sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

“Caso Chris Froome pode estar perto do fim”

UCI não quer o assunto a arrastar-se demasiado

Por: Ana Paula Marques

O jornal italiano "Gazzetta dello Sport", da mesma empresa que organiza o Giro, revela esta sexta-feira que a UCI quer o caso Chris Froome resolvido o quanto antes, de modo a não a arrastar-se como aconteceu com o espanhol Alberto Contador, que acusou positivo no Tour de 2010, sendo que o processo só ficou concluído mais de dois anos depois.

Desse modo, avança ainda o referido jornal, deverá estar para breve uma decisão quanto ao positivo do britânico na Volta a Espanha de 2017.

Entretanto, enquanto isso não acontece, o ciclista da Sky vai mantendo-se 'longe' da Europa, na África do Sul, onde tem feito a preparação para uma época que ainda desconhece quando começará.

Fonte: Record on-line

“Volta à Comunidade Valenciana: BMC vence 'crono'... que não contou para nada”

Etapa foi anulada devido à perigosidade do percurso.

Por: Lusa

Foto: EPA

A BMC venceu esta sexta-feira o contrarrelógio por equipas da terceira etapa da Volta à Comunidade Valenciana em bicicleta, um exercício que foi neutralizado pela organização devido à perigosidade do percurso.

A equipa norte-americana gastou 27.25 minutos para cumprir os 23,2 quilómetros entre Benitatxell e Calpe, menos 1.08 do que a Astana e menos 1.12 do que a AG2R La Mondiale.

Na quarta posição, a 1.36 minutos da BMC, terminou a CCC Sprandi Polkowice, de Amaro Antunes, enquanto a Movistar, do líder Alejandro Valverde e do português Nuno Bico, foi apenas 11.ª, a 2.31.

A Burgos-BH, de José Mendes, terminou o contrarrelógio na 13.ª posição, a 2.45 dos vencedores.

Sem que o contrarrelógio contasse para a classificação geral, Valverde mantém a liderança, com quatro segundos de avanço sobre o espanhol Luis Leon Sanchez e seis sobre o dinamarquês Jakob Fuglsang, ambos da Astana.

Amaro Antunes mantém o 11.º lugar, a 29 segundos, com José Mendes a ser 81.º, com 2.38 minutos de atraso para o líder, e Nuno Bico ocupa o 148.º posto, a 12.41 do colega Valverde.

No sábado corre-se a etapa rainha da Volta à Comunidade Valenciana, com 184,2 quilómetros, entre Orihuela e Cocentaina, coincidindo a meta com um prémio de montanha de primeira categoria. Antes, os ciclistas terão de passar outras seis contagens de montanha.

Fonte: Record on-line

“Vito-Feirense-Blackjack apresenta-se para honrar campeões do passado”

Clube regressa à modalidade em ano de centenário

Por: Lusa

Foto: Hugo Monteiro

A Vito-Feirense-Blackjack apresentou esta sexta-feira a sua equipa de ciclismo, que vai incorporar o pelotão profissional português, num regresso do clube à modalidade em ano de centenário e com vontade de honrar campeões do passado.

A apresentação oficial dos 12 ciclistas e equipa técnica, que decorreu em S. João de Ver, contou ainda com a presença do presidente do Feirense, Rodrigo Nunes, que se congratulou com o regresso do clube à modalidade e que se deve à parceria com o Sport Ciclismo S. João de Ver.

"O regresso à modalidade deveu-se a uma conjugação de fatores, mas sobretudo pelo facto de este ano o clube comemorar o seu centenário. A união que fizemos com o Sport Ciclismo S. João de Ver é fundamental porque é um clube com pergaminhos na formação. Este é um projeto de futuro e esperemos que dê muitas alegrias aos feirenses numa terra com tradição de campeões. Já tivemos seis vencedores da Volta a Portugal oriundos do concelho de Santa Maria da Feira e também esses queremos honrar", admitiu o dirigente.

Quem também se mostra satisfeito com o regresso do ciclismo ao Feirense é Joaquim Andrade, antigo corredor e agora diretor desportivo da Vito-Feirense Blackjack, que não esconde a ambição de conquistar títulos.

"Finalmente o ciclismo está de novo na estrada. A nossa responsabilidade é muita, mas fazer parte do Feirense é inspirador. Será um ano de emoções fortes e esperamos o apoio de todos os feirenses espalhados pelo país, sobretudo durante a Volta a Portugal, prova em que queremos alcançar bons resultados", garantiu.

A equipa profissional do Feirense contará no seu elenco com alguns corredores que transitaram da estrutura anterior (LA Alumínios-Metalusa), nomeadamente Edgar Pinto, quinto classificado da Volta a Portugal em 2014 e que no ano passado ficou arredado da luta pela vitória devido a uma queda logo na segunda etapa.

Com Edgar Pinto transitam também Hugo Sancho, Luís Afonso e João Matias.

A Vito-Feirense-Blackjack conseguiu recentemente os seus primeiros títulos, por intermédio de João Matias, que conquistou duas medalhas de ouro nos campeonatos nacionais de pista, em Sangalhos, nas disciplinas de eliminação e perseguição individual.

O ciclista anseia continuar a somar troféus. "A responsabilidade aumenta, mas é sempre um orgulho vestir esta camisola. Vamos enfrentar a época com determinação e ambição para mais vitórias", referiu.

 

Equipa da Vito-Feirense-Blackjack para 2018:

Luís Afonso (ex-LA Alumínios-Metalusa)

Leonel Coutinho (ex-LA Alumínios-Antarte, 2016)

Xuban Errazin (ex-Rádio Popular Boavista)

Soufiane Haddi (ex-Skydive Dubai Pro Cycling)

João Leite (ex-S. João de Ver)

João Matias (ex-LA Alumínios-Metalusa)

Edgar Pinto (ex-LA Alumínios-Metalusa)

Bernardo Saavedra (ex-S. João de Ver)

Hugo Sancho (ex-LA Alumínios-Metalusa)

João Santos (ex-S. João de Ver)

Gonçalo Santos (ex-S. João de Ver)

Ricardo Vale (ex-Rádio Popular Boavista).

Diretor desportivo: Joaquim Andrade.

Fonte: Record on-line

“Sporting-Tavira sonha com a Volta a Portugal”

Plantel para 2018 apresenta três caras novas

Por: Luís Santos

Foto: Filipe Farinha

Como diretor desportivo, Vidal Fitas sabe o que é vencer a Volta a Portugal e mais de uma vez. Festejou entre 2008 e 2011, sempre com o Clube de Ciclismo de Tavira. O antigo ciclista quer recuperar o título, agora com a equipa agregada ao Sporting, o que acontece pela terceira temporada seguida.

"O sonho é voltar a ver a Praça da República na cidade cheia como um ovo para receber e consagrar os ciclistas", disse Vidal Fitas, em Tavira, durante a apresentação do plantel, depois de o mesmo ter subido ao relvado do Estádio de Alvalade. "As duas épocas anteriores foram atípicas. A primeira devido a um plantel feito à pressa, a segunda pelos muitos contratempos que impediram melhores resultados", frisou o diretor desportivo, esperançado que em 2018 seja concretizado o desejo da camisola amarela na Volta. "Este ano já temos um conhecimento melhor dos ciclistas e esperamos, sem azares, alcançar muitas vitórias e a principal de todas, a Volta a Portugal." Mas azares já aconteceram, com a queda de Fábio Silvestre no Gabão, tendo o ciclista sido operado à perna, que o afasta dos primeiros meses da temporada.

O plantel do Sporting-Tavira para este ano apresenta três caras novas, mas o italiano Rinaldo Nocentini, o espanhol Alejandro Marque e o português Joni Brandão continuam a ser as principais figuras. Para este último, 2017 é um pouco para esquecer, após ter falhado a Volta devido a doença. "Está aí 2018 e queremos conquistar muitas vitórias porque somos um coletivo e quem ganhar, ganha para o Sporting/Tavira".

Já Nocentini, que começou bem a época ao vencer duas etapas na Tropicale Amissa Bongo, não está preocupado com a idade (40 anos). "Estou motivado e preparado para fazer uma boa época com a equipa e se possível começando já na Volta ao Algarve."

 

PLANTEL PARA 2018

NOME                        EQUIPA ANTERIOR

Rinaldo Nocentini (ITA)      Sporting

Alexandro Marque (ESP)    Sporting

Joni Brandão (POR)           Sporting

David Livramento (POR)    Sporting

Frederico Figueiredo (POR) Sporting

Mário González (ESP)         Sporting

Fábio Silvestre (POR)         Sporting

Valter Pereira (POR)           Sporting

Valter Trueba (ESP)            Efapel

Nicola Toffali (ITA)              Cycling 0711

Alexsandr Grigoryev (RUS)  Mutual Levante

Diretor-desportivo: Vidal Fitas

Fonte: Record on-line

“Boavista apresenta equipa "mais equilibrada do que no ano passado"”

Garantia deixada pelo diretor das panteras

Por: Lusa

Foto: MoveNotícias

O diretor desportivo da equipa de ciclismo do Boavista, José Santos, afirmou esta sexta-feira que esta "é mais equilibrada" do que a do ano passado, durante a apresentação da mesma, no Estádio do Bessa.

José Santos, que ainda aguarda por um reforço com "bastante experiência", sustentou que, "ao reduzir-se o número de ciclistas por equipa", imposta pela União Ciclista Internacional, o Boavista conseguirá aproximar-se das "equipas mais fortes do pelotão nacional, que são o Sporting e o FC Porto".

"Temos este ano uma equipa mais madura", disse o responsável, sem esquecer os dois ciclistas de 18 anos (Francisco Moreira e João Salgado) que fazem parte da equipa, mas que dificilmente, segundo José Santos, poderão fazer parte do grupo que irá disputar a Volta a Portugal.

A equipa 'axadrezada' é formada por 10, com destaque para o russo Yuri Tromifov, de 34 anos, que foi 10.º classificado na Volta a Itália de 2015 e 14.º na Volta a França de 2014.

"O Trofimov pode discutir as principais coisas em Portugal, se conseguir atingir o nível exibido em anos anteriores", salientou José Santos.

Os restantes ciclistas para este ano são João Benta, Domingos Gonçalves, Filipe Cardoso, David Rodrigues, Luís Gomes, Francisco Moreira, João Salgado, o espanhol Oscar Pellegri e o também russo Egor Silin.

"Falta-nos ainda incluir mais um ciclista, que será alguém com bastante experiência, um todo-o-terreno que dará ainda mais força à equipa. Estamos ainda indecisos entre dois ciclistas portugueses disponíveis, mas que não estão a correr em Portugal", adiantou José Santos, afirmando querer um corredor para o 'sete' principal.

O objetivo é "tentar discutir de igual para igual com o FC Porto e o Sporting a hegemonia nacional".

José Santos acrescentou que o Boavista quer ser "uma equipa que não passe despercebida, ofensiva e, que se não ganhar, possa ser notada".

A equipa obteve o segundo lugar na classificação por equipas da Volta a Portugal de 2017, o que "foi importante".

O diretor desportivo boavisteiro acabou, depois, por dizer que "o objetivo será lutar pela vitória na geral da Volta a Portugal".

"Estamos mais fortes, mas depende muito de como reagem as outras equipas, porque só conseguimos saber se um produto é bom depois de o compararmos com os outros", considerou.

José Santos assinalou ainda que o Boavista reforçou-se um pouco, mas referiu também que "as outras equipas, se calhar, reforçaram-se ainda mais"

Não há ainda um chefe-de-fila claro: "Temos um trio que pode exercer esse papel, mas só depois de ser conhecido o percurso da Volta a Portugal é que podemos dizer quem poderá assumir a chefia da equipa."

Trofimov, João Benta e Domingos Gonçalves são os candidatos a chefiar a equipa boavisteira, segundo José Santos.

João Benta sétimo classificado na Volta a Portugal do ano passado, prometeu "luta" e considerou, em declarações feitas à agência Lusa, que o Boavista tem "uma equipa coesa e com capacidade para fazer frente aos adversários e discutir as provas do calendário".

"Querem de mim mais na Volta a Portugal, eu acredito que é possível e tenho trabalhado a pensar na Volta a Portugal deste ano, mas não vou estar a indicar metas elevadas. Tudo aquilo que seja melhor do que sétimo é bom", afirmou João Benta.

O Boavista anunciou que vai participar em 31 provas, destacando-se entre elas a Volta a Portugal, a Volta às Astúrias, em Espanha, de 29 de maio a 01 de junho, e, em abril, uma corrida em França.

Fonte: Record on-line