sexta-feira, 22 de junho de 2018

“Desafio ibérico para os ciclistas da EFAPEL”

          Equipa representada nos campeonatos nacionais de Portugal e de Espanha

          EFAPEL participa nos contra-relógios individuais e nas provas em linha

          Formação com sete ciclistas em acção

A Equipa EFAPEL vai estar, a partir de hoje, em competição em Portugal e em Espanha. Oito ciclistas da formação comandada por Américo Silva vão estar em acção nos campeonatos nacionais dos respectivos países. Vale d’Alba e Belmonte reunem os ciclistas que vão procurar o tão desejado título. A EFAPEL vai ter, em dois dias de provas, oito corredores a participar.

Marcos Jurado, em Espanha, e Sérgio e Pedro Paulinho são os primeiros a entrarem em competição. Os três vão pedalar com as cores da EFAPEL nos contra-relógios individuais que marcam o início dos campeonatos nacionais de elites.

Para a Equipa EFAPEL, o resultado é de difícil antecipação. “Vamos ter um percurso idêntico ao do ano passado e onde o número de atletas por equipa varia o que faz com que o resultado seja imprevisível”, explicou o director desportivo, Américo Silva em relação à prova portuguesa.

Nas provas de hoje, o contra-relógio espanhol vai ter 37,5 km de extensão com uma fase intermédia muito irregular. Em Belmonte, serão 33,7 km em que o final será ascendente. Nas rondas em linha, que se disputam no domingo, em Vall d’Alba, os ciclistas pedalam 215 km, enquanto em Portugal, o percurso tem 181,8 km.

 

Nome da prova

Campeonatos Nacionais de Elites (Contra-Relógio e Linha) de Portugal e Espanha

Data

22 e 24 de Junho de 2018

 

Director desportivo

Américo Silva

 

Ciclistas

Bruno Silva (Trepador)

Daniel Mestre (Sprinter)

Henrique Casimiro (Trepador)

Jesus del Pino (Trepador)

Marcos Jurado (Rolador)

Pedro Paulinho (Sprinter)

Rafael Silva (Sprinter)

Sérgio Paulinho (Completo)

Fonte: Efapel

“Campeonato Nacional de Estrada”

Favoritos confirmam estatuto no contrarrelógio de Belmonte

Por: José Carlos Gomes

Os corredores apontados como candidatos à conquista dos títulos nacionais de contrarrelógio confirmaram as expectativas e venceram, hoje dia 22, os exercícios individuais do Campeonato Nacional de Estrada, em Belmonte.

A prova de elite masculina assistiu a um duelo entre os gémeos Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista) e José Gonçalves (Team Katusha Alpecin), com Tiago Machado (Team Katusha Alpencin) a dificultar a tarefa aos irmãos de Barcelos.

Domingos Gonçalves acabou por ser o mais forte, concluindo os 33,7 quilómetros em 43m06s, menos 12 segundos do que José Gonçalves. O famalicense Tiago Machado completou o pódio, a 20 segundos do vencedor. Só os três minhotos cruzaram a meta em menos de 44 minutos.

“Dei o meu máximo, tentando gerir o esforço. Deu-me algum ânimo começar a ver o Rafael Reis na segunda subida do percurso, pois vi que estava a andar bem. Depois comecei a ver o Sérgio Paulinho ao longe. Na parte final, em paralelo, a roda da frente prendeu mais um bocadinho, quebrei aqui, mas os outros também. Consegui completar o meu objetivo: vencer o nacional”, descreve Domingos Gonçalves.

O bicampeão nacional não dá muito destaque à luta mano a mano entre irmãos. “É meu irmão, mas em cima da bicicleta é um rival como os outros. Fora da bicicleta é mais um amigo, como outros que tenho no pelotão”, salienta o boavisteiro.

O pódio de sub-23 foi integralmente composto por ciclistas que representam equipas estrangeiras. O melhor de todos foi Ivo Oliveira (Hagens Berman Axeon). O gaiense conquistou o primeiro título sub-23 de estrada da carreira, terminando os 24,1 quilómetros de prova em 31m35s, com uma folgada margem de 28 segundos sobre o companheiro de equipa João Almeida, segundo classificado. O terceiro foi Tiago Antunes (Aldro Team), a 1m51s do mais veloz.

“Vencer era o meu objetivo. Vim para aqui treinar duas vezes, com a ajuda do meu irmão Hélder, que me ajudou a perceber o que tinha de fazer para regular o esforço. Hoje, com as indicações do selecionador de pista, Gabriel Mendes, que vinha atrás de mim no carro, fiquei motivado. Era a minha última oportunidade de ganhar um título em sub-23 e consegui alcançar o objetivo”, frisou Ivo Oliveira, emocionado, após o final da corrida.

Se na prova de elite a luta pelo título foi entre irmãos, em sub-23 foi entre colegas de equipa. “Sabia que o meu companheiro era o principal adversário. Não vejo isso como uma coisa má. Se fosse ele a ganhar ficava igualmente contente, mas ele ainda tem mais dois anos de sub-23, pode esperar”, brincou Ivo Oliveira.

Daniela Reis (Doltcini-Van Eyck Sport) não deu a menor hipótese à concorrência ao longo dos 24,1 quilómetros da prova feminina de elite, conquistando o quarto título nacional de contrarrelógio da carreira na categoria superior. Daniela Reis gastou 38m43s, menos 1m09s do que Maria Martins (Sopela Women’s Team) e menos 3m26s do que a campeã do ano passado, Soraia Silva (Sopela Women’s Team), que a acompanharam no pódio.

“Gostei do percurso, porque tinha partes duras que me favoreciam bastante. Tinha também cerca de 6/7 quilómetros muito a rolar e a descer, nos quais tive maior dificuldade, devido ao meu baixo peso. Consegui ganhar tempo nas subidas e proteger-me bem nas partes mais rolantes”, explicou Daniela Reis.

A corredora que, na próxima semana, irá representar Portugal nos Jogos do Mediterrâneo, tanto na prova de fundo como na de contrarrelógio, já tem os olhos nessas corridas, a disputar em Tarragona, Catalunha. “Ainda não sei quais serão as minhas adversárias, mas já estive a estudar o percurso e acho que posso ter algumas hipóteses de conquistar um bom resultado”, adianta a nova campeã nacional de contrarrelógio.

O programa do Campeonato Nacional de Estrada prossegue neste sábado. Às 11h00 correm as femininas, integralmente no circuito desenhando em Belmonte. O pelotão vai juntar as ciclistas de elite com as juniores, as cadetes e as masters. As ciclistas da categoria principal vão percorrer 107 quilómetros, resultantes de cinco voltas ao circuito de 21,4 quilómetros. As juniores completam menos uma volta, ficando-se pelos 85,6 quilómetros, enquanto as cadetes e as masters têm de cumprir três voltas e 64,2 quilómetros.

Ainda no sábado, a partir das 15h00, é a vez de o pelotão de sub-23 competir pelo título nacional de fundo. Tal como acontecerá no dia seguinte com os corredores de elite, os sub-23 percorrem 76 quilómetros e só depois entram no circuito de Belmonte. A prova acabará à quarta passagem pela meta, quando estiverem cobertos 160,4 quilómetros.
 

Classificações do Contrarrelógio

Elite Masculina: Belmonte – Belmonte, 33,7 km

1.º Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista), 43m06s (Média: 46,914 km/h)

2.º José Gonçalves (Team Katusha Alpecin), a 12s

3.º Tiago Machado (Team Katusha Alpecin), a 20s

4.º José Neves (W52-FC Porto), a 1m28s

5.º Rafael Reis (Caja Rural-Seguros RGA), a 2m55s
 

Elite Feminina: Belmonte – Belmonte, 24,1 km

1.ª Daniela Reis (Doltcini-Van Eyck Sport), 38m43s (Média: 37,348 km/h)

2.ª Maria Marins (Sopela Women's Team), a 1m09s

3.ª Soraia Silva (Sopela Women's Team), a 3m26s

4.ª Celina Carpinteiro (5Quinas/Município de Albufeira), a 4m57s

5.ª Liliana Jesus (BTT Seia), a 5m43s
 

Sub-23: Belmonte – Belmonte, 24,1 km

1.º Ivo Oliveira (Hagens Berman Axeon), 31m35s (Média: 45,784 km/h)

2.º Joâo Almeida (Hagens Berman Axeon), a 28s

3.º Tiago Antunes (Aldro Team), a 1m51s

4.º Jorge Magalhães (Miranda-Mortágua), a 2m11s

5.º Pedro Miguel Lopes (Liberty Seguros-Carglass), a 2m56s

Fonte: FPC