terça-feira, 29 de outubro de 2019

“Estoril Praia Triatlo Campeão Nacional de Triatlo Longo 2019”

Triatlo de Vilamoura encerrou a época com o CNATRIL e Clube Oriental de Lisboa a subir ao mais alto lugar do pódio.

No dia 27 de outubro de 2019, o 5.º Triatlo Longo de Vilamoura recebeu a terceira e última etapa do Campeonato Nacional de Clubes de Triatlo de Longa Distância e o Campeonato Individual de Triatlo de Longa Distância.

A partida iniciou na praia de Vilamoura num percurso triangular de duas voltas, num total de 3000 metros, seguidas de três voltas de ciclismo com 121.750 km, terminando com seis voltas de corrida num total de 29.600 km.

O Clube Oriental de Lisboa venceu a prova feminina, com Fernanda Marques Santinha, com 08:25:48, Maria Sousa com 08:46:02 e Sara Colaço com 09:01:34. O Estoril Praia Credibom ficou na segunda posição com Priscila Gonçalves que fez o tempo de 08:26:50, Ana Barreto com 09:44:44 e Aline Correia com 09:45:05.

Na competição masculina, vitória para o CNATRIL, com Sérgio Marques com 06:12:57, Mário Santos com 06:26:07 e Marco Vieira com 06:42:26. O Louletano conquistou a segunda posição com Marcus Ornellas com 06:22:24, Bernardo Cadeiras com 06:26:12 e David Caldeirão com 06:46:39. O terceiro lugar pertenceu ao Clube de Natação Colégio Vasco da Gama com Bruno Santos, com o tempo de 06:38:05, Hugo Pina com 06:43:52 e Nuno Rodrigues com 06:49:08.

Estoril Praia Credibom Campeão Nacional de Triatlo Longo em femininos e masculinos

Nesta competição contaram as duas melhores provas, pelo que o Estoril Praia Credibom, tendo vencido duas provas anteriores, partiu já com vantagem em masculinos sagrando-se Campeão Nacional com 420 pontos mesmo sem pontuar na última etapa.

O CNATRIL Triatlo foi vice-campeão com 400 pontos e o CNCVG conquistou a terceira posição com 370 pontos.

Em femininos, o Clube Oriental de Lisboa venceu a última etapa o que levou a um empate de pontuação entre este e o Estoril Praia, mas o título de Campeão foi conquistado pelo Estoril, já que este alcançou um número maior de melhores resultados durante a época.

Na primeira posição ficou o Estoril Praia Credibom com 400 pontos, o Clube Oriental de Lisboa foi vice-campeão em título com 400 pontos e o CNATRIL Triatlo alcançou a terceira posição com 210 pontos.

«Queríamos ganhar (o campeonato feminino), mas sabíamos que ia ser muito difícil. Só foi possível graças ao espírito de equipa e sacrifício de todos. Garantimos o título feminino com a nossa terceira atleta a fazer quase 10h de prova. É preciso querer muito, ainda por cima só tínhamos três atletas a participar, nada podia falhar», explica Rodrigo Baltazar, treinador do Estoril Praia, que faz também um balanço da época 2019, reforçando que o mais importante é a união: «É talvez a nossa melhor época desportiva desde que começámos. Coletivamente tivemos dois títulos nacionais, um segundo lugar na Taça de Portugal e outro no nacional de Duatlo.

Em termos individuais, somámos várias vitórias, tanto na elite como nos diversos grupos de idade.» Rodrigo afirma que continuam fiéis aos valores do clube, fazem do triatlo uma festa, sendo que os resultados são consequência dessa postura que assumem perante a competição, incluindo atletas que nunca tinha praticado desporto federado, nem sequer pensado em praticar triatlo, e que são atualmente elementos essenciais no grupo. «Vivemos todos as superações uns dos outros», conclui o treinador.

Liliana Veríssimo, do Núcleo do Sporting da Golegã, alcançou a primeira posição, conquistando o título de Campeã Nacional Individual de Triatlo Longo, com a marca de 07:21:25.

«Foi uma época bastante positiva com a conquista de objetivos e vários títulos a somar a este último de Campeã Nacional de Triatlo Longo». A meta de Liliana era lutar pelo pódio, tarefa que sabia que não iria ser fácil pelas variantes que podem surgir numa prova longa e pela participação de algumas atletas que tiveram grande evolução nesta época.

«O tempo ajudou, sem muito calor e vento, com uma saída da água na terceira posição, o que me surpreendeu, pois contava sair um pouco mais atrás.» A triatleta do Núcleo do Sporting da Golegã tentou recuperar logo nos primeiros quilómetros num percurso de ciclismo duro e desafiante, com algum vento o que a obrigou a gerir o esforço.

«Acabei por alcançar as primeiras atletas e chegar ao PT com alguma vantagem». Com a gestão na corrida Liliana venceu a competição terminado a época da melhor forma. «Parabéns a todos os que se propuseram a fazer e terminar esta prova durinha!»

Ana Lopes, do CNATRIL Triatlo, alcançou a segunda posição, com 07:38:16, e foi vice-campeã da distância. Hanna de Sousa, individual, ficou na terceira posição com 07:52:36.

Miguel Arraiolos, do Sport Lisboa e Benfica, foi o grande campeão naquela que foi a sua estreia na distância terminando com o tempo de 06:03:32. O atleta participou em modo de ‘descoberta’ numa prova onde já contava estar off-season.

«Este triatlo longo não estava nos meus objetivos, participei como um desafio, sem criar expetativas em relação ao ritmo e sensações». Arraiolos sabia que o seu ponto forte seria a natação, mas previa algumas dificuldades nos outros dois segmentos. «Acabei por me sentir bem, consegui fazer um segmento de ciclismo confortável e com força, mantendo a liderança até à corrida».

 Apesar de achar que iria quebrar, Miguel sentiu-se bem no último segmento e conseguiu andar com um bom ritmo e fazer a diferença. «Foi um dia bom, senti-me bem, sem ter realizado treino específico para uma prova com esta distância, já que habitualmente só participo em triatlos olímpicos e sprints».

Arraiolos sentiu algumas dificuldades mesmo no final da competição, mas como ia na liderança já com alguma vantagem geriu o esforço até alcançar a vitória. «O balanço da época não é positivo nem negativo, a qualificação olímpica não correu como esperava, mas alcancei bons resultados nacionais, vice-campeão na distância olímpica, campeão individual de longo, pelo que o próximo ano está ainda em aberto»!…


João Francisco Ferreira foi vice-campeão nacional com 06:06:35 e Sérgio Marques, do CNATRIL Triatlo, alcançou a terceira posição ao passar a meta em 06:12:57.

O Triatlo de Vilamoura incluiu igualmente o Olímpico Vilamoura Tritry, uma prova aberta a não federados disputada sem roda. O percurso incluiu 1500 metros de natação, 40km de ciclismo e 10km metros de corrida.

Esta prova, integrada no Algarve Tri Run Vilamoura-Quarteira 5.0., contou com uma organização da Câmara Municipal de Loulé e teve o apoio da Federação de Triatlo de Portugal, do Crowne Plaza Vilamoura e das associações locais.

Fonte: FTP

“Quatro novas “subidas épicas” para pedalar na Comunidade Viseu Dão Lafões”

Os novos percursos serão criados em quatro concelhos e estão inseridos no projeto "Bike Roads"
A Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões anunciou hoje que vai criar quatro circuitos de “subidas épicas” nos concelhos de S. Pedro do Sul, Castro Daire, Tondela e Vouzela.
Neste território encontram-se algumas das maiores montanhas de Portugal, “algumas delas servidas com uma rede de estradas de acesso aos seus pontos mais altos, com características que encaixam na perfeição nos critérios que definem as subidas épicas”, justifica a CIM.
As serras de S. Macário, Gralheira, Montemuro e Caramulo “são já nomes carismáticos na geografia montanhosa de Portugal e são também referências para quem gosta de desafios neste tipo de cenário”, sublinha.
O projeto integra as subidas S. Pedro do Sul – Alto da Coelheira, Ponte Pedrinha – Portas de Montemuro, Campo de Besteiros – Caramulinho e Vouzela – Adsamo.
Segundo a Comunidade, estes percursos cumprem os critérios das “subidas épicas”, que são uma distância igual ou superior a seis quilómetros, o término acima dos mil metros de altitude, uma diferença de cota igual ou superior a 500 metros, um declive médio igual ou superior a 04% e, pelo menos, 20% da distância com inclinação igual ou superior a 10%.
“Estes percursos fazem parte do projeto Bike Roads, que visa a promoção das estradas como produto turístico, tendo em vista a sua utilização na prática do ciclismo ou cicloturismo”, explica.
Esta dinâmica “surge como resposta ao crescimento de aficionados pela prática do ciclismo em todo o mundo, em especial do ciclismo de estrada”, acrescenta.
A CIM Viseu Dão Lafões considera que “a caracterização e implementação de sinalética informativa nas subidas mais carismáticas de Portugal é uma mais-valia para a valorização do país e dos territórios de montanha onde elas são implementadas como destino para este nicho do turismo desportivo ligado ao ciclismo”.
Esta aposta “segue um modelo amplamente implementado em zonas turísticas de montanha no estrangeiro”, afirma.
No entender do secretário executivo da CIM, Nuno Martinho, este projeto reforça a estratégia de turismo de natureza que este organismo “está a implementar no território, através da criação de um produto compósito de turismo de natureza que associa percursos pedestres com as grandes e pequenas rotas, as ecopistas, as subidas épicas e os centros de BTT e Trail”.

Fonte: Sapo on-line

“Márcio Barbosa e Ana Santos venceram o Ciclocrosse de Melgaço”

Os campeões nacionais de ciclocrosse, Márcio Barbosa (Aviludo-Louletano) e Ana Santos (Axpo/FirstBike Team/Vila do Conde), entraram a ganhar na Taça de Portugal vencendo em elites o Ciclocrosse de Melgaço. Na prova disputada no Complexo Desportivo e de Lazer / Centro de Estágios de Melgaço, Luís Ferreira (Individual) e Daniela Pereira (Saertex Portugal / Edaetech) conquistaram o título de Campeões do Minho de Ciclocrosse na categoria de elites.

Márcio Barbosa (Aviludo-Louletano) e Ana Santos (AXPO / FirstBike Team / Vila do Conde), foram os protagonistas da primeira prova da Taça de Portugal de Ciclocrosse, prova que se realizou num circuito criado para o efeito da área circundante do Centro de Estágios de Melgaço.

A primeira prova da Taça de Portugal de Ciclocrosse que, simultaneamente, atribuiu os títulos do Campeonato do Minho de Ciclocrosse - Discover Melgaço, ficou marcada pelo recorde de participações quer dos atletas nacionais - com a presença dos nomes mais sonantes do Ciclocrosse em Portugal - como de atletas oriundos da Galiza, que conferiram uma animação extra às corridas.

Na prova organizada conjuntamente pela Associação de Ciclismo do Minho, Melsport e Município de Melgaço, a luta pelos primeiros lugares das várias categorias foi grande e motivou fortes aplausos e palavras de incentivo por parte das muitas pessoas que se deslocaram a Melgaço para assistir à prova.

Márcio Barbosa (Aviludo-Louletano), Campeão Nacional de Ciclocrosse em título, apesar de ter ganho a corrida de elites, teve que se empenhar a fundo para levar de vencida Márcio Costa (AXPO/FirstBike/Vila do Conde) e Vítor Santos (Quinta das Arcas / Jetclass / Xarão).

Os três atletas seguiram ‘colados’ nas primeiras quatros das sete passagens pela meta, com a liderança a ser alternada durante o percurso. A pouco mais de duas voltas do final, Márcio Barbosa e Mário Costa atacaram e deixaram Vítor Santos para trás. Na última subida do trajeto, Márcio Barbosa desferiu um ataque decisivo, cortado a meta em primeiro lugar com a vantagem de 11 segundos para Márcio Costa, enquanto Vítor Santos terminou no terceiro posto.

Luís Ferreira (individual) conquistou o Campeonato do Minho de Ciclocrosse – Discover Melgaço, deixando na segunda posição o fafense Hélder Martins e Fábio Oliveira (Domarsa/CODE/Santa Cruz/Bicicastro) na terceira.

Na corrida de Elites Femininas, Ana Santos (AXPO / FirstBike Team / Vila do Conde) fez jus ao estatuto de Campeã Nacional de Ciclocrosse. Apesar de ser ainda júnior, a corredora da equipa vila-condense foi a mais forte entre a elite feminina, relegando Daniela Pereira (Saertex Portugal/Edaetech) para a segunda posição e Joana Monteiro (Axpo/FirstBike Team/Vila do Conde) para o terceiro. Nas contas do Campeonato do Minho de Ciclocrosse – Discover Melgaço, Daniela Pereira sagrou-se Campeã do Minho, enquanto Joana Monteiro terminou na segunda posição.

Em Sub-23, o vimaranense João Salgado (Rádio Popular - Boavista) venceu a primeira prova da Taça de Portugal e sagrou-se igualmente Campeão do Minho de Ciclocrosse. O também vimaranense Pedro Miguel Lopes (UD Oliveirense/InOutBuild) terminou a prova da Taça de Portugal em segundo, alcançando a mesma posição no Campeonato do Minho de Ciclocrosse – Discover Melgaço. Henrique Guimarães (ACDRRBTT/LROpticas/RJGroup) foi terceiro na classificação da Taça e João Azevedo (Tomatubikers / Toyota - Macedo & Macedo) subiu ao terceiro lugar do pódio do campeonato minhoto.

Em femininos, Rafaela Ramalho (Maiatos), impôs-se na primeira prova da Taça de Portugal, deixando a sua mais direta adversária, Jéssica Costa (Guilhabreu BTT), no segundo posto e Zaida Gonzalez (Clube Ciclista O Rosal) no terceiro.

João Cruz (AXPO / FirstBike Team / Vila do Conde) triunfou em Juniores, apesar de ainda pertencer ao escalão de cadetes, sucedendo-se na classificação André Rocha (ACDRRBTT/LROpticas/RJGroup) e João Silva (Guilhabreu BTT).

Nas contas do Campeonato do Minho de Ciclocrosse – Discover Melgaço, João Cruz, jovem ciclista de Viana do Castelo, vestiu a Camisola de Campeão do Minho, enquanto Lucas Braga (Seissa | KTM-Bikeseven | Matias&Araújo | Frulact) foi segundo e o seu colega de equipa João Serra o terceiro.

Tomás Mota (ACD Milharado/DriveonHolidays/Mafra) foi o mais rápido em Cadetes, deixando na segunda posição André Martinez (Avanza AD) e Tomás Carvalho (Seissa | KTM-Bikeseven | Matias&Araújo | Frulact) na terceira. Tomás Carvalho sagrou-se Campeão do Minho, sendo acompanhado no pódio pelos seus colegas de equipa Diogo Carreiras e João Martins.

Mariana Líbano (Maiatos) impôs o seu ritmo e acabou por vencer com relativa facilidade a corrida feminina de cadetes. Na segunda posição ficou Vânia Rodrigues (CC Pontearas), enquanto Lucia Torres (CC Teis) terminou em terceiro. Catarina Lopes (Batotas / Ponte de Lima) sagrou-se Campeã do Minho.

Na prova de Juvenis, Paulo Fernandes (Seissa | KTM-Bikeseven | Matias&Araújo | Frulact) foi o mais forte, deixando na segunda posição Haritz Serrano (Avanza AD), enquanto Diogo Miranda (Seissa | KTM-Bikeseven | Matias&Araújo | Frulact) foi terceiro. Paulo Fernandes sagrou-se Campeão do Minho, Diogo Miranda terminou em segundo e Gonçalo Silva (BTT Braguinhas/Padim da Graça) em terceiro.

Nas categorias de veteranos destacaram-se os masters 30 Michel Machado (Vasconha BTT Vouzela) e Montserrat Martínez (Ciclismo Oirense), os masters 40 Rogério Matos (Rompe Trilhos/AJPCar) e Estela Lago (Bike O Facho), o master 50 António Sousa e o master 60 Joaquim Pinto (Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel). Em Melgaço sagraram-se Campeões do Minho de Ciclocrosse de veteranos Joaquim Silva (Individual) em masters 30, Eduardo Fontes (Rodabike / ACRG / Gondomar) em masters 40 e Rodolfo Lopes (AXPO / FirstBike Team / Vila do Conde) em masters 50.


José Adriano Lima (Vereador do Desporto da Câmara Municipal de Melgaço)

José Adriano Lima, vereador do Desporto da Câmara Municipal de Melgaço, considera “ganha a aposta no Ciclocrosse” e que existe um grande potencial de crescimento.

“Desde que começamos a receber as provas de Ciclocrosse consideramos que havia um grande potencial de crescimento, também devido à nossa proximidade com a Galiza. Com o decorrer dos anos temos constatado que, efetivamente, esta vertente do ciclismo tem muito por onde crescer e a prova disso é o recorde de inscrições e participações que tivemos aqui nesta primeira prova da época de ciclocrosse”, referiu o autarca.

José Adriano Lima recordou que Melgaço recebe por ano “vários eventos ligados ao ciclismo, graças às parcerias que tem com a Associação de Ciclismo do Minho e com a Federação Portuguesa de Ciclismo”. “São eventos que trazem retorno e um impacto económico muito importante para Melgaço e para os seus comerciantes, tanto nos dias das provas, como depois, na medida em que os atletas regressam mais tarde para treinar, para realizar um estágio ou simplesmente passar um dia diferente”, afirmou o Vereador do Desporto de Melgaço salientando que o Centro de Estágio de Melgaço, que começou por ser um centro mais destinada a modalidades como o futebol, basquetebol e andebol, “hoje em dia recebe a visita de equipas e atletas de várias outras modalidades, não só para fazer uso do centro de estágios, mas de toda a área circundante, que tem umas excelentes condições para os ditos desportos de natureza”.


Pedro Vigário (Selecionador Nacional de BTT e Ciclocrosse)

Pedro Vigário, selecionador nacional de BTT e Ciclocrosse, marcou presença em Melgaço e gostou do que viu: “foi uma boa prova, bem organizada, como já é habitual, com muitos atletas de qualidade e a presença de muitos jovens, o que é importante e nos leva a acreditar que a modalidade tem futuro”.

Quanto à possibilidade de Portugal ter valores para brilhar nas competições internacionais. Pedro Vigário referiu que “o que temos visto é que há um lote alargado de atletas que estão a surgir e com grande potencial, mas o futuro é que dirá o que poderemos fazer”.


Márcio Barbosa

Márcio Barbosa (Aviludo-Louletano) chegou a Melgaço com a Camisola de Campeão Nacional de Ciclocrosse mas teve que se empenhar a fundo para vencer a primeira prova de Taça de Portugal.

“Vinha com a intenção de lutar por um lugar do pódio, consegui vencer, o que foi muito bom”, disse o atleta garantindo que “foi uma boa corrida, mas nada fácil. Eu, o Mário e o Vítor andamos juntos durante as primeiras voltas. A cerca de duas voltas para o fim eu e o Mário atacamos e encostamos o Vítor, na última subida ataquei e isso fez toda a diferença para vencer esta prova”.

O ciclista profissional fez questão de salientar que “o circuito está muito bem conseguido, é mais curto que o ano passado e isso tornou-o mais rápido. De resto, é um circuito com excelentes condições, bem tratado”.


Ana Santos

A atleta júnior da equipa AXPO/FirstBike Team/Vila do Conde, Ana Santos, tem optado por competir na categoria de elites e triunfou no Ciclocrosse de Melgaço. “Ganhar é sempre um objetivo mas, acima de tudo, vim para me divertir, não vim obcecada para ganhar até porque é a primeira prova da época e ainda estou numa fase de preparação”.

“O ciclocrosse é uma vertente que gosto muito, agrada-me imenso, divirto-me muito e ajuda-me a preparar - quer técnica, quer fisicamente - para a época que se aproxima. O meu objetivo no ciclocrosse é vencer a Taça de Portugal e o Campeonato Nacional mas quero-me, sobretudo, divertir e preparar convenientemente a época de BTT XCO, pois é por aí que passam os meus objetivos para 2020”, explicou a jovem atleta.


Juan Carlos Muñiz (Presidente da Federacion Galega de Ciclismo)

Juan Carlos Muñiz, presidente da Federacion Galega de Ciclismo, marcou presença em Melgaço - tendo, inclusive, participado na prova de Master 40 - tendo elogiado a organização e manifestado o desejo de aprofundamento das relações Minho-Galaicas.

“Foi uma excelente prova e estava muito bem organizada. Fiquei encantado”, afirmou o dirigente federativo galego explicando que “o trajeto estava bem definido, limpo, as zonas de apoio e serviços muito bem conseguidas, tudo perfeito. Não há nada a apontar e felicito a organização”.

Juan Carlos Muñiz expressou ainda a satisfação pelo acordo com a Associação de Ciclismo do Minho e a Federação Portuguesa de Ciclismo quanto à concertação de datas com as provas da Galiza, considerando que “foi uma medida muito bem pensada” que “beneficia todos”.

“Aproveitando a proximidade entre os dois locais (Minho e Galiza), esta colaboração no desporto é benéfica, pois permite que os atletas participem tanto nas provas da Associação de Ciclismo do Minho como na Galiza”, destacou Juan Carlos Muñiz garantindo que “o acordo é para continuar” e que se pretende “alargar a outras vertentes, entre as quais, o Cross Country Olímpico, Maratonas e Escolas de Ciclismo”.


Melgaço Sports Center (Complexo Desportivo e de Lazer / Centro de Estágios de Melgaço)

O Melgaço Sports Center (Complexo Desportivo e de Lazer / Centro de Estágios de Melgaço) onde foi disputada a primeira prova da Taça de Portugal de Ciclocrosse e o Campeonato do Minho de Ciclocrosse – Discover Melgaço é um espaço idealizado e construído de forma a oferecer um serviço de elevada qualidade, com equipamentos adjacentes que visam a atividade desportiva, tanto na vertente lúdica como na vertente competitiva ao mais alto nível.

O complexo, centro de treinos oficializado pela UEFA, constitui-se como um pólo dinamizador do desenvolvimento do desporto, lazer e turismo na região e posiciona-se como um dos mais modernos, melhor equipados e mais completos complexos desportivos.

Divide-se em duas grandes áreas. A primeira é a área de lazer, com diversos equipamentos que permitem a prática do desporto de manutenção e equipamentos destinados a atividades lúdicas e culturais.

A segunda grande área é destinada ao desporto de alta competição. Está servida por infraestruturas capazes de acolher diversas modalidades, tanto para competição como para treino. É nesta área que se situa o Centro de Estágios, dotado de um conjunto de equipamentos próprios, disponibilizados em exclusivo aos clubes em estágio. É composto por estádio de futebol, pista de atletismo, campo de treinos, balneários, clube saúde, ginásio de manutenção, salas de tratamentos e massagem, entre outros.

Estes equipamentos encontram-se vedados ao exterior, mas interligados entre si, visando oferecer as condições necessárias a um melhor estágio, em segurança, tranquilidade e com privacidade.


Melgaço: o destino de natureza mais radical de Portugal

Afirmar Melgaço como ‘O destino de natureza mais radical de Portugal’ é a estratégia que o Município tem vindo a promover desde o início de 2018, no âmbito do Plano Estratégico e de Marketing para o Turismo, sob a designação ‘Discover Melgaço’. A aposta em diversos eventos, de diferentes modalidades, o incentivo à prática desportiva, a manutenção e melhoria dos diversos espaços, aliadas às ótimas condições de que o concelho dispõe, têm sido prioridades.

Melgaço centra-se numa imagem de natureza ativa, associada à tendência crescente de uma sociedade cada vez mais ativa, mais jovem, com um conceito de luxo associado a isolamento positivo, autenticidade e a ambientes naturais.

“Melgaço é um destino de natureza por excelência. As caraterísticas geográficas e geológicas concedem-nos uma posição de destaque e permite que se pratiquem os desportos de rio e montanha mais exigentes, durante todo o ano. Aqui, vive-se adrenalina, com segurança e de braços dados com a natureza! Estamos situados na Área Protegida mais importante de Portugal, o PNPG – Parque Nacional Peneda Gerês, consagrado pela UNESCO Reserva Mundial da Biosfera”, recorda o Presidente da Câmara Municipal de Melgaço, Manoel Batista, realçando que em Melgaço “temos tudo para se viver momentos fantásticos, sejam eles gastronómicos, radicais, em volta da natureza e mesmo da cultura e património. Temos uma deliciosa gastronomia. Um Alvarinho único! E a nossa deslumbrante paisagem concede-nos uma posição de destaque. Não apenas pela sua grandiosidade e pelo facto de constituir um valioso testemunho dos hábitos e culturas das suas gentes, mas também pela sua riqueza ecológica”.

Fonte: ACM