sábado, 29 de julho de 2017

“29.º Grande Prémio do Minho/2ª etapa”

João Dinis vence em Vieira do Minho

A dureza dos 103 quilómetros da segunda etapa do 29.º Grande Prémio do Minho não esmoreceu os atacantes premiando, em Vieira do Minho, o axadrezado João Dinis (RP Boavista - Formação) com o triunfo parcial e o vimaranense Pedro Miguel Lopes (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact) com a manutenção da camisola amarela.

A 29.ª edição do Grande Prémio do Minho, na sua versão destinada ao escalão júnior, voltou a revelar um ciclismo altamente competitivo e repleto de ataques, malgrado a assunção inicial do comando do pelotão pela Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact na proteção da camisola amarela de Pedro Miguel Lopes conquistada, na véspera, em Cabeceiras de Basto.

A alta velocidade foi a tónica desde o começo da etapa forçando à fragmentação do pelotão em dois grandes grupos logo à passagem pela meta-volante de Vieira do Minho - 1.º Diogo Vieira (Tensai /Sambiental/Santa Marta). Se a primeira seleção estaria feita, numa jornada que acusou 17 desistências, o teste do alto da Portela (2.ª categoria), coroado primeiramente por Abel Franco (Bathco), isolou o grupo dos favoritos, entre eles marcando presença Pedro Miguel Lopes.

O camisola amarela, no entanto, despreocupou-se com o ataque de João Dinis, já perto da última dezena de quilómetros, abrindo caminho a um quarteto que discutiria a etapa sem fazer perigar a classificação geral individual.

Com João Dinis saltaram Guilherme Valverde e Miguel Monteiro, ambos da Academia Joaquim Agostinho e, posteriormente, Artur Chaves (Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel). O triunfo de João Dinis em Vieira do Minho deu-se após um forte arranque no último quilómetro que lhe permitiu avantajar-se em quatro segundos a Artur Chaves, segundo classificado da jornada. O comandante Pedro Miguel Lopes terminou 43 segundos depois integrado no pelotão perseguidor.

Quando resta apenas percorrer a terceira e última etapa, com 106 quilómetros e partida e chegada em Melgaço, Pedro Miguel Lopes lidera empatado, no tempo cronometrado, com Afonso Silva (Sporting/Tavira/Formação Eng.Brito da Mana), e com quatro segundos de avanço sobre João Carneiro (RP Boavista - Formação), terceiro classificado.

Pedro Miguel Lopes manteve o comando na classificação da montanha e na camisola branca, destinado ao ciclista filiado na ACM com a mais elevada classificação geral individual. João Dinis passou a comandar a classificação por pontos e Afonso Silva conservou a camisola laranja da juventude.

Fonte: FPC

“Miguel Carneiro termina em 19.º lugar triplo ironman na Alemanha”

Estónio Rait Ratasepp venceu a prova

Por: Lusa

Foto: Ferreira Dias

O português Miguel Carneiro classificou-se em 19.º lugar o triatlo de longa distância triplo ironman, que terminou na madrugada deste sábado na Alemanha.

Esta prova é composta por 11,4 km de natação, 540 km de ciclismo e 126,6 km de corrida.

O estónio Rait Ratasepp venceu a prova, seguido do alemão Richard Jung e do britânico Stuart Gillet, que completaram o pódio.

Fonte: Record on-line

“POLACO KWIATKOWSKI VENCE CLÁSSICA DE SAN SEBASTIÁN EM ‘SPRINT’ REDUZIDO”

Campeão do mundo de fundo em 2014 alcançou a segunda grande vitória do ano.

O ciclista polaco Michale Kwiatkowski (Sky) venceu hoje a Clássica de San Sebastián, em Espanha, ao impor-se num ‘sprint’ com quatro outros corredores no final da tirada de 231 quilómetros.

Depois de uma fuga a cinco, com o colega espanhol Mikel Landa, os holandeses Bauke Mollema (Trek-Segafredo), vencedor de 2016, e Tom Dumoulin (Sunweb), vencedor da Volta a Itália, e o francês Tony Gallopin (Lotto-Soudal), Kwiatkowski respondeu ao ‘sprint’ lançado pelo gaulês para cortar a meta primeiro, ao fim de 5:52.53 horas, com Gallopin em segundo e Mollema em terceiro.

O ataque tinha sido lançado primeiro por Landa, quarto na Volta a França, a nove quilómetros da meta, sendo que o espanhol conseguiu a sua melhor classificação de sempre nas grandes provas de um dia.

Para Kwiatkowski, campeão do mundo de fundo em 2014, foi a segunda grande vitória do ano, depois da clássica Milão–San Remo, depois de ter começado a temporada com um segundo lugar na geral da Volta ao Algarve.

A fuga do dia foi anulada a quase 30 quilómetros do final, depois de não conseguir ter mais do que quatro minutos de vantagem para o pelotão, que trabalhou desde cedo para ‘anular’ qualquer chance de uma surpresa.

Assim, e entre os favoritos, foi o ataque de Landa o mais bem-sucedido, tanto que apenas Gallopin, numa primeira fase, conseguiu acompanhar.

Já depois do ‘vice’ do Tour Rigoberto Urán (Cannondale Drapac) ter perdido a roda do espanhol, Kwiatkowski, Mollema e Dumoulin compuseram o quinteto que seguiu junto até final, onde Landa aumentou o ritmo para lançar o polaco, que acabou por deitar por terra as aspirações de Gallopin.

Na sua terra natal, o espanhol Haimar Zubeldia (Trek-Segafredo) despediu-se do ciclismo, aos 40 anos, depois de uma carreira com vários ‘top 10’ na Volta à França e na Volta à Espanha.

O basco cumpriu 20 anos no pelotão internacional, tendo corrido 16 vezes o Tours (a uma do recorde de participações), 12 vezes Vuelta e um Giro.

Hoje, passando por Guipuzcoa, onde nasceu, Zubeldia cortou a meta a 1.32 minutos de Kwiatkowski, terminando a prova na 29.ª posição.

Fonte: Sapo on-line

“Campeonato da Europa de XCO”

Equipa Portugal entre o previsto e as quedas

A Equipa Portugal terminou o seu primeiro dia de competições do Campeonato da Europa de Cross Country Olímpico (XCO) tendo como melhor resultado o 25.º lugar de Marta Branco na corrida de juniores femininos. Como nota negativa salienta-se a queda de Ana Tomás nos sub-23 femininos

Marta Branco, campeã nacional da categoria júnior mediu-se pela primeira vez com atletas rivais numa prova de alto nível e, na estreia num Europeu, foi 25.º classificada, terminando a corrida no circuito italiano de Darfo Boario Terme (Lombardia) na mesma volta do que a vencedora, a austríaca Laura Stigger. A corrida de juniores, na qual a Equipa Portugal estava representada por Carlos Salgueiro e Guilherme Mota revelou-se mais disputada tendo Carlos Salgueiro concluído as cinco voltas ao percurso na 27.º posição. Guilherme Mota foi 45.º classificado, igualmente na volta do vencedor. O espanhol Jofre Estape sagrou-se campeão europeu júnior de XCO, com um triunfo seguro diante do suíço Alexandre Balmer e do francês Benjamim Le Ny.

Ana Tomás foi a única representante nacional no escalão sub-23 feminino. A campeã nacional da categoria, no entanto, foi vítima de uma queda que a impossibilitou de concluir a corrida, tendo sido reencaminhada para o hospital local onde se confirmou a inexistência de qualquer fratura e lesão grave. A corrida sub-23 feminina foi conquistada pela suíça Sina Frei.

“Está a ser um campeonato marcado pelas dezenas de quedas, uma delas com a Ana Tomás, felizmente, após os primeiros exames médicos, sem consequências de maior”, resumiu o selecionador nacional, Pedro Vigário.  “A pista tecnicamente tem um outro obstáculo mais exigente, mas as sucessivas passagens têm desgastado o terreno, abrindo novos sulcos e regos a cada volta, surpreendendo os atletas. Em termos de resultados, as corridas juniores correram dentro do previsto. A Marta Branco obteve uma classificação expectável tendo conta que é a primeira vez que disputa um Europeu e o mesmo desempenho, igualmente dentro do esperado, foi alcançado pelo Carlos Salgueiro e pelo Guilherme Mota. Amanhã (domingo) esperamos que o João Rocha, que caiu nos treinos, se adapte bem à prova de sub-23 masculinos e que o David Rosa, que tem as referências do passado, faça uma corrida dentro desse registo, enquanto que espero que o Mário Costa e o José Dias confirmem na corrida a excelente temporada que estão a realizar”.

Fonte: FPC

“Volta Polónia/Peter Sagan regressa à estrada e às vitórias “

Triunfo na primeira etapa da Volta a Polónia

Por: SIYF // PA/Lusa/fim

Foto: Reuters

O eslovaco Peter Sagan (Bora-Hansgrohe) venceu hoje a primeira etapa da Volta à Polónia, no seu regresso à competição depois de ter sido desclassificado da Volta à França.

O campeão do mundo de fundo impôs-se ao sprint, terminando os 130 quilómetros do circuito em Cracóvia em 2:56.16 horas, à frente do australiano Caleb Ewan (Orica-Scott), segundo, e do holandês Dany Van Poppel (Sky), que fechou o pódio.

É a primeira vitória do eslovaco desde que foi afastado do 'Tour' à quarta etapa, por uma manobra irregular que provocou a queda de Mark Cavendish.

Com o mesmo tempo de Sagan, primeiro camisola amarela da 74.ª edição, chegaram os portugueses José Gonçalves (Katusha Alpecin), na 20.ª posição, Nelson Oliveira (Movistar), 24.º, e Rui Costa, 30.º, todos integrados no pelotão.

O português Rúben Guerreiro (Trek Segafredo), campeão nacional, abandonou a prova ao fim de 20 quilómetros, depois de ter entrado na corrida "após ter sofrido uma recaída de uma gastroenterite", explicou a equipa.

No domingo, um percurso acidentado espera os ciclistas, na ligação de 142 quilómetros entre Tarnowskie Góry e Katowice, incluindo um circuito de 17,5 quilómetros no final que os corredores enfrentam três vezes.

Fonte: Record on-line

“Rui Costa e Peter Sagan estão de regresso”

Português e eslovaco correm Volta a Polónia, que se disputa a partir de hoje e até sexta-feira

Por: Ana Paula Marques

Um não foi ao Tour, por opção da equipa; o outro foi, mas acabou expulso. Rui Costa (UAE) e Peter Sagan (Bora) regressam hoje à competição, para disputarem até sexta-feira a Volta à Polónia, prova do World Tour.

Para o ciclista português trata-se pois da estreia nesta corrida, ele que nos anos anteriores gozava nesta altura um período de algum relaxamento por força da presença no Tour. As prioridades este ano são diferentes e depois da participação, também inédita, no Giro, Rui Costa surge na Polónia com ambições de um bom resultado, ainda que vindo de uma paragem prolongada (desde a Volta à Suíça) e talvez com os olhos postos na Vuelta. "Trabalhei intensamente durante as últimas semanas, com treino de altitude. Acredito que esta é uma boa maneira de abordar a segunda parte da temporada e minha estreia na Polónia", frisou o poveiro ao site da equipa.

Já Peter Sagan, que surge com novo visual (cabeça rapada), está certamente desejoso de voltar à estrada, depois da expulsão polémica na Volta a França, por alegada cotovelada a Mark Cavendish. O campeão do Mundo já venceu a Volta à Polónia, em 2011, mas dificilmente o conseguirá este ano por força de um percurso sinuoso, em concreto as duas últimas etapas.

Em duas frentes

Rui Costa é um dos quatro portugueses a competir na Polónia. Os outros são Nelson Oliveira (Movistar), José Gonçalves (Katusha) e o campeão nacional de estrada Ruben Guerreiro (Trek), que também será o líder da equipa.

Mas hoje corre-se igualmente a Clássica de San Sebastian e também com portugueses: Tiago Machado (Katusha), que vem do Tour, José Mendes (Bora) e Rafael Reis (Caja Rural), estes dois também com os olhos postos na presença na Vuelta.

Fonte: Record on-line

“Quarteto em ação no Canadá”

Vanessa Fernandes, Melanie Santos, João Pereira e Miguel Arraiolos

Foto: Miguel Barreira

Vanessa Fernandes, Melanie Santos, João Pereira e Miguel Arraiolos competem hoje na World Series de Edmonton, no Canadá, prova que marca o regresso da vice-campeã olímpica em Pequim’2008 a etapas do Campeonato do Mundo.

Na véspera da partida para o outro lado do Atlântico, Vanessa disse ao nosso jornal que o objetivo no Canadá não são os resultados, mas sim aferir a forma em ação direta com a elite feminina do triatlo mundial, que acontece pela primeira desde que regressou este ano à modalidade que a notabilizou como uma das melhores.

Fonte: Record on-line