quarta-feira, 28 de agosto de 2019

“IV Triatlo de Leiria recebe Taça Portugal de Triatlo 2019”

No dia 7 de setembro irá realizar-se o IV Triatlo de Leiria que recebe última etapa da Taça da Portugal de Triatlo

A lagoa da Ervedeira será palco de duas provas de triatlo no sábado, 7 de setembro, com última etapa da Taça de Portugal na distância sprint e um triatlo super sprint.

O IV Triatlo de Leira será disputado no formato de contrarrelógio individual, onde os atletas iniciam individualmente a prova, de 30 em 30 segundos, vencendo aquele que terminar em menos tempo a competição.

Este é um formato dinâmico em que o atleta compete consigo mesmo durante a prova, dando o seu melhor para terminar o percurso no mais curto tempo que lhe for possível, sem ter a comparação direta com os seus adversários e colegas de equipa.

Percurso da prova super sprint

O percurso da prova super sprint será realizado na lagoa de Ervedeira, com uma volta circular no sentido contrário aos ponteiros do relógio. O ciclismo tem um percurso direto para a Praia do Pedrogão num só sentido em estrada larga e com bom piso, iniciando na Estrada Atlântica, passando depois na Rua Dom Dinis e Rua Maré Viva, onde se encontra o Parque de Transição no largo da feira. O percurso de corrida é de ida e volta na marginal da Praia do Pedrogão.

Percurso da Taça de Triatlo na distância sprint

Natação: a Taça de Portugal na distância sprint terá o seu segmento de natação na lagoa da Ervedeira, com uma volta circular no sentido dos ponteiros do relógio;

Ciclismo: o ciclismo será maioritariamente plano, em estrada com bom piso, sendo que na primeira metade do percurso os atletas percorrem nos dois sentidos, pelo que terão que respeitar as regras de transito nesta parte do percurso. O ciclismo inicia-se na Estrada Atlântica no sentido do norte, na primeira rotunda os atletas cortam à direita para a estrada CM1193 no sentido de Grou, onde efetuam o 1º retorno, voltam à rotunda onde cortam à direita continuando pela Estrada Atlântica para efetuarem o 2º retorno e a partir deste local é direto o percurso para a Praia do Pedrogão realizado sempre na Estrada Atlântica, Rua Dom Dinis e Rua Maré Viva onde se encontra o Parque de Transição no largo da feira.

Corrida: o terceiro segmento inclui duas voltas de um percurso de ida e volta na marginal da Praia do Pedrogão.

Com sete etapas concluídas, o OutSystems Olímpico de Oeiras encontra-se à frente da Taça de Portugal na prova masculina, enquanto o Alhandra Sporting Club encontra-se até ao momento na primeira posição na competição masculina.

Força a todos os clubes e a atletas participantes no IV Triatlo de Leiria!

As inscrições no IV Triatlo de Leiria devem ser efetuadas através do site da Federação de Triatlo de Portugal, até às 23h59 do dia 2 de setembro aqui

O IV Triatlo de Leiria é uma organização da Câmara Municipal de Leiria com o apoio técnico da Federação de Triatlo de Portugal.

Fonte: FTP

“Onze Pódios e uma Vitória Histórica”

Texto: AfterTwo //Works    Fotos:

Helena Dias e AfterTwo //Works

Iúri Leitão da Sicasal Constantinos foi o brilhante vencedor da prova de eliminação do Festival de Pista da Malveira, prova realizada no passado domingo nesta localidade do concelho de Mafra.

O ciclista de Viana do Castelo bateu César Martingil do Sporting Tavira no derradeiro sprint sobre a meta e alcançou um feito histórico para a equipa de Torres Vedras, ao ser o primeiro atleta a triunfar em competição direta com os atletas profissionais.

Este foi apenas um dos resultados positivos que a formação torriense colecionou numa semana marcada pela participação nos tradicionais circuitos de agosto que se iniciaram terça-feira dia 20 com o de São Bernardo em Alcobaça.

Na cidade que ostenta o mosteiro gótico que é património mundial da Unesco, Diogo Sardinha foi 17º da geral e subiu ao pódio distinguido como 2º melhor sub-23 em prova. Francisco Morais na 21ª posição e Miguel Salgueiro na 23ª ajudaram a equipa a alcançar o 6º posto na geral coletiva.

No sábado realizou-se o Circuito da Póvoa da Galega, onde a formação de Torres Vedras conquistou categoricamente o 1º lugar entre as equipas de clube ao colocar 3 atletas no pódio. Francisco Morais subiu ao lugar mais alto, enquanto Daniel Silva e Diogo Sardinha ocuparam a 2ª e 3ª posição respetivamente.

No domingo, o percurso bastante curto e rápido do circuito da Malveira obrigava a andar sempre a um ritmo frenético e não permitia qualquer distração, razão pela qual muitos atletas foram apanhados desprevenidos e não terminaram a prova. Miguel Salgueiro foi o único atleta das equipas de clube a concluir o desafio e o 2º melhor sub-23 em prova.

Na segunda-feira a equipa repartiu-se entre o circuito de Nafarros e da Moita (Marinha Grande). Na 59ª edição do circuito sintrense, Miguel Salgueiro foi o 3º melhor sub-23 e a equipa foi a 3ª melhor da geral coletiva, enquanto que na Moita Iúri Leitão disputou a corrida até aos últimos metros e acabou na 5ª posição da geral, sendo o melhor atleta sub-23. Wilson Esperança terminou no 8º posto e também subiu ao pódio sub-23 para ocupar a 3ª posição.

Fonte: Academia Joaquim Agostinho



 

“Ciclista espanhol sofre ferimentos graves após explosão de bomba da 1.ª Guerra Mundial”

Eloi Palau e um amigo encontraram o artefacto enterrado na neve

Eloi Palau, campeão espanhol de bike trail, sofreu ferimentos graves depois de fazer explodir acidentalmente uma bomba da 1.ª Guerra Mundial em Itália.

O ciclista e um amigo faziam um percurso de bicicleta em Presena, na cordilheira dos Dolomitas, nos Alpes, quando encontraram a bomba na neve. Ao tentarem removê-la explodiu, causando ferimentos graves nos olhos e nos braços no ciclista de 21 anos.

Palau e o amigo foram transportados para um hospital de Trento, de helicóptero, onde ainda se encontram internados.

Naquela zona digladiaram-se os exércitos italiano e austro-húngaro, com constantes bombardeamentos por parte da artilharia italiana. Vários artefactos por explodir encontram-se ainda debaixo da neve. 

Fonte: Record on-line

“Vuelta/Primeira vitória de Madrazo, Miguel Angel López assume liderança”

Madrazo ganhou em 4:48.31 horas, reforçando também a liderança do prémio da montanha.

O colombiano Miguel Angel López, líder da Astana, é o novo comandante da Vuelta, após uma etapa de montanha que proporcionou ao espanhol da Burgos-BH Angel Madrazo a sua primeira vitória numa grande competição de ciclismo.

Os 170,7 km entre L'Eliana e Javalambre eram especialmente duros nos últimos quilómetros, bem aproveitados por Alejandro Valverde (Movistar) e López para ganhar tempo, enquanto que Nairo Quintana (Movistar), Rigoberto Uran (EF Educational First) e Nicolas Roche (Sunweb) cederem terreno, com este último a perder a camisola vermelha.

A Burgos-BH colocara dois homens na fuga do dia, Madrazo e o holandês Jetse Bol, juntamente com José Herrada, da Cofidis, e conseguiu ver a aposta ser vencedora, já que não foram alcançados até à meta, apesar do esforço do pelotão.

Madrazo ganhou em 4:48.31 horas, reforçando também a liderança do prémio da montanha, naquilo que já é uma excelente estreia em grandes voltas. Bol ficou a 10 segundos e Herrada a 22.

López bem tentou a 'caçada' na subida de Javalambre, só que não chegou e foi quarto a 47 segundos, mostrando credenciais de potencial vencedor da Vuelta.

Valverde, a 59 segundos, entrou com o esloveno da Jumbo-Visma Primoz Roglic, também ele apontado como forte candidato ao triunfo final.

Na escalada final, o irlandês Nicolas Roche, que subia de vermelho, foi dos primeiros a descolar do primeiro pelotão, quando a EF Educational First do colombiano Uran resolveu estimular o ritmo da perseguição aos da frente.

Pouco depois, seriam os outros dois do top-3, os colombianos Quintana e Uran, a ficar atrasados, o que permitiu uma pequena 'revolução' na classificação geral, ainda que as diferenças continuem mínimas.

López lidera com uma vantagem de 14 segundos sobre Roglic, 23 sobre Quintana, 28 sobre Valverde, 57 sobre Roche e 59 sobre Uran, os ciclistas que estão a menos de um minuto da camisola vermelha.

Ruben Guerreiro, da Katusha, foi hoje o 15.º, a 2.26, numa corrida em muito bom plano que o confirma como o melhor dos cinco portugueses na Vuelta.

Ricardo Vilela (Burgos-BH) foi 55.º, a 7.09, Nelson Oliveira (Movistar) 103.º, a 13.42, Domingos Gonçalves (Caja Rural) 105.º, com o mesmo tempo, e Nuno Bico (Burgos-BH) 119.º, a 15.42.

Guerreiro subiu a 18.º e é mesmo o ciclista mais bem classificado da Katusha. Está a 3.18 de López e 1.28 somente do top-10.

Quanto aos outros lusos, Vilela é 81.º (a 18.41), Gonçalves 100.º (a 23.01), Oliveira 107.º (a 24.09) e Bico 169.º (a 48.31)

Esta quinta-feira, a sexta etapa disputa-se entre Mora de Rubielos e Ares del Maestrat, com 198,9 quilómetros. Há alguma montanha, com uma escalada de segunda e três de terceira, a última a coincidir com a meta.

Fonte: Sapo on-line