domingo, 20 de outubro de 2019

“Equipa Portugal/Exibição consistente reforça aspirações olímpicas em Madison”

Por: José Carlos Gomes

A Equipa Portugal foi hoje a 12.ª classificada na prova de madison do Campeonato da Europa de Pista, em Apeldoorn, Holanda, um resultado que consolida as aspirações nacionais de qualificação para os Jogos Olímpicos.

A dupla formada por Iuri Leitão e Rui Oliveira manteve-se no pelotão principal ao longo das 200 voltas – 50 quilómetros – conseguindo um ponto num dos sprints, o que valeu a Portugal a 11.ª posição.

Este resultado, não parecendo muito vistoso, é importante nas contas de qualificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Portugal recuperou 40 pontos para a Bielorrússia, nação imediatamente à frente dos portugueses no ranking. Além disso, aumentou a diferença para as nações europeias que perseguem Portugal na tabela qualificativa para os Jogos, ganhando 60 pontos à Irlanda e 80 à Rússia.

Os dinamarqueses Lasse Norman Hansen e Michael Morkov estiveram imperiais na luta pelo pódio, conquistando a medalha de ouro, com 52 pontos, mais 15 do que os holandeses Jan-Willem van Schip e Yoeri Havik  e do que os alemães Maximillian Beyer e Theo Reinhardt, que terminaram na segunda e na terceira posição, respetivamente.

O Campeonato da Europa foi muito positivo para Portugal, que conquistou uma medalha de bronze, por intermédio de Maria Martins, em scratch. Nas disciplinas olímpicas de omnium e de madison, os portugueses reforçaram posições entre as nações favoritas a garantir o passaporte para Tóquio.

Fonte: FPC

“Taça de Portugal de BMX”

Carlos Rosado ganha Taça e Bruno Cardoso bate espanhóis em supercrosse

Por: José Carlos Gomes

Carlos Rosado (Clube Bicross de Portimão) conquistou hoje a edição de 2019 da Taça de Portugal de BMX Race, na nova pista de Sangalhos, Anadia. Bruno Cardoso (BMX VTT Limonest) foi o melhor na aguardada prova de supercrosse, disputada na manhã deste domingo, estreando a rampa olímpica da infraestrutura bairradina.

A Taça de Portugal terminou com uma jornada dupla, sábado e domingo. O mau tempo condicionou as corridas de sábado, mas não impediu a realização das provas. O irlandês Matthew Campbell foi o melhor homem com mais de 19 anos no sábado, estatuto que, no dia seguinte, foi conquistado por Pedro Amaral (Clube Bicross de Portimão).

Carlos Rosado foi o mais regular no conjunto do fim de semana, consolidando o estatuto de mais consistente de toda a época, o que lhe valeu a conquista da Taça, com 102 pontos. O segundo da classificação geral foi Hugo Martins (Team BMX de Quarteira), com 99 pontos. O terceiro foi Jaime Airosa (BMX Águias de S. Gabriel Best Point), com 97.

Além da competição masculina para maiores de 19 anos, era aguardada a corrida de supercrosse. No sábado não se realizou, mas as condições de domingo já permitiram que os corredores mais audazes saíssem da rampa de oito metros. Num pelotão maioritariamente espanhol, foi o português Bruno Cardoso que se impôs, relegando Alejandro Alcojor (Clube BMX Los Pinos) para o segundo lugar e Alejandro Kim (Yellow Mad BMX) para o terceiro posto.

André Ribeiro (Núcleo Bicross de Setúbal/Knowledge Inside) ganhou as corridas de juniores deste fim de semana, mas isso não impediu o companheiro de equipa Gonçalo Carvalho de vencer a Taça de Portugal nessa categoria. Um ponto foi a diferença entre ambos na geral final.

Renato Silva (Team BMX de Quarteira) levou para casa o troféu em cadetes, feito imitado pela corredora com mais de 15 anos Jéssica Conceição (Núcleo Bicross de Setúbal/Knowledge Inside), pelo juvenil ucraniano Dmitriy Popyk (Team BMX de Quarteira), e por João Fidalgo, em masters e em cruisers.

O Núcelo Bicross de Setúbal/Knowledge Inside ganhou a Taça de Portugal de BMX por equipas.

Fonte: FPC

"Filipe Azevedo vence tritalo Ironman 70.3 de Xangai”

Atleta português repetiu o triunfo alcançado no ano passado

Por: Lusa

Foto: Mélanie Maps

O português Filipe Azevedo venceu este domingo o Ironman 70.3 de Xangai, repetindo o triunfo alcançado no ano passado na prova de triatlo chinesa, desta vez com o tempo de 3:47.03 horas.

No final dos três segmentos - 1.900 metros a nadar, 90 km de ciclismo e 21,1 km de corrida (meia maratona) - Filipe Azevedo impôs-se por 33 segundos ao neozelandês Cameron Brown, segundo classificado, e por 1.18 minutos ao australiano Leigh Anderson-Voigt.

No final de setembro, o português, vice-campeão europeu de média distância, foi segundo classificado no Ironman 70.3 de Cascais, em que a vitória foi do espanhol Javier Gómez Noya, sete vezes campeão do mundo.

O Ironman 70.3, também conhecido por 'half-ironman', é uma prova cujos três segmentos perfazem uma distância total de 70 milhas, que em quilómetros se traduzem em 1,9 a nadar, 90 de bicicleta e 21,1 de corrida e que corresponde a meio triatlo na distância original.

Fonte: FPC

“Ricardo Batista em oitavo na Taça da Europa”

Madalena Amaral Almeida acabou no 12º lugar

Por: Lusa

Foto: DR

O azeri Rostislav Pevtsov e a alemã Lisa Tertsch venceram este sábado a Taça da Europa de triatlo realizada no Funchal, com Ricardo Batista, em oitavo, e Madalena Amaral Almeida, no 12º lugar, a serem os melhores portugueses. Tal como sucedeu em 2018, a prova masculina terminou com recurso ao photo-finish, pois Rostislav Pevtsov e o britânico Samuel Dickinson disputaram os instantes finais taco a taco, deixando muitas dúvidas sobre o vencedor. Ambos fizeram o tempo de 52.00 minutos, tendo levado a melhor o triatleta do Azerbaijão.

"É a segunda vez que compito aqui. É um belo percurso e um sítio adorável. Os últimos metros foram difíceis. Dei o meu melhor. É um percurso muito técnico. O mais difícil foi a parte de bicicleta, porque o terreno é muito montanhoso", comentou o vencedor.

Com o alemão Tim Hellwig a completar o pódio, ao fazer a marca de 52.19 minutos, Ricardo Batista foi o melhor português pelo segundo ano consecutivo na Madeira, tendo ficado em oitavo lugar, em 52.46 minutos, o que o deixou "muito contente". "É sempre muito bom ser o melhor português em casa. Foi uma prova bastante competitiva do início ao fim. Na natação, houve muito contacto nas boias. No ciclismo, foi um pouco tático e, depois, foi correr atrás do prejuízo, a ver o que dava", referiu

Lisa Tertsch levou a melhor na prova feminina, ao cortar a meta com o tempo de 1:00.22 horas, à frente da espanhola Xisca Tous e da italiana Luísa Iogna-Prat, ambas com a marca de 1:01.19. A atleta alemã admitiu ter sentido algumas dificuldades na parte da natação, mas, após isso, ganhou confiança para o resto do percurso, no qual apontou algumas particularidades. "Adorei a prova e a ilha. Foi fantástico.

Foi a primeira vez [na Madeira] e quero voltar. As colinas foram muito interessantes. Adorei o percurso, porque existiram várias dificuldades técnicas e tinhas que te manter concentrada", afirmou Lisa Tertsch.

A portuguesa mais bem classificada foi Madalena Amaral Almeida, com o tempo de 1:03.17 horas, conseguiu um desfecho muito positivo, tendo em conta as dificuldades sentidas ao longo da semana. "Foi uma prova muito dura. Passei toda a semana doente, então, não sabia bem o que esperar, mas fiz uma boa natação e senti-me muito forte no ciclismo. Na corrida, não me senti nada bem.

Sabe sempre bem [ser a melhor portuguesa], ainda por cima com portugueses a apoiar", disse à agência Lusa, ambicionando o pódio em 2020. A prova teve 750 metros de natação, com uma volta, 20 quilómetros de bicicleta, em três voltas, e cinco quilómetros de corrida, em duas voltas.

Fonte: Record on-line