sábado, 9 de maio de 2020

“Diretor da Vuelta não espera mais alterações na prova”

Depois de terem sido canceladas as passagens por Portugal

Por: AJO // AJO/Lusa/Fim

Foto: Getty Images

O diretor-geral da Volta a Espanha, Javier Guillén, afirmou este sábado que não prevê mais alterações nas etapas da prova, depois de terem sido canceladas as passagens por Portugal devido à pandemia da covid-19.

"Já tínhamos dito, depois de conhecermos as datas da prova, que os traçados podiam mudar. Estávamos a referir-nos à etapa do Porto e chegámos a acordo que a corrida este ano não vai passar por aquela cidade maravilhosa", afirmou.

As etapas da Volta a Espanha em bicicleta que iam passar por Portugal foram canceladas, anunciaram hoje as autarquias, explicando que a decisão se deve à "imprevisibilidade da pandemia" da covid-19 e às alterações impostas pelo calendário.

Assim, não se realizará em Portugal a etapa cuja chegada estava prevista para o Porto e Matosinhos, nem a etapa que se iria iniciar em Viseu.

Javier Guillén explicou que já existem locais escolhidos para substituir estas etapas, mas referiu que só serão comunicados depois de todos os traçados estarem elaborados pela organização.

"O Porto expressou algumas dúvidas sobre a covid-19 e não puderam confirmar a sua disponibilidade. Então chegámos a um acordo que, se não fosse este ano, nos reuniríamos para os próximos, e não apenas com o Porto, mas com as outras cidades portuguesas", disse Javier Guillén.

O diretor da Vuelta salientou que "uma vez feita a apresentação das novas etapas, não são esperadas mais mudanças nas dezoito etapas que compõem" a edição deste ano da Volta a Espanha.

A etapa com chegada ao Porto, tinha o seu início em Mós, na Galiza, enquanto a etapa seguinte partia de Viseu para Ciudad Rodrigo, em Salamanca.

Fica assim adiado o regresso da Vuelta a território português, depois de ter começado em Lisboa em 1997, com uma ligação ao Autódromo do Estoril. Seguiu-se a ligação de Évora a Vilamoura, com a despedida de Portugal a acontecer na terceira etapa, que começou em Loulé e terminou em Huelva, já em Espanha.

A edição de 2020 da Volta a Espanha já tinha sido encurtada para 18 etapas, depois de ter sido cancelada a partida dos Países Baixos, devido à pandemia de covid-19, bem como outras duas etapas, em Utrecht e Brabante do Norte.

O evento de 18 etapas estava previsto para decorrer de 14 de agosto a 6 de setembro, contudo, devido à pandemia, foi alterado, como todo o calendário internacional, disputando-se agora entre 20 de outubro a 08 de novembro, com partida do País Basco.

Fonte: Record on-line

“Valverde 'apanhado' no primeiro dia de treino na estrada: «Não sei se a multa vai chegar...»”

Espanhol foi abordado por um agente que o reconheceu, mas... não escapou

Foto: Reuters

Alejando Valverde (Movistar) revelou, em entrevista à Eurosport, que foi multado na primeira vez que saiu para treinar na estrada após várias semanas de confinamento. Tudo porque o campeão do Mundo terá saído do seu município.

"Acho que estava legal porque para seguir aquele caminho tenho de sair e voltar a entrar mais à frente. O agente reconheceu-me, mas pediu-me os dados e identificou-me à mesma, agora não sei se a multa vai chegar ao não", revelou o murciano, de 40 anos, aproveitando para frisar que continuará na estrada até 2022.

Antes disso, Valverde já tinha anunciado o calendário que fará até ao final da temporada: Volta a França, Liège-Bastogne-Liège, Fleche Wallonne, Volta a Espanha e Mundiais.

Fonte: Record on-line

“Canceladas etapas da Volta a Espanha que passavam por Portugal”

Organização explica que a decisão se deve à "imprevisibilidade da pandemia"

Por: Lusa

Foto: EPA

As etapas da Volta a Espanh que iam passar por Portugal foram canceladas, anunciaram este sábado as autarquias, explicando que a decisão se deve à "imprevisibilidade da pandemia" da covid-19 e às alterações impostas pelo calendário.

"As autarquias de Porto, Matosinhos e Viseu e a Unipublic, a organizadora da La Vuelta 2020, anunciam que, atendendo à imprevisibilidade da pandemia da covid-19 e às alterações impostas pelo calendário internacional de ciclismo, está cancelada a vinda da Volta a Espanha a Portugal", referem as autarquias em comunicado.

Assim, não se realizará em Portugal a etapa cuja chegada estava prevista para o Porto e Matosinhos, nem a etapa que se iria iniciar em Viseu.

"Para as três cidades e para a Unipublic, só faria sentido a La Vuelta visitar Portugal num clima de festa e segurança que não será possível garantir em 2020", acrescenta.

A etapa com chegada ao Porto, tinha o seu início em Mós, na Galiza, enquanto a etapa seguinte partia de Viseu para Ciudad Rodrigo, em Salamanca.

Fica assim adiado o regresso da Vuelta a território português, depois de ter começado em Lisboa em 1997, com uma ligação ao Autódromo do Estoril. Seguiu-se a ligação de Évora a Vilamoura, com a despedida de Portugal a acontecer na terceira etapa, que começou em Loulé e terminou em Huelva, já em Espanha.

A organização da Volta a Espanha confirmou que chegou a acordo com as autarquias e que a edição deste ano da competição não vai passar por Portugal.

"Isto significa que a 15.ª etapa, que tinha o seu fim entre o Porto e Matosinhos, bem como a 16.ª etapa, com a sua partida de Viseu, vão ter os seus itinerários alterados. As alternativas para substituir Porto, Matosinhos e Viseu já foram aprovadas", explica a organização, salientando que as novas etapas serão anunciadas nas próximas semanas.

A edição de 2020 da Volta a Espanha já tinha sido encurtada para 18 etapas, depois de ter sido cancelada a partida dos Países Baixos, devido à pandemia de covid-19, bem como outras duas etapas, em Utrecht e Brabante do Norte.

O evento de 18 etapas estava previsto para decorrer de 14 de agosto a 6 de setembro, contudo, devido à pandemia foi alterado, como todo o calendário internacional, disputando-se agora entre 20 de outubro a 08 de novembro, com partida do País Basco.

Fonte: Record on-line

“Bernal diz que não pode exigir ser o único líder na Volta a França”

Geraint Thomas e Chris Froome também têm ambições na prova

Por: Lusa

Foto: Reuters

O ciclista colombiano Egan Bernal, vencedor da Volta a França em 2019, afirmou que os colegas de equipa Geraint Thomas e Chris Froome também têm ambições na prova francesa, referindo que não pode exigir ser o único líder.

Bernal, de 23 anos, explicou que o seu grande objetivo para esta temporada é o Tour e salientou que tem boa relação com os seus companheiros na equipa britânica da INEOS.

"Acho que temos de esperar e ver como cada corredor chegará ao Tour e, em seguida, a estrada colocará todos no seu lugar. Isso será visto nas primeiras etapas. No momento, embora eu seja o campeão, não posso dizer à equipa que quero ser o único líder, é hora de ter sangue frio, preparar, e que seja o que Deus quiser", disse o ciclista em entrevista à Eurosport.

A equipa INEOS conta também com Chris Froome, que já venceu o Tour por quatro vezes e falhou a última edição devido a uma queda, e com Geraint Thomas, que também já ganhou a prova.

"Entendo claramente a equipa. Para eles pode ser muito bom tentar ganhar um quinto Tour com Froome ou ganhar outro com Thomas, porque são corredores britânicos", disse o colombiano, que garantiu que, apesar de ser jovem, não quer desperdiçar nenhuma oportunidade de vencer a Volta à França.

O Tour, que estava prevista para junho e foi adiado devido à pandemia de covid-19, vai decorrer entre 29 de agosto e 20 de setembro.

Fonte: Record on-line