclistas inscritos no Gran Fondo Aldeias do Xisto”

Dará a conhecer territórios do Fundão e Pampilhosa da Serra

Por: Lusa

Foto: Gran Fondo Aldeias do Xisto

Mais de 500 ciclistas estão já inscritos no Gran Fondo Aldeias do Xisto 2019, que se realiza no dia 29 e que dará a conhecer vários pontos emblemáticos dos concelhos do Fundão e Pampilhosa da Serra.

O programa, apresentado hoje na Pampilhosa da Serra, distrito de Coimbra, inclui o Grande Fondo, numa extensão de 141 quilómetros, a prova Medio Fondo, ao longo de 108 quilómetros, e o Mini Fondo, com 67 quilómetros.

A prova sai do Fundão, passa pelo complexo mineiro das Panasqueira, segue até à Barragem de Santa Luzia e Pampilhosa da Serra e regressa depois ao Fundão, num percurso com subidas e descidas de relevo e que seguirá parte do curso do rio Zêzere, mostrando que este é um "território amigo para o culto do ciclismo".

Organizado pela ADXTUR - Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto, Câmara do Fundão, Câmara da Pampilhosa da Serra e a Ultra Spirit Sports, o evento tem a sede operacional instalada no Fundão, distrito de Castelo Branco, e a expectativa é a de que o número de participantes aumente, à medida que a data se aproxima.

A iniciativa, que teve a primeira edição na Lousã, em 2011, e que entretanto foi apostando noutras portas de entrada para o território, reveste-se de uma dimensão internacional.

Entre os inscritos, há desportistas essencialmente de Portugal e Espanha, bem como de França, Bélgica, Reino Unido, Itália, Suíça e também do Brasil, Uruguai e Venezuela, segundo especificou, em declarações à agência Lusa, Rui Simão, coordenador da ADXTUR.

Este responsável frisou a importância da prova que conta com desportistas profissionais, mas também dá a oportunidade aos outros praticantes de ciclismo de participarem numa prova "bastante exigente e competitiva".

Rui Simão destaca ainda que esta competição se enquadra numa estratégia denominada de "Cycling Portugal - Aldeias do Xisto", que procura conjugar infraestruturas, equipamentos, cultura desportiva e eventos.

Uma abordagem que visa tirar o melhor partido possível das pistas de estradas e circuitos da região.

A aposta tem como pano de fundo "cenários naturais" e "paisagens únicas" e já está a dar resultados em diferentes níveis, designadamente na captação do ciclismo para os territórios de baixa densidade.

"Não é por acaso que na última Volta a Portugal três das etapas saíram do território das Aldeias do Xisto", realçou Rui Simão.

As localidades abrangidas também saem a ganhar com este evento, que promove e divulga o território ao mesmo tempo que "dá vida e outra cor" às comunidades, isto sem esquecer a componente económica.

Além dos ciclistas, a prova também chama acompanhantes e espetadores e deverá levar à região mais de mil pessoas, contribuindo assim para dinamizar a económica local, em particular ao nível das ofertas de alojamento e restauração.

Fonte: Record on-line

“Alerta para a IN(segurança) Rodoviária”


22 de Setembro de 2019 – Alertar para o estado de in(segurança) rodoviária em

Portugal

A Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB) vem, passados quase 6 anos das alterações ao Código da Estrada, alertar para o estado surreal de insegurança rodoviária que se vive em Portugal.

Nas alterações ao Código da Estrada havia claramente a intenção de dar prioridade aos utilizadores vulneráveis da via, desde logo com a criação do conceito, mas também com o incremento da segurança desses utilizadores.

Infelizmente, não passaram de alterações escritas e de uma mera intenção. Aquilo que continuamos a constatar são estradas e cidades feitas para o automóvel e sem condições de segurança para peões, utilizadores de bicicleta e, em particular, das pessoas com mobilidade condicionada.

O desconhecimento das alterações ainda é uma constante. Persistem algumas confusões sobre o que realmente mudou. Mantem-se alguma agressividade por parte de quem, não simpatizando com a bicicleta, se considera acima da lei, acabando por utilizar o automóvel como arma. Mesmo sendo poucos, tais comportamentos são altamente perigosos e podem, em muitos casos, ter consequências gravíssimas. Estes comportamentos deveriam ser tratados no âmbito da responsabilidade criminal.

É urgente uma fiscalização sistemática e uma política de tolerância zero em relação a comportamentos manifestamente perigosos ou agressivos. Não pode haver complacência enquanto não se atingir o objetivo de zero atropelamentos e zero mortes.

Os dados apontam para uma fiscalização quase inexistente (16 multas/1.000hab). Os números negros da sinistralidade rodoviária que foram divulgados recentemente (675 mortes em 2018) estarão certamente relacionados com esta falta de fiscalização. Os comportamentos manifestamente perigosos ou agressivos como por exemplo o excesso de velocidade, ainda são um "crime dos bons malandros" em Portugal. Temos de inverter esta desculpabilização coletiva e exigir uma guerra aos comportamentos de risco na circulação rodoviária.

Só no passado dia 1 de Setembro morreram dois utilizadores de bicicleta em acidentes causados por automóveis. Estamos a falar da vida de duas pessoas e por isso não podemos continuar a fechar os olhos a esta triste realidade.

“Foi o sol”, “estava a chover”, ou “não o vi” são desculpas que muitas vezes significam “vinha ao telemóvel”, ou “vinha em excesso de velocidade”. Não podemos aceitar esse tipo de desculpas. Um erro ou uma falta de atenção, podem custar a vida de uma pessoa.

Os decisores políticos não podem ignorar o que está a acontecer. Este é um tema urgente. Não só consideramos que o governo pode agir, tomando medidas de segurança rodoviária e campanhas de informação e sensibilização conjugadas com uma fiscalização apertada ao cumprimento do Código da Estrada (principalmente no que diz respeito ao excesso de velocidade e ao estacionamento indevido), como também os próprios municípios podem e devem investir em infraestruturas seguras, criar condições promotoras da utilização dos transportes públicos, incrementando a sua qualidade e oferta de nível de serviço, e ainda, aplicar medidas de acalmia de tráfego, sempre que se justifiquem.

A FPCUB depositou esperanças na alteração ao Regulamento de Sinalização de Trânsito, em complementaridade às alterações ao Código da Estrada mas esta alteração recentemente aprovada ficou muito aquém das expetativas. Inúmeras questões que deviam e podiam ter sido contempladas nesta revisão, ficaram esquecidas (ou intencionalmente deixadas de fora). Não esqueçamos também que embora a FPCUB se tenha manifestado disponível para colaborar nessa matéria desde 2013, a mesma não chegou a ser ouvida neste âmbito.

A FPCUB não pretende apontar o dedo a ninguém, nem encontrar culpados, mas sim alertar para que sejam tomadas medidas. Para que se pense qual o caminho a seguir, para que se escolha um futuro mais promissor com o qual as pessoas usufruirão do espaço público sem medo, e onde as crianças brincarão na rua com mais segurança. A acalmia de tráfego é urgente, quer nas cidades, quer fora delas, tal como a fiscalização das velocidades praticadas. Mas acima de tudo necessitamos de consciencializar que a velocidade mata e que grande parte de nós, que utilizamos a bicicleta, podemos, circunstancialmente utilizar o carro ou a mota. E no final do dia, somos todos peões.

Este alerta de consciencialização decorre assim no dia 22 de Setembro, aproveitando o tema deste ano da Semana Europeia da Mobilidade - “Caminhar e Pedalar em Segurança”, bem como o Dia Europeu Sem Carros para materializar o apelo tomando voz e lugar em Faro, Lisboa, Aveiro, Porto e Braga.

Está na hora de agir. Sempre Alerta pela IN(segurança) Rodoviária!

Fonte: FPCUB

“Agenda de Ciclismo”

Taça de Portugal de BMX Race prossegue na Figueira da Foz

Por: José Carlos Gomes

A penúltima ronda dupla da Taça de Portugal de BMX Race disputa-se, no próximo fim de semana, na Figueira da Foz. Sábado, será noite de Subida à Glória, no coração de Lisboa. Domingo corre-se, em Santa Maria, Açores, a terceira prova da Taça de Portugal de Enduro.

As sétima e oitava provas da Taça de Portugal de BMX Race acontecem, sábado e domingo, na pista de Vila Verde, Figueira da Foz. Os treinos de sábado iniciam-se às 14h30, estando as corridas marcadas para as 16h30. No dia seguinte, treina-se a partir das 9h30 e corre-se das 10h30 em diante.

A Taça de Portugal de Enduro BTT chega à terceira de quatro provas pontuáveis neste domingo, em Santa Maria, Açores. A Vila do Porto será o centro de toda a ação, que contará com 6 percursos especiais classificativos. O arranque está marcado para as 9h00.

A noite de sábado será de Glória no Bairro Alto, no coração de Lisboa, local de chegada da Subida à Glória, uma festa sobre duas rodas, que leva os participantes a pedalar desde os Restauradores até ao alto da Calçada da Glória. Mais do que uma corrida, será um momento de celebração e convívio, uma noite descontraída com as bicicletas, com início às 20h00.

 

Mais eventos oficiais

20 a 22 de setembro: Madrid – Lisboa

21 de setembro: Encontro de Escolas de BTT, Cantanhede

21 de setembro: Taça Regional de XCO, Gouveia

21 de setembro: Resistência BTT da Freguesia de Castelo Branco

21 de setembro: 2.ª Prova da Taça da Madeira de DHU, S. Vicente

22 de setembro: Monção e Melgaço Granfondo

22 de setembro: Taça Regional do Porto de XCO, Moure, Amarante

22 de setembro: Diversão sobre Duas Rodas, S. João da Madeira

22 de setembro: Troféu de XCO do Norte Alentejano, Chança, Alter do Chão

23 a 28 de setembro: BikingMan Portugal, Algarve

Fonte: FPC

“Equipa Portugal/Tiago Ferreira vai bater-se pelo pódio no Mundial de XCM”

Por: José Carlos Gomes

O campeão europeu de maratona BTT (XCM), Tiago Ferreira, vai bater-se, no próximo domingo, em Grächen, Suíça, pelo pódio no mundial da especialidade.

O corredor viseense vai representar a Equipa Portugal, tal como José Dias, colega de equipa de Tiago Ferreira na DMT Racing Team. Depois de ter conquistado o Campeonato da Europa, na Noruega, em julho, Tiago Ferreira parte com intenção de chegar ao pódio no Mundial.

“O objetivo é conseguirmos uma posição de pódio. Obviamente, que o Tiago Ferreira, que está num excelente momento e muito focado nesta prova, irá dar tudo para tentar o título mundial”, afirma o selecionador nacional, Pedro Vigário.

A prova, com 91,6 quilómetros, inicia-se às 9h00. O percurso praticamente não tem zonas planas, estendendo-se por um demolidor sobe e desce, que colocará os corredores entre os 661 e os 1792 metros de altitude, com um acumulado de subida na ordem dos quatro mil metros.

“O percurso é duro, já conhecido do circuito internacional de BTT. É um traçado seletivo, reunindo as condições ideais para definir o campeão mundial”, considera o selecionador nacional.

Tiago Ferreira soma já dois títulos europeus (2017 e 2019), um título mundial (2016) e uma medalha de prata no Campeonato do Europa (2016) e um segundo lugar no Campeonato do Mundo (2017).

Fonte: FPC

“Miguel Carvalho triunfa no Seixa”

Texto: AfterTwo //works

Fotos: Glória Carvalho e Pedro Melim  

O júnior Miguel Carvalho, da Academia Joaquim Agostinho/UDO, foi o grande vencedor do Prémio de Ciclismo inserido no festival desportivo da 36ª Seixaliada que decorreu este domingo na Aldeia de Paio Pires, no Seixal.

O atleta do Cadaval levou a melhor de uma fuga a quatro que rolou na frente grande parte da corrida, sendo o mais forte do trio que disputou o sprint final para a meta. Os atletas completaram os 55,8 km de prova em 1 hora e 27 minutos a uma média de 38 km por hora.

Daniel Gonçalves chegou na 5ª posição cerca de 1 minuto depois do colega vitorioso, enquanto André Silva foi o 7º a cruzar a meta, garantindo a vitória coletiva para formação de Torres Vedras.  Bernardo Jorge (13º), Duarte Bento (15º), João Ferreira (19º), Pedro Santos (21º) e Henrique Fróis (23º) foram os outros elementos que ajudaram ao sucesso equipa.

Na prova para o escalão de cadetes, Tiago Costa e Mário Hipólito foram os primeiros da Academia a cruzar a meta no 9º e 15º posto. Os atletas concluíram o total dos 42 km do desafio em 1 hora e 11 minutos, mais 2 que o campeão nacional António Morgado, que venceu a corrida. Com a ajuda do 16º lugar do Afonso Hermenegildo e do 18º do Daniel Jorge, a equipa terminou a competição na 4ª posição da tabela coletiva.

 

Escola Joaquim Agostinho/UDO acelerou no Autódromo

Os pequenos "Agostinhos" da escola de ciclismo da Academia torriense viveram uma experiência inesquecível no Autódromo Fernanda Pires da Silva no Estoril. Os atletas participaram no encontro inserido na "Corrida Auchan", num dia marcado por muita animação e convívio, momentos partilhados entre os jovens desportistas mas também com os pais e amigos.

Miguel Malhado e Francisco Massa andaram a alta velocidade nas provas para juvenis e infantis e conquistaram o 3º lugar no pódio das respetivas categorias. O Gustavo Rodrigues e o Rúben Pedro foram os 6º e 7º melhores em benjamins, enquanto o iniciado Alexandre Rocha alcançou a 4ª posição.

Nos juvenis, Tomás Diogo concluiu o encontro no 8º lugar, 2 lugares acima de Guilherme Sarreira que foi 10º. Com estes resultados, a Escola Joaquim Agostinho/UDO conquistou um brilhante 2º lugar no pódio da edição 2019 da Corrida Auchan.

Fonte: Academia Joaquim Agostinho

 

“14º Prémio Nacional “Mobilidade em Bicicleta”2019”

Revista Notícias do Pedal Galardoada na categoria de Comunicação Social
 
Texto: José Morais
Fotos: Helena e José Morais

Realizou-se esta quarta-feira pelas 17 horas, no Auditório da Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro em Telheiras, Lisboa, a 14ª edição do Prémio Nacional “Mobilidade em Bicicleta”, numa organização da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicletas-FPCUB. 

A FPCUB decidiu criar, em 2006, o Prémio Nacional “Mobilidade em Bicicleta” de forma a reconhecer publicamente o contributo de determinadas entidades ou pessoas individuais que tenham promovido a utilização da bicicleta nas suas múltiplas vertentes, através da criação ou melhoria de condições e facilidades em Portugal e/ou da divulgação de iniciativas fomentadoras do uso deste modo de transporte não motorizado.

No âmbito da atribuição do Prémio Nacional “Mobilidade em Bicicleta” são anualmente consideradas diversas categorias. Em 2019 foram galardoadas as seguintes categorias: Internacional, Autarquias e Freguesias, Associações, Comunicação Social, Instituições de Ensino e Ativismo e Intervenção Social.

Na categoria de Internacional, o galardoado foi Carlos Pérez Olozaga. Na categoria de Autarquias e Freguesias, foram galardoados as Juntas de Freguesias do Lumiar e São Victor. Na categoria de Entidades Públicas, o galardoado foi o Aeródromo de Manobra nº1. Na categoria de Instituições de Ensino, foram galardoados os Agrupamentos de Escolas da Gafanha da Nazaré, Vergílio Ferreira e Pinheiro e Rosa.

Na categoria de Ativismo e Intervenção Social, o galardoado foi Pedalar Sem Idade Lisboa. Na categoria de Cidadania, o galardoado foi José Gonçalves, mais conhecido no pelotão pelo “Estica” o homem que pedala sempre com uma bandeira. Na categoria de Comunicação Social, galardoada a Revista Notícias do Pedal. Na categoria de Associações e Clubes, os galardoados foram a Associação Recreativa Pescadores da Musgueira Norte, e Futebol Clube Alvaladense.

Pode visualizar mais fotos em: