terça-feira, 26 de julho de 2016

“Minhotos em destaque no Campeonato Nacional de BTT Cross Country Olímpico”

Cinco títulos de Campeão Nacional e quatro terceiros lugares é o excelente balanço da prestação de atletas e equipas do Minho no Campeonato Nacional de BTT Cross Country Olímpico disputado no Jamor.

Joana Monteiro (elites), José Dias (sub 23) João Rocha e Marta Branco (juniores) e Ricardo Gomes (paraciclismo) são os atletas minhotos que conquistaram os títulos de Campeões Nacionais de BTT XCO.

Os atletas minhotos, na sua esmagadora maioria formados em clubes da Associação de Ciclismo do Minho (ACM), averbaram excelentes resultados e conquistaram nove medalhas na prova disputada na nova pista d BTT XCO do Jamor.

Joana Monteiro (elites), José Dias (sub 23) João Rocha e Marta Branco (juniores) e Ricardo Gomes (paraciclismo) conquistaram os títulos de Campeões Nacionais de BTT - XCO, enquanto Débora Figueiredo (juniores), Vinício Rodrigues (cadetes), Francisco Anjos (master 40) e Liliana Lopes (master femininas) alcançaram o terceiro lugar do pódio.

A Direção da Associação de Ciclismo do Minho felicitou os atletas minhotos e as suas equipas filiadas pelos resultados alcançados no Campeonato Nacional de Cross Country Olímpico. Expressando a sua satisfação e orgulho pelo desempenho dos atletas minhotos, a Direção da ACM realçou que os mesmos são um estímulo para o prosseguimento do trabalho no âmbito da formação dos jovens atletas, visando a existência de mais e melhor ciclismo na sua área de jurisdição (distritos de Braga e Viana do Castelo).

A famalicense Joana Monteiro (ASC/Focus Team/Vila do Conde), ainda em idade de sub-23, voltou a competir entre a elite e a aposta foi ganha, resultando na revalidação do título na categoria máxima. Joana Monteiro, que também é Campeã do Minho de XCO, deixou a rival mais direta, Celina Carpinteiro (BTT Loulé/BPI), na segunda posição e Tânia Neves (Clube BTT de Águeda/BlackJack) na terceira. Destaque para os resultados das minhotas Daniela Pereira (Tomatubikers / Toyota – Macedo & Macedo), 5ª classificada, Joana Barbosa (BMC / SRAM / Póvoa de Varzim) em 6º e Leandra Gomes (Batotas / Ponte de Lima) no 8º.

Na prova de elites masculinos, os dois representantes de Portugal na prova de BTT dos Jogos Olímpicos, David Rosa (Tropix) e Tiago Ferreira (Team Protek), ocuparam os dois primeiros lugares do pódio, seguidos de Mário Costa (ASC/Focus Team/Vila do Conde). O minhoto Jacinto Fiúza (Batotas / Ponte de Lima), vencedor do Campeonato do Minho de BTT XCO - MAPFRE | Seguros de 2015, foi o sétimo classificado, posição que, recorde-se, também alcançou no nacional do ano passado.

Os sub-23 trocaram de posição face ao ano passado. José Dias (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact), segundo em 2015 e vice-campeão do Minho de BTT XCO e de Ciclocrosse, sagrou-se campeão nacional de sub-23, relegando o antigo campeão, Gonçalo Amado (Maiatos/Reabnorte/BikeZone), para o segundo lugar. Kevin Oliveira foi terceiro. Ana Tomás (BTT Seia) foi a mais forte em sub-23 femininos, merecendo destaque o 4º lugar alcançado pela minhota Daniela Ferreira (BMC / SRAM / Póvoa de Varzim) e o 10º de Daniela Araújo (Tomatubikers / Toyota – Macedo & Macedo).

João Rocha (Rodabike/ACRG/Gondomar) e a vimaranense Marta Branco (ASC/Focus Team/Vila do Conde) sagraram-se Campeões Nacionais de juniores, enquanto Débora Figueiredo (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact) foi terceira classificada na prova feminina. Realce para o desempenho dos também minhotos Ana Moreira (Tomatubikers / Toyota – Macedo & Macedo), 4ª classificada, e António Azevedo (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact), 6º lugar na prova masculina.

Márcio Peralta (BTT Loulé/BPI) e Raquel Queirós (ASC/Focus Team/Vila do Conde) impuseram-se em cadetes, categoria em que Vinício Rodrigues (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact) foi terceiro classificado. Na corrida feminina, três atletas da equipa minhota JUM - Sanitop - KTM (Beatriz Faria, Celina Faria e Beatriz Abreu) ocuparam, respetivamente, o 5º, 6º e 7º lugar da classificação, enquanto Hélder Gonçalves e Pedro Silva, ambos da formação Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact, foram 8º e 10º em masculinos.

Ricardo Gomes, da equipa vianense Saertex Portugal | Edaetech, sagrou-se Campeão Nacional de Paraciclismo ao vencer entre os participantes com deficiência auditiva.

Entre os veteranos, os títulos de campeão nacional foram conquistados pelo master 30 Rúben Nunes (ASC/Focus Team/Vila do Conde), pelo master 40 Rui Torpes, pelo master 50 António Silva (ProRebordosa/Garrafeira Gomes/Oforsep) e pela master Ângela Gonçalves (BTT Seia).

O vimaranense Francisco Anjos (Nutrimania Sports Nutrition /GDVP) alcançou no Jamor o terceiro lugar do pódio em master 40, a mesma posição conquistada pela minhota Liliana Lopes (ASC/Focus Team/Vila do Conde) na prova de master femininas. Mário Fernandes (Rodabike/ACRG/Gondomar) foi oitavo classificado e Abel Machado (ASC/Focus Team/Vila do Conde) 10º  em master 40. João Araújo e Mário Cruz, ambos da equipa JUM - Sanitop – KTM, terminaram corrida de master 50 em 5º e em 10º.

A ASC/Focus Team/Vila do Conde conquistou o título coletivo. A equipa barcelense Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact alcançou o 5º lugar, a famalicense Tomatubikers / Toyota - Macedo & Macedo o 8º e formação de Esposende JUM – Sanitop – KTM o 10º.

Fonte: ACM

“Cerca de 200 jovens no Prémio de Ciclismo Cidade de Fafe”

Cerca de duas centenas de jovens participaram no Prémio de Ciclismo Cidade de Fafe, iniciativa pontuável para a Taça do Minho de Ciclismo de Estrada - Arrecadações da Quintã promovida pela Associação de Ciclismo do Minho com o apoio da Câmara Municipal de Fafe.

Edgar Fonte (juniores), Maria de Jesus Barros (elite femininas), António Ferreira e Jéssica Ribeiro (cadetes), Tiago Moreira e Beatriz Pereira (juvenis), João Martins e Nicole Lopes (infantis), David Ferreira e Milza Gonçalves (iniciados), Francisco Cardoso e Jéssica Oliveira (Pupilos/Benjamins) foram os atletas que mais se evidenciaram nas atividades que decorreram com grande entusiasmo e desportivismo, traduzindo-se numa verdadeira festa do ciclismo.

Na presença de muito público, as diversas atividades do Prémio de Ciclismo Cidade de Fafe, patrocinado pela autarquia fafense, foram realizadas no Parque da Cidade, com partida e chegada junto ao pavilhão multiusos.

Edgar Fonte (Tensai / Sambiental / Santa Marta) venceu isolado a corrida de juniores com Fábio Silva (Escola de Ciclismo Carlos Carvalho) e Miguel Duarte (Tormetais / Azemeis é vida - ECBN) a garantirem o segundo e terceiro lugares da classificação. A equipa Escola de Ciclismo Carlos Carvalho ganhou a classificação coletiva e Maria de Jesus Barros (Concello do Porriño / Abanca) foi a melhor atleta feminina.

Na prova de cadetes, António Ferreira (Moreira Congelados/Feira/Bicicleta Andrade) venceu depois de bater ao sprint Juliano Silva (União Ciclismo da Trofa) e Diogo Narciso (A.C.D.C. - Trofa) que ocuparam, respetivamente, a segunda e terceira posições do pódio. A formação Centro Ciclista de Barcelos/ AFF /Orbea / Onda venceu a classificação coletiva e cadetes enquanto Jéssica Ribeiro, Diana Marques e Mariana Almeida, todas da equipa Moreira Congelados / Feira / Bicicleta Andrade, compuseram o pódio do escalão de cadetes femininas.

Em juvenis a vitória no Prémio de Ciclismo Cidade de Fafe foi de Tiago Moreira (Tensai / Sambiental / Santa Marta) que terminou a prova à frente de Lucas Braga (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact) e de João Leite (Individual). Beatriz Pereira (CRC / Garbo / Vegas Cosmetics) venceu em juvenis femininos, tendo Beatriz Martins (União Ciclismo da Trofa) terminado em segundo e Nicole Gonçalves (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact) em terceiro.

Nos infantis evidenciaram-se João Martins (Escola de Ciclismo Arca de Noé - Gaia) e Nicole Lopes (Tensai / Sambiental / Santa Marta), em iniciados David Ferreira (CRC / Garbo / Vegas Cosmetics) e Milza Gonçalves (Escola de Ciclismo Arca de Noé - Gaia) e em pupilos/benjamins Francisco Cardoso (C.C. Barcelos/ AFF /Orbea / Onda) e Jéssica Oliveira (Escola de Ciclismo Arca de Noé - Gaia).

Coletivamente a formação Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact venceu nos escalões de escolas, seguida das equipas Escola de Ciclismo Arca de Noé - Gaia e Centro Ciclista de Barcelos/ AFF /Orbea / Onda.

O Prémio de Ciclismo Cidade de Fafe foi organizado pela Associação de Ciclismo do Minho com o apoio da Câmara Municipal de Fafe, Federação Portuguesa de Ciclismo, Arrecadações da Quintã, Cision, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design, Salvaggio, Controlsafe, Fafefuel, Guimarpeixe, Jopedois, Auto Terror, Polícia Municipal de Fafe, Bombeiros Voluntários de Fafe, Ciclismo a fundo (revista oficial) e Roda na Frente.

As próximas provas de ciclismo de estrada a organizar pela Associação de Ciclismo do Minho - pontuáveis para a Taça do Minho de Ciclismo de Estrada - Arrecadações da Quintã - são o 31º Prémio Cidade de Barcelos (7 de agosto), o 15º Prémio de Ciclismo de Rendufe (13 de agosto), o 41º Circuito de Santa Marta Portuzelo (15 de agosto), encerrando a época desportiva de ciclismo de estrada no dia 10 de setembro com o Prémio Fafe - Sala de Visitas do Minho.

Fonte: ACM

“Rui Teixeira entrou a vencer no Portugal Open de DHU”

Rui Teixeira (RG /Centro Óptico de Fafe) venceu em elites o Downhill Urbano de Paredes de Coura, primeira prova do Portugal Open de DHU. Na estreia da competição nacional, os vencedores dos restantes escalões foram os seguintes: Bruno Almeida (juniores), João Teixeira (cadetes), Rui Silva (master 30), Maurício Conceição (master 40), Augusto Pedrosa (master 50), Restauradores da Granja / Centro Óptico de Fafe (equipas) e João Cunha (promoção).

O Portugal Open de DHU é uma competição instituída e organizada sob a égide da UVP – Federação Portuguesa de Ciclismo e pelas Associações de Ciclismo do Minho, Porto e da Madeira. Depois de Paredes de Coura será a vez de Laundos - Póvoa de Varzim (13 de agosto) e do Funchal (1 de outubro) acolherem a competição.

O 1º Downhill Urbano de Paredes de Coura - promovido conjuntamente pela Câmara Municipal de Paredes de Coura e pela Associação de Ciclismo do Minho - apresentou-se com uma pista bastante dinâmica, aproveitando ao máximo o declive natural do percurso, complementada por diversos obstáculos artificiais, pretendendo simultaneamente fazer as delícias dos pilotos em termos de condução e o deleite do público, em termos da espetacularidade das manobras necessárias à transposição dos obstáculos.

Com uma extensão superior a mil metros, a pista do 1º Downhill Urbano de Paredes de Coura teve início no Penedo-do-Milho, integrado no Parque de Lazer do Penedo-das-Vistas, a 453m de altitude, um miradouro privilegiado para contemplação da paisagem urbana da Vila, bem como de parte do território do concelho de Paredes de Coura.

Vice-Campeão do Minho de DHI em 2015, Rui Teixeira (RG /Centro Óptico de Fafe) venceu em elites o 1º Downhill Urbano de Paredes de Coura, tendo o seu colega de equipa Luís Costa obtido o segundo melhor registo de tempo na manga de classificação e Vítor Mayor (FAC - Famalicense Atlético Clube) o terceiro.

Bruno Almeida (Desportivo Jorge Antunes), Vice-Campeão Nacional e Campeão do Minho de DHI na categoria de juniores, venceu no seu escalão e obteve o melhor tempo absoluto do 1º Downhill Urbano de Paredes de Coura. Carlos Martins (Desportivo Jorge Antunes) terminou a primeira prova do Portugal Open de DHU no segundo posto e o Campeão Nacional Diogo Pinto (RG /Centro Óptico de Fafe) no terceiro.

Campeão do Minho em cadetes, João Teixeira (RG - Centro Óptico de Fafe) foi o mais veloz em Paredes de Coura alcançando o primeiro lugar, deixando nas restantes posições do pódio João Mesquita e Raúl Cunha, ambos da equipa Moto Galos DH Team / ACR Roriz.

Rui Silva (RG /Centro Óptico de Fafe), em master 30, foi o mais rápido em Paredes de Coura, completando o pódio Jorge Afonseca (FAC - Famalicense Atlético Clube) e António Cunha (RG /Centro Óptico de Fafe).

Vencedor do Campeonato do Minho de BTT DHI – Cision de 2015, em master 40, Maurício Conceição (RG /Centro Óptico de Fafe) venceu no seu escalão o Downhill Urbano de Paredes de Coura, alcançado o segundo lugar o individual João Monteiro.

Em master 50 o triunfo foi de Augusto Pedrosa (Desportivo Jorge Antunes) também ele Campeão do Minho em título.

Na promoção, o melhor a descer a pista de Paredes de Coura foi João Cunha.

Coletivamente a vencedora foi a equipa Campeã do Minho em 2015, a formação Restauradores da Granja - Centro Óptico de Fafe, seguindo-se o Desportivo Jorge Antunes.

O 1º Downhill Urbano de Paredes de Coura teve o apoio das seguintes entidades: Federação Portuguesa de Ciclismo, Cision, Arrecadações da Quintã, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design, Salvaggio, Controlsafe e Bike Magazine (revista oficial).

O Portugal Open de DHU, depois do 1º Downhill Urbano de Paredes de Coura, prossegue no dia 13 de agosto em Laundos (Póvoa de Varzim) e termina no dia 1 de outubro no Funchal.

Fonte: ACM

“4ª Rota do Souto”

No passado dia 17/07, os atletas do ; Jorge Martins, Filipe Tavares, Filipe Ferreira e Eduardo Almeida, deslocaram-se ao Souto, Santa Maria da Feira, para participar na 4ª Rota do Souto

Num dia de calor intenso a partida foi dada pelas 9:00h da manhã e todos os atletas rumaram aos trilhos escolhidos, para mais esta edição da Rota do Souto, com passagem pelo Castelo da Feira e regiões circundantes ao Souto. 

Percurso misto com alguns singletracks, algum pó, durinho quanto baste, também pelo calor que se fazia sentir, num traçado de 42kms. 

Marcações bem visíveis e colocadas nos sitios corretos, e os reforços líquidos e sólidos bem distribuidos pelo percurso. 

Os parabéns à organização Rota do Souto, pela simpatia e pelo sucesso do evento.


Classificação:

Jorge Martins - 24º da geral e 5º Master 

Filipe Ferreira - 59º geral  e 36º Elite

Filipe Tavares - 63º geral  e 39º Elite

Eduardo Almeida - 97º geral e 57º Elite 

Agradecimento aos nossos patrocinadores;

- Lojas da Visão

- Polisport

- Tavares Auto

- Crédito Agrícola Vale de Cambra

- Leirinox

- Polivale

- Municipio de Vale de Cambra

- PartilhAdrenalina

- Luz do Horizonte

- Fullbike

- Associação Inter Caima Pinheiro Manso

Fonte: Intercaima

“Apresentação do equipamento da Seleção Olímpica de Ciclismo”

Nelson Oliveira veste fato de contrarrelógio feito à medida

Já imaginou um fato de contrarrelógio mais leve que os demais, aerodinâmico e totalmente feito à medida do ciclista, tanto em termos anatómicos como de resposta às necessidades térmicas e de refrigeração do organismo? Vai ser este produto de “alfaiataria científica” que Nelson Oliveira utilizará no contrarrelógio dos Jogos Olímpicos, no dia 10 de agosto.

A apresentação do equipamento realizou-se hoje na ADAI – Associação para o Desenvolvimento da Aerodinâmica Industrial, unidade de investigação do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade de Coimbra.

O equipamento, que mantém a imagem de marca tradicional da Seleção Nacional de Ciclismo, inova no design e nos materiais. A concepção do fato de contrarrelógio só foi possível com um trabalho que envolveu diferentes entidades. A Universidade de Coimbra, através da Faculdade de Ciências do Desporto e o Departamento de Engenharia Mecânica, realizou os testes em túnel de vento e a simulação das condições ambientais – temperatura e humidade relativa – do Rio de Janeiro.

Esses testes permitiram detetar a reacção do organismo de Nelson Oliveira ao esforço físico naquelas condições, dando indicações termográficas sobre as áreas corporais que mais aquecem e que, por isso, têm maiores necessidades de refrigeração.

Com esses dados, a P&R Têxteis, através da marca ONDA, que fornece a roupa de competição das Seleções Nacionais de Ciclismo, desenvolveu o equipamento. Para isso contou com a colaboração do CITEVE, que realizou ensaios de respirabilidade, gestão de humidade e permeabilidade ao vapor de água de diferentes tecidos. A partir dos resultados dos testes aos materiais, a ONDA assegurou o design, engenharia e desenvolvimrto do produto, otimizando a seleção de tecidos para as diferentes zonas do fato e proporcionando uma redução de peso de aproximadamente 20 por cento em relação à versão anterior.

Todo este processo permite que hoje tenha sido apresentado um equipamento totalmente à medida de Nelson Oliveira, tanto no tamanho e na adaptação anatómica ao corpo do ciclista, como na resposta às necessidades de regulação térmica do organismo.

“Este fato foi desenvolvido para responder às questões de aerodinâmica e de respirabilidade. É um equipamento muito melhor do que os anteriores. Para quem anda de bicicleta basta olhar para perceber a qualidade. Está muito bem trabalhado, com tecidos adequados”, descreveu Nelson Oliveira.

O professor Amândio Santos, da Faculdade de Ciências do Desporto da Universidade de Coimbra, realçou que os próprios testes servem de preparação para as condições que serão encontradas no Rio de Janeiro. “O nosso objetivo é dotar os treinadores e os atletas das condições que ajudem a debelar as dificuldades. Quando estiverem sob estas condições, no Rio de Janeiro, o corpo vai avivar uma memória e adaptar-se mais facilmente”, explicou o investigador.

“As condições de humidade relativa têm importância, sobretudo, quando se está em esforço. Nessas circunstâncias a transpiração representa 60 a 70 por cento do balanço térmico”, complementou o professor Manuel Gameiro, do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade de Coimbra.

“Este equipamento nasce de testes e ensaios, tendo em conta respirabilidade, gestão de humidade e permeabilidade ao vapor de água de diferentes tecidos. Conseguimos reduzir em 20 por cento o peso face à geração anterior de equipamentos, mesmo tendo o compromisso de manter tecidos com maior compressão nas pernas, porque isso é fundamental para o desempenho desportivo”, conta Hélder Rosendo, director-geral da P&R Têxteis.

“Temos corredores de grande nível, que se batem com os melhores internacionalmente. Prepararam muito bem os Jogos Olímpicos, estão motivados e têm possibilidade de obter bons resultados. A Federação faz a sua parte, dar as melhores condições que conseguimos a estes atletas”, resumiu o presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira.

Estes fatos também serão usados David Rosa e por Tiago Ferreira na prova de BTT dos Jogos Olímpicos, no dia 21 de agosto. Os testes com os corredores de BTT ainda irão realizar-se. ~

Fonte: FPC

“Campeonato do Minho de BTT XCO em Felgueiras”

Disputa-se no dia 31 de julho o 10º BTT XCO de Felgueiras, quinta prova do Campeonato do Minho de BTT XCO - MAPFRE | Seguros que decorrerá no Monte de Santa Quitéria (Felgueiras).
O 10º BTT XCO de Felgueiras é organizado em conjunto pela Associação de Ciclismo do Minho, Bicicleta Clube de Felgueiras e Junta de Freguesia de Margaride. Além das categorias de competição pontuáveis para o Campeonato do Minho de BTT XCO - MAPFRE | Seguros, o 10º BTT XCO de Felgueiras será aberto à participação de todos os interessados que poderão integrar a categoria de promoção.
A disputar no Monte de Santa Quitéria (Felgueiras), o traçado definido pela organização pretende oferecer um belo espetáculo para o público uma vez que apresenta várias zonas técnicas e variações, entre subidas e descidas.
O 10º BTT XCO de Felgueiras integrará provas para as categorias de elites, paraciclismo, juniores, masters, cadetes, juvenis, infantis, iniciados, benjamins e promoção. Depois de um período para treinos entre as 10 e as 12h00, realizam-se a partir dessa hora as atividades para pupilos, benjamins e iniciados. Pelas 14 horas começará a prova para infantis, juvenis, cadetes, femininos (sub 23/elites e master), paraciclismo e promoção e às 15h30 a corrida de juniores, elites/sub 23 e masters. A cerimónia protocolar está prevista para as 17h30. A participação na prova é gratuita para atletas federados sendo também aberta à participação na vertente de promoção (custo de inscrição inclui seguro de acidentes pessoais). O secretariado para confirmação de inscrições abrirá às 9 horas e as inscrições devem ser efetuadas através do email geral@acm.pt.
O 10º BTT XCO de Felgueiras tem o apoio da Federação Portuguesa de Ciclismo, MAPFRE | Seguros, Câmara Municipal de Felgueiras, Juntas de Freguesia de Caramos e Moure, Grupo Desportivo de Caramos, Bombeiros Voluntários de Felgueiras, Vinhos Borges, Irmalex, Felmini, MFF - Manuel Fernandes & Faria, Andite.com, Moufomol - Publicidade, Altermotor, Desafio de Cores, Naturellipse, Ativo Fitness, Bike Matracas, Cision, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, Arrecadações da Quintã, POPP Design, Salvaggio, Controlsafe, Bike Magazine (revista oficial).
Na edição do ano passado o Campeão Nacional José Dias e a Campeã do Minho Ana Rita Vale triunfaram em elites no 9º BTT XCO de Felgueiras, nona etapa do Campeonato do Minho de BTT XCO - MAPFRE | Seguros.
Disputada no Monte de Santa Marta - Caramos (Felgueiras), a prova foi ganha nos restantes escalões por João Rocha (juniores), Hélder Braga (master 30), Mário Fernandes (masters 40), Joaquim Ferreira (masters 50), Nuno Costa e Marta Branco (cadetes), Pedro Silva e Ana Santos (juvenis), Tiago Dias e Beatriz Pereira (infantis), João Martins e Mariana Magalhães (iniciados), Filipe Pinto e Ana Sá (pupilos-benjamins) e Márcio Silva (promoção). Coletivamente triunfou a Seissa/A.C.R.Roriz/Matias & Araújo/Frulact (competição e escolas).
Fonte: ACM

“Agenda de Ciclismo”

Juniores dão a Volta com a elite

A 11.ª edição da Volta a Portugal de Juniores disputa-se entre quinta-feira e sábado, partilhando os locais de chegada e parte do percurso das etapas com a 78.ª Volta a Portugal em Bicicleta.

A corrida júnior terá um total de 306,9 quilómetros, distribuídos por três etapas em linha. A prova será disputada por 168 corredores em representação de 24 equipas, seis das quais espanholas.

A primeira etapa vai ligar São João de Ver, Santa Maria da Feira, a Braga, ao longo de 108,6 quilómetros. É, em teoria, a menos exigente das tiradas, sendo uma boa oportunidade para uma chegada ao sprint. A partida será dada às 12h35, prevendo-se o final para cerca das 15h15.

Ao segundo dia os corredores parte de Vila Verde, às 13h05, para uma viagem de 88 quilómetros até ao centro de Fafe, onde o empedrado irá receber os primeiros corredores cerca das 15h15.

A Volta a Portugal de Juniores termina no sábado com a etapa rainha da competição, 110,3 quilómetros, entre Boticas (12h50) e Macedo de Cavaleiros (15h30). A subida da serra de Bornes, cujo topo dista 15 quilómetros da meta, deverá ser determinante para encontrar o vencedor.

A Volta a Portugal de Juniores homenageia figuras do ciclismo português naturais da região onde termina cada uma das etapas. A primeira tirada designa-se Troféu Joaquim Sousa Santos, a segunda é o Troféu Peixoto Alves e a terceira denomina-se Troféu Basílio Angélico.

 Mais eventos oficiais

31 de julho, 9h30: IX Maratona BTT Expofacic, Cantanhede

31 de julho, 9h30: Raid BTT do Hóquei Clube de Turquel, Alcobaça

31 de julho, 9h30: Taça de S. Miguel de DHI, Açores

31 de julho, 10h00: Circuito de Santa Marta de Penaguião

31 de julho, 12h00: 10.º XCO de Felgueiras

1 de agosto, 15h00: Circuito das Festas de Lousada

Fonte: FPC

“Há leões, dragões e ida à terra batida”

Por: Ana Paula Marques

Foto: Filipe Farinha

Aí vem a prova rainha do ciclismo português

Não há este ano um final na Torre, mas há novidades que podem atenuar esse facto: a começar pelas presenças das camisolas de Sporting e FC Porto, o que não acontecia há pelo menos 30 anos. Mas há ainda uma incursão à terra batida, com a passagem pelo famoso salto do Rali de Portugal, o da Pedra Sentada, em Fafe.
Estes são, pois, alguns dos ingredientes da 78ª edição da Volta a Portugal, que vai amanhã para a estrada, sendo que hoje há o aperitivo da apresentação das equipas, em Oliveira de Azeméis, cidade virada para o desporto e que ainda há bem pouco tempo coroou a Seleção Nacional de hóquei em patins campeã da Europa. Não fosse o presidente da autarquia Hermínio Loureiro, também ele um homem do desporto. É vice-presidente da Federação de futebol e já foi secretário de Estado.
Mas falemos então da corrida rainha portuguesa. Sem um final no ponto mais alto de Portugal Continental, a organização não deixou, contudo, a Torre fora do traçado. Aliás, contemplou a passagem por este local por duas vezes, naquela que é considerada pelo diretor da prova a etapa rainha. Falamos da 6ª, no dia 3 de agosto, com partida de Belmonte e chegada à Guarda.
A cidade mais alta do país recebe, então, um dos dois finais em montanha deste ano, com uma contagem de 3ª categoria, sendo que a outra é a tradicional chegada à Senhora da Graça, já no domingo. Mas antes desta emblemática etapa há aquela que é, para já, a grande expectativa do traçado, o salto da Pedra Sentada. Será logo à 2ª tirada, surgindo o troço de terra batida de 2,2 km a somente 18 km da chegada. "Vai colocar corredores e diretores com atenção redobrada, no sentido de saírem com as aspirações intactas", reconhece o diretor da corrida, Joaquim Gomes.
Estão então lançados os dados para mais uma Volta a Portugal, que se espera seja mais emotiva e interessantes que as anteriores.

Fonte: Record one-line

“Azeméis em festa com a Volta a Portugal”

Está montada, em Oliveira de Azeméis, a grande, animada e colorida festa que, todos os anos, entusiasma o verão desportivo nacional. A Grande Partida da 78ª Volta a Portugal Santander Totta acontece esta quarta-feira, 27 julho, no centro urbano da cidade, mas já esta terça-feira houve grande agitação com os preparativos de toda a caravana e com a transmissão em direto do “Há Volta”, emissão da RTP que serviu de espetáculo de apresentação dos 143 corredores das 18 equipas, que chegam das mais diversas geografias e que serão os principais artistas nos próximos dias.

A 78ª Volta a Portugal Santander Totta Volta começa com um Prólogo de 3,6 quilómetros maioritariamente desenhados na cidade com pendor técnico e difícil sobretudo devido aos últimos 500 metros, na Avenida D. Maria I, em plano inclinado. A discussão em sistema de contrarrelógio vai estabelecer as primeiras diferenças e revelar o líder inicial. Individualmente, de minuto a minuto, cada corredor vai entrar em prova. O francês Clement Penven (L’Armée de Terre) será o primeiro a estrear o percurso quando passarem três minutos das 15 horas. O vencedor da Volta de 2014 e 2015, Gustavo Veloso (W52/FC Porto), será o último a entrar em prova às 17h25. 

O município de Oliveira de Azeméis sendo uma das presenças mais jovens na prova é já um dos mais ativos. Se no ano passado acolheu o Dia de Descanso agora estreia-se no arranque da grande competição.

Prólogo (CRI) | 3,6 Km

Oliveira de Azeméis – Oliveira de Azeméis

Partida 1º corredor: 15h03

Partida último corredor: 17h25

A Volta mais longa, difícil e… quente dos últimos anos

O percurso que regressa às estradas alentejanas é o mais longo dos últimos cinco anos e tem passagens inéditas: na terra batida de um dos famosos troços do Rally de Portugal e na estreia da Nazaré e de Arruda dos Vinhos como partida e chegada de etapa. Após 1618,7 Km, a majestosa Praça do Comércio, em Lisboa, vai abrir-se ao sprint final e às comemorações dos vencedores.

Com a contagem decrescente para a competição aumenta o calor e as emoções da Volta, um grande e itinerante festival em permanente animação organizado pela Podium Events.

Para além do Prólogo fazem a 78ª Volta a Portugal Santander Totta 10 etapas com Dia de Descanso em Viseu, a 2 de agosto, e chegada a Lisboa no dia 7.

São patrocinadores oficiais o Santander Totta, RUBIS Gás, Liberty Seguros, RTP, EDP, Jornal de Noticias, KIA, Nobre, Delta Cafés, Conselheiros da Visão, Via Verde, Caves Raposeira, MEO, Festina, ACP, CARMIM, Grupo Vendap, Glassdrive, VITALIS, ARKO, KTM, Transportes Paulo Duarte. São fornecedores e parceiros oficias a Antena 1, CISION, JCDecaux, Nova Expressão, DNS.PT, Revista Ciclismo a Fundo, CARTOSIS, GNAUK, Estanhos Dom António, Atum General, BDR, EVOC, Ach. Brito, SHIMANO, Cachaça 51, Pacto, FRUUT, Dietsport, Pastelaria Chafariz, FERBAR, Capri-Sonne, Pestana Pousada de Portugal, Turismo Centro de Portugal, Oeste Portugal, Setúbal Cidade Europeia do Desporto, Associação Salvador, Ameno, WCM, Classificações.net, Infraestruturas de Portugal e Instituto Geográfico do Exército.

Fonte: Podium