quarta-feira, 30 de maio de 2018

“Portugal Ultra Triathlon”

Por: Gonçalo Nobre

Inicia-se amanhã, 31 de maio, a aventura solidária Portugal Ultra Triathlon. A partida para o segmento de natação está marcada para as 6h00, no Parque do Castelinho, em Vila Nova de Cerveira. A chegada a Caminha está prevista entre as 10h30 e as 12h00, com saída de água junto ao Sporting Clube Caminhense, de onde se inicia o segmento de ciclismo.

Vai ser possível seguir em tempo real a evolução dos atletas em www.portugalultratriathlon.com e/ou através da página de Facebook www.facebook.com/PortugalUltraTriathlon.

Sobre o Portugal Ultra Triathlon

O Portugal Ultra Triathlon é uma aventura solidária que inclui um desafio desportivo e um objetivo solidário. O desafio desportivo consiste num ultra triatlo em que os participantes terão de percorrer 11,4 quilómetros de natação, 540 quilómetros de ciclismo e 126,6 quilómetros de corrida, ou seja, o triplo das distâncias de um triatlo longo. No total serão 678 quilómetros que deverão ser superados no tempo máximo de 78 horas. A distância em linha reta entre partida e chegada é de 356,5 quilómetros, um novo máximo mundial.

No entanto, o Portugal Ultra Triathlon não é um mero desafio desportivo, é uma aventura solidária. A sua missão é promover a prática desportiva e a adoção de estilos de vida saudáveis, colocando as comunidades em contacto com o desporto e a natureza, ao mesmo tempo que lhes dá a oportunidade de contribuir para apoiar crianças, jovens e projetos que não têm os recursos necessários para o efeito.

Assim, todos os portugueses são convidados a participar na iniciativa de recolha de fundos que vai beneficiar quatro instituições que contribuem para a promoção do ambiente, do desporto ou da saúde e vida saudável em Portugal: a Casa do Povo de Lanhelas (no concelho de Caminha), a Associação Jorge Pina, a Associação Edificar a Esperança, e um projeto a desenvolver na área do Parque Natural de Sintra Cascais.

O Portugal Ultra Triathlon conta com o patrocínio principal BERG Outdoor, marca multinacional de origem portuguesa para a prática desportiva e vida ao ar livre, e do portal Fleed.pt, tendo como parceiros institucionais a Federação de Triatlo de Portugal, a Câmara Municipal de Caminha, a Câmara Municipal do Cartaxo e a Câmara Municipal de Sintra. Esta aventura solidária conta ainda com o apoio técnico da MDS, multinacional líder na corretagem de seguros e consultoria de riscos, e da Sport Zone, marca líder no retalho de desporto em Portugal, entre outros parceiros.

Fonte: Portugal Ultra Triathlon

“CARLA DE BRONZE NA TAÇA DE PORTUGAL”

Texto: After Two //works 

Fotos: João Fonseca e João Calado 

A ciclista Carla Oliveira da Academia Joaquim Agostinho foi a terceira atleta mais regular da Taça de Portugal 2018 na categoria Master 30, classificação garantida após a quinta e última etapa da competição que decorreu este domingo na cidade beirã de Gouveia.

Também na mesma categoria, as atletas Soraia Gil na 4ª posição, Catarina Simões em 5º e Liliana Silva em 8º, obtiveram prestações bastante positivas, contribuindo de forma preciosa para que a equipa torriense alcançasse a 4ª posição da classificação final coletiva.

Na categoria mista elite/sub-23, Diana Pedrosa foi a atleta mais forte da Academia, alcançando o 13º lugar do ranking final, seguida de Pauline Vie que ficou na 14ª posição.  Beatriz Ferreira na décima posição, foi a única atleta da equipa a participar na categoria júnior.  Em cadetes masculinos, as grandes decisões da taça estavam marcadas para um confronto a duas mãos na cidade da Anadia, com um contra-relógio no sábado e uma prova em circuito com total de 68 quilómetros no domingo.

De Torres Vedras partiram cinco atletas determinados em trabalhar para a vitória do Daniel Gonçalves, que havia sido o brilhante vencedor da fase de qualificação da zona B, mas nem tudo correu na perfeição.  Se no contra-relógio os atletas torrienses tiveram um desempenho dentro das expectativas, já na prova de domingo as coisas não começaram da melhor forma, com Tomás Gouveia a ver-se obrigado a trocar de bicicleta logo na primeira volta, obrigando-o a um esforço adicional para se recolocar novamente no pelotão.

O bravo empenho do ciclista torriense, valeu-lhe ainda o protagonismo duma fuga na última volta da prova. Daniel Gonçalves tentou a sua sorte na parte final, atacando forte à entrada dos últimos quatros quilómetros da corrida, mas as pernas não responderam da melhor forma tendo sido apanhado na última subida quando faltavam apenas 200 metros para a meta.

No saldo final da competição, Daniel Gonçalves ficou na 7ª posição, enquanto Miguel Bandeiras, o outro elemento “torriense” a pontuar, ficou na 49ª posição. A Escola de Ciclismo Joaquim Agostinho também esteve ativa neste domingo, participando no Encontro de BTT das Caldas da Rainha.

No magnífico cenário da Mata Rainha D. Leonor os atletas evoluíram na vertente XCO, tendo o benjamim Alexandre Rocha alcançado um brilhante 3º lugar.

Wilson Esperança correu pela Seleção na Suíça

O júnior Wilson Esperança esteve ao serviço da Seleção Nacional no Tour du Pays de Vaud, prova Suíça a contar para a Taça das Nações que decorreu entre os dias 24 e 27 do corrente.

O atleta da Nazaré ajudou a equipa Portugal na obtenção da décima posição da classificação geral coletiva entre as vinte participantes em prova. Com a colaboração do atleta da Academia, Portugal esteve em destaque ao subir ao pódio através de Guilherme Mota, consagrado rei dos trepadores na prova Alpina.

 Fonte: Academia Joaquim Agostinho

“Volta a Portugal/Etapa Vida entre Sertã e Oliveira do Hospital com Presidente na caravana"

Sertã - Oliveira do Hospital - 175,9 Km 

3ª Etapa, 04 agosto, Sábado

80ª Volta a Portugal Santander promove a 4 de agosto uma homenagem solidária às populações atingidas pelos incêndios do ano passado. Coincidente com a terceira tirada da competição a decorrer entre Sertã e Oliveira do Hospital, a Etapa Vida vai ter a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Profundamente ligada ao território, a Volta a Portugal em Bicicleta é um dos mais importantes veículos de promoção local.

Com 90 anos de existência, é também um dos eventos desportivos de referência nacional decidindo a Podium Events, a entidade organizadora, juntar esforços para lembrar as vidas perdidas e as regiões desoladas, mas sobretudo para enaltecer a valentia dos que puseram mãos à obra com o objetivo único de reconstruir a vida.

O movimento de solidariedade vai intensificar a promoção dos territórios e ganhará um simbolismo extra com o apoio do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que fará o acompanhamento da Etapa Vida integrado na caravana. Para tornar possível a iniciativa juntaram-se alguns dos patrocinadores da Volta - Santander, Liberty Seguros, altice, Jogos Santa Casa, Brisa - e ainda o Turismo do Centro e a Fundação do Desporto que financiam e oferecem a Etapa Vida aos concelhos do centro do país violentamente afetados pelo fogo.

A caravana da Volta a Portugal Santander sairá, a 4 de agosto, da Alameda da Carvalha, na Sertã, pelas 12h30 para cumprir 175,9KM. Um percurso que passa por Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pêra, Lousã, Góis, Arganil e Tábua, terminará cerca das 17h30 na Rua D. Carlos Campos, em Oliveira do Hospital.

A 80ª Volta a Portugal Santander realiza-se de 1 a 12 de agosto de 2018.

“Ter tantas pessoas e entidades a apoiar dá-nos algum conforto. Este lado solidário do desporto está a contribuir de uma forma muito especial, sobretudo porque se trata de ciclismo que é uma modalidade muito popular e com muitos adeptos na região centro.

Conseguir organizar uma etapa solidária, sem custos para os municípios afetados pelos incêndios, mostra bem que a organização está atenta aos problemas sociais que se passam no país.” José Farinha Nunes, Presidente da Câmara Municipal da Sertã

“É com eterna gratidão que recebemos esta demonstração de carinho e solidariedade para com a população de Pedrógão Grande, que se reveste daquilo que mais precisamos, de nos movermos ao longo da Etapa da Vida, de reconstruirmos e continuarmos o desenvolvimento crucial das nossas vidas, com o mesmo empenho que temos tido até agora. Mas também é uma bonita homenagem àqueles que faleceram nos incêndios, bem como aos que lutaram com bravura para salvar tantos que hoje continuam bravamente a caminhar ao longo da sua etapa da Vida.” Valdemar Alves, Presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande

“A Volta a Portugal em Bicicleta é um evento desportivo de grande prestígio e de enorme significado para os portugueses. A decisão de criar a Etapa Vida constitui um gesto solidário que me deixa profundamente grato e reconhecido. Deixo o meu mais sentido agradecimento a Joaquim Gomes e à organização da Volta a Portugal em Bicicleta, por esta feliz decisão, na certeza de serem gestos como este que contribuem para o engrandecimento e notoriedade deste fantástico evento.” Jorge Abreu, Presidente da Câmara Municipal Figueiró dos Vinhos

“É extremamente importante continuarmos a aparecer e a dizer - Estamos cá, estamos vivos e vamos transformar esta tragédia em oportunidade. Os participantes da Volta vão ter a oportunidade de fazer a subida épica da Serra da Lousã onde se vão aperceber de que temos paisagens que não existem noutro local. Estamos a receber, estamos a dar aquilo que temos e iremos ter um retorno de visibilidade do que temos para oferecer nestes territórios.” Alda Carvalho, Presidente da Câmara Municipal de Castanheira de Pêra

“Na Etapa Vida celebramos, através do desporto, a coragem, a resiliência e a capacidade de ultrapassar dificuldades característica das pessoas, das empresas e das instituições dos territórios que viveram no ano passado um dos momentos mais negativos da sua história. Agradecemos à organização da Volta a Portugal a atenção e a disponibilidade para – simbolicamente e com um evento que é do agrado dos lousanenses – dar um sinal de apoio aos concelhos que acolhem esta etapa.” Luís Antunes, Presidente da Câmara Municipal da Lousã

“Os incêndios que atingiram diversos concelhos do nosso país foram o mote para a escolha do nome desta etapa, mormente os seus sobreviventes, que, diariamente, lutam pela memória dos que lhes foram roubados e pelos bens de uma vida inteira que, em poucos minutos, se despedaçaram.

A Câmara Municipal de Góis estará sempre ao lado de todos, pois as pessoas estão em primeiro lugar. Receber a Etapa Vida de tão célebre competição desportiva é uma honra e motivo de orgulho para todos os goienses.” Maria de Lurdes de Oliveira Castanheira, Presidente da Câmara Municipal de Góis

“Esta etapa solidária é uma nobre e louvável iniciativa que vem reforçar o apoio e o espírito de generosidade de que o nosso concelho tem sido alvo desde o trágico incêndio de outubro do ano passado. Estamos certos de que participar na maior festa do ciclismo, nesta emblemática 80ª Volta a Portugal em Bicicleta, servirá de impulso e alento aos arganilenses nesta sua imperiosa missão de fazer renascer o concelho. Luís Paulo Costa, Presidente da Câmara Municipal de Arganil

“A Etapa Vida é uma iniciativa muito louvável e importante. Vem dar visibilidade a um território e a uma região que se está a reerguer depois de tudo o que aconteceu. Somos um concelho com vida, somos empreendedores e trabalhadores e esta etapa é mais um reconhecimento do que estamos a fazer. Por um lado, os órgãos de comunicação social vão passar esta mensagem de recuperação e as pessoas que vêm acompanhar a etapa vão verificar o sofrimento e a recuperação das nossas gentes.” Mário Almeida Loureiro, Presidente da Câmara Municipal de Tábua

“Numa altura em que ainda te mos bem fresco na memória a tragédia que se abateu sobre este município nos dias 15 e 16 de outubro, não posso deixar de felicitar o enorme gesto solidário que constitui a realização desta prova sem quaisquer encargos para os municípios. Apesar da tragédia que sofreu, a paisagem serrana, os rios de montanha, o património histórico, a gastronomia beirã e a hospitalidade das suas gentes, continuam ainda a fazer de Oliveira do Hospital um município de excelência.

É com este tipo de eventos e de atitudes que se pode, efetivamente, contribuir para a dinamização dos municípios destruídos pelos incêndios, ajudando a minimizar o sofrimento de quem viveu, nesses trágicos dias, aquele que terá sido o pior momento das suas vidas.” José Carlos Alexandrino, Presidente da Câmara Municipal Oliveira do Hospital

Fonte: Podium

“DANIEL SILVA LIDERA JUVENTUDE/no 28º Grande Prémio Jornal de Notícias”

TEXTO | AfterTwo //works

FOTOS | João Fonseca

Daniel Silva é o atual detentor da camisola branca da juventude depois de concluída a 2ª etapa do Grande Prémio JN, prova que decorre até domingo nas estradas das regiões Norte e Minho de Portugal. A prova realizada pelo Jornal de Notícias, diário português que conta com 130 anos de existência, vai na sua 28ª edição e é a segunda mais longa de todo o calendário nacional, com 8 etapas em 7 dias. O atleta Algarvio parte hoje de branco para o primeiro setor da 3ª etapa da competição, que vai ligar Monção a Viana do Castelo numa distância de 78 quilómetros. O desempenho da equipa Sicasal-Constantinos-Delta Cafés tem-se mantido exemplar. Com uma postura de união e determinação, os atletas da equipa da Academia Joaquim Agostinho dominam a classificação da juventude com 6 elementos no top 10.

 Por: Academia Joaquim Agostinho


 

“Efapel/Rafael Silva vence etapa e Daniel Mestre perto da amarela”

          Nova vitória para Rafael Silva no primeiro sector da terceira etapa

          Daniel Mestre foi quarto no contra-relógio e subiu ao segundo lugar

          Ciclista alentejano está a um segundo do camisola amarela

          Dois triunfos em etapas valem a camisola dos pontos (verde) para Rafael Silva

A Equipa EFAPEL teve um dia muito intenso na terceira etapa do Grande Prémio Jornal de Notícias que se traduziu na vitória de Rafael Silva no sector da manhã, enquanto à tarde, Daniel Mestre foi o quarto mais rápido no contra-relógio individual e ascendeu ao segundo posto da geral individual, a um segundo do novo camisola amarela, Aleksandr Grigorev.

A terceira etapa começou com um primeiro sector, curto mas intenso, entre Monção e Viana do Castelo. Na prática, o dia era uma espécie de inversão da véspera, embora com menor distância. O pelotão percorreu os 78 quilómetros a uma média superior a 43 km/h. No final, Rafael Silva impôs-se, tal como tinha acontecido no primeiro dia de competição, ao sprint.

Concluído o primeiro sector, o pelotão do Grande Prémio rumou a Barcelos para o contra-relógio individual. Um exercício curto mas exigente. Nos 10 quilómetros do percurso, o melhor da EFAPEL foi Daniel Mestre. Fez o quarto tempo, a sete segundos do mais rápido. Com este resultado, subiu de quarto a segundo na geral individual.

“A corrida está muito aberta. Falta um contra-relógio por equipas, a chegada a Santo Tirso. O resultado pode cair para qualquer lado. Mas a equipa está muito motivada e unida. Conseguimos duas vitórias em etapas, estamos em segundo da geral individual, em terceiro por equipas. Tendo em conta que esta prova é uma mini Volta a Portugal, temos de estar satisfeitos com o que fizemos até agora”, afirmou o director desportivo da Equipa EFAPEL, Américo Silva.

No final do dia, Daniel Mestre não escondia a satisfação pelo bom desempenho no contra-relógio e enaltece o espírito de grupo que reina na equipa. “O contra relógio saiu melhor do que estava à espera”, contou. “Estamos todos a atravessar um bom momento de forma e a equipa está confiante e unida”, sublinhou.

Amanhã realiza-se a quarta etapa do Grande Prémio JN. Os ciclistas pedalam entre Santo Tirso e Valongo num total de 158 quilómetros com mas metas volantes e duas montanhas categorizadas de terceira categoria.

 

Classificação na terceira etapa - 1º sector

    Rafael Silva            EFAPEL                1h48m05s

    António Carvalho        W52/FC Porto            m.t.

    Luís Gomes            Rádio Popular/Boavista        m.t.…

23º    Daniel Mestre        EFAPEL                m.t.

26º    Henrique Casimiro        EFAPEL                m.t.

32º    Sérgio Paulinho        EFAPEL                a 6s

46º    Jesus del Pino        EFAPEL                m.t.

59º    Marcos Jurado        EFAPEL                a 15s

69º    Pedro Paulinho        EFAPEL                a 58s

77º    David Arroyo        EFAPEL                a 2m09s

Classificação na terceira etapa - 2º sector

    Aleksandr Grigorev        Sporting/Tavira            11m45s

    Gustavo Veloso        W52/FC Porto            a 6s

    Domingos Gonçalves    Rádio Popular/Boavista        m.t.


    Daniel Mestre        EFAPEL                a 7s

10º    Marcos Jurado        EFAPEL                a 20s

13º    Sérgio Paulinho        EFAPEL                a 25s

33º    Henrique Casimiro        EFAPEL                a 1m02s

36º    Pedro Paulinho        EFAPEL                a 1m03s

44º    Rafael Silva            EFAPEL                a 1m08s

45º    Jesus del Pino        EFAPEL                a 1m10s

95º    David Arroyo        EFAPEL                a 2m39s

 

Classificação geral individual

    Aleksandr Grigorev        Sporting/Tavira            8h24m20s

    Daniel Mestre        EFAPEL                a 1s

    Domingos Gonçalves    Rádio Popular/Boavista        a 3s


14º    Sérgio Paulinho        EFAPEL                a 31s

15º    Marcos Jurado        EFAPEL                a 35s

23º    Rafael Silva            EFAPEL                a 52s

27º    Henrique Casimiro        EFAPEL                a 1m02s

38º    Jesus del Pino        EFAPEL                a 1m16s

53º    David Arroyo        EFAPEL                a 5m23s

87º    Pedro Paulinho        EFAPEL                a 18m09s

Fonte: Efapel

“Contrarrelógio/28.º GP Jornal de Notícias Leilosoc”

Aleksandr Grigorev vence contrarrelógio e arrebata amarela

Por: José Carlos Gomes

O russo Aleksandr Grigorev (Sporting-Tavira) saiu da jornada dupla de hoje no topo da classificação geral individual do 28.º Grande Prémio Jornal de Notícias Leilosoc, depois de vencer o contrarrelógio vespertino.

A terceira etapa dividiu-se em dois setores e provocou dupla mudança de camisola amarela. De manhã correram-se 78 quilómetros, entre Monção e Viana do Castelo. A curta etapa disputou-se a alta velocidade e terminou com uma discussão ao sprint, na qual Rafael Silva (Efapel), já vencedor da etapa inaugural, ergueu de novo os braços, mostrando ser o velocista em melhor forma no pelotão. Um “corte” no grupo principal atrasou Nuno Meireles (Miranda-Moetágua), que cedeu a camisola amarela a Daniel Silva (Rádio Popular-Boavista).

As maiores diferenças, contudo, estabeleceram-se no setor vespertino da etapa, um contrarrelógio muito técnico, disputado na cidade de Barcelos, ao longo de 9,5 quilómetros. O russo Alekasndr Grigorev surpreendeu os maiores candidatos e estabeleceu o tempo mais rápido, 11m45s. Deixou Gustavo César Veloso (W52-FC Porto) e Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista) a 6 segundos, nas posições imediatas.

Daniel Silva gastou mais 1m08s do que Grigorev, perdendo a primeira posição na geral para o corredor russo. As diferenças continuam mínimas, deixando tudo em aberto para as etapas vindouras. O corredor do Sporting-Tavira é o dono da camisola amarela, mas tem apenas 1 segundo de vantagem sobre Daniel Mestre (Efapel) e 3 segundos sobre Domingos Gonçalves, que o perseguem mais de perto na classificação.

“Esperava fazer um bom contrarrelógio, mas, sinceramente, não contava ganhar. Acho que tive um bocado de sorte. Vestir a camisola amarela é algo completamente inesperado, mas deixa-me muito feliz. A equipa está muito forte e faltam ainda quatro etapas, muito diferentes umas das outras. Vamos lutar para manter a camisola”, promete Aleksandr Grigorev.

A tarefa não será fácil para o russo, uma vez que o décimo classificado, Daniel Silva, está apenas a 18 segundos. Até ao sétimo, as diferenças são iguais ou inferiores a 10 segundos, o que significa que a corrida está em aberto, prevendo-se uma reta final de competição repleta de competitividade.

Além da liderança individual, o Sporting-Tavira assumiu o comando por equipas. A vitória no setor matinal rendeu a Rafael Silva a reconquista da camisola dos pontos. Nas restantes classificações, mantêm-se os comandantes: Guillaume Almeida (Fortunna/Maia) na montanha, Nuno Meireles nas metas volantes e Daniel Silva (Sicasal/Constantinos/Delta Cafés) na juventude. Fábio Mansilhas (LA Alumínios) foi nomeado o mais combativo da viagem matinal de hoje.

A corrida prossegue, amanhã, com a quarta etapa. Os corredores parte de Santo Tirso às 11h50, vão pedalar ao longo de 154,4 quilómetros, chegando a Valongo cerca das 15h40.

 

Classificações

3.ª Etapa - 1.º Setor: Monção - Viana do Castelo, 78 km

1.º Rafael Silva (Efapel), 1h48m05s (Média: 43,300 km/h)

2.º António Carvalho (W52-FC Porto), mt

3.º Luís Gomes (Rádio Popular-Boavista), mt

4.º Mário González (Sporting-Tavira), mt

5.º João Matias (Vito-Feirense-BlackJack), mt

 

3.ª Etapa - 2.º Setor: Barcelos - Barcelos, 9,5 km (CRI)

1.º Aleksandr Grigorev (Sporting-Tavira), 11m45s

2.º Gustavo César Veloso (W52-FC Porto), a 6s

3.º Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista), mt

4.º Daniel Mestre (Efapel), a 7s

5.º António Carvalho (W52-FC Porto), a 8s

 

Geral Individual

1.º Aleksandr Grigorev (Sporting-Tavira), 8h24m20s

2.º Daniel Mestre (Efapel), a 1s

3.º Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista), a 3s

4.º António Carvalho (W52-FC Porto), a 4s

5.º Gustavo César Veloso (W52-FC Porto), a 6s

6.º Joni Brandão (Sporting-Tavira), a 9s

7.º Alejandro Marque (Sporting-Tavira), a 10s

8.º Edgar Pinto (Vito-Feirense-BlackJack), a 14s

9.º Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano-Uli), a 18s

10.º Daniel Silva (Rádio Popular-Boavista), mt

Fonte: FPC

“Primeiro setor/28.º GP Jornal de Notícias Leilosoc”

Rafael Silva vence etapa e Daniel Silva veste de amarelo

Por: José Carlos Gomes

Rafael Silva (Efapel) venceu hoje o primeiro setor da terceira etapa do GP Jornal de Notícias Leilosoc, uma curta ligação de 78 quilómetros, entre Monção e Viana do Castelo, que guindou Daniel Silva (Rádio Popular-Boavista) ao topo da classificação geral.

A viagem foi muito rápida, com média de 43,3 km/h, e terminou ao sprint. Rafael Silva, que vencera a primeira etapa, em Viseu, confirmou os pergaminhos de velocista mais rápido deste pelotão e conquistou novo triunfo. O segundo foi António Carvalho (W52-FC Porto) e o terceiro Luís Gomes (Rádio Popular-Boavista).

Apesar de a chegada ser ao sprint, registou-se uma mudança na classificação geral, tudo porque o pelotão chegou “cortado” a Viana do Castelo. Nuno Meireles cedeu seis segundos na chegada e, assim, perdeu a camisola amarela para Daniel Silva. O boavisteiro comanda com 5 segundos de vantagem sobre o corredor da Miranda-Mortágua. O terceiro, a 34 segundos, é Rafael Silva.

Os grandes protagonistas do setor matinal da terceira etapa conheceram-se na meta, mas a viagem foi aninada por uma fuga, iniciada ao quilómetro 10, por sete homens, Gonçalo Amado (ACDC Trofa/Trofense), Rui Rodrigues (Aviludo-Louletano-Uli), António Monteiro (Fortunna/Maia), Júlio Gonçalves e Fábio Mansilhas (LA Alumínios), Rafael Lourenço (Liberty Seguros-Carglass) e Soufiane Haddi (Vito-Feirense-BlackJack). A diferença chegou aos dois minutos, mas foi perdendo gás com a aproximação da meta e com a perseguição da Miranda-Mortágua.

O grupo de escapados também foi perdendo unidades. A fuga acabou a 6 quilómetros do fim, começando a desenhar-se a possibilidade de uma chegada ao sprint. Fábio Mansilhas viu premiada a presença ativa na escapada com o Prémio da Combatividade.

A velocidade e a tensão dos quilómetros finais provocaram quedas. Entre os acidentados estiveram três homens da W52-FC Porto, que deitaram por terra a possibilidade de discutir a classificação geral: César Fonte, José Neves e Rui Vinhas.

A terceira etapa só ficará completa com a realização do segundo setor, a partir das 16h00. Será um contrarrelógio individual de 9,5 quilómetros, a disputar na cidade de Barcelos. Espera-se que os candidatos à conquista do 28.º Grande Prémio Jornal de Notícias Leilosoc estabeleçam aí as primeiras diferenças significativas.

Daniel Silva será o último a partir, por ser dono da camisola amarela. Nas restantes classificações comandam Rafael Silva, nos pontos, Guillaume Almeida (Fortunna/Maia), na montanha, Nuno Meireles, nas metas volantes, e Daniel Silva (SIcasal/Constantinos/Delta Cafés), na juventude.

 

Classificações

3.ª Etapa - 1.º Setor: Monção - Viana do Castelo, 78 km

1.º Rafael Silva (Efapel), 1h48m05s (Média: 43,300 km/h)

2.º António Carvalho (W52-FC Porto), mt

3.º Luís Gomes (Rádio Popular-Boavista), mt

4.º Mário González (Sporting-Tavira), mt

5.º João Matias (Vito-Feirense-BlackJack), mt

6.º César Martingil (Liberty Seguros-Carglass), mt

7.º Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano-Uli), mt

8.º Leonel Coutinho (Vito-Feirense-BlackJack), mt

9.º Luís Mendonça (Aviludo-Louletano-Uli), mt

10.º Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista), mt

 

Geral Individual

1.º Daniel Silva (Rádio Popular-Boavista), 8h11m45s

2.º Nuno Meireles (Miranda-Mortágua), a 5s

3.º Rafael Silva (Efapel), a 34s

4.º Daniel Mestre (Efapel), a 44s

5.º António Carvalho (W52-FC Porto), a 46s

6.º Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista), a 47s

7.º Luís Gomes (Rádio Popular-Boavista), a 48s

8.º Filipe Cardoso (Rádio Popular-Boavista), mt

9.º Joni Brandão (Sporting-Tavira), mt

10.º João Matias (Vito-Feirense-BlackJack), a 50s

Fonte: FPC