terça-feira, 23 de abril de 2019

“Pavel Sivakov vence isolado a 2.ª etapa da Volta aos Alpes”

Ciclista da Sky assume a liderança da classificação geral individual

Por: Lusa

Foto: Instagram

O russo Pavel Sivakov venceu esta terça-feira isolado a segunda etapa da Volta aos Alpes, assumindo a liderança da classificação geral individual, na segunda vitória consecutiva para a equipa britânica Sky.

O russo precisou de 4:58.17 horas para cumprir os 178,7 quilómetros entre Reith im Alpbachtal, na Áustria, e Schenna, já em solo italiano, batendo por quatro segundos o checo Jan Hirt (Astana), segundo, e por 17 o italiano Mattia Cattaneo (Androni Giocattoli-Sidermec), terceiro.

Aos 21 anos, Sivakov consegue a primeira vitória como profissional, numa carreira que despontou com o triunfo na Volta a Itália para jovens, em 2017, e sucede na camisola amarela ao companheiro de equipa britânico Tao Geoghegan Hart, que também se tinha estreado a vencer no primeiro dia de prova.

Na geral, Hirt está a oito segundos e Cattaneo a 33, sendo que o polaco Rafal Majka (BORA-hansgrohe) subiu a quarto, a 39 segundos, o mesmo tempo do sexto classificado, o italiano Vincenzo Nibali (Bahrain-Mérida), que entrou no 'top 10', ao contrário do britânico Chris Froome (Sky), de fora dos primeiros lugares.

Na quarta-feira, a terceira de cinco etapas liga Salorno a Baselga di Pinè em 106,3 quilómetros, numa tirada curta mas endurecida pelas várias subidas, uma de terceira e outra de segunda categoria, além de uma chegada em alto.

Fonte: Record on-line

“Hoka One One renova ligação ao IRONMAN”

Vínculo foi prolongado por mais uma temporada

Marca que a cada ano que passa tem estado mais presente nas provas do Ironman - nos dois últimos anos foi mesmo a mais utilizadas pelos corredores no Mundial de Kona -, a Hoka One One renovou esta semana o contrato com aquela organização por mais um ano, mantendo-se desta forma como marca de calçado oficial dos eventos do circuito na América do Norte e também na Europa.

"Estamos encantados por continuar e aumentar o nosso apoio ao circuito Ironman, de forma a chegar aos atletas de topo, mas também aos que estão agora a começar", explicou Lee Cox, vicepresidente mundial de vendas e marketing da marca, que desta forma estará presente nas próximas provas do circuito em solo europeu, nomeadamente no half ironman (70.3) de Cascais, marcado para 29 de setembro.

Fonte: Record on-line

“Ciclismo/Cabo Verde: Quatro ciclistas participam nas festividades do município de São Filipe”

António Gonçalves, ciclista da localidade de Fonte Aleixo Sul, no município de Santa Catarina, foi o vencedor da corrida.

A prova de ciclismo das festividades do Dia do Município e da Bandeira de São Filipe, em Cabo Verde, contou este ano com a participação de quatro ciclistas, e nenhum deles em representação do município.

A prova, realizada no percurso Campanas de Baixo -São Filipe, numa distância de cerca de 25 quilómetros, contou com a participação de dois ciclistas vindos da ilha de Santiago (Praia) e outros tantos em representação do município de Santa Catarina do Fogo (Fonte Aleixo –sul) e foi ganha por António Gonçalves, ciclista da localidade de Fonte Aleixo Sul, no município de Santa Catarina, com largos minutos de avanço sobre o segundo classificado.

António Gonçalves, vencedor da prova, inscreveu assim o seu nome na lista dos vencedores das provas, a seguir ao ciclista Amílcar Frederico, da ilha de Santiago (São Domingos), no ano passado, e de Yuram Michel, de S. Vicente, vencedor em 2017.

António Gonçalves, que já participou várias vezes, tendo terminado em terceiro e segundo lugares, este último no ano passado, reconheceu que está a crescer e que a vitória é fruto do trabalho e do treino realizado ao longo dos tempos, tendo como seu ponto forte as subidas e foi precisamente na principal subida do percurso que deixou para trás os demais participantes.

Na segunda posição classificou-se Carlos Alberto Mendes, da ilha de Santiago (Praia), que participou pela primeira vez na prova de ciclismo de São Filipe, com Mário Cesar Pires, Cidade da Praia, a fechar o pódio. Nilton Fernandes Pires, de Fonte Aleixo-sul (Santa Catarina) foi o quarto classificado.

Esta é a primeira vez que a prova contou com menos de cinco ciclistas, menos quatro que no ano passado, em que participaram um total de nove ciclistas, das ilhas do Fogo, Brava, Santiago e Nicolau.

A pouca divulgação da prova é tida como uma das razões para a fraca participação de ciclistas na prova, assim como aconteceu na prova de atletismo, masculino e feminino, realizada domingo, que contou com um total de nove participantes, sendo apenas uma na categoria feminina.

Fonte: Sapo on-line

“Campeonato da Europa de Downhill regressa às Aldeias do Xisto”

2 a 5 de maio | Pampilhosa da Serra

Por: Lara Faria

As Aldeias do Xisto são, pelo segundo ano consecutivo, o palco de excelência para uma das provas máximas do ciclismo internacional: o Campeonato da Europa de Downhill. Prevê-se muita adrenalina na discussão dos títulos europeus na disciplina mais vertiginosa do BTT. Tudo se decide entre 2 a 5 de maio, na Pampilhosa da Serra.

Pelo segundo ano consecutivo, o território das Aldeias do Xisto vai servir de palco para o Campeonato da Europa de Downhill, que durante quatro dias vai ter o seu epicentro na Pampilhosa da Serra.

Num ambiente único de competição e convívio, são esperados 200 participantes numa prova que terá como pináculo o primeiro fim-de-semana de maio, de onde se destacam as descidas cronometradas, no sábado, e as finais, que atribuirão 22 medalhas de ouro, no domingo.

As Aldeias do Xisto voltarão assim a acolher atletas provenientes de todos os cantos da Europa, motivados pela possibilidade de levar para casa o estatuto de campeões da Europa.

Os adeptos portugueses esperam, no entanto, que os ciclistas nacionais voltem a surpreender. Recorde-se que, em 2018, Francisco Pardal sagrou-se campeão europeu de elite e Tiago Ladeira arrebatou a medalha de ouro em juniores. Além disso, nas categorias de veteranos, Portugal arrecadou um total de sete medalhas.

O Campeonato da Europa de Downhill enquadra-se no âmbito do projeto Cyclin’ Portugal, que reconhece as Aldeias do Xisto como o primeiro destino de excelência do país para a prática de ciclismo, cruzando infraestruturas de qualidade, eventos de cariz competitivo e de lazer, e programas e serviços turísticos especialmente dirigidos a este público.

 

Reserve a sua viagem nas Aldeias do Xisto em bookinxisto.com

A Rede das Aldeias do Xisto é um projeto de desenvolvimento sustentável, de âmbito regional, liderado pela ADXTUR – Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto, em parceria com 20 municípios da Região Centro e com mais  de 100 operadores privados, com o apoio do Centro 2020. A ADXTUR congrega, assim, as vontades públicas e privadas de uma região, que se reveem na gestão partilhada de uma marca, na promoção conjunta de um território, na criação de riqueza através da oferta de serviços turísticos e, finalmente, na preservação da cultura e do património do mundo rural beirão.

Fonte: Multicom

“Ciclismo: Golães recebe a Taça de Portugal de Cadetes”

A freguesia de Golães, em Fafe, recebe no próximo dia 27 de abril a Taça de Portugal de Cadetes. O Prémio de Ciclismo Freguesia de Golães / Troféu José Martins, também pontuável para a Taça do Minho de Ciclismo de Estrada - Arrecadações da Quintã, é organizado pela Associação de Ciclismo do Minho e pela Federação Portuguesa de Ciclismo com o apoio da Câmara Municipal de Fafe. Com início e final em Golães, o percurso da prova inclui passagens pelos concelhos de Fafe, Guimarães e Póvoa de Lanhoso.

O Prémio Junta de Freguesia de Golães / Troféu José Martins (Taça de Portugal de Cadetes e Taça do Minho de Ciclismo de Estrada - Arrecadações da Quintã) arrancará, pelas 15h00, junto à Igreja de Golães e terminará nas imediações da Junta de Freguesia, pelas 16h57, estando em perspetiva um excelente espetáculo desportivo, onde não faltarão momentos de grande competitividade.

Como é habitual na região do Minho, é esperada a presença de bastante público tanto nos locais de partida e de chegada como ao longo do percurso. O pelotão passará por diversas localidades dos concelhos de Fafe, Póvoa de Lanhoso e Guimarães.

Patrocinado pela Câmara Municipal de Fafe, o trajeto do Prémio Freguesia de Golães / Troféu José Martins, na extensão de 74,2 quilómetros, será o seguinte: Golães - Fafe (15h00 - Partida simbólica), EN 207 (após a rotunda depois da circular - Partida real), Travassós, Requeixo, Vila Cova, Freitas , Serafão (15h16), Arosa, Taíde, Porto d´Ave (15h30), Ralde, EN 205, Fontarcada, Póvoa de Lanhoso, São Martinho do Campo (15h45), Santo Emilião, Donim, Briteiros, São Cláudio de Barco, Caldas das Taipas (16h00), Vila de Ponte, à esq. p/ Prazins - EM 583, Corvite, Prazins Santa Eufêmia, à drt. p/ Gondomar/Souto Santa Maria, Garfe (16h11), EN 207-4, Arosa, EN 207, Serafão (16h37), Freitas, Vila Cova (16h42), Requeixo, Travassós (16h48), Santa Comba de Fornelos, ponte (início de subida), Golães (16h57 - Meta final).

O Prémio Junta de Freguesia de Golães / Troféu José Martins é organizado pela Associação de Ciclismo do Minho e pela Federação Portuguesa de Ciclismo, contando com o patrocínio da Câmara Municipal de Fafe e o apoio da Freguesia de Golães, Bombeiros Voluntários de Fafe, Arrecadações da Quintã, Cision, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design, Score Tech, Guimarpeixe, Jopedois e Auto Terror.

Nos últimos anos Golães tem acolhido competições de ciclismo regulares organizadas pela Associação de Ciclismo do Minho. Além disso, em 2009, numa jornada impagável da memória, a Associação de Ciclismo do Minho promoveu no final do Troféu José Martins / Taça de Portugal de Juniores a apresentação do livro “A Magia do Tour - Participação dos corredores portugueses” escrito a quatro mãos por Alves Barbosa e José Magalhães Castela.

O cenário desta apresentação foi a Junta de Freguesia de Golães, tendo contado com a magia dos autores que obsequiaram os inúmeros presentes com saudosas histórias de um tempo em que o ciclismo era praticado, não só na sua mais interna pureza desportiva, mas também na sua sempre necessária vertente saudável.

Na apresentação do livro, Alves Barbosa presenteou a assistência com algumas das suas memórias da aventura da volta ciclista mais apreciada no mundo, enquanto José Magalhães Castela aproveitou a ocasião para elencar praticamente toda a vida do fafense José Martins, numa singela homenagem que quis prestar a este antigo ciclista, sócio honorário da ACM e participante no “Tour de France”.

Também nesse ano de 2009, a Câmara Municipal de Fafe e a Junta de Freguesia de Golães homenagearam no final da prova José Martins e o seu irmão Manuel Martins, igualmente ex-ciclista.

Mais recentemente, a Associação de Ciclismo do Minho promoveu em 2014 aquando da habitual prova de ciclismo uma cerimónia de entrega de distinções a dirigentes desportivos de Fafe em reconhecimento pelo mérito do desempenho de funções associativas ao longo de mais de três décadas. Na sequência da deliberação da Assembleia-Geral, a ACM entregou a distinção de Presidente Honorário aos fafenses Manuel Fernandes Castro e Jorge Filipe Gonçalves e de Vice-Presidente Honorário a Francisco Orlando Marinho, enaltecendo os relevantes serviços prestados ao Ciclismo e à Associação de Ciclismo do Minho.

 

José Martins - Glória do ciclismo é natural de Golães

Importante freguesia do concelho de Fafe, Golães é a terra natal de José Martins um consagrado ciclista português, premiado com uma carreira internacional assinalável. Ao longo do seu percurso como profissional (1971-1980) envergou as camisolas da Coelima, Canada Dry-Gazelle, Kas-Campagnolo, Teka e Moliner-Vereco, ao serviço das quais obteve destacados resultados: Volta a Portugal/1972 e 1973 (2º e 3º), Volta à Madeira/1974 (1º), Volta à Catalunya/1974 (1º), Volta a Mallorca/1974 (1º), Volta a Aragón/1975 (2º), Volta ao País Basco/1975 (3º), Vuelta à Espanha/1975 (6º), Tour Suisse/1976 (1º Prémio da Montanha) e Tour de France/1976, 1977 e 1978 (12º, 17º e 22º).

Golães apresenta-se como uma das freguesias mais extensas, mais povoadas e mais desenvolvidas do concelho de Fafe, situando-se a quatro quilómetros da sede do concelho e estendendo-se encosta fora na margem esquerda do rio Vizela.

Como coletividades ativas e atuantes, a comunidade de Golães conta, entre outras, com a prestigiada Banda de Golães.

Fonte: ACM

“Agenda de Ciclismo FPC”

“Fim-de-semana de grande atividade velocipédica”

Por: José Carlos Gomes

O próximo fim-de-semana ficará marcado uma intensa atividade de várias vertentes e disciplinas de ciclismo. Prosseguem as Taças de Portugal de BMX, de Cadetes e de Femininas e inicia-se a Taça de Enduro BTT. Lisboa recebe ainda um Encontro Inter-Regional de Escolas de BTT.

A freguesia de S. Tiago dos Velhos, Arruda dos Vinhos, terá uma tarde de domingo muito animada. Às 14h30 corre-se a terceira etapa da Taça de Portugal Feminina Jogos Santa Casa, duas horas depois inicia-se a segunda prova inter-regional da Taça de Portugal de Cadetes.

As corredoras de elite vão cumprir uma prova de 68,7 quilómetros, as juniores terão por diante 45,8 quilómetros, as cadetes e as masters vão pedalar ao longo de 34,4 quilómetros. A corrida de cadetes masculinos terá 57,3 quilómetros.

Se os cadetes da zona sul competem no domingo, na Arruda dos Vinhos, os cadetes nortenhos pedalam, no sábado, no Minho. A prova começa às 15h00, em Fafe, e vai estender-se por 74,2 quilómetros, com passagens por Póvoa de Lanhoso e Guimarães.

A cidade de Lisboa terá muita atividade velocipédica durante todo o fim-de-semana. As rondas três e quatro da Taça de Portugal de BMX Race vão disputar-se na pista do Bairro da Boavista. No sábado, as corridas começam às 16h30, no dia seguinte o tiro de partida está marcado para as 10h30.

Noutro ponto da capital, o Parque José Gomes Ferreira, na Mata de Alvalade, será palco do Encontro Inter-Regional de Escolas de BTT, às 14h30 de sábado. São esperadas mais de 250 crianças.

A primeira prova pontuável para a Taça de Portugal de Enduro BTT realiza-se no domingo, em Cadafaz, Celorico da Beira. O início está marcado para as 8h20. Os participantes irão percorrer 34,5 quilómetros, distribuídos por seis percursos especiais cronometrados (12,5 quilómetros com desnível acumulado negativo de 1660 metros) e por sete troços de ligação (22 quilómetros com 1635 metros de acumulado positivo).

 

Mais eventos oficiais

25 de abril: Volta ao Nordeste, Trás-os-Montes

25 de abril: X Passeio da Liberdade, Airão Santa Maria, Guimarães

25 de abril: Giro d’El Rei – Passeio de Cicloturismo, Trancoso

25 de abril: Passeio de Comemoração do 25 abril, Oliveira de Azeméis

25 de abril: Comemorações de 25 de Abril em Bicicleta, Alpiarça

25 de abril: 21.ª Maratona BTT de Alte, Loulé

25 de abril: Passeio da Liberdade em Cicloturismo, Monchique

27 de abril: Encontro de Escolas de Nariz, Aveiro

28 de abril: 22.º XCO de Gondar, Guimarães

28 de abril: V Circuito de Ciclismo da Cidade da Trofa

28 de abril: Raid Porto-Ovar-Aveiro-Porto em Cicloturismo

28 de abril: 3.ª Prova da Taça da Madeira de Estrada

Fonte: Federação Portuguesa Ciclismo

“Alcobaça em 7º lugar na Volta a Loulé”

Por: Joaquim Marques

O 7º lugar na classificação por equipas foi a posição alcançada pelo Alcobaça Clube de Ciclismo/Crédito Agrícola na XXV Volta a Loulé que decorreu nos dias 18, 19 e 20 de abril naquela cidade Algarvia. Miguel Correia foi o atleta da formação alcobacense melhor classificado terminando a prova em 13º lugar, enquanto Rodrigo Fonseca foi 27º classificado, Gabriel Casal foi 30º, ao passo que Carlos Fernandes, Carlos Jorge e Rafael Mateus acabaram por não resistir ao desgaste e à dureza da última etapa e desistiram.

Numa prova em que participaram 146 jovens corredores, em representação de 22 equipas, sendo 13 portuguesas e 9 espanholas o resultado acaba por ser muito positivo se atendermos que o Alcobaça foi a terceira equipa portuguesa melhor classificada.

Vários problemas de corrida prejudicaram a classificação da formação alcobacense orientada pelo treinador Jorge Caldeira. Gabriel Casal que cortou a linha da meta em 5º lugar na última etapa saiu prejudicado nas duas primeiras corridas.

Na primeira ronda quando seguia no lote dos dez primeiros corredores sofreu uma queda nos paralelos molhados dos últimos duzentos metros, agravada por avaria na bicicleta, e teve que cortar a linha da meta com a bicicleta à mão, enquanto na segunda etapa sofreu uma queda e um furo situações que comprometeram a sua classificação final.

A Volta a Loulé é uma competição de juniores com passagem por locais carismáticos do mundo do ciclismo como o Alto da Picota, Barranco do Velho ou a subida da Tôr com 10% de inclinação, repartida por três dias de competição.

A prova começou na quinta-feira com uma etapa de 57,1 quilómetros entre Loulé, S. Brás e regresso a Loulé, que foi disputada à média de 42,59 km/h, corridos debaixo de chuva e com muitas quedas.

A chuva poupou os corredores na segunda etapa que contou com um percurso de 88,7 quilómetros entre Loulé, Picota, Querença e regresso a Loulé com um desnível acumulado de 1409 metros, disputados à média de 38,89 km/h. Para a parte da tarde estava previsto um contra-relógio por equipas, na pista Bexiga Peres, mas foi anulado devido à chuva que tornou o piso escorregadio o que levou a organização a cancelar a prova por falta de segurança.


A prova terminou no domingo, com uma etapa com um desnível acumulado de 1971 metros e um percurso de 114,3 quilómetros com partida de Loulé, e passagem por Alte, Barranco do Velho e regresso a Loulé foi disputada à média de 37,77 quilómetros.

Fonte: Alcobaça Clube de Ciclismo