sábado, 11 de maio de 2019

Realizou-se dia 11 de maio a primeira Taça da Europa de Triatlo de Sines que recebeu o Campeonato do Mediterrâneo.

Realizou-se a Taça da Europa de Sines, com medalha de bronze para Gabriela Ribeiro e um top 10 na prova feminina e Alexandre Nobre a conquistar a 5ª posição. Na competição masculina Portugal cons Campeonato do Mediterrâneo, uma competição anual que vai mudando de país, tendo havido edições anteriores na Grécia, Itália e Espanha.

Gabriela Ribeiro foi medalha de bronze na Taça da Europa e Campeonato do Mediterrâneo, com Madalena Almeida a alcançar a quarta posição, enquanto na competição masculina Alexandre Nobre conquistou o melhor lugar nacional na prova, alcançado o 5º lugar.

Participaram nesta competição 90 atletas oriundos de 15 países, com nomes conhecidos do triatlo mundial, com um bom nível competitivo e com Portugal a conseguir colocar três atletas no TOP 10, tanto no evento feminino como masculino.

Com um percurso emblemático de Sines, uma natação na baía da Praia Vasco da Gama, um ciclismo muito rolante e uma corrida plana, os atletas puderam fazer boas marcas nesta competição, dando um grande espetáculo para o publico apoiante, entre eles os jovens que de tarde iriam disputar o Campeonato Nacional Jovem no mesmo local.

A participar nesta competição participaram vários nomes conhecidos do Triatlo, numa prova disputada na distância sprint, com um percurso de uma volta de 750 metros na praia Vasco da Gama, três voltas de ciclismo num trajeto plano e um segmento de corrida plana de 5km também sem desnível.

Foi uma boa natação para as atletas femininas nacionais, com quatro a saírem da água na dianteira e a incluírem-se no primeiro grupo de ciclismo, entre elas Gabriela Ribeiro, Helena Carvalho, Madalena Almeida e Vera Vilaça. O segmento de ciclismo foi estratégico, com um trabalho conjunto das atletas.

Gabriela Ribeiro diz que ‘veio com boas perspetivas, com o resultado de um segundo lugar na Taça da Europa de Quarteira, embora soubesse que iria enfrentar aqui um nível diferente. «Embora o mar parecessem uma piscina, foi difícil na natação dividir os grupos, embora soubesse já que estávamos perante atletas que competem em Taças do Mundo e Campeonatos do Mundo.  Gabriela Ribeiro manteve-se sempre nas primeiras posições na corrida, geriu o esforço e alcançou a medalha de bronze desta competição, a sua primeira de elite.

Madalena Almeida conquistou a quarta posição, com uma boa natação e os restantes segmentos de ciclismo e corrida bastante sólidos. «Ainda pensei que se formasse um grupo de ciclismo mais pequeno com as atletas nacionais, este segmento não foi muito forte, mais manter a distância para o grupo perseguidor, parti rápido para a corrida, decidi arriscar e acompanhar a primeira, a Emmie Charayon, mas não consegui». Satisfeita com o bom resultado da 4ª posição nesta prova, Madalena Almeida não deixa de referir que um 4º lugar tem um ligeiro sabor amargo!

Portugal alcançou mais dois top 10 com Helena Carvalho em 9º lugar e Mariana Vargem em 10º. Maria Tomé ficou em 12º, Vera Vilaça em 15º e Inês Rico conseguiu a 18º posição.

O pódio da Taça da Europa e do Campeonato do Mediterrâneo foi o mesmo, já que os três países pertencem ao Mediterrâneo: a vencedora desta competição foi Emmie Charayon, a atleta que alinhou com o dorsal número 1, na segunda posição ficou Xisca Tous, de Espanha e Gabriela Ribeiro fechou o pódio com o terceiro lugar.

 

Competição Masculina na Taça da Europa de Sines e Campeonato do Mediterrâneo

Na competição masculina alinharam à partida 58 atletas, com 10 atletas nacionais em prova: Alexandre Nobre, Ricardo Batista, Rafael Domingos, Tiago Fonseca, João Mansos, José Vieira, Diogo Silva, Afonso do Canto, Gil Maia e Bernardo Aguiar.

Ricardo Batista fez um bom segmento de natação, saindo na terceira posição, juntamente com alguns atletas portugueses a conseguirem posicionar-se no primeiro grupo de ciclismo, como Alexandre Nobre, Ricardo Batista, Tiago Fonseca. Na corrida o nível foi elevado, pelo que os atletas tiveram que gerir o esforço até ao final.

O melhor atleta em prova foi Alexandre Nobre com um 5º lugar com 00:55:20, também o atleta na mais alta posição na Taça da Europa de Quarteira há duas semanas. Tiago Fonseca fez 7º luar com 00:55:30 e Ricardo Batista conseguiu chegar ao top 10 – a sua previsão na véspera como um resultado positivo – com 00:55:38. Alexandre Nobre vinha com o objetivo de alcançar o top 8, posição que lhe daria acesso às Taças do Mundo e depois um pódio, objetivo mais ambicioso, mas que sabia ser possível.

«Estive bastante perto do pódio, fiz uma boa natação, saí integrando no grupo da frente, e fiz uma corrida de trás para a frente, com um percalço na segunda transição em que houve uma queda. Este resultado deixa-me com sede para mais em relação ao futuro!»

Os resultados dos outros portugueses na competição: 17º José Vieira com 00:56:01, 27º Rafael Domingos com 00:57:05, João Mansos em 32º com 00:57:42, em 34º Afonso Do Canto, com 00:57:53, em 36º Diogo Silva com 00:58:04 e Gil Maia com 01:01:13.

Esta Taça da Europa e Campeonato do Mediterrâneo em Sines, um local emblemático que reúne excelentes condições para o Triatlo, trouxe grandes emoções ao entusiasta público entre eles os atletas mais jovens.

Portugal alcançou bons resultados, colocando três atletas no TOP 10, tanto na competição feminina como masculina.

Fonte: FTP

“Campeonato do Mediterrâneo realizou-se hoje em Sines”

O Campeonato do Mediterrâneo realizou-se este ano em Portugal, Sines e recebeu cerca de 40 atletas.

A Federação do Mediterrâneo foi criada em 2008 na Grécia, com o objetivo de agrupar os países banhados pelo mediterrâneo apoiando-os no crescimento e desenvolvimento da modalidade.

O Campeonato do Mediterrâneo está aberto a países que integram a Federação do Mediterrâneo, da qual Portugal faz parte, devido à sua proximidade geográfica, No caso de do evento em Sines, que recebeu simultaneamente Taça da Europa, é uma prova que pontua para o ranking europeu e mundial.

Progressivamente, o objetivo vai sendo alcançado e, neste momento, a maioria dos países considerado mediterrânicos, onde se inclui Portugal, é membro da Federação do Mediterrâneo.

O primeiro Campeonato do Mediterrâneo realizou-se em 2015 na Grécia, uns anos mais tarde da criação da Federação. Seguiu-se uma competição em Itália, outra edição em Espanha em 2018 e este ano o evento realizou-se em Portugal em Sines que decidiu os Campeões do Mediterrâneo 2019 (ver notícia aqui)

A realização deste Campeonato do Mediterrâneo em Portugal, associado uma Taça da Europa, permite que os atletas pontuem para o ranking mundial e europeu (os primeiros oito e os primeiros dezasseis), «credibiliza a imagem do nosso país, reforça Sines como um destino turístico, desportivo e organizativo de referência e permite aos atletas competirem num percurso emblemático da modalidade», afirma Vasco Rodrigues, da Federação de Triatlo de Portugal.

O vereador da Câmara Municipal de Sines refere que Sines é um destino «que a grande maioria das pessoas aprecia, com boa praia, paisagens e uma excelente gastronomia local, além de reunir ótimas condições para a prática de Triatlo.

«Neste Campeonato participaram mais de 30 atletas do Mediterrâneo, o que é um número significativo e satisfatório», afirma Aldo Lucarini, Diretor Geral da Federação de Triatlo do Mediterrâneo.

O dirigente da Federação do Mediterrâneo explica que ‘não existe ainda um circuito, mas um campeonato anual, podendo variar de maio a outubro’. O ideal é «que este Campeonato se realize no final da época, em que os triatletas procuram uma prova final quando estão mais libertos das provas da temporada».

Fonte: FPT

“Primoz Roglic vence contrarrelógio inaugural da Volta a Itália”

O esloveno cumpriu o exercício de 8,2 quilómetros em 12.54 minutos, 19 segundos mais rápido que Simon Yates

Por: Lusa

Foto: Giro d'Italia

O esloveno Primoz Roglic (Jumbo-Visma) venceu este sábado o contrarrelógio inaugural da 102.ª edição da Volta a Itália em bicicleta, em Bolonha, assumindo a liderança da classificação geral individual.

Roglic, de 29 anos, cumpriu o exercício de 8,2 quilómetros em 12.54 minutos, 19 segundos mais rápido que o britânico Simon Yates (Mitchelton-Scott), segundo, e 23 do que o italiano Vincenzo Nibali (Bahrain Merida), terceiro.

No domingo, na segunda etapa, o esloveno, um dos favoritos à vitória final, parte com a camisola rosa, de líder individual, para uma tirada que liga Bolonha a Fucecchio ao longo de 205 quilómetros, com um traçado plano e uma chegada ao 'sprint' em vista.

Fonte: Record on-line

“García de Mateos terceiro na segunda etapa da Volta à Comunidade de Madrid”


Etapa vencida pelo compatriota Alex Aranburu, novo líder da prova

Por: Lusa

Foto: Lusa

O espanhol Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano) foi este sabádo terceiro classificado na segunda etapa da Volta à Comunidade de Madrid, vencida pelo compatriota Alex Aranburu (Caja Rural-Seguros RGA), novo líder da prova.

Aranburu, de 23 anos, cumpriu os 164,5 quilómetros em San Martín de Valdeiglesias em 4:06.53 horas, batendo sobre a meta, num 'sprint' reduzido de 16 ciclistas que se escaparam do pelotão, o francês Romain Hardy (Arkéa Samsic), segundo classificado, e García de Mateos, que completou o pódio.

Com este resultado, o espanhol da Caja Rural é o novo camisola amarela, enquanto o ciclista da Aviludo-Louletano subiu ao sexto posto da geral, com o mesmo tempo do vencedor deste sabádo.

Em sétimo lugar está o russo Alexander Grigoryev (Sporting-Tavira), que foi 12.º na tirada, enquanto o melhor português foi Francisco Campos (W52-FC Porto), na 37.ª posição, o melhor ciclista dos 'dragões' na geral, em 38.º lugar.

O português Nuno Bico (Burgos-BH) subiu ao 83.º posto da classificação geral, ao cortar a meta em 65.º, enquanto Paulo Silva (Guerciott--Kiwi Atlantico) abandonou, à semelhança de José Ferreira (W52-FC Porto).

No domingo, a terceira e última etapa decorre em Madrid, ao longo de 99,9 quilómetros, com 18 voltas a um circuito urbano que conta com apenas uma contagem de montanha, de terceira categoria.

Fonte: Record on-line

“Equipa Portugal/Luís Costa cumpre objetivo com quinto lugar na prova de fundo”

Quinto lugar para Luís Costa na prova de fundo da classe H5. Flávio Pacheco, em H4, foi 14.º. Primeira ronda da Taça do Mundo de Paraciclismo termina este domingo em Corridonia

Luís Costa discutiu até aos metros finais a vitória na prova de fundo da classe H5 da Taça do Mundo de Paraciclismo. O atleta da Equipa Portugal, que pedala numa bicicleta locomovida pelas mãos na posição sentada aguentou uma corrida de constantes ataques para entrar na reta final da corrida no pelotão da frente.
No termo dos 54,6 quilómetros, cumpridos à média de 28,3 km/h, o campeão do mundo da classe H5, o holandês Tim De Vries sagrou-se vencedor, com Luís Costa a ceder 11 segundos. O resultado de Luís Costa está alinhado com os objetivos delineados pelo selecionador nacional José Marques antes da corrida, que atirava para um lugar entre os dez primeiros.

"O Luís [Costa] andou sempre na frente, numa corrida de muitos ataques. Procurou economizar as forças para o sprint mas, nos últimos metros, não conseguiu fazer melhor do que o quinto lugar. As nossas expetativas para o seu desempenho situavam-se na discussão da corrida, entre os primeiros, e foi isso que aconteceu, logo estamos bastantes satisfeitos com o seu desempenho", averbou José Marques.

Flávio Pacheco foi outro dos corredores da Equipa Portugal em ação, tendo alcançado o 14.º lugar na corrida de fundo da classe H4. O paraciclista alentejano competiu na mesma distância de Luís Costa tendo terminado a corrida a 11m15s do vencedor, o holandês Jetze Plat.

O último dia da ronda inaugural da Taça do Mundo, que se disputa em Corridonia, Itália, contará com três portugueses. Telmo Piñao, em C2, corre em representação da Seleção Nacional e Bernardo Vieira (C1) e João Monteiro (C4) correm a título individual.

Fonte: FPC

“NICCOLÒ BONIFAZIO VENCE PRIMEIRA ETAPA DA VOLTA À COMUNIDADE DE MADRID”

O russo Alexander Grigoryev (Sporting-Tavira) foi o melhor representante de equipas portuguesas

O italiano Niccolò Bonifazio (Total Direct Energie) venceu esta sexta-feira ao ‘sprint’ a primeira etapa da 32.ª edição da Volta à Comunidade de Madrid, em que o russo Alexander Grigoryev (Sporting-Tavira) foi o melhor representante de equipas portuguesas.

Bonifazio, de 25 anos, cumpriu os 164,1 quilómetros em 3:57.29 horas, cortando a meta em Aranjuez à frente do espanhol Enrique Sanz (Euskadi Murias), segundo classificado, e do francês Clément Russo (Arkéa Samsic), terceiro.

Grigoryev foi 13.º colocado e ocupa o mesmo posto na geral, num ‘top 20’ que inclui também a dupla espanhola da Aviludo-Louletano Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano), em 17.º, e Juan Ignacio Perez em 18.º.

Francisco Campos (W52-FC Porto) foi 24.º, três lugares à frente do colega de equipa Samuel Caldeira, enquanto Nuno Bico (Burgos-BH) foi 85.º e Paulo Silva (Guerciotti–Kiwi Atlantico) acabou no 109.º lugar.

No sábado, a segunda de três etapas decorre em San Martín de Valdeiglesias, ao longo de 164,5 quilómetros, com cinco contagens de montanha, quatro de terceira categoria e uma de segunda.

Fonte: Sapo on-line

“Equipa Portugal/Luís Costa com o melhor resultado do dia em Corridonia”

Campeão nacional da especialidade correu esta sexta-feira para o oitavo lugar na prova de contrarrelógio da classe H5 no segundo dia de competição da Taça do Mundo de Paraciclismo.

Luís Costa assinalou o melhor resultado português no segundo dia de competições da Taça do Mundo de Paraciclismo. Em Corridonia, Itália, o corredor português foi oitavo classificado na prova de contrarrelógio da classe H5. Na corrida individual de 27,1 quilómetros, Costa registou o tempo de 55m31s, mais 3m39s do que o vencedor do dia, o italiano Alessandro Zanardi. A correr em "casa", Zanardi, ex-piloto de Fórmula 1, superiorizou-se ao holandês Mitch Valize por apenas seis segundos.

"O Luís Costa foi oitavo classificado e fez uma boa prova num percurso duro e pouco adaptado a especialistas. O campeão mundial de contrarrelógio, o espanhol Oscar Sanchez, foi 11.º, e o campeão do mundo de fundo, o holandês Tim De Vries não foi além do quinto lugar. Isso diz bem da especificidade do percurso. Na prova de fundo, estou em crer que o Luís Costa tem condições para estar entre os primeiros e discutir os lugares cimeiros", disse o selecionador nacional de Paraciclismo, José Marques.

A segunda jornada da Taça do Mundo para os paraciclistas da Equipa Portugal iniciou-se com o desempenho de Telmo Pinão, que competiu no contrarrelógio, na classe C2. Pinão foi 12.º classificado na corrida de 18 quilómetros, a 3m59s do vencedor, o corredor da Federação Russa, Arslan Gilmutdinov.

Além de Luís Costa e Telmo Pinão, em representação da Seleção Nacional, competiram a título individual, outros corredores nacionais. Bernardo Vieira (C1) foi 11.º classificado na prova de contrarrelógio e João Monteiro (C4) foi 12.º na corrida individual de 27,1 quilómetros.

A Equipa Portugal compete este sábado, terceiro dia de competição em Corridonia, nas provas de fundo. Flávio Pacheco compete pela manhã e Luís Costa corre pela tarde, ambos em percursos de 62,7 quilómetros.

Fonte: FPC

“Este domingo mais um direto do Notícias do Pedal no Facebook…”

Este domingo 12 de maio, o Notícias do Pedal-TV vai marcar presença em Palmela, no 32º Passeio de Cicloturismo “Vinha em Flor”.


A partir das 8,30 horas da manhã iremos estar em direto de Palmela para o Facebook no Largo São João Batista (junto ao Cineteatro) no coreto, onde será feita a concentração deste grande passeio.


Entrevistas, a partida, chegada dos participantes, entre outros momentos, poderão ser vistos em direto. Se não vai participar neste grande evento, assista a bons momentos.


Não se esqueça, domingo 12 de maio, a partir das 8,30 horas, aqui em direto para todos, um evento que muito promete.

Reportagem completa da Revista Notícias do Pedal, com parceria com “O Praticante” e o “Jornal de Ciclismo”

Nota da Redação.