domingo, 28 de maio de 2017

“ASFIC VENCE COLETIVAMENTE E REVALIDA TITULOS DE CAMPEÕES”

REGIONAIS PELA TERCEIRA VEZ CONSEQUTIVA

ASFIC – Grupo Parapedra / Dinazoo / Riomagic, deslocou-se hoje, dia  27 de Maio, a A-dos Barbas, freguesia de Maceira, concelho de Leiria, para participar no circuito de ciclismo daquela localidade, pertencente à Federação de Ciclismo de Santarém., prova que conta também para o Campeonato Regional.

Tratou-se de um circuito com 10 voltas, tendo cada volta cerca de 9,300m , perfazendo o total de cerca de 93 km.

Neste circuito e como estava em causa apurar os campeões regionais, que a partir de hoje vestem uma camisola desse título, sendo que nos 2 anos anteriores a ASFIC havia conseguido 2 campeões regionais na sua equipa  (Rui Rodrigues e João portela).

Uma prova que se esperava bastante táctica,  em que os  ciclistas  iriam gerir e controlar os adversários, descurando por vezes a geral individual, em detrimento da tentativa de controlar os adversários desses escalões.

O objetivo da ASFIC era a renovação do titulo dos seus atleta, na categoria Master B e A.

A equipa da ASFIC apresentou-se para esta prova com 7 atletas, Rui Rodrigues, João Portela, Humberto Careca, Jorge Letras, Hugo Silva, Nuno Manso e Anibal Santo, integrando também a equipa o atleta da equipa de BTT, Daniel Alexandre..

A prova teve inicio pelas 16 horas, e sensivelmente á passagem da segunda volta, deu-se uma fuga de 3 atletas, na qual estava o taleta da ASFIC, Nuno Manso, e que chegaram a ter 1m 20 s de vantagem.

A passagem da 7  a fuga foi alcançada e  absorvida pelo pelotão.

A chegada a meta houve vários ataques, o que levou a grande desfragmentação do pelotão, tendo a cerca de 300 metros um atleta adversário atacado forte, não dando hipótese de resposta aos poucos atletas que ainda ali estavam. Os atletas da ASFIC Rui Rodrigues e João Portela responderam e foram no alcance, mas não conseguiram passar na meta primeiro.

João Portela e Rui Rodrigues cortaram a meta em 2º e 3º lugar, vencendo assim nos seus escalões e revalidando os seus títulos de campeões Regionais, uma vez que o atleta que cortou a meta em 1º lugar, não pertence a categoria dos atletas da ASFIC.

Assim, a equipa cumpriu o objetivo proposto, que era a revalidação dos títulos de Campeões Regionais e ainda colocou Humberto Careca no 3 lugar do pódio na Categoria Master B e Daniel Alexandre no 2º lugar do pódio da Categoria de Elites.

Com a excelente classificação dos seus atletas, a ASFIC alcançou o 1.º lugar por equipas. A vitória por equipas é sempre o prémio do entendimento entre os atletas, que unidos alcançam o lugar mais alto do pódio.

A Asfic Ribeira São João agradece a todos os patrocinadores sem exceção, que acreditaram neste projeto e nesta equipa, ajudando e confiando que era possível sentir o sabor do gosto destas vitórias, pois o caminho é feito pelos nossos próprios passos, mas o sucesso da caminhada depende dos que estão connosco e que caminham ao nosso lado, e nós estamos cientes que caminhamos e crescemos juntos com os melhores patrocinadores.

Fonte: ASFIC






 

“Tom Dumoulin vence Giro”

Contrarrelógio foi ganho por Van Emden

Por: Lusa

Foto: / EPA

O holandês Tom Dumoulin da Sunweb conquistou este domingo a geral individual do 100.º Giro, ao ser segundo no contrarrelógio da última etapa, vencida pelo compatriota Jos van Emden da Lotto NL-Jumbo.

Emden cumpriu a ligação de 29,3 quilómetros entre Monza e Milão em 33.08 minutos, com Dumoulin a demorar mais 15 segundos, ultrapassando o anterior camisola rosa, Nairo Quintana da Movistar, que caiu para segundo, ao terminar a 1.24 minutos do holandês.

O italiano Vincenzo Nibali, da Bahrain Mérida, vencedor em 2016, terminou em terceiro na geral, com o francês Thibaut Pinot da FDJ em quarto e o russo Ilnur Zakarin da Katusha Alpecin em quinto.

Dumoulin, que confirmou o favoritismo no crono e venceu a primeira grande Volta da carreira, tinha sido primeiro na 10.ª e 14.ª etapas da prova, tendo envergado a camisola rosa do 10.º ao 18.º dia, entregando-a a Quintana, vencedor da corsa rosa em 2014 e um dos favoritos à geral.

No entanto, Quintana não conseguiu segurar a vantagem de 53 segundos que tinha sobre o vencedor do 100.º Giro.

 

Classificação da 21.ª e última etapa

1. Jos van Emden (Holanda/LottoNL), 33:08"

2. Tom Dumoulin (Holanda/Sunweb), +15"

3. Manuel Quinziato (Itália/BMC Racing), +27"

4. Vasil Kiryienka (Bielorrússia/Team Sky), +31"

5. Joey Rosskopf (Estados Unidos/BMC Racing), +35"

6. Jan Barta (Republica Checa/Bora), +39"

7. Georg Preidler (Áustria/Sunweb), +51"

8. Bob Jungels (Luxemburgo/Quick-Step), +54"

9. Jan Tratnik (Eslovénia/CCC), +57"

10. Andrey Amador (Costa Rica/Movistar), +1:02"

 

Classificação final

1. Tom Dumoulin (Holanda/Sunweb), 90:34:54"

2. Nairo Quintana (Colômbia/Movistar), +31"

3. Vincenzo Nibali (Itália/Bahrain), +40"

4. Thibaut Pinot (França/FDJ), +1:17"

5. Ilnur Zakarin (Rússia/Katusha), +1:56"

6. Domenico Pozzovivo (Itália/AG2R), +3:11"

7. Bauke Mollema (Holanda/Trek), +3:41"

8. Bob Jungels (Luxemburgo/Quick-Step), +7:04"

9. Adam Yates (Grã-Bretanha/Orica), +8:10"

10. Davide Formolo (Itália/Cannondale), +15:17"

Fonte: Record on-line

“Taça de Portugal de XCM”

Tiago Ferreira e Hildegunn Hovdenak triunfam em Mêda

O campeão mundial Tiago Ferreira (DMT Racing Team) e a norueguesa Hildegunn Hovdenak (Nesset CK) ganharam hoje a Maratona Mêda100, pontuável para o circuito World Marathon Series e para a Taça de Portugal de Maratona BTT (XCM).

A corrida masculina, de 101,4 quilómetros, atraiu a Mêda um pelotão de luxo. O cabeça de série era, naturalmente, o viseense Tiago Ferreira, campeão mundial da especialidade. O corredor português não desiludiu e comandou a prova com autoridade, triunfando ao fim de 4h03m21s. O segundo classificado foi o belga Frans Claes (Loving Hut MTB Team), a 6m59s. Renato Ferreira (Vasconha BTT Vouzela) fechou o pódio, com mais 8m21s do que o primeiro. David Vaz (Gnauk/King Gates/Blisq Creative), quarto em Mêda, assumiu o comando da geral de elite da Taça de Portugal de XCM.

A prova de elite feminina também ficou marcada pela superioridade vincada da vencedora. Hildegunn Hovdenak cumpriu os 89,5 quilómetros em 4h18m19s, menos 9m03s do que Susana Alonso (Extremadura Ecopilas) e menos 12m07s do que Lisa Ehrberg (Saksa Automaatika Proteam), segunda e terceira, respetivamente. Celina Carpinteiro (BTT Loulé/BPI/Elevis) foi a melhor portuguesa, na quarta posição. Charlotte Davies (BTT Loulé/BPI/Elevis), quinta classificada, manteve o primeiro posto na geral.

Rui Casquinha (BTT Seia) ganhou em master 30, Javier Busto (Extol-La Gramola Team) foi o melhor master 35, Rui Torpes impôs-se em master 40, José Rosa (Ser e Parecer Pro Bike Team) bateu a concorrência em master 45, Rodolfo Lopes (ASC/Focus Team/Vila do Conde) triunfou em master 50 e João Marques (BTT Seia) foi o melhor master 55.

Entre as masters, as melhores foram a master 30 Raquel Marques (ASC/Focus Team/Vila do Conde) e a master 40 Elisete Sousa (BTT Loulé/BPI/Elevis).

Tiago Craveiro foi o melhor paraciclista de classe D.

Fonte: FPC

“Taça de Portugal de Downhill”

Francisco Pardal e Filipa Peres vencem em Porto de Mós

Quinta e penúltima etapa da Taça de Portugal de Downhill coroou no escalão de Elites Francisco Pardal (Penacova DH / U.D. Lorvanense) e Filipa Peres (MS Racing Portugal)

O vice-campeão nacional Francisco Pardal desceu para a vitória na quinta prova pontuável da Taça de Portugal de Downhill (DHI) registando, na pista da Bezerra, em Figueiredo, Porto de Mós, o seu primeiro triunfo esta época no troféu federativo.

 O natural de Soure fez o segundo melhor tempo na manga de qualificação, mas cumpriu a descida da "final" em 3m03s27, um registo que confirmou a sua adaptação à pista, dado que o segundo classificado, Rui Teixeira (Getpro/Linhas Afemar/Torcatense) demorou mais quatro segundos a cumprir o trajeto totalizando 3m07m37c. O espanhol Gabriel Alonso (Extreme Bike) terminou a corrida principal no terceiro lugar do pódio gastando mais 12 segundos do que o vencedor com o cronómetro a estanca nos 3m15s49c.

Depois dos triunfos forasteiros do britânico Matthew Simmond (S.Brás de Alportel), das duas vitórias de Rémi Thirion (Pampilhosa da Serra e Lousã) e do sucesso do campeão nacional Vasco Bica (Ribeira de Pena), foi a vez de Pardal estrear-se a vencer na Taça de Portugal acumulando ainda a liderança do troféu, quando já só resta a sexta e última prova a disputar.

Na Elite feminina, a campeã nacional Filipa Peres (MS Racing Portugal) regressou às vitórias interrompendo, na Taça de Portugal, um jejum que durava desde a primeira prova pontuável disputada no Algarve. A ciclista gondomarense partilhou o pódio de Porto de Mós com Margarida Bandeira (Montanha Clube/LouzanPark) e Ana Costa (Casa do Povo de Abrunheira), respetivamente segunda e terceira classificada.

Nos restantes escalões, João Pereira (Getpro/linhas Afemar) venceu nos juniores e Guilherme Pissarra, da Casa do Povo de Abrunheira, foi o mais lesto nos cadetes. Nos Masters "30",  o madeirense Daniel Pombo levou a melhor – fez a segunda mais rápida descida com todos dos escalões combinados. Já Rui Cruz venceu nos Masters 40 e José Salgueiro festejou novo triunfo nos Masters 50.

Na classificação das equipas, a melhor em Porto de Mós foi a MCF/Xdream/Município de S. Brás.

Fonte: FPC

“Taça de Portugal de Cadetes/Julian Madrigal volta a conquistar Taça de Cadetes”

Segunda e última prova da fase final em Barcouço foi conquistada por Flávio Fernandes bastando ao costaricense Julian Madrigal concluir na quarta posição para erguer o Troféu pelo segundo ano consecutivo

Flávio Fernandes, da Seissa/KTM-Bikeseven/ Matias&Araújo/Frulact, cumpriu os 73,5 quilómetros em pouco mais de duas horas de corrida, alcançado o centro de Barcouço, na Mealhada, com 31 segundos de vantagem sobre Gonçalo Fonte (Tensai/Sambiental/Santa Maria). Diogo Narciso (Maia) fechou o pódio da segunda corrida final da Taça de Portugal de Cadetes, antecipando um primeiro grupo de favoritos que cortou o risco, liderado por Madrigal, 52 segundos depois do vencedor.

A corrida foi naturalmente intensa tendo em conta a disputa do principal troféu de regularidade do escalão e, no final, a contabilidade dos pontos conquistados na véspera, em Gouveia, fez a diferença para consagrar novamente Julian Madrigal. Na tabela geral, o corredor do Alcobaça Clube de Ciclismo somou 120 pontos, mais 15 do que o adversário João Carvalho Seissa/KTM-Bikeseven/ Matias&Araújo/Frulact). Marco Marques, da Tensai / Sambiental / Santa Marta, fechou o pódio final do Ranking da Taça de Portugal, com 95 pontos.

Na classificação por equipas, a Seissa/KTM-Bikeseven/ Matias&Araújo/Frulact sagrou-se vencedora, sendo o melhor conjunto da fase final da Taça de Portugal de Cadetes, diante da Maia e do Alcobaça CC/Crédito Agrícola.

Fonte: FPC

 

“Equipa Portugal/Portugueses entre azares nas corridas de Albstadt”

Segunda prova da Taça do Mundo de Cross-Country Olímpico (XCO) termina com o triunfo do suíço Nino Schurter. Entre os Elites, David Rosa foi 50.º classificado e José Dias, 79.º. Ana Tomás caiu na prova de Sub-23 femininos

A representação da Equipa Portugal na segunda prova da Taça do Mundo de XCO, em Albstadt, concluiu-se com o 50.º posto de David Rosa e o 79.º lugar de José Dias na prova de Elites masculinos levada de vencida pelo campeão do mundo Nino Schurter. Ana Tomás não chegou ao fim na prova de sub-23 femininos. Por sua vez, correndo com as cores das respetivas equipas, Mário Costa não concluiu a prova de Elites e Joana Monteiro foi a 68.ª classificada entre a Elite Feminina.

A corrida de Elites Masculinos, que encerrava o programa de competições em Albstadt, correu de forma aziaga às aspirações portuguesas traduzidas nos resultados discretos de David Rosa e José Dias. O campeão nacional David Rosa viu as suas pretensões e as da restante comitiva limitadas por um inoportuno furo no momento em que seguia nos 30 primeiros. Sem outra resposta que encetar uma recuperação de posições, o desgaste e a dificuldade de ultrapassagem do circuito, condicionaram o natural de Fátima a um lugar abaixo do esperado, concluído a corrida na 50.ª posição, a 8m20s do vencedor, o suíço Schurter. José Dias, igualmente na Elite, fez uma prova com um ritmo irregular, chegando a rodar algumas posições acima do seu lugar na grelha de partida para finalmente, já desgastado, concluir a corrida na 74.ª posição, a 11m09s.

Na corrida de Sub-23 femininos, a queda de Ana Tomás, única representante nacional no escalão, impediu a sua continuidade em prova, forçando o abandono.

"A Ana Tomás [corrida Sub-23 Feminina] teve uma queda logo na primeira volta e ficou fora da corrida. Foi uma queda bastante complicada, que a deixou bastante contundida e não conseguiu arrancar novamente. Nos Elites, a corrida ia lançada, o David estava no 27.º lugar e teve um furo. Como é natural, perdeu bastantes lugares e, com apenas mais uma volta a percorrer, restou-lhe defender a posição, até porque o desgaste era grande. O José Dias acusou, muito provavelmente, o facto de partir muito atrás. Fez um esforço grande nas primeiras voltas e mais tarde veio a pagar por isso. A nossa participação em Albstadt teve coisas boas, como a prestação de João Rocha - foi 59.º na corrida sub-23 - e outras menos conseguidas, que terão que ser rapidamente corrigidas", explicou o selecionador nacional Pedro Vigário.

Fonte: FPC

“Equipa Portugal/Juniores portugueses em bom plano na Taça das Nações”

A Equipa Portugal terminou na Suíça, a participação no Tour du Pays de Vaud, prova da Taça das Nações de Juniores, com um balanço positivo. Dois corredores colocaram-se no top 20 final e a Seleção Nacional foi a quinta na classificação por equipas, revelando uma grande consistência coletiva.

A última etapa, 89,9 quilómetros, entre Gollion e Vullierens, com duas contagens de montanha, foi disputada em ritmo moderado, não permitindo que se fizessem grandes diferenças. Um grupo de 51 corredores discutiu a tirada ao sprint, tendo Portugal colocado três ciclistas nesse pelotão, todos com o mesmo tempo do vencedor do dia, o belga Thibaut Ponsaerts.

Pedro José Lopes foi o 17.º da jornada, Pedro Miguel Lopes foi o 30.º e Pedro Teixeira cortou o risco no 45.º posto, permitindo, desta forma, que a Equipa Portugal subisse um degrau na tabela coletiva, concluindo a corrida no quinto lugar entre 20 seleções participantes. Francisco Moreira foi 84.º, a 9m38s. Afonso Silva, há dois dias a contas com problemas gastrointestinais, abandonou.

A última etapa não provocou mudanças significativas na geral, ganha pelo norueguês Andreas Leknessund. Pedro Miguel Lopes fechou a prova no 19.º lugar, a 1m58s, Pedro José Lopes foi o 20.º, a 2m00s, Pedro Teixeira acabou em 34.º, a 4m19s, e Francisco Moreira foi o 81.º, a 33m26s.

“Foi uma prestação equilibrada na primeira experiência internacional dos juniores nacionais em 2017. Foi pena a última etapa não ter sido mais mexida, pois poderíamos subir algumas posições. Ainda tentámos mexer na corrida. Depois da passagem na primeira montanha, o Pedro José Lopes ficou na frente da corrida, num grupo de dez corredores. Só que uma passagem de nível fechada obrigou esse grupo a parar e a corrida foi reiniciada com todo o pelotão junto”, conta o selecionador nacional de estrada, José Poeira.

Fonte: FPC

“Taça de Portugal Jogos Santa Casa de Paraciclismo”

Corredores com deficiência competiram em Viana

Viana do Castelo recebeu, neste domingo, a segunda prova pontuável para a Taça de Portugal Jogos Santa Casa de Paraciclismo. Alinharam 19 corredores, que se distribuíram por nove categorias competitivas.

As classes com maior número de participantes foram C4, C5 e H4, todas com quatro paraciclistas à partida. O melhor C4 foi João Monteiro (Mozinho MTB/Valde d’Aldeia/Martos/Hmed), que reforçou o comando da geral, pois já havia sido o melhor na ronda inaugural.

Vítor Luís (Academia Joaquim Agostinho/UDO) triunfou em C5, batendo Manuel Ferreira (Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel), que chegou a Viana no comando. Flávio Pacheco (Sporting-Tavira Paracycling) impôs-se em H4.

A classe H3 foi discutida por dois paraciclistas, tendo João Pinto levado a melhor e, desse modo, cimentado a condição de comandante da geral.

Bernardo Vieira, em C1, João Silva, em C2, Francisco Martins, em C3, João Marques (Academia Joaquim Agostinho/UDO), em D, e Luís Costa (Sporting-Tavira Paracycling), em H5, não tiveram adversários nas respetivas classes.

Fonte: FPC

“A segunda vitória consecutiva para a EFAPEL”

Daniel Mestre volta a bater a concorrência ao sprint

A equipa EFAPEL voltou a estar em grande destaque com a vitória de Daniel Mestre na quarta e última etapa da 27ª edição do Grande Prémio do Jornal de Notícias. A equipa voltou a realizar um trabalho excepcional e o ciclista alentejano concretizou esta demonstração de união do conjunto liderado por Américo Silva. Com este resultado, Mestre acabou às portas do pódio, enquanto Henrique Casimiro fechou o top-ten.

Cristiano Ronaldo disse que os golos eram como o ketchup. Quando surgem, aparecem de uma vez. Parece que esta máxima do carismático jogador de futebol se aplica às vitórias no ciclismo. Depois do triunfo de ontem, a EFAPEL voltou a ser a mais forte na chegada ao sprint na derradeira etapa do Grande Prémio do Jornal de Notícias.

Com partida e chegada em Valongo, a etapa foi intensa. Houve muitas tentativas de fuga mas todas elas inconsequentes. Com a aproximação à meta, o conjunto liderado por Américo Silva assumiu o comando do pelotão, imprimiu um ritmo ainda mais alto e trabalhou para que Daniel Mestre desse a estocada final. Este, forte a finalizar, não perdeu a oportunidade e foi o primeiro a cruzar a linha de meta.

“Mais um dia excepcional para toda a equipa. É a prova de que este conjunto fantástico de corredores tem um valor tremendo e que seria apenas uma questão de tempo para que os triunfos aparecessem. Se a vitória de ontem soube muito bem, a de hoje teve um significado igualmente especial. É um prémio para todos os elementos desta equipa que trabalham diariamente para honrar as nossas cores”, afirmou o director desportivo da EFAPEL, Américo Silva.

A EFAPEL agora não pára. O Grande Prémio do Jornal de Notícias terminou hoje mas a equipa regressa à estrada já no final da semana que hoje começa. De dia 2 a 4 de junho, de sexta a domingo, os corredores competem no II Grande Prémio Internacional Beiras e Serra da Estrela.

 

Classificação na quarta

    Daniel Mestre                EFAPEL            3h16m59s

    Raul Alarcon                W52-FC Porto            mt

    João Benta                RP-Boavista            mt


12º    Henrique Casimiro            EFAPEL            a 5s

17º    Sérgio Paulinho            EFAPEL            a 18s

19º    António Pereira Barbio        EFAPEL            a 1m02s

20º    Jesus del Pino            EFAPEL            a 1m17s

21º    Bruno Silva                EFAPEL             a 1m35s

24º    Rafael Silva                EFAPEL             a 2m19s

25º    Mateo Garcia                EFAPEL             a 3m02s

 

Classificação geral individual

    Raul Alarcon                W52-FC Porto            13h27m39s

    João Benta                RP-Boavista            a 20s

    Rui Vinhas                W52-FC Porto            a 23s


    Daniel Mestre                EFAPEL            a 29s

10º    Henrique Casimiro            EFAPEL            a 1m15s

15º    Sérgio Paulinho            EFAPEL            a 2m21s

18º    Rafael Silva                EFAPEL             a 4m01s

29º    Jesus del Pino            EFAPEL            a 8m39s

33º    Bruno Silva                EFAPEL             a 10m56s

48º    António Pereira Barbio        EFAPEL            a 18m39s

49º    Mateo Garcia                EFAPEL             a 19m32s

Fonte: Efapel

“Grande Prémio Jornal de Notícias”

Alarcón herói popular em mais um dia de Mestre

A multidão que recebeu, em Valongo, o pelotão do Grande Prémio Jornal de Notícias viu Daniel Mestre (Efapel) a conquistar a quarta e última etapa da prova e aplaudiu o espanhol Raúl Alarcón (W52-FC Porto), vencedor da classificação geral.

Os últimos 130 quilómetros do Grande Prémio Jornal de Notícias, uma etapa com partida e chegada em Valongo, mostraram que a W52-FC Porto manda no pelotão, não dando a menor hipótese à concorrência. A RP-Boavista, que iniciou a jornada com João Benta no segundo lugar da geral, atacou de princípio a fim, com diferentes homens, mas os portistas nunca deram uma margem que fosse muito além dos 30 segundos.

As dificuldades da viagem foram seccionando o pelotão, fazendo com que fosse um grupo de apenas 16 corredores a entrar na dianteira na reta da meta. O alentejano Daniel Mestre não fez rogado e bisou em etapas nesta edição da corrida, ganhando no mesmo local onde, no ano passado, triunfou numa tirada desta mesma competição. O camisola amarela, Raúl Alarcón, defendeu com autoridade o primeiro posto, sendo o segundo classificado no derradeiro sprint. O terceiro foi João Benta.

“Faço um balanço positivo da minha participação e da participação da equipa nesta corrida. O nosso principal objetivo era ganhar etapas e vencemos duas. Com a bonificação de hoje, subi a quarto na geral, uma boa posição”, considera Daniel Mestre.

Raúl Alarcón terminou o Grande Prémio Jornal de Notícias no topo da geral, sucedendo ao ex-colega de equipa Rafael Reis na galeria de vencedores. João Benta foi o segundo classificado, a 20 segundos, e Rui Vinhas (W52-FC Porto) fechou o pódio, a 23 segundos.

“Foi uma corrida fantástica. A chave do triunfo foi a jornada dupla, aquela quem que marquei a diferença para os rivais. Mas sem equipa não teria vencido, porque foram os meus companheiros que seguraram a vantagem nas duas etapas seguintes. Dedico a vitória a todas as pessoas que nos apoiam, aos meus companheiros de equipa, à minha família e à minha namorada”, disse Raúl Alarcón, antes da consagração no pódio.

A última etapa modificou apenas uma das classificações em disputa. Nuno Meireles (Equipo Bolivia) teve de ceder a camisola de melhor trepador a César Fonte (LA Alumínios-Metalusa BlackJack). Nas restantes classificações, Valongo celebrou o triunfo dos que já iniciaram a tirada na frente: Raúl Alarcón juntou os pontos à geral individual, Márcio Barbosa (ACDC Trofa) foi o vencedor das metas volantes, Jorge Magalhães agarrou o estatuto de melhor sub-23 e a W52-FC Porto impôs-se por equipas.

Antes da subida ao pódio dos vencedores das diferentes classificações, um grupo de antigos corredores juntou-se para uma homenagem pública a Serafim Ferreira, antigo diretor das provas de ciclismo organizadas pelo Jornal de Notícias.

 

Classificação

4.ª Etapa: Valongo - Valongo, 130 km

1.º Daniel Mestre (Efapel), 3h16m59s (Média: 39,597 km/h)

2.º Raúl Alarcón (W52-FC Porto), mt

3.º João Benta (RP-Boavista), mt

4.º António Carvalho (W52-FC Porto), mt

5.º Amaro Antunes (W52-FC Porto), mt

6.º Tiago Antunes (Sicasal/Constantinos/Delta Cafés), mt

7.º Rui Vinhas (W52-FC Porto), mt

8.º César Fonte (LA Alumínios-Metalusa BlackJack), mt

9.º Gaspar Gonçalves (Liberty Seguros/Carglass), mt

10.º Joni Brandão (Sporting-Tavira), mt

 

Geral Individual

1.º Raúl Alarcón (W52-FC Porto), 13h27m39s

2.º João Benta (RP-Boavista), a 20s

3.º Rui Vinhas (W52-FC Porto), a 23s

4.º Daniel Mestre (Efapel), a 29s

5.º Amaro Antunes (W52-FC Porto), a 31s

6.º António Carvalho (W52-FC Porto), a 39s

7.º Joni Brandão (Sporting-Tavira), a 49s

8.º Domingos Gonçalves (RP-Boavista), a 1m00s

9.º Jorge Magalhães (Miranda/Mortágua), a 1m02s

10.º Henrique Casimiro (Efapel), a 1m15s

Fonte: FPC

“Taça de Portugal – Escalões Femininos”

Maaris Meier celebra conquista da Taça em Gouveia

A estoniana Maaris Meier (Maiatos/Reabnorte) venceu a quinta e derradeira prova da Taça de Portugal - Jogos Santa Casa na categoria de Elites Femininos, conquistando a geral do troféu. Em Gouveia apuraram-se as respetivas vencedoras das Taças de Portugal das distintas categorias.

Maaris Meier selou a liderança da Taça de Portugal - Jogos Santa Casa com o triunfo na quinta e derradeira prova do troféu, um exigente circuito em Gouveia que totalizou 71,2 km. A líder da Taça de Portugal - Jogos Santa Casa até à quarta prova chegou a Gouveia com uma curta vantagem pontual, mas soube-se se impor na chegada, disputando a vitória diante da Sub-23 Soraia Silva, da Bairrada. No terceiro lugar da corrida da jurisdição desportiva da Associação Regional de Ciclismo de Viseu, terminou Irina Coelho, das 5 Quinas/ Município de Albufeira.

Nas contas finais da Taça de Portugal - Jogos Santa Casa, competição para a categoria de Elites Femininos, Maaris Meier, que alinha com as cores dos Maiatos/Reabnorte totalizou 165 pontos, contra os 112 de Fiona Hunter-Johnston (Fusion Fierlan RT) e os 95 pontos de Irina Coelho, respetivamente segunda e terceira classificadas.

Na Taça de Portugal Feminina da categoria júnior, o ordenamento final premiou Marta Branco. A ciclista da formação nortenha da Maiatos/Reabnorte, no cômputo das cinco provas pontuáveis venceu duas, inclusive a derradeira em Gouveia, totalizando 205 pontos. No pódio do ranking da Taça de Portugal Feminina, na categoria Júnior, seguiu-se Maria Martins (Bairrada), vencedora de três provas (185 pontos). Por fim, no terceiro lugar, Diana Fortes (Alcobaça CC/Crédito Agrícola), acumulou 100 pontos no terceiro lugar do ranking deste troféu.

Daniela Campos rompeu a hegemonia nortenha entre as vencedoras da Taça de Portugal, triunfando com as cores algarvias da 5 Quinas/Município de Albufeira na Taça de Portugal Feminina de Cadetes, somando 220 pontos. Daniela Campos também acumulou o triunfo à geral com a vitória na corrida de Gouveia. Joana Pereira, da mesma equipa, findas as cinco provas, somou 205 pontos e Rafaela Ramalho, da Maiatos/Reabnorte, acabou a Taça com 90 pontos, na terceira posição.

Por fim, na Taça de Portugal Feminina de Masters, o triunfo coube a Elisete Sousa (5 Quinas/ Município de Albufeira). A corrida master de Gouveia foi conquistada pela colega de equipa, Rita Reis.

Na classificação coletiva, a formação da Maiatos / Reabnorte saldou-se como vencedora, sendo a melhor equipa no computo final das competições, ainda que com igual número de pontos com o esquadrão das 5 Quinas / Município de Albufeira.

Fonte: FPC

“Equipa Portugal/Portugueses dão-se bem com a montanha na Taça das Nações”

Os corredores da Equipa Portugal estiveram em bom plano no terceiro dia de competição no Tour du Pays de Vaud, prova suíça da Taça das Nações de Juniores, que teve, duas chegadas ao alto de Saint-Cergue. Pedro José Lopes foi décimo no setor vespertino e entrou no top 20 da geral, juntamente com Pedro Miguel Lopes. Portugal ocupa a sexta posição entre 20 seleções participantes.

Durante a manhã, numa ligação de 65,7 quilómetros, entre Ballens e o alto de Saint-Cergue, Pedro José Lopes, 18.º, e Pedro Miguel Lopes, 21.º, chegaram no grupo da frente, com o mesmo tempo do vencedor, o belga Thibaut Ponsaerts. Entre a representação lusa, seguiram-se Pedro Teixeira, 42.º, a 2m36s, Francisco Moreira, 74.º, a 8m43s, e Afonso Silva, 91.º, a 13m47s.

A secção vespertina teve apenas 22,2 quilómetros, entre Nyon e o alto de Saint Cergue. Chegou à meta, na frente da corrida, um grupo de 30 corredores, no qual a Seleção portuguesa colocou três ciclistas. Pedro José Lopes foi 10.º, Pedro José Lopes cortou a meta no 13.º posto e Pedro Teixeira foi o 25.º classificado, todos com o mesmo tempo do vencedor, o russo Dmitry Mukhomediarov. Francisco Moreira foi 58.º, a 2m10s, e Afonso Silva foi 69.º, a 3m07s.

A jornada dupla permitiu aos corredores portugueses uma forte subida na classificação geral, especialmente a Pedro Miguel Lopes, 19.º, a 1m58s do comandante, norueguês Andreas Leknessund, e a Pedro José Lopes, 20.º, a 2m00s. Pedro Teixeira é 34.º, a 4m36s, Afonso Silva é 69.º, a 19m02s, e Francisco Moreira 77.º, a 24m05s.

“Temos um grupo muito bom, que ouve, tem vontade de aprender e são ciclistas com qualidade. Os nossos corredores estão em crescendo. Chegaram aqui sem grande experiência internacional, mas estão a ganhar confiança. Na etapa da tarde hoje o Pedro José Lopes estava nos três primeiros, na discussão da vitória, mas ficou preso, porque os dois corredores que seguiam à frente caíram. O Pedro Miguel Lopes também atacou, a 3 quilómetros do fim. São sinais muito encorajadores”, considera o selecionador nacional, José Poeira.

Fonte: FPC

“Taça de Portugal de Cadetes – Fase final”

João Silva com triunfo folgado em Gouveia

João Silva foi protagonista na primeira prova da fase final da Taça de Portugal de Cadetes ao vencer de forma convincente em Gouveia. O ciclista do C.C.Barcelos defende a liderança do troféu este domingo em Barcouço (Mealhada)

O triunfo do corredor do C.C.Barcelos/AFF/Orbea/Onda deu-se com 40 segundos de avanço sobre o segundo classificado, o costaricense Julián Madrigal (Alcobaça CC/Crédito Agrícola). Na corrida pelos primeiros pontos da fase final do troféu, Marco Marques (Tensai/Sambiental/Santa Marta) concluiu os 71,2 quilómetros do percurso no terceiro lugar, gastando mais 42 segundos do que o vencedor.

Após cumprir a fase de apuramento inter-regional na 11.ª posição, João Silva surpreendeu a concorrência ao avantajar-se ao pelotão para alcançar isolado a chegada situada na Avenida 25 de Abril. No circuito de quatro voltas, tido como oportuno a esforços de fundo, Silva foi o lesto a cumprir os 71,1 quilómetros da corrida liderando uma classificação na qual se assinala o elevado número de desistências que, na ordem das dezenas, assolou quase metade do pelotão desta categoria e cuja faixa etária se situa entre os 15 e 16 anos.

Além de Madrigal, segundo classificado, coube a Marco Marques (Tensai/Sambiental/Santa Marta) fornecer a réplica ao ataque decisivo, alcançando o acesso ao terceiro lugar do pódio.  Na classificação coletiva do dia venceu o Alcobaça CC/Crédito Agrícola.

Com os pontos da Taça de Portugal de Cadetes a serem atribuídos até ao 50.º classificado é, no entanto, entre os dez primeiros classificado da corrida de Gouveia que deverá ser encontrado o vencedor final do troféu cuja prova decisiva se disputa este domingo em Barcouço, Mealhada.

Para a segunda e última corrida da Taça de Portugal de Cadetes as decisões começam a ser conhecidas logo aquando das primeiras pedaladas, previstas para as 12h15, desde Jardim Público de Barcouço. A chegada, após três voltas a um percurso exigente, está prevista para as 14h10 no mesmo local da largada.

Fonte: FPC

“12º Passeio Cicloturismo “Os Cansados de Marinhais”

Doze anos de fortes pedaladas, em prol do cicloturismo, este ano com uma inovação, imagens recolhidas de helicóptero

Texto e fotos: José Morais

Marinhais recebeu este domingo 28, último do mês de maio, o seu 12º passeio de cicloturismo, numa organização do Grupo “Os Cansados de Marinhais”, um evento que fazia parte do calendário oficial da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB), com um trajeto de 70 quilómetros, o qual contou com mais de 330 participantes, dividido por mais de 42 equipas.

Num domingo que acordou com o céu com algumas nuvens, as condições climatéricas a manterem-se estáveis, com ausência da chuva proporcionou aos participantes uma excelente manhã de fortes e boas pedaladas.

As pedaladas tiveram concentração no recinto das Festas de Marinhais pelas 8 horas, uma hora e quinze depois tudo estava apostos para dar início às pedaladas, com os participantes a rolarem, com a primeira paragem a ocorreu poucos quilómetros depois junto ao cemitério local, aqui existiu uma pequena paragem para homenagear alguns antigos elementos falecidos do Cansados de Marinhais, sendo a cerimónia presidida pelo Padre João Maria.

Regressando à estrada, os participantes seguiram rumo a Foros de Salvaterra, Salvaterra de Magos, Nacional 118, Marinhais, aqui foi feita uma paragem para um abastecimento líquido e sólido. Depois foi a segunda parte do evento, seguindo em direção a Glória, Muge, Nacional 118, e Marinhais, onde no local da partida terminaram as pedaladas, depois de terem sido percorridos alguns locais mais típicos.


O postal do evento:

Os Cansados de Marinhais tem vindo nos últimos anos a terem passeios sem dúvida muito positivos, e surpreender os participantes, este ano mais uma vez assim aconteceu, já que contou com a presença de um helicóptero para recolher imagens, o que deliciou os mesmos,                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                        os quais oriundos de diversos locais, como por exemplo, Coimbra, Leiria Pombal, Crato ou Estremoz, equipas que marcaram presença, e saíram bastante satisfeitas, mas não só estes, como todos, assim o ficaram.

Um passeio com alguns quilómetros, mas percorridos num local propício a rolar, já que a zona é muito plana, com uma velocidade a ser controlada pela equipa da casa, mantendo assim a velocidade do verdadeiro cicloturismo.

E depois das pedaladas, e de um belo banho, foi tempo de ir ao convívio final, um grande almoço de confraternização, onde todos puderam tarde dentro, recordar os bons momentos das belas pedaladas dadas, não faltou ainda a entrega das tradicionais lembranças a todos, e existiu ainda tempo de homenagear algumas pessoas, como a entrega de flores a todas as mulheres que pedalaram.

No final, João Robim, responsável pelo evento fazia um balanço muito positivo do mesmo ao dizer; “Foi um balanço espetacular que ultrapassou as nossas expetativas, tivemos mais equipas, mas cicloturistas, foi dos anos mais positivos, a nossa coletividade está de parabéns porque temos trabalhado para esse fim, e deixo uma mensagem, que todos mantenham o mesmo espirito, a mesma atitude, a mesma personalidade, e que não deixem cair o que conseguiram conquistar ao longo destes anos, assim dou os parabéns a todos, e peço, não deixem cair o cicloturismo, trabalhem, e preservem o que conseguimos conquistar já alguns anos.

Temos ao longo doas anos inovado, na promoção do passeio, o ano passado mostramos imagens retiradas por um drone, este ano, a presença de um helicóptero, o que é inédito, e alegrou mais o passeio”.

E estas as palavras de João Robim, responsável, e também cicloturista, ele que pedalou sempre na cabeça do longo pelotão, orientando, e no final, também ele a orientar o final do evento, o qual temos de dar os parabéns a todos os participantes, á organização que mais um ano se esmerou por dar o seu melhor, a GNR, pelo excelente trabalho feito, e os Motares de Marinhais que também ajudaram na segurança, proporcionando assim a todos ainda melhores pedaladas.

E neste, que é já é um dos eventos preferidos de muitos, apenas temos a desejar que continuem assim, fazendo votos de estarmos novamente presentes em 2018, até lá vamos andando por ai, desejando bons passeios, boas pedaladas.

Pode ver mais fotos em: