sexta-feira, 21 de julho de 2017

“Exposição “Ferrari: 70 anos de paixão motorizada”

O Museu do Caramulo bateu o recorde de adesão na primeira semana após a sua inauguração EXPOSIÇÃO FERRARI RECEBE MAIS DE 1.000 VISITANTES EM 7 DIAS  

Caramulo, 21 de Julho de 2017 – A exposição “Ferrari: 70 anos de paixão motorizada”, que inaugurou no Museu do Caramulo no passado dia 8 de Julho, e que tem como tema central o 70º aniversário da casa de Maranello, foi visitada por mais de 1.000 pessoas nos primeiros sete dias após a sua abertura, um recorde absoluto para o museu no que diz respeito a exposições temporárias. A ser preparada há mais de um ano, esta é a maior exposição dedicada à Ferrari alguma vez realizada em Portugal, juntando um alinhamento de luxo de Ferraris, tanto pela sua raridade como pelo seu valor histórico. 

Para Tiago Patrício Gouveia, Director do Museu do Caramulo, “esta adesão extraordinária, não só em visitantes, mas também nas reacções que vemos nos canais digitais, mostram que esta exposição é um sucesso à nascença, o que nos deixa muito satisfeitos. Sabemos que Ferrari é um sinónimo de paixão, e por isso investimos muito na exposição, seja nos modelos expostos, seja na própria apresentação dos mesmos”. 

A exposição “Ferrari: 70 anos de paixão motorizada” é composta por diversos modelos únicos e raros, repletos de história, entre eles o Ferrari 275 GTB Competizione, o Ferrari 250 Lusso, o Ferrari 365 Daytona, o Dino 246 GT, o Ferrari F40 ou o Ferrari Testarossa.  

O objectivo da exposição é o de contar a história da Ferrari através de modelos das várias décadas da marca, começando logo pelo seu início, com o Ferrari 195 Inter de 1951, actualmente o modelo da casa da Maranello mais antigo em Portugal e o primeiro modelo de turismo da Ferrari a entrar no nosso país.  

Uma das estrelas da exposição é o Ferrari 500 Mondial de 1955, tipo “barchetta”, com uma carroçaria Scaglietti, um raríssimo automóvel que esteve até agora guardado numa colecção privada, sempre longe do olhar e conhecimento do público, mesmo do especializado e que só agora foi revelado pela primeira vez no Museu do Caramulo. Repleto de história, este automóvel de competição é um dos modelos da marca mais raros do mundo, sendo que o exemplar em exposição é considerado como um dos mais originais, mantendo ainda o seu motor de fábrica. 

A exposição estará patente no Museu do Caramulo até 29 de Outubro.

Fonte: Museu Colaborador/Parceria Notícias do Pedal

“Festival Internacional de Veículos Clássicos e Desportivos”

ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA A RAMPA HISTÓRICA DO CARAMULO 

Estão oficialmente abertas as inscrições para a 12ª Rampa Histórica do Caramulo, prova integrada no Caramulo Motorfestival, evento organizado pelo Museu do Caramulo e pelo Núcleo de Desportos Motorizados de Leiria. 

A prova, que decorrerá nos dias 9 e 10 de Setembro de 2017 no mítico traçado da rampa do Caramulo, é aberta a todas as categorias de veículos fabricados a partir de 1885. A participação na prova pode ser feita em velocidade ou regularidade, sendo necessária licença desportiva para pilotos e navegadores, de acordo com o Regulamento da prova disponível no site oficial do evento em www.caramulo-motorfestival.com.

Em simultâneo, e como vem sendo habitual, vão decorrer variados passeios e concentrações de clubes, actividades ao ar livre, exposições temáticas, parque de insufláveis, a Feira de Automobilia, ralis históricos, o Air show, entre outras atracções.

A organização frisa que “todos os anos preocupamo-nos em apresentar novidades neste evento, com enorme sucesso e em crescendo, e, para assinalar as 12 edições, estamos a preparar algumas novidades que surpreendam o público que nos visita nesta altura.” 

Este evento conta com o apoio do Museu do Caramulo, Câmara Municipal de Tondela, Jornal dos Clássicos e do Banco BPI.

Para mais informação sobre o Caramulo Motorfestival, dirija-se a www.caramulo-motorfestival.com

Fonte: Museu Caramulo/Parceria Notícias do Pedal

“Global Triathlon Conference”

Nos próximos dias 31 de Agosto e 1 de Setembro, irá decorrer, em Cascais, a Global Triathlon Conference.

Esta conferência de cariz internacional irá contar com diversos especialistas na área da Saúde Desportiva assim como diversos entendidos no Treino Desportivo de Triatlo.

A organização da Global Triathlon Conference vem de uma colaboração partilhada entre a Federação de Triatlo de Portugal e a 3IronSports que, ao receberem a prova internacional Ironman 70.3 Cascais, aproveitam a massiva participação de Triatletas e demais agentes da modalidade para organizar aquela que será uma das maiores conferências de Triatlo a nível Internacional.

Para se poder inscrever e obter mais informações do evento, deverá clicar na ligação seguinte:

INSCRIÇÕES

O valor de inscrição é de 50€ e a formação terá 2,5UC para renovação de Cédula de Treinador Desportivo.

Para mais informações poderá contactar cascais.global.tri.conf@gmail.com

Fonte: FTP

“Coruche recebe Taça de Portugal e Campeonato Nacional Jovem"

Coruche será palco de um evento repleto de competições que trará à vila ribatejana triatletas de todas as idades. Organizado de forma conjunta entre a Câmara Municipal de Coruche e a Federação de Triatlo de Portugal o evento terá lugar dia 30 de Julho e ficará marcado pela disputa de mais uma etapa da Taça de Portugal de Triatlo bem como da penúltima etapa do Campeonato Nacional Jovem.

A localidade que tem recebido, ao longo dos últimos anos, importantes provas do calendário nacional, volta a acolher a comunidade do triatlo para mais um grande dia de competições. Com excelentes condições para a prática da modalidade, Coruche desafiará todos os presentes a percorrer os percursos da região e a competirem com as cores dos seus clubes pela conquista de importantes pontos.

A manhã de dia 30 de Julho ficará reservada às camadas jovens. Com o Campeonato Nacional Jovem cada vez mais perto do seu final todos os participantes terão uma nova oportunidade de testar as suas capacidades e de competir em distâncias alinhadas com os seus escalões. Na mesma prova será disputado o Campeonato Nacional de Juvenis, trazendo maior competitividade e intensidade à competição que receberá centenas de pequenos triatletas de todos os cantos do país.

Em Coruche haverá igualmente espaço para a realização da nona etapa da Taça de Portugal de Triatlo. A mítica competição nacional desloca-se até ao Ribatejo e oferece a possibilidade de competir numa prova Sprint (750m/20km/5km) que será caracterizada pelos seus percursos planos e pela beleza das suas paisagens. Os clubes e triatletas que marcarem presença em Coruche terão a oportunidade de disputar alguns dos últimos pontos da época numa prova onde a intensidade estará presente.

Esperamos um evento repleto de competitividade, partilha e paixão pela nossa modalidade que acolha triatletas de todas as idades para a disputa de grandes competições nacionais.

Fonte: FTP

“Bombarralense Lutou Até À Linha de Meta”


Entre os dias 13 a 16 de Julho, o Sport Clube Escolar Bombarralense, com a sua equipa júnior, a Sicasal – Liberty Seguros – Bombarralense, marcou presença na XII Volta a Portugal em Juniores.

A equipa marcou presença com Francisco Guerreiro, Leonel Firmino, Bruno Valentim, Guilherme Simão, Rafael Costa, Wilson Esperança e Francisco Duarte.

A prova, de nível nacional, teve 21 equipas à partida. 5 jornadas marcaram esta 12ª edição, com especial atenção para o prólogo colectivo inaugural, o contra-relógio individual ao 3º dia e a chegada em alto no último dia de prova.

No primeiro dia a equipa correu em casa e finalizou em 3º o prólogo colectivo. No dia seguinte (1ª etapa em linha), as ambições passavam por levar Francisco Duarte à vitória, mas algumas dificuldades montanhosas nos últimos 5 quilómetros fraccionaram o pelotão, obrigando o ciclista a despender mais energia que o esperado. O jovem fechou na 5ª posição. Importa referir que o líder da equipa para a geral individual, Leonel Firmino, alinhou neste dia com uma gastroenterite sofrida no dia anterior.

A equipa partiu para o primeiro sector da 2ª etapa com o mesmo objectivo do dia anterior. A ideia passou por controlar o pelotão na parte final de modo a salvaguardar quedas e assim, posicionar o melhor possível Francisco Duarte. No entanto, duas quedas, uma a 5 quilómetros do fim e outra já nos metros finais, ditaram o fim da táctica planeada pois toda a equipa ficou envolvida nas mesmas. Guilherme Simão foi o único a ficar com algumas mazelas físicas, enquanto os restantes ficaram com algumas perdas de tempo importantes devido à “Regra dos 3 Quilómetros” não ter sido aplicada (regra que permite aos lesados de quedas e outras situações alheias ficarem com o mesmo tempo do grupo onde estavam inseridos à altura do sucedido, desde que tal aconteça nos últimos 3 mil metros). À tarde, os ciclistas participaram no sector b da jornada, o contra-relógio individual. Apesar de não ser o terreno predilecto dos jovens, estes defenderam-se bem, destacando-se o 9º lugar de Francisco Duarte.

A escalada ao Montejunto marcava o fim de mais uma edição da “nossa” Volta. Já sem aspirações à geral individual, o objectivo passou então por conquistar a etapa. A equipa trabalhou por colocar Francisco Guerreiro na fuga do dia, levando este consigo Francisco Duarte. O pelotão controlou e anulou a fuga à entrada da subida ao Montejunto.

Em análise à prestação da equipa nesta prova, o treinador, Carlos Reis, mostra-se desapontado. “O resultado ficou aquém. Alguns erros colectivos devem servir de aprendizagem futura. As quedas deixaram os atletas desmotivados e algo nervosos, não servindo tal para justificar o desempenho colectivo. Refira-se ainda que a equipa é jovem, 80% dos ciclistas que alinharam na nossa equipa são juniores de 1º ano. Por último, realçar que a equipa proporcionou (assim tem sido ao longo de todo o ano) todas as condições de que os ciclistas precisavam”, concluiu.

A equipa congratula todos os vencedores e participantes. O próximo compromisso será a Volta ao Minho, no final do mês. Enquanto isso, Francisco Duarte e Wilson Esperança estão nos Campeonatos Europeus de Pista, ao serviço da selecção. Os Campeonatos Europeus de Pista começaram dia 18 e decorrem até dia 23, no velódromo da Anadia, em Sangalhos.

*A equipa terá ao serviço da Selecção Nacional Francisco Duarte e Wilson Esperança.

Fonte: Bombarrelense 


 

“Campeonato Ibérico de Ciclismo Masters”


A equipa de ciclismo de Rio Maior, ASFIC – Grupo Parapedra / Dinazoo / Riomagic, deslocou-se no último domingo, a Almodôvar, onde participou no campeonato Ibérico de Ciclismo Masters.

O campeonato Ibérico realiza-se todos os anos, alternando a sua realização entre Portugal e Espanha, sendo objetivo desta prova apurar os três melhores ciclistas de cada escalão de ambos os países. As caraterísticas do percurso são comuns a todas as categorias, embora com distâncias diferentes.

O concelho de Almodôvar sucedeu assim, à localidade espanhola de Cazorla, na província de Jaén, Andaluzia, na disputa do Campeonato Ibérico de Ciclismo de estrada, para serem conhecidos oito novos campeões ibéricos nas categorias em liça: Elites Amadores, Master 30, Master 35, Master 40, Master 45, Master 50, Master 55 e Master 60.


Para esta prova a equipa do concelho de Rio Maior fez-se representar pelos ciclistas Rui Rodrigues, João Portela, Humberto Pereira Careca, Hugo Feijão e Jorge Letras, Nuno Manso, Aníbal Santo e Luís Vicente, acompanhados pelo treinador Jorge Caldeira.

Pelas 11 horas da manhã, decorreu a primeira corrida, onde estavam presentes as categorias master 40 e restantes acima, onde a ASFIC tinha 3 atletas, Rui Rodrigues, Aníbal Santo e Humberto Careca, que tiveram de percorrer 116 km, onde os termómetros marcaram temperaturas bem acima dos 40 graus, o que acabou por ser uma dificuldade maior e adversa. A ASFIC era uma equipa bastante marcada pelos adversários, pois Rui Rodrigues é o atual campeão nacional, e Humberto Careca tentava defender o seu título de campeão Ibérico.

Com cerca de 40 km percorridos Aníbal Santo ao vir a retaguarda, ao veículo de apoio buscar água para si e para os seus colegas de equipa, envolveu-se numa queda, o que o levou a nunca mais conseguir chegar ao pelotão.

A cerca de 12 km para a meta, quando Humberto Careca se encontrava com o seu colega Rui Rodrigues na frente, partiu o cabo das mudanças da sua bicicleta, o que levou a uma tentativa infrutífera de arranjo. Nesse momento 3 atletas Espanhóis atacaram a corrida, um deles da categoria de Rui Rodrigues, ganhando algum espaço entre o pelotão, não vindo a ser alcançados até ao fim. Rui Rodrigues venceu no pelotão ao sprint e subiu ao segundo lugar do pódio, tornando-se vice-campeão ibérico.


Na Corrida da tarde, Elites Amadores, Master 30 e Master 35, que foi adiada uma hora e encurtada na distância para também 116 km, a Asfic participou com Luís Vicente, João Portela, Nuno Manso, Hugo Feijão e Jorge letras.

Logo no início da corrida deu-se uma fuga de 4 atletas, onde estava Luís Vicente da ASFIC, que andaram cerca de 50 km até serem alcançados pelo pelotão.

Após o atleta da ASFIC ser alcançado, a ASFIC através de Nuno Manso voltou a atacar com mais alguns atletas, juntando-se pouco depois ao grupo outro atleta da ASFIC, João Portela.

Perto dos 30 km finais, o azar batia a porta da ASFIC, pois Luís Vicente furou, não estando neste momento o carro da equipa no pelotão, uma vez que estava atrás da fuga para apoiar os 2 atletas da ASFIC.

Quando o grupo de fugitivos já estava bastante reduzido e com apenas a 15 km do fim, o azar voltou a bater a porta da ASFIC, João Portela que era um forte candidato ao lugar mais alto do pódio, embateu num buraco, o que fez com que tivesse uma queda violenta, sendo transportado de imediato para o hospital de Castro Verde.


Nuno Manso viria a acabar a corrida com os fugitivos, e a subir ao 3 lugar do pódio no seu escalão.

Uma vez mais elevámos ao mais alto nível a cidade de Rio Maior e os patrocinadores da equipa, não só a nível nacional, mas além-fronteiras e por isso toda a equipa está de parabéns, pois os pódios alcançados são fruto do excelente trabalho desempenhado por quem trabalha arduamente no sentido de conseguir sempre bons resultados.

João Portela já se encontra a repousar na sua residência, não tendo partido qualquer osso do corpo, mas encontrando se bastante magoado e esfarrapado, desejando-lhe a direção e colegas de equipa rápidas melhoras

Fonte: ASFIC



 

“VANESSA FERNANDES QUER GANHAR O IRONMAN 70.3 PORTUGUÊS”

“O Ironman é a marca mais conhecida a nível mundial. Acredito que vai contribuir para o aumento do número de praticantes em Portugal.” Bruno Pais, Campeão Nacional de Triatlo de Longa Distância

Vencedora da Taça do Mundo de Triatlo, em 2007 e vice-campeã olímpica em 2008, Vanessa Fernandes e Bruno Pais, Campeão Nacional de Triatlo de Longa Distância, confirmaram, esta sexta-feira, a inscrição no Ironman 70.3 Portugal Cascais que se realiza a 3 de setembro.

“Sempre adorei treinar em serra, dou-me bem nas subidas e nos percursos difíceis, por isso quanto mais dura for a vertente do ciclismo melhor para mim”, disse com boa disposição Vanessa Fernandes no momento em garantiu a participação na estreia portuguesa de uma prova Ironman.            O entusiamo é notório na triatleta a viver na Quinta da Marinha, em Cascais, muito perto do local da competição. “As provas com esta marca internacional têm uma qualidade elevada e estão sempre inseridas em locais excelentes para viver o desporto de forma saudável.”

Outro campeão entusiasmado com o Ironman 70.3 Portugal Cascais é Bruno Pais. Vencedor em 2014 do Ironman em Budapeste e com participações nas provas do Rio de Janeiro, Brasília e Barcelona, entende esta prova como uma superação individual, onde cada um tem o próprio ritmo e tem de saber dosear bem o esforço. “Conhecendo melhor o percurso que outros atletas consigo ter algum benefício, mas as presenças internacionais são garantia de que o nível será muito elevado. Vou tentar o melhor resultado possível”, garantiu o triatleta do Grupo Desportivo Estoril Praia. O atual campeão nacional de triatlo de longa distância acredita que “se sair bem da água, acho que tenho a favor as características dos segmentos de ciclismo e da corrida. Estou expectante.”

Jorge Pereira, diretor da 3 Iron Sports, a organizadora da prova, e que promove o Ironman 70.3 Portugal-Cascais não podia estar mais satisfeito. “Estas participações além de nos orgulharem demonstram que esta é a prova que todos os atletas querem ter no currículo. É um desafio à escala internacional e temos os nossos heróis com grande probabilidade de ganhar à verdadeira “invasão estrangeira”. Mas não só a vertente competitiva interessa aos atletas. A força desta marca arrasta multidões, um mediatismo que lhes permite dar grande retorno aos seus patrocinadores.”

Nem só de atletas profissionais se faz esta prova. Como aperitivo de véspera, o IRONKIDS convida os mais pequenos a experimentar o triatlo. No dia do evento principal, além da vertente individual, estão também em competição as prestações por equipas de estafetas na everis Corporate Division, feita à medida das empresas que delegam em cada membro um dos segmentos deste enorme desafio à resistência humana. “A estafeta acrescenta, na nossa perspetiva, a forma visível da generosidade e da ligação entre pessoas e o seu compromisso mútuo” sublinha o CEO da everis, Miguel Teixeira.

Fonte: 3 Iron Sports

“Tiago Machado e José Gonçalves renovam com a Katusha Alpecin"

Formação suíça é comandada por José Azevedo

Por: Lusa

Foto: Reuters

Os ciclistas portugueses Tiago Machado e José Gonçalves renovaram contrato com a Katusha Alpecin até 2018 e 2019, respetivamente, anunciou esta sexta-feira a formação suíça do World Tour, comandada por José Azevedo.

Tiago Machado, de 31 anos, alinha na equipa desde 2015 e está atualmente a disputar a Volta a França, na qual ocupa o 76.º lugar, a 2:41.17 horas do líder, o britânico Chris Froome (Sky).

"Tem ficado evidente no Tour como ele tem sido importante para nós como um trabalhador para a equipa. O Tiago é sempre 100% profissional e está motivado todos os dias. Podemos sempre contar com ele e eu estou satisfeito por poder contar com ele mais um ano", referiu o diretor-geral José Azevedo, citado pela equipa.

O corredor natural de Famalicão conta no seu historial com vitórias na Volta à Eslovénia de 2014 e no Troféu Joaquim Agostinho de 2008, além do título de campeão nacional de contrarrelógio de 2009.

A cumprir a primeira época na Katusha Alpecin, José Gonçalves, de 28 anos, conquistou a corrida holandesa de cinco dias Ster Zlm, depois de ter vencido a Volta à Turquia no ano passado, ainda ao serviço da Caja Rural.

"Eu penso que o José ainda não conhece as suas potencialidades. É um corredor muito poderoso. Estou muito curioso para ver o seu desenvolvimento na equipa", rematou Azevedo.

Fonte: Record on-line

“Boasson Hagen impõe-se em fuga na 19.ª etapa”

Chris Froome mantém liderança e tudo se decidirá no 'crono' de sábado

Foto: EPA

O norueguês Edvald Boasson Hagen (Dimension Data) venceu esta sexta-feira a 19.ª etapa da 104.ª Volta a França, ao impor-se num grupo de fugitivos em Salon-de-Provence. Já o britânico Chris Froome (Sky) conservou a camisola amarela e tudo se decidirá no contrarrelógio deste sábado.

Na etapa mais longa da prova (222,5 km) Boasson Hagen cortou a meta ao fim de 5:06.09 horas, cinco segundos menos do que o alemão Niklas Arndt (Sunweb), segundo, e 17 do que o belga Jens Keukeleire (Orica-Scott), depois de uma fuga de nove elementos que se destacou nos últimos 13 quilómetros, de onde o norueguês atacou para a sua primeira vitória no Tour desde 2011.

No sábado, os ciclistas enfrentam o contrarrelógio individual de Marselha, com 22,5 quilómetros de extensão, que se configura como a última oportunidade de fazer a diferença nos primeiros lugares da geral individual.

O líder Chris Froome, que chegou hoje integrado no pelotão - a mais de 12 minutos do vencedor da etapa - mantém os 23 segundos de vantagem sobre o francês Romain Bardet (AG2R-La Mondiale) e 29 sobre o colombiano Rigoberto Uran (Cannondale).

Fonte: Record on-line

“Campeonato da Europa de Pista Sub-23 e Juniores”

Maria Martins a um ponto da medalha de prata em omnium

A portuguesa Maria Martins teve hoje um desempenho exemplar na equilibradíssima competição de omnium para juniores femininas do Campeonato da Europa de Pista, terminando na sexta posição, mas apenas a um ponto da medalha de prata.

A corredora lusa voltou a entusiasmar os compatriotas que se deslocaram ao Velódromo Nacional, em Sangalhos Anadia. Maria Martins começou o concurso de omnium com o sétimo lugar em scratch, foi depois oitava na corrida tempo e segunda em eliminação. Chegou à corrida por pontos no sexto posto da geral.

Como os pontos conquistados na prova final são adicionados à geral de omnium, Maria Martins esperou pelo momento certo para atacar. Conquistou os 20 pontos inerentes a uma volta de avanço sobre o pelotão e ainda logrou pontuar e dois sprints intermédios. Esteve durante quase toda a corrida pontos no terceiro lugar provisório, mas não resistiu a uma eletrizante ponta final que deixou os primeiros lugares presos por poucos pontos. A exceção foi mesmo a primeira posição, ocupada com grande superioridade pela italiana Letizia Paternoster, que somou 137 pontos.

A segunda classificada foi a ucraniana Olha Kulynych, com 115 pontos, tantos como a terceira, a russa Maria Novolodskaya, e a quarta classificada, a belga Shari Bossuyt. Maria Martins foi sexta, com 114, em igualdade pontual com a quinta classificada, a representante de França Valentine Fortin, numa classificação com um equilíbrio muito pouco visto.

João Dinis também correu a competição de omnium para juniores, conseguindo a 12.ª posição entre 20 participantes, numa prestação pautada pela garra que colocou na pista e que lhe valeu como melhor resultado entre as quatro corridas de omnium o quinto posto em eliminação.

Portugal esteve ainda representado na categoria de sub-23. Soraia Silva e Miguel do Rego, dois estreantes neste escalão, participaram nas finais diretas de corrida por pontos. No setor masculino, Miguel do Rego fez uma primeira parte de corrida de bom nível, pontuando em dois sprints. No entanto, com o evoluir da prova de 160 voltas, o corredor luso não voltou a passar nas quatro primeiras posições em qualquer sprint, acabando, por isso, na 14.ª posição, com 4 pontos.

A corrida por pontos para sub-23 masculinos assistiu a uma prestação extraordinária do dinamarquês Niklas Larsen. O medalhado olímpico no Rio de Janeiro  - na disciplina de perseguição por equipas – teve um comportamento exemplar, terminando com 103 pontos, mais 27 do que o britânico Ethan Hayter e mais 31 do que o irlandês Mark Downey, segundo e terceiro, respetivamente.

Soraia Silva teve um desempenho menos vistoso, não conseguindo pontuar, mas logrando manter-se sempre no pelotão principal da corrida por pontos feminina. Acabou na 13.ª posição entre 14 participantes. A alemã Tatjana Paller, terceira no ano passado, chegou agora à medalha de ouro, com 55 pontos, mais 12 do que a olímpica dinamarquesa Amalie Dideriksen e mais 13 do que a britânica Mannon Lloyd, que a acompanharam no pódio.

Portugal esteve ausente das disciplinas de velocidade, que hoje coroaram três campeões europeus. Na velocidade individual para sub-23 femininas, a ucraniana Olena Starikova recorreu à astúcia e a uma leitura tática invulgares para subir ao lugar mais alto do pódio, relegando a alemã Pauline Grabosch para o segundo posto e a holandesa Hetty van der Wouw para o terceiro lugar.

Em velocidade individual para juniores masculinos triunfou o francês Rayan Helal, que suplantou o russo Dmitry Nesterov na luta pela medalha de ouro. O terceiro foi outro representante da Rússia, Pavel Perchuk.

A França venceu ainda a outra prova destinada a juniores especialistas em velocidade, o contrarrelógio de 500 metros para femininas. Mathilde Gros foi a mais forte de todas as concorrentes, com 34,735 segundos, uma vantagem de apenas 63 milésimos sobre a alemã Lea Friedrich. A terceira foi a britânica Lauren Bate.

O Campeonato da Europa de Pista para Sub-23 e Juniores prossegue neste sábado, em Sangalhos, Anadia. Há provas entre as 9h30 e as 12h20 e entre as 16h00 e as 21h13. A Equipa Portugal vai ter quatro representantes. Rui Oliveira e Soraia Silva estarão em pista ao longo de vários momentos do dia, nas competições sub-23 de omnium. Durante a tarde, os juniores Maria Martins e José Sousa participam na corrida por pontos.

Todo o programa deste sábado pode ser visto em direto no canal da Federação Portuguesa de Ciclismo no YouTube: youtube.com/FedPortCiclismo

Fonte: FPC

“Estamos a 24 horas das “14 Horas a Pedalar…”

Pombal vai ser este fim-de-semana palco da Festa da Bicicleta, as “14 Hora a Pedalar em Pombal” este ano sobe o lema, “Pedalar Para Ajudar”, que reverte para as vitimas de Pedrogão.

A partir das 22 horas o centro de Pombal vai estar fechado ao trânsito automóvel, e aberto apenas às bicicletas, durante 14 horas serão horas de fortes pedaladas, este ano também contará com a presença de Carlos Vieira, o ciclista bombeiro, atual detentor do Record Mundial de Resistência em Bicicleta Guinness Book of Records 191 horas "Non Stop" no antigo Estádio Dr. Magalhães Pessoa em Leiria - Portugal, de 08 a 16 de Junho de 1983, que este ano também se juntou á causa e vai pedalar para ajudar.

Nós vamos marcar presença, e com emissões em direto, esteja atento e acompanhe-nos no nosso canal de televisão “Notícias do Pedal – TV” no YouTube e Facebook, a partir das 20 horas, começaremos a fazer os primeiros diretos, com entrevistas, relatos, e uma panorâmica de todo o circuito e dos participantes, esteja atento.

 
 
 

“Warren Barguil vence pela segunda vez”

Chris Froome continua de amarelo

Por: Lusa

Foto: Reuters

O ciclista francês Warren Barguil (Sunweb) venceu esta quinta-feira a 18.ª etapa da 104.ª Volta a França, ao impor-se na subida ao Izoard, enquanto Chris Froome (Sky) conservou a camisola amarela.

No topo do Izoard, Barguil, que já tinha vencido a 13.ª tirada e é o virtual vencedor da classificação de montanha, cortou a meta ao fim de 4:40.33 horas, demorando menos 20 segundos do que Darwin Atapuma (UAE Emirates), segundo, e Romain Bardet (AG2R), terceiro.

Chris Froome tentou distanciar-se dos restantes favoritos nos metros finais e mantém a amarela a três etapas do fim, com 23 segundos de vantagem sobre Bardet, que acompanhou o líder e ocupou o posto de Fabio Aru (Astana), que perdeu tempo, e 29 sobre Rigoberto Urán (Cannondale Drapac), que cedeu dois segundos.

Na sexta-feira, os ciclistas enfrentam a 19.ª e antepenúltima etapa, uma ligação de 222,5 quilómetros entre Embrun e Salon-de-Provence, com três contagens de terceira categoria e um final em descida.

Fonte: Record on-line

“Campeonato da Europa de Pista Sub-23 e Juniores”

Itália e Rússia acentuam domínio

Por: José Carlos Gomes

As seleções de Itália e da Rússia revelaram-se as mais fortes da competição, quando estão disputados três dos seis dias que preenchem o programa do Campeonato da Europa de Pista para Sub-23 e Juniores, que decorre no Velódromo Nacional, em Sangalhos, Anadia, até domingo.

A equipa italiana já conquistou sete títulos europeus, tendo hoje somado mais dois ao pecúlio já acumulado nas jornadas anteriores. A Rússia, por sua vez, já ouviu o hino nacional em seis ocasiões, duas delas nesta quinta-feira.

O setor feminino é responsável pela pujança transalpina. Hoje o quarteto italiano de perseguição feminina para sub-23 conquistou a medalha de ouro no confronto direto com a Polónia, que arrecadou a prata. A Alemanha ficou na terceira posição, numa disputa imprópria para cardíacos com a Grã-Bretanha, que esteve perto de vencer a corrida, mas que deixou o terceiro elemento ficar para trás no momento da dobragem e acabou por sair do pódio.

A outra medalha de ouro conquistada hoje pela Itália teve a assinatura da júnior Letizia Paternoster, que ontem batera Maria Martins na luta pelo título de eliminação. O triunfo de Letizia Paternoster hoje teve nota artística, ou seja, foi complementado com o estabelecimento do novo recorde mundial de perseguição individual em juniores femininas, 2’20’927. A medalha de prata foi conseguida pela russa Maria Novolodskaya e o bronze viaja para a Holanda, na bagagem de Mylene de Zoete.

A Rússia impôs-se em duas competições de contrarrelógio. Alexandr Vasyukhno foi o mais veloz na corrida sub-23 de 1 km, atirando o britânico Joseph Truman e o holandês Sam Ligtlee para a segunda e terceira posições, respetivamente. Miguel do Rego representou Portugal nesta prova, sendo o 19.º e último classificado, na estreia como sub-23 de primeiro ano nesta disciplina.

A segunda medalha de ouro russa na terceira jornada de provas surgiu na perseguição individual para juniores masculinos. A vitória pertenceu a Ivan Smirnov, que bateu o irlandês Xeno Young na final. O terceiro classificado foi o britânico Rhys Britton. A Equipa Portugal também correu nesta prova, tendo Francisco Moreira, 19.º, e Wilson Esperança, 21.º, correspondido às expectativas do selecionador nacional, Gabriel Mendes, agradado com as prestações em ano de estreia.

As restantes duas medalhas de ouro do dia foram repartidas por duas nações de forte tradição na pista, França e Grã-Bretanha. Os gauleses comemoraram o sucesso da nova coqueluche do ciclismo feminino de velocidade internacional. Mathilde Gros, júnior que, há poucos meses, foi quinta classificada na prova de velocidade do mundial de elite, não teve dificuldade em impor-se na competição júnior deste europeu de Sangalhos. A alemã Lea Friedrich ficou com a medalha de prata e a holandesa Steffie van der Peet fechou o pódio.

A Grã-Bretanha salvou a honra do reino na corrida de perseguição por equipas para sub-23 masculinos. Mostrou enorme supremacia na final, atirando a Bélgica para a segunda posição. A Polónia ficou com o terceiro lugar.

A segunda metade da competição neste Campeonato da Europa de Pista inicia-se nesta sexta-feira. As corridas decorrem entre as 9h30 e as 12h15 e entre as 15h30 e as 21h20. Quatro portugueses estarão em pista. Maria Martins e João Dinis participam nos concursos de omnium para juniores, enquanto Miguel do Rego e Soraia Silva estão inscritos na corrida por pontos de sub-23.

Fonte: FPC

“Campeonato da Europa de Pista Sub-23 e Juniores”

Francisco Moreira e Wilson Esperança com estreia auspiciosa

Por: José Carlos Gomes

Os portugueses Francisco Moreira e Wilson Esperança tiveram hoje prestações de positivas na prova de perseguição individual para juniores no Campeonato da Europa de Pista, que decorre em Sangalhos, Anadia, até domingo.

Os dois estreantes em competições deste nível não se atemorizaram nem cederam ao peso da responsabilidade, conseguindo resultados que, em estreia, nunca haviam sido alcançados desde o primeiro ano de juniores dos gémeos Oliveira.

Francisco Moreira terminou os 3 quilómetros da corrida de perseguição em 3’31’’497, o que lhe valeu a 19.ª posição. Wilson Esperança ficou no 21.º posto, graças ao registo de 3’34’’623.

“Enquanto processo de trabalho e de evolução, estiveram muito bem, conseguindo dos melhores tempos portugueses de sempre em ano de estreia. Cumpriram totalmente o que lhes foi pedido em termos técnicos e táticos, correndo no limite do que poderiam fazer neste momento”, explica o selecionador nacional, Gabriel Mendes.

O vencedor da corrida júnior de perseguição individual foi Ivan Smirnov, da Rússia. O segundo posto coube ao irlandês Xeno Young. O terceiro classificado foi o britânico Rhys Britton.

A Equipa Portugal marcou também presença na corrida de 1 km contrarrelógio para sub-23. O representante luso foi o sub-23 de primeiro ano Miguel do Rego, que completou a distância em 1’10’’823, terminando na 19.ª posição. A vitória pertenceu ao russo Alexandr Vasyukhno, com 1’01’’345, seguido pelo britânico Joseph Truman e pelo holandês Sam Ligtlee.

Rui Oliveira também esteve inscrito nesta disciplina, mas o selecionador nacional optou por poupá-lo, trocando a competição por um treino, de modo a preservá-lo para as competições mais relevantes sob o ponto de vista do interesse desportivo, como é o caso do concurso de omnium, uma disciplina olímpica.

Na sexta-feira correm quatro ciclistas portugueses. Maria Martins e João Dinis participam nas competições de omnium para juniores, que decorrem ao longo de todo o dia. Soraia Silva e Miguel do Rego participam na corrida por pontos para sub-23, entre as 17h00 e as 18h00.

Fonte: FPC

“Campeonato da Europa de Pista Sub-23 e Juniores”

Maria Martins vice-campeã europeia de eliminação

Por: José Carlos Gomes

Os bons resultados da Equipa Portugal continuam em Sangalhos, no Campeonato da Europa de Pista, com Maria Martins a ganhar a medalha de prata na prova júnior de eliminação, um dia depois de Rui Oliveira e de Ivo Oliveira terem dado ao país uma medalha de ouro e uma de prata, respetivamente.

A corredora júnior portuguesa fez uma corrida taticamente bem conseguida, sempre marcada e marcando a italiana Letizia Paternoster, grande favorita à partida. No momento em que foi preciso uma maior definição, Maria Martins não enjeitou responsabilidades e assegurou que estava entre as três corredoras que subiriam ao pódio.

Na luta a três pelas melhores posições, Maria Martins conseguiu suplantar a britânica Pfeiffer Georgi, que se contentou com o bronze, mas não conseguiu resistir a uma ponta final demolidora de Letizia Paternoster, acabando na segunda posição, atrás da italiana.

“Ganhar mais uma medalha de prata é uma sensação inesquecível. Não comecei a corrida logo a pensar nas medalhas, mas apenas focada em dar o meu melhor. Foi com o decorrer da prova que percebi que podia chegar ao pódio. No sprint para decidir as três primeiras foi a loucura, porque estava entre elas. Mas continuei a dar tudo até ao fim. É fantástico ver a bandeira de Portugal no pódio”, afirma Maria Martins, que conquista a segunda medalha em Europeus de juniores, depois de há um ano ter sido vice-campeã de scratch, também batida pela corredora que hoje foi a primeira, a italiana Letizia Paternoster.

A medalha de prata de Maria Martins é a terceira de Portugal ao fim de dois dias de competição, compensando uma jornada em que os resultados lusos não surgiram, destacando-se, pela negativa, o azar que bateu à porta de César Martingil, que sofreu uma queda a três voltas do fim da corrida de scratch para sub-23. O acidente atirou o ribatejano para o 22.º e último lugar de uma prova em que chegou a ser protagonista, rodando no grupo de favoritos que esteve adiantado face ao pelotão grande parte da prova.

A medalha de ouro em scratch acabou conquistada pelo bielorrusso Yauheni Karaliok, que subiu ao pódio acompanhado pelo medalhado olímpico dinamarquês Niklas Larsen, vice-campeão, e pelo russo Maksin Piskunov, terceiro classificado.

Soraia Silva também competiu em scratch para sub-23, conseguindo uma prestação de boa qualidade, mantendo-se firme no grupo principal, mesmo nos momentos em que a velocidade era maior e algumas corredoras mostravam debilidade. Acabou na 11.ª posição. A vitória foi para a italiana Rachele Barberi, seguida pela britânica Eleanor Dickinson e pela olímpica dinamarquesa e campeã mundial de estrada, Amalie Dideriksen.

As cores nacionais também estiveram representadas na prova de eliminação para juniores masculinos. Foi João Dinis que colocou Portugal neste pelotão, concluindo a corrida a meio da tabela, no 11.º posto. O italiano Michele Gazzoli foi o vencedor, seguido pelo irlandês Jb Murphy e pelo espanhol Unai Iribar, repescado para o pódio por desqualificação do britânico William Tidball.

Numa tarde com nove finais, Portugal marcou lugar na final direta de 1 km contrarrelógio para juniores, através de dois estreantes. Wilson Esperança foi o vigésimo classificado e Francisco Moreira alcançou o 23.º registo. O mais forte desta competição acabaria por ser o russo Pavel Perchuk. O segundo foi o alemão Carl Hinze e Jakub Stastny fechou o pódio.

O público de várias nacionalidades que tem acorrido ao Velódromo Nacional assistiu ainda a quatro finais sem a presença de portugueses. No escalão de sub-23 a Grã-Bretanha ganhou a prova masculina de velocidade por equipas, diante da Rússia e da Polónia. Na mesma disciplina, mas no setor feminino, impôs-se a Holanda, mais forte do que a França e a Rússia, que também subiram ao pódio.

Em juniores disputaram-se as finais masculina e feminina de perseguição por equipas. Os mais fortes entre os rapazes foram os russos, seguidos pelos britânicos e pelos suíços. Entre as raparigas as pedaladas mais fortes pertenceram às italianas, que tiveram maior oposição das holandesas e das russas, segundas e terceiras, respetivamente.

O programa do Campeonato da Europa para esta quinta-feira contempla provas entre as 9h30 e as 14h00 e entre as 16h30 e as 21h00. Vão pedalar Francisco Moreira e Wilson Esperança na corrida perseguição individual para sub-23, marcada para as 10h20, e Rui Oliveira e Miguel do Rego, na disciplina de 1 km contrarrelógio, a partir das 17h50.

Fonte: FPC