quarta-feira, 14 de março de 2018

“RUI OLIVEIRA 24.º NA DANILITH NOKERE-KOERSE”

Fabio Jakobsen foi o vencedor

Por: Lusa

Foto: Roberto Bettini

O ciclista português Rui Oliveira (Hagens Berman Axeon) terminou esta quarta-feira no 24.º lugar a corrida belga Danilith Nokere-Koerse, ganha ao sprint pelo holandês Fabio Jakobsen (Quick-Step Floors).

Jakobsen, de 21 anos, cortou a meta ao fim de 4:32.56 horas e foi o mais rápido dos primeiros 28 ciclistas, que disputaram o 'sprint' final, à frente do belga Amaury Capiot (Sport Vlaanderen - Baloise), segundo, e do francês Hugo Hofstetter (Cofidis Solutions Crédits), terceiro.

Rui Oliveira foi o único português integrado no grupo da frente, terminando no 24.º posto, com o irmão e colega de equipa, Ivo Oliveira, a cumprir os 191,1 quilómetros da prova com mais cinco minutos em relação ao vencedor, fechando no 93.º lugar.

Em 104.º, a 6.07 minutos, terminou João Almeida, também da norte-americana Hagens Berman Axeon.

Fonte: Record on-line

“Bombarralense Em Evidência “

No dia 11 de Março, o Sport Clube Escolar Bombarralense, com a sua equipa júnior, a Sicasal / Liberty-Seguros / Bombarralense, marcou presença em Alcobaça, na 1ª prova pontuável para a Taça de Portugal. 

A equipa marcou presença com Ricardo Sousa, Rafael Costa, Bruno Valentim, João Martins, Guilherme Simão, Francisco Guerreiro, Rodrigo Duarte, António Pintassilgo e João Macedo.

Em condições adversas, os 146 atletas distribuídos por 20 equipas teriam 111,9 quilómetros a percorrer. No início da corrida houve várias tentativas de fuga, sendo que a meio da corrida começou a existir movimentações importantes. Guilherme Mota (Alcobaça CC / Crédito Agrícola), Diogo Ribeiro e Ruben Simão (Sporting / Tavira/ Formação Eng. Brito da Mana) e Pedro Andrade (Vito/Feirense/BlackJack) isolaram-se na frente, sendo que João Macedo conseguiu fazer a ponte, juntamente com João Afonso (CC Barcelos/AFF/Orbea/Onda). Ao sprint este último triunfou, batendo Diogo Ribeiro e João Macedo que finalizou esta prova num honroso 3º lugar. Destaque ainda para o 8º lugar de Francisco Guerreiro, em mais uma prova onde o trabalho de colectivo e a união de esforços reinou na equipa.

Já a formação sub-23, FGP / Cube / Bombarral, participou na II Clássica da Arrábida, prova com 145 quilómetros de extensão, contando com 3 sectores de sterrato e 4 contagens de montanha.

A equipa alinhou com Diogo Lopes, Isaac Pereira, Emanuel Duarte, Francisco Duarte, Jorge Marques, Leonel Firmino e Luís Ferreira.

 Com 135 homens à partida, a fuga do dia surgiu aos 20 quilómetros com 19 unidades inseridas. Acrescentando à dureza da prova, destaque-se ainda os 49 quilómetros percorridos na 1ª horta. Na subida a Palmela Dmitrii Strakhov (Lokosphinx) destacou-se dos restantes, não mais sendo alcançado. O russo venceu a prova e também o prémio da montanha. A equipa do Bombarral concluiu esta dificílima clássica, com Emanuel Duarte em 16º dos sub-23, Luís Ferreira em 19º e Diogo Lopes em 22º. Tendo em conta os regulamentos e o fecho de controlo nele explícito, Emanuel Duarte, bem como os restantes, chegaram já fora do tempo. 

A equipa sub-23 vai procurar uma boa nova na Volta ao Alentejo, que decorre de 14 a 18 de Março

Fonte: Sport Clube Escolar Bombarralense

“GranFondo Póvoa de Lanhoso - RP-Boavista”

Dia 27 de Maio de 2018

Dia 27 de maio estamos prontos para pedalar? Num percurso de sonho, mítico, em pleno coração do Minho verdejante, no dia 27 de maio contamos contigo para um GranFondo pleno de entusiasmo, num itinerário cuidadosamente escolhido e muito equilibrado.

A partir da Póvoa de Lanhoso, na Avenida 25 de Abril, de onde partiremos e chegaremos, irão ser percorridos 115 Km, com um acumulado de 2069 metros e uma passagem por um dos lugares de sonho da Volta a Portugal, o Alto da Pedra Sentada em Fafe.

Será, acima de tudo, um passeio equilibrado, sem grandes troços montanhosos, num percurso com estradas amplas, sem grande trânsito rodoviário, evitando cruzamentos, e em que os participantes terão oportunidade de exprimir as suas capacidades: espaços para roladores, trepadores e até para quem gosta de descer.

Um GranFondo que queremos acessível para todos, e só com um percurso - isso mesmo, apenas um GranFondo, pois em maio pensamos que todos estarão em condições físicas ideais para um evento de 115 Km.

Uma inovação, um GranFondo que terá três contagens de Prémio de Montanha: em Salto, no final da subida de Cabeceiras para Fafe e no Alto da Pedra Sentada.

Com um percurso bem escolhido, de média montanha, com as dificuldades a centrarem-se entre os 55 e os 85 km, de forma a permitir um início acessível a todos os participantes, bem como uma parte final, os últimos 30 kms, sem grandes dificuldades, para permitir que todos possam terminar com a satisfação de um dia bem passado.

Para quem gosta de acelerar, tem a possibilidade de fazer valer os seus atributos, depois de passada a barragem de Venda Nova. As dificuldades iniciam-se com a subida do Salto, continuam com duas montanhas de rajada, de Cabeceiras de Basto para Fafe e depois, na passagem do Alto da Pedra Sentado, um troço de sterrato.

No dia 27 de maio esperamos contar com a sua participação no Granfondo Póvoa de Lanhoso / RP-Boavista, evento que estamos a preparar com especial carinho, em colaboração com a autarquia local.

Diariamente notícias do evento no site: www.boavistaciclismo.com ou no Facebook da equipa Rádio Popular – Boavista: https://www.facebook.com/CiclismoBoavista/


Fonte: Rádio Popular Boavista

“Abanicos Alentejanos” na vitória de jovem “Wiggins”

O britânico Gabriel Cullaigh (Team Wiggins) é o primeiro Camisola Amarela da 36ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola. O jovem de 21 anos foi mais forte nos derradeiros 200 metros da reta da meta, um pequeno topo, que lhe valeu a primeira vitória enquanto profissional na chuvosa e ventosa etapa inaugural da “Alentejana”.  Este primeiro dia ligou, esta quarta-feira, 14 de março, Vendas Novas a Serpa. Nos calcanhares do corredor da Team Wiggins ficou o francês Justin Jules (WB Aqua Protect Veranclassic)  cronometrado com o mesmo tempo e um segundo depois cruzou a linha de meta o companheiro de equipa Mark Downey (Team Wiggins). Os três encabeçam a classificação geral individual da Volta ao Alentejo.

“Foi um dia ético! O tempo e o vento fez com que a etapa fosse muito boa”, começou por dizer Gabriel Cullaigh, que após o primeiro dia de competição lidera também a classificação por pontos traduzida na Camisola Preta Kia e acumula a Camisola Branca Fundação Inatel, símbolo entregue ao melhor jovem em prova. Natural de Yorkshire, o corredor sub 23 da equipa patrocinada por Bradley Wiggins, considera-se um corredor explosivo, que gosta de subir, e não esconde: “Está tudo em aberto nesta prova, mas eu acho que temos muitas hipóteses de levar a Camisola Amarela até ao fim!”

O poderio do vencedor só foi beliscado pelo russo Alexander Evtushenko (Lokosphinx) que conquistou o único Prémio da Montanha da jornada e é o detentor da Camisola Castanha Delta Cafés, destinada ao melhor trepador.

Chuva em Vendas Novas e um pelotão em movimento

Nem a chuva e o vento que se fizeram sentir à partida de Vendas Novas, afastaram os amantes do ciclismo que quiserem ver, 9 anos depois, o regresso da “Alentejana” à mítica terra das bifanas. Os 146 homens representando 21 equipas - 13 portuguesas e 8 estrangeiras – saíram junto do Regimento de Artilharia nº5 para uma etapa aumentada em seis quilómetros devido a um corte de estrada em Pias, somando um total de 179,5KM.

Aos 30km de corrida Mauricio Moreira (Caja Rural/Seguros RGA) e James Fouche (Team Wiggins) iniciaram uma cavalgada que seria parada a faltarem 70km para a chegada quando um grande grupo perseguidor, liderado pela W52/FC Porto, com seis homens, os conseguiu alcançar. Este coletivo de 21 unidades chegou a ter uma vantagem máxima de 8 minutos e 45 segundos quando faltavam apenas 19 quilómetros para a meta instalada junto ao Parque Desportivo de Serpa.

2ª Etapa – 15 março 2018

Ao segundo dia de competição a caravana da Volta ao Alentejo Crédito Agrícola terá pela frente a mais longa etapa da prova com 205,2KM entre Beja e Sines. Antes de chegar ao litoral, o pelotão passará pelas Metas Volantes em Aljustrel (29,5km), Odemira (85,5km) e Santiago do Cacém (156km), e por um único Prémio de Montanha, na despedida do concelho de Odemira (89km).

Fonte: Podium