sábado, 4 de março de 2017

“João Pereira sexto em Abu Dhabi”

Primeira prova das World Series de 2017

Foto: D.R.

João Pereira foi o melhor português este sábado na primeira prova das World Series, em Abu Dhabi, ao ser sexto classificado (1:53,38 horas). Seguiu-se João Silva, em 19º (1:57,04 horas), Miguel Arraiolos, em 27º (1:59,16), e David Luis a finalizar no 33º lugar (2:00,29). Já Filipe Azevedo desistiu.

A prova foi ganha pelo espanhol Javier Gomez Noya, que teve um regresso em grande, após ausência nos Jogos Olímpicos do Rio'2016 devido a lesão.

Fonte: Record on-line

“Quando o foco está na bicicleta”

A primavera de Fabian Cancellara em 2010 foi o clique para se duvidar da existência de motores

Por: Ana Paula Marques

Os casos de doping no Tour de 1998, com rusgas policiais nas fronteiras e aos hotéis das equipas, e o de Lance Armstrong, que, sem nunca ter acusado, confessou o recurso a substâncias proibidas, denegriram ainda mais a imagem de uma modalidade que sempre esteve exposta a este flagelo. Contudo, nos últimos anos, analisa-se um outro tipo de suspeição, a existência de motores e outros mecanismos nas bicicletas.

A fabulosa primavera do suíço Fabian Cancellara acabou por despertar um ‘mostro’ adormecido, recaindo sobre o suíço

O doping tecnológico

Suspeitas de uso de motores, tal foi a forma como ‘humilhou’ os adversários no Paris-Roubaix e Tour de Flandres. Ainda que ele tenha sido um dos grandes especialistas de clássicas e com outras vitórias nas referidas corridas, não se livrou das suspeitas...

Quem não se ficou apenas pelas dúvidas foi a belga Femke van den Driessche, apanhada com um motor na bicicleta com que participou no Mundial de sub-23 de ciclocrosse de 2016. Foi suspensa por seis anos. Este é o único caso que se conhece oficialmente daquilo que ficou designado como doping mecânico.

Mas de acordo com revelação feita pelo húngaro Stefano Varjas, que se intitula como o pai do mecanismo mais antigo – é que agora já há suspeitas de um outro, mais sofisticado, na roda, como se vê na infografia –, no programa ‘60 Minutos’ da CBS, os motores nas bicicletas já existem há muito mais tempo, sendo que agora o assunto chega às páginas dos jornais. A UCI já tem mecanismos para a deteção da fraude, sendo que entre as equipas do World Tour há a convicção de que este tipo de fraude não existe neste pelotão, uma vez que, para além do controlo da UCI, há as regras rígidas internas quanto ao material usado, que não é dos ciclistas mas da equipa.

Fonte: Record on-line

“José Gonçalves 11º na Strade Bianche”

Corrida do calendário World Tour

Foto: Filipe Farinha

José Gonçalves, a cumprir a primeira época no World Tour e ao serviço da Katusha, teve este sábado um bom desempenho na clássica Strade Bianche, em Itália, do principal calendário da UCI.

O ciclista português chegou a 3.10 minutos do polaco Michal Kwiatkowski, da Sky - foi segundo na Volta ao Algarve deste ano -, que bateu, por 15 segundos, o campeão olímpico, o belga Greg Van Avermaet, da BMC.

Já Tiago Machado, também da Katusha, foi 54.º, a 13.45 minutos, enquanto Nuno Bico, da Movistar, abandonou.

Fonte: Record on-line

“EFAPEL de olhos nas clássicas da Primavera”

Equipa corre na Clássica da Arrábida já amanhã

Cumpridas as duas primeiras e exigentes provas por etapas - Volta ao Algarve e Volta ao Alentejo, a equipa de ciclismo EFAPEL entra na fase das competições de um dia, as clássicas que antecipam o início da Primavera. A primeira é já amanhã. É a primeira vez que o pelotão internacional ruma à Serra da Arrábida para um desafio no qual a formação liderada por Américo Silva vai procurar protagonismo e discutir o triunfo.

A tarefa não será nada fácil. O pelotão conta com equipas bastante competitivas com ambições elevadas e o percurso que começa em Setúbal, passa por Sesimbra e termina em Palmela, é exigente. São 186,6 quilómetros que apresentam uma primeira metade essencialmente plana. É nos últimos 80 km que as maiores dificuldades aparecem. São cinco contagens de montanha. Quatro de terceira categoria e a última, coincidente com a meta, de segunda categoria. Esta prima por serem 2,6 km de extensão com piso de terra - sterrato - e empedrado - pavé. Um desafio adicional que vai, certamente, promover o espectáculo e a incerteza quanto ao vencedor.

“Vamos ver o que podemos fazer, sempre com a nossa postura de procurar bons resultados. Com tanta montanha, vai chegar tudo muito fraccionado ao final. Esta é uma clássica com características diferentes das que costumamos fazer em Portugal. Além das várias subidas na parte final, a prova também acaba como uma montanha, o que não é habitual. Isso vai fazer toda a diferença”, explicou o director desportivo da EFAPEL, Américo Silva.

A partida da Clássica da Arrábida está marcada para as 11h15 em plena Avenida Luísa Todi, em Setúbal. Há uma meta volante em Pegões e outra na Quinta do Conde. Entretanto, começa o sobe e desce com as montanhas categorizadas. A chegada está prevista acontecer entre as 15h44 e as 15h56 no Miradouro de Palmela. 

Nome da prova

Clássica Serra da Arrábida

Data

5 de Março de 2017

Director desportivo

Américo Silva

Ciclistas

António Pereira Barbio (Contra-relogista/Rolador)

Álvaro Trueba (Contra-relogista/Trepador)

Bruno Silva (Trepador)

Daniel Mestre (Sprinter)

Henrique Casimiro (Trepador)

Jesus Del Pino (Trepador)

Rafael Silva (Rolador/Sprinter)

Sérgio Paulinho (Completo)

Fonte: Efapel

“1º INDOOR CYCLING”

Dia Mundial da Luta Contra o Cancro

Dia 8 de Abril de 2017 - Hospital do Barreiro

Das 10 às 15 Horas

50 Bicicletas – 5 Horas -  5 - Euros

1º Evento de Indoor Cycling de Apoio à Doença Oncológica

Por: José Morais

Imagens: Associação Amar a Vida/Pesquisa Google

As doenças oncológicas, tem nos últimos anos surgido em força, o “Cancro” pode aparecer na vida de cada um quando menos se espera, porem, a esperança, como diz o velho ditado, é sempre a última a morrer, e atualmente a doença pode ser muito bem combatida, e tem possuído muita evolução os seus tratamentos, com curas totais. È certo de que a prevenção, os rastreios são sempre importantes, mas também é importante quando se sentir algo mais estranho na nossa saúde, se consulte um médico e se faça exames para despiste, e é a pensar nesta doença, que a “Associação Amar a Vida” leva a efeito no próximo dia 8 de abril, um evento denominado de “1º Evento de Indoor Cycling se Apoio à Doença Oncológica”, 50 bicicletas, 5 horas, 5 euros, com o objetivo de pedalar por uma causa, para juntos sensibilizar a população, para a prevenção e desmistificação da doença oncológica.

O evento irá decorrer no edifício das consultas externas do Hospital do Barreiro, serão colocadas 50 bicicletas estáticas, durante 5 horas os participantes são convidados a pedalarem uma hora, com o valor de inscrição de apenas 5 euros, e pedalar inclui um seguro desportivo, uma garrafa de água, uma barra energética, e uma peça de fruta, mas, em nada obrigará a pedalar a hora completa, o participante pode pedalar o que entender, e aqueles que não o quiserem fazer ou não puderem, podem sempre passar pelo local, assistirem, e darem o seu donativo, o qual reverterá no final, a favor do Serviço Oncologia do Centro Hospitalar Barreiro Montijo.

Acreditada em outubro de 2016 pela Direção-Geral de Saúde (DGS) em conformidade com o Modelo de Acreditação da Agencia de Calidad Sanitaria de Andalucía (ACSA), adotado pelo Ministério da Saúde Português, a Unidade Funcional de Oncologia do Centro Hospitalar Barreiro Montijo (CHBM, é o reconhecimento pelo trabalho elaborado, sendo este reconhecimento possível, pelo trabalho de todos os profissionais da unidade, que apostou na qualidade e na inovação, sendo o sistema alerta oncológico um exemplo da inovação criada neste processo, sendo uma aplicação que permite a todos os clínicos colocarem “em alerta” os doentes para os quais exista suspeita ou forte possibilidade de terem uma doença oncológica, criando condições de eficácia no tratamento, tentando ainda prestar cuidados diferenciados a doentes portadores de tumores malignos, assumindo o tratamento do doente adulto oncológico, não existindo lista de espera, garante a coordenação e o exercício especializado nas áreas do diagnóstico, tratamento, vigilância e cuidados paliativos ao doente oncológico, nos concelhos do Barreiro, Moita, Montijo e Alcochete, área de influência do Centro Hospitalar Barreiro Montijo, com bastantes sucessos.

E para continuar a poder proporcionar a muitos doentes oncológicos mais conforto, da Associação Amar a Vida partiu a iniciativa deste  “1º Evento de Indoor Cycling se Apoio à Doença Oncológica”, que espera ter uma participação massiva, com resultados muito positivos.

As inscrições e informação podem ser feitas para o mail: associaçãoamaravida@gmail.com ou ainda pelo telefone: 964 317 921

Marque já na sua agenda, participe, a causa merece.

Com o apoio da Revista Notícias do Pedal