sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

“Cicloturismo em retrospetiva”

2016 Cheio de muita pedalada

Texto: José Morais      

Fotos: Arquivo Notícias do Peddal

Com 2016 a chegar ao fim, e 2017 aproxima-se a largos passos, resta-nos fazer o balanço em retrospetiva, do que foram as pedaladas cicloturistas do ano que agora vai terminar. Num ano onde as dificuldades ainda se fizeram notar, com eventos de tradição a não serem realizados, equipas a acabarem por falta de apoios, tanto dos patrocinadores, como dos próprios ciclistas que possuíam, a não poderem suportar as despesas, uns no desemprego, outros por certas dificuldades da vida atual, mas que mesmo assim existiram alguns eventos novos que surgiram, e outros muito positivos, alguns não com numero de participantes de outros tempos, mas motivado em parte pela dita crise, ou ainda a diversidade de eventos que existiram no mesmo dia, o que acabava por dividir os participantes, já que muitos optaram pelo passeio mais próximo de onde residiam, o que em parte é positivo pela grande oferta e diversidade.

Ao longo de 2016 estivemos em vinte e nove eventos, dos quais, vinte cinco passeios, e quatro eventos relacionados com a bicicleta, iniciamos assim o calendário oficial da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB), com o tradicional Primeiro Passeio do Ano, realizado logo no dia 3 de janeiro, onde cerca de duas centenas e meia de amantes da bicicleta deram as boas vindas ao novo ano, num passeio marcado por más condições climatéricas, mas que não fez desistir os participantes. Ainda neste mesmo mês, se realizou mais uma Assembleia Geral da FPCUB, com mais um ano a provar a sua boa gestão que nos tem habituado ao longo destes anos.

O mês de fevereiro foi de descanso, e preparação de mais uma época que teve início em março, no dia 6, com a realização do primeiro passeio do Desportivo de Monte Real, em Tires, Cascais, um passeio que marcou, com uma excelente organização, que possui sem dúvida pernas para continuar, que apesar de ter tido alguns períodos onde a chuva marcou presença, os cerca de 200 participantes terminaram muito satisfeitos.

Neste mesmo mês, o Pinhal Novo recebeu o 28º passeio, onde cerca de 450 cicloturistas pedalaram num evento de tradição. Mas mesmo nos primeiros dias de março a dois, algo que tem a ver com a bicicleta, foi aprovada em Lisboa a “Rota da Costa Atlântica” em Portugal. A European Cyclist’s Federation aprovou a extensão de vias cicláveis na Rota da Costa Atlântica em Portugal, desde Sagres até Caminha, a já existente rota Eurovelo 1, denominada de Rota da Costa Atlântica, que em Portugal, liga Sagres a Vila Real de Santo António, passando assim a rota n.º1 da rede EuroVelo a contar com mais de 9.000 km de extensão, a qual vem desde a Escandinávia até Portugal.

O Mês de abril iniciou-se a três, com mais um tradicional passeio, o Penteado/Moita, recebeu mais um passeio de bicicleta, no seu 12º passeio, juntou mais de duzentos participantes, este ano com homenagens muito especiais a dois antigos dirigentes, e cicloturistas do pelotão nacional.

Mas neste mesmo mês, a dez, Fátima recebeu mais uma vez a tradicional Bênção Nacional dos Ciclistas, mais um ano as más condições climatéricas estiveram presentes, que acabaram por fazer desistir muitos participantes, mas mesmo assim, uma grande multidão resistiu, e mesmo á chuva fez questão de participar. Mas o mês terminou com mais uma bonita pedalada, desta vez na Freguesia de Santa Clara em Lisboa, nas comemorações do 25 de Abril, 180 participantes pedalaram pela capital, com um ciclista muito especial a acompanhar, o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina.

Mesmo no final de abril, e a entrar em maio, realizou-se de 29 a 1, o 13º Congresso Ibérico “ A Bicicleta e a Cidade”, em Vila Nova de Gaia, no Parque Biológico, sobe o lema, “Cidades Cicláveis, Cidade Inteligentes 20 Anos”, a organização esteve a cargo da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB), com o apoio da ConBici (Coordinadora en Defensa de La Bici).

Maio continuou no dia 8 com o 17º passeio do Brogal, um evento de tradição, este ano também marcado pelas más condições climatéricas, mas onde 137 fortes amantes das pedaladas, fizeram questão de dar alegria às estradas por onde passaram. E continuamos a pedalar logo no dia 15, desta vez em Lisboa, onde al Alvalade, cerca de 400 participantes estiveram nos dois passeios realizados pelo NCA-Escolinha da Bicicleta, um para os mais preparados, e um para os iniciantes, o tradicional passeio, avós, pais e netos. E fomos terminar em Marinhais, mais um grande passeio, onde no dia 28, quase 300 cicloturistas alinharam á partida, num passeio de grande tradição.

Entramos em junho, e logo no dia 5, fomos até á zona centro, Vila Nova de Cernache, Coimbra, onde 150 cicloturistas participaram em mais um passeio da Associação local, cheio de muita animação, um convívio muito bom, e momentos de homenagem de recordação, de elementos que já não se encontram entre nós. No mesmo dia Lisboa junta 400 pessoas a pedalar em mais uma edição da clássica Lisboa Antiga de Bicicleta. Mas, logo no dia 12, Lisboa recebe mais um grande passeio, do Vitória Clube Lisboa, duas centenas e meia pedalam por uma capital, num verdadeiro passeio de bicicleta. E no dia 19, o Crato, mais propriamente Gáfete organiza o seu 24º passeio, em terras alentejanas, estiveram duas centenas e meia, com um ciclista muito especial que apadrinha este evento já alguns anos, Cândido Barbosa, mas neste mesmo dia, novamente em Lisboa, os Pecadores da Musgueira pedalaram pela capital com quatrocentos e sessenta e cinco participantes. E acabamos o mês na Costa da Caparica, na comemoração do CCL-Clube de Campismo de Lisboa, dos seus 75 anos de existência, cerca de 300 cicloturistas comemoraram as bodas de diamante.

Entramos em julho, e logo no dia 3 fomos até Setúbal, no 2º Passeio Respeite o Ciclista, um passeio de sensibilidade juntou cerca de uma centena de participantes, onde temos de salientar que cerca de 20% dos participantes eram femininas. E até Mafra/Gare fomos a 10, mais um bonito passeio, apesar do trajeto acidentado motivados pela zona geográfica onde fica situado, o passeio foi excelente, e juntou cerca de duzentos participantes. E fomos terminar este mês em Pombal, terra de tradição, fizemos um dos mais belos eventos, e mais longos do calendários, as 14 horas a pedalar em Pombal, 400 participantes masculinos e femininos, 11 equipas, que iniciaram as pedaladas às 22 horas de sábado, terminando às 12 horas de domingo, uma forte pedalada cheia de muita animação, um dos mais bonitos passeios que participamos.

Entramos em agosto, férias, passeios reduzido, Volta a Portugal, mais ainda espaço para umas pedaladas, as primeiras foram no Afonsoeiro a 21, juntou 330 participantes, que mesmo com algum calor, promoveram um excelente passeio organizado pelo Afonsoeiro. E fomos terminar o mês na zona de Mafra, mais propriamente em Montemuro, a 28 com mais uma Rota do Queijo, duas centenas pedalara, num trajeto de sobe e desce, mas superado por todos.

Entramos em setembro, e no dia 18, cerca de 1500 amantes da bicicleta participarem na “Bicla Festa/Lisboa Ciclável, um evento inserido na Semana da Mobilidade, que evadiu Lisboa com bicicletas. E no dia 21, estivemos em mais uma entrega do Premio Nacional Mobilidade em Bicicleta, a forma de reconhecer publicamente o contributo de determinadas entidades ou pessoas individuais que tenham promovido a utilização da bicicleta nas suas múltiplas vertentes, através da criação ou melhoria de condições e facilidades em Portugal, ou da divulgação de iniciativas fomentadoras do uso deste veículo não motorizado.

Entramos em outubro, e nos últimos eventos, e logo no dia 2 fomos até a zona de Santarém, onde em Alcanhões, participamos no primeiro passeio o Cantinho do Avô, um passeio que juntou 200 participantes, e onde o resultado foi muito positivo, e onde este passeio vai ter sem dúvida penas para continuar. E terminamos em mais uma grande passeio, o Mega Passeio Lisboa/Santarém, este anos mais uma vez prejudicado pelas más condições climatéricas, mas mesmo assim junto 900 participantes, numa das melhores edições realizadas, e cheio de muita adrenalina.

Entramos em novembro, com apenas dois eventos realizados, e a encerrar o calendário oficial da FPCUB, e logo no dia 13, Lisboa foi novamente evadida por mais de 800 ciclistas, em mais uma edição da Bicicleta Solidária, um passeio muito bonito, muito participativo, num excelente dia de sol, onde os participantes apenas teriam de levar géneros alimentícios, distribuídos depois pelos mais necessitados. E terminamos o mês e o calendário de 2016 na Amadora, em mais uma edição a Prova da Castanha, realizou-se no dia 19, juntou centena e meia de participantes, num passeio noturno, que acabou com um excelente magusto, onde a tradicional castanha e a água-pé, animaram a noite após os 25 quilómetros de pedaladas.

Estes os melhores momentos que ao longo de 2016 trouxemos aos nossos leitores sobre cicloturismo, um pouco por esse país, em muitos mais gostávamos de estar presentes, mas nem sempre é possível, 2017 aproxima-se a bom ritmo, e a agenda já se começa a preparar, esperando no próximo podermos estar em mais locais, e novos passeios, e podermos continuar a divulgar a modalidade como o temos feito regularmente até aqui, por agora pouco mais para dizer, apenas desejar desta equipa, um Feliz Natal e um Prospero Ano, cheio de muitas e boas pedaladas, nós prometemos voltar em breve, já no próximo domingo 8 de janeiro, nas tradicionais primeira pedaladas de 2017, até lá, ficam os votos de bons passeios, boas pedaladas.