sábado, 30 de novembro de 2019

“O Challenge Lisboa 2020 inclui o Challenge Lisboa Clubs Trophy!”

O Challenge Lisboa, marcado para dia 23 de maio de 2020, tem uma nova competição, o Challenge Lisboa Clubs Trophy!

Este novo troféu é disputado na Middle-Distance e todos os clubes com o mínimo de quatro atletas inscritos podem participar.

O tempo dos primeiros quatro atletas de cada clube são somados e a equipa com a soma do menor tempo será a vencedora.

Os clubes podem no entanto inscrever o número de atletas que entenderem e todos os atletas da equipa beneficiam de um desconto de 20%, desde que o clube e o atleta estejam inscrito com licença válida na Federação de Triatlo de Portugal  http://challenge-lisboa.com/races/clubs-trophy/

Os três primeiros clubes portugueses recebem troféu.

Ganhe este troféu pelo seu clube!

O código de desconto para esta competição é: clisboaclubsc2020

Bons treinos!

Fonte: FTP

“Equipa Portugal/Pódio para Maria Martins em Hong Kong”

Por: José Carlos Gomes

A portuguesa Maria Martins foi hoje a terceira classificada na corrida de scratch da etapa da Taça do Mundo de Pista, que decorre em Hong Kong, China, até amanhã. Iuri Leitão foi o décimo classificado no concurso olímpico de omnium.

Maria Martins começou o dia apurando-se para a final de scratch. Na corrida decisiva, 10 quilómetros resultantes de 40 voltas, a ribatejana foi a terceira classificada. A prova foi dominada pela norueguesa Anita Yvonne Stenberg, que conquistou a medalha de ouro por ser a única a dobrar o pelotão.

Na luta pelas restantes posições de pódio, Maria Martins foi apenas batida pela austríaca Verena Eberhardt, que ficou com a medalha de prata, deixando o bronze para a corredor portuguesa.

Iuri Leitão teve a importante tarefa de somar o maior número possível de pontos na disciplina olímpica de omnium, cumprindo o objetivo, pois o décimo lugar significa que Portugal ganhou posições à esmagadora maioria dos países concorrentes pelas vagas de omnium em Tóquio 2020.

O vianense iniciou o concurso com o décimo posto em scratch, sendo 13.º na corrida tempo e 12.º na eliminação. Os 18 pontos somados na corrida por pontos permitiram-lhe terminar a competição com 86, no décimo posto. O neozelandês Campbell Stewart impôs-se, com 142 pontos, seguido pelo alemão Roger Kluge, com 133, e pelo suíço Thery Schir, com 125.

Amanhã João Matias irá entrar em ação no apuramento de scratch, às 6h15 e, qualificando-se, corre a final às 11h30. Maria Martins irá defender as cores nacionais na disciplina olímpica de omnium. O concurso começa às 8h00, estendendo-se até cerca das 11h00. Iuri Leitão e João Matias irão fazer dupla em madison, às 9h00.

Fonte: FPC

“Volta a Portugal termina em Lisboa em 2020, garante Fernando Medina"

O primeiro dia da Volta a Portugal coincide com a prova de contrarrelógio dos Jogos Olímpicos Tóquio2020.

Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa MIGUEL A. LOPES/LUSA

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, anunciou hoje que a edição do próximo ano da Volta a Portugal vai terminar na capital, depois de este ano ter tido a sua etapa final no Porto.

Na gala comemorativa dos 120 anos da União Velocipédica Portuguesa - Federação Portuguesa de Ciclismo, que decorreu em Lisboa, o autarca destacou o “papel extraordinário” da Volta a Portugal em “aproximar o país”, considerando-a um “evento social, cultural e desportivo”.

“É com gosto que Lisboa retoma este papel importante na Volta a Portugal. Podemos já dizer que em 2020 a chegada será Lisboa e permitam-me dizer que, com todo o respeito por todas as regiões e cidades do país, eu acho que a chegada ali através do arco da Rua Augusta é capaz de ser imbatível”, afirmou.

Depois de ter acolhido a última etapa em 2016, Lisboa será novamente palco da consagração do vencedor da edição de 2020, que se disputa entre 29 de julho a 09 de agosto, mantendo-se no mesmo período dos últimos anos.

Em 2019, a principal prova nacional correu-se de 31 a 11 de agosto, continuando a iniciar-se a uma quarta-feira e a terminar a um domingo.

O primeiro dia da Volta a Portugal coincide com a prova de contrarrelógio dos Jogos Olímpicos Tóquio2020.

Fonte: Sapo on-line

“Gala 120 Anos/Federação Portuguesa de Ciclismo recebe Ordem do Infante D. Henrique”

Por: José Carlos Gomes

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, agraciou hoje a Federação Portuguesa de Ciclismo com a Ordem do Infante D. Henrique, durante a gala comemorativa dos 120 Anos da Federação, realizada no Fórum Lisboa, na capital.

A partir de hoje a União Velocipédica Portuguesa – Federação Portuguesa de Ciclismo é Membro Honorário da Ordem do Infante D. Henrique, reconhecimento pelo contributo, ao longo de 120 anos, para o prestígio do país.

“Tomei esta decisão para agradecer 120 anos, não apenas desta Direção, mas de todas as Direções, de todos os dirigentes, de todos os atletas, de todos os milhares senão milhões de portugueses que, competindo, assistindo, acompanhando ou apoiando, deram, dão e vão continuar a dar um contributo para um Portugal melhor”, frisou o chefe de Estado.

O Presidente da República recordou as memórias pessoais ligadas à bicicleta e ao ciclismo, sublinhando as caraterísticas que fazem do ciclismo uma atividade ímpar: “A ligação ao povo de todo o país, o papel de coesão social e territorial, a função de transformação social, o sentido democrático. O prestígio social que o ciclismo proporciona a Portugal é notável ao longo da História destes 120 anos. O ciclismo é uma realidade popular, que vem do povo e continua no povo”, frisou Marcelo Rebelo de Sousa.

Já antes, o secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, lamentara não poder entregar qualquer condecoração à Federação Portuguesa de Ciclismo, instituição já detentora do mais alto reconhecimento que é da competência do Governo.

“O ciclismo gera as maiores paixões, pela forma como chega às comunidades e ao território. A Federação Portuguesa de Ciclismo, pelos ídolos que produziu e continua a produzir, orgulha-nos a todos”, disse o representante governamental.

O anfitrião da cerimónia, o edil de Lisboa, Fernando Medina, destacou o papel da bicicleta nas políticas urbanas de mobilidade. “Sou o autarca que encontrou na bicicleta um elemento de futuro e não de passado. É o futuro das políticas da cidade e da mobilidade. É o meio de transporte mais eficaz na gestão do núcleo urbano”, declarou o presidente da Câmara Municipal de Lisboa.

O presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira, também destacou o enraizamento popular da modalidade. O dirigente congratulou-se pela capacidade do ciclismo para se adaptar aos diferentes tempos sociais e políticos do país e do mundo.

“Chegámos a um tempo em que a globalização é irreversível e em que o ciclismo é também cada vez mais global, exigindo-se que seja cada vez mais ético, inovador, científico e tecnológico. O Centro de Alto Rendimento de Anadia aproximou o ciclismo português do futuro”, considera Delmino Pereira, que apontou como grande desafio a capacidade de inovação necessária para atrair cada vez mais jovens ao desporto.

Antes da condecoração federativa pelo Presidente da República, viveram-se momentos de grande emoção, quando quatro figuras da modalidade foram distinguidas pela Federação Portuguesa de Ciclismo, simbolizando a homenagem a toda a comunidade velocipédica nacional.

Foram agraciados José Bento Pessoa, Alves Barbosa, Joaquim Agostinho e Rui Costa. Maria Benta Villas, neta de Bento pessoa, Rosa Barbosa, esposa de Alves Barbosa, Ana Agostinho, esposa de Joaquim Agostinho, e Rui Costa subiram ao palco e proferiram palavras emocionadas de agradecimento.

“É uma enorme honra receber esta distinção, que não é apenas minha, mas de toda a minha geração e de todos os ciclistas. Graças à Federação Portuguesa de Ciclismo sou o ciclista que sou, pois é o resultado do trabalho feito desde as camadas jovens”, reconheceu o campeão mundial de 2013.

Fonte: FPC