domingo, 28 de julho de 2019

“Tour/Egan Bernal confirma potencial ao vencer o Tour aos 22 anos”

É apenas o quinto ciclista a juntar a Volta a França do futuro e o Tour

Por: Lusa

Foto: Reuters

Uma das grandes promessas do ciclismo mundial, o colombiano Egan Bernal (INEOS) confirmou este domingo, com apenas 22 anos, todo o seu potencial, ao chegar de amarelo aos Campos Elísios, no final da 106.ª Volta a França.

Nascido em Bogotá, em 13 de janeiro de 1997, Bernal é considerado um dos ciclistas com maior potencial e provou-o, tornando-se apenas o quinto a juntar a Volta a França do futuro e o Tour e o primeiro em quase 30 anos, sucedendo ao espanhol Miguel Induraín, que conquistou a principal volta em cinco ocasiões (de 1991 a 1995).

Aos 22 anos e seis meses, Bernal, o primeiro colombiano a vencer a prova rainha do ciclismo mundial tornou-se também o terceiro mais jovem a conquistar a 'Grande Boucle' depois do francês Maurice Garin, em 1904, e do luxemburguês François Faber, em 1909.

Bernal mostrou-se ao mundo na Volta a França de 2018, a estreia em grandes competições velocipédicas, na qual terminou na 15.ª posição, depois de um trabalho incansável em prol de Chris Froome e de Geraint Thomas, que viria a vencer a prova.

O grande teste como possível líder de equipa deveria ter surgido na Volta a Itália, mas uma queda afastou-o da prova, chegando ao Tour como plano B, em especial depois de Geraint Thomas ter caído na Volta à Suíça.

Essa queda do galês e o excelente ano de 2019 de Bernal - vitórias no Paris-Nice e na Volta a Suíça - acabavam por colocar o colombiano quase em plano de igualdade com o colega de equipa e dorsal número um.

Depois de parecer ter ficado afastado da luta pela vitória final, um ataque no Galibier, na 18.ª etapa permitiu-lhe reduzir a diferença para o francês Julian Alaphilippe, acabando mesmo por 'roubar-lhe' a amarela na 19.ª e segurá-la com firmeza na 20.ª, antes da consagração de hoje, em Paris.

O corredor de Bogotá alcançou o objetivo que o compatriota Nairo Quintana tem vindo a adiar - foi segundo em 2013 e 2015 e terceiro e 2016 -- e a sua qualidade fica bem comprovada no contrato de longa duração com a INEOS, pouco comum no ciclismo, válido até 2023.

A carreira profissional começou muito cedo, na Androni, na qual passou dois anos, triunfando no último, em 2017, na Volta a Sibiu, na Roménia, além da Volta a França do futuro, o que despertou o interesse da todo-poderosa Sky.

No primeiro ano na equipa britânica, agora INEOS, mostrou a sua qualidade e venceu a Colômbia Oro e Paz, à frente dos já consagrados colombianos Nairo Quintana e Rigoberto Urán, e a Volta à Califórnia.

Ainda como júnior, Bernal começou por fazer provas de cross-country, conseguindo mesmo uma medalha de prata nos Mundiais da categoria em 2014 e de bronze no ano seguinte.

Fonte: Record on-line

“TOUR/NELSON OLIVEIRA: “É SEMPRE UMA ENORME HONRA ESTAR NO PÓDIO DE UMA GRANDE VOLTA"”

Português subiu hoje, pela segunda vez, ao pódio final do Tour, para celebrar, com a sua Movistar, a vitória na classificação por equipas.

Nelson Oliveira subiu hoje, pela segunda vez, ao pódio final da Volta a França, para celebrar, com a sua Movistar, a vitória na classificação por equipas, um privilégio que o ciclista português define como “uma enorme honra”.

“É sempre uma enorme honra estar no pódio de uma grande Volta, principalmente no Tour. Não são todos os corredores que têm essa oportunidade, a de estar à frente dos Campos Elísios. E, claro, como nós somos os outsiders da equipa, não somos líderes, é sempre bom estar no pódio. Provavelmente, a classificação por equipas é uma das únicas oportunidades que nós, corredores que trabalham, temos. Isto é uma recompensa, afinal de tudo”, reconheceu à agência Lusa.

Começa a ser quase uma tradição na carreira de Nelson Oliveira: de cada vez que participa no Tour com a Movistar, fica eternizado para a história juntamente com os ‘heróis’ retratados com o Arco do Triunfo de fundo – foi assim em 2016, ano da sua primeira presença na prova francesa com a equipa espanhola, foi assim hoje, no final da edição que marcou o seu regresso, após dois anos de ausência.

Mas não é a única, como o próprio se apressa a recordar. “É uma satisfação chegar a Paris mais uma vez. É a minha quarta vez, é um momento muito bom e que fica na memória de cada ciclista aqui chega”, confessou, recordando o seu ‘currículo’ imaculado de quatro Voltas a França concluídas em outras tantas participações (2019 e 2016 com a Movistar, 2015 e 2014 com a Lampre-Merida).

Aos 30 anos, o ciclista de Vilarinho do Bairro, que pouco antes do arranque da 106.ª edição da ‘Grande Boucle’ conquistou a medalha de prata no contrarrelógio dos Jogos Europeus, sai do seu regresso ao Tour satisfeito, embora reconheça que os corredores esperam sempre mais de si mesmos.

“Sei que a preparação foi boa para estar aqui e que o trabalho que a equipa me pediu foi cumprido, eles não podem dizer nada em contra. O balanço é positivo, creio eu. Da minha parte, fiz tudo o que podia”, resumiu.

A atestar a satisfação da Movistar com o seu desempenho está a renovação, por dois anos, do seu contrato com a equipa espanhola, anunciado em plena Volta a França, já depois de o português ter dado nas vistas pelo seu trabalho na dianteira do pelotão nas primeiras etapas.

“A renovação, é óbvio, também foi bastante importante. Tira-nos um stress da cabeça e permite-nos focar mais na corrida. É muito bom estar aqui mais dois aninhos”, assumiu.

Feliz por chegar finalmente a Paris, após 21 dias duros (mais dois de descanso), que o levaram numa viagem desde Bruxelas até aos Campos Elísios, Oliveira assumiu, contudo, que, apesar da vitória por equipas, a prestação da sua formação ficou aquém do esperado, uma vez que os seus líderes, designadamente Mikel Landa (6.º), Nairo Quintana (8.º) e Alejandro Valverde (9.º), não ficaram no ‘top 3’ da geral individual.

 “É obvio que a equipa queria mais, estando ali tão próxima do pódio. As coisas não correram, se calhar, como se esperava, mas haverá mais anos e esperemos que algum dia lá cheguemos novamente”, estimou.

Nelson Oliveira terminou a 106.ª Volta a França na 79.ª posição, a 2:35.51 horas do vencedor, o colombiano Egan Bernal (INEOS).

Fonte: Sapo on-line

“Tour/Historial de vencedores da Volta a França”

Colombiano Egan Bernal impôs-se na edição deste ano

Por: Lusa

Foto: Reuters

Historial de vencedores da Volta a França em bicicleta, cuja 106.ª edição terminou este domingo em Paris, com vitória do colombiano Egan Bernal (INEOS):


1903 - Maurice Garin (Fra).

1905 - Louis Trousselier (Fra).

1906 - René Pottier (Fra).

1907 - Lucien Petit-Breton (Fra).

1908 - Lucien Petit-Breton (Fra).

1909 - François Faber (Lux).

1910 - Octave Lapize (Fra).

1911 - Gustave Garrigou (Fra).

1912 - Odile Defraye (Bel).

1913 - Philippe Thys (Bel).

1914 - Philippe Thys (Bel).

1919 - Firmin Lambot (Bel).

1920 - Philippe Thys (Bel).

1921 - Léon Scieur (Bel).

1922 - Firmin Lambot (Bel).

1923 - Henri Pélissier (Fra).

1924 - Ottavio Bottecchia (Ita).

1925 - Ottavio Bottecchia (Ita).

1926 - Lucien Buysse (Bel).

1927 - Nicolas Frantz (Lux).

1928 - Nicolas Frantz (Lux).

1929 - Maurice De Waele (Bel).

1930 - André Leducq (Fra).

1931 - Antonin Magne (Fra).

1932 - André Leducq (Fra).

1933 - Georges Speicher (Fra).

1934 - Antonin Magne (Fra).

1935 - Romain Maes (Bel).

1936 - Sylvère Maes (Bel).

1937 - Roger Lapébie (Fra).

1938 - Gino Bartali (Ita).

1939 - Sylvère Maes (Bel).

1947 - Jean Robic (Fra).

1948 - Gino Bartali (Ita).

1949 - Fausto Coppi (Ita).

1950 - Ferdi Kubler (Sui).

1951 - Hugo Koblet (Sui).

1952 - Fausto Coppi (Ita).

1953 - Louison Bobet (Fra).

1954 - Louison Bobet (Fra).

1955 - Louison Bobet (Fra).

1956 - Roger Walkowiak (Fra).

1957 - Jacques Anquetil (Fra).

1958 - Charly Gaul (Lux).

1959 - Federico M. Bahamontes (Esp).

1960 - Gastone Nencini (Ita).

1961 - Jacques Anquetil (Fra).

1962 - Jacques Anquetil (Fra).

1963 - Jacques Anquetil (Fra).

1964 - Jacques Anquetil (Fra).

1965 - Felice Gimondi (Ita).

1966 - Lucien Aimar (Fra).

1967 - Roger Pingeon (Fra).

1968 - Jan Janssen (Hol).

1969 - Eddy Merckx (Bel).

1970 - Eddy Merckx (Bel).

1971 - Eddy Merckx (Bel).

1972 - Eddy Merckx (Bel).

1973 - Luis Ocaña (Esp).

1974 - Eddy Merckx (Bel).

1975 - Bernard Thévenet (Fra).

1976 - Lucien Van Impe (Bel).

1977 - Bernard Thévenet (Fra).

1978 - Bernard Hinault (Fra).

1979 - Bernard Hinault (Fra).

1980 - Joop Zoetemelk (Hol).

1981 - Bernard Hinault (Fra).

1982 - Bernard Hinault (Fra).

1983 - Laurent Fignon (Fra).

1984 - Laurent Fignon (Fra).

1985 - Bernard Hinault (Fra).

1986 - Greg Lemond (EUA).

1987 - Stephen Roche (Irl).

1988 - Pedro Delgado (Esp).

1989 - Greg Lemond (EUA).

1990 - Greg Lemond (EUA).

1991 - Miguel Indurain (Esp).

1992 - Miguel Indurain (Esp).

1993 - Miguel Indurain (Esp).

1994 - Miguel Indurain (Esp).

1995 - Miguel Indurain (Esp).

1996 - Bjarne Riis (Din).

1997 - Jan Ullrich (Ale).

1998 - Marco Pantani (Ita).

1999 -- Sem vencedor*.

2000 - Sem vencedor*.

2001 - Sem vencedor*.

2002 - Sem vencedor*.

2003 - Sem vencedor*.

2004 - Sem vencedor*.

2005 - Sem vencedor*.

2006 - Oscar Pereiro (Esp)**.

2007 - Alberto Contador (Esp).

2008 - Carlos Sastre (Esp).

2009 - Alberto Contador (Esp).

2010 -- Andy Schleck (Lux)***.

2011 -- Cadel Evans (Aus).

2012 -- Bradley Wiggins (GB).

2013 -- Chris Froome (GB).

2014 -- Vincenzo Nibali (Ita).

2015 - Chris Froome (GB).

2016 - Chris Froome (GB).

2017 - Chris Froome (GB).

2018 - Geraint Thomas (GB).

2019 - Egan Bernal (Col).


* Lance Armstrong (EUA) foi desclassificado de todos os resultados desportivos desde 1998 devido a práticas dopantes e a organização decidiu não reatribuir as vitórias, uma vez que este foi "um período negro" na história do ciclismo.

** Floyd Landis (EUA) foi desclassificado devido a um positivo por testosterona.

*** Alberto Contador (Esp) foi desclassificado devido a um positivo por clembuterol.

Fonte: Record on-line

“Tour/Caleb Ewan vence etapa da consagração de Egan Bernal”

É o primeiro colombiano a conquistar a Volta a França

Por: Lusa

Foto: Reuters

Egan Bernal (INEOS) tornou-se este domingo o primeiro colombiano a conquistar a Volta a França, após a conclusão da 21.ª e última etapa da mais importante prova velocipédica mundial, vencida ao 'sprint' pelo australiano Caleb Ewan (Lotto Soudal).

Ewan impôs-se sobre a meta, nos Campos Elísios, ao holandês Dylan Groenewegen (Jumbo-Visma) e ao italiano Niccolò Bonifazio (Total Direct Energie), segundo e terceiro classificados, respetivamente, concluindo em 03:04.08 horas os 128 quilómetros da tirada entre Rambouillet e Paris.

A última etapa da 106.ª edição do Tour consagrou Bernal, que terminou à frente do britânico Geraint Thomas, colega de equipa na INEOS e campeão no ano passado, e do holandês Steven Kruijswijk (Jumbo-Visma), pelos quais estará acompanhado no pódio final.

Aos 22 anos e seis meses, Bernal é o terceiro mais jovem a vencer a 'Grande Boucle', depois do francês Maurice Garin, em 1904, e do luxemburguês François Faber, em 1909, assumindo-se como o maior protagonista de uma prova que contou com os portugueses Rui Costa (UAE Emirates), Nelson Oliveira (Movistar) e José Gonçalves (Katusha-Alpecin).

Fonte: Record on-line

“Campeonato Nacional de Enduro BTT/José Borges e Ana Leite campeões em Vouzela”

Por: José Carlos Gomes

José Borges (Miranda Factory Team) e Ana Leite (Axpo/FirstBike Team/Vila do Conde) ganharam hoje, em Vouzela, o Campeonato Nacional de Enduro BTT, na categoria de elite.

Depois de, há uma semana, ter conquistado o título de Downhill, José Borges deu continuidade ao bom momento de forma, revalidando hoje o título de enduro. O corredor da Miranda Factory Team impôs-se com 18’59’’073, menos 20,708 segundos do que Emanuel Pombo (Ciclo Madeira Clube Desportivo) e menos 53,446 segundos do que João Rodrigues (Casa do Povo de Abrunheira), que o acompanharam no pódio.

A corrida feminina teve em Ana Leite a mais rápida, completando a prova em 25’53’’483. Seguiram-se Leandra Gomes (Batotas/Ponte de Lima), a 1’48’’447, e Ana Costa (Ciclo Madeira Clube Desportivo), a 2’50’’480.

Bernardo Silva (UD Lorvanense) foi o melhor júnior, enquanto em cadetes destacaram-se João Cruz (Axpo/FirstBike Team/Vila do Conde) e Sara Ferreira (Maiatos).

Nas categorias de veteranos, os lugares mais altos do pódio foram ocupados pelo master 30 Márcio Ferreira (MCF/Xdream/Município S. Brás), pelo master 40 Marco Silva (Vasconha BTT Vouzela), pelo master 50 José Salgueiro (MCF/Xdream/Município S. Brás) e pela feminina Ana Luz (BTT Enduro Terras de Bouro).  O Campeonato Nacional estreou, neste ano, uma corrida para bicicletas de tração elétrica, que teve três participantes. O mais rápido foi Rui Fragoso (ADAR/Ofimoto).

Por equipas impôs-se a formação algarvia MCF/Xdream/Município S. Brás.

Fonte: FPC

“31.º GP Minho”

Jhonatan Chaves coroado em Castro Laboreiro

Por: José Carlos Gomes

O colombiano Jhonatan Chaves (Team Ingenieria de Vías/Monsalud) é o vencedor do 31.º Grande Prémio do Minho Júnior, depois de hoje ter sido o oitavo classificado na terceira e última etapa, uma ligação de 105,6 quilómetros entre Melgaço e Castro Laboreiro, ganha pelo chileno Cristobal Ramirez (Arte em Transfer/LPS).

A etapa decisiva foi endurecida desde o começo, com o pelotão a optar por um ritmo elevado, que não permitiu que os corredores interessados no protagonismo de uma fuga tivessem sucesso.

O encadear de dificuldades deixou treze corredores em cabeça de corrida. Foi esse grupo que abordou na frente a escalada final, de primeira categoria, para Castro Laboreiro. A longa extensão da subida fez com que alguns dos ciclistas mais adiantados perdessem posições, permitindo o aproximar de trepadores vindos de trás.

O camisola amarela, Jhonatan Chaves, esteve sempre atento e controlou as movimentações. Do grupo em cabeça de corrida apenas conseguiu sair Cristobal Ramírez, que começou a etapa com quase dois minutos de atraso para o topo da geral.

O chileno desferiu um forte ataque a 5 quilómetros do final e conseguiu cortar a meta na frente, ao fim de 2h56m46s de corrida. O grupo dos principais candidatos demorou mais 20 segundos, com Thomas Silva (Arte en Transfer/LPS) e João Carvalho (Bairrada) nas posições imediatas.

Jhonatan Chaves assumiu o comando na primeira etapa em linha e nunca mais largou a camisola amarela. Terminou a competição com uma vantagem de 58 segundos sobre João Macedo (Bairrada) e de 1m01s para Daniel Morales (Fundación Lintxu/GD Indarra), segundo e terceiro, respetivamente.

O belga Joran Wyseure (ACROG/Pauwels Sauzen/Balen BC) venceu a classificação por pontos, André Domingos (Escola de Ciclismo Bruno Neves) conquistou o estatuto de melhor trepador, Fábio Fernandes (Efapel/Escola de Ovar) foi o melhor júnior de primeiro ano e João Silva (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact) destacou-se entre os minhotos. Por equipas venceram os colombianos da Team Ingeniería de Vías/Monsalud.

Fonte: FPC

“Equipa Portugal/Mário Costa 38.º no Europeu de XCO”

Por: José Carlos Gomes

O português Mário Costa foi hoje o 38.º na prova de elite do Campeonato da Europa de Cross Country Olímpico (XCO), disputada em Brno, República Checa, ganha pelo prodígio holandês Mathieu van der Poel.

Mário Costa esteve sempre na posição de mais bem colocado dos dois portugueses em prova, chegando a rodar perto do top 30. Na fase final perdeu algumas posições, acabando no 38.º lugar, a 7m55s de Mathieu van der Poel, que fez mais uma demonstração de classe e força, impondo-se em solitário, apesar de uma queda logo nas pedaladas iniciais.

David Rosa foi o outro representante da Equipa Portugal na corrida principal do programa do Campeonato da Europa, mantendo-se, durante toda a prova, em redor da posição de partida. Foi o 43.º a cortar a meta, a 10m41s do vencedor.

Entre os sub-23 sobressaiu o desempenho de Rafael Rita. Ainda no primeiro ano nesta categoria, o algarvio partiu da posição 55 e foi galgando lugares para terminar a corrida no 26.º posto, a 6m23s do romeno Vlad Dascalu, que triunfou em solitário. João Rocha também se colocou na primeira metade da classificação, chegando no 32.º lugar, a 7m35s do campeão.

“Na corrida de sub-23, um furo do João Rocha, na última volta, impediu-nos de colocar dois corredores nos 30 primeiros. O azar aconteceu quando o João e o Rafael Rita vinham a colaborar os dois e a recuperar lugares. O resultado acabou por ficar dentro das expectativas, com destaque para o Rafael, que foi dos melhores sub-23 de primeiro ano. Em elite tivemos um desempenho melhor do que no Europeu do ano passado, mas, ainda assim, ficámos longe do objetivo que era somar pontos. Melhorámos, mas continuámos sem pontuar”, lamenta o selecionador nacional, Pedro Vigário.

A Equipa Portugal vai permanecer no estrangeiro durante os próximos dias, pois vai competir na Taça do Mundo, em Val di Sole, Itália, no próximo fim de semana. Da comitiva presente na República Checa transitam para Itália o elite Mário Costa e os sub-23 Marta Branco, Raquel Queirós, João Rocha e Rafael Rita. Na Taça do Mundo competirão outros corredores portugueses, em representação das respetivas equipas.

Fonte: FPC

“14ª Clássica Afonsoeiro/Canha/Afonsoeiro”

Dia 18 agosto de 2019

Texto: José Morais

Cartaz: José Morais/G.C.Afonsoeiro

O mês de agosto por norma é muito reduzido em passeios, mas a Clássica Afonsoeiro/Canha/Afonsoeiro, marca o mês sempre com um interessante passeio, numa organização do Grupo de Cicloturismo Afonsoeiro/Móveis Jolar.

A concentração do evento está marcada para as 8 horas sede do Grupo Típico de Danças e Cantares do Afonsoeiro, com a partida a ser dada pelas 9 horas, para um percurso aproximado de 75 quilómetros, percorridos pelo concelho.

Muita animação, muito convívio promete este grande evento, numa organização que já nos habituou ao longos dos anos, a dar o seu melhor pela modalidade, e a proporcionar excelentes passeios, a todos que participam neles, deixando os cicloturistas muito satisfeitos.

No final as tradicionais lembranças para todos os participantes, e um almoço convívio, o qual está limitado apenas a 150 pessoas, o que se aconselha a inscrever e fazer a sua marcação o mais breve possível.

Informações e inscrições, pelos telefones: 912 158 478 - 912 998 947 – 210 852 272 ou pelo mail: aldiroleao@gmail.com

Marque já na sua agenda e venha participar neste grande evento que muito promete, faço como nós que vamos marcar presença com reportagem completa de todos o passeio, antes, durante e após o mesmo, com os tradicionais diretos que muito promete.

Participe…