domingo, 18 de agosto de 2019

“Agradecimento ao Afonsoeiro…”

Texto e fotos: José Morais

Hoje foi dia de mais uma reportagem, estivemos no Afonsoeiro, na 14ª Clássica Afonsoeiro/Canha/Afonsoeiro, um grande passeio, uma excelente organização, à qual agradeço mais um ano pela forma como me receberam.

Para todos eles o meu agradecimento, e obrigado.
 

Agora é hora de ir descansar, a todos uma boa semana, e muitas pedaladas.

“Momentos especiais”

Uma vida a pedalar

Texto e Fotos: José Morais

Nasceu em 1934, completou 85 anos, pedala desde 1944, ou seja, há 75 anos, é um, se não for o mais idoso a pedalar nos passeios de cicloturismo, é conhecido por todos, brincam com ele, mas ainda vai dando cartas a muitos mais novos.

Chama-se José Rafael, mais conhecido pelo “Zé do Barrete”, atualmente faz parte do Grupo de Cicloturismo os Cansados de Marinhais, nos últimos anos no passeio do Afonsoeiro, no Montijo, faz questão de comemorar os seus anos ao envergar uma nova camisola, com que pedala semanalmente.

Este ano não foi exceção, e pelas mãos do Presidente do Grupo de Cicloturismo do Afonsoeiro, foi-lhe vestida a tradicional camisola, com a inscrição dos seus 85 anos, mas a surpresa esteve também presente, o Presidente do G. C. Afonsoeiro, vestiu-lhe também a camisola do Grupo, com a qual pedalou neste passeio, sempre na cabeça do pelotão, e teve um lugar ainda especial na mesa da organização.

Não quisemos deixar passar em branco este momento, e deixamos aqui duas fotos com a sua nova camisola, e ainda José Rafael pensativo, em grande plano, desejando a este grande apaixonado pela bicicleta, muitos e muitos anos a pedalar.

“Campeonato Nacional de Estrada”

Pedro Silva e António Morgado campeões nacionais de fundo

Por: José Carlos Gomes

Pedro Silva (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact), em juniores, e António Morgado (Anipura/GDM/Escola Alexandre Ruas), em cadetes, sagraram-se hoje campeões nacionais de fundo, em Rebordosa, concelho de Paredes.

A exigência do circuito, entre Lordelo e Rebordosa, ficou bem patente nos 116,2 quilómetros da prova de juniores, disputados na tarde deste domingo.

A dureza e a vocação ofensiva dos juniores partiram completamente a corrida que assistiu a uma exibição de luxo de Pedro Silva. O corredor da equipa barcelense deixou toda a concorrência para trás e impôs-se ao cabo de 3h05m59s de esforço.

A Bairrada colocou três corredores nas posições seguintes, mas não conseguiu que o poderio coletivo rendesse o título nacional. João Silva foi o segundo classificado, a 2m03s, deixando o lugar mais baixo do pódio para João Carvalho, que ficou a 4m17s do vencedor.

A prova de fundo para cadetes foi um duelo a dois entre António Morgado (Anipura/GDM/Escola Alexandre Ruas) e Lucas Lopes (BMC/Póvoa de Varzim/CDC Navais). Os dois aproveitaram a grande exigência dos 75,9 quilómetros, também entre Lordelo e Rebordosa para se distanciarem da concorrência.

A frente de corrida, com o vencedor da Taça de Portugal, António Morgado, e o vencedor da Volta a Portugal de Cadetes, Lucas Lopes, revelou-se um embate de campeões.

O mais forte foi o corredor da equipa de Alenquer, que, fez o pleno neste fim de semana, juntando o título de fundo ao de contrarrelógio. António Morgado, mais poderoso no sprint, deixou Lucas Lopes a 2 segundos.  André Rocha (ACDRRBTT/LROpticas/RJ Group) fechou o pódio, a 2m44s.

Fonte: FPC

“Alfred Wright vence a quarta etapa da Volta a França do Futuro”

Simon Gugliemi é o novo líder da geral

Por: Lusa

Foto: Lusa

O ciclista britânico Alfred Wright venceu este domingo ao sprint a quarta etapa da Volta a França do Futuro (sub-23), na qual o gaulês Simon Gugliemi conquistou a camisola amarela.

Os 158,2 quilómetros do traçado, com início em Mauriac e fim em Espalion, foram cumpridos por Wright em 3:54.44 horas, batendo o suíço Joel Suter e o norueguês Soren Waerenskjold, que completaram o pódio.

Gonçalo Carvalho foi o melhor português ao cortar a meta em 61.º, integrando o pelotão, que chegou a 2.05 minutos do grupo de sete que chegou à meta isolado.

Francisco Campos, em 65.º, Guilherme Mota, em 73.º, e Jorge Magalhães, em 103.º, também integraram o grupo.

Gugliemi, que subiu 21 lugares, comanda com um segundo de vantagem para o italiano Giovanni Aleotti, que integrou a mesma fuga e subiu o mesmo número de posições.

Os noruegueses Tobias Foss e Torjus Sleen e o suíço Damian Luscher repartiam o primeiro lugar, mas caíram para o terceiro e estão agora a 42 segundos

A quinta etapa disputa-se na segunda-feira e vai ligar Espalion a Saint-Julien-Chapteuil, na distância de 158,9 quilómetros.

Fonte: Record on-line

“ASFIC VENCE INDIVIDUAL E COLETIVAMENTE NO JUNCAL”

Decorreu dia 17 de Agosto, na localidade do Juncal, Concelho de Porto de Mós, o 43.º Circuito de Ciclismo de S. Miguel, prova federada e incluída na Associação de Ciclismo de Santarém.

Tratou-se de um circuito composto por 25 voltas de 2,5 km, num traçado bastante duro e que a aumentar a dificuldade, teve como aliado o forte calor que se fez sentir.

A formação riomaiorense da ASFIC Grupo Parapedra / Dinazoo / Riomagic deslocou-se para esta prova com apenas 6 unidades (João letras, Humberto Careca, Edgar Oliveira, João Letras, Carlos Ochoa e Daniel Ferreira )

A partida, foi dada um pouco depois das 16 horas, tendo iniciado com um ritmo forte e com vários ataques de algumas equipas.

Na passagem da segunda volta cinco ciclistas conseguiram escapar e iniciar uma fuga, estando entre os 5 elementos, João Letras da ASFIC.

A faltar cerca de 4 voltas para o final, o pelotão conseguiu absorver os fugitivos.

Nas últimas quatro voltas o pelotão andou sempre agitado, e com vários ataques por parte de vários atletas.

A faltar uma volta para o final, na ultima subida, o Atleta da ASFIC, João Letras, atacou forte e conseguiu isolar-se ate a meta.

João letras viria a vencer a prova, cortando a meta isolado.

No pelotão, Jorge Letras cortou a meta em 6º lugar e Humberto Careca em 12º e Edgar Oliveira em 13º.

A ASFIC venceu ainda o Escalão de elites por João letras e o M40 por Humberto Careca. Jorge letras foi o 3º do escalão M30.

Enaltecer os atletas da equipa, que mesmo fragilizados pela inferioridade numérica, devidas as lesões dos seus colegas, continuam empenhados, com uma enorme entrega, forte dedicação e compromisso nos resultados a alcançar para a equipa e seus patrocinadores.

ASFIC - GRUPO PARAPEDRA /DINAZOO / RIOMAGIC

 

“Afonsoeiro/Canha/Afonsoeiro continua a animar a estrada anualmente”

Texto e fotos: José Morais

A Clássica Afonsoeiro/Canha/Afonsoeiro, este ano na sua 14ª edição, está de ano para ano cada vez mais ao rubro, este ano com o número de participantes a aumentar, foi para a estrada este domingo, com quase três centenas de amantes da bicicleta, que percorreram o concelho do Montijo, numa extensão de 75 quilómetros, ligando Afonsoeiro/Canha/Afonsoeiro.

O mês de agosto, mês escolhido por excelência para muitos portugueses para férias, onde os passeios são em número reduzido, este é um evento organizado pelo Grupo de Cicloturismo do Afonsoeiro/Móveis Jolar, o qual contou com os apoios da Câmara Municipal da Montijo, União de Juntas de Freguesia do Montijo e Afonsoeiro, Moveis Jolar, Grupo Típico de Danças e Cantares do Afonsoeiro, entre outros apoios, o qual animou participantes e acompanhantes.

Pelas 8 horas começavam a chegar os participantes e as suas bicicletas ao Afonsoeiro, a chegada dos primeiros participantes ocorreu bem cedo, com cicloturistas oriundos de diversos pontos. Confirmadas as inscrições, dar os últimos retoques nas máquinas, dois dedos de conversa, tudo isto antecedeu a partida para o passeio que foi dada pouco passava das 9 horas.

Na partida estavam cerca de 300 participantes, com a equipa da casa a realçar o pelotão, pela frente havia um percurso praticamente plano para percorrer, e excelente para rolar, entre o Afonsoeiro, Canha e Afonsoeiro, com paragem para abastecimento líquido e sólido em Canha, com o pelotão a chegar pelas 12,50 ao local da partida, o Polo Cultural do Afonsoeiro.

Mas antes da partida, existiu ainda um momento alto, como tem acontecido nos últimos anos, José Rafael, o “Zé do Barrete” como é mais conhecido, do Grupo de Cicloturismo Os Cansados de Marinhais, foi homenageado, e envergou a sua nova camisola, ele que faz anos sempre na realização deste evento, completou 85 anos de idade, um dos mais velhos do pelotão, e ainda muito rijo para pedalar, como afirma.


Olhando o passeio:

Tivemos um belo passeio, uma pedalada regular, com o pelotão a rolar quase sempre compacto, num trajeto onde as dificuldade eram baixas, onde o convívio esteve sempre presente, e muitos participantes tiveram uma animada cavaqueira, sem pressas, e descontraídas eram as pedaladas, que tinham como objetivos, a divulgação da prática desportiva e do uso da bicicleta, ao mesmo tempo que divulgar a freguesia e o concelho, tentando desta forma que as pessoas pratiquem também algum desporto, e acima de tudo andem de bicicleta.

O tempo ajudou, apesar de algumas nuvens pela manhã, e ainda apanhando uns pingos de chuva quando nos dirigíamos para o Montijo no início da Ponte Vasco da Gama, a mesma esteve ausente, o sol vinha e ia, mas aquecia sem dúvida quando surgia, quando escondido era agradável, já que se sentia uma brisa fresca, o que ajudava nas pedaladas, num passeio onde felizmente o vento forte que nos tem brindado nos últimos tempos esteve ausente. 


Os passeios de cicloturismo são sem dúvida muito positivos, e uma forma de aliviar assim em parte o stress acumulado ao longo da semana de trabalho, e num domingo onde o tempo esteve excelente, em nada desmotivava quem pedalava, e que quem o fez, foi com muita alegria e vontade.

Não só na parte dos cicloturistas a satisfação era imensa, estava também expressa na parte da organização, que esteve de parabéns pela forma como dirigiu o passeio, sempre com a equipa da casa na frente a marcar o ritmo e a manter o longo pelotão todo junto, já que o trajeto também era propício a isso, ainda pelo excelente convívio proporcionado a todos, e a forma como soube receber na sua terra, o que fará com que muito já ficassem com vontade de poderem marcar presença na próxima edição.

No final, e depois de um belo banho, já que apetecia, seguiu-se um excelente almoço, onde os participantes puderam conviver tarde dentro, onde não faltaram a entrega das tradicionais lembranças alusivas ao evento.

Foi sem dúvida um bonito passeio, temos de dar os parabéns ao excelente trabalho feito pela GNR Brigada de Trânsito, como ainda à Cruz Vermelha que infelizmente teve de socorrer numa queda coletiva, sem nada de gravidade, e em especial à organização por tão bons momentos que proporcionou a todos, cicloturistas e acompanhantes.

Pouco mais para dizer, ficam os votos de bons passeios, boas pedaladas, e esperamos marcar presença novamente em 2020, em mais um grande passeio de que este grupo já nos habituou, parabéns.


Pode visualizar mais fotos deste evento em: