terça-feira, 1 de agosto de 2017

“Caleb Ewan vence quarta etapa da Volta à Polónia”

Australiano impõe-se no sprint e Peter Sagan reforça liderança ao ser terceiro

Foto: EPA

O australiano Caleb Ewan (Orica-Scott) venceu esta terça-feira ao 'sprint' a quarta etapa da Volta à Polónia, entre Zawierce e Zabrze, com o eslovaco Peter Sagan (Bora-Hansgrohe), terceiro na tirada de hoje, a reforçar a liderança da geral.

Ewan cumpriu os 238 quilómetros da etapa em 5:38.49 horas, batendo Danny Van Poppel (Sky) e Peter Sagan, que aproveitou os quatro segundos de bonificação do terceiro lugar para ampliar para 10 segundos a vantagem sobre o belga Dylan Teuns (BMC) na geral.

Numa etapa longa e plana, sem grandes percalços para o pelotão, o maior destaque aconteceu a 13 quilómetros do fim, quando o francês Rémi Cavagna tentou a sua sorte ao fugir do pelotão, mas foi alcançado a quatro quilómetros do fim, quando os comboios dos 'sprinters' se formavam para a chegada.

Nos últimos 600 metros, fez a diferença o trabalho do campeão esloveno Luka Mezgec, que lançou Ewan para a vitória final, à frente de Van Poppel, que foi terceiro no primeiro dia, segundo no domingo e hoje voltou a entrar no pódio.

Num dia sem grandes mexidas nas posições da geral individual, Rui Costa (UAE Emirates) continua a ser o melhor posicionado entre os portugueses, no 14.º lugar, a 38 segundos de Sagan, depois de hoje ter sido 42.º na etapa, com o mesmo tempo do vencedor.

Nelson Oliveira (Movistar) é 20.º a 58 segundos, depois de hoje ter terminado na 66.ª posição, enquanto José Gonçalves (Katusha Alpecin) foi 49.º e subiu para o 80.º posto, a mais de 13 minutos do camisola amarela.

Na quarta-feira, a quarta etapa é curta, de 130 quilómetros, entre Nagawczyna e Rzeszow, mas o perfil montanhoso colocará à prova a liderança de Sagan, que já venceu a corrida em 2011, e os restantes candidatos à geral.

Fonte: Record on-line

“Espanhol Mikel Landa é o primeiro líder da Volta a Burgos”

Ciclista da Sky continua em bom momento de forma

Por: Lusa

Foto: EPA

O espanhol Mikel Landa (Sky) venceu esta terça-feira a primeira etapa da Volta a Burgos em bicicleta, tornando-se no primeiro líder da prova espanhola.

O basco, que foi quarto na Volta a França, cumpriu os 151 quilómetros em Burgos em 03:25.58 horas, dois segundos a menos do que o russo Sergei Chernetski (Astana) e três do que o francês Julian Alaphilippe (Quick-Step Floors).

O ciclista de 27 anos continua em bom momento de forma, depois do bom resultado no 'Tour' e de ter sido quinto na Clássica San Sebastián, no último sábado.

A corrida ficou decidida nos últimos 10 quilómetros, que incluíam uma subida final antes da meta, depois da fuga, que chegou a ter sido 14 elementos, a ser apanhada a 22 quilómetros do fim, quando as equipas com aspirações à geral individual se preparavam já para um final técnico, com curvas apertadas, estradas estreitas e o aumento da inclinação.

Landa, o grande favorito à vitória, foi o primeiro a acelerar, seguido de Chernetski e de Matteo Trentin (Quick-Step Floors), que eventualmente perderia o 'gás', com Alaphilippe a juntar-se mais tarde para completar os ciclistas que terminaram no pódio.

Vilela é o único português

Ricardo Vilela (Manzana Postobon), o único português em prova, terminou a tirada inaugural no 41.º posto, a 18 segundos de Landa.

Na quarta-feira, os ciclistas percorrem 153 quilómetros entre Oña e Belorado, num dia com apenas uma contagem de montanha, ao fim de 25 quilómetros.

Fonte: Record on-line

“Campeonato da Europa de Estrada”

Portugal inicia Europeu com cinco corredores nos contrarrelógios

A Equipa Portugal abre a participação no Campeonato da Europa de Estrada, em Herning, Dinamarca, com a participação nos contrarrelógios masculinos de juniores, nesta quarta-feira, e de sub-23 e de elite, no dia seguinte.

Os cinco corredores que vão representar Portugal nas provas individuais são Rafael Reis e Tiago Machado, em elite, Gaspar Gonçalves, em sub-23, Pedro José Lopes e Pedro Miguel Lopes, em juniores.

O quinteto chegou ontem à Dinamarca e hoje foi hoje reconhecer os percursos dos contrarrelógios, verificando que são provas em estradas de boa qualidade, planas e sem muitos setores técnicos.

O primeiro contrarrelógio com presença lusa é o de juniores masculinos, amanhã, a partir das 11h45 (hora portuguesa). “É um contrarrelógio plano, que será muito rápido. Além disso, é uma prova muito extensa. Nunca fiz um contrarrelógio tão longo, mas espero fazer um bom lugar, o que passaria por um top 25”, afirma Pedro José Lopes, referindo-se aos 31,5 quilómetros de luta contra o tempo, a mesma distância que percorrerão os sub-23.

Pedro Miguel Lopes também destaca a grande distância da prova, referindo “ser necessário gerir de forma muito consciente as forças ao longo de todo o contrarrelógio. Vou dar o meu melhor”, afiança o vimaranense.

Na quinta-feira a Equipa Portugal terá três corredores em competição. Gaspar Gonçalves vai disputar o “crono” de sub-23, que tem início às 11h15 (hora portuguesa). “O percurso não é tão fácil como se poderia pensar, mas, para as minhas caraterísticas, seria melhor se tivesse algumas subidas longas, de forma a torná-lo mais duro. Apesar disso vou dar o meu melhor”, garante Gaspar Gonçalves, que, há dois anos, conseguiu a 18.ª posição no Europeu sub-23 de contrarrelógio.

Também na quinta-feira entram em liça os dois representantes portugueses no contrarrelógio de elite, Tiago Machado e Rafael Reis. A prova de 46 quilómetros inicia-se às 14h00 (hora portuguesa), mas a ordem de saída deverá ser conhecida apenas hoje ao início da noite, tal como acontece com as restantes categorias.

“Vamos lutar pelas posições cimeiras. Tive um mês de julho muito cansativo, mas conto recuperar até ao dia da prova e dar boas referências ao Rafael, porque é um percurso que se enquadra melhor nas caraterísticas dele. Com um ou outro topo mais seletivo também seria muito bom para mim, porque tem longas retas e não é muito técnico, o que já me deixa contente, porque geralmente perco tempo nas partes técnicas”, explica Tiago Machado.

“O percurso é bom. Tem partes planas que exigem imensa concentração, porque são retas muito longas. Faz-se duro por ser um contrarrelógio com 46 quilómetros, mas se não houver muito vento as coisas podem correr bem. Chego com expectativa, porque fiz um bom trabalho no último mês. Espero que tudo me corra de feição. Entrar nos dez primeiros seria um bom resultado para mim”, confessa Rafael Reis.

A lista de pré-inscritos do contrarrelógio de elite conta com especialistas de referência, como é o caso de Matthias Brändle (Áustria), Victor Campenaerts (Bélgica), Jan Bárta (República Checa), Rasmus Quaade (Dinamarca), Ryan Mullen (Irlanda), Filippo Ganna (Itália), Jos van Emden (Holanda), Maciej Bodnar (Polónia), Jonathan Castroviejo e Luis León Sánchez (Espanha), Tobias Ludvigsson (Suécia) ou Stefan Kung (Suíça).

Fonte: FPC

“Volta Portugal/Mario González rende Joni Brandão na Volta”

Sporting-Tavira definiu equipa para a prova rainha, que começa sexta-feira em Lisboa

Foto: SPC Tavira

Ciclistas de três nacionalidades compõem o efetivo do Sporting-Tavira para a 90ª edição da Volta a Portugal, que vai para a estrada na sexta-feira, com a realização do prólogo em Lisboa. O último atleta a ser confirmado na equipa foi o espanhol Mario González, para render Joni Brandão, que na semana passada foi dado como inapto para participar na corrida devido a problemas de saúde, não especificados.

Com a ausência do 2º classificado em 2015 e 5º no ano passado, os planos do Sporting-Tavira alteraram-se um pouco, com o italiano Rinaldo Nocentini e o galego Alejandro Marque a ganharem, eles, estatuto de primeiras apostas, quando antes surgiam mais numa segunda linha. Nocentini cumpre a segunda época na equipa, tendo sido 21º na Volta de 2016 – foi mesmo o melhor dos leões –, enquanto Marque, já vencedor da prova em 2013, surge como reforço, depois de na época passada ter competido pela extinta LA-Antarte.

Outras apostas

O Sporting-Tavira vai tentar, não só lutar pela camisola amarela, como estar em destaque noutros planos, como nas chegadas em pelotão. Aqui, a aposta será em Fabio Silvestre, que também é uma das caras novas da equipa, vindo do estrangeiro (Leopard).

De leão ao peito na Volta a Portugal vai estar ainda aquele que deu à equipa a única vitória na edição transata: o espanhol Jesus Ezquerra, que venceu a 8ª etapa, na chegada a Arruda dos Vinhos. O efetivo completa-se com Valter Pereira, Frederico Figueiredo e Luís Fernandes.

Fonte: Record on-line

“Volta a Portugal/Equipas Participantes na 79ª Volta a Portugal Santander Totta”

Os Últimos Vencedores

No ano passado, a vitória de Rui Vinhas (W52/FC Porto) quebrou, novamente, a hegemonia espanhola: cinco anos depois do triunfo do algarvio Ricardo Mestre com as cores do Tavira-Prio, o vencedor da maior competição do ciclismo em Portugal. Camisola Amarela desde a terceira etapa, o corredor, natural de Sobrado-Valongo, foi o segundo português a inscrever o nome no troféu na última década.
 

2007   Xavier Tondo (Maia)          

2008   David Blanco (Tavira)       

2009   David Blanco (Tavira)       

2010   David Blanco (Palmeiras Resort)

2011   Ricardo Mestre (Tavira-Prio)        

2012   David Blanco (Efapel-Glassdrive)          

2013   Alejandro Marque (OFM/Quinta da Lixa)          

2014   Gustavo Veloso (OFM/Quinta da Lixa)  

2015 Gustavo Veloso (W52/Quinta da Lixa)

2016 Rui Vinhas (W52-FC Porto)

Fonte: Podium

“Volta Portugal/Volta pedala números impressionantes no verão português”

Impacto financeiro mediático vale 84,5 milhões de euros

A 79ª Volta a Portugal em Bicicleta Santander Totta está quase a começar. Durante duas semanas, de 4 a 15 de agosto, o país não fica indiferente ao maior acontecimento desportivo e social do verão português com um impacto mediático que continua, ano após ano, a crescer.

A Cision, uma das maiores e mais reputadas empresas de análise e avaliação de dados na comunicação social, avalia o impacto financeiro mediático da Volta Portugal em 84,5 milhões de euros. Esta informação é baseada na edição de 2016 e na presença do evento nos diferentes órgãos de informação. O estudo revela ainda que houve um aumento de 25% face a 2015. Os números surpreendem quando comparados com o valor do investimento efetivo de apenas 4,3 milhões de euros em publicidade.

Em média 76% da população portuguesa vai estar exposta, nos próximos dias, à Volta a Portugal Santander Totta tendo em conta números do ano passado que se traduzem em 87,1 milhões de contactos com o evento.

Mesmo antes do início da prova já estão acreditados 58 orgãos de comunicação resultando num total de 200 profissionais no terreno, onde se inclui a RTP, televisão oficial da Volta a Portugal Santander Totta. Ao longo de duas semanas cerca de 60 mil pessoas, diretamente, vão seguir a maior prova nacional nas redes sociais.

A edição que assinala os 90 anos da competição, organizada a primeira vez, em 1927, vai partir de Lisboa e terminará em Viseu, a 15 de agosto. Em prémios financeiros diretos para os ciclistas, a Podium Events vai distribuir 126.454,50€.

Fonte: Podium