domingo, 14 de maio de 2017

“Taça de Portugal de XCO

David Rosa e Joana Monteiro triunfam no Fundão

David Rosa (Tropix) e Joana Monteiro (Primaflor-Mondraker) ganharam hoje, na categoria de elite, o XCO Internacional do Fundão, terceira prova da Taça de Portugal da disciplina olímpica de BTT. Na geral da Taça continuam a mandar Mário Costa (Primaflor-Mondraker) e Joana Monteiro.

A corrida de elite masculina terminou com uma vitória folgada do campeão nacional. David Rosa cortou a meta com uma vantagem de 1m45s sobre Mário Costa. O terceiro foi o espanhol Pablo Rodríguez (MMR Factory Racing Team).

O segundo lugar permitiu a Mário Costa aumentar a vantagem sobre os rivais mais diretos na geral da Taça de elite. Soma agora 95 pontos, mais 13 do que José Dias (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact). O terceiro é David Rosa, com 70 pontos.

Joana Monteiro foi a mais forte no setor feminino, relegando a espanhola Lucia Vázquez para o segundo posto, a 50 segundos. A terceira foi a estoniana Maaris Meier (Maiatos/Reabnorte), a 5m55s. Joana Monteiro segue na liderança da Taça de Portugal, com 100 pontos, mais 11 do que Maaris Meier e mais 18 do que Ana Tomás (BTT Seia), rivais mais diretas na geral do troféu.

Os melhores sub-23 na geral, João Rocha (Rodabike/ACRG/Gondomar) e Ana Tomás, reforçaram o comando vencendo as respetivas corridas no Fundão.

O espanhol Ivan Feijoo (Academia Postal/Actyon/MMR/Maceda) venceu a corrida júnior, mas Guilherme Mota (Marrazes/Gui/Breijinho/Bike Zone Leiria) segurou o primeiro posto na geral. No setor feminino de juniores, Marta Branco (Maiatos/Reabnorte) somou nova vitória e continua invicta.

Carlos Blanco (Academia Postal/Actyon/MMR/Maceda) e Ana Santos (ASC/Focus Team/Vila do Conde) foram os melhores cadetes. O espanhol reforçou a liderança, enquanto Daniela Campos (BTT Loulé/BPI/Elevis) manteve o primeiro posto.

Os melhores veteranos foram o master 30 André Filipe (CPR A-do-Barbas), o master 40 Paulo Serra (BTT Seia), o master 50 Rodolfo Lopes (ASC/Focus Team/Vila do Conde) e a master Ângela Gonçalves (BTT Seia). Fábio Luiz (Marrazes/Gui/Breijinho/Bike Zone Leiria) foi o mais rápido entre os paraciclistas.

A ASC/Focus Team/Vila do Conde ganhou por equipas.

Fonte: FPC

“Geraint Thomas considera "inaceitável" colocação da moto que provocou a sua queda”

Thomas é agora 17.º, a 05.14 minutos do colombiano da Movistar, que venceu a tirada e lidera a geral.

Foto: Lusa
O ciclista britânico Geraint Thomas (Sky) considerou hoje inaceitável o episódio que provocou a sua queda na nona etapa da Volta a Itália, mas rejeitou assumir que já não é candidato à camisola rosa final.
“É ridículo. Algo assim nunca deveria acontecer. Estávamos todos juntos no início da subida [ao Blockhaus] e, de repente, alguém embateu numa moto e caímos. O meu ombro ‘saltou’”, descreveu o líder da Sky.
Uma moto policial mal estacionada à entrada da ascensão para o Blockhaus, ponto final da tirada de 149 quilómetros, provocou a queda no grupo de favoritos, com Thomas e o seu companheiro de equipa e plano B da Sky, o espanhol Mikel Landa, e o seu compatriota Adam Yates (Orica-Scott) a serem os favoritos afetados.
“Sentia-me bem até à queda. Depois, a minha corrida acabou. Não sei [que hipóteses tenho no Giro]. É demasiado cedo para pensar nisso nesta altura. Preciso de digerir isto. Neste momento, estou zangado. Preciso de me sentar com a minha equipa e descobrir o que vamos fazer”, disse o galês, que era segundo à partida e que perdeu 05.08 minutos para Nairo Quintana à chegada.
Thomas é agora 17.º, a 05.14 minutos do colombiano da Movistar, que venceu a tirada e lidera a geral.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“Nairo Quintana vence a nona etapa e veste a camisola rosa”

Colombiano da Movistar completou a tirada com o tempo de 03:44.51 horas

Por: Lusa

Foto: EPA

O ciclista colombiano Nairo Quintana (Movistar) atacou este domingo para vencer no topo de Blockhaus, ponto final da nona etapa, e para assumir a liderança da Volta à Itália.
Quintana, que cumpriu a nona tirada em 03:44.51 horas, impôs-se em solitário no final dos 149 quilómetros entre Montenero di Bisaccia e a contagem de primeira categoria de Blockhaus, e deixou o francês Thibaut Pinot (FDJ), segundo, e o holandês Tom Dumoulin (Sunweb), terceiro, a 24 segundos.

O colombiano, vencedor do Giro2014, vestiu a camisola rosa e vai descansar na segunda-feira, segundo dia de paragem da 100.ª edição, com 28 segundos de vantagem sobre Pinot e 30 sobre Dumoulin.
Mas os grandes derrotados da nona etapa foram, além do luxemburguês Bob Jungels (Quick-Step Floors), que perdeu 03.30 minutos para o corredor da Movistar e, consequentemente, a camisola rosa, os homens da Sky: uma moto policial mal estacionada, à entrada da ascensão final, causou a queda do britânico Geraint Thomas, segundo à partida para os 149 quilómetros desde Montenero di Bisaccia, e do espanhol Mikel Landa, com Adam Yates (Orica-Scott), o líder da juventude, a ser também apanhado.
O pesadelo da Sky confirmou-se na meta, com Thomas a chegar dois segundos e um lugar depois de Rui Costa (UAE Team Emirates), que foi 28.º a 05.06 minutos de Quintana e perdeu a luta pelo título de melhor português para José Mendes (Bora-hansgrohe), 19.º a 04.03.
Antes das emoções fortes reservadas para a escalada de 13,6 quilómetros, com uma pendente média de inclinação de 8,4%, um numeroso grupo, que chegou a conter 12 ciclistas, tentaram a sua sorte, mas viram o seu esforço ser anulado, a 24 quilómetros, pela perseguição conjunta de Bahrein Merida, Sky e Movistar.
As três grandes pretendentes ao cetro italiano 'escancaram' as suas intenções, mas só a equipa espanhola viu o seu trabalho recompensado com a exibição de Quintana. Depois de várias escaramuças, que deixaram a liderança da corrida entregue ao vencedor do Giro2014, a Nibali e a Pinot, o trepador da Movistar arrancou, deixando os seus companheiros temporários sem reação, para a terceira vitória em etapas na 'corsa rosa', consumada em 03:44.51 horas.
Foi então que o vencedor da edição de 2016 quebrou por completo, com Pinot a colaborar com Dumoulin, vindo de trás com o compatriota Bauke Mollema (Trek-Segafredo), que não aguentou o ritmo do duo e terminou na quarta posição, a 41 segundos.
Os cinco primeiros da nona etapa são também os cinco primeiros da geral, com Quintana a ter 28 segundos de vantagem sobre Pinot, 30 sobre Dumoulin, 51 sobre Mollema e 01.10 minutos relativamente a Nibali.
Na geral, Rui Costa caiu um lugar, para a 18.ª posição, a 05.52 minutos do novo camisola rosa, enquanto o campeão nacional José Mendes galgou 33 postos e vai passar o segundo dia de descanso em 51.º, a 31.56 minutos de Quintana.
José Gonçalves (Katusha-Alpecin), que foi 143.º a 26.37 minutos, desceu ao 78.º lugar, a 44.44 minutos.
O 100.º Giro regressa a estrada na terça-feira para o contrarrelógio de 39,8 quilómetros entre Foligno e Montefalco.

Fonte: Record on-line

“Efapel/Daniel Mestre com conquista da Taça suspensa”

Cancelamento da última etapa no GP do Dão dita indefinição

Daniel Mestre e a equipa de ciclismo EFAPEL estão à espera da decisão do Colégio de Comissários do Grande Prémio do Dão e posterior homologação por parte da Federação Portuguesa de Ciclismo para saberem se asseguram a conquista da Taça de Portugal 2017. O cancelamento da segunda e última etapa da prova pontuável para esta competição ditou esta indefinição.

Com quase 150 quilómetros a ligarem Penalva do Castelo a Viseu, a EFAPEL sabia que o dia de hoje era chave para a conquista da Taça de Portugal por parte de Daniel Mestre. A formação liderada por Américo Silva partiu determinada em conseguir o objectivo e discutir o triunfo na cidade de Viriato. Mas, segundo informação da entidade federativa, um problema na transição da responsabilidade do policiamento da GNR para a PSP na entrada para Viseu, com os consequentes problemas de segurança, fez com que o desfecho da etapa não fosse o melhor.

Além disso, um engano no percurso levou os corredores a pararem antes de cruzarem a meta e o Colégio de Comissários a cancelar a etapa, como informou a Federação Portuguesa de Ciclismo. Com os resultados suspensos, a EFAPEL aguarda para saber se o resultado que venha a ser determinado dá a vitória na Taça de Portugal a Daniel Mestre.

Fonte: Efapel

“ASFIC VENCE EM SANTO ANDRÉ COM APENAS 3 ATLETAS”


Decorreu na manhã deste domingo, 14 de maio, o Granfondo de Vila Nova de Santo André,  evento solidário que tem como objetivo angariar fundos para os bombeiros daquela vila alentejana do concelho de Santiago do Cacém.

Assim, este granfondo integrou-se nas comemorações  do  28.º aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Santo André, decorrendo a prova em dois percursos, o Mediofondo com 80km e o Granfondo com 130 km, percorrendo os concelhos de Santiago do Cacém Sines e Grândola.

Devido à natureza do evento e pretendendo também ajudar e reconhecer, os que muitas vezes com poucas condições e meios, tanto fazem pela população sem nada receber em troca, a ASFIC participou na prova, mas mais uma vez em inferioridade numérica, apenas com 3 elementos (Rui Rodrigues, Jorge Letras e Nuno Manso).

A prova decorreu num andamento sempre elevado, fazendo-se a seleção dos atletas à medida que e as dificuldades aumentavam, tendo havido várias tentativas de fuga, sempre anuladas.

Para a chegada à meta  ficou um grupo com cerca de 20 atletas, onde se encontravam os 3 ciclistas da ASFIC.

Os atletas da ASFIC, que tiveram um desgaste redobrado a tentar controlar e responder aos ataques na corrida, tentaram a vitória através de Rui Rodrigues, que sprintou de muito longe, mas foi traído pelo vento de frente e pelo desgaste, não conseguindo bater o atleta que sprintou com ele. Ainda assim, Rui Rodrigues cortou a meta em 2º Lugar, Jorge Letras em 6º e Nuno Manso em 12º. Rui Rodrigues venceu também na sua categoria e a equipa esteve mais uma vez em destaque ao vencer coletivamente.

É de enaltecer o esforço, entrega e dedicação dos atletas da equipa, que embora em inferioridade numérica, são  sempre combativos e têm estado sempre em destaque, de norte a sul do país, elevando sempre o nome de Rio Maior e de todos os seus patrocinadores.

Fonte: ASFIC

“Última hora…Grande Prémio do Dão/Etapa anulada, classificações em suspenso”

Por: José Carlos Gomes

A segunda etapa do Grande Prémio do Dão foi anulada, devido a problemas decorrentes da transição da responsabilidade de policiamento da GNR para a PSP, à entrada no circuito urbano de Viseu.

Aos problemas de segurança decorrentes da transição das responsabilidades de policiamento, juntou-se um engano no percurso, levando os ciclistas a parar antes de cruzarem a meta pela última vez.

Na sequência destes factos, a organização, em conjunto com o colégio de comissários, decidiu anular a segunda e última etapa da competição.

A Direção da Federação Portuguesa de Ciclismo vai aguardar pelo relatório do Presidente do Colégio de Comissários, decidindo posteriormente as medidas a tomar relativamente à homologação dos resultados da corrida, ao desfecho da Taça de Portugal e a outras ações que entenda convenientes e adequadas a este caso e à prevenção de futuras situações semelhantes.

Fonte: FPC

“Passeio de Bicicleta Dia 1 de Portugal”

Realiza-se no dia 24 de junho, em Guimarães, o Passeio de Bicicleta “Dia 1 de Portugal” promovido pela Associação de Ciclismo do Minho. A iniciativa é de participação gratuita (oferta de t-shirt oficial e do seguro), havendo a possibilidade de inscrição no Passeio e Mini Passeio. O arranque está marcado para as 10 horas, junto ao Estádio D. Afonso Henriques. As inscrições (gratuitas) podem ser efetuadas online (www.acm.pt).

A 9ª edição do Passeio de Bicicleta Dia 1 de Portugal terá dois percursos de dificuldade baixa (passeio e mini passeio), procurando-se assim incentivar a participação de todos os interessados, independentemente da idade e da condição física.

O Passeio de Bicicleta Dia 1 de Portugal pretende incentivar a prática desportiva e a utilização da bicicleta como opção de mobilidade, para além de assinalar uma importante data histórica, a Batalha de São Mamede (24 de Junho de 1128) que viria a ser designada como "a primeira tarde portuguesa".

A inscrição é gratuita e os participantes no Passeio de Bicicleta Dia 1 de Portugal terão direito a uma t-shirt oficial, oferecida pela Liberty Seguros, habilitam-se ao sorteio de prémios oferecidos pelos diversos parceiros da iniciativa e estarão cobertos pelo seguro desportivo.

A participação de figuras públicas e de referências do desporto tem sido uma das características do Passeio Dia 1 de Portugal, proporcionando-se assim momentos de interação e de convivência no contexto de uma autêntica "festa do ciclismo de lazer" em que pode participar toda a família.

Com partida e chegada junto ao Estádio D. Afonso Henriques (início às 10 horas), a iniciativa terá dois percursos (Passeio e Mini Passeio), sendo o trajeto inicial (no Centro Histórico de Guimarães) efetuado em conjunto por dois grupos de participantes. À passagem pelo local da partida, depois do trajeto inicial no Centro Histórico, termina o Mini Passeio.

O Passeio de Bicicleta Dia 1 de Portugal conta, entre outros, com os seguintes apoios: Câmara Municipal de Guimarães, Federação Portuguesa de Ciclismo, Liberty Seguros, Cision, Arrecadações da Quintã, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design, Tempo Livre / Centro de Medicina Desportiva de Guimarães, Vitrus Ambiente, Salvaggio, Controlsafe, Eyemotion, AFAcycles, Guimarpeixe, Hotel ibis - Guimarães, Enfcare - Serviços de Enfermagem, Lda., Interfios, Pevigel, FOX, FNAC - Guimarães e Ciclismo a Fundo (revista oficial).

Nas edições anteriores a iniciativa integrou a programação de Guimarães 2012 - Capital Europeia da Cultura, de Guimarães 2013 - Cidade Europeia do Desporto, foi o evento escolhido pelo Comité Olímpico de Portugal para assinalar o Dia Olímpico (2013), integrou o programa oficial das Comemorações dos 8 Séculos da Língua Portuguesa e fez parte do programa do centenário do Centro Juvenil de São José.

Fonte: ACM

“Miguel Arraiolos foi 36.º em Yokohama”

Espanhol Mario Mola foi o vencedor da prova com o tempo de 1:48.15 horas

Por: Lusa

Foto: Filipe Farinha

O português Miguel Arraiolos foi este sábado 36.º classificado no triatlo de Yokohama, no Japão, terceira prova do campeonato do mundo, que foi ganha pelo segundo ano seguido pelo espanhol Mario Mola.
Novo líder do circuito, o espanhol completou os três segmentos (1.500 m a nadar, 40,05 km de bicicleta e 10 km de corrida) em 1:48.15 horas, enquanto Miguel Arraiolos completou a prova em 1:53.00. O outro português em prova, João Silva, foi retirado no setor do ciclismo, após ter ficado com uma volta de atraso.

Vencedor em Gold Coast, Mola bateu o compatriota Fernando Alarza, segundo classificado, por oito segundos, e o norueguês Kristian Blummenfelt, terceiro, por 11.
Após três provas disputadas, Mola passou a liderar a classificação do Mundial com 2.064 pontos, destronando o também espanhol Javier Gomez Noya, que foi nono no evento japonês e caiu para terceiro, com 1.862, enquanto Alarza subiu a segundo, com 2.058.
Ausente em Yokohama, João Pereira é o português mais bem colocado no Mundial, ocupando o 16.º lugar, com 542 pontos, referentes ao sexto posto alcançado no triatlo de Abu Dhabi, única prova em que participou.

Fonte: Record on-line

“Equipa Portugal/Luís Costa sprinta para a quinta posição”

O português Luís Costa foi o quinto classificado na prova de fundo de classe H5 da Taça do Mundo de Paraciclismo, disputada em Maniago, Itália.

O paraciclista da Equipa Portugal conseguiu chegar ao final dos 63,9 quilómetros de corrida no grupo de seis corredores que disputou as medalhas. Luís Costa foi o quinto a cruzar a meta, com o mesmo tempo do vencedor, o holandês Tim de Vries. O segundo foi o italiano Alessandro Zanardi e o terceiro o estadunidense Alfredo de los Santos.

“Foi um desempenho muito bom do Luís Costa, cuja evolução é notória, pois foi capaz de manter-se sempre com os primeiros, intrometendo-se no sprint pelos melhores lugares”, afirma o selecionador nacional de paraciclismo, José Marques.

Fonte: FPC