domingo, 21 de julho de 2019

“Vasco Vilaça alcança a 15º posição na sua primeira WTS em Edmonton”

Vasco Vilaça estreou-se na penúltima etapa do Campeonato do Mundo de Triatlo com um excelente 15º lugar.

Realizou-se hoje, 21 de julho, a penúltima etapa do Campeonato do Mundo de Triatlo, em Edmonton, no Canadá. Vasco Vilaça, o triatleta mais novo em prova, conseguiu alcançar um excelente 15º lugar na sua estreia absoluta nesta competição. O triatleta fez o tempo de 00:55:56, ficando a um minuto e quatro segundos do vencedor da prova Jonathan Brownlee.

Desde a primeira transição que se destacou um grupo de cinco atletas composto por Vincent Luis, Jonathan Brownlee, Marten Van Riel, Ben Kanute e Matthew Hauser.  Depois de um segmento de natação confuso, Vasco saiu em 46º lugar do segmento de natação juntamente com outros atletas, foi recuperando posições e conseguiu integrar o segundo grupo do ciclismo, onde que se manteve com cerca de 30 atletas  quase até ao final do segmento. Na última volta do ciclismo, a entrar para a segunda transição, houve uma queda que envolveu vários atletas do grupo onde Vilaça seguia, mas, apesar de tudo, o triatleta conseguiu desviar-se e manter-se na competição.

Vilaça fez um bom segmento de corrida, conseguindo ainda terminar ao sprint na 15ª posição, concretizando assim uma excelente estreia na sua primeira prova do World Triathlon Series.

O vencedor da prova foi Jonathan Brownlee, da Grã Bretanha, com o tempo de 00:54:52, na segunda posição, com o melhor tempo parcial da corrida ficou o espanhol Mario Mola com 00:54:57 e o belga Marten Van Riel alcançou a terceira posição e o seu primeiro pódio em WTS com o tempo de 00:55:02.

Vasco Vilaça ficou assim entre os melhores 15 do mundo, uma prova que contou com nomes do triatlo mundial como Vincent Luis, Mario Mola, Jonathan Brownlee, Fernando Alarza ou Javier Gomez Noya.

Miguel Arraiolos, o outro triatleta nacional que participou na competição, não concluiu a prova devido a um atraso na água que não conseguiu recuperar.

Fonte: FTP

“Valverde irritado com Quintana”

Colombiano quebrou na subida ao Tourmalet

Foto: EPA

Numa etapa onde os portugueses estiveram discretos, a Movistar, de Nelson Oliveira, trocou o chefe de fila, sendo agora o espanhol Alejandro Valverde quem comanda: "Assumimos a despesa da corrida e tentámos ganhá-la, mas Quintana não estava bem. Não o sabíamos, pois ele não nos disse nada. Não sei o que aconteceu, perguntem-lhe. É claro que a liderança mudou", revelou o campeão mundial. Quintana reagiu: "É claro que tive um mau dia e só me resta trabalhar para Valverde e Landa."

Fonte: Record on-line
Francês satisfeito por ter vencido a etapa deste sábado

Por:Lusa

A primeira grande chegada em alto da 106.ª edição da Volta a França em bicicleta terminou este sábado com festa francesa, com o triunfo de Thibaut Pinot (Groupama-FDJ) no topo do Tourmalet, onde Julian Alaphilippe (Deceuninck-Quick Step) reforçou a liderança.

Na presença do Presidente francês, Emmanuel Macron, Pinot impôs-se no primeiro final em alto nos Pirenéus na 'Grande Boucle' de 2019, ao concluir os 111 quilómetros desde Tarbes, em 3:10.20 horas, impondo-se nos últimos 250 metros dos 19 quilómetros da subida final a Alaphilippe e ao holandês Steven Kruijswijk (Jumbo-Visma), que apenas cederam seis segundos.

Alaphilippe, depois de ter vencido o contrarrelógio, voltou a aumentar a vantagem sobre o britânico e campeão em título Geraint Thomas (INEOS), campeão em título e que hoje não foi do oitavo lugar, a 36 segundos de Pinot.

"É realmente incrível conseguir terminar mais um dia de amarelo", frisou Alaphilippe, que, ao lado de Pinot, mereceu o agradecimento de Macron na chegada.

A etapa 'começou' com a subida a Soulor, com o belga Tim Wellens (Lotto-Soudal), o italiano Vincenzo Nibali (Banhrain-Merida) e o francês Elie Gesbert (Arkea-Samsic) a mostrarem-se na frente de uma fuga lançada aos 14 quilómetros.

Já sem o campeão de 2014, foi Gesbert que iniciou os 19 quilómetros da derradeira subida isolado, com uma inclinação de 7,4%, na qual chegou a ter a companhia de Romain Sicard (Direct Energie), numa iniciativa anulada a 10,5 quilómetros da meta.

Nessa altura, já Romain Bardet (AG2R La Mondiale), Daniel Martin (UAE-Emirates) e Adam Yates (Michelton-Scott) descolavam desse primeiro pelotão, encabeçado pela Movistar, cujo ritmo deixava para trás o colombiano Nairo Quintana, um dos líderes da equia.

A alemã Arkea-Samsic não desistia e o seu chefe de fila e campeão francês Warren Barguil assumiu o risco inicial, selecionando ainda mais um grupo, que foi perdendo, entre outros, Enric Mas (Deceuninck-Quick Step).

Mas, foi David Gaudu (Groupama-FDJ), a quatro quilómetros do final, que insistiu, preparando a vitória do seu chefe de final e 'vitimando' o espanhol e campeão do mundo Alejandro Valverde (Movistar).

No quilómetro final, já depois de a Jumbo-Visma ter comandado a etapa, o britânico Geraint Thomas (INEOS), vencedor do Tour em 2018, descolou do primeiro grupo, no qual permanecia o seu companheiro de equipa e colombiano Egan Bernal, mas sem conseguir à investida vitoriosa de Pinot.

"Desde a minha estreia no Tour que pensava conquistar uma etapa, esta. O Tourmalet é mítico, estou feliz. Eu tenho esta raiva em mim [de ter perdido tempo em Saint-Étienne, na oitava tirada], que foi uma injustiça. Não merecíamos o que aconteceu", afirmou Pinot, que já tinha vencido etapas da 'Grande Boucle' em 2012 e 2015.

O corredor francês, de 29 anos, que subiu ao sexto lugar, a 3.12 minutos de Alaphilippe, tornou-se hoje no terceiro vencedor de etapas com chegada no topo dos 2.115 metros do Tourmalet, depois dos triunfos de Jean-Pierre Danguillaume, em 1974, e do luxemburguês Andy Schleck, em 2010.

Também Alaphilippe celebrou, ao distanciar-se de Mas, Quintana, Martin e Adam Yates, mas sobretudo por ter ampliado a diferença para Thomas, um dia depois de lhe ter arrebatado 14 segundos na sua especialidade, o contrarrelógio.

"Já não me sentia muito bem desde o início, sentia-me um bocado fraco", reconheceu Thomas.

Mesmo assim a sucessora da Sky mantém Bernal entre os primeiros, no quarto lugar a três minutos da liderança, beneficiando da 'queda' na classificação de Mas, do quarto para o 10.º, após perder 2.54 minutos, enquanto Kruijswijk segurou o segundo lugar, a 2.14.

A etapa de hoje acabou por ter os seus 111 quilómetros reduzidos em 6,5, depois de uma manifestação ter atrasado a partida, em Tarbes.

No domingo, o pelotão da 106.ª edição da 'Grande Boucle' vai enfrentar os 185 quilómetros de nova etapa pirenaica, a 15.ª etapa da prova, entre Limoux e Foix, numa ligação com quatro contagens de montanha, uma de segunda e três de terceira, a última das quais na chegada.

Fonte: Record on-line

sábado, 20 de julho de 2019

“Alaphilippe reforça liderança do Tour no triunfo de Pinot no Tourmalet”

Ciclista francês terminou a 14.ª etapa no segundo lugar

Por: Lusa

Foto: Reuters

O francês Julian Alaphilippe (Deceuninck-Quick Step) reforçou este sábado a liderança da Volta a França em bicicleta, ao terminar no segundo lugar a 14.ª etapa, que terminou no Tourmalet, onde venceu o seu compatriota Thibaut Pinot (Groupama-FDJ).

Pinot assegurou o seu terceiro triunfo em etapas do Tour, ao concluir os 111 quilómetros desde Tarbes, em 3:20.20 horas, menos seis segundos do que Alaphilippe e do que o holandês Steven Kruijswijk (Jumbo-Visma), segundo e terceiro classificados, respetivamente.

Com o segundo lugar na etapa, que culminava com um prémio de montanha de categoria especial, após 19 quilómetros de subida, Alaphilippe, um dia depois de vencer o contrarrelógio individual, voltou a cimentar o seu primeiro lugar, aumentando para 2.02 minutos a vantagem sobre o britânico Geraint Thomas (INEOS), vencedor da prova em 2018, que hoje não foi além do oitavo lugar, a 36 segundos de Pinot.

No domingo, o pelotão da 104.ª edição da 'Grande Boucle' vai enfrentar os 185 quilómetros da 15.ª etapa, entre Limoux e Foix, numa ligação com quatro contagens de montanha, uma de segunda e três de terceira, a última das quais na chegada.

Fonte: Record on-line

sexta-feira, 19 de julho de 2019

“Este sábado e domingo mais um direto do Notícias do Pedal no Facebook…”

Este sábado 20, e domingo 21 de julho, o Notícias do Pedal-TV vai marcar presença em Pombal, em mais uma edição do “18º Bodo da Bicicletas/14 Horas a Pedalar 2019”


A partir das 19,30 horas da tarde de sábado iremos estar em Pombal diretamente para o Facebook, onde será realizado este grande evento.


Entrevistas, as pedaladas, entre outros momentos grandes, poderão ser vistos em direto ao longo do final de tarde de sábado, ao longo da noite, e ao longo de domingo.


Não se esqueça, sábado a partir das 19,30 horas, aqui em direto para todos, um evento que muito promete.

Reportagem completa da Revista Notícias do Pedal.

Nota da Redação.

“Divulgação do Manual de Candidaturas ao CAR JAMOR 2019/2020”

Já se encontra divulgado o Manual de Candidaturas ao CAR Jamor para a época 2019/2020 com o seguinte calendário

19 de julho – Divulgação do Manual de Candidaturas ao CAR Jamor;

22 de julho – Data limite de envio das candidaturas;

25 de agosto – Divulgação dos selecionados e formalização das candidaturas junto do CAR JAMOR;

2 de agosto – Reunião com os selecionados e Encarregados de Educação (data e local a confirmar)

Fonte: FTP

“Campeonato do Mundo de Triatlo em Edmonton”

No dia 20 de julho irá realizar-se o Campeonato do Mundo de Triatlo em Edmonton, Canadá, que conta com a presença de dois triatletas nacionais: Vasco Vilaça e Miguel Arraiolos irão disputar esta etapa do World Triathlon Series no dia 20 de julho, sábado, às 17h30, hora local, 7 horas mais tarde em território nacional continental, 00h30 da madrugada de domingo, já no dia 21 de julho.

Vasco Vilaça, que ao longo do seu percurso de júnior alcançou excelentes resultados, terá nesta prova a sua estreia no Campeonato do Mundo.

Miguel Arraiolos irá disputar pela primeira vez este ano uma WTS pelo que tentará igualmente alcançar a melhor posição possível.

Participantes portugueses: Vasco Vilaça e Miguel Arraiolos

Partida elite masculina: domingo, 21 de julho, 00h30 (madrugada), hora portuguesa

Fonte: FPT

“Rios Ibericos Triathlon recebe o Campeonato Nacional de Clubes de Triatlo Contrarrelógio”

O Campeonato Nacional de Clubes de Triatlo de Contrarrelógio por Equipas realiza-se no dia 20 de julho.

A prova terá início às 15h30, hora em que os atletas irão partir para o percurso de natação de 750 metros, seguido de 20km de ciclismo e mais 5km de corrida.

A partida será dada no Cais do Torrão, o parque de transição 1 localiza-se na Marina de Entre-os-Rios e o parque de transição 2 e a meta no Cais de Boure – Sardoura. O percurso será realizado nas margens do Rio Douro, nos concelhos de Marco de Canavezes no Cais de Torrão, em Penafiel, na Marina de Entre-os-Rios e em Castelo de Paiva no Cais de Boure – Sardoura. A natação inclui um percurso de ida e volta, o ciclismo, com um percurso essencialmente plano, será feito no traçado da IC35 e incluirá uma subida mais acentuada depois de passar a ponte da IC 35. A corrida será realizada pelo bonito percurso ao longo da margem do rio Douro, sendo maioritariamente plana, exceto a subida a meio do percurso para a ponte Hintze Ribeiro.

A classificação coletiva é apurada pelo tempo do terceiro atleta a cruzar a linha de meta de cada clube no género masculino, e pelo tempo da terceira atleta a cruzar a linha de meta de cada clube no género feminino.

Esta prova conta com a entidade promotora a CIMTS – Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, com organização e apoio técnico da Federação de Triatlo de Portugal em parceria na organização com o Gabinetes de Desporto, Social, Turismo, Cultura e Juventude do Centro Social Sol Nascente de Castelo de Paiva, bem como as Câmaras Municipais da região de Entre-os-Rios, Juntas de Freguesia e Associações locais.

Esta etapa do Campeonato é disputada no formato de contrarrelógio, uma competição muito dinâmica em que cada atleta parte com um minuto de diferença. Consulte as normas específicas das provas de contrarrelógio aqui


Campeonato Norte de Clubes de Triatlo Estrada

No dia 21 de julho é a vez da realização do Campeonato Norte de Clubes de Triatlo Estrada, uma competição disputada na distância standard.

Haverá também um Triatlo Sprint e Duatlo Sprint de promoção da modalidade para todos os interessados possam participar.

Fonte: FTP

“Tour/Alaphilippe: «Nem ouvi as informações do meu diretor, estava louco com o público»”

Francês ganhou o contrarrelógio e reforça o estatuto de camisola amarela

Por: Lusa

O ciclista francês Julian Alaphilippe (Deceuninck-Quick Step) tinha esta sexta-feira a camisola amarela em perigo da Volta a França, mas respondeu com triunfo inequívoco no contrarrelógio de 27,2 quilómetros em Pau.

"É incrível! Sabia que poderia fazer um bom tempo, que iria dar tudo, mas não que venceria à frente de grandes corredores como Geraint Thomas. Empurrei os meus limites e nem ouvi as informações do meu diretor, estava louco com o público. Dei tudo o que tinha. A minha equipa estava no carro a chorar", disse Alaphilippe, que fez o exercício em 35 minutos.

Geraint Thomas (INEOS), que defende a vitória de 2018, era a grande ameaça ao comando do gaulês: o britânico partiu para a 13.ª etapa a 1.12 minutos e teria sido o natural vencedor, não fosse o desempenho inesperado e extraordinário do seu adversário, que o deixou a 14 segundos, aumentando o seu conforto na frente para 1.26 minutos.

"Não esperava isso de Julian Alaphilippe. Ele está incrivelmente bem e é definitivamente um dos favoritos, ou um daqueles a ter em conta agora. Claro que pode manter a camisola amarela até o fim. A maneira como ele corre, se continuar assim vai ganhar. Mas ainda há muita estrada e muitas dificuldades", disse Geraint Thomas.

No dia em que se comemoraram aos 100 anos da entrega da primeira camisola amarela no Tour, Alaphilippe passou à frente do seu maior rival em todos os pontos intermédios e concluiu a prova em 35 minutos certos, voando a 47,3 km/h.

O belga Thomas de Gendt (Lotto-Soudal) e o colombiano Rigoberto Urán (Education First) repartiram o terceiro lugar, a 36 segundos.

Nelson Oliveira (Movistar) foi o melhor português, em 11.º, falhando 'top 10' por dois segundos. Em 116.º terminou José Gonçalves (Katusha-Alpecin), a 4.36, e em 136.º Rui Costa, (UAE-Emirates), a 5.7.

Alaphilippe tem no sábado um novo duro exame, em curta etapa de 117,5 quilómetros, mas com a meta instalada no mítico Tourmalet, a 2.115 metros de altitude, numa contagem de categoria especial.

A Deceuninck-QuickStep, que trazia o espanhol Enric Mas, agora quarto classificado, vai tentar ver até onde pode ir Alaphilippe, que carrega o sonho de todo uma França, que não tem um vencedor do Tour desde Bernard Hinault, em 1985.

A INEOS, de Geraint Thomas e do colombiano Egan Bernal, quinto a 2.52, tem a maior responsabilidade da tirada, até porque o ciclista britânico já chegou a dizer que Alaphilippe não era necessariamente um adversário a ter em conta na luta pelo triunfo final.

Longe dos lugares cimeiros, Rui Costa (UAE Emirates) é 51.º a 35.04 minutos, Nelson Oliveira (Movistar) 94.º a 1:17.17 horas, e José Gonçalves (Katusha-Alpecin) 128.º, a 1:42.33.

Fonte: Record on-line

“Ciclistas da Volta a França surpreendidos com colega... 'voador'”

Valentin Anouilh, de 21 anos, terá passado cerca de seis meses a treinar para este salto

Os ciclistas que participam na Volta a França foram surpreendidos por um colega amador montado numa bicicleta de montanha que saltou por cima do pelotão à passagem pela região de Saint-Flour.

O jovem Valentin Anouilh, de 21 anos, terá passado cerca de seis meses a treinar para este salto, utilizando uma rampa para se lançar nos ares.

Fonte: Record on-line
 

“Tour/Julian Alaphilippe vence contrarrelógio e reforça liderança da geral”

Português Nelson Oliveira foi 11.º

Por: Lusa

O ciclista francês Julian Alaphilippe (Deceuninck-QuickStep) venceu esta sexta-feira o contrarrelógio da 13.ª etapa da Volta a França, reforçando assim a sua vantagem na liderança no Tour para o britânico Geraint Thomas (INEOS).

Os 27,2 quilómetros com início e fim em Pau foram cumpridos pelo gaulês em 35 minutos certos, ganhando assim 14 segundos a Thomas, enquanto o belga Thomas de Gendt (Lotto-Soudal) foi terceiro, a 36.

Alaphilippe lidera agora com 1.26 minutos de vantagem sobre Geraint Thomas e 2.12 sobre o holandês Steven Kruijswijk (Jumbo-Visma).

O português Nelson Oliveira (Movistar) foi 11.º a 1.03.

No sábado os ciclistas percorrem 117,5 quilómetros entre Tarbes e o mítico Tourmalet, uma subida de 19 quilómetros com inclinação média de 7,4 por cento e que termina a 2.114 metros de altitude.

Fonte: Record on-line

“Não há duas sem três?”

Dragão Alarcón comanda pelotão da Volta a Portugal

O vencedor das duas últimas Voltas, o espanhol Raúl Alarcón (W52-FC Porto), será o dorsal número 1 na 81ª Volta a Portugal Santander. A Grande Partida da competição ciclista vai acontecer, este ano, em Viseu já no próximo dia 31 e estende-se até 11 de agosto quando terminar no Porto.

O pelotão será composto por 133 homens em representação de 19 equipas.

Nas últimas horas a formação irlandesa Evo Pro Racing que tinha “a Portuguesa” como um dos principais objetivos do ano anunciou que não poderá participar devido a constrangimentos de última hora.  O diretor geral da equipa, Patrick John Nolan, referiu-se às lesões de alguns elementos. “Fomos atingidos por uma vaga sem precedentes de doenças e lesões que não se reabilitam tão depressa e a equipa ficou depauperada. Infelizmente não podemos estar na linha de partida.”

Além de explicar os fundamentos para a decisão de não alinhar na Volta a Portugal, Nolan agradeceu ainda a confiança que a Podium, empresa que organiza a prova, depositou no conjunto irlandês. “Reconhecemos a chance que nos deram, mas com a equipa tão debilitada não poderíamos honrar a participação nesse evento tão prestigioso. Desejamos aos organizadores uma boa prova.”

Além do dorsal número 1 de Raúl Alarcón, a lista de pré-inscritos divulgada agora pela organização avança já o nome de todos os participantes. A listagem é provisória e só depois de realizada a reunião de Diretores Desportivos, na véspera da competição, serão confirmados todos os nomes.

Fonte: Podium

quinta-feira, 18 de julho de 2019

“34º Prémio Cidade de Barcelos”

O tradicional Prémio de Ciclismo Cidade de Barcelos realiza-se no dia 21 de julho. A 34ª edição da prova destina-se aos escalões de escolas, cadetes e juniores, sendo pontuável para a Taça do Minho de Ciclismo de Estrada - Arrecadações da Quintã.

Organizado conjuntamente pela Associação de Ciclismo do Minho e pelo Centro Ciclista de Barcelos, as diversas provas do 34º Prémio Cidade de Barcelos serão realizadas nas imediações da avenida da Liberdade.

O arranque das diversas provas está marcado para as 9 horas, prevendo-se que a cerimónia protocolar e de entrega de prémios ocorra pelas 12h30.

A prova de destreza será realizada no Largo da Feira enquanto as provas em linha serão disputadas num circuito de 2,5 quilómetros (Avenida da Liberdade, Avenida Combatentes Grande Guerra, Largo dos Capuchinhos, Avenida Alcaide Faria, estação da CP, Rua Bom Sucesso, Avenida Dr. Sidónio Pais, Avenida da Liberdade).

No ano passado, o 33º Prémio de Ciclismo Cidade de Barcelos foi disputado por cerca de três centenas de jovens atletas, levando a festa do ciclismo à localidade minhota.

O 33º Prémio Cidade de Barcelos organizado pela Associação de Ciclismo do Minho e pelo Centro Ciclista de Barcelos conta com o apoio da Câmara Municipal de Barcelos, AFF Electrodomésticos, Flynx, Federação Portuguesa de Ciclismo, Cision, Score Tech, Arrecadações da Quintã, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design e Navega Rías Baixas.

Fonte: ACM

“Grande Prémio do Minho de regresso à estrada”

O Grande Prémio do Minho em ciclismo regressa à estrada de 25 a 28 de julho com Melgaço, Guimarães e Vieira do Minho a assumirem um papel de destaque no desenrolar da competição. Destinado ao escalão de juniores e organizado pela Associação de Ciclismo do Minho, em colaboração com a Federação Portuguesa de Ciclismo, o 31º Grande Prémio do Minho será disputado por um pelotão de cerca de centena e meia de ciclistas em representação de 24 equipas, 17 portuguesas, uma belga, uma colombiana e cinco espanholas.

Com o arranque da competição em Melgaço com um contrarrelógio por equipas, a primeira etapa terá início no centro da cidade de Guimarães e terminará em Santo Antonino, na freguesia vimaranense de Mesão Frio. Vieira do Minho, terra de encantos, ao acolher a partida e chegada da segunda etapa será o concelho que ajudará a definir o vencedor da 31ª edição do Grande Prémio do Minho. O pelotão rumará no último dia até Melgaço, o Município mais a Norte de Portugal, para enfrentar um trajeto delineado no “destino de natureza mais radical de Portugal” que terminará em Castro Laboreiro onde no ano passado se assistiu a uma chegada épica do Grande Prémio do Minho.

Durante os 278,6 quilómetros da prova estarão em disputa diversas contagens de montanha e metas volantes, assim como as classificações gerais individual por tempos (Camisola Amarela: Discover Melgaço), por pontos (Camisola Verde: Score Tech), da Montanha (Camisola Azul: Arrecadações da Quintã), do melhor júnior de primeiro (Camisola Laranja: Cision), do melhor atleta da Associação de Ciclismo do Minho (Camisola Branca: Universidade do Minho) e por equipas. A montanha será um fator decisivo na definição dos vencedores do 31º Grande Prémio do Minho, estando previstas oito contagens de montanha, mas as metas volantes, num total de sete, constituirão certamente um fator que aumentará a competitividade até ao último momento.

Além das principais formações portuguesas, está confirmada a participação da equipa belga ACRG / Pauwels Sauzen / Balen BC, da colombiana Team Ingenieria de Vias / Monsalud e das espanholas Banco Santander, Fundacion Lintxu / G.D. Indarra, Ginestar – ULB, Arte en Transfer / LPS e Club Ciclista Padrones / Aluminios Cortizo.

As equipas portuguesas inscritas são as seguintes: C.C. Barcelos / AFF / H.M. Motor / Flynk / Orbea, Seissa / KTM Bikeseven / Matias & Araújo / Frulact, Tensai / Sambiental / Santa Marta, Academia Joaquim Agostinho / UDO, ACD Milharado / Driveonholidays / Mafra, Alcobaça Clube de Ciclismo / Crédito Agrícola, Anipura / GDM / Escola Alexandre Ruas, Bairrada, Efapel / Ovar "Território de Emoções", Escola de Ciclismo Bruno Neves, Fortuna / Maia Formação, LA Alumínios / SGR  Ambiente / CC A. Paio Pires, Mato Cheirinhos / Vila - Galé / Etopi, SC Bike Team / Academia NRV, Silva & Vinha / Adrap / Sentir Penafiel, União Ciclismo da Trofa e Vito / Feirense / PNB.

Recorde-se que no ano passado, com emoção até ao último metro, Vieira do Minho consagrou João Macedo (Sicasal/Liberty Seguros/Bombarralense) como o grande vencedor da 30ª edição do Grande Prémio do Minho. João Macedo conquistou a camisola amarela (CJR – Cândido José Rodrigues) e a laranja (Cision), enquanto João Afonso (Centro Ciclista Barcelos A.F.F/Orbea/Onda) a camisola verde (Controlsafe), Pedro Andrade (Vito/Feirense/Blackjack) a azul (Arrecadações da Quintã) e Pedro Silva (Seissa|KTM-Bikeseven|Matias&Araújo|Frulact) a branca (Universidade do Minho).

O 31º Grande Prémio do Minho, organizado pela Associação de Ciclismo do Minho em parceria com a Federação Portuguesa de Ciclismo, conta com o apoio da Câmara Municipal de Melgaço, Câmara Municipal de Guimarães, Câmara Municipal de Vieira do Minho, Discover Melgaço (Camisola Amarela), Score Tech (Camisola Verde), Arrecadações da Quintã (Camisola Azul), Cision (Camisola Laranja), Universidade do Minho (Camisola Branca), Junta de Freguesia de Mesão Frio - Guimarães, Fermir, Confeitaria Alvorada, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design, Navega Rías Baixas, AFAcycles, Guimarpeixe, Café Bogani, Auto Terror, Centro de Estágios de Melgaço, Workview, Jopedois, RS Bikes, Roda na Frente e Correio do Minho (jornal oficial).


31º GRANDE PRÉMIO DO MINHO - 25 a 28 de julho de 2019

RESUMO DAS ETAPAS

Prólogo (CRE) - Quinta-feira, 25 de julho de 2019

Melgaço > Melgaço - 6,4 kms

Partida: 16h00 (1ª equipa) - Praça da República (Melgaço)

Chegada: 16h10 (1ª equipa) - Rua Dr. Afonso Costa (Melgaço)


1ª etapa - Sexta-feira, 26 de julho de 2019

Guimarães > Santo Antonino (Mesão Frio) - 69,6 kms

Partida: 13h30 - Largo da Mumadona (Guimarães)

Chegada: 15h24 - Santo Antonino (Mesão Frio - Guimarães)


Metas Prémio da Montanha

• Fafe (3ª catª) - Km 58,6 (melhor horário: 15h07) - MM Arrecadações da Quintã

• Fareja (3ª catª) - Km 65,3 (melhor horário: 15h18) - MM Arrecadações da Quintã

• Santo Antonino (2ª catª) - Km 69,6 (melhor horário: 15h24) - MM Arrecadações da Quintã


Metas Volantes

• Centro de Ciclismo do Minho - Guimarães (Souto Stª Maria) - Km 15,7 (melhor horário: 13h59) - MV SCORE Tech

• Póvoa de Lanhoso - Km 26 (melhor horário: 14h16) - MV Pormenor Building


2ª etapa - Sábado, 27 de julho de 2019

Vieira do Minho > Vieira do Minho - 97 kms

Vieira do Minho - Terra de Encantos

Partida: 13h00 - Avenida Barjona de Freitas (Vieira do Minho)

Chegada: 15h33 - Avenida Barjona de Freitas (Vieira do Minho)


Metas Prémio da Montanha

• Serradela (1ª catª) - Km 43,4 (melhor horário: 14h08) - MM Arrecadações da Quintã


Metas Volantes

• Vieira do Minho (passagem pela meta) - Km 19,3 (melhor horário: 13h30) - MV SCORE Tech

• Vieira do Minho (passagem pela meta) - Km 75,1 (melhor horário: 14h58) - MV SCORE Tech
                 

3ª etapa - Domingo, 28 de julho de 2019

Melgaço > Castro Laboreiro  (Melgaço) - 105,6 kms

Melgaço - O destino de natureza mais radical de Portugal

Partida: 12h10 - Avenida da Inês Negra (junto à Câmara Municipal de Melgaço)

Chegada: 15h01 - Castro Laboreiro (Melgaço)


Metas Prémio da Montanha

• Variante Melgaço (3ª catª) - Km 9,1 (melhor horário: 12h29) - MM Arrecadações da Quintã

• Variante Melgaço (3ª catª) - Km 40,9 (melhor horário: 13h19) - MM Arrecadações da Quintã

• Fiães (1ª categoria) - Km 72,8 (melhor horário: 14h09) - MM Arrecadações da Quintã

• Castro Laboreiro (1ª catª) - Km 105,6 (melhor horário: 15h01) - MM Arrecadações da Quintã


Metas Volantes

• Alvaredo - Km 19,1 (melhor horário: 12h45) - SCORE Tech

• Melgaço - Km 31,3 (melhor horário: 13h04) - SCORE Tech

• Alvaredo - Km 50,9 (melhor horário: 13h35) - SCORE Tech

Fonte: ACM

“Realizou-se de 13 a 15 de julho 2019 o Estágio de Juvenis em Abrantes”

Este estágio para atletas juvenis contou com a presença de 18 atletas, sete raparigas e 11 rapazes, oriundos de todo o país.

O evento reuniu os melhores atletas do escalão, constituindo-se como um prémio de mérito, segundo critérios de classificação previamente definidos pela FTP e incluiu um programa técnico alargado, abordando as diferentes disciplinas que compõem o triatlo (natação, ciclismo e corrida), transições e mecânica.

Todo o programa foi abordado segundo uma perspetiva pedagógica e de acordo com dinâmicas de grupo, tendo em vista uma abordagem que promovesse o espírito de equipa, o respeito e a superação dos jovens através do desporto.

Hugo Ribeiro, do Clube de Natação e Triatlo de Lisboa, foi o treinador que assumiu a coordenação deste estágio, contando com a presença de mais dois treinadores em permanência, Bruno Gois, do Ludens Clube de Machico, e Fábio Azinheirinha do Clube de Natação do Cartaxo. Rafael Domingos, do Estoril Praia Credibom e José Estrangeiro, do Clube de Natação e Triatlo de Lisboa, dois atletas de referência da modalidade, marcaram também presença no evento onde partilharam as suas experiências como triatletas.

Esta ação de formação contou também com a colaboração do Comité Olímpico de Portugal, cujo objetivo se consubstanciou na transmissão dos valores educativos presentes nos Jogos Olímpicos, uma aspiração para os jovens triatletas. Hugo Ribeiro faz um balanço extremamente positivo deste fim de semana: «O estágio, que foi considerado como um prémio pela época realizada, correu muito bem. Penso que foram cumpridos os objetivos inerentes à preparação dos atletas para eventos futuros, reforçando a motivação e dando ênfase a valores fundamentais e estruturantes».

 Para além de tudo, «tratou-se também um momento de usufruir do convívio e partilhar métodos diferentes de trabalho, o que resulta sempre num processo de enriquecimento para todos.» O mesmo treinador considerou também que «…foi uma oportunidade de aprendizagem para todos, treinadores e atletas, tendo a FTP, a partir de agora, a responsabilidade de criar as devidas oportunidades para que clubes, treinadores e atletas possam assumir o desenvolvimento destes jovens, no respeito pela sua maturação biológica e tendo em vista as distintas etapas de crescimento desportivo. »

Neste fim semana pleno de experiências e aprendizagens os atletas ficaram alojados na Pousada da Juventude de Abrantes.

Fonte: FTP

“Froome declarado vencedor da Vuelta de 2011 após desclassificação de Cobo”

Ciclista espanhol perdeu prémio por doping

Por: Lusa

Foto: EPA

O britânico Chris Froome foi esta quinta-feira oficialmente declarado vencedor da edição de 2011 da Volta a Espanha, que terminou no segundo lugar, na sequência da desclassificação do espanhol Juan José Cobo, por doping.

A União Ciclista Internacional (UCI) oficializou a conquista de Froome, que soma sete conquistas entre as Grandes voltas, com quatro vitórias no Tour, duas na Vuelta e uma no Giro.

O triunfo do britânico já tinha sido anunciado em junho último, mas o organismo que rege o ciclismo mundial aguardou até ao fim do prazo de um possível recurso de Cobo, vencedor da etapa da Volta a Portugal de 2008 que terminou na Senhora da Graça.

Em 13 de junho, o espanhol foi considerado culpado de "violar o regulamento antidopagem (uso de substância proibida), com resultados anormais no seu passaporte biológico, entre 2009 e 2011".

"Melhor tarde do que nunca! A Vuelta de 2011 traz-me memórias únicas", escreveu Froome, na rede social Twitter, como legenda de uma fotografia no pódio espanhol, com a camisola vermelha da liderança.

Já a equipa INEOS, de Froome, "saudou a decisão da UCI", considerando-a "uma notícia particularmente positiva para Froome, após a sua recente queda [num treino], que o afastou da Volta a França".

Cobo, de 38 anos, enfrenta uma suspensão de três anos, até 12 de junho de 2022.

Fonte: Record on-line

“Rui Costa foi oitavo: «Não me senti tão bem como esperava, mas fiz o meu melhor»”

Português integrou a fuga do dia

Por: Lusa

O ciclista português Rui Costa (UAE-Emirates) reconheceu esta quinta-feira não estar ao melhor nível, mesmo tendo integrado a fuga do dia e ter sido oitavo na 12.ª etapa da Volta a França.

"Não me senti tão bem como esperava, mas fiz o meu melhor e acabei no oitavo lugar, o melhor que poderia esperar", disse, depois de cortar a meta no grupo perseguidor ao trio que discutiu o triunfo, que coube ao britânico Simon Yates (Mitchelton-Scott).

O experiente atleta, de 32 anos, e que procura a sua quarta vitória em etapas no Tour, integrou uma fuga com cerca de 40 elementos, sendo que na segunda de duas contagens de primeira categoria se destacou, definitivamente, um trio, composto por Yates, pelo espanhol Pello Bilbao (Astana) e pelo austríaco Gregor Muhlberger (BORA-hansgrohe).

"A primeira parte da tirada foi muito difícil, porque todos queriam estar na frente. Depois de quase uma hora, consegui entrar na principal fuga do dia", contou, lamentando não estar nas condições ideias para tentar algo mais.

Rui Costa, que na nona etapa já se tinha mostrado numa fuga, prometeu "tentar novamente" surpreender e vencer.

Fonte: Record on-line

“Yates diz que vitória o faz sentir "muito orgulhoso"”

Britânico admitiu que não estava muito confiante

Por: Lusa

Foto: Reuters

O ciclista britânico Simon Yates (Mitchelton-Scott) foi esta qunta-feira o mais forte dos resistentes da fuga da 12.ª etapa da Volta a França, com o francês Julian Alaphilippe (Deceuninck-QuickStep) a manter a liderança na véspera do único contrarrelógio individual.

Membro de uma fuga com cerca de 40 unidades, na qual estava também o português Rui Costa (UAE-Emirates), que procura a sua quarta vitória em etapas no Tour, Simon Yates superiorizou-se sobre a meta ao espanhol Pello Bilbao (Astana) e ao austríaco Gregor Muhlberger (BORA-hansgrohe).

No primeiro dia nos Pirinéus, o trio isolou-se na segunda de duas contagens de primeira categoria do dia, instalada a cerca de 30 quilómetros da meta, e Yates bateu no reduzido sprint os dois companheiros de fuga, concluindo em 4:57.53 horas os 209,05 quilómetros que ligaram Toulouse a Bagnères-de-Bigorre.

"Não estava muito confiante que podia vencê-los, pois não sabia quão rápidos eram, mas o meu diretor disse-me para passar a última curva no primeiro lugar e estou feliz por ter resultado. Ter vencido uma etapa nas três grades corridas internacionais faz-me sentir muito orgulhoso", congratulou-se Simon Yates.

Rui Costa, que perdeu o contacto com a frente da corrida na subida, acabou por se juntar ao grupo perseguidor e terminar a etapa na oitava posição, a 1.28 minutos de Yates.

Mesmo chegando a 9.35 minutos do primeiro e integrado no pelotão, Julian Alaphilippe defendeu-se bem no exigente teste e manteve a camisola amarela, tal como intacta a vantagem de 1.12 minutos sobre o britânico Geraint Thomas, que defende o título de 2018, e 1.16 sobre o colombiano Egan Bernal.

Os pretendentes ao triunfo final não atacaram na primeira etapa dos Pirenéus, talvez poupando-se para o contrarrelógio individual de sexta-feira, de 27,2 quilómetros com início e fim em Pau, e que pode ser decisivo nas contas finais do Tour.

Fonte: Record on-line

“Tour: Rohan Dennis esteve desaparecido durante uma hora e equipa promete investigar”

Australiano abandonou a 80 quilómetros do fim da 12.ª etapa

Por: Lusa

Foto: EPA

A equipa Bahrain-Merida vai investigar o abandono do ciclista australiano Rohan Dennis, a 80 quilómetros do fim da 12.ª etapa da Volta a França.

O australiano deixou a bicicleta antes das duas contagens de montanha da tirada de 209,05 quilómetros que ligaram Toulouse a Bagnères-de-Bigorre, véspera do contrarrelógio individual de 27,2 quilómetros com início e fim em Pau, e para o qual era um dos favoritos ao triunfo.

A Bahrain-Merida esteve sem saber do campeão do mundo de contrarrelógio, de 29 anos, durante cerca de uma hora, até o localizar com a sua bicicleta junto ao autocarro da equipa perto da linha de meta.

"A nossa prioridade é o bem-estar de todos os nossos atletas, portanto, iniciaremos uma investigação imediata, mas não faremos mais comentários até que tenhamos percebido o que aconteceu com Rohan Dennis. Enquanto isso, continuamos a apoiar nossos competidores em prova", disse a equipa.

Algumas notícias sugerem problemas estomacais de alguns ciclistas, mas essa hipótese não foi confirmada.

Segundo um canal de televisão francês, Rohan Dennis foi visto a discutir com alguém do carro de apoio da sua equipa antes de descer da bicicleta.

A Bahrain-Merida já venceu uma etapa no Tour, a sexta, através de Dylan Teuns.

O britânico Simon Yates (Mitchelton-Scott) venceu esta quinta-feira a 12.ª etapa, após a qual o francês Julian Alaphilippe (Deceuninck-QuickStep) manteve a camisola amarela.

Fonte: Record on-line

“Simon Yates vence ao sprint, Alaphilippe mantém liderança no Tour”

Ciclista britânico cumpriu os 209,05 quilómetros que ligaram Toulouse a Bagnères-de-Bigorre

Por: Lusa

Foto: Reuters

O britânico Simon Yates (Mitchelton-Scott) venceu esta quinta-feira ao sprint a 12.ª etapa da Volta a França, após a qual o francês Julian Alaphilippe (Deceuninck-QuickStep) manteve a camisola amarela.

Simon cumpriu os 209,05 quilómetros que ligaram Toulouse a Bagnères-de-Bigorre, com três contagens de montanha, duas de primeira categoria, já na segunda metade da tirada, em 4:57.53 horas, batendo ao sprint o espanhol Pello Bilbao (Astana) e o austríaco Gregor Muhlberger (BORA-hansgrohe).

Rui Costa (UAE-Emirates), que chegou a estar em fuga, concluiu na oitava posição, com o mesmo tempo do quarto, a 1.28 minutos do vencedor da etapa.

Julian Alaphilippe manteve a camisola amarela, com 1.12 minutos de vantagem sobre o britânico Geraint Thomas e 1.16 sobre o colombiano Egan Bernal, ambos da INEOS, após terem chegado integrados no pelotão, a 9.35 dos primeiros.

Na sexta-feira, o pelotão vai disputar o contrarrelógio individual de 27,2 quilómetros com início e fim em Pau.

Fonte: Record on-line