sábado, 16 de março de 2019

“Divulgação de eventos…”

A Revista Notícias do Pedal possui espaço diário e mensal gratuito, para divulgar os seus eventos, antes ou depois da sua realização. Enviem as vossas notícias para os mails: geral@noticiasdopedal.com ou noticiasdopedal@gmail.com seja o repórter da sua zona.

Podem aceder a todos os nossos projetos em: www.noticiasdopedal.com notícias diárias em: https://revistanoticiasdopedal.blogspot.com/

“Este domingo mais um direto no Facebook…”

Este domingo 17 de março, o Notícias do Pedal-TV vai marcar presença no Pinhal Novo, no 31º Passeio local.

 
A partir das 8,30 horas da manhã iremos estar em direto do Pinhal Novo para o Facebook junto ao Mercado Municipal.

 
Entrevistas, a partida, chegada dos participantes, entre outros momentos, poderão ser vistos em direto. Se não vai participar neste grande evento, assista a bons momentos.

 
Não se esqueça, domingo a partir das 8,30 horas, aqui em direto para todos, um evento que muito promete.

Reportagem completa da Revista Notícias do Pedal.

Nota da Redação.

“Lutsenko vence etapa do Tirreno-Adriático após duas quedas, uma a 1,5 km da meta”

Rui Costa foi o melhor português ao terminar na 11.ª posição

Por: Lusa

Foto: EPA

O ciclista cazaque Alexey Lutsenko (Astana) venceu este sábado a quarta etapa do Tirreno-Adriático, após ter sofrido duas quedas, a última das quais a cerca de 1,5 quilómetros da meta, em Fossombrone.

O britânico Adam Yates (Mitchelton-Scott) segurou a liderança da prova, ao terminar a tirada no terceiro lugar, com o mesmo tempo de Lutsenko e do Primoz Roglic (Jumbo-Vista), segundo classificado.

Roglic subiu ao segundo lugar da classificação geral, a sete segundos de Yates, enquanto o holandês Tom Dumoulin (Sunweb) chegou ao terceiro, a 50 segundo.

Lutsenko foi o herói do dia. O cazaque apostou numa fuga, chegou a ter 55 segundos de vantagem sobre o pelotão, caiu, manteve a dianteira, voltou a sofrer uma queda, a 1,5 quilómetros da meta, quando tinha 13 segundos de avanço, e conseguiu 'sprintar' para a vitória do ano.

O corredor da Astana, que cumpriu os 221 quilómetros da tirada, entre Foligno e Fossombrone, em 5:16.29 horas, ocupa agora o sexto lugar da classificação geral, a 1.16 minutos de Yates, que enverga a camisola azul de líder.

Rui Costa (UAE-Emirates) foi o melhor português na etapa, na 11.ª posição, a 23 segundos de Lutsenko, com Ruben Guerreiro (Katusha-Alpecin) a ser 28.º, a 2.47 minutos, José Gonçalves (Katusha-Alpecin) a ser 30.º, a 3.00, e Nelson Oliveira (Movistar), a terminar em 39.ª, a 5.40.

Na geral, Rui Costa subiu ao 12.º, a 1.48 minutos, Ruben Guerreiro é 29.º, a 4.31, José Gonçalves é 30.º, a 4.44, e Nelson Oliveira é 37.º, a 8.05.

Durante a etapa deste sábado, o britânico Geraint Thomas, vencedor da Volta a França em 2018, abandonou a corrida italiana devido a problemas gástricos.

A quinta etapa vai ser disputada no domingo, nos 180 quilómetros entre Colli al Metauro e Recanati, numa tirada com quatro contagens de montanha, a última das quais coincidente com a chegada.

Fonte: Record on-line

“Geraint Thomas abandona Tirreno-Adriático devido a problemas gástricos”

Ciclista galês desistiu ao quilómetro 133 dos 221 da quarta etapa da corrida italiana

Foto: EPA

O britânico Geraint Thomas abandonou este sábado o Tirreno-Adriático, devido a problemas gástricos, anunciou hoje a equipa do vencedor da Volta a França em 2018.

"Infelizmente, o Geraint Thomas foi forçado a abandonar o Tirreno-Adriático, por causa de problemas gástricos", confirmou a Sky, no Twitter, pouco depois de a organização ter dado conta da desistência do galês ao quilómetro 133 dos 221 da quarta etapa da corrida italiana.

Thomas iniciou a tirada no 38.º lugar, a 2.10 minutos do líder Adam Yates (Mitchelton-Scott).

Fonte: Record on-line

“Egan Bernal sobe à liderança do Paris-Nice após vitória de Daniel Martinez”

Amaro Antunes subiu 13 lugares na classificação geral para o 31.º posto, Egan Bernal (Sky) assumiu liderança da prova

Por: Lusa

Foto: EPA 1/2

O colombiano Daniel Martinez (Education First) venceu este sábado a sétima etapa do Paris-Nice, no alto de Turini, onde o seu compatriota Egan Bernal (Sky) arrebatou a liderança da prova velocipédica francesa.

Martinez concluiu os 181,5 quilómetros, desde Nice, em 4:55.49 horas, menos seis segundos do que o seu compatriota Miguel Ángel López (Astana), segundo classificado, e menos 20 do que o francês Nicolas Edet (Cofidis) e do que o britânico Simon Yates (Mitchelton-Scott).

Bernal foi o 14.º a cruzar a meta, coincidente com uma contagem de montanha, após três quilómetros de subida, a 3.43 minutos do vencedor, e desapossou da liderança o polaco e seu companheiro de equipa Michal Kwiatkowski, que não foi além do 22.º posto, a 5.04, e caiu para a quarta posição, a 1.03.

O português Amaro Antunes (CCC) terminou na 29.ª posição, 6.43 minutos depois de Martinez, e subiu 13 lugares na classificação geral para o 31.º posto, a 20.59 de Bernal.

O colombiano vai partir para a oitava e última etapa da corrida, 110 quilómetros com partida e chegada em Nice, com 45 segundos de vantagem sobre o belga Philippe Gilbert (Deceuninck - QuickStep), que subiu do 14.º para o segundo lugar, e 46 sobre o seu compatriota Nairo Quintana (Movistar), terceiro.

No domingo, os corredores da prova francesa vão enfrentar seis subidas, a última a nove quilómetros da meta.

Fonte: Record on-line

“Clássica da Arrábida”

Pelotão mais internacional de sempre pedala na Arrábida

Por: José Carlos Gomes

A terceira edição da Clássica da Arrábida, a mais internacional de sempre da prova, será disputada, neste domingo, por 158 corredores, em representação de 23 equipas. A caravana vai percorrer 185 quilómetros, com partida de Palmela, passagem em Setúbal e um final, seletivo e eletrizante, no Castelo de Sesimbra. A corrida é pontuável para os rankings UCI e também para a Taça de Portugal Jogos Santa Casa de Elite e Sub-23.

Numa competição que pretende mostrar a Arrábida como região privilegiada para a prática de ciclismo, o pelotão conta com 18 países representados: Alemanha, Angola, Austrália, Bélgica, Bulgária, Espanha, Estados Unidos da América, França, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Noruega, Nova Zelândia, Portugal, Reino Unido, Rússia, Suíça e Uruguai.

A prova começa, às 11h40, no Largo de S. João, Palmela, terminando, cerca das 16h00, no Castelo de Sesimbra, depois de percorridos 185 quilómetros. A fase final, em circuito, terá um total de 33 quilómetros, que incluem três subidas ao Alto da Serra, a última com meta no castelo. Além das subidas, curtas mas exigentes, a Clássica da Arrábida mantém-se fiel ao ingrediente que lhe tem dado carisma: dois setores de terra-batida e gravilha.

 

Equipas

Continental Profissional: Caja Rural-Seguros RGA e Euskadi Basque Country-Murias (Espanha), W52-FC Porto (Portugal)

Continental: Aviludo-Louletano, Efapel, LA Alumínios-LA Sport, Miranda-Mortágua, Rádio Popular-Boavista, Sporting-Tavira, UD Oliveirense-InOutBuild e Vito-Feirense-PNB (Portugal), BAI-Sicasal-Petro de Luanda (Angola), Lokosphinx (Rússia), Swiss Racing Academy (Suíça), Team Diffedange-GeBa (Luxemburgo), Team Wiggins LeCol (Reino Unido) e Uno-X Norwegian Development Team (Noruega).

Equipas de Clube: ACDC Trofa/Trofense, Crédito Agrícola/Jorbi/Almodôvar, Fortunna/Maia, Jorbi/Team José Maria Nicolau, JV Perfis/Gondomar Cultural e Sicasal/Constantinos (Portugal)

As duas edições anteriores da corrida foram vencidas por ciclistas que, entretanto, subira ao WorldTour, Amaro Antunes, em 2017, e Dmitrii Strakhov, em 2018.

A edição de 2019 conta com três equipas de categoria continental profissional, Euskadi Basque Country-Murias, Caja Rural-Seguros RGA e W52-FC Porto, que tentarão fazer valer o favoritismo teórico. No entanto, as oito equipas continentais portuguesas e as formações Team Wiggins LeCol, Uno-X Norwegian Development Team e a Lokosphinx também têm argumentos para bater-se pelo triunfo. As equipas de clube aspiram a bons resultados entre os sub-23.

Fonte: FPC