sábado, 17 de março de 2018

“Nibali vence Milan-San Remo”

Conquistou o 3.º 'Monumento' da carreira com o primeiro triunfo na prova italiana

Por: Lusa

O ciclista italiano Vincenzo Nibali (Bahrain Mérida) venceu este sábado a clássica Milan-San Remo, com uma fuga na última subida antes da chegada, e conquistou o terceiro 'Monumento' da carreira com o primeiro triunfo na prova italiana.

Nibali concluiu os 294 quilómetros da prova, a mais longa entre as cinco clássicas denominadas de 'Monumentos', em 7:18.43 horas, à frente do australiano Caleb Ewan (Michelton-Scott) e do francês Arnaud Démare (Groupama-FDJ), vencedor em 2016.

É o terceiro 'Monumento' da carreira do ciclista italiano, de 33 anos, depois de duas vitórias no Giro di Lombardia, em 2015 e 2017, e a primeira vitória em Sanremo, depois do terceiro lugar de 2012.
O italiano é um dos ciclistas com mais vitórias no pelotão, com uma vitória na Volta a Espanha (2010), duas na Volta a Itália (2013 e 2015) e uma na Volta a França (2014) no palmarés.
O triunfo de hoje permite pôr fim ao 'jejum' italiano na prova, que durava há 11 edições, desde Filipo Pozzato em 2006, o segundo mais longo na história da corrida.
Nibali sucede ao polaco Michal Kwiatkowski (Sky), que venceu em 2017 e hoje foi 11.º classificado, numa edição em que era considerado um dos grandes favoritos à vitória, pela boa fase inicial da temporada, com a vitória na Volta ao Algarve e no Tirreno Adriatico.

No Poggio, a última subida da prova, a sete quilómetros do fim, o 'Tubarão de Messina' atacou isolado e, depois, demonstrou o seu talento em descidas, ganhando tempo suficiente para aguentar o pelotão de sprinters, que chegou com o mesmo tempo do italiano, mas não a tempo de cortar a meta primeiro.
"Não tenho palavras", disse o ciclista italiano após a vitória na prova, que recusou classificar como a melhor da carreira. O corredor da Bahrain-Mérida disse que sentiu "uma emoção especial" a 50 metros do fim, quando olhou para trás e começou a celebrar.
"É uma corrida que não esperava ganhar, porque não sou um sprinter", acrescentou o italiano, que ainda foi perseguido pelo compatriota Matteo Trentin (Michelton-Scott), na reta final, mas acabou mesmo por vencer depois de um ataque isolado.
Um dos destaques da prova, pela negativa, foi a queda do britânico Mark Cavendish (Dimension Data), que a 10 quilómetros do fim embateu numa peça de mobiliário urbano, na estrada, e caiu, abandonando qualquer hipótese de revalidar a vitória de 2009.
O único português a participar na corrida, José Gonçalves (Katusha-Alpecin), terminou a 1.02 minutos do vencedor, fechando a participação de estreia no 53.º posto.

Fonte: Record on-line

“IV BTT XCO Vila de Melgaço”

25 de março, no Centro de Estágios de Melgaço

Prova pontuável para o Campeonato do Minho de BTT XCO - Raiz Carisma

O Centro de Estágios de Melgaço recebe no dia 25 de março o IV BTT XCO Vila de Melgaço, 2ª etapa do Campeonato do Minho de BTT XCO - Raiz Carisma. A prova é de participação livre: para além das categorias de competição, podem também participar os amantes da modalidade, integrando a categoria de promoção.

O programa da prova, começará com um período para treinos, entre as 09h00 e as 10h00, realizando-se a partir dessa hora as provas: às 10h00 os pupilos, benjamins e iniciados; às 11h00 começará a prova para infantis e juvenis; às 13h00 a de cadetes, femininos, paraciclismo e promoção; e às 14h30 decorrerão as provas de elites, sub 23, juniores e masters. A cerimónia protocolar escolas está prevista para as 12h00 e a cerimónia de competição pelas 16h00.

As inscrições são possíveis até ao dia 23 de março, via e-mail - geral@acm.pt, ou no dia, no secretariado da prova.

A estreia do evento em Melgaço aconteceu em 2015 e empolga todos os anos novos entusiastas. José Dias, Campeão Nacional de Cross Country Olímpico, e Daniela Pereira venceram em elites a edição de 2017. A iniciativa é promovida pela Associação de Ciclismo do Minho e pela MELSPORT - Melgaço, Desporto e Lazer, E.M (Complexo Desportivo e de Lazer / Centro de Estágios de Melgaço), com o apoio do Município de Melgaço, entre outras entidades.

O Centro de Estágios de Melgaço

O Melgaço Sports Center, centro de treinos oficializado pela UEFA, é um espaço idealizado e construído de forma a oferecer um serviço de elevada qualidade, com equipamentos adjacentes que visam a atividade desportiva, tanto na vertente lúdica como na vertente competitiva ao mais alto nível. O complexo constitui-se como um pólo dinamizador do desenvolvimento do desporto, lazer e turismo na região e posiciona-se como um dos mais modernos, melhor equipados e mais completos complexos desportivos.

Divide-se em duas grandes áreas: a área de lazer, com diversos equipamentos que permitem a prática do desporto de manutenção e equipamentos destinados a atividades lúdicas e culturais; e a área destinada ao desporto de alta competição, servida por infraestruturas capazes de acolher diversas modalidades, tanto para competição como para treino. É nesta última área que se situa o Centro de Estágios, dotado de um conjunto de equipamentos próprios, disponibilizados em exclusivo aos clubes em estágio. É composto por estádio de futebol, pista de atletismo, campo de treinos, balneários, clube saúde, ginásio de manutenção, salas de tratamentos e massagem, entre outros.

Estes equipamentos encontram-se vedados ao exterior, mas interligados entre si, visando oferecer as condições necessárias a um melhor estágio, em segurança, tranquilidade e com privacidade.

Fonte: Câmara Municipal Melgaço

“Efapel /Volta Alentejo/Daniel Mestre entre os melhores na etapa dupla da “Alentejana”

    
Ciclista foi o melhor representante da equipa em Portalegre e Castelo de Vide•

          Dia exigente com etapa matinal com duas contagens de segunda categoria

          Contra-relógio individual vespertino foi um teste para os corredores

A Volta ao Alentejo estabeleceu-se na zona norte da região para as grandes decisões e teve um dia pleno de emoções. Com duas etapas realizadas, uma de manhã e outra de tarde, a Equipa EFAPEL teve em Daniel Mestre o seu melhor elemento.

Durante a manhã, o pelotão percorreu 64,2 quilómetros entre Monforte e Portalegre. A etapa era curta mas dura, com duas contagens de segunda categoria já na última fase da distância. Aí, e com a ascensão ao Alto do Cabeço de Mouro situada já bem perto da meta, fizeram-se diferenças. Daniel Mestre cruzou a meta na 20ª posição, a 55 segundos do vencedor, Edgar Pinto.

Pela tarde, a caravana da “Alentejana” estabeleceu-se em Castelo de Vide. A vila foi o centro de um contra-relógio individual com pouco mais do que oito quilómetros. Neste teste, o corredor alentejano voltou a ser o melhor da equipa. Desta vez ficou no 30º posto, a 54 segundos do mais rápido, Gustavo Veloso.

“Tentámos que o Daniel discutisse a etapa da manhã, mas sabíamos que não era fácil com uma última montanha tão dura já perto do fim. Amanhã vamos voltar a tentar aquilo que procuramos desde o final do primeiro dia, ou seja, obter uma vitória numa etapa”, disse o director-desportivo da Equipa EFAPEL, Américo Silva.

Amanhã termina a 36ª edição da Volta ao Alentejo. A prova que começou na passada quarta-feira vai ter uma última etapa entre Castelo de Vide e Évora. No total, são 151,3 quilómetros com três metas volantes (km 57,5 - Fronteira, km 87,6 - Estremoz e km 115,2 - Redondo) e uma contagem de montanha de terceira categoria na Serra d’Ossa, ao km 103,9. A partida está marcada para as 12 horas e prevê-se que a chegada aconteça depois das 15h30.

Classificação na quarta etapa

    Edgar Pinto            Vito-Feirense        1h44m09s

    Luís Mendonça        Aviludo-Louletano    a 6s

    Mark Downey        Team Wiggins    m.t.


20º    Daniel Mestre        EFAPEL        a 55s

22º    Henrique Casimiro        EFAPEL        a 1m03s

71º    Rafael Silva            EFAPEL        a 6m46s

73º    Sérgio Paulinho        EFAPEL        m.t.

92º    Marcos Jurado        EFAPEL        a 8m17s

113º    Pedro Paulinho        EFAPEL        a 13m06s

Classificação na quinta etapa (contra-relógio individual)

    Gustavo Veloso        W52-FC Porto    13m29s

    José Fernandes        W52-FC Porto    a 8s

    Oscar Rodriguez        Euskadi / Murias    m.t.


30º    Daniel Mestre        EFAPEL        a 54s

32º    Henrique Casimiro        EFAPEL        a 55s

51º    Sérgio Paulinho        EFAPEL        a 1m16s

59º    Rafael Silva            EFAPEL        a 1m24s

71º    Marcos Jurado        EFAPEL        a 1m32s

96º    Pedro Paulinho        EFAPEL        a 2m06s

Classificação após a quinta etapa

    Luís Mendonça        Aviludo-Louletano    14h55m09s

    Ricardo Mestre        W52-FC Porto    a 8s

    Mark Downey        Team Wiggins    a 13s


24º    Henrique Casimiro        EFAPEL        a 12m45s

43º    Rafael Silva            EFAPEL        a 18m57s

48º    Daniel Mestre        EFAPEL        a 21m46s

94º    Marcos Jurado        EFAPEL        a 45m12s

95º    Sérgio Paulinho        EFAPEL        a 46m49s

111º    Pedro Paulinho        EFAPEL        a a 1h09m02s

Fonte: Efapel

“Volta Alentejo/Luís Mendonça é o novo Amarela”

Gustavo Veloso vence contrarrelógio

Luís Mendonça (Aviludo/Louletano/Uli) fez os 8,4Km mais importantes da vida e vestiu este sábado, em Castelo de Vide, a Camisola Amarela da 36ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola. No contrarrelogio o corredor da equipa algarvia foi apenas quinto classificado, mas a diferença de tempos para os principais rivais catapultou-o para a liderança a faltar apenas um dia para o fim da "Alentejana". 

Com a felicidade estampada na cara, Luís Mendonça repetiu por diversas vezes: “Ainda estou nas nuvens!” e depois de subir ao pódio instalado no coração de Castelo de Vide explicou: “Vim com tudo, com garra e com as forças que tinha e as que não tinha. Mas só amanhã posso festejar com os pés assentes na terra e dizer que é minha. Foi o contrarrelógio da minha vida, foram os 8Km da minha vida!” O algarvio arranca para a derradeira tirada da “Alentejana” com uma vantagem de 8 segundos para Ricardo Mestre (W52/FCPorto) e 13 para o anterior líder da competição, o irlandês Mark Downey (Team Wiggings).

A vitória em Castelo de vide pertenceu ao galego Gustavo Veloso (W52/FCPorto) que gastou 13 minutos e 29 segundos no duro e técnico percurso que passava na ermida da Senhora da Penha sendo agravado pela chuva e pelas baixas temperaturas que rondaram os 4ºC no topo da serra. Atrás de Veloso ficou o companheiro de equipa e campeão nacional sub 23 José Fernandes – gastou mais 8 segundos que o galego – e Oscar Rodriguez (Euskadi Basque Country / Murcias) com a mesma diferença

.
6ª Etapa – 18 março 2018

Com a classificação mais definida, as despedidas da “Alentejana” fazem-se este domingo com a 6ª e última etapa a ligar Castelo de Vide a Évora numa distância de 151,3KM. Fronteira (57,5Km), Estremoz (87,6Km) e Redondo (115,2Km) são as derradeiras Metas Volantes e na Serra D’Ossa (103,9) discute-se o Prémio de Montanha final. A meio da tarde, na Praça do Giraldo, onde todos os caminhos vão dar na Évora, Património Mundial da UNESCO será coroado o vencedor da 36ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola.

Fonte: Podium

“RUI OLIVEIRA TERMINA A HANDZAME CLASSIC EM SÉTIMO LUGAR”

Chegada ao sprint ganha pelo colombiano Álvaro José Hodeg

Por: Lusa

Foto: DR

O ciclista português Rui Oliveira (Hagens Berman Axeon) terminou esta sexta-feira a Handzame Classic, na Bélgica, no sétimo posto, numa chegada ao 'sprint' ganha pelo colombiano Álvaro José Hodeg (Quick-Step Floors).

Hodeg, de 21 anos, terminou os 204,1 quilómetros entre Bredene e Handzame, na Flandres, com um tempo de 4:34.35 horas, à frente do vencedor de 2017, o norueguês Kristoffer Halvorsen (Sky), segundo classificado, e do alemão Pascal Ackermann (Bora-Hansgrohe), que fechou o pódio

O colombiano sucede a Halvorsen, antigo campeão do mundo de sub-23, no palmarés da prova, que nos últimos anos tem sido vencida maioritariamente por jovens do pelotão internacional.

Além de Rui Oliveira, que terminou no 'top 10' e discutiu ao 'sprint' os primeiros lugares, também o irmão e colega na equipa norte-americana, Ivo Oliveira, chegou com o mesmo tempo do vencedor, no 34.º posto.

Mais abaixo, em 56.º, chegou o outro ciclista luso em prova, João Almeida, também da Hagens Berman Axeon, já a seis segundos de Hodeg.

Fonte: Record on-line

"VOLTA AO ALENTEJO: ALARCÓN ESPERA MELHOR FORMA PARA DEFENDER TRIUNFO NA VOLTA A PORTUGAL"

Corredor da W52-FC Porto aponta principal objetivo

Por: Lusa

Foto: Lusa

O espanhol Raúl Alarcón começou 2018 com o estatuto de vencedor da Volta a Portugal, esperando chegar à edição deste ano na melhor forma e que a camisola amarela se mantenha na W52-FC Porto.

A participar na Volta ao Alentejo, na qual ainda procura ganhar ritmo, após a queda na Prova de Abertura, que lhe atrasou a preparação, Alarcón aponta a 'grandíssima' como principal objetivo, mas não o único.

"Na verdade, agora queremos ir a provas em Espanha, fazer bem as coisas lá. Gostava de estar na melhor condição na Volta a Portugal", assumiu à agência Lusa o valenciano.

Além da Volta a Portugal, Alarcón também conquistou o triunfo na Volta às Astúrias em 2017, o seu melhor ano como profissional.

Na Volta a Portugal de 2017, Alarcón aproveitou uma quebra do compatriota Gustavo Veloso para se assumir como chefe de fila da W52-FC Porto e dar a quinta vitória consecutiva ao conjunto do Sobrado.

Agora, em 2018, Alarcón espera que o galego, vencedor em 2014 e 2015, esteja novamente em grande forma para lutarem pelo triunfo, mas com um objetivo comum.

"Os dois vamos estar bem e no final a vitória ficar na equipa é o mais importante para nós", concluiu.

Fonte: Record on-line

“EDGAR PINTO: « É O CENTENÁRIO DO NOSSO FEIRENSE E ESTA VITÓRIA VEM MESMO A CALHAR»”

POR: LUSA

Vencedor da 4.ª etapa da Volta ao Alentejo destacou trabalho de equipa

O triunfo na quarta etapa da Volta ao Alentejo, que ligou Monforte e Portalegre, teve um sabor especial para Edgar Pinto. O corredor da Vito-Feirense-Blackjack começou por desejar que "seja a primeira vitória de algumas", para depois destacar a importância do facto para o clube.

"Somos uma equipa humilde, mas tentamos trabalhar e dignificar ao máximo o nosso Feirense, que está de parabéns. É o centenário e esta vitória vem mesmo a calhar", disse Edgar Pinto.

"Apesar de ser curta, foi uma etapa muito nervosa, em que tentei estar bem colocado. A minha equipa tentou ajudar-me sempre, resguardando-me. Depois, atacámos, primeiro o Luís Afonso e depois eu e correu bem", acrescentou.

Fonte: Record on-line

“VOLTA AO ALENTEJO: EDGAR PINTO VENCE ETAPA EM PORTALEGRE”

Downey segue na liderança

Por: Lusa

Foto: Arquivo

O irlandês Mark Downey (Team Wiggins) manteve este sábado a liderança da Volta ao Alentejo, após a quarta etapa, que ligou Monforte a Portalegre e que foi conquistada pelo português Edgar Pinto (Vito-Feirense-Blackjack).

Edgar Pinto tornou-se o primeiro português a vencer uma etapa na 36.ª edição da 'Alentejana', ao cortar a meta em 1:44.09 horas, menos seis segundos do que o compatriota Luís Mendonça (Aviludo-Louletano) e do que Mark Downey.

Na geral, Downey reforçou a liderança, agora com quatro segundos de avanço sobre Luís Mendonça, o belga Dimitri Peyskens (WB Aqua Protect Veranclassic) e o português Ricardo Mestre (W52-FC Porto).

Ainda hoje, os ciclistas terão pela frente um contrarrelógio de 8,4 quilómetros, com um percurso muito técnico e com uma subida para a Senhora da Penha nos primeiros dois quilómetros.

Fonte: Record on-line