sábado, 25 de março de 2017

“Assembleia Geral FPC”

Relatório e Contas aprovado por unanimidade

A Assembleia Geral da Federação Portuguesa de Ciclismo aprovou hoje, em Lisboa, por unanimidade, o Relatório e Contas que reflete o exercício de 2016 da instituição que superintende o ciclismo em Portugal.

O ano de 2016 confirmou o equilíbrio financeiro da Federação Portuguesa de Ciclismo, dado que o exercício teve um resultado líquido positivo de €8.286,16, tendo sido cumprido exemplarmente o orçamento da instituição, uma vez que a execução orçamental foi de 98,4 por cento da receita e de 98,1 por cento da despesa.

O equilíbrio das contas andou de mão dada com o sucesso desportivo, pois 2016 foi um ano em que o ciclismo português conseguiu cinco medalhas em Mundiais e Europeus, em que os calendários nacionais de internacionalizaram e em que se reforçaram os laços entre a modalidade e o turismo, essencial para que o crescimento e o desenvolvimento do ciclismo português possam continuar.

“O crescimento do número de praticantes – pela primeira vez ultrapassamos a fasquia dos 15 mil – foi acompanhado da assunção de uma nova mentalidade do ciclismo português, cada dia mais alinhado com aquilo que é o novo ciclismo: visão global, ambição internacional e profundo respeito pela defesa da ética e da verdade desportiva. O avanço no caminho que consideramos ser o de um futuro promissor para o ciclismo foi conseguido com total segurança económica e financeira, cumprindo os princípios da boa gestão e do equilíbrio financeiro”, resume o presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira, na nota introdutória ao Relatório e Contas.

A Assembleia Geral aprovou também hoje, por unanimidade e aclamação, a atribuição dos títulos de Sócio de Mérito a Tiago Ferreira, campeão mundial e vice-campeão europeu de Maratona BTT na categoria de elite, e a Maria Martins, vice-campeã europeia júnior de scratch, os dois medalhados do ciclismo luso em 2016 que ainda não haviam sido galardoados com o estatuto de Sócio de Mérito.

Fonte: FPC

“Volta à Catalunha: Daryl Impey vence sexta e penúltima etapa”

Chris Froome (Sky) perdeu mais de 20 minutos

Por: Lusa

Foto: EPA

O ciclista sul-africano Daryl Impey (Orica-Scott) venceu este sábado a sexta e penúltima etapa da Volta à Catalunha, em que Chris Froome (Sky) perdeu mais de 20 minutos, ao ficar separado do grupo dos favoritos.

O corte, que envolveu o britânico e vários outros ciclistas da Sky, significou a queda de Froome, que era segundo na geral individual, para fora do top-10, com o líder da prova, o espanhol Alejandro Valverde, a manter a amarela com o segundo lugar na tirada.

Para o segundo posto, subiu o também espanhol Alberto Contador (Trek Segafredo), agora a 53 segundos do compatriota da Movistar, que está perto de conquistar a 97.ª edição da prova catalã, que termina no domingo, em Barcelona, numa etapa de 138,7 quilómetros.

Impey bateu Valverde ao sprint, concluindo a etapa com um tempo de 4:34.14 horas, com o francês Arthur Vichot (FDJ) em terceiro.

A tirada começou com o corte de Froome, que perdeu o contacto com o grupo da frente, com cerca de 50 ciclistas, incluindo Valverde e Contador, ao fim de 25 quilómetros.

O grupo da Sky nunca mais reentrou e o vencedor da Volta à França por três vezes acabou por perder mais de 20 minutos, o que o afasta de um eventual 'assalto' à amarela de Valverde.

O espanhol da Movistar já tinha conquistado a terceira e quinta etapas e poderá agora voltar a vencer uma prova que ganhou em 2009, tornando-se no primeiro espanhol desde 2014 a vencer em casa.

O melhor português na etapa foi Ricardo Vilela (Manzana Postobon), que chegou com o mesmo tempo do vencedor, em 28.º, com Nelson Oliveira (Movistar) em 48.º, a 14.37 minutos, seguido de José Mendes, em 102.º, a 26.38.

José Gonçalves (Katusha-Alpecin) completou a prova fora do tempo limite estabelecido pela organização para completar os 189,7 quilómetros da sexta etapa.

A boa prestação de Vilela fê-lo saltar da 65.ª para a 28.ª posição, a 25.02 minutos do topo, seguido de José Mendes, em 82.º, a 55.55, e Nelson Oliveira em 88.º, 1:01.47.

Fonte: Record on-line