terça-feira, 27 de agosto de 2019

“Vanessa Pereira e João Ferreira são Campeões Nacionais de Média Distância”

No dia 25 de agosto realizou-se o Régua Douro Triatlo que incluiu provas de média distância, standard e sprint.

Na média distância realizou-se o Campeonato Nacional Individual, o Campeonato Nacional de Grupos de Idade, Campeonato Nacional de Paratriatlo e o Campeonato Nacional de Clubes de Triatlo.

O tempo no dia da prova não ajudou, com muita chuva no início da competição que contou com um bonito percurso passando pelo Peso da Régua, Lamego e Armamar. Passando a trovoada e a chuva, o calor fez-se sentir…

No Campeonato Nacional Individual de Média Distância, Vanessa Pereira, do CNATRIL Triatlo, foi a atleta mais rápida em prova, conquistando o título de Campeã Nacional de Triatlo de Média Distância com o tempo de 04:46:34.

A triatleta do CNATRIL tinha como objetivo estar presente no Campeonato Nacional, apesar das reservas em relação ao segmento da corrida, por causa da prova longa em Roth. «A prova correu muito bem, tendo em conta que depois do Challenge de Roth que realizei há cerca de um mês fiquei condicionada no segmento da corrida», explica Vanessa Pereira.

A Campeã Nacional está muito satisfeita com o título e principalmente por se ter sentido bem nos três segmentos, sobretudo na corrida. «Realizei um bom segmento de ciclismo o que me permitiu não ter de puxar muito na corrida e terminar nas melhores condições. Desta forma, posso rapidamente voltar aos treinos e participar no Campeonato da Europa de Longa Distância, que se realiza dia 14 setembro.»

Além do Campeonato da Europa, Vanessa espera também marcar presença no IRONMAN 70.3 em Cascais no dia 29 de setembro e ‘terminar com um belo sorriso tão esperada prova’.

Liliana Veríssimo, do Núcleo do Sporting da Golegã, foi vice-campeã Nacional, com a marca de 04:52:14. Hanna de Sousa, do Estoril Praia Credibom, fechou o pódio absoluto feminino com 05:03:20.

Na competição masculina, João Ferreira repetiu a proeza do ano passado, sagrando-se tri-campeão nacional individual desta distância. O triatleta do Estoril Praia Credibom passou a meta em primeiro lugar com 04:01:18.

«Fico muito satisfeito em revalidar o título, conquistando-o pela terceira vez. Além de que também vencemos por equipas, não podia ter corrido melhor», afirma João Ferreira.

Na segunda posição ficou o seu colega de equipa Rafael Domingos, com 04:08:56. João Bragadeste, do Clube Praças da Armada, alcançou o terceiro lugar com 04:14:50.

Estoril Praia Credibom faz dobradinha

A equipa do Estoril venceu a prova masculina com os triatletas João Ferreira, Rafael Domingos e Filipe Marques com 04:19:31.

Na segunda posição ficou o Clube Natação Colégio Vasco da Gama com Nuno Rodrigues, com 04:15:26, Bruno Santos com 04:21:59 e Eduardo Mourato com 04:26:17.

O OutSystems Olímpico de Oeiras alcançou o terceiro lugar com Gonçalo Santos que fez a marca de 04:21:28, Jorge Duarte com 04:23:48 e Rui Narigueta que concluiu a prova em 04:29:50.

A prova feminina foi ganha por equipas também pelo Estoril Praia Credibom com Hanna de Sousa, que fez o tempo de 05:03:20, Priscila Gonçalves com 05:26:05 e Ana Barreto que passou a meta com 06:13:47.

Na segunda posição ficou o Clube Oriental de Lisboa, com as atletas Fernanda Santinha, que fez o tempo de 05:32:24, Maria Sousa com 05:44:00 e Sara Colaço com 05:54:18.

Rodrigo Baltazar, treinador do Estoril Praia, revelou-se muito satisfeito com os resultados: «Foi um dia fantástico para a nossa equipa. Melhor seria mesmo impossível.

Sabíamos que se ganhássemos no setor masculino, garantíamos o título nacional sem precisar de pontuar na última etapa de Vilamoura, e assim aconteceu, com uma prova incrível por parte de todos os nossos atletas.» Baltazar afirma que este era o grande grande objetivo da época, já que era um título que estava a escapar por pouco.

«Conquistámos também a vitória na prova feminina, os dois primeiros lugares absolutos, cinco vitórias nos grupos de idade e mais um pódio. O treinador elogia também a organização: «A prova contou com uma fantástica organização, foi notório o esforço para fazer deste triatlo uma grande festa a juntar ao percurso fabuloso: a natação é linda, o ciclismo parece de postal e a corrida junto ao rio ajuda o público a estar sempre próximo dos atletas, o que é óptimo!»

José Freire, do Sporting Clube de Portugal, conquistou o título de Campeão Nacional de Paratriatlo na categoria, PTS5, com 05:07:05. Luis Ferreira, do Clube de Triatlo de Viseu, foi  Campeão Nacional na categoria PTWC2 com 06:41:37.

A próxima etapa do Campeonato Nacional de Clubes de Triatlo é dia 27 de outubro em Vilamoura. Boa sorte a todos e muitos parabéns aos atletas e clubes presentes.

Fonte: FTP

“Ação de Formação Contínua para Treinadores”

Irão realizar-se no dia 28 de setembro em Cascais duas ações de formação contínua em Nutrição e Treino de Força

Irão decorrer duas ações de formação de grande interesse e complementaridade para o triatlo, aproveitando a proximidade do IRONMAN 70.3 Cascais que se realiza no dia 29 de setembro.

1ª Nutrição para Triatletas de Longa distância, 28 de setembro, DNA CM Cascais. às 10h

Esta formação aborda o papel essencial da nutrição, que assume especial importância em provas de Longa Distância. A formadora e nutricionista Dra. Catarina Oliveira irá abordar a nutrição focando-se na importância da suplementação e estratégias ótimas na performance em provas com distâncias superiores a standard.

2ª Treino de Força e Mobilidade para Triatletas, 28 de setembro, DNA Cascais, às 14h

Os triatletas treinam mais habitualmente as três disciplinas técnicas, onde investem a maior parte do seu tempo de treino. No entanto, o treino físico bem orientado pode fazer a diferença na ausência de lesões, no aumento da longevidade como triatleta e mesmo no aumento da performance em provas.

O professor Paulo Gonçalves, que treina força e mobilidade para triatletas, irá focar-se na otimização da performance dos triatletas por meio do trabalho de força e mobilidade, um treino que sabemos por vezes ser descurado. A ideia é conhecer as evidências da importância do treino de força e mobilidade, incluí-lo num programa de treinos e promover métodos de treino de força e mobilidade em triatletas.

Cada uma destas ações de formação atribuirá 0,8 UC para a componente específica na revalidação da cédula de treinador de Triatlo e terão o custo único de 5€, o conjunto das duas formações.

Fonte: FTP

“Bradley Wiggins deixa o passado lá atras e estuda para ser assistente social”

O ciclista britânico terminou a sua carreira em 2016 aos 36 anos.

 Foto: Glyn KIRK / AFP

Bradley Wiggins, o primeiro britânico a vencer a Volta à França e vencedor de oito medalhas olímpicas, encontra-se a estudar para obter um diploma em serviço social.

"Eu quero ajudar pessoas. (…) As coisas horríveis que vi enquanto crescia… nada me pode chocar agora, e quero usar essa força mental a trabalhar como assistente social", afirmou Bradley Wiggins, em entrevista à revista britânica ‘The Big Issue’ reproduzida pelo ‘The Guardian’.

O britânico revela também que não está preso ao passado nem ao que conquistou na sua carreira como ciclista.

“Eu quero lá saber da minha carreira de ciclista agora. Já me despeguei disso, não quero viver preso a isso. (…) Algumas pessoas vivem presas a esses momentos. Vejo-o nas redes sociais todos os dias, pessoas que supostamente são teus amigos, ainda a celebrar esse momento. 'Há sete anos o meu companheiro Bradley ganhou esta corrida em Londres...' E eu fico: 'Foi há sete anos, esquece isso companheiro'”, afirmou o vencedor da Volta à França em 2012.

Wiggins falou ainda à mesma publicação sobre a investigação lançada à possível utilização de substâncias que aumentam o desempenho, deixando uma mensagem aos que considera serem responsáveis pelas acusações:

“As pessoas responsáveis pelo que aconteceu estão a lançar uma ofensiva de charme, mas as pessoas não são estúpidas. Ainda assim, não estou zangado, vou estar envolvido no ciclismo durante muito mais tempo do que essas pessoas, porque eu amo [a modalidade].”

O antigo corredor da SKY (agora INEOS) voltou ao ‘Tour’ este ano desta vez como comentador televisivo para o canal Eurosport.

Fonte: Sapo on-line

“Fabio Jakobsen vence quarta etapa ao sprint na Vuelta”

Nicolas Roche manteve a camisola vermelha

Por: Lusa

Foto: EPA

O holandês Fabio Jakobsen (Deceuninck-QuickStep) ganhou esta terça-feira ao sprint a quarta etapa da Volta a Espanha em bicicleta, mantendo-se a camisola vermelha na posse do irlandês Nicolas Roche (Sunweb).

A etapa, entre Cullera e El Puig (175,5 quilómetros), ficou marcada pela fuga do belga Jelle Wallays (Lotto Soudal) e do espanhol Jorge Cubero (Burgos-BH), praticamente desde o início até perto do final, mas também pela desistência do holandês Steven Kruijswijk, um dos nomes fortes da Jumbo-Visma.

Após anulada a fuga, Jakobson foi o mais forte sobre a meta, ganhando pela primeira vez numa grande volta, à frente do irlandês Sam Bennett (Bora-Hansgrohe) e do alemão Maximilian Walscheid (Sunweb).

Na geral, Roche segue na frente com os mesmos dois segundos de avanço sobre os colombianos Nairo Quintana (Movistar) e Rigoberto Uran (EF Education First).

Fonte: Record on-line

“Steven Kruijswijk abandona Vuelta devido a lesão”

Ciclista holandês da Jumbo-Visma lesionou-se no joelho esquerdo

Por: Lusa

Foto: EPA

O holandês Steven Kruijswijk (Jumbo-Visma), terceiro no Tour deste ano, abandonou esta terça-feira a Volta a Espanha, após 45 quilómetros da quarta etapa, devido a uma lesão no joelho esquerdo.

"Steven Kruijswijk abandonou a Vuelta. Estava com queixas no joelho, devido à queda no contrarrelógio coletivo [da primeira etapa], e as dores pioraram", lê-se no Twitter da equipa.

Kruijswijk partiu esta terça-feira para a quarta etapa, entre Cullera e El Puig, do 51.º lugar, a 2.19 minutos do irlandês Nicolas Roche (Sunweb).

No mais recente Tour, o holandês ocupou o lugar mais baixo do pódio, atrás de dois corredores da INEOS, o colombiano Egan Bernal, que venceu a 'Grande Boucle', e o galês Geraint Thomas.

Fonte: Record on-line

“Bernardo é top-15 na Volta a Portugal”

Texto: AfterTwo //works

Fotos: João Fonseca | FPCiclismo e Sandra Sobral

Bernardo Jorge foi o 12º atleta mais regular da 14ª Volta a Portugal de Juniores que se realizou entre a passada quinta-feira e domingo na região das Beiras e Serra da Estrela.    O atleta da Academia Joaquim Agostinho/UDO destacou-se ao 3º dia de competição, quando cruzou a meta no Sabugal na 17ª posição e subiu 20 lugares na tabela classificativa, alcançando o 12º lugar que manteve até final.

Um resultado que o atleta torriense há muito procurava e para o qual trabalhou afincadamente desde o inicio da época.  De realçar também o excelente desempenho de João Ferreira, que terminou a prova no 16º posto. O atleta de Alenquer evidenciou-se na primeira etapa quando alcançou a meta instalada em Mêda na 4ª posição, subindo ao 10º lugar da geral.

Depois de em 2018 ter conquistado quase tudo a nível nacional na categoria de cadetes, a expectativa era elevada em torno da sua primeira experiência no escalão júnior e os resultados tardaram em aparecer, mas nos últimos meses a tendência está a inverter-se. Foi o 5º melhor entre os estreantes no escalão júnior, categoria onde o colega de equipa Daniel Gonçalves alcançou a 15ª posição.

Numa Volta a Portugal Júnior que percorreu mais de 360 quilómetros naquela zona interior do país, participaram 167 atletas. Ao fim de quatro dias de competição, André Domingues da Escola de Ciclismo Bruno Neves foi o mais regular, conquistando o título da mais importante competição nacional do escalão. 

Duarte Bento no 37º lugar, André Silva 48º, Daniel Gonçalves 49º, Miguel Carvalho 64º e Henrique Frois no 68º, ajudaram a equipa a conquistar a 6ª posição entre as 25 que se apresentaram em prova, destacando-se como a 3ª melhor portuguesa.


Mário Hipólito 6º na Malveira

Os cadetes conquistaram a 3ª posição por equipas no Circuito da Malveira disputado este domingo. Mário Hipólito na 6ª posição foi o melhor elemento da equipa, seguido de Rafael Andrade que cruzou a meta no 12º lugar, gastando o mesmo tempo que o colega a completar os 33 km da corrida.

Pedro Martins em 14º e Afonso Hermenegildo em 19º fecharam as classificações da equipa.

Fonte: Academia Joaquim Agostinho

“Agenda de Ciclismo”

Região Centro repleta de ciclismo

Por: José Carlos Gomes

A região Centro será o epicentro do ciclismo português, acolhendo várias provas, no próximo fim de semana. O Velódromo Nacional, em Sangalhos, Anadia, terá competições de sexta-feira a domingo. O Troféu Alves Barbosa, para cadetes, disputa-se sábado e domingo, entre Montemor-o-Velho e Águeda. A Volta a Albergaria-a-Velha está marcada para domingo.

Na sexta-feira, 30 de agosto, às 18h30, corre-se o Campeonato Nacional de Madison, prova de pista importante para somar pontos com vista à luta pelo apuramento para os Jogos Olímpicos de 2020. Nos dois dias imediatos, o Velódromo Nacional recebe duas competições internacionais de pista, também com Tóquio no horizonte.

Sábado é a vez do Troféu Internacional 120 Anos da Federação Portuguesa de Ciclismo. As provas desenrolam-se entre as 10h00 e as 13h00 e entre as 16h00 e as 18h30. Haverá corridas de omnium, velocidade, scratch e madison. No domingo disputa-se o Troféu Internacional Anadia Cidade do Desporto, entre as 10h00 e as 15h00. Os corredores vão pedalar nas disciplinas de omnium, keirin e scratch.

A entrada é livre e gratuita para os três dias de competição no Velódromo Nacional. Os espectadores poderão ver ao vivo dezenas de corredores, alguns dos lugares cimeiros dos rankings internacionais. Estarão representados nove países: Bélgica, Canadá, Espanha, Grã-Bretanha, Irlanda, Itália, Portugal, Roménia e Suíça.

No mesmo fim de semana e não muito longe, sai para a estrada o XX Troféu Alves Barbosa, primeiro realizado depois do falecimento do patrono da corrida. Será, pois, uma edição com maior sentimento, esta que juntará os principais corredores portugueses dos 14 aos 16 anos, aos quais se juntam também ciclistas espanhóis.

A corrida começa, às 15h00 de sábado, com uma etapa de 79 quilómetros, entre Montemor-o-Velho e Águeda. A segunda e última tirada está marcada para as 10h00 de domingo. Será uma ligação de 65,4 quilómetros, entre Arazede e Montemor-o-Velho. O final, na subida para o castelo de Montemor, deverá ser a derradeira triagem de valores.

No mesmo dia, o pelotão das formações continentais e das equipas de clube junta-se para a 19.ª Volta a Albergaria. A corrida terá 155,7 quilómetros, num percurso seletivo com início e final junto à sede do município de Albergaria-a-Velha. O tiro de partida será dado às 11h45 e o final, à terceira passagem pela meta, estima-se para as 15h30.


Mais eventos oficiais

31 de agosto: 2.º Grande Prémio de Ciclismo de Macieira, Lousada

31 de agosto: 31.ª Prova de Ciclismo de Avelal, Sátão

31 de agosto: 4.ª Rampa das Vindimas, Palmela

1 de setembro: Passeio de Bicicleta Solidário da Agrival, Penafiel

1 de setembro: Circuito de Nossa Senhora da Guia, Avelar, Ansião

1 de setembro: Prova de Homenagem a Virgolino de Almeida, Praias do Sado, Setúbal

1 de setembro: XCO de Almograve, Odemira

1 de setembro: Calheta Downtown, Madeira

Fonte: FPC