segunda-feira, 24 de julho de 2017

“Agradecimento…”

Este fim-de-semana 22 e 23, foi sem dúvida de maratona, a participação nas “14 Horas a Pedalar em Pombal” sobe o lema “Pedalar Para Ajudar”, numa organização do Clube de Cicloturismo de Pombal, foi mais um grande desafio, e pela primeira vez fizemos alguns diretos para o nosso canal de televisão no YouTube com ligação ao Facebook.

A nossa estadia em Pombal foi sem dúvida muito boa, e aqui quero deixar um agradecimento especial pela maneira como mais uma vez fui recebido, e pelas condições que me colocaram á disposição, para poder trabalhar e trazer os melhores momentos.

Foram bastantes horas de trabalho, mas muito positivas, num evento que sem dúvida merece uma boa divulgação, e que me deu muito gosto em acompanhar momento a momento, fica mais uma vez o meu agradecimento, e um muito obrigado.

“Ricardo Batista de prata em Tiszaujvaros”

Ricardo Batista conquistou a medalha de prata na Taça da Europa de Triatlo no escalão Júnior que decorreu durante este fim-de-semana em Tiszaujvaros, Hungria. O jovem triatleta português garantiu lugar na final ao qualificar-se na segunda posição na eliminatória e disputou os lugares cimeiros da prova até aos momentos finais, cortando a meta a apenas sete segundos do vencedor, o triatleta húngaro Csongor Lehmann.

A etapa da Taça da Europa de Triatlo em Tizsaujvaros ficou marcada pelo formato competitivo que se pautou pela disputa de semifinais de apuramento onde todos os triatletas procuraram conquistar o acesso à final do dia seguinte. Formato esse que proporcionou momentos de grande intensidade onde as cores nacionais estiveram, mais uma vez, bem representadas.

Na final masculina, onde Ricardo Batista conquistou o segundo lugar do pódio, competiram igualmente José Vieira e Tiago Fonseca. Os dois triatletas estiveram em destaque nas semifinais e garantiram o lugar na final do dia de hoje. Após 500m de natação, 12,5km de ciclismo e 3,6km de corrida, Vieira e Fonseca cortaram a meta em 12º e 16º lugar, respectivamente.

Respeitante à competição feminina, Gabriela Ribeiro foi a melhor representante nacional. A internacional portuguesa cumpriu uma sólida prestação e cortou a meta na 9ª posição, conquistando um lugar no top10 da prova. Rita Fardilha também garantiu presença na final feminina onde foi 28ª.

Nas semifinais de apuramento estiveram presentes outros triatletas nacionais que procuraram representar as cores nacionais da melhor forma e ambicionaram uma passagem para as competições do dia seguinte. Foram eles Inês Baptista Pereira, 19ª na semifinal 1 feminina, Tiago Pinto, 11º na semifinal 2 masculina, e Alexandre Ribeiro, 17º na semifinal 3 masculina.

Como parte integrante do mesmo evento, em Tizsaujvaros, teve lugar uma das etapas da Taça do Mundo de Triatlo. Desta feita, reservada ao escalão Elite e onde Vasco Vilaça obteve a sua estreia em competições deste nível competitivo. O atual Campeão da Europa de Juniores marcou presença na Hungria com o objectivo de competir pela primeira vez numa Taça de Mundo e de disputar pontos internacionais.

Com um formato semelhante ao assistido nas provas Júnior, a competição da Taça do Mundo de Triatlo desafiou alguns do melhores triatletas do mundo a disputarem semifinais de apuramento e de garantirem um lugar na final, 23 de Julho. Cada prova foi disputada no formato Sprint, ao longo de 750m de natação, 20km de ciclismo e 5km de corrida e ficou marcada, tal como as do escalão júnior, pelo forte calor que se fez sentir durante todo o percurso.

Vasco Vilaça apresentou enorme qualidade e, apesar da idade e pouca experiência em competições deste nível, garantiu a passagem à final com a obtenção do segundo lugar numa das provas de apuramento. O jovem internacional português correu a final com vontade e determinação e, apesar de sofrer uma queda durante o segmento de ciclismo, terminou a prova no 20º posto. Encerrando com nota positiva a sua primeira experiência em Taças do Mundo de Triatlo.

O balanço final da participação lusa nas provas de Tiszaujvaros é bastante positivo e pudemos, mais uma vez, assistir ao bom desempenho dos nossos triatletas. No caso particular destas competições o facto da comitiva portuguesa ser composta por triatletas jovens deixa-nos com boas perspectivas para o futuro das representações nacionais.

Fonte: FPT

“Sport Lisboa e Benfica sagra-se Campeão Europeu de Clubes de Triatlo”

Foto: FB SLB Triatlo

A formação do Sport Lisboa e Benfica, composta por Melanie Santos, Miguel Arraiolos, Vanessa Fernandes e João Pereira, foi a grande vencedora do Campeonato da Europa de Clubes de Triatlo. O clube lisboeta foi o mais forte numa competição que reuniu os melhores clubes europeus de triatlo para a disputa de uma prova no formato de estafetas mistas.

O Campeonato da Europa de Clubes de Triatlo decorreu em Banyoles, Espanha, e foi palco de momentos de grande intensidade e espetáculo competitivo. Em competição estiveram presentes duas formações nacionais que conquistaram a sua qualificação no decorrer do Campeonato Nacional de Clubes por Estafetas Mistas. O Sport Lisboa e Benfica foi acompanhado pelo Outsystems Olímpico de Oeiras e os dois clubes representaram as cores nacionais de forma categórica ao terminarem a competição no Top10.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou à partida com um elenco de luxo. Entre os quatro triatletas que compuseram a formação, pudemos encontrar três olímpicos e uma das mais experientes triatletas nacionais. Vanessa Fernandes, Melanie Santos e Miguel Arraiolos competiram de olhos postos na meta e passaram o testemunho a João Pereira para a conclusão da prova. Recentemente consagrado Campeão da Europa de Triatlo nas distâncias Sprint e Standard, Pereira liderou a prova até final e cortou a meta no primeiro lugar, conquistando o seu terceiro título europeu da época e entregando o Campeonato da Europa de Clubes de Triatlo ao Sport Lisboa e Benfica.

O pódio do Campeonato da Europa foi partilhado com a equipa francesa Poissy Triathlon, segunda classificada, e com a espanhola Cidade de Lugo Fluvial, em terceiro.

Andreia Ferrum, Gonçalo Santos, Ana Ramos e Rafael Domingos representaram o Outsystems Olímpico de Oeiras e procuraram defender as cores do seu clube da melhor forma. Com um resultado bastante positivo a formação de Oeiras terminou a competição no 9º lugar e encerrou a participação lusa neste Campeonato da Europa de Clubes de Triatlo.

Mais uma vez as cores nacionais sobem aos lugares mais altos do pódio europeu de triatlo e reafirmam a enorme qualidade da modalidade no nosso país. Podemos afirmar que temos não só atletas campeões da Europa como clubes que conquistam títulos europeus.

Fonte: FTP

“Tiago Machado: «Fiz o que me pediram»”

Ciclista português da Katusha faz um balanço positivo do Tour

Por: Marco Martins, em Paris (França)

Foto: Reuters

A Katusha esteve longe de fazer uma boa Volta a França, mas Tiago Machado foi dos que mais deu a cara pela equipa, terminando em 74.º o seu quarto Tour.

"Para a equipa não foi o esperado, não foi o que nós queríamos, porque queríamos ganhar etapas. No plano pessoal, acho que foi o esperado. Fiz o que me pediram e, se não fiz mais, foi porque não podia. Vou para casa tranquilo porque sei que o meu trabalho foi feito", disse o famalicense a Record em Paris.

Ainda assim, o ciclista não escondeu a boa disposição, revelando uma certa 'desilusão' com a posição em que terminou. "Queria ficar, pela terceira vez seguida, em 72.º lugar. Dois foram mais fortes do que eu este ano", referiu.

José Azevedo, manager da Katusha, fez também um balanço pouco positivo da prestação da equipa no Tour deste ano, ainda que contente com a atitude dos seus ciclistas. "Não posso estar satisfeito com os resultados. Uma equipa como a Katusha-Alpecin tem de lutar e tem por obrigação estar sempre na luta pelas vitórias. Mas estou satisfeito com a atitude da equipa, com o comportamento, deram o seu máximo."

Fonte: Record on-line

“Chris Froome: «Vou recordar esta vitória como a mais apertada»”

Diz que é um "privilégio" ficar a um triunfo dos "mitos"
Fonte: Lusa

Foto: Reuters

O ciclista britânico Chris Froome (Sky) disse que é "simplesmente incrível" a sua quarta vitória na Volta a França, assumindo-se um "privilegiado" por ficar a um triunfo dos "mitos" do Tour.

"A cada ano, a batalha foi diferente no Tour. Todas as minhas vitórias são especiais. Esta vou recordá-la como a mais apertada", disse, após o seu triunfo por 54 segundos sobre o colombiano Rigoberto Uran (Cannondale Drapac) e 2.20 minutos sobre o francês Romain Bardet (AG2R La Mondiale).

Froome, que venceu pela quarta vez em cinco anos, tendo desistido em 2014 após uma queda, disse sentir-se "privilegiado por estar em posição" de poder juntar-se a ciclistas imortais como Jacques Anquetil, Eddy Merckx, Bernard Hinault e Miguel Indurain, quarteto que venceu a volta a França por cinco vezes.

"Os campos Elísios nunca dececionam. É simplesmente mágico depois de três semanas [na estrada]. Uma verdadeira recompensa! Encontrei a minha esposa e filho, é fantástico...", disse, antes de ir abraçar Michelle e o pequeno Kellan.

Já no palco da consagração, o britânico elogiou o desempenho dos rivais, destacou a "amizade" no pelotão e, em língua francesa, agradeceu o "acolhimento e generosidade" do "apaixonado" povo gaulês, considerando que a prova que "celebra as diferentes culturas" é "a maior e melhor corrida do mundo".

Fonte: Record on-line

“Historial de vencedores”

Chris Froome conquistou a 104.ª edição, somando o 4.º triunfo

Foto: Reuters

1903 - Maurice Garin (Fra).

1904 - Henri Cornet (Fra).

1905 - Louis Trousselier (Fra).

1906 - René Pottier (Fra).

1907 - Lucien Petit-Breton (Fra).

1908 - Lucien Petit-Breton (Fra).

1909 - François Faber (Lux).

1910 - Octave Lapize (Fra).

1911 - Gustave Garrigou (Fra).

1912 - Odile Defraye (Bel).

1913 - Philippe Thys (Bel).

1914 - Philippe Thys (Bel).

1919 - Firmin Lambot (Bel).

1920 - Philippe Thys (Bel).

1921 - Léon Scieur (Bel).

1922 - Firmin Lambot (Bel).

1923 - Henri Pélissier (Fra).

1924 - Ottavio Bottecchia (Ita).

1925 - Ottavio Bottecchia (Ita).

1926 - Lucien Buysse (Bel).

1927 - Nicolas Frantz (Lux).

1928 - Nicolas Frantz (Lux).

1929 - Maurice De Waele (Bel).

1930 - André Leducq (Fra).

1931 - Antonin Magne (Fra).

1932 - André Leducq (Fra).

1933 - Georges Speicher (Fra).

1934 - Antonin Magne (Fra).

1935 - Romain Maes (Bel).

1936 - Sylvère Maes (Bel).

1937 - Roger Lapébie (Fra).

1938 - Gino Bartali (Ita).

1939 - Sylvère Maes (Bel).

1947 - Jean Robic (Fra).

1948 - Gino Bartali (Ita).

1949 - Fausto Coppi (Ita).

1950 - Ferdi Kubler (Sui).

1951 - Hugo Koblet (Sui).

1952 - Fausto Coppi (Ita).

1953 - Louison Bobet (Fra).

1954 - Louison Bobet (Fra).

1955 - Louison Bobet (Fra).

1956 - Roger Walkowiak (Fra).

1957 - Jacques Anquetil (Fra).

1958 - Charly Gaul (Lux).

1959 - Federico M. Bahamontes (Esp).

1960 - Gastone Nencini (Ita).

1961 - Jacques Anquetil (Fra).

1962 - Jacques Anquetil (Fra).

1963 - Jacques Anquetil (Fra).

1964 - Jacques Anquetil (Fra).

1965 - Felice Gimondi (Ita).

1966 - Lucien Aimar (Fra).

1967 - Roger Pingeon (Fra).

1968 - Jan Janssen (Hol).

1969 - Eddy Merckx (Bel).

1970 - Eddy Merckx (Bel).

1971 - Eddy Merckx (Bel).

1972 - Eddy Merckx (Bel).

1973 - Luis Ocaña (Esp).

1974 - Eddy Merckx (Bel).

1975 - Bernard Thévenet (Fra).

1976 - Lucien Van Impe (Bel).

1977 - Bernard Thévenet (Fra).

1978 - Bernard Hinault (Fra).

1979 - Bernard Hinault (Fra).

1980 - Joop Zoetemelk (Hol).

1981 - Bernard Hinault (Fra).

1982 - Bernard Hinault (Fra).

1983 - Laurent Fignon (Fra).

1984 - Laurent Fignon (Fra).

1985 - Bernard Hinault (Fra).

1986 - Greg Lemond (EUA).

1987 - Stephen Roche (Irl).

1988 - Pedro Delgado (Esp).

1989 - Greg Lemond (EUA).

1990 - Greg Lemond (EUA).

1991 - Miguel Indurain (Esp).

1992 - Miguel Indurain (Esp).

1993 - Miguel Indurain (Esp).

1994 - Miguel Indurain (Esp).

1995 - Miguel Indurain (Esp).

1996 - Bjarne Riis (Din).

1997 - Jan Ullrich (Ale).

1998 - Marco Pantani (Ita).

1999 - Sem vencedor *.

2000 - Sem vencedor *.

2001 - Sem vencedor *.

2002 - Sem vencedor *.

2003 - Sem vencedor *.

2004 - Sem vencedor *.

2005 - Sem vencedor *.

2006 - Oscar Pereiro (Esp) **.

2007 - Alberto Contador (Esp).

2008 - Carlos Sastre (Esp).

2009 - Alberto Contador (Esp).

2010 - Andy Schleck (Lux) ***.

2011 - Cadel Evans (Aus).

2012 - Bradley Wiggins (GB).

2013 - Chris Froome (GB).

2014 - Vincenzo Nibali (Ita).

2015 - Chris Froome (GB).

2016 - Chris Froome (GB).

2017 - Chris Froome (GB).

* Lance Armstrong (EUA) foi desclassificado de todos os resultados desportivos desde 1998 devido a práticas dopantes e a organização decidiu não reatribuir as vitórias, uma vez que este foi "um período negro" na história do ciclismo.

** Floyd Landis (EUA) foi desclassificado devido a um positivo por testosterona.

*** Alberto Contador (Esp) foi desclassificado devido a um positivo por clembuterol.

Fonte: Record on-line

“Groenewegen vence última etapa e Froome festeja 4.º triunfo”

Holandês impõe-se ao sprint nos Campos Elísios em prova dominada pelo britânico

Foto: Reuters

O britânico Chris Froome confirmou a conquista da sua quarta Volta a França, após a 21.ª e última etapa, entre Montgeron e os Campos Elísios, em Paris, onde o holandês Dylan Groenewegen (LottoNL-Jumbo) se impôs ao sprint na derradeira tirada da prova.

Froome conquistou o Tour pela terceira vez consecutiva e a quarta em cinco anos, terminando com 54 segundos de avanço sobre o colombiano Rigoberto Urán (Cannondale-Drapac) e 2.20 minutos sobre o francês Romain Bardet (AG2R La Mondiale). O ciclista da Sky ficou, assim, a um triunfo final dos recordistas Jacques Anquetil, Eddy Merckx, Bernard Hinault e Miguel Indurain, que venceram a prova em cinco ocasiões

Na última etapa, Dylan Groenewegen foi o mais rápido no sprint final, gastando 2:25.39 horas para cumprir os 108 quilómetros do percurso. O alemão Andre Greipel (Lotto Soudal) e o norueguês Edvald Boasson Hagen (Dimension Data) terminaram nos lugares imediatos.

Quanto a Tiago Machado, único português em prova, terminou a última etapa no 113.º lugar, integrado no pelotão, e manteve o 74.º posto na geral, a 2.43.36 horas do vencedor.

Classificação da 21.ª e última etapa

1. Dylan Groenewegen (Holanda/LottoNL-Jumbo), 2:25:39"

2. Andre Greipel (Alemanha/Lotto-Soudal), m.t.

3. Edvald Boasson Hagen (Noruega/Dimension Data), m.t.

4. Nacer Bouhanni (França/Cofidis), m.t.

5. Alexander Kristoff (Noruega/Katusha-Alpecin), m.t.

6. Borut Bozic (Eslovénia/Bahrain-Merida), m.t.

7. Davide Cimolai (Itália/FDJ), m.t.

8. Pierre-Luc Perichon (França/Fortuneo-Oscaro), m.t.

9. Rüdiger Selig (Alemanha/Bora-hansgrohe), m.t.

10. Daniele Bennati (Itália/Movistar Team), m.t.

Classificação geral final

1. Chris Froome (Grã-Bretanha/Team Sky), 86:20:55"

2. Rigoberto Urán (Colômbia/Cannondale-Drapac), +54"

3. Romain Bardet (França/AG2R La Mondiale), +2:20"

4. Mikel Landa (Espanha/Team Sky), +2:21"

5. Fabio Aru (Itália/Astana), +3:05"

6. Daniel Martin (Irlanda/Quick-Step Floors), +4:42"

7. Simon Yates (Grã-Bretanha/Orica-Scott), +6:14"

8. Louis Meintjes (África do Sul/UAE Team Emirates), +8:20"

9. Alberto Contador (Espanha/Trek-Segafredo), +8:49"

10. Warren Barguil (França/Team Sunweb), +9:25"

Fonte: Record on-line

“Volta a Portugal Santander Totta/Regresso da Lousã no calvário da “Etapa Rainha”

Quando a 14 de agosto o pelotão da 79ª Volta a Portugal em Bicicleta Santander Totta se preparar para iniciar a Etapa Rainha, a caravana da prova estará na vila da Lousã com os homens que anseiam pelos melhores lugares da classificação a viver o nervoso miudinho das grandes etapas.

O município da Lousã volta a acolher a competição num dos dias mais importantes, o penúltimo, para definir o vencedor desta edição. A 9ª etapa de 184,1 Km vai terminar na Guarda e tem passagem no ponto mais alto do território continental português, a Serra da Estrela. Há seis contagens para o Prémio da Montanha valendo a passagem na Torre como Categoria Especial. Joaquim Gomes, o diretor de prova não tem dúvidas. “Em termos competitivos esta será a última possibilidade de confronto direto entre os que estão a discutir a corrida. A partida na Lousã será apenas o início do calvário rumo à cidade mais alta de Portugal.”

O regresso da Volta à Lousã acontece após 12 anos de ausência. Os pormenores da etapa Lousã-Guarda foram apresentados esta segunda-feira, ao final da manhã, nos Paços do Concelho onde foi rubricado o protocolo com a Câmara Municipal da Lousã, o Turismo do Centro e a empresa EFAPEL que tornou possível esta associação. Para Luís Antunes, Presidente da Câmara Municipal da Lousã é com orgulho e satisfação que o concelho está, de novo, na mais importante prova do ciclismo nacional que vai percorrer o país de 4 a 15 de agosto. “O gosto que os Lousanenses têm demonstrado – de diferentes maneiras – pelos desportos velocipédicos e a existência de uma equipa patrocinada por uma das empresas de referência do Concelho – EFAPEL, que também se associa ao acolhimento da etapa, bem como o facto de este ano se assinalarem os 90 anos da Volta – um dos maiores e mais reconhecidos eventos desportivos do pais – foram alguns dos motivos que nos levaram a aceitar o desafio de acolher a partida da designada “Etapa Rainha”.

O concelho orgulha-se de ser uma referência para os praticantes de BTT e Downhill, mas a prática de ciclismo de estrada tem vindo a afirmar-se e a Lousã tem acolhido alguns eventos de referência.

Estreia aconteceu em 2005

A vila estreou-se na Volta a Portugal, em 2005, quando deu início à 3ª etapa que marcaria definitivamente o rumo dos acontecimentos na 67ª edição da prova. Nos 156,2 quilómetros, a caminho do Fundão, destacou-se um russo, Vladimir Efimkin (Barloworld), que não só ganhou a etapa como obteve uma grande vantagem e até ao fim da prova ninguém lhe tirou a Camisola Amarela.

Fonte: Podium

“Equipa Portugal/Seleções em ação na Europa”

Por: José Carlos Gomes

Um dia depois do final do Campeonato da Europa de Pista, em Sangalhos, Anadia, o trabalho da Equipa Portugal, nas distintas vertentes, continua em ritmo acelerado. No próximo fim de semana corre-se o Campeonato da Europa de Cross Country Olímpico (XCO), em Itália. Na terça e na quinta realizam-se as provas de ciclismo do Festival Olímpico da Juventude Europeia, na Hungria. Neste segunda-feira encerrou a participação do ciclismo luso nos Jogos Surdolímpicos, na Turquia.

A Equipa Portugal está de partida para Darfo Boario Terme, Itália, local onde irá disputar o Campeonato da Europa de XCO, no sábado e no domingo. O selecionador nacional, Pedro Vigário, vai contar com oito corredores, distribuídos por três categorias, elite, sub-23 e juniores.

Os selecionados são os betetistas de elite David Rosa (Tropix), Mário Costa (Primaflor-Mondraker) e José Dias (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact), os sub-23 João Rocha (Rodabike/ACRG/Gondomar) e Ana Tomás (BTT Seia), e os juniores Carlos Salgueiro e Marta Branco (Maiatos/Reabnorte) e Guilherme Mota (Marrazes/Gui/Brejinho/BikeZone Leiria).

A ambição passa por melhorar anteriores resultados absolutos da Equipa Portugal, mas também as prestações pessoais de cada um dos atletas. Metade da delegação corre no sábado e a outra parte no domingo.

Na primeira jornada competitiva, Portugal terá em pista Marta Branco (8h30), Carlos Salgueiro e Guilherme Mota (11h00) e Ana Tomás (14h00). No domingo alinham João Rocha (8h30), David Rosa, José Dias e Mário Costa (14h00).

O ciclismo português participa também, durante a semana em curso, no Festival Olímpico da Juventude Europeia (FOJE), competição para corredores com 15 e 16 anos (cadetes), que se disputa em Gyor, Hungria.

A Equipa Portugal, conduzida pelos selecionadores José Poeira e Gabriel Mendes, será composta por três rapazes e duas raparigas. Todos vão competir nas provas de contrarrelógio, já nesta terça-feira, e nas corridas de fundo, na quinta-feira.

Os convocados são Daniela Campos e Joana Pereira (5Quinas/Município de Albufeira), Daniel Dias (Maia), João Carvalho e Pedro Silva (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact).

Jogos Surdolímpicos

O paraciclismo nacional encerrou hoje a participação nos Jogos Surdolímpicos, competição para atletas com deficiência auditiva, que decorre em Samsun, Turquia. Ricardo Gomes foi o segundo e último luso a pedalar nestes Jogos, conseguindo, na manhã desta segunda-feira, o 16.º lugar na prova de XCO. Foi um resultado a meio da tabela, uma vez que alinharam 32 participantes.

A representação nacional nas provas de estrada esteve a cargo de João Marques, que chegou ao final dos 100 quilómetros da prova de fundo no 14.º posto, a 2m43s do vencedor, o russo Dmitry Rozanov. João Marques também participou no contrarrelógio, que concluiu na 38.ª posição. 

Fonte: FPC

“Taça da Europa de Triatlo”

RICARDO BATISTA DE PRATA NA HUNGRIA

Na Taça da Europa de Triatlo em Juniores na Hungria (em Tizsaujvaros), realizada nos dias 22 e 23 de Julho, os atletas torrejanos RICARDO BATISTA e JOSÉ PEDRO VIEIRA estiveram em grande destaque.

Após o Campeonato da Europa de Youth realizado na semana passada na Lituânia, os atletas da Escola de Triatlo do Clube de Natação de Torres Novas rumaram à Hungria para estarem presentes na Taça da Europa de Triatlo no escalão de Juniores. Para estarem presentes na final de domingo, os nossos atletas tiveram de realizar uma das 3 semifinais no sábado, onde se qualificaram diretamente 9 atletas e os 3 melhores tempos das semifinais. RICARDO BATISTA na sua semifinal obteve o 2º lugar e JOSÉ PEDRO VIEIRA o 9º.

A competitividade era enorme e na final tudo podia acontecer. No final e após uma excelente prova, RICARDO BATISTA conquista o 2ºlugar, cortando a meta a apenas sete segundos do vencedor, o triatleta húngaro Csongor Lehmann, e JOSÉ PEDRO VIEIRA termina na 12ªposição.

Relembre-se que, Ricardo Batista e José Pedro Vieira estão no 2º e 1ºanos respetivamente, deste escalão de Juniores que a nível internacional é de 4 anos.

Campeonato da Europa de Biatle, em Setúbal

CAROLINA SERRA e MARCO SOUSA conquistam “ouro” no europeu de Biatle

CAROLINA SERRA em SUB 19 e MARCO SOUSA em M40, conquistaram a medalha de ouro no Campeonato da Europa de Biatle, que decorreu no fim-de-semana de 15 e 16 de julho em Setúbal, no parque urbano de Albarquel, enquanto Ricardo Rego em Seniores, alcançou a medalha de prata.

Estes atletas da Escola de Triatlo do Clube de Natação de Torres Novas, que representaram a Selecção Nacional de Biatle, estão desta forma apurados para o Campeonato do Mundo de Biatle 2017, que se encontra marcado para o próximo mês de Setembro, entre os dias 20 e 24, em Viveiros no norte da Galiza, em Espanha.

O Biatle é uma variante do Pentatlo Moderno, aonde os atletas realizam num formato contínuo 3 segmentos sucessivos de corrida-natação-corrida. As distâncias variam entre os 400m/1600m de corrida em dois parciais iguais, e os 50m/200m de natação, consoante os escalões etários.

A Escola de Triatlo do Clube de Natação de Torres Novas, esteve presente neste campeonato europeu, com mais alguns dos seus atletas, que também obtiveram bons resultados individuais, uma vez que participaram nas finais desta competição, depois de serem apurados nas meias-finais que se realizaram no sábado, dia 15 de julho.

Em SUB 13, João Nuno Batista alcançou o 4ºlugar, ficando a 5 segundos do pódio, enquanto Pedro Afonso Silva foi 5ºclassificado e Martim Salvador 10º. Em SUB 17, Diogo Mendes concluiu a sua prova na 6ªposição, e no escalão acima SUB 19 masculinos, André Rodrigues foi 7ºclassificado, a mesma posição de Mariana Correia no setor feminino.

Fonte: Escola de Triatlo do Clube de Natação de Torres Novas

“Grande Prémio do Minho de regresso à estrada”

O Grande Prémio do Minho em ciclismo regressa à estrada de 28 a 30 de julho com Cabeceiras de Basto, Vieira do Minho e Melgaço a assumirem um papel de destaque no desenrolar da competição apadrinhada pelos ciclistas internacionais portugueses Tiago Machado, José Mendes e José Gonçalves e destinada ao escalão de juniores. Organizada pela Associação de Ciclismo do Minho, em colaboração com a Federação Portuguesa de Ciclismo, a prova será disputada por um pelotão de 145 ciclistas em representação de 16 equipas portuguesas e 6 espanholas.

Com o arranque da competição em Cabeceiras de Basto e o final em Melgaço, o pelotão de terá que percorrer um total de 297,9 quilómetros repartidos por três etapas, durante as quais encontrarão seis contagens do prémio da montanha e quatro metas volantes.

A montanha ajudará certamente a encontrar o vencedor do 29º Grande Prémio do Minho, mas o traçado da prova e a qualidade das equipas e atletas participantes deixa antever que será uma prova disputada até ao último metro e aberta à vitória de qualquer corredor.

A primeira etapa (Cabeceiras de Basto - Cabeceiras de Basto), será disputada no dia 28 de julho (sexta-feira) num percurso de 88,8 quilómetros a efetuar no “Encanto Natural” de um dos concelhos mais antigos e históricos do Minho. O pelotão efetuará o percurso por entre um vasto e rico património paisagístico e arquitetónico, terminando a etapa (15h20) junto ao Mosteiro de S. Miguel de Refojos. Os ciclistas terão que vencer as dificuldades de uma contagem de montanha logo no início da etapa (Km 8,6 - 13h13) e de outra na Lameira (Km 62 - 14h37), prevendo ainda o percurso uma meta volante em Fafe (Km 52,2 - 14h22)

No dia 29 de julho (sábado), a segunda etapa (Vieira do Minho – Vieira do Minho) terá a extensão de 103 quilómetros e percorrerá uma “Terra de Encantos” em que as paisagens avassalam pela sua magnitude e pelo seu brilho. A etapa começará (13h00) e terminará (15h42) junto à Câmara Municipal de Vieira do Minho. Com uma passagem pela barragem do Ermal, a etapa integra uma contagem de montanha em Serradela (Km 53,4 - 14h24) e uma meta volante em Vieira do Minho (passagem pela meta ao - Km 36 - 13h56).

A terceira e última etapa (Melgaço - Melgaço) será disputada no dia 30 de julho (domingo) no “destino de natureza mais radical de Portugal”, uma região verdejante, tipicamente Minhota, de forte e fértil vegetação que possui um importante património histórico, cultural e arquitetónico, inserido no Parque Nacional da Peneda Gerês. Na extensão de 106,1 quilómetros, o percurso da última etapa integra três contagens de montanha e duas metas volantes. As metas de montanha serão discutidas em São Gregório (Km 22,1 - 13h34, Km 58,3 - 14h32 e Km 93,6 - 15h27) e as metas volantes aquando da passagem na meta (Km 32,7 - 13h51 e Km 68,8 - 14h48).

Tal como nas restantes etapas e percurso, para os quilómetros finais está em perspetiva um empolgante espetáculo desportivo ao qual não faltará certamente muito público para coroar o vencedor do 29º Grande Prémio do Minho em ciclismo.

O pelotão do 29º Grande Prémio do Minho será constituído pelas principais formações portuguesas e por seis formações espanholas, num total de 22 equipas.

Além das principais formações portuguesas, seis equipas espanholas marcarão presença: Fundacion Oscar Pereiro, Arte en Transfer – Leon, Bathco / CC Besaya, Clube Ciclista Cidade de Lugo, Codelse Ciclyng Team e Disgarsa - C.C. Colindres.

As equipas portuguesas inscritas são as seguintes: Academia Joaquim Agostinho / UDO, ACD Milharado / Escola Ciclismo Manuel Martins, Bairrada, C. C. Barcelos / AFF / Orbea / Onda, Escola de Ciclismo Carlos Carvalho, LA Alumínios / SGR Ambiente / C. C. A. Paio Pires, Maia, Matos Cheirinhos / Vila Galé / Etopi, Moreira Congelados / Feira / Bicicletas Andrade, RP / Boavista Formação, Seissa / KTM Bikeseven / Matias & Araújo / Frulact, Sicasal / Liberty Seguros / Bombarralense, Silva e Vinha / ADRAP / Sentir Penafiel, Sporting / Tavira / Eng. Brito da Mana, Team Almodôvar e Tensai / Sambiental / Santa Marta - Bila Bikers / Carnes Silva / Cycleso.

O 29º Grande Prémio do Minho, organizado pela Associação de Ciclismo do Minho em parceria com a Federação Portuguesa de Ciclismo, conta com o apoio da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Câmara Municipal de Vieira do Minho, Câmara Municipal de Melgaço, Empiqua (Camisola Amarela), Controlsafe (Camisola Verde), Arrecadações da Quintã (Camisola Azul), Cision - Portugal (Camisola Laranja), Força Minho (Camisola Branca), Raiz Carisma - Soluções de Publicidade (Meta 5 Kms), POPP Design, AFAcycles, Jopedois, Auto Terror, Guimarpeixe, Fafefuel, Transnos, Saúde Constante, Salvaggio, Escola de Condução S. Martinho, Guimatubos. Hotel ibis - Guimarães, Correio do Minho e Ciclismo a fundo (revista oficial).

Fonte: ACM

“Campeonato Nacional de XCO”

David Rosa e Joana Monteiro revalidam títulos

Por: José Carlos Gomes

David Rosa (Tropix) e Joana Monteiro (Primaflor-Mondraker) revalidaram o estatuto de campeões nacionais, conquistando em Sobrado, Valongo, as provas de elite do Campeonato Nacional de Cross Country Olímpico (XCO).

O corredor natural de Fátima cortou a meta isolado, deixando o rival mais direto, Mário Costa (Primaflor-Mondraker), a 2m49s. A terceira posição foi para Ricardo Marinheiro (Maiatos/Reabnorte), a 4m26s.

A corrida de elite feminina também teve um desfecho claro e ainda mais concludente. Joana Monteiro comemorou mais um título nacional de XCO com uma vantagem de 3m38s sobre a segunda classificada, Ana Vale (Batotas/Ponte de Lima). Daniela Pereira (Saertex Portugal/Edaetech) fechou o pódio, a 4m45s da vencedora.

João Rocha (ACRG/Gondomar) foi o melhor subb-23 masculino, posição ocupada por Ana Tomás (BTT Seia) entre as femininas.

Rafael Rita (BTT Loulé/BPI/Elevis) e Marta Branco (Maiatos/Reabnorte) conquistaram os títulos na categoria júnior, feito que pertenceu a Diogo Neves (BTT Loulé/BPI/Elevis) e a Ana Santos (ASC/Focus Team/Vila do Conde) em cadetes.

Nas categorias de veteranos, impuseram-se o master 30 Ricardo Vicente (Bicisintra/Biciaventura), o master 40 Rui Torpes, o master 50 Rodolfo Lopes (ASC/Focus Team/Vila do Conde) e a master feminina Raquel Marques (ASC/Focus Team/Vila do Conde).

Fábio Luiz (Marrazes/Gui/Brejinho/BikeZone Leiria) foi o melhor paraciclista.

A ASC/Focus Team/Vila do Conde conquistou a primeira posição por equipas.

Fonte: FPC

“Campeonato da Europa de Pista Sub-23 e Juniores/Portugal fecha europeu com 11.º lugar em Madison”

Por: José Carlos Gomes

A Equipa Portugal fechou a participação no Campeonato da Europa de Pista, em Sangalhos, Anadia, com o 11.º lugar de Rui Oliveira e Miguel do Rego na corrida de madison para sub-23. Os portugueses fazem um balanço positivo de uma participação que resultou na conquista de três medalhas.

A prova de madison, mais recente disciplina de pista adicionada ao programa olímpico de ciclismo, disputou-se com um ritmo frenético, ao longo das 160 voltas, correspondentes a 40 quilómetros. O ritmo alucinante apenas consentiu que uma equipa conquistasse uma volta de vantagem sobre o pelotão. Foi a Bélgica, com Robbe Ghys e Lindsay de Vylder, a alcançar esse feito, permitindo-lhe somar os pontos suficientes, 51, para arrecadar a medalha de ouro.

O equilíbrio ficou patente na restante composição do pódio: segundo lugar para os russos Maksim Piskunov e Sergei Rotovtsev e terceiro para os ucranianos Roman Gladysh e Bitaly Hryniv, duas duplas que somaram 31 pontos.

Miguel do Rego e Rui Oliveira pontuaram num dos sprints intermédios, alcançando dois pontos, o que lhes valeu o 11.º lugar entre os 14 países participantes. “Foi a primeira vez que o Rui e o Miguel fizeram dupla a um nível tão elevado. O Rui já tem alguma experiência, mas o Miguel vem de júnior, está no primeiro ano de sub-23. Perante estas condições, cumpriram a meta que passava por ficar perto do top 10, numa prestação que considero boa”, diz o selecionador nacional, Gabriel Mendes.

O responsável pela Equipa Portugal de pista faz um balanço global positivo de toda a participação lusa no Campeonato da Europa de Sub-23 e Juniores. “O Campeonato correu muito bem para nós. Foram alcançados os objetivos e a conquista de três medalhas é um desempenho de excelência, tendo em conta todo o processo evolutivo verificado e que deixa claro que a melhoria é notória e consistente de ano para ano”, explica o selecionador, satisfeito com o título europeu de Rui Oliveira em eliminação para sub-23 e com as medalhas de prata do gémeo, Ivo Oliveira, em perseguição individual, e da júnior Maria Martins em eliminação.

Gabriel Mendes faz questão de deixar uma palavra final para os onze corredores que vestiram as cores nacionais neste Europeu. “Estou orgulhoso do trabalho desenvolvido pelos atletas, cujo empenhamento foi inexcedível”, classifica.

Além da corrida de sub-23 masculinos, o Velódromo Nacional pôde também vibrar com a prova de madison para sub-23 femininas, embora sem presença lusa. As britânicas Eleanor Dickinson e Manon Lloyd foram as mais fortes, diante das russas Diana Klimova e Maria Petukhova, segundas classificadas, e das italianas Elisa Balsamo e Rachele Barbieri, terceiras.

Os juniores também tiveram hoje as finais de madison. A Bélgica venceu no setor masculino, fruto de uma corrida em que a dupla formada por Fabio van den Bossche e Nicolas Wernimont foi a única a conquistar uma volta de avança sobre o pelotão principal. Os checos Daniel Babor e Daniel Rybin ficaram com a medalha de prata, deixando o bronze para os britânicos Rhys Britton e Jake Stewart.

A Itália ganhou a corrida feminina de madison com uma superioridade tão evidente que nem uma queda tirou a medalha de ouro a Letizia Paternoster e a Chiara Consonni. As russas Daria Malkova e Maria Novolodskaya foram quem deu mais luta. No terceiro posto colocaram-se as britânicas Jenny Holl e Pfeiffer Georgi. 

A Holanda dominou as corridas de keirin na categoria de sub-23. Harrie Lavreysen foi o mais forte no setor masculino, conquistando a medalha de ouro diante do checo Jiri Fanta, segundo classificado, e do britânico Jack Carlin, terceiro.

Hetty van de Wouw sagrou-se campeã europeia de keirin, numa disputa acesa com a russa Tatiana Kiseleva, segunda, e com a francesa Melissandre Pain, que ficou no patamar mais baixo do pódio.

Fonte: FPC

“Campeonato da Europa de Pista Sub-23 e Juniores”/Rui Oliveira sexto classificado em omnium”

Por: José Carlos Gomes

Rui Oliveira voltou a empolgar os portugueses que se deslocaram ao Velódromo Nacional, em Sangalhos, Anadia, batendo-se pelo pódio na disciplina de omnium para sub-23, que terminou na sexta posição.

O corredor da Equipa Portugal chegou à corrida por pontos, última prova da disciplina de omnium, no terceiro posto da classificação geral, graças ao terceiro lugar em scratch, ao sexto na corrida tempo e ao quinto em eliminação. Numa corrida por pontos muito movimentada e tática, na qual os corredores que lutavam pela geral se marcaram em cima, Rui Oliveira acabou por descer três posições.

Percebendo que o pódio estava em perigo, Rui Oliveira lançou uma cartada a cinco voltas do final da corrida por pontos, procurando atacar de surpresa para derrotar os rivais. Isolou-se em cabeça de corrida, levou as bancadas ao rubro, chegou a ameaçar voltar a pontuar, mas acabou alcançado pelo pelotão. Desse modo, desceu ao secto lugar do concurso de omnium, com 103 pontos somados no conjunto das quatro disciplinas pontuáveis.

A vitória foi conquistada, com autoridade, pelo britânico Mark Stewart, com 121 pontos, mais oito do que o dinamarquês, que ficou com a medalha de prata. O terceiro foi o francês Adrien Garel, com 108 pontos.

Soraia Silva também participou no omnium para sub-23, mas no setor feminino. Apesar de ser sub-23 de primeiro ano e de saber de antemão que teria poucas hipóteses de bater-se pelos lugares cimeiros da tabela, a corredora lusa teve uma postura interventiva e irreverente em todas as corridas do programa de omnium, acabando na 14.ª posição da geral, com 46 pontos. Elisa Balsamo, de Itália, conquistou a medalha de ouro, com 140 pontos, mais quatro do que a britânica Eleanor Dickinson e mais seis do que a dinamarquesa Amalie Dideriksen, que a seguiram no pódio.

Maria Martins terminou a participação neste campeonato da Europa, conseguindo a sexta posição na final direta de corrida por pontos para juniores femininas. A corredora portuguesa esteve muito interventiva na corrida, mas acabou por pagar o esforço de uma participação intensa no Europeu, não conseguindo a capacidade de resposta ao maior poderio das principais adversárias. A ucraniana Olha Kulynych foi a melhor, seguida pela bielorrussa Aksana Salauyeva e pela francesa Valentine Fortin.

Portugal também teve um representante na corrida por pontos para juniores masculinos, José Sousa. O luso fez uma estreia esforçada a este nível de competição, numa prova de grande intensidade, praticamente sem momentos de descanso. Apesar disso não cedeu a posição no pelotão principal e ainda conseguiu pontuar num dos sprints. Acabou na 17.ª posição. O ucraniano dominou hegemonicamente, conquistando a medalha de ouro diante do belga Fabio van den Bossche e do suíço Mauro Schmid.

Realizaram-se quatro finais, todas sem a presença de ciclistas nacionais. A alemã Pauline Grabosch foi a mais forte nos 500 metros contrarrelógio para sub-23 femininas, sendo a única a terminar com menos de 34 segundos. A germânica conseguiu a marca de 33m703 segundos, sendo acompanhada no pódio pela ucraniana Olena Starikova e pela holandesa Kyra Lamberink.

O francês Sebastien Vigier impôs-se na final de velocidade para sub-23 masculinos, relegando o holandês Harrie Lavreysen para o segundo lugar e o britânico Joseph Truman para o degrau mais baixo do pódio.

As finais juniores de keirin ficaram marcadas por castigos do colégio de comissários com reflexos nos resultados finais. No setor masculino triunfou o russo Pavel Perchuk, diante do polaco Daniel Rochna e do britânico Lewis Stewart. A francesa Mathilde Gros confirmou o favoritismo na final feminina, atirando a italiana Martina Fidanza para o segundo posto e a britânica Lauren Bate para a terceira posição.

Fonte: FPC