quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

“Chegar a 55 países por 300 mil euros”

Transmissão televisiva em direto é a grande novidade na Volta ao Algarve deste ano

Por: Luís Santos

Foto: Filipe Farinha

Um investimento de 300 mil euros, suportado em partes iguais pela Região de Turismo do Algarve (RTL) e Associação de Turismo do Algarve (ATL), vai permitir a transmissão em direto (Eurosport e TVI24) da edição deste ano, que vai chegar a 68 milhões de casas, de 55 países. A transmissão abrange a última hora de cada etapa. "O ciclismo é cada vez mais um evento de promoção territorial e a oportunidade que estamos a ter, num contexto desportivo, de exibir estas paisagens e a região por todo o Mundo é com certeza um elemento que irá diferenciar e provocar uma enorme notoriedade no destino Algarve", destacou Delmino Pereira, presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC), entidade que chama a si a organização do evento. As palavras do dirigente foram proferidas ontem, em Faro, na apresentação oficial da 43ª edição, onde estiveram entidades da região.
Desidério Silva, presidente da Região de Turismo do Algarve, admitiu que, caso não houvesse transmissão televisiva, "para o ano grande parte destas equipas, e destes corredores, procuravam outras voltas com mais visibilidade", uma vez que ninguém quer fazer uma prova "para um circuito fechado".

Sem Contador, mas...

A edição deste ano da Algarvia vai contar com 25 equipas – 12 do World Tour –, 200 corredores, sendo estes oriundos de 27 países. Entre os nomes não há este ano um Alberto Contador, mas Delmino Pereira frisou que "no geral, o plantel deste ano é superior". Ainda assim destaca-se o alemão e um dos melhores contrarrelogista do Mundo, Tony Martin (Katusha) e Jonathan Castroviejo (Movistar). De resto, há os portugueses que competem nas equipas estrangeiras: Nelson Oliveira e Nuno Bico (Movistar), José Gonçalves e Tiago Machado (Katusha), José Mendes (Bora), Rafael Reis (Caja Rural), Ricardo Vilela (Manzan Postobón) e Rúben Guerreiro (Trek-Segafredo).


Fobte: Record on-line

“Volta à Comunidade Valenciana: W52-FC Porto em 20.ª na primeira etapa”

Por: Ana Paula Marques

Equipa discreta no contrarrelógio coletivo

 A equipa da W52-FC Porto teve um início de época discreto ao realizar o 20.º tempo na primeira etapa da Volta à Comunidade Valenciana, um contrarrelógio coletivo de 37,9 quilómetros. A formação portuguesa, que se apresentou com Gustavo Veloso, Rui Vinhas, Amaro Antunes, Samuel Caldeira, Raul Alarcon, Joaquim Silva, António Carvalho e Angel Rebollido, cumpriu a distância com mais 4,29 minutos que a BMC, vencedora da etapa.
Participam na prova 25 equipas, dez das quais do World Tour, que acabaram, sem surpresas, por monopolizar os primeiros lugares.

A segunda etapa, esta quinta-feira, vai ligar Alicante a Denia, na distância de 180 quilómetros, num terreno bem mais propicio aos ciclistas da equipa portista.
Fonte: Record on-line

“Volta ao Dubai: Marcel Kittel repete triunfo na 2.ª etapa”

Sprinter alemão volta a impor-se à concorrência e reforça liderança da prova

Foto: EPA

Depois de ter ganho a tirada inaugural da Volta ao Dubai, o alemão Marcel Kittel repetiu esta quarta-feira a vitória na 2.ª etapa, de novo ao sprint, reforçando a liderança da prova que termina no próximo sábado e na qual defende o triunfo de 2016.

Disputada entre Dubai e Ras al Kahimah, na distância de 188 km, o ciclista da Quick-Step Floors bateu o holandês Dylan Groenewegen (Lotto Jumbo) e o polaco Jakub Mareczko (Wilier Triestina-Selle Italia) nos metros finais.

Na classificação geral, Kittel conta com uma vantagem de 8 segundos sobre Groenewegen, enquanto o italiano Nicola Boem (Bardiani CSF) segue na 3.ª posição, com 13 segundos de atraso.

Quanto ao português Nélson Oliveira (Movistar), terminou esta etapa na 72.ª posição, com o mesmo tempo do vencedor, ocupando o 49.º posto da geral, a 20 segundos de Marcel Kittel.

Esta quinta-feira realiza-se a 3.ª etapa, novamente com início na cidade do Dubai e final em Fujairah (200 km).

Fonte: Record on-line