terça-feira, 20 de setembro de 2016

“Sérgio Sousa: «Sinto que tenho mais para dar do que para receber no ciclismo»”

Termina a carreira na modalidade aos 32 anos

Por: Lusa

Foto: Nuno André Ferreira

Sérgio Sousa disse esta terça-feira à Agência Lusa que decidiu abandonar o ciclismo no final da temporada, por ter percebido que a modalidade não tinha mais nada para lhe dar enquanto ciclista profissional.
"Ao entrar numa equipa continental estrangeira [a Vorarlberg], apercebi-me que, quase sempre, era dos ciclistas mais velhos a correr e cheguei a um ponto em que senti que tinha mais para dar do que para receber no ciclismo. Há que perceber que, quando se chega a uma certa idade, temos de tomar decisões, porque não podemos ser ciclistas a vida toda", explicou à Agência Lusa.
O clique para trocar a bicicleta pelo escritório surgiu com o convite para o cargo de diretor para as camadas jovens da lista da recandidatura de Delmino Pereira à presidência da Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC).
"Costumava falar com o sr. Delmino para trocar ideias e, este ano, com a minha ida lá para fora, as conversas foram-se intensificando. Daí apareceu esta proposta de trabalhar com as camadas jovens aqui em Portugal. Vou ser sincero: não demorei muito tempo a tomar a decisão. Sei que esta minha decisão pode chocar muita gente, que pensa que se calhar sou muito novo. Eu seria muito novo se estivesse já noutro nível de ciclismo", disse o corredor de 32 anos.
O tirsense salientou que andou 11 anos em formações continentais, pelo que já não sentia a motivação de continuar mais um ano.
"Sempre tive o sonho de correr lá fora. Mas, quando se pensa em correr lá fora, pensa-se só em correr nas grandes equipas. Os anos foram passando e sentia que já não me identificava com o ciclismo português e tinha cada vez mais a certeza que o ciclismo tinha sido só uma passagem da minha vida. Antes de terminar a minha carreira, apareceu-me uma proposta para correr lá fora. Aceitei o desafio por achar que é uma equipa bem estruturada, com ambições de formar ciclistas jovens, que queria uma pessoa mais experiente, um líder para trabalhar com esses jovens, e que me abria um calendário internacional em vários países", reconheceu.
Cumprido o sonho internacional, que o levou a percorrer 11 países -- "No final de outubro, vou para o 12.º, vou correr à China" -, Sérgio Sousa olha para trás sem arrependimentos, a não ser um.
"Tenho pena de não ter conhecido o resto da Europa há dez anos. Com todo o respeito por Portugal, tenho pena de não ter visto isto há mais tempo", assumiu.
Este verão, pela primeira vez em 11 temporadas, o ainda ciclista da austríaca Vorarlberg viu a Volta a Portugal pela televisão e percebeu, finalmente, qual é o grande mal do ciclismo português.
"Tive a noção de que a Volta é um 'show off' muito grande. Agora entendo o porquê de certos ciclistas e certas equipas só se focarem na Volta a Portugal. O que não se entende e o que me doeu é que, eu estava na Áustria a acompanhar, e ninguém queria saber", disse, indicando que as formações internacionais olham com desconfiança para a prova rainha do calendário nacional por não as conhecerem.
"Comparando com o resto da Europa, [o ciclismo português] não está assim tão mal. O grande mal é as equipas não se mostrarem. E eles [estrangeiros] quando chegam cá veem o ciclista X ou o ciclista Y ganhar e não sabem quem é. Isso é que os assusta. E pela dureza que a Volta tem, ainda dá mais um ar de suspeição. Tem de se tentar mudar isso. Temos de tentar aliciar as equipas nacionais a irem mais lá fora ou a mostrarem-se nas provas internacionais realizadas em Portugal", concluiu.
Sérgio Sousa, de 32 anos, cumpriu quase toda a sua carreira em Portugal: entre 2005 e 2010 representou o Boavista, saindo para a Efapel, na qual esteve até 2014, altura em que assinou pela LA-Antarte.
No ano passado, o corredor de Santo Tirso, que foi vice-campeão de fundo e medalha de bronze no contrarrelógio dos nacionais de estrada de 2014, conseguiu o seu melhor resultado de sempre na Volta a Portugal, ao ser sétimo classificado, emigrando de seguida para a Vorarlberg.

Fonte: Record on-line

“Delmino Pereira recandidata-se à presidência da Federação”

É para já o único candidato assumido ao ato eleitoral de 5 de outubro

Por: Lusa

Foto: Bruno Teixeira Pires

Delmino Pereira apresentou esta terça-feira a recandidatura à presidência da Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC), antevendo um ciclo ambicioso em que se propõe a trabalhar "mais e melhor", com uma equipa que inclui o ciclista Sérgio Sousa.
"É um novo ciclo ambicioso, em que nos propomos trabalhar mais e melhor, porque percebemos que o desporto é cada vez mais exigente", sublinhou Delmino Pereira, sobre os desafios para o quadriénio 2016-2020 na FPC. As eleições estão marcadas para 5 de outubro.
O atual presidente da FPC apontou quatro eixos principais para um projeto a quatro anos, sendo o primeiro a reorganização administrativa e o desenvolvimento das associações regionais, mantendo as estruturas existentes.
"Estamos com uma crise de dirigentes desportivos. Vamos alavancar este problema defendendo a importância dos dirigentes junto do Governo. Iremos iniciar uma defesa do estatuto de dirigente desportivo", indicou.
O segundo eixo passa pelo desenvolvimento da prática desportiva e da arbitragem e formação, com o objetivo de aumentar a qualidade da prática do ciclismo de formação.
"As seleções nacionais têm vindo a ter uma afirmação interessante. Temos uma postura mundial que nos estimula a fazer mais. O nosso objetivo é criar um centro de treinos e de avaliações de atletas federados no Centro de Alto Rendimento de Anadia, com uma equipa composta por vários especialistas que detetem os atletas ainda mais cedo. É aqui que se vai trabalhar o futuro da seleção", referiu sobre o terceiro vértice.
Delmino Pereira indicou ainda que haverá uma renovação a nível da imagem e uma intensificação da participação em provas internacionais juniores e de sub-23.
O último dos quatro eixos será a iniciativa 'O Ciclismo vai à Escola', um projeto especial que procura responder à realidade nacional.
"Temos consciência do elevado número de jovens que não sabe andar de bicicleta e vamos levar o ciclismo à escola", completou Delmino Pereira, que quer também continuar o projeto Cyclin'Portugal, de ativação do turismo em bicicleta.
O presidente da FPC, único a apresentar lista até ao momento, destacou que houve um reforço com a entrada de três diretores para a área desportiva, incluindo o ciclista Sérgio Sousa, e um novo diretor para as escolas de ciclismo.
"Tem a ver com a necessidade de ter um diretor que interpreta o ciclismo como nós o vemos. Este programa que está aqui é bastante ambicioso e precisamos de pessoas que estão dispostas a ir à luta", explicou sobre a 'aquisição' de Sousa.
Delmino Pereira assumiu ainda que é urgente estabilizar o ciclismo português e acabar com o clima de suspeição que paira sobre o pelotão nacional.
"Vai mesmo ter de acontecer no próximo mandato. Conseguir o rumo certo para a modalidade, com a determinação de políticas que irão contribuir para realinhar o ciclismo português", concluiu.
Como vice-presidentes, Delmino Pereira terá José Calado, que acumulará a função com a de diretor desportivo, e Sandro Araújo, diretor financeiro, com Artur Lopes, antigo presidente da FPC e vice-presidente da União Ciclista Internacional, a presidir à Assembleia-Geral.

Fonte: Record on-line

“Nelson Oliveira em 20.º no contrarrelógio do Eneco Tour”

Cinco dias depois de ter sido quarto no Campeonato da Europa

Por: Lusa

Foto: Filipe Farinha

O ciclista português Nelson Oliveira (Movistar) foi esta terça-feira 20.º classificado no contrarrelógio da segunda etapa do Eneco Tour, no qual o australiano Rohan Dennis (BMC) foi o mais rápido para vestir a camisola de líder.
Cinco dias depois de ter sido quarto no Campeonato da Europa, o atual tricampeão nacional da especialidade voltou a enfrentar o cronómetro nos 9,6 quilómetros do circuito de Breda (Holanda), precisando de mais 22 segundos do que o vencedor, Rohan Dennis, que cumpriu o percurso em 10.48 minutos.
Atrás do australiano da BMC ficou o holandês Jos van Emden (LottoNL-Jumbo), segundo, a cinco segundos, e o alemão Jasha Sütterlin (Movistar), terceiro, a 14.
Mário Costa (Lampre-Merida), o outro português em competição no Eneco Tour, foi 141.º, a 1.17 minutos de Dennis.
Na classificação geral, o australiano lidera com cinco segundos de vantagem sobre Van Emden e 13 sobre o novo campeão europeu e campeão mundial, o eslovaco Peter Sagan (Tinkoff).
Nelson Oliveira é 20.º na geral, a 22 segundos, enquanto Costa é 135.º, a 1.17 minutos.
Na quarta-feira, disputa-se a terceira etapa, uma ligação de 182,3 quilómetros entre as cidades belgas de Blankenberge e Ardooie.

Fonte: Record on-line

“Subida à Glória Jogos Santa Casa” marca início da Semana Europeia do Desporto

Dia 24 setembro 2016


Será que Rui Vinhas, o vencedor da última Volta a Portugal em Bicicleta, conseguirá melhorar o tempo do recordista Ricardo Marinheiro? Quem vai ganhar o prémio da originalidade a pedalar os 265 metros da “Subida à Glória Jogos Santa Casa”? As respostas vão surgir já no próximo sábado, 24 de setembro, a partir das 20 horas, quando acontecer, em Lisboa, uma noite de festa e animação desportiva dedicada às bicicletas.

As previsões meteorológicas para a noite do evento dão como certa uma noite tranquila para os candidatos a subir a ingreme rampa de basalto que liga a Praça dos Restauradores ao Jardim de São Pedro de Alcântara, junto ao Bairro Alto. A equipa W52/FC Porto com Rui Vinhas, Gustavo Veloso e Joaquim Silva estará entre os participantes naquela que é umas das mais pequenas corridas do mundo das bicicletas e que tem declive médio superior a 17%. Mas nem isso impediu que o vencedor da Taça de Portugal de Ciclocrosse, Ricardo Marinheiro, – conhecido como o “Torpedo da Glória”, por ter vencido consecutivamente as últimas três edições - tenha estabelecido em 35,59 segundos o recorde da prova. Entre as mulheres, destaque para a ribatejana Vanessa Fernandes que alcançou o melhor tempo de 1 minuto e 1 segundo, há dois anos.

A dinâmica da prova onde todos (maiores de 16 anos) podem participar é muito fácil. Individualmente cada participante sobe de bicicleta os 265 metros da Calçada da Glória. As subidas são cronometradas e apuram-se os quatro melhores resultados masculinos e femininos que, por sua vez, vão discutir as semifinais e a finalíssima para determinar o vencedor. Para além do ritmo competitivo, a Podium Events, que organiza a corrida, vai premiar os que apostarem num visual diferente e se destacarem na originalidade das bicicletas e dos equipamentos.

Pelo segundo ano consecutivo os Jogos Santa Casa apoiam este evento, que marca o início da Semana Europeia do Desporto, iniciativa promovida pela Comissão Europeia juntamente com o Instituto Português do Desporto e Juventude e à qual os Jogos Santa Casa se associam através de um conjunto de atividades dirigidas a pessoas de todas as idades com níveis diferentes de condição física.

Este ano todos os que não puderem estar em Lisboa poderão assistir à “Subida à Glória Jogos Santa Casa” em direto, através do Facebook (www.facebook.com/voltaaportugal) Com esta iniciativa a organização dá continuidade ao aumento de divulgação dos conteúdos desportivos nas plataformas digitais.

As inscrições para a “Subida à Glória Jogos Santa Casa” estão abertas em www.subidagloria.com e são limitadas a 300 pessoas. O levantamento do Kit de participante será efetuado no secretariado da prova, a funcionar na zona de partida, na Praça dos Restauradores, das 15h às 19h do dia 24 de setembro.

Fonte: Podium 

“GP Prémio Anadia Capital do Espumante”

Equipas juniores e sub-23 em destaque no GP Prémio Anadia Capital do Espumante.

No passado Sábado as equipas de juniores e sub-23 do Clube de Ciclismo José Maria Nicolau, deslocaram-se a Sangalhos, para participar no GP Prémio Anadia Capital do Espumante e estiveram em plano de evidência. Nos sub-23 André Ramalho e Marcelo Salvador foram os grandes animadores da etapa, estando presentes na fuga do dia. André Ramalho destacou-se no final com um excelente segundo lugar, ao qual juntou a vitória na classificação da montanha.

Nos juniores Bernardo Gonçalves foi o homem do dia, pois foi o unico dos ciclistas juniores a conseguir seguir com os sub-23 na frente da corrida, valendo-lhe avitória na categoria.Sandro Branco alcançou a segunda posição.Destaque ainda para Bernardo Norte, que apesar de ser ciclista de primeiro ano de júnior conseguiu terminar na 22ª posição, sendo o segundomelhor dos mais jovens.

Classificação Sub-23: 2º André Ramalho5º Marcelo Salvador10º Diogo Dias17º João Ribeiro18º Jorge Marques

Montanha: 1º André Ramalho

Classificação juniores: 7º Bernardo Gonçalves (1º Júnior)11º Sandro Branco (2º Júnior)15º André Cunha (6º Júnior)22º Bernardo Norte (8º Júnior/ 2º júnior 1ºano)

Equipa:

2º lugar ( Goldwin –Team José Maria Nicolau)

4º lugar ( Jorbi –Team José Maria Nicolau)

Fonte: Clube de Ciclismo José Maria Nicolau:

 

“Jorge letras da ASFIC venceu o Beja Granfondo 2016”

Realizou-se no dia18 de setembro, o Beja Granfondo 2016, prova dividida em dois percursos (o Granfondo com cerca de 180 km e um Médiofondo com cerca de 90 km), tendi a ASFIC – Grupo Parapedra / Dinazoo / Riomagic, participou nesta prova com o ciclistas Jorge Letras, o qual viria a vencera prova de distância mais curta.

corrida iniciou-se a um ritmo elevado e com sucessivos ataques, com Jorge Letras a tentar ir em alguns desses ataques e até a tentar iniciar outros.

Quando Jorge Letras não estava na frente do pelotão, atacaram 3 ciclistas que ganharam cerca de dois minutos de avanço.

Desde o km 20 até ao 55 Jorge Letras e o seu irmão rebocaramm o pelotão até que alcançaram os fugitivos.

Depois houve os habituais ataques mas aí já Jorge Letras estavam na cabeça do pelotão.

A cerca de 1 km da meta Jorge Letras ataca e ganha alguma distância, cortando a meta  isolado com alguns metros de vantagem.


A direção da ASFIC congratula-se com esta vitória, a qual dedica a todos os seus patrocinadores, sem eles não eram possíveis estes resultados.

Fonte: ASFIC - GRUPO PARAPEDRA /DINAZOO / RIOMAGIC

“DOIS TITULOS PARA A ASFIC/DINAZOO”

No transato dia 4 de Setembro, cumpriu-se a última prova pontuável para o 6.º Troféu XCM de Santarém/Olympia, prova que decorreu na localidade de Almeirim, contudo, apesar da nossa equipa se encontrar a disputar o troféu, não foi possível aos nossos atletas, Edgar Oliveira, Carlos Santos e Carlos Oliveira participarem na prova, devido a outros compromisso desportivos e pessoais.

O Troféu teve o seu inicio no mês de Fevereiro, na localidade de Fátima, tendo passado pelas localidades de Alpiarça, Alcanhões, Raposa, Alcobaça e Almeirim, ou seja, foi composto por 6 provas, contudo, apenas as melhores cinco foram contabilizadas para a classificação final, o que permitiu aos atletas melhorarem um resultado ou não participarem numa das provas.

Na decorrer da competição alcançamos quatro vitórias, cinco segundos lugares e um terceiro, entre outros resultados de menor destaque, classificações que permitiram elevar a equipa ao lugar mais alto no final do Troféu, com a vitória de Edgar Oliveira no escalão Federado/Master35 e de Carlos Santos no escalão Promoção/VET A. Para além das duas vitórias alcançadas, ainda contamos como o quinto lugar do atleta Carlos Oliveira no escalão VET C Promoção.

Uma vez que a cerimónia de entrega dos troféus ocorreu no final da prova em Almeirim, os nossos atletas Edgar Oliveira e Carlos Santos, não estiveram presentes na mesma, contudo, já se encontram devidamente galardoados com os seus troféus.

Todos os patrocinadores, parceiros e amigos, se podem congratular com estes títulos, pois também são vossos, muito obrigada pelo vosso apoio.

Resta agradecer aos atletas por toda a dedicação e por dignificarem a equipa e todos os que fazem parte dela e que este seja os primeiros de muitos títulos.
Fonte: ASFIC

“Festival Bike: Um evento único e incontornável”

No Centro Nacional de Exposições, em Santarém, de 14 a 16 de Outubro

 

Por: Pedro Oliveira

A 13ª edição do Festival Bike Portugal - – Festival Internacional da Bicicleta, Equipamentos e Acessórios e Salão de Ciclismo Profissional decorre de 14 a 16 de Outubro no Centro Nacional de Exposições, em Santarém, promete ser, uma vez mais um evento único e incontornável e o centro das atenções do sector.

 

O evento é o espaço privilegiado para conhecer as novidades do mercado e um ponto de encontro para todos aqueles que de forma profissional, desportiva ou de lazer se encontram ligados a este ramo.

 

O certame é a referência do mercado nacional e tem como objectivo realçar as marcas e as empresas nacionais e internacionais que operam nesta área como importadores, lojistas, distribuidores, organizadores de eventos, comunicação social, atletas profissionais e amadores.

 

Por outro lado, a qualidade e a diversidade de produtos em exposição, a oportunidade de apresentação de novos modelos de bicicletas, equipamentos e acessórios, o envolvimento de empresas e entidades promotoras da Bicicleta enquanto meio saudável para a prática desportiva ou para momentos de lazer, têm contribuído para o crescimento sustentado do Festival Bike. 

 

Exposição de Equipamentos e Acessórios

 

O Festival Bike reúne durante três dias as principais empresas do sector e concentra num só local os principais importadores, distribuidores, retalhistas, técnicos, e profissionais que trabalham neste ramo tendo como objectivo a realização de contactos e negócios.

 

Com espaço para venda directa de bicicletas, equipamentos e acessórios, o certame coloca em evidência algumas das principais marcas existentes no mercado. Os sectores em exposição são muitos e variados como Associações, Centros de Estágio, Clubes, Comunicação Social, Federações e Outras Entidades Oficiais, Ginásios, Hotelaria e Ecoturismo, Importadores e Fabricantes, Lojas de Bicicletas e Equipamentos, Organizadores de Eventos Desportivos, Parques Desportivos e Centros de Férias, Suplementos Alimentares, Taças e Troféus ou Vestuário.

 

O Festival Bike também dedica um espaço aos criadores de bicicletas. Uma excelente oportunidade para criadores individuais de modelos exclusivos de bicicletas as possam expor e apresentar ao público.

 

Acreditação Profissional

 

Neste âmbito, o evento volta a ter este ano um serviço de acreditação profissional. Os profissionais do sector da Bicicleta, podem ter acesso gratuito à feira em qualquer um dos dias, bastando para tal remeter um e-mail a solicitar a respectiva acreditação para comercial@cnema.pt. Quando visitarem a feira, devem dirigir-se à recepção, situada na entrada principal do CNEMA, e comprovar a sua ligação profissional ao sector.

Provas e demonstrações animam Festival Bike

 

O Festival Bike volta a contar com diversas atividades, proporcionando aos visitantes uma escolha ampla e variada de carácter lúdico e competitivo, tais como Maratona BTT, Cicloturismo, Granfondo, Duatlo, Passeio de Bicicletas Antigas, BMX, Dirt, entre outras.

 

Maratona BTT

 

Como habitualmente, o Festival Bike acolhe uma das maiores maratonas de BTT que se realiza em Portugal. A décima segunda edição desta conceituada prova será uma grande festa do BTT e os corredores poderão também disfrutar da maior exposição de Bicicletas e acessórios da Península Ibérica. No dia 15 de Outubro o ponto de encontro para todos os praticantes e adeptos do BTT será no CNEMA.

 

A 2ª fase de inscrições da 12ª Maratona BTT Festival Bike já começou e decorre até ao dia 7 de Outubro. As inscrições podem ser efectuadas unicamente na plataforma on-line da Maratona em www.racetime.pt/maratonafestivalbike. Caso tenha dúvidas sobre as inscrições ou pretenda esclarecimentos adicionais deverá enviar um e-mail para suporte@fullsport.pt ou contactar o Gestor do Evento (Sr. Nuno Braz) através do telefone 256 305 309.

 

Tejo e Serras Granfondo Festival Bike

 

O certame vai acolher a 15 e 16 de Outubro o Tejo e Serras Granfondo Festival Bike, um evento de ciclismo de estrada, há muito desejado pelos inúmeros visitantes deste evento inteiramente dedicado ao mundo da bicicleta.

 

No sábado os ciclistas serão desafiados a transpor as Serras de Montejunto e Candeeiros por entre zonas de paisagem protegida. No segundo dia as áreas aplanadas que dominam o Sul do Tejo são propicias à formação de longos grupos em estradas com trânsito reduzido, podendo-se rolar a velocidade mais elevada, tão do agrado de todos os ciclistas.

 

Existirão em ambos os dias percursos de longa e média distância, por forma a proporcionar a todos os amantes deste desporto, independentemente do seu nível de preparação, as emoções sentidas numa verdadeira etapa de uma grande volta.  Os mais audazes e bem preparados podem participar em ambos os dias e integrar num troféu que vai premiar a capacidade de superação individual no Tejo e Serras Granfondo. Um evento que vai associar o ciclismo a natureza e a visita à exposição Festival Bike.

 

IX Duatlo Festival Bike

 

O último dia do Festival Bike 2016 será marcado pela realização da IX edição do Duatlo, competição que traz habitualmente ao CNEMA alguns dos melhores praticantes nacionais da modalidade e várias dezenas de atletas de pelotão, de um desporto com cada vez mais adeptos.

 

A prova, mais uma vez em circuito fechado, consta de uma corrida de 5 kms, seguindo-se 20 kms de BTT e termina com mais 2,5 km de corrida, com o enquadramento único e espectacular do CNEMA, que permite ao público assistir a grande parte do desenrolar da competição.

 

Passeio de Cicloturismo e Passeio de Bicicletas Antigas

 

No dia 16 também se realiza o Passeio de Cicloturismo Lisboa / Santarém iniciativa promovida pela  Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores da Bicicleta (FPCUB) e que contará com largas centenas de praticantes da modalidade.

 

No mesmo dia o Festival Bike vai contar com a  realização de um Passeio de Bicicletas Antigas, numa organização com o Núcleo Sportinguista da Golegã. O centro histórico de Santarém vai ser o enquadramento ideal para uma manhã de Domingo em que poderá disfrutar das paisagens e monumentos mais emblemáticos da capital ribatejana.

 

O ponto de chegada será o Festival Bike, onde os participantes terão entrada gratuita. Para mais informações poderá recorrer aos e-mails nucleo.golega@gmail.pt ou comercial@cnema.pt.

 

Passeio das Pontes Santarém - Almeirim

 

Também no último dia do Festival Bike, pelas 10h30, realiza-se o Passeio das Pontes Santarém – Almeirim iniciativa promovida pela Federação Portuguesa de Ciclismo.

 

Os participantes serão chamados a percorrer 23 quilómetros, com início e final no Festival Bike (CNEMA) e passagem por Almeirim. São esperados corredores profissionais, que vão, nesta ocasião especial, partilhar o pelotão com ciclistas amadores. Os participantes têm entrada gratuita no Festival Bike.

 

Troféu da Juventude

 

Ainda no dia 16 o Festival Bike Portugal recebe o 5º Troféu da Juventude, prova que se realiza em colaboração com a Federação Portuguesa de Ciclismo e com o Clube de Ciclismo José Maria Nicolau.

 

O circuito terá a extensão de 900 metros com maior segurança para a prática da modalidade. Os três primeiros de cada escalão, feminino e masculino, e as cinco primeiras equipas terão direito a troféus.

 

As inscrições devem ser efectuadas on-line, no site da Federação Portuguesa de Ciclismo em www.uvp-fpc.pt e aplica-se para esta prova o Regulamento Geral das Escolas, em vigor.

 

Acções de Formação, Sessões de Autógrafos e Clubes de Ciclismo

 

A Sociedade Comercial do Vouga volta a marcar presença no Festival Bike Portugal e vai promover várias acções de formação durante o evento.

 

Na sexta-feira, 14 de outubro, o tema das sessões vai incidir nos “Sistemas DI2 estrada e montanha/integração com Plataforma e-tube e componentes PRO bikegrear”, enquanto no sábado, dia 15,  o destaque vai para o “Shimano Explorer (novo conceito de vestuário & Calçado / Novos Sapatos de Elite S-Phyre”. As acções decorrem às 11h00 e às 16h00, quer na sexta, quer no sábado.

 

No domingo, último dia do Festival Bike, os “Sistemas DI2 estrada e montanha/integração com Plataforma e-tube e componentes PRO bikegrear” voltam a estar em foco, pelas 11h00.

Todas as iniciativas decorrem no Stand da Sociedade Comercial do Vouga e estão limitadas a 20 pessoas por sessão.

 

Sessões de Autógrafos

 

O evento será também palco de Sessões de Autógrafos com algumas das grandes figuras do desporto nacional. Pelo Centro Nacional de Exposições vão passar ciclistas de renome, assim como algumas equipas do ciclismo nacional que trarão as suas viaturas de apoio e que irão promover diversas iniciativas relacionadas com a sua actividade.

 

Com cerca de 15.000 m2 de área de exposição coberta, o Festival Bike é a referência do mercado nacional e uma das mais importantes da Europa. Contando com um vasto programa de actividades, o envolvimento de empresas de renome e com a presença de atletas prestigiados, o evento é incontornável.

 

Recorde-se que em 2015 o Festival Bike contou com 134 expositores, 26.300 visitantes e mais de 6.500 atletas inscritos nas várias competições.

 

Horário

 

Sexta-feira, 14/10: 10h00 às 17h (Profissionais)

Sexta-feira, 14/10: 17h às 20h (Público em Geral)

Sábado, 15/10: 10h00 às 20h (Público em Geral)

Domingo, 16/10: 10h às 20h (Público em Geral)

 

Entradas

 

1 Bilhete: 6,00 € (Válido para apenas 1 entrada) 

Bilhete Feira (3 dias) : 12,00 € (O Bilhete de 3 dias permite visitar a feira a qualquer hora e várias vezes por dia)

Entrada Gratuita para Crianças até aos 11 anos (inclusive)

Parque de Estacionamento: Gratuito

Fonte: Festival Bike