terça-feira, 12 de março de 2019

“João Silva medalha de bronze na Taça do Mundo Cape Town 2019”

Realizou-se a primeira Taça do Mundo, a 2019 Discovery Cape Town World Cup, com João Silva a estrear a temporada da melhor maneira subindo ao terceiro lugar no pódio.

A prova da elite feminina na distância sprint contou com as triatletas portuguesas Melanie Santos, do Sport Lisboa e Benfica, Helena Carvalho, do Sporting Clube de Portugal e Andreia Ferrum, do OutSystems Olímpico de Oeiras. Na elita masculina participaram os atletas João Silva, Miguel Arraiolos e Vasco Vilaça, do Sport Lisboa e Benfica e Ricardo Batista, do Clube de Natação de Torres Novas.

Numa prova muito rápida e disputada, e com um vento forte que dificultou a prova especialmente no segmento do ciclismo, houve bons resultados no setor feminino: Melanie Santos, que alinhou com o dorsal número 5, saiu da água em 19º enquanto a sua compatriota Helena Carvalho terminou o segmento de natação em 21º. Andreia Ferrum teve uma natação menos conseguida saindo da água em 47º.

Melanie Santos chegou a estar na 8ª posição, alcançando o bom resultado de 14º lugar.

Na terceira volta do percurso de ciclismo, Helena Carvalho posicionou-se no segundo grupo de ciclismo chegando a ocupar o sétimo lugar. Na quarta volta do ciclismo a atleta posicionava-se em 18ºe Melanie Santos em 25º.  Na segunda transição para a corrida, Helena Carvalho iniciou na 23ª posição e Melanie Santos em 24º lugar, enquanto a atleta japonesa Fuka Sega liderava a corrida. Melanie Santos, chegou a recuperar para a 8ª posição, terminando a prova em 14º lugar, com 00:58:50, mais 01:26 que a primeira classificada.

Helena Carvalho acabou a primeira Taça do Mundo da época na 22ª posição, com o tempo de 00:59:32 e Andreia Ferrum ficou em 53º lugar com o tempo 01:07:35.

A vencedora da competição foi a japonesa Ai Ueda que concluiu a prova em 00:57:24.

A prova masculina na Taça do Mundo em Cape Town

A prova da elite masculina da primeira Taça do Mundo de Triatlo da época, realizada em Cape Town terminou com o triatleta do Sport Lisboa e Benfica João Silva a conquistar a medalha de bronze com o tempo de 00:52:20, mais 16’’ que o vencedor. Esta competição foi disputada na distância sprint e contou com quatro triatletas portugueses.

João Silva alinhou com o dorsal número 3 e terminou na mesma posição

«Foi uma prova em que fui consistente nos três segmentos, foi muito definida pelo vento que se fez sentir e que originou umas dinâmicas de prova diferentes e interessantes.» conta-nos João Silva

Na segunda transição para o segmento da corrida, João fez uma «má transição», mas apesar disso o atleta do Benfica conseguiu ser muito forte na corrida, passando para a terceira posição na primeira volta, lugar que acabou por manter fazendo uma excelente recuperação e tentando ainda a segunda posição com o espetacular sprint final com Tony Smoragiewicz, o norte americano que terminou como segundo classificado.

João Silva conquistou a terceira posição do pódio desta primeira Taça do Mundo na África do Sul.

Ricardo Batista, nomeado atleta do ano na Gala do Triatlo e o atleta nacional mais novo em prova, fez um bom segmento de natação saindo da água na 15ª posição, seguido de João Silva na 17ª.  Miguel Arraiolos e Vasco Vilaça concluíram o segmento de natação na 36ª e 37ª posição respetivamente.

Ricardo Batista acabou por passar a meta na 42ª posição e Vasco Vilaça em 55º lugar. Miguel Arraiolos não concluiu a prova.

O vencedor desta competição foi Alex Yee, da Grã Bretanha, com 00:52:04, um atleta que saiu da água em 48º em 63 atletas, e foi conseguindo recuperar posições, passando para a frente na primeira volta de corrida, vantagem que manteve até ao final.

Estas primeiras competições da época funcionam como um teste à condição física dos atletas, que estão sujeitos ainda ao grau de imprevisibilidade das três modalidades, onde existem muitas variantes da natação, ciclismo e corrida e das duas transições que estão incluídas nas provas de triatlo. Esta distância sprint torna a prova extremamente rápida, em que os atletas estão quase sempre no limite das suas forças.

É apenas a primeira prova de muitas numa época que se prevê muito competitiva em que os atletas pretendem pontuar para a qualificação olímpica. Boa sorte aos triatletas e que continuem com a garra de sempre!

Fonte: FTP

“Primeira WTS da época realizou-se em Abu Dhabi e contou com 5 triatletas nacionais!”

Realizou-se dia 8 de março, a primeira etapa do Campeonato do Mundo de Triatlo, em Abu Dhabi, uma prova na distância sprint onde participaram dois atletas nacionais da elite masculina. João Pereira conquistou a 12ª posição e João Silva finalizou a prova em 16º lugar.

A prova iniciou às 10h06 e contou com os melhores triatletas da atualidade, incluindo praticamente todos os atletas que se encontram atualmente nos 20 primeiros do ranking mundial do campeonato do mundo.

João Silva e João Pereira alinharam à partida, fazendo um segmento de natação razoável saindo do primeiro segmento da água em 32º e 38º. Depois da primeira transição conseguiram integrar-se no segundo grupo de ciclismo, trabalhando em conjunto no grupo perseguidor.

Os dois triatletas nacionais acabaram por integrar o primeiro grupo a pedalar, constituído por um grande número de ciclistas, deixando os resultados em aberto. João Pereira saiu bem na transição do ciclismo para a corrida, com João Silva colocado apenas alguns lugares atrás.

Com dois atletas na frente da corrida a um ritmo muito forte, João Pereira e João Silva encontraram-se no grupo perseguidor fazendo um bom segmento de corrida, tal como habitual.

João Pereira classificou-se na 12ª posição, com 00:52:27, mais 27’ do que o vencedor, enquanto João Silva ficou em 16º, com 00:52:35.

A prova foi ganha pelo espanhol Mario Mola, com 00:52:00, na segunda posição ficou Alex Yee, da Grã Bretanha com 00:52:03 e no terceiro lugar no pódio foi ocupado pelo segundo espanhol Fernando Alarza, com 00:52:12.

A prova da elite feminina

Passadas pouco mais que duas horas realizou-se às 12h06 a prova da elite feminina que contou com a participação de Melanie Santos e Helena Carvalho. Melanie Santos classificou-se em 23º lugar, enquanto Helena Carvalho foi a 42ª classificada da prova. Ambas ficaram aquém das suas expetativas, mas esta primeira prova do Campeonato do Mundo foi extremamente competitiva e as triatletas tiveram uma performance à altura de um evento deste género.

 

Prova por Estafetas Mistas

Realizou-se dia 9 de março, a segunda prova do campeonato do mundo em Abu Dhabi, uma competição no formato de Estafetas Mistas, que contou com a presença de quatro atletas portugueses: Melanie Santos, João Silva, Vera Vilaça e João Pereira classificaram-se em equipa na 11ª posição entre as 18 equipas que terminaram a prova. Este será o formato para a nova modalidade olímpica que tem estreia marcada para os Jogos Tóquio em 2020.

Cada um dos elementos da equipa tem que fazer um triatlo na distância super sprint, estando sempre no máximo das suas capacidades, podendo surgir muitas mudanças de posição durante a prova.

Melanie Santos foi o primeiro elemento a entrar em prova: saiu em 11º da água, fez a primeira transição em 8º, na segunda transição aumentou a vantagem para terceiro, mantendo-se no grupo perseguidor na corrida, com a triatleta americana a liderar sozinha a frente da prova.

Passou o testemunho a João Silva em 7º, Portugal chegou a ficar em 12º, mas o triatleta ganhou vantagem para 10º, passando o testemunho a Vera Vilaça em 7º que saiu do segmento de natação em 6º, mantendo-se sempre no grupo perseguidor, fazendo uma excelente prova.

Nesta altura havia dois grupos, o primeiro constituído por dois elementos – dos EUA e da Austrália – e o grupo perseguidor que acabou por ficar com apenas cinco atletas, onde se incluía a atleta portuguesa Helena Carvalho, o terceiro elemento da equipa em prova. E assim se manteve durante toda a competição, passando o testemunho em 11º.

João Pereira saiu da água em 11º, ganhou vantagem para a 8º posição, acabando por passar a meta em 11º com o tempo total dos quatro elementos de 01:25:52 mais 00:01:36 que a equipa vencedora.

Quem ganhou a prova foi a equipa australiana com 01:24:16, seguida da americana com 01:24:21 e no terceiro lugar ficou Nova Zelândia com 01:24:31.

As equipas de Itália, Portugal e Brasil sofreram penalizações o que pode ter influenciado os resultados, mas numa prova de triatlo tão rápida e por estafetas existem por vezes situações que não se conseguem controlar.

Fonte: FTP

“As etapas da Taça de Portugal Triatlo em 2019”

17 de março em Grândola – XXV Duatlo de Contrarrelógio

28 de abril em Quarteira – XVIII Triatlo Cidade de Quarteira Carlos Gravata

8 de junho em Peniche– XXXVI Triatlo Cidade de Peniche

16 de junho em Alhandra – III Triatlo de Alhandra

7 de julho Fundão – III Triatlo David Vaz

28 de julho em Coruche – III Triatlo de Coruche

7 de setembro Lagoa da Ervedeira – IV Triatlo de Leiria

Fonte: FTP

“III Triatlo de Cuba recebe Taça de Portugal”

No dia 10 de março realizou-se o III Triatlo de Cuba que foi também a primeira prova de triatlo do ano e incluiu a primeira etapa da Taça de Portugal.

A prova foi brindada por um dia quente e com muito sol e com uma temperatura da água que rondava os 16º. Os atletas nadaram os 750 metros nas águas tranquilas da barragem de Albergaria dos Fusos, os 20km de ciclismo foram realizados em asfalto com um piso em boas condições e com pouca altimetria, e na corrida de 5km os triatletas tinham duas voltas para percorrer entre estrada e terra batida. A meta estava instalada em Cuba no parque que serviu de palco para o muito público que saiu à rua para aplaudir os atletas do III Triatlo de Cuba.

Em femininos o Alhandra Sporting Club venceu esta etapa da Taça de Portugal que em masculinos foi o OutSystems Olímpico de Oeiras que subiu ao primeiro lugar.

Foi o Alhandra Sporting Club que subiu ao mais alto lugar no pódio, com Gabriela Ribeiro que fez a prova em 01:00:57 e que venceu também a geral da competição feminina, Inês Rico que concluiu em 01:02:54 e Ana Ramos que passou a meta com 01:04:29.

«Estou muito contente com a vitória da Gabriela, assim como o controlo também da sua prova em todos os segmentos. » explica Rafael Ribeiro, treinador do Alhandra Sporting Club. Mas o técnico realçou principalmente a prestação de todas as atletas do Alhandra por entrarem com o pé direito na primeira etapa da Taça de Portugal a ganhar o primeiro lugar do pódio!

Em segundo lugar ficou o Clube de Natação Torres Novas, com Madalena Almeida com 01:01:42, Joana Miranda com 01:06:36 e Margarida Razões com 01:14:58.

A terceira posição feminina foi conquistada pelo Outsystems Olímpico de Oeiras, com Maria Tomé com 01:03:48, Liliana Alexandre com 01:09:10 e Beatriz Nunes Santos com 01:12:44.

Além do terceiro lugar em femininos, o OutSystems Olímpico de Oeiras conquistou também o primeiro lugar desta primeira etapa da Taça de Portugal com Tiago Fonseca que fez o tempo de 00:54:16, Alexandre Montez que fez a prova em 00:54:43, André Bôto com 00:55:56 e Gonçalo Oliveira com 00:56:10.

Rodolfo Lourenço, treinador do OutSystems Olímpico de Oeiras, afirma que a vitória nesta prova confirma os bons sinais fornecidos pelos atletas do clube quando realizaram o estágio no Carnaval. «Mostra que estamos no bom caminho», afirma Rodolfo Lourenço. Apesar desta vitória, o treinador do Olímpico reforça que os principais objetivos são «a disputa pelo Nacional de Clubes em masculinos e femininos e revalidar o título de Campeões Nacionais de Estafetas Mistas.»

O segundo lugar no pódio foi conseguido pelo Clube de Natação Torres Novas com Ricardo Batista, que venceu a geral da prova com o tempo de 00:53:58, José Pedro Vieira com 00:55:07, Afonso do Canto com 00:55:35 e Gonçalo Mendes com 00:57:08.

Na terceira posição ficou o Estoril Praia Credibom, com Rafael Domingos com 00:55:04, Diogo Silva que fez o tempo de 00:55:08, João Ferreira com 00:56:43 e Filipe Marques que chegou à meta em 01:00:25.

 

Os resultados absolutos

A prova foi ganha por Ricardo Batista, do Clube de Natação Torres Novas, com o tempo de 00:53:58, o segundo lugar no pódio foi ocupado por Tiago Fonseca, do Outsystems Olímpico de Oeiras, com 00:54:16 e na terceira posição ficou João Mansos, do Sporting Clube de Portugal, que completou a prova em 00:54:18.

Ricardo Batista vinha com elevadas expetativas que acabaram por se concretizar. «Foi uma prova muito difícil do princípio ao fim. Na natação eu com um grupo de mais três atletas tentámos criar um espaço para o grupo perseguidor». Essa distância do primeiro para o segundo grupo manteve-se no ciclismo. «Eu e os outros atletas trabalhámos bastante bem a pedalar e chegámos com uma vantagem confortável à corrida». O atleta do Torres Novas teve apenas que gerir o esforço na corrida para conseguir vencer este III Triatlo de Cuba. «Estou muito feliz com o resultado!»

Gabriela Ribeiro, do Alhandra Sporting Club, foi a primeira a cortar a meta com 01:00:57, Madalena Almeida, do Clube de Natação Torres Novas, conquistou a segunda posição com 01:01:42 e Mariana Vargem, do Clube Naval do Funchal, foi a terceira no pódio com 01:02:18.

Gabriela Ribeiro participou na prova com o objetivo de se apurar para a Taça da Europa de Quarteira, pelo que desenvolveu várias estratégias para o conseguir. «A prova correu bastante bem, fiz um segmento forte de natação tal como tinha previsto (00:09:39). Quando me apercebi que a Madalena Almeida vinha atrás, decidi esperar por ela para poder trabalhar em conjunto no ciclismo.» Gabriela e Madalena trabalharam bastante bem em conjunto no segundo segmento, chegando ao mesmo tempo à segunda transição. «Depois na corrida foi dar tudo e consegui ganhar a competição».

De salientar Inês Rico, que foi a quarta triatleta feminina a cortar a meta com o tempo de 01:02:54 e a primeira cadete, um feito único segundo o treinador do ASC. A atleta disse à chegada que tinha ‘magoado o pé’ ao sair da água, mas afinal tinha mesmo um dedo do pé partido.

«Como ainda estava quente, não doeu tanto. Mas corri com muitas dores no pé mas não impeditivas. Tinha que acabar a prova»! explica a atleta do Alhandra Sporting Club.

Grande atleta que conseguiu terminar a prova e ainda ajudar o clube naquelas condições!

Esta foi também uma prova de observação e seleção, uma competição que irá ditar as seleções nacionais para a Taça da Europa de Juniores de Quarteira e para a Taça da Europa de Elites de Sines.

Este evento integrou federados e não federados que puderam participar na prova aberta. 

A FTP dá os parabéns aos atletas que deram o seu melhor!

Fonte: FTP

“Sam Bennett interrompe domínio de Groenewegen no Paris-Nice”

Português Amaro Antunes (CCC) voltou a ser afetado por uma queda

Por: Lusa

Foto: EPA

O ciclista irlandês Sam Bennett (Bora-hansgrohe) venceu esta terça-feira ao sprint a terceira etapa do Paris-Nice, interrompendo o domínio do holandês Dylan Groenewegen (Jumbo-Visma), que mantém a liderança.

No final dos 200 quilómetros entre Cepoy e Yzeure, Bennett impôs-se em 5:16.25 horas, batendo o australiano Caleb Ewan (Lotto-Soudal) e o holandês Fabio Jakobsen (Deceuninck-QuickStep), segundo e terceiro, respetivamente.

Depois de ter entrado nos quilómetros finais mal colocado, Groenewegen, vencedor das duas primeiras etapas, ainda tentou lutar pelo sprint, mas não teve forças e acabou na nona posição, com o mesmo tempo de Bennett.

Na geral, o holandês manteve a liderança, com seis segundos de avanço sobre o polaco Michal Kwiatkowski (Sky) e 11 sobre o espanhol Luis León Sanchéz (Astana).

O português Amaro Antunes (CCC) voltou a ser afetado por uma queda, tal como na véspera, e terminou a etapa na 109.ª posição, a 1.33 minutos do vencedor, subindo ao 102.º lugar, com 11.20 de atraso para o líder.

Na quarta-feira, corre-se a quarta etapa, a mais longa da 77.ª edição do Paris-Nice, com 212 quilómetros a ligar Vichy a Pélussin, num percurso com seis contagens de montanha, uma das quais de primeira categoria, a 60 quilómetros da meta.

Fonte: Record on-line

“Faltou Sal(gueiro) para Melhor Sardinha na Póvoa”

Texto: AfterTwo //Works         

Fotos: Pedro Carvalho e AfterTwo //work

A equipa Sicasal Constantinos evoluiu este domingo nas estradas do concelho da Póvoa de Varzim onde participou na 23ª edição da Clássica da Primavera. Um dia solarengo e temperaturas a fazer jus ao nome da prova, brindaram os atletas com excelentes condições para enfrentarem as sete voltas ao sempre exigente “Circuito da Póvoa”, com treze setores de empedrado e sete escaladas aos 200 metros de altitude do Monte de São Félix, local de culto religioso e ponto mais alto do município poveiro.

Os atletas de Torres Vedras mantiveram um desempenho regular ao longo da competição, com demonstração de grande maturidade por parte dos mais experientes e um enorme espírito de sacrifício dos que esta época fazem a estreia na categoria Sub-23. 

Até à penúltima volta mantiveram-se estáveis num pelotão que rolava compacto em perseguição de um quarteto que andou em fuga grande parte da corrida e mesmo depois de um normal aceleramento na parte final da prova, a equipa mantinha elementos na frente que podiam garantir um ótimo resultado coletivo, mas uma aparatosa queda de Miguel Salgueiro a cerca de um quilómetro da meta, acabou por anular as melhores ambições da equipa. 


Na 33ª posição, Diogo Sardinha foi o primeiro atleta da formação torriense a cruzar a meta a 1 minuto do vencedor, o jovem César Martingil da formação do Sporting/Tavira. O atleta sintrense afirmou que "apesar do az ar do Miguel, que nos impediu de obter um resultado mais positivo, considero que deixamos aqui uma boa imagem.

Quero realçar todo o trabalho desenvolvido pelo nosso staff no backoffice e por todos os m e u s colegas na estrada onde nos apoiámos mutuamente. Estamos a trabalhar muito e bem em prol do grupo. Somos uma verdadeira família e saímos hoje daqui mais fortes e ainda mais focados no nosso desenvolvimento".

 José Vieira em 63º e Marcelo Salvador na posição seguinte, cruzaram a linha final quarenta segundos depois de Diogo Sardinha, enquanto Iúri Leitão e Miguel Salgueiro chegaram cerca de dois minutos depois na 68ª e 70ª posição.

Quanto aos estreantes, realce para o enorme espírito lutador demonstrado pelo Wilson Esperança que terminou a prova na 88ª posição com mais de 15 minutos sobre o tempo do vencedor, num dia em que Francisco Guerreiro foi obrigado a abandonar no limiar da dor causada por uma recente lesão na perna. A equipa regressa à competição já no próximo dia 17 para disputar a Clássica da Arrábida na região de Setúbal.

Fonte: Academia Joaquim Agostinho

“Apresentação oficial da Escola de Ciclismo de Matos-Cheirinhos”

Decorreu no passado dia 2 de março a apresentação oficial da Escola de Ciclismo de Matos-Cheirinhos, para apresentar as cores oficiais, os atletas e todo o staff para a nova época.

Este evento teve lugar, e como habitualmente, na sala de conferências do Hotel Vila Galé em Cascais.

Foi num ambiente de alegria que juntamos uma grande família adepta de ciclismo, desde os nossos patrocinadores, entidades oficiais, como a CM de Cascais, representada pelo Sr. Fernando Ferreira Marques, a J.F. São Domingos de Rana, representada pela sua Presidente a Prof. Fernanda Gonçalves, a Federação Portuguesa de Ciclismo representada pelo Director Hugo Sabido e a Associação de Ciclismo de Lisboa, representada pelo seu Presidente o Sr. Aníbal Oliveira, a que se juntaram os pais e amigos da nossa escola.

Foi ainda homenageado o corredor medalhado nas provas da Taça de Portugal de Pista 2019, o Alexandre Tsokaridis.

Entre os discursos da praxe, foram apresentados os corredores dos vários escalões, e como são eles os protagonistas, aqui ficam para a posterioridade, um total de 42 corredores:


Pupilos / benjamins 5 a 8 anos

Diogo Broco, Tiago Atilano,Tiago Mixão


Iniciados 9, 10 anos

Manuel Curião,Tomás Pinto


Infantis 11, 12 anos

Daniel Dias, David Luta, Diogo Figueiredo, Hugo Rocha, Luan Reis


Juvenis 13, 14 anos

Eduardo Santos, João Figueiredo, João Mendes, José Maria, Manuel Costa, Simão Valentim, Thomas Lopes, Tomás Mixão


Cadetes 15, 16 anos

Marta Figueiredo, Afonso Gaspar, António Mateus, Diogo Dias, Diogo Pinto, Filipe Tomé, Gonçalo Branco, Martin Pereira, Marta Figueiredo


Juniores 17, 18 anos

Alexandre Coutinho, André Rodrigues, Bruno Barão, Daniel Casquilho, David Rosa, Gabriel Fonseca, Hugo Martins, Luís Rosa, Ricardo Sousa, Simão Alves, Tomás Melo, Mateo Luís, Esteves Robin


SUB-23

André Soares


Paraciclistas

Pedro Garcia, Miguel Braga

 
Staff

Fernando Sabido, Jorge Barão, Mário Barão, Ricardo Magalhães, Sónia Martins, Helena Lopes, Tiago Pereira, Ricardo Mixão, Manuel Fonseca e Nelson Tomé.

Agradecemos a presença de todos, ficando a promessa de dignificar o emblema do clube em todas as provas participadas.

Fonte: Escola de Ciclismo de Matos-Cheirinhos

“Escola de Ciclismo de Matos-Cheirinhos na1ª Taça de Portugal Júnior 2019”

Emoções fortes no fim-de-semana

Gabriel Fonseca, Vencedor de meta volante da Taça de Portugal Júnior/Juniores masculinos, e Diogo Pinto, 4º Lugar á geral na Volta ao Concelho de Cantanhede/Cadetes masculinos.

Na 1ª Taça de Portugal Júnior 2019, a equipa trabalhou muito e esteve em destaque, entrando na fuga do dia com Gabriel Fonseca, com vitória numa meta volante, e em fuga intermédia com Daniel Casquilho. Menos sorte teve Luís Rosa com um furo à entrada do premio de montanha a obrigar a esforços dobrados, mas com a ajuda dos colegas conseguiu recolocar-se no pelotão. Prova muito dura e percorrida a alta velocidade, toda a equipa terminou a corrida, integrada nos vários grupos que se foram formando, está de parabéns toda a equipa de juniores.

Os cadetes deslocaram-se a Cantanhede para a Volta ao Concelho, pelotão numeroso e de qualidade, uma prova longa e feita a alta velocidade, com Diogo Pinto a discutir a vitória no sprint final, conquistando um excelente 4º lugar.

Destaque ainda para Diogo Dias que chegou integrado no grupo principal. Menos sorte teve o Afonso Gaspar com uma queda logo no arranque e mais tarde um problema mecânico que o atrasou irremediavelmente, quando estava integrado no grupo que discutiu a vitória.

O Filipe Tomé acusou o desgaste da corrida tendo descolado nos últimos 7 km, ainda assim uma ótima prestação. Destaque ainda para os estreantes de provas em linha, Gonçalo Branco, Martin Pereira e António Mateus que tudo fizeram para resistir à alta velocidade da corrida, tendo abandonado a meio da prova, quando já estavam fora do controlo, o caminho da aprendizagem é longo e requer paciência, parabéns a toda a equipa de cadetes.

Agradecimento especial ao Sr. António Branco pela cedência da sua viatura particular para acompanhamento da prova

 

Estiveram na estrada:

 

𝐂𝐚𝐝𝐞𝐭𝐞𝐬 𝐦𝐚𝐬𝐜𝐮𝐥𝐢𝐧𝐨𝐬 9° Lugar coletivo

Diogo Pinto 4° a 0 s

Diogo Dias 35° a 0 s

Filipe Tomé 47° a 4 m:14s

Afonso Gaspar 56° a 8 m:49s

Martin Pereira DNF

António Mateus DNF

Gonçalo Branco DNF
 

𝐉𝐮𝐧𝐢𝐨𝐫𝐞𝐬 𝐦𝐚𝐬𝐜𝐮𝐥𝐢𝐧𝐨𝐬 10° Lugar coletivo

Gabriel Fonseca 17° a 58s

Ricardo Sousa 36° a 3 m:09s

Daniel Casquilho 44° a 3 m:09s

André Rodrigues 55° a 3 m:09s

Alexandre Coutinho 76° a 11 m:56s

Luís Rosa 77° a 11 m:56s

Tomás Melo 79° a 11 m:56s

Fonte: Escola de Ciclismo de Matos-Cheirinhos

“1ª Prova do Troféu BIKE CHALLENGE Terras de Santa Maria/VI Resistência Rota do Moleiro 2019”

Por: Nuno Almeida

A Resistência Rota do Moleiro, prova disputada em BTT, realizada nos caminhos em redor do Parque Temático Molinológico, em Ul, Oliveira de Azeméis, contou com a presença de 4 atletas INTERCAIMABIKE, correndo em duplas MIX, num traçado de 6kms com piso misto.

Corrida exigente a nível físico e técnico, onde os atletas atingem os seus limites, durante as 3 horas de duração da prova.

No final desta 1ª edição do campeonato de resistências, os bravos Intercaimabike, obtiveram os resultados;

1º Lugar de pódio da dupla, Carlos Almeida/Laura Bastos

2º lugar de pódio da dupla, Alfredo Nogueira/Joana Vieira

A organização está de parabéns pelas boas condições criadas para este evento.

Próxima resistência será dia 25/04/2019 em Pijeiros, organização Peruf.

Fonte: Intercaimabike 




 

“Estreia na Taça Rendeu Quatro Pódios”

Texto: AfterTwo //works

 Fotos: Federação Portuguesa de Ciclismo

A equipa da Academia Joaquim Agostinho\UDO foi uma das protagonistas da primeira etapa da Taça de Portugal de juniores, conquistando vários pódios na prova realizada este domingo em Castelo Branco.

Nas estradas albicastrenses os atletas da Academia torriense andaram sempre na frente e cedo começaram a dar nas vistas, com Daniel Fortes a conquistar a única meta de montanha do dia instalada ao quilómetro trinta e quatro.  

Na segunda metade da corrida foi Daniel Gonçalves a promover uma das maiores iniciativas do dia com uma fuga a dois que viria a ser desfeita a cerca de 30 quilómetros da meta.

O atleta do Sobral de Monte Agraço que esta época se estreia na categoria, levou mais longe o atrevimento e não conseguindo entrosamento com o adversário avançou a solo, rolando assim mais de dez quilómetros até ser alcançado por um grupo de seis atletas que viriam a discutir a competição.

Entre eles estava André Silva que não conseguiu acompanhar o derradeiro ataque desferido por André Domingues a um quilómetro da meta. O ciclista da Escola Bruno Neves foi o primeiro a cortar a meta com três segundos de vantagem sobre André Silva, tendo este alcançado a terceira posição após vigoroso sprint decidido por escassos centímetros de diferença.

O excelente desempenho de todos os elementos da equipa resultou num fantástico segundo lugar coletivo entre as dez equipas participantes. Henrique Frois terminou na 9ª posição da geral enquanto Daniel Fortes alcançou o 15º posto, tendo subido ao pódio para receber o troféu de líder da montanha.

Duarte Bento cortou a meta na 29ª posição ladeado por Daniel Gonçalves que também marcou presença no pódio para receber o prémio de segundo classificado nas metas volantes. O também estreante João Ferreira foi o 49º a finalizar a prova cerca de dois minutos depois dos companheiros de equipa.

Fonte: Academia Joaquim Agostinho
 

 

“Agenda de Ciclismo”

Ciclismo internacional de volta à Arrábida

Por: José Carlos Gomes

A terceira edição da Clássica da Arrábida, prova internacional de estrada, vai disputar-se no próximo domingo, entre Palmela e Sesimbra. No BTT, o próximo fim-de-semana será de arranque da Taça de Portugal de Maratona e de continuidade da Taça de Portugal de Downhill.

A Clássica da Arrábida será disputada por um pelotão de 161 corredores, em representação de 23 equipas. Na mais internacional edição de sempre, estarão presentes ciclistas de 18 países: Alemanha, Angola, Austrália, Bélgica, Bulgária, Espanha, Estados Unidos da América, França, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Noruega, Nova Zelândia, Portugal, Reino Unido, Rússia, Suíça e Uruguai.

A prova começa, às 11h40, no Largo de S. João, Palmela, terminando, cerca das 16h00, no Castelo de Sesimbra, depois de percorridos 182,3 quilómetros. A fase final, em circuito, terá um total de 33 quilómetros, que incluem três subidas ao Alto da Serra, a última com meta no castelo. Além das subidas, curtas mas exigentes, a Clássica da Arrábida mantém-se fiel ao ingrediente que lhe tem dado carisma: dois setores de terra-batida e gravilha.


Equipas

Continental Profissional: Caja Rural-Seguros RGA e Euskadi Basque Country-Murias (Espanha), W52-FC Porto (Portugal)

Continental: Aviludo-Louletano, Efapel, LA Alumínios-LA Sport, Miranda-Mortágua, Rádio Popular-Boavista, Sporting-Tavira, UD Oliveirense-InOutBuild e Vito-Feirense-PNB (Portugal), BAI-Sicasal-Petro de Luanda (Angola), Lokosphinx (Rússia), Swiss Racing Academy (Suíça), Team Diffedange-GeBa (Luxemburgo), Team Wiggins LeCol (Reino Unido) e Uno-X Norwegian Development Team (Noruega).

Equipas de Clube: ACDC Trofa/Trofense, Crédito Agrícola/Jorbi/Almodôvar, Fortunna/Maia, Jorbi/Team José Maria Nicolau, JV Perfis/Gondomar Cultural e Sicasal/Constantinos (Portugal)


Taça de Portugal de Downhill (DHI)

A segunda prova da Taça de Portugal de DHI corre-se no próximo domingo, em Porto de Mós. Será uma competição pontuável para o ranking internacional. Estarão presentes nomes fortes da cena DHI mundial, entre os quais o número um do ranking UCI, o francês Amaury Pierron.

A pista de Porto de Mós, com 2100 metros de extensão, abre para treinos no sábado, mas será no domingo que a competição vai realizar-se. Às 11h00 inicia-se a manga de qualificação. A final está marcada para as 14h30.

 
Taça de Portugal de Maratona BTT (XCM)

A Taça de Portugal de Maratona BTT começa no próximo domingo, em Melgaço. Aquele concelho do alto Minho vai receber mais de 300 betetistas de competição, aos quais se juntarão os participantes não federados.

A partida será dada às 9h30, havendo três percursos distintos. Os masculinos até master 45 vão cumprir a maratona longa, com 80 quilómetros de extensão e 2490 metros de desnível positivo. As femininas e os masters a partir de master 50 terão diante a maratona curta, 62,5 quilómetros com 1860 metros de acumulado. Ainda estará disponível um percurso de 40 quilómetros com 1160 metros de acumulado.
 

Mais eventos oficiais

16 de março: Estrela 1056, Guarda

17 de março: Passeio de Cicloturismo e Roda Livre na Subida do Inferno, Armamar

17 de março: Corrida do Dia do Pai, Porto

17 de março: II Rota do Pônsul, Castelo Branco

17 de março: Encontro de Escolas de BTT de Marinhais, Salvaterra de Magos

17 de março: Granfondo da Arrábida, Sesimbra

17 de março: III Prémio de Ciclismo João Agostinho, Almodôvar

17 de março: Encontro de Escolas e 2.ª Prova Taça da Madeira de XCO, Terreiros, Santana, Madeira

Fonte: FPC