quinta-feira, 5 de março de 2020

“Covid-19: UAE Emirates falha Paris-Nice,Tirreno-Adriático e Milão-San Remo”

Formação dos portugueses Rui Costa, Nélson Oliveira e Hélder Oliveira evocou “a situação de emergência” causada pelo coronavírus para justificar a sua decisão.

A UAE Emirates, equipa dos ciclistas portugueses Rui Costa e Ivo e Rui Oliveira, anunciou hoje a ausência do Paris-Nice, do Tirreno-Adriático e da Milão-San Remo, evocando “a situação de emergência” causada pelo Covid-19 para justificar a sua decisão.

“Dada a situação de emergência sanitária global, e em linha com a recente decisão de implementar uma quarentena voluntária na nossa equipa envolvida na Volta aos Emirados Árabes Unidos, a formação dos Emirados vai suspender a atividade competitiva no Paris-Nice, no Tirreno-Adriático e na Milão-San Remo”, pode ler-se num comunicado publicado na página oficial da UAE Emirates.

Findo este período de suspensão de atividade, a formação de Rui Costa e dos gémeos Oliveira vai avaliar se há condições para regressar à competição.

A UAE Emirates esteve na ‘origem’ do cancelamento da Volta aos Emirados Árabes Unidos, depois de dois dos elementos do seu ‘staff’ terem dado positivo por Covid-19, e optou por uma quarentena voluntária de todos aqueles que marcaram presença na prova.

Agora, decide falhar as duas principais competições por etapas desta fase do calendário – o Paris-Nice, que decorre entre 08 e 15 de março, e o Tirreno-Adriático, agendado entre 11 e 17 deste mês -, assim como a emblemática clássica Milão-San Remo.

O surto de Covid-19, detetado em dezembro, na China, e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou cerca de 3.300 mortos e infetou mais de 95 mil pessoas em 79 países, incluindo oito em Portugal.

Fonte: Sapo on-line

“1ª Taça de Portugal XCO C1”

Dia 7 e 8 de março 2020

Vila Franca
Fonte: FPC

“Coronavírus: Prova de ciclismo italiana Strade Bianche cancelada”

Depois de várias equipas terem anunciado a sua ausência devido à epidemia de Covid-19 naquele país

Por: LUsa

Foto: DR Record

A Strade Bianche, prova de ciclismo agendada para este sábado no centro de Itália, foi esta quinta-feira cancelada pela organização, depois de várias equipas terem anunciado a sua ausência devido à epidemia de Covid-19 naquele país.

Em comunicado, a RCS Sport explica que, após ter reunido com os responsáveis pela autarquia de Siena, cidade que acolhia o início e o final da Strade Bianche, concordou cancelar a emblemática prova.

"A RCS Sport pedirá à União Ciclista Internacional, através da Federação Italiana de Ciclismo, para alocar uma nova data no calendário internacional à Strade Bianche", completa a nota.

A organização tinha-se mostrado relutante em aceitar o cancelamento da prova, mesmo depois de o Governo italiano ter decretado que todas as competições desportivas em Itália deveriam realizar-se à porta fechada até 03 de abril, devido à epidemia de Covid-19.

Várias equipas, entre as quais a Jumbo-Visma, a INEOS, a Astana ou a Mitchelton-Scott, tinham já anunciado nas últimas horas que não iriam participar na Strade Bianche como medida de precaução.

O diretor da RCS, Mauro Vegni, evocou na quarta-feira um "plano B" que consistia em adiar as provas italianas -- além da Strade Bianche, também o Tirreno-Adriático (entre 11 a 17 março) e a clássica Milão-San Remo (21 de março) -- para junho, depois do Giro, ou para setembro.

Até ao momento, o organizador ainda não tomou uma decisão sobre as outras duas corridas WorldTour previstas para as próximas semanas em Itália.

O surto de Covid-19, detetado em dezembro, na China, e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou cerca de 3.300 mortos e infetou mais de 95 mil pessoas em 79 países, incluindo oito em Portugal.

A Itália, o país mais afetado na Europa, com 107 mortos e 3.089 casos no país, anunciou na quarta-feira o encerramento de todas as escolas e universidades a partir de hoje e até 15 de março, como medida de precaução face à epidemia de Covid-19.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o surto de Covid-19 como uma emergência de saúde pública internacional e aumentou o risco para "muito elevado".

Fonte: Record on-line

“Coronavírus: Equipas Ineos e Astana também falham provas de ciclismo em março”

Mitchelton-Scott, CCC e Jumbo Visma já tinham revelado que não estariam em algumas das próximas corridas

Por: Lusa

Foto: Instagram

A Astana e a Ineos juntaram-se às equipas que vão falhar as próximas provas de ciclismo na Europa, devido à propagação do novo corovírus Covid-19.

A britânica Ineos, que justifica a decisão também com a morte de Nicolas Portal, um dos seus diretores desportivos, referiu em comunicado que apenas voltará a correr em 23 de março, na Volta à Catalunha.

Já os cazaques da Astana retiraram-se da competição até 20 de março, falhando, entre outras provas, as clássicas italianas Strade Bianchi e Milão-San Remo e a Paris-Nice.

Antes já outras equipas do WorldTour, como a Mitchelton-Scott, a CCC e a Jumbo Visma, tinham revelado que iam falhar algumas das próximas provas, devido ao Covid-19.

O surto de Covid-19, detetado em dezembro, na China, e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou cerca de 3.200 mortos e infetou mais de 93 mil pessoas em 78 países.

Fonte: Record on-line