quarta-feira, 5 de julho de 2017

“Fabio Aru vence primeira etapa de montanha”

Chris Froome passa para a liderança da geral

Fonte: Lusa

Foto: Reuters

O ciclista italiano Fabio Aru (Astana) venceu esta quarta-feira, no alto de La Planche des Belles Filles, a quinta etapa da 104.ª Volta a França, com o britânico Chris Froome (Sky) a vestir a camisola amarela.

Aru impôs-se em solitário no final dos 160,5 quilómetros desde Vittel, coroando-se na primeira etapa da montanha, com o tempo de 3:44.07 horas. O irlandês Daniel Martin (Quick Step-Floors) foi segundo, a 16 segundos, com Froome a ser terceiro, a 20.

O tricampeão do Tour (2013, 2015 e 2016) ascendeu à primeira posição da geral, por troca com o colega e compatriota Geraint Thomas, agora segundo, a 12 segundos, enquanto Aru é terceiro, a 14.

- Classificação da quinta etapa:

1. Fabio Aru, Ita (Astana), 03:44.06 horas. (média: 42,971 km/h).

2. Daniel Martin, Irl (Quick Step-Floors), a 16 segundos.

3. Chris Froome, GB (Sky), a 20.

4. Richie Porte, Aus (BMC), m.t.

5. Romain Bardet, Fra (AG2R La Mondiale), a 24.

6. Simon Yates, GB (Orica-Scott), a 26.

7. Rigoberto Urán, Col (Cannondale-Drapac), m.t.

8. Alberto Contador, Esp (Trek-Segafredo), m.t.

9. Nairo Quintana, Col (Movistar), a 34.

10. Geraint Thomas, GB (Sky), a 40.

(...)

64. Tiago Machado, POR (Katusha Alpecin), a 06.21 minutos.

- Classificação geral, após a quinta etapa:

1. Chris Froome, GB (Sky), 18:38.59 horas.

2. Geraint Thomas, GB (Sky), a 12 segundos.

3. Fabio Aru, Ita (Astana), a 14.

4. Daniel Martin, Irl (Quick Step-Floors), a 25.

5. Richie Porte, Aus (BMC), a 39.

6. Simon Yates, GB (Orica-Scott), a 43.

7. Romain Bardet, Fra (AG2R La Mondiale), a 47.

8. Alberto Contador, Esp (Trek-Segafredo), a 52.

9. Nairo Quintana, Col (Movistar), a 54.

10. Rafal Majka, Pol (Bora-hansgrohe), a 01.01 minutos.

(...)

55. Tiago Machado, Por (Katusha), a 07.23.

Fonte: Record on-line

“Peter Sagan: «Não concordo com a expulsão, mas respeito»”

Eslovaco compareceu na partida para a 5.ª etapa

Foto: Reuters

Peter Sagan compareceu esta quinta-feira na partida da 5.ª etapa do Tour, onde falou aos jornalistas pela primeira vez após ter sido conhecida a sua expulsão da prova, na sequência da cotovelada na reta final da etapa de ontem que provocou a queda de Mark Cavendish.

"Não concordo com a decisão dos juízes, mas tenho de respeitar. Penso não fiz nada de errado no sprint, mas foi mau o Mark [Cavendish] ter caído. O importante é que recupere bem. Já vi imagens e foi um sprint louco, como outros que já aconteceram e por certo que não foi o último", afirmou Peter Sagan.

Fonte: Record on-line

“Cavendish não recuperou e teve de abandonar”

Britânico sofreu uma fratura no ombro direito

Por: Lusa

Foto: Reuters

Mark Cavendish, vítima da cotovelada do eslovaco Peter Sagan no sprint de chegada da etapa do Tour, foi obrigado a abandonar a prova, anunciou a equipa do ciclista britânico, a Dimension Data.

O terminador da Dimension Data, que é o ciclista com mais vitórias de etapa entre os que estão no ativo, sofreu uma fratura no ombro direito, como consequência da queda provocada pela cotovelada de Sagan, o atual campeão do mundo.

Na chegada a Vittel, mesmo no sprint final - que viria a ser ganho pelo francês Arnaud Démare (FDJ) --, Sagan cortou em segundo, depois de ter estado justamente na origem da aparatosa queda de Cavendish.

Numa primeira fase, retiraram-lhe o segundo lugar e foi aplicada uma penalização de meio minuto, mas mais tarde a sanção agravou-se e Sagan teve mesmo de fazer as malas e deixar a caravana do Tour.

Fonte: Record on-line

“Bora-hansgrohe protesta desqualificado de Peter Sagan”

Formação do eslovaco diz que este "se manteve na sua linha"

Por: Lusa

Foto:  epa

A equipa Bora-hansgrohe protestou esta terça-feira a exclusão do ciclista eslovaco Peter Sagan da Volta a França, após a organização ter expulso o campeão do mundo por ter causado uma queda no 'sprint' da quarta etapa.

"O campeão do mundo Peter Sagan foi hoje desqualificado (...). A equipa discorda com a decisão e protestou oficialmente", lê-se no comunicado da Bora-hansgrohe, que pediu a reintegração de Sagan na corrida e a manutenção dos resultados iniciais.

O colégio de comissários da Volta a França considerou que o eslovaco provocou, com uma cotovelada, a queda do britânico Mark Cavendish (Dimension Data), colocando "seriamente em risco vários corredores no 'sprint'".

"Peter Sagan rejeita que tenha causado, ou de alguma manteria tenha tentado causar a queda de Mark Cavendish à passagem dos 200 metros finais da etapa. Peter manteve-se na sua linha e não conseguiu ver Cavendish no lado direito", considera a Bora-hansgrohe.

A quarta etapa da Volta a França foi ganha pelo francês Arnaud Démare (FDJ), à frente de Sagan. Após a desqualificação do eslovaco, o norueguês Alexander Kristoff ficou em segundo, à frente do alemão Andre Greipel (Lotto Soudal).

Fonte: Record on-line

“Grande Prémio Internacional de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho”

Andreas Vangstad ganha prólogo no Turcifal

Por: José Carlos Gomes

O vice-campeão norueguês de contrarrelógio, Andreas Vangstad (Team Sparebanken Sor), ganhou hoje o prólogo do Troféu Joaquim Agostinho, um exercício individual de 8 quilómetros, disputado no Turcifal.

O corredor nórdico concluiu a prova em 10m23s, rodando à média de 46,228 km/h, um desempenho que viria a revelar-se imbatível. O segundo classificado foi Gustavo César Veloso (W52-FC Porto), que terminou neste lugar os três prólogos do Troféu Joaquim Agostinho já disputados no Turcifal. O galego gastou mais 8 segundos. O terceiro foi Sérgio Paulinho (Efapel), a 17 segundos.

Andreas Vangastad considera que não fez uma prova perfeita, apesar de toda a concorrência ter ficado a uma diferença significativa para um contrarrelógio tão curto. “O início da prova foi duro, com empedrado e alguns topos. Dei-me melhor na fase de estrada larga. O meu desempenho foi bom, mas não foi perfeito, porque preferi não arriscar nas curvas, o que me custou alguns segundos”, explica o vencedor.

O triunfo no prólogo colocou Andreas Vangstad no topo da geral individual, uma posição que o norueguês vai tentar manter, tanto mais que já deu mostras de ser bom a subir, pois foi terceiro classificado na Clássica da Arrábida e na Clássica Aldeias do Xisto, duas provas exigentes, realizadas no início desta temporada.

“Espero lutar pela vitória na geral, mas prefiro pensar num dia de cada vez, porque as etapas são muito duras e esta época já vai muito longa para mim”, confessa o camisola amarela.

O prólogo permitiu também atribuir a camisola da juventude, que está em posse do basco Óscar Rodríguez (Euskadi Basque Country-Murias). A W52-FC Porto foi a melhor equipa no contrarrelógio desta quarta-feira.

A primeira etapa em linha corre-se nesta sexta-feira, levando a caravana da Adega Cooperativa de S. Mamede da Ventosa até Arruda dos Vinhos, ao longo de um percurso de 140 quilómetros. O percurso, apenas com duas contagens de montanha de terceira categoria, adequa-se aos sprinters.

Classificação do Prólogo e Geral Individual

1.º Andreas Vangstad (Team Sparebanker Sor), 10m23s

2.º Gustavo César Veloso (W52-FC Porto), a 8s

3.º Sérgio Paulinho (Efapel), a 17s

4.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), a 19s

5.º Daniel Mestre (Efapel), a 20s

6.º Óscar Rodríguez (Euskadi Basque Country-Murias), a 21s

7.º Samuel Caldeira (W52-FC Porto), a 22s

8.º José Neves (Liberty Seguros/Carglass), a 25s

9.º Jesús Ezquerra (Sporting-Tavira), mt

10.º Raúl Alarcón (W52-FC Porto), a 26s

Fonte: FPC