terça-feira, 19 de novembro de 2019

“Inscrições abertas para a Semana Europeia de Cicloturismo”

Já estão abertas as inscrições para a 16.ª Semana Europeia de Cicloturismo, que irá decorrer em Banja Luka, Bósnia e Herzegovina, entre 4 e 11 de julho, de 2020.

Este evento de ciclismo de lazer, sem caráter competitivo, tem como finalidade descobrir a região envolvente, através dos inúmeros percursos, descoberta de paisagens e locais turísticos. A proteção do património e a envolvência com outras culturas são elementos enriquecedores da viagem.

Os filiados na Federação Portuguesa de Ciclismo têm um desconto de 15 euros na inscrição, pagando apenas 35 euros pela inscrição. O participante poderá ser acompanhado pelo cônjuge, acrescendo 15 euros ao valor. Os jovens entre os 18 e os 25 anos têm um valor de inscrição de 15 euros e às crianças com menos de 18 anos serão cobrados 10 euros. As crianças podem participar nas Atividades Juvenis (AJC) com um acréscimo de um euro. Os participantes têm até ao dia 23 de maio de 2020 para usufruírem destes preços, após essa data os preços serão aumentados em cinco euros por pessoa.

A Semana Europeia de Cicloturismo é o principal evento organizado pela União Europeia de Cicloturismo (UECT). É um acontecimento único, que alia o desenvolvimento do turismo individual e cultural à descoberta de um país em bicicleta.

Na edição passada, Portugal recebeu a 15.ª jornada da Semana Europeia, percorrendo a extensa região das Aldeias Históricas de Portugal, na zona centro do país.

Em 2021, a Semana Europeia de Cicloturismo irá rumar à cidade de Andenne, na Bélgica, de 3 a 10 de Junho.

Para mais informações e para efetuar a sua inscrição: https://uect.org/pt/inscricao-form-se-2020

Fonte: FPC

“6ª Rota da Castanha - Organização da Secção de BTT do IntercaimaBike”

Por: Nuno Almeida

No passado dia 10-11-2019 a Secção de BTT do InterCaimabike, chamou a si, com o apoio e parceria da Câmara Municipal de Vale de Cambra e da Junta de Freguesia de São Pedro de Castelões, integrado no programa da Feira da Castanha, em São Pedro de Castelões, a organização da edição 6 da Rota da Castanha.

Com um número de participantes a rondar os 300 e com muitas atletas femininas à mistura, a concentração efetuou-se junto ao Pavilhão Municipal, e depois do controlo zero aos atletas, foi dada a partida simbólica pelas 9 horas, para mais uma aventura em BTT no Vale Mágico.

Após uma passagem pelo recinto da Feira da Castanha no centro de São Pedro de Castelões, os atletas direcionaram-se para a praia fluvial de Burgães e de seguida Aguincheira, onde foi dada a partida real, tendo inicio a prova em roda livre a partir daí. A rota da castanha na sua maioria, foi feita por caminhos em terra batida e rurais, percorrendo as aldeias; Casaldarão, Merlães, Irijó, Gatão, Viadal, Tabaço, Felgueira, Currais, Srª Saúde, Janardo, Cabril, Barbeito, Areias e retorno à meta no complexo desportivo de Vale de Cambra, com uma extensão de 39kms. Percurso exigente, com algumas valentes subidas na primeira parte do percurso, e com alguns trilhos técnicos, também devido à chuva que se fez sentir nos dias anteriores.

Na outra vertente deste evento, o XVII Passeio BTT de São Martinho, onde os atletas e as suas bicicletas foram transportados até um dos pontos mais altos do percurso, a aldeia da Felgueira (onde se encontrava o reforço dos atletas), e daí arrancaram com um percurso de 25kms, coincidente com a rota da castanha até à meta.

Já na meta e à medida que os atletas foram chegando, foi realizado um sorteio de brindes entre todos, premiando com rifa extra, quem trazia os papéis das barras e géis, ao invés de os deixarem nos trilhos. Após as limpezas das sinalizações em todo o percurso, podemos concluir que esta acção foi um sucesso, pois apenas encontramos 2 embalagens vazias, nos 39kms do percurso.

Tendo os três primeiros atletas de cada escalão passado na meta e a empresa controlo de tempos (bttmanager), ter validado a sua prova , realizamos os pódios, entregando o respetivo troféu inox POLIVALE, assim como alguns brindes, a premiar a sua classificação, conforme lista abaixo;

Juniores

1º André Fonseca - Escola de Ciclismo Bruno Neves

2º Sérgio Magalhães - Vito Feirense PNB

3º João Santos - Arada Atlético Clube
 

Sub23/Elites

1º Marcelo Almeida - INDELAGUE/S2S/JONISBIKE

2º João Gomes - PADEIRINHAS SOBRE RODAS

3º Pedro Santos - Arada Atlético Clube 

 

Master 30

1º André Resende - PADEIRINHAS SOBRE RODAS

2º Nuno Macedo - LaSalle Sports Team

3º José Marques - Fullwear-RP-Team
 
Master 40

1º Ricardo Fernandes - Novabicineves Tinocar

2º Álvaro Rocha - Sportarc.BTT/BTT Arouca

3º Marco Rodrigues - Feel Energy btt team
 

Master 50

1º Celso Fernandes - Lacc

2º David Silva - PERUF RACE TEAM

3º José Oliveira - Novabicineves Tinocar
 

Master 60

1º Oscar Sousa - LaSalle Sports Team

2º António Girão - Besouros.com
 

Femininas

1º Joana Vieira - Estarreja

2º Anabela Vendeiro – Aveiro
 

E-Bikes

1º Bruno Pinho - Caldas São Jorge

2º Nuno Araujo - TERRAS DO VEZ

3º Oscar Moura – PABOL
 

Atleta mais novo

Marlene Sousa - Gaia btt
 

Atleta com mais idade

Manuel Tavares - Ciclounidos Pigeiros
 

Maior Equipa

Gaia Btt

Depois do merecido banho, nos balneários das Piscinas Municipais, foi servido o almoço convívio na sede da Associação Inter Caima F. C., tendo como ementa; Rancho, febras, sobremesa, castanhas e jeropiga.

Agradecimentos:

Atletas Intercaimabike que ajudaram e seus familiares, a todos os amigos de outros grupos que se disponibilizaram, nomeadamente GDCodal, ACR,  ao Moto-guia, Luís Pinho.

Aos patrocinadores e apoiantes que permitiram a realização de mais uma edição da Rota da Castanha: Câmara Municipal de Vale de Cambra, Junta de Freguesia de São Pedro de Castelões, Bombeiros Voluntários de Vale de Cambra, Inter Caima F. C., POLIVALE, JPM, SA, Quinta da Companhia, Lojas da Visão, Tavaresauto, Polisport, Tecober, Ponto Praça, Decisões Numéricas, RPBikeShop, Cofides, Cerveja Vadia, Martins & Rebello, Fisiosimetrias, Joni´s Bike, Solar das Laranjeiras, My Greenway Tours, Biofrost, O Praticante, Castro & Alves, Leirinox, Arlindo Soares de Pinho, Fell Free, Fazarte, Paróquia de São Simão de Arões (pela cedência do espaço para o reforço)

Foram todos essenciais para a realização deste evento, por isso a todos, o nosso Bem haja.

Mais informação deste passeio, tais como fotos e classificações, podem consultar em: http://intercaimabike.pt/
















 

Fonte: Intercaimabike

segunda-feira, 18 de novembro de 2019

“Gala Fé no Triatlo realiza-se no dia 23 de novembro 2019”

Terminada mais uma época de Triatlo, celebre connosco os grandes feitos dos nossos atletas e clubes!

A Federação de Triatlo de Portugal, em conjunto com a Câmara Municipal de Portimão, irá celebrar a época 2019 com os triatletas, familiares e amigos do Triatlo no evento anual ‘Gala Fé no Triatlo’ que decorrerá pelas 15h00 no TEMPO – Teatro Municipal de Portimão, localizado no Largo 1.º Dezembro, nº 34.

Chegou a altura de reconhecer o mérito de atletas e clubes que tão bem representaram a época transata, através da atribuição de prémios relativos aos Campeonatos Individuais e de Clubes, da Taça de Portugal, do Campeonato Nacional Jovem e do Paratriatlo. Haverá nesta Gala também um momento para entregar os Troféus aos Campeões Nacionais de Grupos de Idade que tão bem demonstraram o grande empenho como triatletas amadores.

O evento conta ainda com as distinções Fé no Triatlo, onde se destacam as personalidades do ano e se presta a merecida homenagem pela sua dedicação à modalidade.

A Gala Fé no Triatlo é um momento por excelência para enaltecer os valores do Triatlo, recordando da melhor forma a época que agora termina.

Bem-haja pelo seu contributo à modalidade.

 

PROGRAMA DA GALA FÉ NO TRIATLO 2019

15:15 Discurso de Abertura – Presidente / Vereador do Desporto CM Portimão

15:35 Início da Cerimónia de Entrega de Prémios

Campeonato Nacional Jovem de Clubes + Juvenis

Campeonato Nacional Individual de Aquatlo

Campeonato Nacional Individual de Duatlo Cross

Campeonato Nacional Individual de Duatlo Sprint

Campeonato Nacional Individual de Triatlo Cross

Campeonato Nacional Individual de Triatlo Longa Distância

 INTERVALO – 17:10 – 17:30

17:35 Discurso do Presidente da Federação de Triatlo de Portugal

 17:50 Vídeo dos 30 anos da Federação de Triatlo

Campeonato Nacional Individual de Triatlo Média Distância

Campeonato Nacional Individual de Triatlo Sprint

Campeonato Nacional Individual de Triatlo Standard + Cadetes

Individuais Absolutos (Elite, Absoluto e Paratriatlo

Taça de Portugal

Campeonatos Nacionais de Clubes

18:40

Prémio “Fé no Triatlo”

Menções Honrosas

Prémio Espírito Desportivo / Ética Desportiva

Prémio Organizador do Ano

Prémio Revelação do Ano

Prémios do Ano 2019

Treinador do Ano: Paulo Antunes, Pedro Leitão e Rodolfo Lourenço,

Atleta feminina do ano: Gabriela Ribeiro, Madalena Almeida e Melanie Santos.

Atleta masculino do ano: João Pereira, João Silva e Ricardo Batista

Pode votar até dia 21 de novembro às 13h59 aqui

Hora prevista para o final da Gala Fé no Triatlo: 19h15

Contamos com toda a família do Triatlo em mais uma Gala Fé no Triatlo!

Fonte: FTP

“Ironman Portugal-Cascais espera receber 5 mil participantes na estreia”

Cascais vai acolher também a quarta edição do Ironman 70.3

Por: Lusa

A primeira edição do Ironman Portugal-Cascais, na distância completa, deverá contar com 5 mil participantes, segundo Jorge Pereira, responsável pela prova de triatlo de longa distância, a disputar em 26 de setembro de 2020.

"É um sonho tornado realidade. Em 2017 pusemos Cascais no mapa internacional do triatlo. Agora, estamos a ampliar este legado com um evento de distância completa. Estamos ansiosos por criar momentos memoráveis para os nossos atletas e um enorme impacto económico e desportivo em Portugal", afirmou Jorge Pereira, diretor do Ironman Portugal, defendendo ser expectável "triplicar o impacto económico verificado nos últimos três anos".

A primeira prova da distância completa de Ironman, 3,8 quilómetros de natação, 180 de ciclismo e 42,2 de atletismo, Cascais vai acolher também a quarta edição do Ironman 70.3, com metade das distâncias, no dia seguinte, 27 de setembro.

Além de Cascais, as duas competições vão percorrer ainda território dos concelhos de Sintra, Oeiras e Lisboa, o que levou o edil cascalense, Carlos Carreiras, a agradecer já a disponibilidade e compreensão dos presidentes das respetivas Câmaras Municipais para a relevância e impacto da prova.

"Em que outro lugar do mundo pode uma prova acontecer, em terra ou no mar, num cenário tão idílico como o nosso? O Ironman é uma prova que diz muito a Cascais. Porque os seus atletas partilham com os habitantes desta terra a capacidade de superação, a resiliência e o desejo de ultrapassar os desafios por maiores que eles sejam", destacou Carreiras.

Apesar de ausente, o secretário de Estado da Juventude e do Desporto enviou uma mensagem realçando como "extraordinário" chegar a esta organização "em tão pouco tempo".

Tal como João Paulo Rebelo, também Stefan Petschning, diretor geral do Ironman Europa, Médio Oriente e África, não esteve presente no lançamento, mas fez questão de dar as boas-vindas à prova portuguesa que, segundo anunciou, vai atribuir alguns vagas para o Mundial de Ironman de 2021, a disputar no Havai.

"O espírito de comunidade, a beleza das paisagens ao longo dos diferentes percursos e o ambiente de alta competição que são proporcionados em Portugal fazem com que todos tenham vontade de regressar. Fez sentido para nós que o passo seguinte fosse adicionar um evento Ironman neste lugar fantástico", reconheceu.

O percurso, apresentado hoje, vai ter o ponto de partida na Praia dos Pescadores, onde os atletas cumprem uma única volta de 3,8 quilómetros a nadar, entre a baía de Cascais e a margem do Estoril.

A zona de transição estará localizada no Hipódromo de Cascais e os 180 quilómetros vão passar pela estrada da praia do Guincho, Parque Natural de Sintra, autódromo do Estoril e estrada marginal.

O último setor do triatlo, a corrida de 42,2 quilómetros será disputada entre a estrada do Guincho, seguindo a costa, em direção ao Cabo Raso, ficando a meta instalada na baía de Cascais.

Fonte: Record on-line

“«Este é o rosto daquele que quase mataste»: ciclista italiano arrasa "condutor ignorante"”

Alessandro De Marchi faz relato revoltado do que lhe sucedeu num treino

"Estou farto, literalmente farto e no limite. Ainda me dói a garganta de gritar e gritar com o milésimo condutor durante o milésimo 'quase acidente' em que estive envolvido hoje.

Não aguento mais." É desta forma que Alessandro De Marchi, ciclista da CCC, começa a descrever o que lhe aconteceu no domingo. O italiano publicou no seu Instagram um relato pormenorizado (e revoltado) do sucedido, com direito a recado ao "ignorante" que estava atrás do volante do "Audi A6 metálico cinza".

"Saio de casa como todos os dias e vou em direção ao centro de Buja, subindo a ladeira de 'Tonino 2', como é conhecida aqui. Subo devagar, à direita, sem atrapalhar. Aproximadamente a metade dessa subida, ouço o som de um carro e depois a sensação de que quase me ia levando o cotovelo e a mão esquerda. O carro, um grande Audi, ultrapassa-me ao triplo da minha velocidade, a apenas alguns centímetros, repito CENTÍMETROS.

Desequilibrei-me, cai, e após a subida e com toda a minha voz gritei contra o motorista. O mesmo faz o carro que o segue, um pequeno jipe ??azul que, vendo a cena toda, buzina. À distância, vejo que o motorista do jipe ??está a discutir com o outro.

Ao chegar ao local em que o Audi estava parado, grito-lhe que ele me podia ter matado e ele só respondia: 'Não te toquei, vai para o inferno!!!'. Nem tive tempo de responder porque começou novamente a gritar. Parou 200 m depois, à frente a uma banca de jornais, tirei uma fotografia da matrícula, do carro e do motorista (quando ele saiu para ir à banca) e ainda ouço ele mandar vir", escreveu.

E atira: "Caro condutor ignorante, decora bem a cara que aparece nesta foto: é o rosto daquele que quase mataste esta manhã. Porque, querido condutor ignorante, se tivesses chegado a tocar-me, na melhor das hipóteses atiravas-me para o hospital ou para uma cadeira de rodas... e na pior para um caixão! Caro condutor ignorante, hoje, com teu belo Audi A6 metálico cinza, quase me mataste ... para chegar primeiro à banca de jornais! Caro condutor ignorante, odeio-te de todo o coração e espero que leias estas linhas ou que alguém que se lembre do teu carro se lembre de ti e permita que tu leias".

Fonte: Record on-line

“GALA DO COMITÉ OLIMPICO DE PORTUGAL”

Ricardo Batista, distinguido pelo COP com Prémio Juventude 2019

Por: Paulo Vieira

A Celebração Olímpica de 2019, promovida pelo Comité Olímpico de Portugal (COP) no SUD Lisboa Hall, consagrou na quinta-feira, dia 14 de Novembro, alguns desportistas nacionais entre atletas e/ou treinadores e jovens promessas.

O triatleta torrejano RICARDO BATISTA foi distinguido nesta Gala do COP, com o Prémio Juventude 2019, tendo em conta a sua brilhante época que culminou com o título de Campeão Mundial de Triatlo Júnior 2019, alcançado em Lausanne na Suíça, no final do mês de Agosto.

O Prémio Juventude destina-se a premiar o atleta nacional masculino e a atleta nacional feminina, de escalões jovens, que mais se tenham distinguido pela obtenção de resultados de excelência em competições internacionais ao mais alto nível desportivo, sendo relevante o mérito do percurso académico.

RICARDO BATISTA, é Campeão do Mundo de Juniores, em 2019, e Medalha de Bronze no Campeonato da Europa. Alcançou a 2ªposição na Taça da Europa de juniores, em Quarteira. Durante o ano de 2018, foi 3º classificado em duas etapas da Taça da Europa de juniores, entre outros resultados desportivos nacionais alcançados, como foi o caso de Campeão Nacional Absoluto de Triatlo em 2019.
 

GALA FÉ NO TRIATLO 2019

Entretanto, realiza-se no próximo sábado, dia 23 de Novembro, no Teatro Municipal de Portimão, a GALA “FÉ NO TRIATLO 2019”, organizada pela Federação de Triatlo de Portugal, que se destina a reconhecer o mérito de atletas e clubes que tão bem representaram na época 2019, através da atribuição de prémios relativos aos Campeonatos Individuais e de Clubes, da Taça de Portugal, do Campeonato Nacional Jovem e do Paratriatlo.

Para além disso, o evento com ainda com as distinções Fé no Triatlo, onde se destacam as personalidades do ano e se presta a merecida homenagem pela sua dedicação à modalidade, estando nomeados RICARDO BATISTA e MADALENA ALMEIDA para Atletas do ANO 2019, e também o técnico fundador da Escola de Triatlo torrejana, PAULO ANTUNES, para Treinador do ANO 2019.

Fonte: Clube Natação Torres Novas

“Taça de Portugal de Ciclocrosse”

Roberto Ferreira e Ana Santos mais fortes em Bragança

Por: José Carlos Gomes

Roberto Ferreira (BTT Seia) e Ana Santos (Axpo/FirstBike Team/Vila do Conde) ganharam em Bragança, a terceira prova da Taça de Portugal de Ciclocrosse. Enquanto Ana Santos prosseguiu uma trajetória de invencibilidade entre as femininas, Roberto Ferreira foi o terceiro homem a ganhar em três corridas já disputadas.

A prova de elite masculina acabou por terminar num duelo a dois entre Roberto Ferreira e Mário Costa (Axpo/FirstBike Team/Vila do Conde). O corredor da equipa de Seia foi o mais lesto, cortando a meta 17 segundos mais cedo do que o representante da formação vila-condense. O terceiro, a 47 segundos, foi o campeão nacional, Márcio Barbosa (Aviludo-Louletano). Mário Costa manteve o primeiro lugar na geral da Taça.

Entre a elite feminina manda uma júnior. Ana Santos não tem dado hipóteses à concorrência e, por isso, comanda destacada a classificação geral. Em Bragança repetiu o que já fizera nas rondas anteriores. Venceu isolada, com 2m47s de vantagem sobre a adversária mais próxima, Melissa Maia (Korpo Activo BTT/UD Lorvanense). A terceira classificada, a 4m51s, foi Joana Monteiro (Axpo/FirstBike Team/Vila do Conde).

Nas camadas jovens, Bragança consagrou a sub-23 Jéssica Costa (Guilhabreu BTT), o júnior Vasco Cunha (BTT Matosinhos) e os cadetes Tomás Mota (ACD Milharado/DrevionHolidays/Mafra) e Laura Mira (Redondela Il Picolo).

As provas de veteranos foram ganhas pelo master 30 Rúben Nunes (Axpo/FirstBike Team/Vila do Conde), pelos masters 40 Rogério Matos (Rompe Trilhos/Ajpcar) e Estela Lago (Bike O Facho), pelo master 50 António Sousa e pelo master 60 Joaquim Pinto (Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel).

Paulo Fernandes (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact) foi o melhor juvenil, uma categoria não pontuável para a geral da Taça.

A quarta prova da Taça de Portugal de Ciclocrosse 2019/2020 disputa-se no dia 8 de dezembro, em Vouzela.

Fonte: FPC  

sábado, 16 de novembro de 2019

“Quintanilha anuncia Amaro Antunes e José Mendes na W52-FCP”

Um vem da CCC, o outro do Sporting-Tavira  

Por: Ana Paula Marques  

Foto: Peter Spark/Movephoto

Não foi pelos canais oficiais (site do FC Porto) e página do Facebook da equipa, que a W52-FCP anunciou as contratações de Amaro Antunes e José Mendes (SCP-Tavira).

Foi o patrão da equipa, ou seja, o principal investidor e dono da empresa W52, Adriano Quintanilha, a fazê-lo e apenas ao "Jornal de Notícias". Nota-se já uma mudança no modus operandi quanto ao anúncio de contratações, pois até ao momento essas notícias eram dadas através dos canais oficiais já referidos. E mesmo passadas algumas horas, ainda não são notícias nesses mesmos canais...

Adriano Quintanilha quer chamar a si um maior controlo quanto à gestão da equipa, começando já a fazê-lo, ao ser ele a anunciar as primeiras contratações tendo em vista 2020.

O empresário justificou ainda ao "JN" as razões pelas quais a W52-FCP vai regressar à terceira divisão do pelotão, depois de este ano ter subido à segunda divisão. "O investimento feito para ser Continental-Profissional em 2019, que triplicou o orçamento, teve compensações mínimas".

Amaro Antunes regressa à formação, depois de dois anos na CCC, o último dos quais no World Tour, enquanto José Mendes, campeão nacional, representou em 2019 a equipa do Sporting-Tavira.

Fonte: Record on-line

“Tóquio'2020: Melanie Santos via Vanessa Fernandes como mais-valia na estafeta mista”

Triatleta lamenta ausência da medalha de prata em Pequim'2008

Por: Lusa

Foto: Comité Olímpico de Portugal

A triatleta Melanie Santos reconheceu esta sexta-feira que Vanessa Fernandes seria uma mais-valia na estafeta mista portuguesa para os Jogos Olímpicos Tóquio'2020, incentivando Gabriela Ribeiro a substituir a medalha de prata em Pequim'2008.

"Cada um tem o seu rumo, claro que a Vanessa [Fernandes] era uma mais-valia para a nossa estafeta e para o triatlo nacional, mas acho que ela seguiu o seu rumo e temos de estar felizes por ela estar bem", afirmou a atual 44.ª do ranking individual de qualificação olímpica.

Em março de 2017, Vanessa Fernandes anunciou o regresso ao triatlo, depois de oito anos de ausência, apontando como objetivo estar presente em Tóquio'2020, mas, em 2018, voltou a interromper a prática da modalidade.

À margem do encontro nacional de atletas olímpicos, em Sintra, Melanie Santos, de 24 anos, motivou Gabriela Ribeiro, que tem substituído Vanessa Fernandes na seleção lusa: "Quando tentei a qualificação para o Rio'2016, tinha a idade dela e falhei por um lugar, por isso, gostava que ela conseguisse ir a uns Jogos, nem que fosse pelas estafetas".

A triatleta natural de Alcobaça admitiu ocupar uma posição "confortável" para assegurar a sua estreia olímpica, depois de "um primeiro ano de qualificação confortável" e "de um segundo ano pior".

Mais experiente em Jogos, João Pereira, 22.º do ranking, reconheceu como "bastante ambicioso" o objetivo de apurar a estafeta através de um dos três primeiros lugares na prova de qualificação a realizar no Japão, em 2020.

"Apuram-se as três primeiras estafetas, sabendo que as já apuradas não vão. Vamos apontar com tudo para estarmos no melhor possível", frisou o triatleta de 31 anos.

Depois do quinto lugar no Rio'2016, João Pereira prometeu "dar o melhor" para conseguir melhorar, ressalvando, ironizando: "Eu quarto não quero ser, prefiro ser quinto ou terceiro".

A caminho da sua terceira presença olímpica, João Silva, de 30 anos, reconheceu que a sua "qualificação está mais ou menos garantida", permitindo-lhe centrar a preparação em Tóquio'2020.

"O que temos mais é esperança e trabalhamos todos os dias para conseguir o melhor resultado possível, se for uma medalha, óbvio, ficaremos supercontentes", referiu o nono classificado em Londres'2012 e 35.º no Rio'2016.

Fonte: Record on-line

sexta-feira, 15 de novembro de 2019

“FIGURAS MARCANTES DO CICLISMO LUSO”

Hoje falamos de: JOSÉ BENTO PESSOA

Foram várias as figuras do pelotão nacional que marcaram as principais fases da evolução do ciclismo português, e das quais nos iremos ocupar neste capítulo, desde as proezas de José Bento Pessoa, nos finais do Século XVIII, aos inesquecíveis José Maria Nicolau e Alfredo Trindade, até aos históricos Alves Barbosa, Joaquim Agostinho e Marco Chagas.

Pelo meio ficaram Ribeiro da Silva, a dinastia dominadora do FC Porto (dos Moreira, Dias Santos, Sousa Cardoso, Mário Silva, José Pacheco, entre outros), os dois José Martins (o do Benfica e o da Coelima), José Albuquerque (o popular “Faísca”), o “leão” João Roque e os benfiquistas Peixoto Alves, Fernando Mendes e Francisco Valada, para terminar em Joaquim Gomes, Fernando Carvalho, Jorge Silva, Orlando Rodrigues, Vítor Gamito, Nuno Ribeiro e José Azevedo. 

Todos eles estão envolvidos na reconstituição, que a seguir fazemos, das breves biografias daqueles que elegemos como principais marcos históricos da evolução do ciclismo português

JOSÉ BENTO PESSOA RECORDISTA MUNDIAL EM 1899

José Bento Pessoa, natural da Figueira da Foz, aos 24 anos de idade bateu o recorde do mundo dos 500 metros, no Velódromo de Chamartin, em Madrid e foi o primeiro campeão de Espanha, ao vencer, em 12 de Abril de 1897, os 100 Km de Madrid-Ávila-Madrid, feitos que marcaram uma época do ciclismo em Portugal e que contribuíram decisivamente para a fundação da União Velocipédica Portuguesa, libertando-nos da dependência espanhola.

Dados biográficos:

Nome: José Bento Pessoa Nascimento: 7 de Março de 1874

Naturalidade: Figueira da Foz (Rua da Oliveira). Filiação: Ricardo Lourenço Pessoa (Proprietário de uma sapataria) e de Maria da Guia do Espírito Santo (Doméstica). Irmão: Constantino Pessoa, dois anos mais novo. Profissional de ciclismo: Aos 22 anos.


DE RECORDISTA MUNDIAL DOS 500 METROS A CAMPEÃO DE ESPANHA

Depois de uma infância vivida entre a Rua da Oliveira, onde residia, e a sapataria do pai, e concluída a instrução primária, seguiu-se um período em que prosseguiu os estudos, recebendo lições de química, física e francês, alternando com presenças na loja. A grande aspiração do pai era que o José Bento assumisse a sua carreira profissional na condução dos negócios da loja.

Na biografia de José Bento Pessoa, o autor da obra, Romeu Correia, traça este perfil do biografado na fase da adolescência, para explicar a frustração que o pai sofreu por o filho não revelar aptidão profissional para dar continuidade ao negócio da comercialização de calçado: “Um nada comodista, todo habilidades de mãos e paciência para ferramentas e motores, não era da sua natureza pertencer ao comércio de sapataria.

Era um moço de belas feições, elegante, sensível e de falas cuidadas. Muito cedo caprichou pelo bem vestir, por se puxar, entre a rapaziada da sua geração. Convivia com assiduidade e proveito, todos os verões, com a colónia balnear espanhola. Pertencia aos finitos da Figueira, isto é, ao grupo dos jovens das melhores famílias.”

Aos 17 anos, a recuperar de uma queda em que fracturou um tornozelo, José Bento Pessoa foi aconselhado pelo médico a fazer exercício para recuperar a articulação, indicando-lhe que a prática do ciclismo seria o ideal. E assim principiaria a sua espectacular carreira no desporto do pedal, que esteve na origem do movimento que levaria à fundação da União Velocipédica Portuguesa.

A primeira prova oficial em que participou foi em Coimbra, no dia 23 de Fevereiro de 1894 (tinha 20 anos). Alinhou como júnior numa corrida de 13 Km, na qual conquistou a primeira medalha de ouro, êxito que repetiu no ano seguinte.

Com a morte do pai (1896), José Bento Pessoa abandonou o estabelecimento de Manuel Beirão, em Lisboa, onde trabalhava, para deixar de correr com bicicletas da marca “Brennabor” para assinar contrato com a marca “Raleigh”, da “Casa Esteves”, e tornar-se ciclista profissional, filiado na União Velocipédica Espanhola, pois ainda não tinha sido fundada a União Velocipédica Portuguesa, e o nosso ciclismo, por determinação da UCI, dependia de Espanha.

José Diogo de Orey, o melhor corredor e velocidade português, que foi destronado por José Bento Pessoa, apontou-lhe as seguintes características: “Tem o corpo de perfeito atleta adequado a exercícios de tal ordem como o do

velocípedo e a sua posição sobre a máquina é das melhores que tenho admirado e à primeira vista um conhecedor dirá que é um bom sprinter”. Mas observa: “No entanto tem um defeito que o prejudica, quer correr em tudo que seja corridas, o que é um engano.”

A primeira experiência do ciclista figueirense teve lugar no dia 9 de Setembro de 1896, em Vigo, vencendo a Corrida Peninsular, mas veio a ser desclassificado e multado por irregularidades cometidas no “sprint”, ficando ainda proibido, durante oito meses, de participar em corridas na pista de Vigo.

José Bento Pessoa, no Velódromo de Jonction, em Genebra (Suíça), no dia 10 de Abril de 1898, confirmou o título de campeão do mundo dos 500 metros, que havia arrebatado ao francês Jacquelin no Velódromo de Chamartin (Madrid), ao bater, de forma categórica, o suíço, de 21 anos e grande porte atlético, a quem fora dada a alcunha de “Champion”, e depois de o ter também derrotado no contra-relógio de 500 metros.

A mais retumbante das vitórias que, naquela altura, José Bento Pessoa coleccionava no seu palmarés, foi conquistada no dia 12 de Abril de 1897, nos “100 Km de Ávila” (Madrid-Ávila-Madrid) que correspondia ao 1º Campeonato de Espanha em estrada, no qual, ao que rezam as crónicas da época, teria participado com uma bicicleta de pista e cruzado a meta com uma roda vazia.

O ciclista da Figueira da Foz, para certa imprensa dado como sendo “espanhol”, apresentou-se naquela cidade helvética à beira do Lago Leman, com um palmarés recheado de vitórias, conquistadas em França e em Espanha, mas nem assim mesmo os suíços vacilaram em dar total favoritismo ao seu “Champion”, que ele só conheceu já na pista momentos antes do palpitante duelo luso-suíço.

No entanto, houve um jornal suíço que veio a lume esclarecer que José Bento Pessoa não era “espanhol”, mas sim português, tendo nascido “na cidade ribeirinha da Figueira da foz, estância balnear na costa ocidental da Península Ibérica” e que, portanto, “pertencia ao pequeno povo da monarquia portuguesa, país que outrora tivera grandes navegadores e fora berço de um poeta chamado Luís de Camões, autor do livro ‘Os Lusíadas’, muito traduzido em línguas cultas.” Tudo terminou em ambiente de total frustração para os suíços

Fonte: FPC

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

“BTT Terras Dom Pedro”

Dia 24 de Novembro, o BTT Terras Dom Pedro regressa aos trilhos mais belos, pisados por Dom Pedro.
Inseridos na região demarcada do Douro, passando na rota dos moinhos ao longo das mais belas paisagens, passando por Lazarim onde se localiza o Centro Interpretativo da Máscara Ibérica, envolvidas em muros de xisto, ladeadas das aldeias de montanha, os monumentos e a gastronomia reforçam a riqueza histórica e paisagística do BTT que faltava em Portugal!
Garantam já a V/ presença!



Fonte: ALB Lamego Bike

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

“Romain Bardet fora do Tour de France 2020”

Foto: AFP or licensors

O francês dá uma pausa à prova francesa para se focar noutras provas, como os Jogos Olímpicos.

O francês Romain Bardet disse esta quarta-feira que irá falhar a Volta a França de 2020, para se focar no Giro de Itália, nos Jogos Olímpicos de Tóquio e nos Mundiais da modalidade.

Bardet, de 29 anos, o último francês a chegar ao pódio do 'Tour', com o segundo lugar em 2016 e o terceiro no ano seguinte, disse que está à procura de "novos horizontes" para o próximo ano, mas que estará de volta para o 'Tour' de 2021.

Na última edição, terminou em 15.º da geral numa Volta à França abaixo das expectativas, com a equipa francesa AG2R La Mondiale, apesar de ter sido o melhor da montanha.

"Não foi uma fácil desistir do 'Tour de France', que me trouxe tanto e que é uma prova que amo profundamente", disse.

"Mas é saudável dar um tempo à bonita história que me liga à corrida, para regressar melhor no ano seguinte".

Bardet, que terminou a época no final do último 'Tour' em julho, vai voltar à competição 'Tour Down Under' na Austrália entre 21 e 26 de janeiro de 2020. As outras datas importantes são o 'Giro' de 9 a 21 de maio, os Jogos Olímpicos entre 24 de julho e 9 de agosto e os mundiais de cicismo entre 22 e 29 de setembro.

Fonte: Sapo on-line