quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

“43.ª Volta ao Algarve”

Campeão mundial de contrarrelógio no Algarve

O campeão do Mundo de contrarrelógio individual e por equipas, Tony Martin, vai ser uma das estrelas da 43.ª edição da Volta ao Algarve, prova de categoria 2.HC, que vai disputar-se entre 15 e 19 de fevereiro de 2017.

Vencedor da Volta ao Algarve em 2011 e 2013, campeão mundial de contrarrelógio individual em 2011, 2012, 2013 e 2016 e campeão mundial por equipas em 2012, 2013 e 2016, Tony Martin encabeça o poderoso bloco que a Katusha-Alpecin escolheu para disputar a prova portuguesa em 2017.

O coletivo com licença suíça será dirigido em Portugal pelo responsável máximo da equipa, José Azevedo, que terá dois compatriotas, José Gonçalves e Tiago Machado, a partilhar o protagonismo com o contrarrelogista germânico.

O esloveno Simon Spilak, vencedor da Volta à Suíça em 2015, o belga Baptiste Planckaert, primeiro classificado do ranking Europe Tour em 2016, o holandês Maurits Lammertink, vencedor da Volta ao Luxemburgo em 2016, o norueguês Sven Erik Bystrøm, campeão mundial de sub-23 em 2014, e Mads Würtz Schmidt, atual campeão da Dinamarca de fundo e de contrarrelógio em sub-23, completam a equipa para a Volta ao Algarve.

Com a passagem da Katusha-Alpecin para a Suíça, a continental profissional Gazprom-RusVelo passa a ser a principal equipa de ciclismo da Rússia em 2017 e também já indicou os ciclistas que conta apresentar na Volta ao Algarve.

O coletivo russo é agora um misto entre uma equipa experiente e um bloco de desenvolvimento e lançamento de novos valores. Por isso, pré-inscreveu para a Volta ao Algarve três homens com larga experiência de WorldTour, Sergey Lagutin, vencedor de uma etapa na Vuelta de 2016, Alexey Tsatevich, vencedor de uma etapa na Volta à Catalunha de 2016, e Nikolay Trusov, que foi um dos gregários da Tinkoff nos últimos anos. O efetivo russo completa-se com Kirill Sveshnikov, Sergey Nikolaev, Evgeniy Shalunov, Ildar Arslanov e Artem Nych.

A única equipa continental estrangeira do pelotão da Volta ao Algarve é a Rally Cycling, que viaja desde os Estados Unidos da América. Tal como os russos, alia experiência e juventude, destacando-se a presença na lista de inscritos do atual campeão do mundo de contrarrelógio em juniores, Brandon McNulty. Será acompanhado por Robert Britton, Matteo Dal-Cin, Adam de Vos, Evan Huffman, Colin Joyce, Sepp Kuss e Danny Pate.

Equipas presentes

WorldTour: Astana (CAZ), Bora-hansgrohe (GER), Cannondale-Drapac (EUA), Dimension Data (RSA), FDJ (FRA), Katusha-Alpecin (SUI), Lotto NL-Jumbo (NED), Lotto Soudal (BEL), Movistar (ESP), Quick-Step Floors (BEL) e Team Sky (GBR).

Continental Profissonal: Caja Rural-Seguros RGA (ESP), Cofidis (FRA), Gazprom-RusVelo (RUS), Manzana Postobón (COL), Roompot-Nederlandse Loterij (NED) e Wanty-Groupe Gobert (BEL)

Continental: Efapel, LA Alumínios-Metalusa, Louletano-Hospital de Loulé, RP-Boavista, Sporting-Tavira e W52-FC Porto (POR), e Rally Cycling (EUA)

Percurso

15 de fevereiro – 1.ª Etapa: Albufeira – Lagos, 180,3 km

16 de fevereiro – 2.ª Etapa: Lagoa – Fóia (Monchique), 189,3 km

17 de fevereiro – 3.ª Etapa: Sagres – Sagres (C/R Individual), 18 km

18 de fevereiro – 4.ª Etapa: Almodôvar – Tavira, 203,4 km

19 de fevereiro – 5.ª Etapa: Loulé – Malhão, 179,2 km

Fonte: FPC

“Bruno Pires anuncia fim da sua "carreira feliz"”

Depois de ter ficado sem equipa

Por: Lusa

Foto: Manuel Azevedo/Arquivo

Bruno Pires anunciou esta quarta-feira o fim da sua "carreira feliz" no ciclismo, depois de ter ficado sem equipa, devido à extinção da equipa profissional suíça Team Roth, assumindo-se orgulhoso pelo que alcançou.
"Venho por este meio informar-vos da minha 'despedida' como ciclista profissional, depois de algumas tentativas para encontrar um projeto ou equipa que me fizesse continuar motivado de forma a ser competitivo, o que não se confirmou, chegando a este momento em que faço este anúncio", escreveu o corredor natural de Redondo, de 35 anos, numa carta enviada à agência Lusa.

Bruno Pires lamentou a forma como abandona a modalidade, após ter sido 39.º na Volta a Portugal, sem que soubesse que seria a sua última corrida.
"Não foi da forma que eu pensava, pois queria ter sido eu a dizer esta é a ultima corrida que realizo como ciclista profissional, mas isso não irá acontecer dessa forma (...), terminei esta etapa de uma forma não programada mas bonita, pois foi na Volta a Portugal, a corrida que me fez sonhar, lutar, e crer um dia ser ciclista profissional para a poder correr", sublinhou.
Depois de se ter iniciado no ciclismo "por acaso", o alentejano envergou as camisolas da Milaneza-Maia, LA-MSS, Barbot-Siper, Leopard-Trek, Saxo-Tinkoff e Team Roth, numa carreira virada para o estrangeiro e na qual se destacam as presenças no Giro, em 2011 e 2013, e na Vuelta, em 2012.
"Essa oportunidade proporcionou-me viajar por grande parte do mundo, aprender três línguas, ter uma experiência e visão internacional, observar, aprender e privar com alguns dos melhores ciclistas mundiais, tais como os irmãos Schleck, Cancelara, O'Grady, Voigt, Benatti, Contador, Majka, Sagan, Rogers, entre outros...vestir a mesma camisola, as refeições na mesma mesa, partilhar quarto e vivências fora da bicicleta, isso foi um privilégio e será sempre experiência", salientou, deixando um vasto agradecimento a quem com ele se cruzou.

Fonte: Record on-line

“Feliz Natal e Prospero Ano Novo”

Mais um Natal está a chegar, e mais uma vez sinto o coração novamente feliz e em paz por vos ter todos vocês na minha vida, dias como estes só são muito especiais, por ter amigos como vocês. Eu sei que nós já não temos idade para acreditar no Pai Natal, mas é sempre uma honra lembrar a nossa infância, eu vou ter de pedir um presente especial, o de ter vocês sempre na minha vida como amigos.

Assim, para os meus familiares, amigos, e leitores, ficam aqui os votos de Feliz Natal, e que o novo Ano Novo, vos traga muitas felicidades, e a realização dos vossos sonhos e desejos.

São os meus votos, e de toda a equipa do Notícias do Pedal.

Boas Festas.

José Morais