segunda-feira, 19 de junho de 2017

“Reportagem no “Jornal de Ciclismo” do evento: “18º Convívio Associação Pescadores Musgueira.2017”

OJornal de Ciclismo”, publicou a reportagem do evento: “18º Convívio Associação Pescadores Musgueira.2017” realizada este domingo em Lisboa, a mesma pode ser visualizada em: http://jornalciclismo.com/?p=45341 do evento: do evento: ou em: http://jornalciclismo.com/ onde pode ainda visualizar outras notícias.

“EFAPEL vence GP ABIMOTA por equipas”

Formação de Ovar garante triunfo colectivo na última etapa

Nova corrida, novo triunfo. Depois da vitória de Jesus del Pino no Grande Prémio Internacional das Beiras e da Serra da Estrela, agora a EFAPEL assegurou o triunfo na classificação colectiva do Grande Prémio ABIMOTA.

Numa prova realizada durante quatro dias debaixo de temperaturas altíssimas, os comandados por Américo Silva voltaram a mostrar o que caracteriza o espírito do conjunto. O trabalho de equipa realizado por todos os elementos, desde os corredores aos técnicos, resultou em mais uma vitória, enquanto a nível individual o triunfo foi para Vicente de Mateos (Louletano/Hospital de Loulé).

Na última etapa, o pelotão pedalou mais de 175 quilómetros entre Gouveia e Águeda, localidade que recebeu a festa final desta prova que se realizou pela 38ª vez. Os oito ciclistas da EFAPEL sabiam que tinham uma vantagem superior a sete minutos para gerir e garantir o triunfo colectivo. Foi isso mesmo que aconteceu. Num dia em que houve uma chegada ao sprint ganho por Fábio Silvestre (Sporting/Tavira), Rafael Silva foi o melhor elemento da estrutura ovarense ao cruzar a meta no oitavo posto.

“O Grande Prémio ABIMOTA correu-nos bem. Entrámos numa fase em que já a preparação para a Volta a Portugal é muito importante. Fizemos um excelente trabalho a esse nível e selar isso com o triunfo colectivo é bastante bom. Hoje foi um dia complicado. Não é fácil ir para a estrada depois de sabermos o que está a acontecer na zona de Pedrógão Grande. Os nossos corações estão com todos os que sofrem com este desastre e com os incansáveis heróis que combatem os incêndios”, afirmou o director desportivo da EFAPEL, Américo Silva.

Concluído o 38º Grande Prémio ABIMOTA, os ciclistas da EFAPEL voltam à estrada no próximo fim-de-semana para disputar os campeonatos nacionais.

Classificação na quarta etapa

    Fábio Silvestre            Sporting/Tavira        4h12m20s

    César Fonte                LA Alum./Metalusa/Blackjack    mt

    Luís Mendonça            Louletano/Hospital de Loulé    mt


    Rafael Silva                EFAPEL             mt

23º    Jesus del Pino            EFAPEL            mt

33º    Sérgio Paulinho            EFAPEL            a 7s

50º    Mateo Garcia                EFAPEL             a 26s

54º    Bruno Silva                EFAPEL             a 54s

56º    Álvaro Trueba            EFAPEL            a 2m11s

Classificação geral individual

    Vicente de Mateos            Louletano/Hospital de Loulé    15h37m29s

    Filipe Cardoso                RP/Boavista            a 1m18s

    César Fonte                LA Alum./Metalusa/Blackjack    a 1m21s


    Jesus del Pino            EFAPEL            a 1m39s

10º    Rafael Silva                EFAPEL             a 4m36s

12º    Sérgio Paulinho            EFAPEL            a 5m37s

19º    Bruno Silva                EFAPEL             a 10m30s

25º    Mateo Garcia                EFAPEL             a 14m11s

51º    Álvaro Trueba            EFAPEL            a 42m25s

Fonte: Efapel

“38.ª Edição do Grande Prémio ABIMOTA”

Águeda aclama vitória de Fábio Silvestre e Vicente de Mateos no 38.º Grande Prémio ABIMOTA

Por: Marta Varandas

Fotos: João Fonseca

O português Fábio Silvestre (Sporting-Tavira) conquistou a primeira vitória da temporada ao vencer a 4.ª e última etapa do 38.º Grande Prémio ABIMOTA, que terminou em Águeda, após 176,4 km que uniram Gouveia à Capital Nacional das Duas Rodas. Mas o grande triunfo da 38.ª edição da prova pertence a Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé), que vestiu a camisola amarela logo na tirada inaugural e defendeu a vantagem que alcançou, de mais de um minuto, até ao último quilómetro da competição.

Com uma única meta de montanha de terceira categoria, a última etapa da prova teve como maior dificuldade as temperaturas elevadas, que acompanharam o Grande Prémio ABIMOTA deste a etapa inaugural, mas desta vez agravadas pelo ar sufocante que se respirava em Gouveia, no seguimento dos incêndios que deflagram pelo país. No caso da tragédia de Pedrógão Grande, antes da partida, toda a caravana ciclista uniu-se num gesto de solidariedade para fazer um minuto de silêncio em homenagem às 61 vítimas mortais deste fogo (número confirmado até ao envio deste Press Release).

A tirada acabaria por ser decidida ao sprint Fábio Silvestre conseguiu afirmar-se perante o seu adversário César Fonte (LA Alumínios-Metalusa-Blackjack), que tinha ganho a etapa no dia anterior e Luís Mendonça (Louletano-Hospital de Loulé), que ficaram em segundo e terceiro lugares, respetivamente.

O vencedor da última etapa, que só tinha conseguido um terceiro lugar no início da época, “rematou a vitória”, motivado pela equipa. “Para o Sporting-Tavira esta vitória é muito importante”, afirmou. “A parte inicial da corrida, nos primeiros 70 km e a Serra de Penacova foi muito dura para mim, mas tentei defender-me para chegar nas melhores condições e consegui”, rematou o sprinter.

Quem começou a competição na liderança e não mais saiu dos primeiros lugares da classificação geral, defendendo sempre a camisola amarela, foi Vicente de Mateos. Contas feitas, o espanhol acabaria a prova com a vantagem de 1’18’’ sobre Filipe Cardoso (Rádio Popular-Boavista) e de 1’21’’ sobre César Fonte, corredores que o acompanharam no pódio, ao ficar em segundo e terceiro lugares na tabela geral.

“Foi muito difícil controlar as quatro etapas, as equipas atacaram, mas no final a LouletanoHospital de Loulé e eu conseguimos defender a camisola, que conquistámos na quinta-feira”, disse Vicente García de Mateos, que chegou forte e confiante ao Grande Prémio ABIMOTA.

Nas restantes classificações, o camisola amarela venceu ainda a camisola dos pontos, Guillaume Almeida (LA Alumínios-Metalusa-Blackjack) conquistou a camisola da meta montanha, Angel Reboilido (W52-FC Porto), que venceu a 2.ª etapa, ganhou a camisola das metas volantes e o seu companheiro de equipa, Joaquim Silva, venceu a geral meta autarquias.

Nos mais jovens, Hugo Nunes (Miranda-Mortágua) conseguiu duas camisolas: da juventude e de melhor corredor de equipa de clube, o que o deixou muito satisfeito com a conquista: “Já ganhei a Juventude em 2015 aqui, no ABIMOTA, e agora estou a repetir este ano. Contudo, desta vez tem um sabor especial, porque é o meu terceiro ano Sub-23 e convém ganhar corridas na minha classe”, confidenciou. “O meu objetivo era só a camisola branca, mas a vermelha veio e ainda bem. Estou muito contente e para os objetivos que aí vêm – o Nacional e a Volta –, estas conquistas só me motivam”.

Sobre a geral de equipas coube à EFAPEL triunfar na edição de 2017 do Grande Prémio

ABIMOTA, seguindo-se a W52-FC Porto e em terceiro lugar a Rádio Popular-Boavista.

Como balanço, o diretor da prova, Vital Almeida, frisou que mais uma vez o Grande Prémio ABIMOTA “dignificou o ciclismo e o objetivo principal, correu tudo bem. Houve competição até ao fim, apareceram na nossa prova corredores Sub-23 que foram vencedores de camisolas, o que só vem demonstrar que temos aqui juventude para dar seguimento”, destacou.

Já o presidente da Direção, João Miranda, também muito satisfeito no final de mais uma edição do Grande Prémio ABIMOTA, referiu que tudo correu como esperado, “com mais adesão do público e uma maior divulgação na comunicação social, o que nos permitiu chegar a mais pessoas. Para o ano vamos tentar fazer crescer ainda mais a prova, dando-lhe maior relevância no nosso país”. Por seu turno, para o secretário-geral, João Medeiros, também o balanço foi muito positivo: “Tirando as quedas do primeiro dia e o calor intenso, que reduziram o pelotão a 90 corredores, foi muito bom”. Sobre a próxima edição, revelou que “já haverá garantia do apoio de alguns municípios por onde passou o ABIMOTA este ano, o que é um excelente sinal”.

ÁGUEDA RECEBE TAMBÉM A 5.ª PROVA DA TAÇA DE PORTUGAL DE PARACICLISMO

A Capital Nacional das Duas Rodas recebeu também a 5.ª prova da Taça de Portugal de

Paraciclismo, corrida para ciclistas com deficiência, que disputou nove categorias. Subiram ao pódio, em Águeda, os seguintes corredores:

- C1: 1.º Bernardo Vieira (Individual)

- C2: 1.º João Silva (Individual)

- C3: 1.º Francisco Martins (Individual)

- C4: 1.º Francisco Monteiro (Mozinho MTB/ Vale D’Aldeia/ Martos/ Hmed)

2.º José Castanheira (Penacova DH / U.D. Lorvanense)

3.º Paulo Teixeira (Quinta das Arcas/ Jetclass/ Xarão)

4.º Daniel Silva (Silva&Vinha/ ADRAP/ Sentir Penafiel)

- C5: 1.º Manuel Ferreira (Silva&Vinha/ ADRAP/ Sentir Penafiel)

2.º Emanuel Silva (Traço de Madeira/ Arca de Noé-Paracycling)

- D: 1.º João Marques (Academia Joaquim Agostinho/ UDO)

- H3: 1.º João Pinto (Individual)

2.º Diogo Oliveira (Silva&Vinha/ ADRAP/ Sentir Penafiel)

- H4: 1.º Flávio Pacheco (Sporting/ Tavira - paracycling)

2.º Ruben Garcia (Clube K)

3.º Luís Ramos (Individual)

- H5: 1.º Luís Costa (Sporting/ Tavira - paracycling)

RESUMO DA 4.ª ETAPA 38.º GRANDE PRÉMIO ABIMOTA:

- 14 Equipas;

- 72 Corredores;

- 4 Desistências;

- 1 Corredor não compareceu e não participou.

CLASSIFICAÇÕES DE HOJE:

4.ª Etapa: Gouveia – Águeda: 176,4 km

1.º Fábio Silvestre (Sporting-Tavira)

2.º César Fonte (LA Alumínios-Metalusa-Blackjack)

3.º Luís Mendonça (Louletano-Hospital de Loulé)

4.º Daniel Freitas (W52-FC Porto)

5.º Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé)

6.º João Rodrigues (W52-FC Porto)

7.º Fábio Mansilhas (Miranda-Mortágua)

8.º Rafael Silva (EFAPEL)

9.º Hugo Nunes (Miranda-Mortágua)

10.º Francisco Campos (Miranda-Mortágua)

Fonte: Media Grupoma