segunda-feira, 23 de outubro de 2017

“João Fragoso vence Ibericman”

João Fragoso foi o grande vencedor do Ibericman, Campeonato Ibérico de Triatlo de Longa Distância, que se disputou no sábado, dia 21 de Outubro, e que reuniu mais de quatro centenas de triatletas provenientes de toda a Europa. O português partilhou o pódio com mais dois triatletas lusos que provaram a enorme qualidade do Triatlo Longo em Portugal. Jose Maria Vic, atleta espanhola, foi a vencedora da competição feminina.

A competição que levou triatletas a percorrer a região do Algarve e a província espanhola de Huelva foi palco de disputa do Campeonato Ibérico Triatlo Longa e de Média distância. Com partida assinalada na praia de Montegordo, os triatletas que aceitaram o desafio de 3,9km de natação, seguidos de 170km de ciclismo e de 42 km de corrida iniciaram a prova de olhos postos não só no título ibérico como no desafio único de competir nos dois países que representam a união peninsular.

João Fragoso viria a ser o homem mais forte da competição masculina de longa distância. Vindo de trás desempenhou enorme recuperação no último setor da competição e ultrapassou o espanhol Juan Francisco Fernandez, até então líder da prova e atleta mais rápido nos segmentos de natação e ciclismo. Igualmente com uma boa prestação no último momento da prova esteve Rafael Delaunay Gomes, vencedor em 2014, cortando a meta na segunda posição. Rui Costa, foi terceiro classificado e completou o pódio masculino, somando a terceira medalha para Portugal na principal prova do evento.

Nas mulheres a vitória foi para a triatleta espanhola Jose Maria Vic. Com uma vantagem de vinte minutos superou a melhor triatleta lusa em competição e levou para o seu país o título Ibérico de Longa Distância. A portuguesa Ana Vieira Lopes foi segunda classificada e a sueca Marie Sandberg completou o pódio feminino na terceira posição.

Também na competição de média distância houve mérito de triatletas lusos. Na prova masculina Nelson Palma conquistou o bronze e foi superado apenas pela dupla de espanhóis Gonzalo Orozco e Julio Peña. Na feminina foi Ana Filipa quem brilhou ao cortar a meta em primeiro lugar. Liliana Veríssimo, portuguesa, foi segunda classificada e a triatleta luxemburguesa Susanne Gutjahr terminou a prova na terceira posição.

O Ibericman foi uma organização do Club Deportivo Iberman que contou com o apoio técnico da Federação de Triatlo de Portugal, da Federação Espanhola de Triatlo e da Federação de Triatlo da Andaluzia e com o apoio logístico das Câmaras Municipais de Vila Real de Santo António, Castro Marim, Alcoutim e Mértola e da Província de Huelva. Culminando num evento que completou a sua quinta edição e que levou quatrocentos atletas a participar num belo momento de união e de partilha de gosto pela modalidade que se traduziu num dos melhores ambientes competitivos de 2017.

Fonte: FTP

“Vuelta de 2018 arranca em Málaga”

Contrarrelógio a 25 de agosto

Por: Lusa

A Volta a Espanha de 2018 vai arrancar de Málaga, a 25 de agosto, com um contrarrelógio que percorrerá cerca de dez quilómetros entre o Centro Pompidou da cidade andaluza e a rua Larios, onde estará instalada a meta.

O anúncio foi feito pelo diretor da Vuelta, Javier Guillén, num ato no Centre Pompidou de Paris, no qual esteve acompanhado pelo presidente da Câmara de Málaga, Francisco de la Torre, pelo presidente da Deputação de Málaga, Elías Bendodo, e pelos presidentes do Pompidou de Paris, Serge Lasvignes, e do de Málaga, José María de Luna.

De la Torre explicou que essa primeira etapa será de "dez quilómetros de prazer" para o público que assistir ao exercício, cujo final está previsto para as 20:30 horas (19:30 em Portugal continental), como é usual na primeira etapa da Vuelta, que, nos últimos nove anos, arrancou sempre com um contrarrelógio por equipas.

Elías Bendodo revelou ainda que Málaga acolherá quatro partidas de etapas na próxima edição da prova espanhola.

Guillén e os responsáveis institucionais da cidade e província andaluza explicaram que, nesse início de Vuelta, querem aproveitar "a fotogenia" de Málaga e "a imagem forte" que projetam localidades como "Ronda, Estepona, Marbelha ou Antequera".

Para a primeira etapa, "a mais importante da Vuelta", o diretor da prova quer reservar "o Centro Pompidou, a praia, o centro histórico e a meta na rua Larios, um dos sítios icónicos de Málaga, de Espanha e da Europa".

"E também queremos que seja a etapa dos museus e aproveitar essa Málaga romana e ancestral. A Unipublic [a entidade organizadora] quer aproveitar esses cenários, porque o ciclismo é dos poucos desportos que pode mostrar o território", concluiu, defendendo que o início no Centro Pompidou permite conotar a Vuelta com a modernidade.

No 'menu' da passagem por Málaga deverá estar, quase de certeza, a subida ao Caminito del Rey, uma ascensão de 7,3 quilómetros com uma pendente média de 5,5% e rampas com um desnível de 15%.

Fonte: Record on-line