quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Informação Urgente…

Tivemos já vários contactos de não conseguem aceder às fotos do passeio do Afonsoeiro, aqui fica novamente a morada, correta, pedimos desculpa, não sabendo o que aconteceu.

 “Galeria Multimédia” divulgação das Fotos da “12ª Clássica Afonsoeiro/Canha/Afonsoeiro.2017”

Já estão on-line na “Galeria Multimédia”, as fotos da “12ª Clássica Afonsoeiro/Canha/Afonsoeiro.2017” realizado este domingo no Afonsoeiro/Montijo, as mesmas podem ser visualizadas em: https://photos.google.com/share/AF1QipPLw35sYRGbua-mu96KVSffQX1QK-Y4xfer69WSyeGZc1FyVYNRgDJbWrhMGB-n0w?key=M2tSTHRyT2VqTWY2RlpYeUxqeU5wZzJoYzVRM2tn

“Vuelta/John Degenkolb abandona Vuelta devido a bronquite”


 
Ciclista alemão afirmou estar dececionado

Foto: Filipe Farinha

O ciclista alemão John Degenkolb (Trek) abandonou a Volta a Espanha devido a bronquite e já não participa na quinta etapa, que decorre esta quarta-feira entre Benicassim e Alcossebre, revelou a equipa luxemburguesa.

John Degenkolb, de 28 anos, vencedor de 10 etapas na Vuelta, cinco das quais em 2012, deixa a presente edição sem qualquer triunfo, depois de, por duas vezes, ter sido superado pelo belga Yves Lampaert e pelo italiano Matteo Trentin, ambos da Quick Step.

"Nunca tinha abandonado uma grande prova, por isso é uma deceção. Cheguei em boa forma e com os objetivos de vencer uma etapa e ajudar Alberto Contador a obter um grande resultado na sua última corrida como profissional", disse John Degenkolb.

O corredor alemão, que é o quinto desistente da presente edição, acrescentou que ficou doente há dois dias e fez todos os possíveis para recuperar, sem sucesso, pelo que as dificuldades em respirar corretamente o impedem de continuar.

"Estou realmente frustrado. Comecei bem a temporada com uma vitória no Dubai e muitas posições no 'top 10' nas clássicas da primavera, mas agora termino como não queria. Mas, o principal é a saúde, e a época ainda não acabou", acrescentou.

O alemão John Degenkolb, vencedor da Milão-San Remo e Paris-Roubaix em 2015, aponta agora ao Mundial de Bergen, a disputar na Noruega, que constitui a última opção para alcançar um resultado de relevo na presente temporada ciclística.

Fonte: Record on-line

“Vuleta/Alexey Lutsenko, «É uma grande vitória para a minha carreira»”

Ciclista da Astana radiante com triunfo na quinta etapa

Por: Lusa

Foto: EPA

O cazaque Alexey Lutsenko (Astana) venceu esta quarta-feira , isolado, a quinta etapa da Volta a Espanha em bicicleta, fazendo vingar a fuga, enquanto o britânico Chris Froome (Sky) aumentou a vantagem na classificação geral.

Lutsenko, de 24 anos, cumpriu os 157,7 quilómetros entre Benicàssim e Alcossebre em 04:24.58 horas, com 42 segundos de vantagem sobre o eritreu Merhawi Kudus (imension Data), segundo, e o espanhol Marc Soler (Movistar), terceiro, a 56.

O antigo campeão do mundo de sub-23, em 2012, afastou o último companheiro de fuga, o austríaco Marco Haller (Katusha Alpecin) na última subida, a Santa Lucia, e conquistou sozinho a primeira vitória em 'grandes voltas'.

"Estou muito feliz, é uma grande vitória para a minha carreira", atirou, no final da tirada, o cazaque, que revelou ainda estar a preparar-se para a prova de fundo dos Mundiais de estrada, que vão decorrer de 17 a 24 de setembro na Noruega.

Froome surgiu com um primeiro grupo de favoritos a 4.31 minutos do vencedor da tirada, com o espanhol Alberto Contador (Trek-Segafredo), o colombiano Esteban Chaves (Orica-Scott) e o canadiano Michael Woods (Cannondale-Drapac), enquanto os italianos Fabio Aru (Astana) e Vincenzo Nibali (Bahrain Mérida) perderam 11 e 26 segundos, respetivamente, para o 'camisola vermelha'.

O antigo 'vice' da geral, o espanhol David de la Cruz (Quick-Step Floors), caiu para quinto da geral ao ceder 21 segundos em relação ao líder, com o francês Romain Bardet (AG2R) a ficar fora do 'top10', a 1.37 minutos.

Atrás do britânico, que este ano já venceu a Volta a França, está o norte-americano Tejay van Garderen (BMC), a 10 segundos de distância, com Chaves a 11 segundos no terceiro posto da geral.

O dia ficou marcado por uma fuga de 17 elementos que o pelotão permitiu que fosse ganhando vantagem, chegando a estar acima dos sete minutos, e da qual saíram os principais candidatos à vitória na primeira chegada em alto da 72.ª 'Vuelta'.

Nos quilómetros finais, quando se percebeu que a vitória sairia do grupo de fugitivos, Lutsenko e Haller foram os mais astutos a afastar os rivais, principalmente o francês Julian Alaphilippe (Quick-Step Floors), o mais credenciado dos resistentes, com o cazaque a demonstrar maior resistência do que o austríaco e a fugir para a vitória.

O melhor corredor luso do dia foi Rui Costa (UAE Team Emirates), que surgiu integrado no grupo de Nibali, no 33.º posto, e subiu a 21.º da geral, a 2.35 minutos de Froome, enquanto Nelson Oliveira (Movistar) é agora 24.º, depois de ter cortado hoje a meta em 40.º lugar.

Ricardo Vilela (Manzana Postobón) chegou pouco depois, em 49.º, e subiu um lugar na geral, para 53.º, enquanto José Gonçalves (Katusha Alpecin) voltou a ter um dia complicado, terminando em último, a mais de 21 minutos, e caindo para 180.º na geral, quatro lugares à frente de Rafael Reis (Caja Rural), que hoje cortou a meta em 144.º.

Na quinta-feira, os ciclistas enfrentam nova etapa de média montanha, com quatro contagens de terceira categoria e uma de segunda ao longo de 204,4 quilómetros entre Villarreal e Sagunt.

Fonte: Record on-line

“Equipa Portugal/Maria Martins quinta melhor do mundo em scratch”

Por: José Carlos Gomes

Maria Martins iniciou hoje a participação no Campeonato do Mundo de Pista para Juniores, em Montichiari, Itália, com a quinta posição na prova de scratch, vencida pela italiana Martina Fidanza.

A corrida de 30 voltas – 7,5 quilómetros – teve duas fases distintas. A primeira metade da prova disputou-se a ritmo vivo, mas não demasiado forte. A segunda parte da competição decorreu a alta velocidade, com o pelotão, onde esteve sempre incluída Maria Martins, a ter de esforçar-se para anular as sucessivas tentativas de fuga.

As movimentações não resultaram e foi do pelotão que saíram as primeiras classificadas. A italiana Martina Fidanza confirmou o favoritismo e a hegemonia de Itália no ciclismo jovem feminino, impondo-se diante da holandesa Mylene de Zoete, segunda classificada, e da australiana, Alexandra Martin-Wallace.

Entre 24 participantes, Maria Martins partiu com o objetivo de terminar no primeiro terço da tabela, cumprindo a meta estabelecida pelo selecionador nacional, Gabriel Mendes, ao cortar a meta na quinta posição, depois de ter estado na discussão das medalhas até aos derradeiros metros.

“Estou satisfeito com a prestação da Maria, que mostrou evolução em termos de capacidade, mas também tecnicamente. Além disso cumprimos o objetivo a que nos propusemos”, resume Gabriel Mendes.

Maria Martins volta a competir na sexta-feira, em omnium. O apuramento está marcado para as 10h00 e a última das provas pontuáveis acontece cerca das 19h00.

Fonte: FPC

“Vuelta/Alexey Lutsenko vence quinta etapa”

Froome segura liderança

Foto: Reuters

O cazaque Alexey Lutsenko (Astana) venceu esta quarta-feira isolado a quinta etapa da Volta a Espanha, tendo o britânico Chris Froome (Sky) segurado a camisola vermelha de líder da classificação geral.

Lutsenko cumpriu os 157,7 quilómetros entre Benicàssim e Alcossebre em 04:24.58 horas, com 42 segundos de vantagem sobre o eritreu Merhawi Kudus (Dimension Data), segundo, e 56 sobre o espanhol Marc Soler (Movistar), terceiro.

Na quinta-feira, os ciclistas enfrentam nova etapa de média montanha, com quatro contagens de terceira categoria e uma de segunda, ao longo de 204,4 quilómetros entre Villarreal e Sagunt.

Fonte: Record on-line

“Triatlo David Vaz – Fundão”

No primeiro aniversário do falecimento de David Vaz, a Federação de Triatlo de Portugal relembra o seu enorme contributo para a modalidade. Uma colaboração que durou uma década e que levou o David a exercer diversas funções, deixando a sua marca em todos os colegas, treinadores, atletas e amantes da modalidade com que se cruzou. Nos últimos anos de colaboração com a FTP exercia o cargo de Diretor Geral e lembramos a pessoa humilde, dedicada, alegre e apaixonada pelo Triatlo.

Como forma de homenagem será realizado, no próximo dia 10 de Setembro, o primeiro Triatlo David Vaz. O evento terá lugar no Fundão, cidade de onde David Vaz era natural, e será constituído por uma prova sem roda na distância Standard. O Triatlo David Vaz – Fundão procurará homenagear uma das pessoas que mais contribuiu para a construção do Triatlo e da Federação na última década, apresentando a paisagem, percursos e cultura da região que o viu crescer.

O evento será uma organização da David Vaz Associação e Câmara Municipal do Fundão, que contará com o apoio técnico da Federação de Triatlo de Portugal e das coletividades locais e que será pontuável para o circuito “Desafio Interior” 2017. Esperamos poder contar com a presença de todos os interessados neste dia que juntará a prática da nossa modalidade à oportunidade de homenagem a um grande homem.

Fonte: FTP

“SANGALHOS ACOLHE ETAPA DO TROFÉU ALVES BARBOSA”



18ª edição da prova em homenagem ao ciclista

O XVIII Troféu Alves Barbosa em ciclismo vai ter lugar no próximo fim-de-semana, 26 e 27 de agosto, destinando-se à categoria de cadetes.

A corrida terá duas etapas, a primeira, na tarde de sábado, dia 26 de agosto. Serão 87,8 quilómetros a percorrer entre Montemor-o-Velho e Sangalhos. A partida será dada às 15h00, prevendo-se a chegada para cerca das 17h00. A segunda etapa corre-se na manhã de domingo, ligando Arazede ao castelo de Montemor-o-Velho, num total de 65,4 quilómetros.

De recordar que Alves Barbosa é uma personalidade marcante da história do desporto nacional e um dos principais corredores do ciclismo português. O Troféu homenageia um homem que sempre teve visão de futuro, através daqueles que são o futuro da modalidade, os cadetes. A competição une duas localidades importantes na vida do patrono da corrida, Montemor-o-Velho, concelho que escolheu como casa, e Sangalhos, sede do clube que representou enquanto ciclista.

Fonte: Câmara Municipal da Anadia
 

“Volta a França do Futuro”

Francisco Campos 18.º na última etapa para sprinters

Por: José Carlos Gomes

Francisco Campos, 18.º classificado, foi hoje o melhor português na sexta etapa da Volta a França do Futuro, uma ligação de 139,1 quilómetros, disputada a alta velocidade entre Montrichard e St-Amand-Montrond, e ganha pelo colombiano Álvaro José Hodeg. Foi a última oportunidade para os sprinters. Amanhã é dia de descanso e na sexta-feira corre-se a primeira das três etapas alpinas.

A última etapa para velocistas e roladores, percorrida à impressionante média de 46,170 km/h, foi animada, de princípio ao fim, pelo italiano Francesco Romano e pelo irlandês Michael O’Loughlin, que escaparam ao pelotão pouco depois da partida e foram alcançados com a meta à vista.

A corrida acabou discutida ao sprint e o colombiano Álvaro José Hodeg foi o mais rápido, relegando o polaco Alan Banaszek para o segundo lugar e o alemão Konrad Gebner para o terceiro posto. Cinco corredores da Equipa Portugal chegaram à meta com o mesmo tempo do vencedor: Francisco Campos, 18.º, Tiago Antunes, 40.º, Hugo Nunes, 81.º, José Neves, 88.º, e André Carvalho, 109.º.

Rui Oliveira, massacrado pela queda da véspera, alinhou à partida, depois de o departamento médico entender que estavam reunidas as condições clínicas para isso. O corredor português foi o último da etapa, na 136.ª posição, a 16m36s.

O austríaco Patrick Gamper continua no topo da geral individual. Tem 1m23s sobre o bielorrusso Ilya Volkau e 3m45s sobre o dinamarquês Kasper Asgreen. Os grandes candidatos ao triunfo final integram o lote de 91 corredores que estão a 3m49s do comandante. É a essa diferença que se encontram os lusos Tiago Antunes, 25.º, Hugo Nunes, 52.º, e Francisco Campos, 72.º. José Neves, 98.º, e André Carvalho, 99.º, estão a 4m28s do camisola amarela. Rui Oliveira ocupa a 134.ª posição, a 34m17s.

A primeira fase da Volta a França do Futuro, teoricamente mais fácil pela ausência de montanha, terminou hoje, ao cabo de seis etapas desgastantes, marcadas pela alta velocidade. Segue-se um dia de descanso e, entre sexta-feira e domingo, três etapas nos Alpes.

“Nas primeiras etapas tentámos discutir as etapas e estivemos quase sempre entre os primeiros. Nas próximas etapas entram em cena outros protragonistas, corredores que sofreram muito nesta fase inicial. Tenho esperança que consigamos estar com os melhores”, afirma o selecionador nacional, José Poeira.

Próxima Etapa

25 de Agosto: 7.ª Etapa: St-Gervais Mont-Blacn - Hauteluce-Les Saisies, 118,4 km (3241 metros de acumulado)

A entrada no território alpino faz-se com uma etapa de três contagens de montanha, duas de segunda categoria e uma de primeira (15,6 km a 5,7 por cento), esta coincidente com a chegada. A primeira grande seleção de candidatos irá acontecer aqui.

Fonte: FPC